Jamaica quer ajudar pequenos cultivadores de maconha

O governo da Jamaica vai facilitar a entrada de pequenos cultivadores de maconha na indústria da maconha legal do país. De acordo com o Marijuana Business Daily, no fim do mês passado a Autoridade de Licenças de Cannabis da Jamaica (CLA) apresentou sua nova política de licenças especiais e solicitou consultas às partes interessadas.

A ideia é evitar que o novo mercado seja totalmente dominado por grandes corporações e pelo capital estrangeiro deixando de fora justamente os pequenos cultivadores de maconha da Jamaica, como já acontece em outros países que ignoram seus próprios growers excluindo eles do mercado legal da Cannabis.

A nova diretriz da CLA abre portas para que qualquer cidadão jamaicano solicite a licença para produzir ou manejar maconha legalmente. Os solicitantes locais não precisarão de um advogado e poderão ir direto à CLA, que dará todo o suporte durante o processo de solicitação da licença. Já as empresas solicitantes devem ser registradas na Oficina de Empresas da Jamaica e ter um mínimo de 51% de propriedade de jamaicanos.

Nova política abre portas para pequenos cultivadores na indústria da maconha legal da Jamaica

Mais um marco legislativo no país, a nova política da CLA também facilitará a entrada de pequenos agricultores na indústria da Cannabis ao permitir a emissão de licenças de cultivo de maconha “baixo custo”, com validade de dois anos para esses pequenos cultivadores locais.

A agência propôs um desconto de 50% para a licença de cultivador Nível 1, que agora pode ser obtida por 1 mil dólares. A licença Nível 1 autoriza o cultivo de até 4.000 m² de Cannabis. Apesar do custo, convenhamos que é um sonho para nós brasileiros que ainda enfrentamos uma proibição burra até com quem cultiva para fins próprios muitas vezes. Enquanto isso, por aqui, o Estado segue perseguindo cultivador e queimando maconha apreendida que poderia virar remédio.