Trabalhar com maconha: negócios no mercado de Cannabis

Trabalhar com maconha legalmente em um verdadeiro mercado de Cannabis, que também pode ser chamado de indústria cannabica, era algo inimaginável nos anos 80 no Brasil e no mundo. Nos anos 90 e 2000 já era possível atuar com alguns produtos para consumo, porém a repressão era enorme, assim como foi no início do Growroom e das primeiras marchas da maconha no país. Só que hoje em dia, com cada vez mais países regularizando a planta, e o consumo e comércio crescendo e ficando mais sofisticado, está bem mais fácil realizar esse sonho.

O mercado de Cannabis está gerando oportunidades de emprego e de empreendedorismo no mundo todo. No Brasil não é diferente e já é possível trabalhar com maconha. Além da produção e do comércio medicinal estarem liberados, é só olhar a quantidade de marcas e profissionais ligados à planta que estão literalmente trabalhando com maconha. É um mercado vasto, com espaço para pessoas de diferentes perfis e áreas de atuação, mas que têm em comum, na maioria dos casos, o amor pela planta.

Se você se encaixa nesse perfil e também já teve esse sonho, esse texto é pra você. Trabalhar no mercado de Cannabis é possível. Existem oportunidades de emprego agora que muitas vezes as pessoas nem percebem. E também há a chance de investir em um negócio próprio ou simplesmente se especializar para buscar uma carreira na indústria cannabica fora do país enquanto por aqui a maconha ainda não legaliza.

Os números em alta do mercado de Cannabis 

Nos Estados Unidos, o mercado de Cannabis é o que mais cresce entre todos os legais. Hoje em dia, são mais de 243 mil pessoas registradas trabalhando nessa indústria verde. Isso sem falar nos informais e prestadores de serviços que muitas vezes se envolvem, mas não estão contabilizados nessa conta. Porque pra funcionar, um mercado não depende só de usuários, ou exclusivamente só deles, mas de profissionais de diferentes setores. Afinal, são negócios como outros e é por isso que trabalhar com maconha está mais fácil.

E olha que nem todos esses estados americanos contam com a legalização do uso recreativo da maconha. Em muitos deles, o consumo é somente medicinal. Guardando as devidas proporções, é o mesmo caso do Brasil, que recentemente regularizou a produção e comercialização de medicamentos à base de Cannabis. Segundo levantamento, hoje são cerca de 30 empresas competindo nesse setor específico de remédios por aqui. A projeção é que esse mercado passe a valer bilhões nos próximos anos, assim como já acontece nos Estados Unidos.

Se levarmos em consideração os negócios que já existem e que vão se fortalecer ainda mais, e todos que podem surgir com a legalização medicinal  e recreativa em outros países do mundo também, a tendência é que a planta seja realmente uma das principais indústrias do futuro, gerando bilhões e muitos empregos e oportunidades, inclusive aqui no Brasil que tanto necessita de um fim para essa guerra e também de empregos.

Crescimento dos empregos no mercado legal de Cannabis dos Estados Unidos – Créditos NORML Blog

O que é preciso para trabalhar com maconha?

Como em qualquer profissão, para trabalhar com maconha são necessários alguns pré-requisitos que vão ser importantes na hora do seu currículo ser avaliado, ou também para o seu negócio dar certo.

  • Entender sobre maconha.
  • Cultivar a própria maconha para saber tudo sobre ela.
  • Conhecer o público usuário de Cannabis ou os pacientes se atuar no ramo medicinal.
  • Ser profissional. Embora seja óbvio, muita gente esquece só porque o assunto é Cannabis. Mas isso está mudando.
  • Seja bom naquilo que faz, independente do que seja. Procure ser sempre melhorar para atuar nesse ramo.
  • Conheça a legislação e seus direitos enquanto usuário, trabalhador ou investidor da área.
  • Fique atento ao mercado de Cannabis no Brasil e no mundo.
  • Procure exemplos de profissionais de outras áreas e também de sucesso na indústria cannabica.

