Terpenos da maconha: a função e a importância dos terpenos

Embora você provavelmente tenha ouvido falar em terpenos por conta da maconha, os terpenos são substâncias químicas e orgânicas presentes na natureza, que dão aromas e sabores à flores e frutas de várias espécies. Muitos estão presentes no nosso dia a dia e na nossa comida, inclusive. Especificamente na Cannabis, os terpenos são secretados pelas mesmas glândulas que produzem canabinóides, como THC e CBD.

Estes óleos aromáticos são os responsáveis pelos diferentes aromas e sabores nas strains de maconha. Ou seja: por isso que algumas linhagens ou genéticas possuem aromas de frutas cítricas, frutas vermelhas, menta, pinho, ou outras variedades.

Já foram identificados até hoje, nas planta de maconha, mais de 100 terpenos diferentes, e cada strain apresenta um tipo e composição única que podemos chamar de perfil terpenóide.

O que eles fazem e quais os efeitos

A função dos terpenos pode ir muito além do sabor e aroma. Eles podem desempenhar um papel fundamental na diferenciação dos efeitos de várias cepas de Cannabis. Isso porque alguns podem promover relaxamento e alívio do estresse, enquanto outros potencialmente promovem foco e atenção. Sim, os terpenos também são medicinais como veremos mais para frente.

Como acontece com outras plantas e flores de cheiro forte, a Cannabis desenvolveu esses elementos para repelir predadores e atrair polinizadores. Alguns podem promover relaxamento e alívio do estresse, enquanto outros potencialmente promovem o foco. Tudo isso por conta de um efeito que já vamos abordar.

A maconha possui vários tipos de terpenos

O mirceno, por exemplo, é encontrado em muitas variedades de Cannabis como Blue Dream e Granddaddy Purple. Já o terpinoleno é mais comumente encontrado em strains ativas como Jack Herer e Ghost Train Haze. O efeito de qualquer terpeno também pode mudar na presença de outros compostos em um fenômeno conhecido como Efeito Entourage. Mas a ciência ainda não sabe bem como cada um interfere nos efeitos quando usado em conjunto com outros, pois afinal são vários que precisam ser isolados e testados.

Os principais terpenos encontrados na maconha

Esses são alguns terpenos que são encontrados tanto na Cannabis, quanto em outras plantas:

  • Limoneno – Aroma de Citrus. Bom para aliviar o estresse e melhorar o humor, além de ajudar na depressão também. Pode ser encontrado também em cascas de frutas, alecrim, hortelã, e pimenta. Além das strains claro.
  • Pineno – Como o próprio nome pode sugerir, tem aroma de pinho. É recomendado para manter a concentração e a atenção em algo. É um terpeno que até ajuda a neutralizar os efeitos do THC, o que é bom para quem só precisa de CBD.
  • Mirceno  – Aroma de cardamomo e cravo. Efeito relaxante e ótimo antioxidante. Encontrado também na Manga, no Lúpulo, no Capim-Limão, etc.
    Maconha e frutas.

     

  • Linalool – Aroma e sabor floral. Ajuda a relaxar e dar aquela gargalhada quando preciso e por isso ajuda também com a ansiedade e até a depressão, além de reduzir dores. Está presente na Lavanda, aquela flor de cheiro delicioso.
  • Humulene – Aroma de lúpulo, que é utilizado na produção de cervejas artesanais. Tem efeito anti-inflamatório e está também no coentro e no manjericão.
  • Terpinoleno – Aroma e sabor floral é ótimo para manter a disposição, além de ser antibacteriano e antifungico. Está presente na noz moscada e até em algumas maças.
  • Cariofileno – Aroma picante semelhante à pimenta mesmo. É um terpeno bom para aliviar o estresse e está presente também no cravo, na canela e na pimenta preta. 
Frutas e terpenos tem tudo a ver.

Efeitos medicinais dos terpenos

Antigamente acreditava-se que os terpenos eram meros coadjuvantes na experiência subjetiva da Cannabis, enriquecendo seu aroma e sabor, mas recentemente eles ganharam atenção extra com o surgimento do conceito chamado “Efeito Entourage”, que sugere que os benefícios terapêuticos da Cannabis são acentuados pela combinação de vários canabinóides e terpenos juntos, quando comparados aos canabinóides isolados.

Isso indica que os terpenos podem modular a força dos canabinóides individuais em alvos cerebrais e corporais.  O conceito de que eles afetam diretamente a função cerebral pode parecer óbvio, mas por muitos anos foi difícil diferenciar o efeito no humor e no estado subjetivo por meio da modulação do processamento olfativo (ou seja, seu sentido de olfato, seu aroma).

Nosso sentido do olfato está intrinsecamente ligado aos centros de emoção e memória no cérebro, estabelecendo uma causa e efeito entre o agradável aroma floral de lavanda (causa) do terpeno linalol, com um humor (efeito) relaxado e melhorado.

Embora a sensação olfativa ainda possa contribuir para o efeito causado, agora acredita-se que os terpenos afetam diretamente o processamento do cérebro, modulando o comportamento das células cerebrais. Ou seja, eles são muito mais importantes pela brisa de uma strain do que imaginávamos.

O que influencia a produção deles nas plantas

Existem muitos fatores que influenciam o desenvolvimento de terpenos em uma planta. Além da linhagem, quando é uma planta de strain já estabelecida, tem ainda o clima, o tempo de maturação, a idade da planta, fertilizantes, tipo de substratos  e até mesmo a hora do dia, mas ainda precisamos de mais estudos para entender como e em que medida eles influenciam nos efeitos da cannabis.

Efeitos dos terpenos isolados são cada vez mais pesquisados.

O futuro dos terpenos

Os laboratórios de análise de cannabis agora estão começando a testar o conteúdo desses elementos. Portanto, é possível conhecer melhor os efeitos esperados por cada variedade num futuro próximo. Com suas combinações ilimitadas de efeitos sinérgicos potenciais, os terpenos certamente abrirão novos terrenos científicos e médicos para a pesquisa da cannabis.

Alguns são mais comuns do que outros e alguns tendem a aparecer em maior quantidade. Por exemplo, a maioria das cepas comerciais de cannabis apresentam alto teor de mirceno, o que significa que o terpeno mais abundante em seu perfil químico é o mirceno. Também pode-se encontrar cepas que são dominantes em cariofileno, limoneno, terpinoleno e, em casos raros, pineno. Vamos falar de cada um deles.