Como plantar maconha em casa cultivando indoor ou outdoor

Você já deve ter percebido que tem cada vez mais pessoas cultivando a própria maconha. Tanto para fins medicinais, quanto para uso recreativo. Mas como plantar maconha em casa? Essa é a pergunta que a maioria das pessoas que querem começar a cultivar fazem quando decidem dar o primeiro passo e talvez seja a sua também. Isso porque a Cannabis não é uma planta igual as demais, embora precise praticamente dos mesmos elementos que todas as outras para crescer de forma saudável e render muitas flores.

Apesar do cultivo ter características semelhantes com as de demais espécies, plantar maconha em casa exige certos cuidados especiais para que tudo dê certo. Do ponto de vista da segurança do cultivador, e também para que esse cultivo renda o máximo e livre esse grower do tráfico e do prensado. Porém, não tem muito mistério não e qualquer um pode cultivar em diferentes espaços basta ter o mínimo de conhecimento sobre o assunto, e esse é objetivo deste texto: mostrar como plantar Cannabis indoor ou outdoor.

Planejando um grow indoor ou outdoor

O primeiro passo para quem deseja começar a plantar maconha em casa é planejar o seu espaço de seu cultivo, o seu grow. Ele pode ser tanto indoor (dentro de casa em algum armário, banheiro, ou até mesmo estufa de cultivo), e também outdoor (no pátio de casa aproveitando a luz solar). O importante é garantir que as plantas recebam os elementos essenciais para se desenvolverem: luz, água, ar, e um bom solo com nutrientes (substrato). Além disso, como estamos no Brasil, onde plantar maconha ainda é ilegal, é fundamental manter esse cultivo protegido. Por isso é tão importante planejar esse grow antes de efetivamente colocá-lo em prática.

  • Cultivo indoor É mais discreto por ficar em um ambiente interno. Também pode ser mais fácil de cultivar indoor, pois neste caso é possível controlar o tempo a exposição das plantas à luz, fazendo o fotoperíodo corretamente, e fornecendo a temperatura ideal que elas precisam. O cultivo indoor exige maior investimento em equipamentos e com a conta de luz mensal.
    Cultivo indoor.

     

  • Cultivo outdoor – Exige menos gastos, pois as plantas vão aproveitar a luz do sol para se desenvolverem, não necessitando do investimento em lâmpadas, refletores, e outros equipamentos. Se o cultivador tem espaço, é possível crescer plantas enormes outdoor, obtendo ótimos rendimentos. Mas é importante tomar cuidado com vizinhos e outras visitas neste caso, pois as plantas ficam mais expostas.
Cultivo outdoor.

Equipamentos necessários para plantar maconha

  • Vasos.
  • Substrato.
  • Lâmpadas (indoor).
  • Refletores (indoor).
  • Filtro de carvão (indoor).
  • Ventilador (indoor).
  • Tesouras para fazer podas.

Selecionando as melhores sementes para cultivar

Depois de planejar o grow, indoor ou outdoor, o próximo passo é selecionar ou comprar as sementes que vão ser germinadas e futuramente colocadas no substrato escolhido. E conseguir sementes no Brasil é fácil. A maioria dos cultivadores iniciantes começaram a plantar maconha com as sementes encontradas no prensado, as famosas preenseeds. Elas podem ser ótimas e gerar belas flores, além de não exigirem nenhum gasto. Basta saber encontrar as melhores e mais saudáveis, e nesse texto nós ensinamos passo a passo como fazer essa seleção de sementes de prensado.

Resumidamente, as sementes que estão em melhores condições para serem germinadas são as que quando apertadas não vão se quebrar, estão mais escuras e as que afundam quando colocadas em um copo com água. Essa certamente é a maneira mais fácil de começar, porém caso esteja indo viajar para um país legal ou tenha um contato com sementes de diferentes genéticas e queira investir, é importante entender os diferentes tipos de seeds que existem.

Selecionando sementes.

Germinando as seeds e transplantando

Após selecionar ou comprar as sementes, é hora de germiná-las. Isso também é fácil, e também dá pra fazer de diferentes maneiras. Cada grower costuma ter sua preferência nessa hora, e por isso a gente sempre aborda todas elas, mas todas vão funcionar se feitas corretamente e com as sementes saudáveis.