Headshops e growshops

Esse é um mercado em que muitas estão procurando investir. Isso porque além da enorme variedade hoje em dia de produtos para cultivo e consumo, é possível ter um headshops e growshops tanto físicas quanto totalmente online, fazendo entregas para todo o Brasil. Além disso, as pessoas optam por apostar nessas lojas justamente porque muitas vezes suas cidades não têm comércios assim com vários bongs, trituradores, ou estufas de cultivo.

Somente agora que todos esses itens para consumo e cultivo estão se popularizando de fato, com uma grande quantidade de marcas produzindo e distribuindo, o que têm facilitado muito o acesso e a possibilidade de empreender no ramo. Entretanto, quem não tem grana para abrir uma headshop ou growshop, mas tem muita vontade de trabalhar nessa área porque entende do assunto pode procurar um espaço desses e oferecer seus serviços mostrando conhecimento sobre o assunto.

Como veremos a seguir, headshops ou growshops, assim como outros negócios cannabicos também exigem profissionais de outra área para funcionar de forma mais profissional como qualquer outra empresa.

Growshops e headshops são opções para quem quer empreender ou trabalhar no mercado de Cananbos – Créditos Milanuncios

Produção de acessórios para consumo e cultivo

Bom, se existem essas headshops e growshops vendendo produtos e acessórios para consumo e cultivo, é porque existem empresas fazendo esses itens. E no mercado de Cannabis atual são muitos. Desde os tradicionais trituradores, pipes, e bongs, passando pelos painéis de LED, estufas de cultivo, exaustores, e outros equipamentos pra cultivo em pequena e larga escala. Tem ainda os acessórios para quem curte haxixe e quer fazer e consumir o seu em casa de diferentes formas.

São empresas/marcas grandes e outras menores que atuam na produção de tudo isso antes de chegar para os revendedores nas lojas ou no consumidor final. Essas peças também de pessoas de diferentes habilidades para sua confecção, e também envolvem profissionais de diversas áreas até serem devidamente registradas e comercializadas. Tudo isso é permitido no Brasil porque embora sejam utilizados para algo relacionado a Cannabis, não envolvem a planta.

Produção de bongs e acessórios – Créditos Smoke Nut

Cannabis medicinal

Como falamos anteriormente, o mercado legal da Cannabis medicinal já está acontecendo. Isso porque a planta para esses fins já está permitida na grande maioria dos países, e no Brasil a produção e o comércio de medicamentos já estão liberados. Trata-se de uma ótima oportunidade para quem quer trabalhar com maconha e tem formação nesta área farmacêutica, embora não seja especificamente com maconha que vai trabalhar, mas sim na fabricação de remédios a partir dela.

Entretanto, o uso medicinal da Cannabis está crescendo em alta velocidade. Existem cada vez mais médicos de diferentes áreas da saúde se especializando no assunto para se tornarem referência na prescrição ou até mesmo nos estudos referentes aos benefícios desses medicamentos e da planta nas doenças.

A busca pelo acesso à cannabis medicinal pode envolver advogados também, assim como esse processo da abertura dessas empresas. Elas podem contar ainda com profissionais da área de agronomia e cultivo muitas vezes quando a produção tanto da planta com alto teor de CBD, quanto dos medicamentos, é no mesmo local. Isso sem falar em todos os setores que envolvem a produção desses medicamentos até que cheguem em quem precisa.

Outro setor ligado à área da saúde é o de cosméticos, que também está sendo influenciado pelos benefícios da Cannabis. Nos países legalizados é possível encontrar diferentes cremes e óleos corporais com infusão da maconha. Por se tratar de uma planta repleta de propriedades medicinais, ela tem se mostrado uma grande auxiliar da pele.

Mercado de Cannabis medicinal têm oferecido oportunidades para quem é da área – Créditos Green Rush Dialy

Cultivo e comércio legal em outros países

Já quem quer trabalhar com maconha de fato, com a planta mesmo, pode optar pelos locais onde ela já está legalizada. Mas isso não quer dizer que é só chegar lá e pedir emprego é claro. Estamos falando de um mercado profissional e que já tem muitas pessoas talentosas e que conhecem muito do assunto, pois o consumo de flores já é cultural, enquanto por aqui estamos muito mais acostumados ao prensado. Mesmo assim, quem cultiva ou entende muito sobre a planta pode sim tentar a sorte trabalhando diretamente com ela.

