Empreendedorismo no mercado canábico: o que saber

Fala a verdade: se você ama maconha provavelmente já se imaginou tendo ela como profissão não é mesmo?! Principalmente quando vê cada vez mais negócios relacionados à planta surgindo em diversos países que estão regularizando a cannabis, mas também no Brasil, que embora ainda só debata a descriminalização, já conta há décadas com um mercado da erva que vem crescendo e se profissionalizando cada vez mais. Ou seja, trabalhar com maconha pode deixar de ser um sonho pra virar realidade e o fortalecimento do empreendedorismo no mercado canábico está aí para provar isso.

É claro que você não vai poder abrir um dispensário e vender cannabis no Centro de São Paulo, ou fazer um cultivo industrial em uma fazenda para exportar cannabis medicinal. Isso seria ilegal, pois a cannabis ainda não deixou de ser crime na prática. Mas todos os acessórios necessários para cultivar, fumar, ou do lifestyle da planta são permitidos e podem se tornar negócios lucrativos e legais como já vem acontecendo.

No Brasil várias marcas já prosperam. Umas há mais tempo, outras de quem começou a empreender agora tanto na vida, quanto no mercado canábico. Afinal, estamos falando de um mercado de mais de 2 milhões de consumidores declarados, fora os que preferem não admitir o uso. É muita gente, e é por isso trabalhar que com maconha se tornou um atrativo para investidores, mas principalmente para amantes da planta como nós que querem trabalhar com o que realmente acreditam e gostam.

Mas para isso também é preciso tomar alguns cuidados básicos de empreendedorismo e também conhecer os limites da lei brasileira para atuar em um mercado legal.

 

INSCREVA-SE PARA A LIVE SOBRE EMPREENDEDORISMO CANÁBICO QUE ROLA NESTA QUINTA-FEIRA, DIA 4/4 ÀS 16H20 COM O CONSULTOR FERNANDO SANTIAGO

Conheças as leis

Não importa se o negócio que você vai abrir é canábico ou não. Você provavelmente vai ter que conhecer pelo menos um pouquinho do que diz a lei sobre o produto que está vendendo ou produzindo, e as exigências para isso. No caso do empreendedorismo no mercado canábico essa atenção tem que ser redobrada, pois está lidando com produtos ou serviços relacionados à uma planta que ainda é parcialmente criminalizada.

Mesmo que não esteja lidando diretamente com a planta, alguns desses produtos ou acessórios podem ser proibidos de se produzir ou de se importar, por exemplo. Tem quem aceite correr os riscos alegando algumas brechas na lei, como é o caso dos clubes sociais que já estão surgindo e que também podem vir a se tornar modelos de negócios como acontece na Espanha. Muitas vezes o ilegal é apenas interpretativo. De qualquer forma, caso vá realmente fazer algo não tão legal, fale com consultores jurídicos e avalie tudo.

Expocannabis 2018 – Créditos: Fabbão

Estude sobre empreendedorismo e sobre o mercado canábico

Empreender pode ser uma tarefa difícil pra quem não tem paciência de aprender um pouco antes de começar. No mercado canábico isso é ainda mais exigido justamente por não se ter muitos dados de consumo, pesquisas com usuários, ou particularidades, já que a planta é consumida por diferentes faixas etárias, para fins distintos, e de maneiras diversas. Por isso, estudar sobre empreendedorismo no mercado canábico é fundamental para compensar o fato de se atuar entre no elo entre o legal e o ilegal.

Abrir uma headshop, vender itens para cultivo, desenvolver produtos à base da planta, uma marca de camisetas de maconha, ter um canal no Youtube, ou seja o lá o que você estiver pensando em fazer para empreender no mercado canábico é um sonho que pode se tornar realidade se você seguir esses passos que todo profissional segue: se capacitar, planejar, executar, e mensurar.

Como já falamos anteriormente, já existe um mercado. Existem marcas brasileiras, como a ULTRA420, completando 25 anos de história. O Growroom está fazendo 17 anos. E a tendência é que esse mercado cresça cada vez mais e por isso quanto antes estiver preparado para entrar nele, melhor vai ser ali na frente numa eventual descriminalização ou regulação.

 

INSCREVA-SE PARA A LIVE SOBRE EMPREENDEDORISMO CANÁBICO QUE ROLA NESTA QUINTA-FEIRA, DIA 4/4 ÀS 16H20 COM O CONSULTOR FERNANDO SANTIAGO

No que é possível trabalhar ou empreender?

Trabalhar com maconha não é só cortar flores na Califórnia. Como todo empreendimento, indústria ou serviços, o mercado canábico envolve profissionais de diferentes áreas, que variam conforme o tamanho da empresa. Afinal, um empreendimento precisa não só de conhecedores da planta muitas vezes, mas também de contabilistas, recursos humanos, entre vários outros setores que podem ser uma primeira oportunidade também antes de empreender de vez na economia verde.

Quer alguns exemplos de onde é possível trabalhar ou empreender?

  • Empreender ou trabalhar em headshops e growshops.
  • Soprar vidro para bongs e pipes ou até mesmo ter a própria marca.
  • Produzir produtos à base de cannabis, CBD, ou cânhamo. Camisetas, mochilas, sabonetes, entre outros utensílios feitos à partir planta. Conhecer a legislação é imprescindível.
  • Produção de piteiras, dichavadores, slicks, entre outros itens para consumo.
  • Desenvolvimento de itens para cultivo como fertilizantes, medidores, grows, etc.
  • Jornalismo, publicidade e marketing canábico
  • Organização de eventos canábicos.
  • Atacado de acessórios para consumo ou cultivo.
  • Contabilista para empresas da área.
  • Clubes de cultivo e consumo
  • Importação de produtos para extrações.

 

INSCREVA-SE PARA A LIVE SOBRE EMPREENDEDORISMO CANÁBICO QUE ROLA NESTA QUINTA-FEIRA, DIA 4/4 ÀS 16H20 COM O CONSULTOR FERNANDO SANTIAGO

 

 

Conheça a Semana do Grower!