Maconha no Canadá: demanda cresce, mas mercado sofre

O jovem mercado da maconha no Canadá enfrenta dilemas econômicos em seu momento atual, frente à pandemia do Covid 19. O isolamento social fez crescer a demanda pela erva, legalizada no país há menos de dois anos: as vendas de maconha no Canadá subiram cerca de 20% em março e abril, de acordo com a Statistics Canada. Mas o aumento da demanda não resolveu os problemas do setor, que segue enfrentando dificuldades, conforme relatado pela reportagem da AFP.

O isolamento fez com que os canadenses recorressem à maconha para aliviar o estresse, diminuindo o estigma social com relação ao uso e aumentando o interesse de investidores, que negociam empresas nas bolsas de Toronto e Nova York. “A Covid-19 teve um efeito positivo. Vimos alguma transferência do mercado ilegal para o mercado legal”, afirmou à AFP o professor Bradley Poulos, da Universidade de Ryerson.

Mas é fato que o aumento do interesse pela maconha legal no Canadá chegou num momento em que o setor tropeça em diversas complicações, principalmente ligadas à rentabilidade do negócio. Em outubro de 2018, o Canadá foi o segundo país do mundo legalizar o uso e o comércio da maconha, depois do Uruguai; e, logo em 2019, várias empresas cortaram operações e demitiram funcionários. Já no início deste ano, cerca de 10 declararam falência.

“Se considerarmos o copo meio cheio, a pandemia apenas irá acelerar o ciclo de consolidação esperado na indústria”, disse Rishi Malkani, chefe do setor de cannabis da Deloitte Canadá. “Os menores desaparecerão e os que estiverem mais bem armados e capitalizados irão dominar o setor”, completou.

Margens de lucro dos comestíveis são maiores do que das flores secas de maconha no Canadá

De acordo com AFP, a Canopy Growth é hoje a maior produtora canadense de Cannabis presente no mercado de ações, com 5,6 bilhões dólares em capitalização. Com sede em Ottawa, a empresa – assim como muitas outras – viu a euforia com os negócios cair depois que prejuízos surgiram tanto de erros gerenciais quanto de problemas de gestão e comercialização.

“A capacidade do mercado legal de competir com o mercado ilegal foi prejudicada por uma série de regras governamentais”, disse Richard Carleton, diretor-executivo da Canadian Securities Exchange, que reúne várias empresas canadenses e norte-americanas do mesmo segmento, negociadas em Toronto.

O executivo apostava na abertura centenas de lojas de maconha no Canadá com produtos novos, principalmente às de alimentos e bebidas à base da planta, cujas margens de lucro são maiores do que as flores secas no país. Contudo, segundo Carleton, a pandemia do coronavírus interrompeu os planos.