  • Papel toalha – É o método mais utilizado e provavelmente o mais fácil. Consistem em umedecer um papel toalha, sem inundá-lo de água, colocar a semente selecionada ali, colocar mais um papel toalha por cima e deixar um ambiente fechado.
  • Algodão – Umedecido igual ao se fazia com o feijão na escola e semelhante ao jeito que se faz com o papel toalha.
  • Na terra – diretamente no solo/substrato escolhido para cultivar. Porém, é importante fazer isso em um copo de plástico ou outro recipiente pequeno.
  • Células de germinação – São células de germinação próprias para receber as sementes. Conhecidas como Jiffys, são baratas e muito úteis para germinar as sementes e já fazer o transplante.
Semente de Cannabis germinada e brotando.

Transplantando

Quando as sementes já estão germinadas é chegado um dos momentos mais emocionantes para o cultivador de primeira viagem: o de colocar as sementes na terra/substrato escolhido. Tem quem prefira já colocar essa seeds em vasos grandes, onde elas vão crescer e se desenvolver nos próximos meses. Outros preferem começar colocando as sementes em vasos menores e depois realizar o transplante para espaços maiores, conforme as plantas vão exigindo.

Para fazer o transplante da planta de um vaso para o outro também é muito simples, mas é necessário ter cuidado para estressar o menos possível elas neste momento. Isso significa não chacolhar elas demais, e fazer o transplante rápido para outro vaso maior, sem quebrar galhos ou outras partes delas.

Substratos ideais para plantar maconha

Existem diferentes substratos que são conhecidos como ideias para plantar maconha. Esses solos costumam devem ser ricos em nutrientes essenciais para a Cannabis, e isso quer dizer que aquela terra preta utilizada em outras plantas pode até funcionar, mas não vai permitir que as plantas se desenvolvam o máximo que deveriam, justamente por falta desses elementos tão importantes para elas. Por isso, na hora de escolher o substrato, também conhecido como meio de cultivo, é bom entender um pouco mais sobre eles, pois cada grower costuma ter sua preferência também neste caso.

Os melhores substratos para cultivar Cannabis podem ser orgânicos ou inertes. E também podem ser uma mistura de vários nutrientes, como podem ser uma predominância de um só, como é o caso dos cultivos com fibras de coco que está crescendo muito entre os cultivadores.

Misturas de substratos ideais:

Mistura Turfa e Perlita (inerte) – 50% de Turfa de Sphagnum e 50% Perlita.

Mistura inerte com côco (inerte) – 1/3 de Turfa deSphagnum, 1/3 de Perlita e 1/3 de Fibra de Côco.

Mistura Orgânica com Húmus – 40% de Turfa deSphagnum, 40% de Perlita e 20% de Húmus de minhoca.

Mistura Orgânica com compostagem – 40% de Turfa de Sphagnum, 40% de Perlita e 20% de compostagem.

Fotoperíodo da maconha: estágios vegetativo e de floração

Para plantar maconha é preciso entender como ela se desenvolve e forma aquelas flores resinadas que tanto queremos fumar. O ciclo de vida da Cannabis é bem determinado e fácil de acompanhar. Seu fotoperíodo tem dois estágios: vegetativo e de floração. É desses dois períodos que o cultivador deve entender para poder fazer a transição de um para outro caso as plantas não façam isso sozinhas, como acontece em alguns cultivos outdoor ou de plantas automáticas.

Conhecendo as características de cada um desses dois estágios fica mais simples compreender o funcionamento da planta, e como ela se desenvolve e vai mostrando isso em detalhes. E é isso que chamamos de fotoperíodo da maconha. Resumidamente é o tempo em que elas ficam expostas à luz nas 24 horas que formam um dia.

  • Período Vegetativo – Esse período é considerado a infância e adolescência da planta. É quando elas mais necessitam se alimentar para crescer, e isso inclui luz, muita luz, além é claro, dos nutrientes. 18 horas de luz é o ideal neste caso e 6 horas de escuridão. É é isso que quem cultiva indoor faz.Quem tem o grow outdoor pode ter dificuldade para oferecer todo esse período, mas o importante é tentar ao máximo para que elas tenham muita iluminação.No período vegetativo é que começam a aparecer os Pistilos, que como você vai ver a seguir, ajudam a diferenciar plantas machos e plantas fêmeas. É no vegetativo também que surgem as ramificações, que podem ser ainda mais consideráveis se as plantas receberem algumas podas que se mostram muito úteis nesta função.As plantas costumam ficar no período vegetativo por 2 a 4 meses, dependendo da genética.
    Cultivo no período vegetativo e de crescimento

     

