Mirceno: terpeno da maconha, da manga e do lúpulo

Você provavelmente já ouviu falar na combinação entre manga e maconha. E o culpado é esse terpeno presente tanto na manga, quanto na maconha e em outras plantas: o Mirceno, ou Beta-mirceno, que é conhecido como o terpeno fundamental e é o mais encontrado na Cannabis.

Digamos que o Mirceno tem um cheiro difícil de explicar mas, que ele é basicamente responsável pelo cheiro da marofa. É o “funk” ou “skunk” característico da maconha, aquele cheiro almiscarado e terroso que alguns chamam de “úmido”.

Manga com maconha deixa mais chapado por conta do Mirceno?

O mirceno representa de 20 a 50% do perfil de terpeno nas variedades comerciais de cannabis modernas. Assim como o limoneno, pineno e o linalool, é um monoterpeno porque possui estrutura química simples para uma molécula aromática. Isso também significa que é a pedra fundamental para outros terpenos mais complexos.

Além da cannabis, é encontrado também no lúpulo (presente nas cervejas artesanais), no capim-limão (usado na medicina popular tradicional há séculos), no louro, no tomilho e também na manga. Diz a lenda entre maconheiros que comer uma manga madura antes de fumar um baseado pode te deixar mais louco e que isso se deve ao alto teor de Mirceno presente na manga.

Apesar da manga conter mirceno mesmo, e seu aroma, em grande parte, ser devido a este composto, uma strain geralmente contém 2mg de mirceno por quarto de grama, enquanto uma manga inteira contém cerca de 0,086mg. Isto é 23 vezes menos! Logo, se a cannabis já tem tanto, como o fato de comer uma manga antes de fumar vai ter algum impacto significativo? Pode até ser que a manga dê um sabor especial para a experiência, mas não vai ser por causa do mirceno.

Outra lenda alega que o consumo de mirceno aumenta a permeabilidade da barreira hematoencefálica, permitindo que mais canabinóides cheguem ao cérebro. Porém, um exame mais aprofundado da literatura científica revela falta de suporte para essa afirmação.

Maconha e manga – Sensi Seeds

Características do Mirceno

Aroma: Levemente cítrico, amargo e terroso.

Encontrado também: Lúpulo / Louro / Tomilho / Capim Limão / Manga

Fórmula Molecular: C10H16

IUPAC: 7-Metil-3-metileno-octa-1,6-dieno

Como fazer uso medicinal do Mirceno?

O que os experimentos mostraram é que o óleo essencial de capim-limão (rico em mirceno) tem poderosos efeitos ansiolíticos em ratos, o que ser um tratamento eficaz contra ansiedade. Esse terpeno é também responsável pelo fenômeno de “ser engolido pelo sofá”, e acredita-se que tenha fortes propriedades sedativas e relaxantes musculares.

Medicamentos fitoterápicos que contêm mirceno têm uma longa história de uso como auxiliar do sono na medicina popular. No México, o chá com infusão de capim-limão tem sido usado como sedativo e relaxante muscular. Na Alemanha, segundo maior produtor de lúpulo do mundo (os EUA são os primeiros), o uso de preparações de lúpulo rico em mirceno para ajudar a dormir é comum.

Mas ainda não está claro para a ciência qual a relação do terpeno com a condução do sono em humanos e não há ainda nenhum ensaio clínico controlado em humanos que demonstre claramente um efeito sedativo. Um estudo com roedores sugeriu que quando administrado em altas doses, esse terpeno pode ter efeitos relaxantes musculares. O mesmo estudo também mostrou que ele pode aumentar o tempo de sono dos ratos, mas apenas quando administrado em combinação com narcóticos que já possuem fortes efeitos sedativos.

No entanto, os resultados de estudos em animais muitas vezes não se repetem em humanos, então mais pesquisas são necessárias antes de termos uma indicação clara de se  pode produzir efeitos sedativos, especialmente nos níveis em que é comumente encontrado em produtos comerciais de cannabis.

O mirceno está presente também em outras espécies – Leafly

Consumo medicinal no Brasil e outros benefícios pesquisados

O chá de capim-limão é usado na medicina popular brasileira por suas alegadas propriedades anti-ansiedade e analgésicas. A primeira alegação publicada para redução da dor com o uso de mirceno foi em 1990 feita por cientistas no Brasil, que concluíram que ele reduziu a dor ao aumentar o efeito dos opióides no cérebro e na medula espinhal, mas isso também é controverso.

Muito mais trabalho é necessário para provar se esse poderoso terpeno tem ou não propriedades genuínas de alívio da dor em humanos. Mais pesquisas também são necessárias para apoiar os potenciais efeitos anti-inflamatórios, pois as indicações de uso para redução da inflamação vêm de estudos com animais.

Há ainda o potencial do mirceno para bloquear os efeitos cancerígenos das aflatoxinas produzidas por fungos, mas que chegam aos nossos alimentos. Estas propriedades anti-mutagênicas derivam da inibição da enzima hepática CYP2B1 pelo mirceno, que induz a capacidade da aflatoxina de danificar nosso DNA. O mirceno também pode proteger contra danos ao DNA de toxinas como hidroperóxido de terc-butilo. Esses efeitos anti-mutagênicos são consistentes com os de outros terpenos, junto com seus benefícios antioxidantes e antimicrobianos.

E qual seria a dose ideal para atingir esses efeitos? Estudos em ratos injetam entre 2 mg por quilo e 1g por quilo (considere que o homem adulto médio pesa cerca de 80 kg) e não sabemos qual a dose necessária para atingir um efeito terapêutico em humanos ou se essas quantidades estão presentes em cepas de cannabis.

Quais as strains de Cannabis com mais Mirceno

Em geral, os cultivadores de Cannabis em larga escala tendem a ter níveis semelhantes de Mirceno em genéticas Híbridas, Sativas e de maconha Indica. Também não há indicação clara dos dados para apoiar uma regra geral, como “mais de 0,5% mirceno = indica”.

  • OG Kush
  • Blue Dream
  • Remedy
  • 9 Pound Hammer
  • Grape Ape
  • FPOG
  • Granddaddy Purple
  • Tangie
  • Harlequin
Blue Dream, uma strain rica em Mirceno – Lightshade

 

 

Texto: Renata Loop