Na base da canábis, Tommy Chong é exemplo contra o câncer

SÃO PAULO – O cara é um ícone da canábis no planeta Terra, e sofre com um grave problema, um câncer na próstata. Thomas B. Kin Chong, mais conhecido como Tommy Chong, desde muito tempo luta pela liberdade para o uso da canábis medicinal. O ator canadense já estrelou várias comédias bastante esfumaçadas e levou a maconha a lugares nunca antes imaginados imortalizando o bordão “Hey maaaaaaannnn” do longa “Queimando Tudo (Up in Smoke, 1978).

Mas a ironia é que talvez hoje seu maior interesse na canábis não tenha a ver com os baseadões fumados a cada filme que rodou na pele de Tommy Chong. E olha que foram quase 30! Hoje, ele usa a canábis em forma de óleo para amenizar os problemas do câncer. E continua ativo como nunca na defesa dos direitos dos maconheiros. Não há um amante da boa canábis que já não deu boas risadas com ele, ou ouviu atentamente suas declarações sobre o assunto.

Mas, como é utilizado esse óleo de maconha?

Existem formas diferentes de aproveitar o ‘produto’, que às vezes é feito também a base de álcool após a extração dos canabinóides. Em alguns casos, a loção é aplicada sobre a pele para que o THC e outros elementos benéficos da canábis sejam absorvidos e caiam na corrente sanguínea. Outra maneira é a ingestão oral, ou sublingual, com absorção quase que imediata pelo organismo.

A canábis medicinal também é importante para amenizar os efeitos colaterais da quimioterapia (estimula o apetite, reduz as náuseas e o desconforto). Além disso, estudos já comprovaram que a maconha conta com propriedades que ajudam na redução dos tumores, influenciando positivamente na sistema imunológico do paciente e proporciona vantagens únicas ao tratamento. A erva realmente é sensacional para o ser humano!

São vários os ‘lados bons’ do uso medicinal da canábis: ela é um potente analgésico, é anti-inflamatório, estimula o bom humor, aumenta a vontade de comer… Não é por pouco que vários oncologistas ao redor do mundo têm indicado, mesmo que na cladestinidade, o uso da canábis aos pacientes. São médicos que estão na vanguarda e entendem como ninguém os poderes de uma erva natural rica dessa forma.

Câncer na próstata é um dos mais fulminantes que um ser humano pode conhecer. Teoricamente, mata-se em pouco tempo, mas no caso de Tommy Chong as notícias são agradáveis e positivas. Pelo que Chong andou comentando com amigos e até mesmo na mídia, é que o seu câncer não tem avançado aos 74 anos de idade. Um guerreiro canábico, um homem que luta pelas causas que também nos move.

Por isso, longa vida para Tommy Chong e sua língua afiada. Que não lhe falte forças para superar os problemas de saúde, e que o bom humor e o ativismo esteja sempre ao seu lado.

Estamos contigo!

Conheça a Semana do Grower!