  • Período de floração –  A fase da floração é a vida adulta da maconha, e também um dos momentos mais esperado pelos cultivadores, pois é na floração que as plantas começam a desenvolver suas flores e mostrar ainda mais seu aroma, cores, e tricomas com THC e outras substâncias. Na floração o tempo de exposição à luz reduz para 12 horas por dia, e portanto ela fica num ciclo de 12 horas de luz, e 12 horas de escuridão. Em um cultivo indoor isso significa que é hora de mudar o horário de ligar/desligar as lâmpadas internas do grow.Quando uma planta está em um cultivo outdoor, e não tem as horas corretas de luz, mas ainda está no vegetativo, embora grande, é possível forçar a floração colocando ela em um ambiente escuro quando ela estiver esperando mais luz. Isso ajuda ela a entender a mudança no fotoperíodo.Na floração, além das flores que começam a aparecer, surgem também os tricomas, que são glândulas de THC que são responsáveis pela potência dos buds.As plantas podem ficar na floração por cerca de 2 a 3 meses também, dependendo da strain.

    Cultivo na floração.

NPK: o que são esses elementos fundamentais para plantar maconha

Quem começa a plantar maconha logo se depara com essa sigla ou essas três letras: NPK. Mas afinal, o que significa NPK e o que isso tem a ver com cultivar maconha? Bom, NPK são as letras que representam três elementos químicos encontrados na tabela periódica e que são essenciais para as plantas de Cannabis. Ou seja, NPK nada mais é do que os três elementos Nitrogênio, Fósforo e Potássio. Em cada estágio do seu desenvolvimento as plantas vão precisar de mais ou menos de cada um desses elementos, porém eles vão ser muito importantes durante todo o ciclo de vida delas.

Nitrogênio (N)

O N, que é o Nitrogênio, é crucial para a clorofila, a molécula da planta responsável pela fotossíntese da planta, que é quando ela  absorve a luz e utiliza isso para se desenvolver. Por conta disso, o Nitrogênio vai ajudar muito no desenvolvimento e crescimento de caules e folhas. Se a planta cresce muito devagar é porque provavelmente está recebendo pouco Nitrogênio.

Fósforo (P)

Quem também ajuda nesse processo da fotossíntese é o Fósforo, o P da tabela periódica. Porém, o foco do fósforo é promover o desenvolvimento radicular da planta, ou seja, das raízes, ajudando a criar açúcares e amidos. O fósforo também é fundamental na floração para promover flores melhores e maiores.

Potássio (K)

Quem nunca ouviu o conselho para ingerir alimentos com Potássio pra ficar mais forte e resistente? O Potássio tem a mesma função em plantas como a Cannabis, porém não é dando chá de banana, que é uma fruta que tem Potássio, que a planta vai ficar forte. É preciso utilizar nutrientes ricos em Potássio desde o início para que ela se fortaleça.

Identificando plantas machos e plantas fêmeas

Embora no início quem consuma pouco procure saber sobre isso, usuários mais frequentes e quem deseja cultivar deve saber que só se fuma as plantas fêmeas de maconha, e as plantas que se mostram machos costumam ser descartadas ou utilizadas somente para polinização e produção de sementes. Somente as plantas fêmeas desenvolvem as flores repletas de THC, CBD, e todas as demais substâncias medicinais e recreativos que a Cannabis pode oferecer. E o pior é que uma planta macho perto de uma fêmea pode acabar tornando ela macho também ou hermafrodita.

Por conta disso tudo, a identificação do sexo da planta se faz tão importante quando o assunto é plantar maconha. Simplesmente porque o gênero é determinante. Mas saber se uma planta é fêmea ou macho é fácil também, pois cada sexo possui características bem marcantes que podem ser notadas por qualquer um, inclusive cultivadores iniciantes. Só que é importante segurar a ansiedade, pois esses detalhes muitas vezes pode demorar para aparecer e é comum que seja perto do início da floração.

  • Fêmeas têm pistilos e geram flores – O principal sinal de que está se cultivando uma ou mais plantas fêmeas de maconha é com o surgimento de pistilos brancos. São esses cabelinhos que começam a surgir por toda a planta antes dela começar a florar de verdade se o sexo for feminino.
  • Machos têm bolas e não desenvolvem flores – Ao contrário das fêmeas que mostram Pistilos brancos, as plantas machos costumam desenvolver bolas, que na verdade são sacos repletos de pólen. Muitas vezes eles aparecem perto de alguns pistilos brancos, o que pode até representar uma planta hermafrodita, ou totalmente macho. Quando tem bolas não serve para fumar, pois não vão ter flores com THC, e as outras substâncias.

