Dente e maconha: importância da saúde bucal para usuários

Todo mundo tem que se preocupar com o dente ou os dentes. Afinal, quando eles dão problema a dor é insuportável e pode gerar até problemas maiores. E quando o assunto é dente e maconha então, a saúde bucal se torna ainda mais importante, especialmente quem fuma prensado, repleto de outras substâncias que não tem nada de naturais ou medicinais.

A verdade é que se o devido cuidado não for tomado, o hábito frequente de fumar maconha pode afetar negativamente a saúde dos dentes e gengivas. Isso porque a fumaça quente passando pela boca e trato respiratório, a boca seca, e a larica criam condições – tanto físicas quanto comportamentais – que predispõem o meio bucal a uma série de alterações nos seus tecidos, com diferentes graus de gravidade. Mas isso quer dizer que quem fuma maconha vai ter problema no dente? Não, não é isso não, mas o cuidado tem que ser redobrado.

O melhor de tudo é que com o avanço dos cosméticos de maconha, cada vez vão surgir mais pastas de dente e outros produtos com a erva. Enquanto isso não acontece, o segredo é saber tudo sobre o assunto e utilizar os produtos disponíveis no mercado para prevenir qualquer problema.

O que acontece com a boca quando fumamos maconha

Embora reconheçamos os benefícios da cannabis, não devemos ser negligentes com seus malefícios quando o assunto é saúde bucal. Não é novidade que a alta temperatura da fumaça tragada queima os tecidos da boca e da garganta, gerando uma inflamação local e crônica. Isso pode levar ao aparecimento de manchas vermelhas (chamadas de estomatites e eritroplasias), de camadas anormais de queratina e de placas brancas (conhecidos como leucoedemas e leucoplasias) nas bochechas, palato (céu da boca), língua e mucosas em geral.

Algumas dessas lesões são benignas, enquanto outras podem evoluir para um câncer, especialmente as leucoplasias. A fumaça também é responsável pelo amarelento dos dentes, afetando o gosto estético de muitas pessoas, mas que pode ser contornado com um clareamento dental caseiro ou profissional. Outro efeito indesejável é o alargamento da gengiva, favorecendo o aparecimento de gengivites (inflamações gengivais) e periodontites (perda de fibras gengivais e reabsorção do osso alveolar que contém os dentes), levando a retrações gengivais e perdas dentárias.

O que acontece com o nossos dentes quando fumamos maconha – créditos le soir

Boca seca da maconha também deve ser levada em consideração

A xerostomia (boca seca) é outro fator que merece atenção, pois é muito com um quando fumamos maconha e isso pode realmente afetar um dente ou até mesmo a boca inteira. O fluxo salivar é responsável por regular a hidratação da mucosa bucal, o ph do meio e os minerais para as trocas iônicas que ocorrem frequentemente sobre a superfície dentária, além de conter enzimas digestivas e células de defesa.

Nesse sentido, a saliva é nossa grande aliada na proteção dos dentes e gengivas. Quanto mais água bebemos, mais saliva temos. Isso  significa que temos que encontrar formas de manter a boca úmida depois que fumamos, pois, com a boca seca estaremos favorecendo o aparecimento de cáries e doenças gengivais, além da dificuldade de engolir. Fica aqui uma dica: mascar chicletes (de preferência sem açúcar) aumenta o fluxo salivar.

Como prevenir problemas no dente por conta da maconha

Alguns estudos já demonstraram que fumantes regulares de Cannabis podem apresentar uma saúde bucal deficiente se não tomarem cuidados, já que o número de cáries pode se tornar significativamente maior do que os não fumantes, inclusive em superfícies dentárias de fácil higienização. As laricas favorecem isso? Certamente! Às vezes são tão ferozes e incontroláveis que resultam em uma dieta desorganizada, não só no sentido nutricional, mas também no horário das refeições.

O desenvolvimento das cáries está diretamente relacionado ao consumo indisciplinado de açúcar e a uma higienização inadequada. E todos conhecemos o prazer enorme de matar uma larica, especialmente com doces… mas larica é larica, pode vir doce, salgado, juntos, separados, tanto faz… No entanto, devemos estar conscientes de que toda a vez que comemos doces ou farináceos (carboidratos), estamos criando um ambiente ácido dentro da boca, que proporciona a desmineralização do dente, causando a cárie. Mas dá pra prevenir.

  • Escove os dentes sempre depois de cada refeição, inclusive depois daquela larica de maconha fora do horário normal.
  • Passe fio dental e vá regularmente ao dentista.
  • Beba bastante água quando fumar para evitar o problema da boca seca.
  • Prefira vaporizadores e utilize piteiras, principalmente de vidro que podem ajudar a resfriar a fumaça e evitar um contato mais direto com a boca. Mesmo assim, só isso não vai adiantar.
  • Durante a noite, o fluxo salivar diminui e temos ainda menos proteção. Por isso, devemos nos esforçar para quebrar a rotina e  evitar “beliscar” algo antes de dormir por mais monstra que seja a larica.
  • Evite alimentos potencialmente cariogênicos ao logo do dia, entre as refeições principais.

 

Contribuição de Fernando Buttignol Cirurgião-dentista