Uruguai já projeta início do plantio de canábis

SÃO PAULO – O ex-guerrilheiro e presidente do Uruguai, Pepe Mujica, deu um passo importantíssimo na semana passada (enquanto este que vos escreve delirava de febre em uma cama na babilônia) no combate à violência no país. Por meio de um plano de Governo, ele colocou em prática um anseio antigo: legalizar o comércio e o plantio de maconha. Um ganho para a democracia, e uma paulada no crime organizado que a cada ano fatura milhões e milhões de dólares com a maconha, dinheiro que poderia ser revertido para o bem-estar social.

A ideia do Governo é iniciar em setembro o plantio de canábis, que será disponibilizada à população por meio de lojas privadas, regulamentadas pelo Governo do Uruguai, que tem o domínio do parlamento com a Frente Ampla. “A ideia central do Poder Executivo é que o Estado tenha uma forte presença na regulamentação da produção. Inicialmente nos inclinamos por uma regulação e produção no âmbito do próprio Estado”, disse o secretário-geral da Junta Nacional de Drogas, Julio Calzada, à agência Reuters.

“A ideia é só vender aos residentes e cidadãos nacionais. A Holanda teve de alterar parte de sua estratégia, depois de muitos anos de dificuldades com países de sua região”, afirmou Calzada sobre a possibilidade de usuários de outros países da América Latina entrem de cabeça em viagens de turismo canábico pelo país dos lindos balneários e dos imponentes cassinos, que todo ano recebe uma quantia estrondosa com o turismo.