    Identificando plantas fêmeas e plantas macho de maconha.

Lâmpadas para cultivar indoor

Quem cultiva outdoor não precisa se preocupar com lâmpadas para simular o sol em um ambiente interno. Porém, quem cultiva outdoor precisa investir nisso e existem diferentes opções de lâmpadas para plantar maconha. Existem as de LED, de HPS, de HQI, e até mesmo fluorescentes, embora essas não sejam tão recomendadas por conta de sua intensidade não ser tão potente quando as demais.

O mais importante na verdade é saber quantas lâmpadas seu espaço de cultivo vai precisar. Isso vai variar conforme a potência delas, e também o tamanho do espaço e a quantidade de plantas que estão sendo cultivadas. Só assim é possível quantificar o investimento necessário nesta parte que é fundamental para que as elas cresçam. O mínimo para que as plantas não morram é 500 lumens por pé quadrado. Mas o correto é calcular cerca de 5.000 lumens por pé quadrado, ou até mais para ver as plantas realmente saudáveis.

  • Lumens – Quantidade de luz emitida que incide sobre 1 pé quadrado (largura X comprimento) de uma superfície a um pé (1 foot = 0,30 m ) de distância.
  • Watts – Watts é a quantidade de eletricidade fluindo através do fio. Watts por hora medem a quantidade de watts consumidas em uma hora. Um Kilowatt/hora (KWH) é 1000 watts/hora

Tipos de lâmpadas para cultivar maconha

  • HQI –  São lâmpadas de vapor metálico muito eficientes para o fotoperíodo vegetativo.
  • HPS – São feitas de vapor de sódio, e costumam ser muito utilizadas pelos cultivadores. São ótimas para o período de floração.
  • LED – As lâmpadas de LED e os painéis prontos com várias dessas lâmpadas estão sendo cada vez mais utilizadas pelos cultivadores, por emitirem menos calor muitas vezes, e consumirem menos energia.

    Melhores lâmpadas para plantar maconha.

Temperatura ideal para plantar maconha

As plantas de maconha preferem uma temperatura constante, mas também não tem problema se em um dia de forte calor essa temperatura subir um pouco. Porém, o ideal é que a temperatura do grow nunca ultrapasse os 30º C. Alguns growers costumam variar a temperatura conforme o fotoperíodo, mas o mais comum é manter uma clima padrão para as meninas, algo em torno de 22ºC a 26ºC.  Entenda melhor sobre o assunto, inclusive sobre a umidade ideal para as plantas aqui.

Regando as plantas de Cannabis

Toda planta precisa de água, e como já falamos anteriormente, com a Cannabis não é diferente. Porém, isso não significa que todos os dias é preciso regar as plantas de maconha. Mas todos os dias é preciso verificar se elas precisam ou não de água. Isso porque cada planta costuma absorver uma quantidade de água diferente, por conta da genética, do clima, dos nutrientes que ela está consumindo, da temperatura, ou da umidade. Tudo isso influencia na hora de determinar se as plantas precisam ou não serem regadas.

Uma das 32 dicas para fazer a rega em um cultivo, é sentir o peso do vaso. Se ele estiver leve é porque o solo está seco e as plantas precisam de água. Se estiver pesado é porque o solo provavelmente ainda está bastante úmido. Outra forma de saber é verificando o substrato para ver quais suas condições. O importante é não regar demais para não afogar as plantas, pois isso pode realmente acontecer.

Fazendo clones

Se você ver que as suas plantas estão bonitas, e são fêmeas você pode fazer clones delas. Isso mesmo! É possível clonar plantas de Cannabis que já se mostram fêmeas e saudáveis. Assim é possível continuar cultivando outra planta com as mesmas características que essa anterior. Isso também elimina a necessidade de se comprar sementes, pois o cultivo já começa com o clone que também pode vir daquele amigo grower que já cultiva há mais tempo.

O importante é fazer o clone na hora certa, e da maneira correta. Porém, é bem fácil e logo o cultivador pode ter várias plantas fêmeas sem utilizar seeds.

