Porque cultivar é importante para trabalhar no mercado canábico

Com cada vez mais países legalizando e o aumento na oferta e comércio de produtos relacionados ao cultivo e ao consumo da maconha, mesmo onde ela não é legalizada, como é o caso do Brasil, tem feito o que antes parecia um sonho se tornar realidade para muitos: trabalhar no mercado canábico. Ou seja, trabalhar com maconha efetivamente ou com acessórios derivados e definitivamente ter a planta como profissão.

Mas será que é tão fácil assim? Como qualquer mercado, o canábico não é diferente e exige muito de seus profissionais. Criatividade, visão, coragem, empenho, planejamento, organização, investimento caso esteja abrindo um negócio próprio, e muitas outras características que fazem parte de qualquer outro ramo. Porém, tem algo ainda mais importante que não pode faltar para quem sonha em arrumar uma vaga de emprego nesse mercado canábico que não para de crescer: conhecimento sobre a planta.

Afinal, se você não conhece o produto com que trabalha, qual a chance de ser contratado? Seja para trabalhar em um dispensário, em um cultivo, ou até mesmo uma head ou grow shop, como também para ter ideias do que o público consumidor quer. Para tudo isso é preciso saber o que é a maconha, a diferença entre os sexos dela, as variedades, as principais substâncias, a diferença entre uma Cannabis natural e um prensado, e muitas outras informações básicas que todo apaixonado por maconha e que sonha trabalhar com ela deveria realmente saber.

Uma das melhores maneiras de ter todo esse conhecimento sem gastar uma fortuna para ver flores naturais de maconha de perto com frequência, para realmente estudar o assunto na prática, é aprendendo a cultivar. Neste texto você vai entender porque cultivar é importante para trabalhar no mercado canábico.

Cultivando é possível conhecer tudo sobre a planta

Sonha em trabalhar no meio de diversas plantas de maconha, tocar nelas, aparar, fazer podas, e aplicar outras técnicas? Isso só vai ser possível aprendendo a cultivar porque só assim é possível entender a estrutura das plantas, como elas reagem às mudanças no fotoperíodo, como cada espécie pode ser diferente, bem como os processos de germinação podem se distinguir, entre outras características que só quem cultiva consegue acompanhar de perto.

Mas para cultivar no mercado canábico legal é preciso cultivar muita maconha antes. Ninguém quer correr o risco de perder muito dinheiro por deixar alguém que não sabe cultivar ou não entende da planta cuidando de um cultivo. Pode ser que seu sonho nem seja trabalhar exatamente nesta área, mas o conhecer o mínimo de como a Cannabis cresce, seja para uso recreativo ou medicinal, é fundamental para saber com o que está lidando, afinal você quer trabalhar com essa planta/ “produto”.

Para trabalhar em um dispensário do mercado canábico legal é preciso conhecer sobre Cannabis – Créditos: Green Culture

No mercado legal não existe prensado

O prensado paraguaio é uma particularidade nossa. Em outros lugares do mundo, com a Cannabis legalizada ou proibida, ela é consumida na forma natural. Ou seja, as flores e não da forma prensada como é comercializada no Brasil. E caso o país legalize, inclusive o medicinal, não vai ser o prensado que vai ser utilizado para produzir medicamentos, mas sim flores naturais iguais as comercializadas nas farmácias do Uruguai, nos dispensários da Califórnia, ou nos coffeshops da Holanda. Não existe prensado no mercado legal, e é por isso que cultivar também se torna importante para trabalhar na área.

Profissionais do mercado canábico legal costumam cultivar suas próprias plantas

Não é unanimidade, mas muitos profissionais do mercado canábico legal costumam cultivar suas próprias flores de Cannabis. Tanto para aprenderem mais sobre determinadas genéticas, ou para experimentar novos sabores, testar fertilizantes, equipamentos, hobby, ou tantos outros motivos que levam alguém a cultivar. Isso faz com que encontros de trabalho muitas vezes sejam também roda de degustações de diferentes strains cultivadas pelos próprios trabalhadores desse mercado canábico. Sejam eles de cargos executivos ou os próprios cultivadores responsáveis pelas plantas. Quase sempre a maioria cultiva.

Trabalhar ou empreender em uma headshop também vai exigir conhecimento – Créditos Cannabis Culture

Em um mercado legal há fiscalização

Em um hipotético mercado canábico legal da Cannabis no Brasil, o prensado iria desaparecer do cotidiano. Pelo menos não iria mais ser comercializado de forma regular. Isso significa que todos os trabalhadores de uma indústria realmente dentro da lei estariam consumindo uma maconha natural, e cultivada, bem como seria uma erva assim a comercializada em eventuais “dispensários”. Ou seja, teoricamente haveria uma fiscalização para garantir isso e saber cultivar seria realmente importante em um país livre do prensado.

Trabalhadores com roupas próprias para cultivar na indústria legal da Cannabis – I Love Growing Marijuana

Sua saúde vai agradecer

Trabalho é trabalho. Mesmo que seja com maconha, muitas vezes você poderá se estressar, trabalhar até mais tarde, ou até mesmo precisar de mais criatividade. Além de sua profissão, a planta se torna uma aliada da sua saúde, mas obviamente ela só vai ser realmente eficaz se forma natural, e não prensada.

Como aprender a cultivar

Existem diferentes maneiras e plataformas para se aprender a cultivar a própria maconha para se aprimorar no conhecimento e buscar uma vaga no mercado canábico. Dá para aprender gratuitamente ou investindo em um curso que pode evitar erros e diminuir os gastos através de um melhor planejamento. O importante mesmo é começar a germinar as sementes para entender de uma vez como a maconha realmente é, antes que as vagas para emprego comecem a bater na porta e você não vai estar preparado para disputar elas.