Rosin: uma maneira limpa de fazer haxixe

O rosin é uma técnica de extração de haxixe extremamente nova e muito fácil de ser feita. Essa técnica ressurgiu na internet com a promessa de substituir o BHO. Batizado de Rosin Tech, o método original usava uma chapinha (sim, aquela de alisar cabelo) para extrair das flores ou então do próprio hash uma resina grudenta repleta de THC. A técnica foi divulgada em primeira mão no Instagram pelo mestre haxixeiro SoilGrown.

Mas, com o passar do tempo, foram desenvolvidas formas mais tecnológicas de se extrair o rosin. Hoje, existem prensas quentes específicas para essa finalidade. A ideia é utilizar o aquecimento para fazer com que os tricomas se separem da matéria vegetal.

Confira o artigo abaixo e aprenda tudo sobre o rosin!

O que é rosin?

O rosin nada mais é do que o haxixe extraído quando se prensa a Cannabis em uma prensa aquecida na temperatura correta. O mais interessante da técnica é que ela é totalmente livre de solventes, ou seja, não contém nenhum tipo de resíduo químico.

É isso que faz do rosin o tipo de haxixe mais limpo que você pode produzir. E o melhor de tudo é que ele pode ser feito em casa. Não é difícil entender a popularidade dele. Esse tipo de haxixe fica livre de resíduos químicos porque não usa butano, álcool ou outro solventes, apenas o calor do metal sobre um pedaço de papel manteiga (não confunda com papel vegetal) que absorve a resina.

O método é muito mais fácil, rápido e barato que as alternativas concorrentes, dispensa o uso de bolsas e sifões e entrega em menos de três minutos uma fornada de haxixe fullmelt, enquanto outros processos duram mais de uma semana.

Como fazer rosin?

O rosin tradicional é feito com a prensa e o aquecimento das flores da Cannabis. Porém, é possível fazer o rosin utilizando o bubble hash na prensa, produzindo o que conhecemos como live rosin.

Existem, hoje, prensas específicas para este fim, com o peso e o controle de temperaturas ideal para que você atinja o seu objetivo e produza o melhor haxixe. Porém, nada impede que você utilize a chapinha, como nos velhos tempos, e faça o seu rosin com uma flor que tiver em casa.

O rendimento desse tipo de extração de maconha é de 12% a 16%, uma boa média comparada a extrações químicas. É importante ficar de olho na temperatura do ferro e no tempo de pressão, já que alguns terpenos são extremamente voláteis ao calor.

Para conferir mais sobre sobre extração de hash e derivados, continue acompanhando o Growroom!