Em locais onde há dispensários comercializando as flores, é possível trabalhar de budtender, por exemplo, se souber falar o idioma é claro, além de ter que entender das diferentes strains. Nos estados ou países onde a venda é permitida é onde também estão os grandes cultivos e onde é possível arrumar trabalho como trimmer ou outra função relacionada. Já na Espanha e na Holanda, onde existem ou os clubes ou os coffe shops, também dá pra tentar a sorte, assim como no Uruguai que tem um mercado bem mais restrito controlado pelo Governo.

Trabalhar fora do país é sempre mais difícil, mas não impossível. Tem muitos growers ou brasileiros apaixonados por maconha que hoje trabalham com ela nesses países. Isso significa que certamente vão estar mais preparados para quando o Brasil legalizar, ou quando outros países do mundo começarem a fazer o mesmo.

Quem é budtender trabalha com maconha, mas tem que entender de cada uma das genéticas – Créditos The Source Weekly
Trimmer é um emprego para quem quer trabalhar com maconha diretamente – Créditos The Globe and Mail

Culinária cannabica

Outra área do mercado de Cannabis que vem crescendo muito é o da culinária cannabica. Nos lugares onde a planta já está legalizada é comum os eventos e até mesmo jantares particulares com oferta de verdadeiros banquetes salgados e doces feitos com infusão da planta. Por conta disso, o consumo no Brasil também aumentou, assim como o número de pessoas interessadas no assunto. Tanto que o Growroom já tem um curso de culinária cannabica com diversos alunos interessados em aprender mais sobre essa combinação entre maconha e comida.

São consumidores da planta, mas também cozinheiros e chefs interessados em aprender a colocar a Cannabis nos seus pratos e quem sabe um dia comercializá-los legalmente quando for permitido.

A culinária cannabica está cada vez mais em alta – Créditos NOW Magazine

Marketing, sites, contabilidade, administração, entregas, e outros serviços para empresas do mercado de Cannabis

É possível trabalhar com maconha de diferentes formas que vão muito além das citadas acima. Isso porque empresas de médio ou grande porte precisam de profissionais de diversas áreas e isso pode incluir a sua também. Ou seja, você pode trabalhar diretamente com uma marca do mercado de Cannabis sem estar com um monte de plantas na sua volta.

As indústrias do mercado legal de Cannabis precisam de pessoas para trabalhar no estoque, no marketing, na confecção do site, na área da contabilidade, na entrega de produtos ou coleta em distribuidores, nos serviços gerais, na recepção, em eventos, e em muitos outros setores que variam conforme o negócio ou serviço que a empresa presta. Muitas vezes esses profissionais podem até ser terceirizados, mas de certa forma estão atuando nesse mercado também.

É possível trabalhar com cannabis em várias áreas – Créditos Content Bacon

Roupas e materiais de cânhamo

No passado, o cânhamo, que é a maconha Ruderalis com baixo teor de THC e CBD, era utilizado como tecido. Mas a verdade é que isso pode acontecer ainda hoje com a utilização do cânhamo para produção de roupas, calçados, mochilas, e os mais variados acessórios possíveis com a versatilidade da planta. Isso sem falar que é possível confeccionar roupas normais com desenhos de Cannabis também, utilizando a moda como forma de ativismo e de levar a maconha para diferentes rolês.

Existem cada vez mais marcas independentes apostando nessa união entre maconha e moda, tanto com o cânhamo como matéria prima, como com a planta servindo como inspiração até mesmo para produção de jóias.

Dicas para turbinar o currículo e trabalhar com maconha

É possível deixar o currículo melhor para trabalhar com maconha. Não importa a área de atuação, sempre dá pra melhorar, assim como também dá pra se especializar antes de abrir um negócio, pois os riscos vão ser menores.

  • Aprenda a cultivar.
  • Faça cursos relacionados a Cannabis e ao mercado de Cannabis.
  • Participe de eventos sobre maconha quando tiver a oportunidade.
  • Leia sobre o assunto e procure interagir com profissionais da área nas redes sociais.
  • Participe de cursos e especializações da sua área também para mostrar que está em constante atualização. Isso vale pra quem quer trabalhar, mas também quem quer empreender.