Fazendo clones é possível cultivar sempre sem sementes – Créditos: CNNBS

A hora da colheita

Depois de passar por todas essas etapas, da germinação até a floração, é chegado outro momento muito esperado: o da colheita das flores. O grande problema enfrentado pela maioria dos growers iniciantes nesta hora não é de colher, afinal, isso é algo relativamente fácil. O difícil é segurar a ansiedade pra não colher antes da hora. Por isso, é importante manter a calma, e também saber direitinho quais as características que a planta mostra quando está pronta pra ir pra faca.

  • Pistilos – Os Pistilos, que também mostram quando a planta é fêmea mudam de cor conforme a planta vai se desenvolvendo e vão ter outras cores bem diferente dos pelos brancos lá do início.
  • Tricomas  – Os Tricomas são as glândulas repletas de resina que se formam nas flores. Esses Tricomas também mudam de cor conforme vão amadurecendo e ganhando uma coloração mais amarelada na maioria das vezes, ficando quase marrons. Acompanhando esse processo fica fácil saber a hora de de colher. O ideal é utilizar uma lupa para fazer isso.

    Os tricomas ajudam a descobrir a hora certa pra colher.

Flush

Se está mesmo na hora da colheita, antes de finalmente passar a faca nos galhos e ramos é preciso fazer o Flush, que nada mais é do uma limpeza da planta para que ela absorva, junto com a água, todos aqueles nutrientes que estão no seu solo/substrato. Fazer isso é essencial e influencia muito no sabor e na potência das flores e não custa realmente nada. Basta fazer um “enxague” das plantas ainda no vaso.

Secagem e cura das flores

Depois da colheita ainda não é hora de fumar as flores, e esse é outro momento que exige bastante controle da ansiedade do cultivador. Mas é preciso ter isso em mente: não dá para colher e sair fumando, simplesmente porque aquelas flores ainda estão úmidas e muito vivas para serem consumidas. Todos buds de maconha comercializados em mercados legais ou consumidos pelos growers passaram por todo um processo de secagem e cura antes de estarem prontos para fumar, bongar, colocar na comida, ou vaporizar.

Nenhum grower experiente ignora esse processo, e se você está começando também não vai fazer isso. Simplesmente porque não vale a pena pular etapas quando na verdade essas etapas são importantíssimas para o sabor, o aroma, e a brisa da maconha que foi cultivada com tanto amor e carinho. Fazer a secagem e a cura é simples, e vale a pena a espera.

  • Secagem – O segredo da secagem é manter os galhos em um local escuro, mas minimalmente ventilado. Dá para pendurar os caules de cabeça para baixo em varais, ou utilizar redes de secagem próprias para isso. Esse processo pode durar até 30 dias e para saber quando está concluído basta quebrar um dos galhos e ver se ele está seco e se quebrando ou ainda está úmido.

    Secagem da colheita.

  • Cura – Depois da secagem vem a cura dos buds que é determinante para tirar aquele gosto de “mato”, pois é neste momento que eles ganham mais sabor e aroma. Coloque as flores em um pote vidro ou outro recipiente hermeticamente fechado e deixe em um ambiente escuro. Deixe os buds ali por mais 20 a 30 dias, abrindo esse pote vez ou outra para que as flores respirem um pouco.

    Processo de cura correto da Cannabis.

Cuidados importantes ao cultivar

  • Tome cuidado com o cheiro. Principalmente em um cultivo indoor que pode alertar vizinhos próximos ou visitas. No caso de um grow interno, um filtro de carvão é essencial para soluciona esse problema. Caso o grow seja ao ar livre, é bom ver até onde esse cheiro vai.
  • Verifique se o seu cultivo outdoor, ao ar livre, não pode ser visto de nenhum dos ângulos possíveis.
  • Não tenha balança de precisão em casa. Muito menos armas e outros objetos que possam confundi-lo com um criminoso, e não com um grower caso aconteça algo.
  • O segredo do sucesso é o segredo.

Conheça seus direitos de cultivador

Quem cultiva deve conhecer seus direitos para se defender de qualquer problema que possa vir a ocorrer, embora seguindo todos os passos que falamos acima isso seja bem difícil. Porém, é sempre bom estar bem informado e saber que ninguém vai preso somente por plantar maconha em casa. São inúmeros os casos de cultivadores que foram flagrados, mas logo liberados porque não traficavam e portanto pediram para serem enquadrados como usuários, no artigo 28 da lei brasileira. Afinal, grower não é traficante!

Baixe gratuitamente o guia de redução de danos para cultivadores que mostra como se portar em caso de abordagem no cultivo, e quais são os seus direitos nessa hora.

 

Escrito por Guilherme Darros