Uruguai exportou remessa recorde de maconha

Aproximadamente uma tonelada e meia de flores de Cannabis com alto teor de THC. Essa foi a maior remessa de maconha que o já exportou Uruguai desde a legalização da erva no país. O carregamento foi enviado em maio, para Portugal, pela Fotmer Life Sciences. Sediada no Uruguai, foi a empresa norte-americana quem também exportou quase uma tonelada e meia para Portugal, em outubro do ano passado. As informações são do portal Marijuana Business Daily, que obteve acesso a documentos alfandegários uruguaios.

Nos papeis, que datam de 19 de maio, consta que a Fortmer enviou 1.421 quilogramas de maconha ao país europeu. O valor alfandegário declarado da remessa foi de cerca de 2 dólares por grama, incluindo custos, seguro e transporte. Trata-se um feito econômico histórico, mas novamente envolto em mistérios. É que, assim como na exportação de outubro, até agora nenhuma empresa assumiu publicamente a responsabilidade pela importação do carregamento.

Empresa que exportou a maconha do Uruguai ainda busca certificação de qualidade da União Europeia

Em pouco tempo, as exportações da Fotmer posicionaram o Uruguai entre os grande exportadores mundiais de cannabis com alto teor de THC. Para se comparar, de acordo com o recente relatório elaborado pelo “Marijuana Business Daily”, atualmente a Holanda é o maior exportador mundial da erva, tendo enviado cerca de 4,4 toneladas para outros países, em 2019.

Acontece que, diferente das exportações holandesas, as flores de maconha do Uruguai não foram cultivadas em instalações certificadas com norma GMP (Boas Práticas de Fabrico) da União Europeia (UE). Com relação ao assunto, o diretor executivo da Fotmer, Jordan Lewis, explicou que as instalações da empresa estão de acordo com a norma GACP (Boas Práticas Agrícolas e de Colheita) e a certificação uruguaia GMP (Boas Práticas de Fabrico). Lewis disse que a Fotmer trabalha para alcançar a curto-prazo a certificação GMP da UE.

Especula-se, ainda, que as exportações uruguaias tenham como finalidade a produção de extratos de maconha medicinal. Isso porque, no início de junho, a empresa Tilray obteve a certificação GMP da UE para que as suas instalações em Portugal possam fabricar extratos. Segundo o “Marijuana Business Daily”, a companhia não confirmou nem desmentiu se foi o importadora das últimas remessas vindas do Uruguai – dando sequência ao clima de secretismo da história.

Maconha no Uruguai

País vizinho do Brasil e de fácil acesso para quem quer curtir a legalização, o Uruguai tem a maconha regulamentada desde 2013. No país é possível cultivar a planta em casa ou comprar de clubes cannabicos ou nas farmácias uma erva fornecida pelo Governo do Uruguai. Já o consumo público da planta é liberado para todos e por isso o país costuma sediar importantes eventos e copas cannabicas que o Growroom sempre marca presença.

Para os brasileiros que querem curtir a legalização da maconha no Uruguai após a pandemia do coronavírus, o Growroom tem um guia gratuito do Uruguai para Maconheiros, com diversas dicas para quem quer aproveitar a planta no país.