Ir para conteúdo
Growroom

Recommended Posts

  • Usuário Growroom

Fala Galera, esse texto é lá das FAQ do OG, e foi redigido em 2001, pelo ~shabang~, que é um cara que sabe das paradas.

Dei uma traduzida meia boca aí pra Galera, com várias liberdades poéticas......mas o conteúdo é por aí (não está traduzido errado, pelo menos eu acho......heheheheh)

Dei uma cortada em algumas partes, mas nada que alterasse o conteúdo.....eram só umas besteiras mesmo.

De qualquer modo, o link tá aí ó:

http://www.overgrow.com/growfaq/774

O que é realmente um cruzamento F1 ?

Definir os termos P1, F1, F2, homozigotos e heterozigotos pode ser uma tarefa simples, mas também pode causar uma grande confusão, pois, dependendo do seu ponto de vista, uma planta pode ser descrita com qualquer um destes termos.

Hererozigos – quando dois cromossomos homólogos de um mesmo gene não são iguais. Ex.: Aa

Homozigotos – o inverso. EX.: AA

Neste sentido, como muitos aqui já sabem, um mesmo indivíduo pode ser tanto homozigoto, como heterozigoto.

EX.:

Indivíduo alto – AA

Indivíduo cabeludo – CC

O cara pode ser AACC – AAcc – aaCC – aacc. Aqui temos tanto homozigotos puros: AACC/aacc, como heterozigotos AAcc/aaCC e suas variações

Assim, dependendo do seu ponto de referência, e qual a característica em estudo, podemos dizer que o cara é homozigoto, para uma determinada caracrísca e heterozigoto para outra.

No caso da cannabis, temos a blueberry como exemplo do que pode ser considerada homozigoto, pois todas as plantas dessa semente se parecem e produzem quase sempre a mesma coisa (dentro das mesmas condições). Mas mesmo assim, se vc olhar “mais de perto”, vc a poderá considerar como uma heterozigoto, mas, em razão de um olhar geral, nós ainda podemos considerá-la como homozigoto.

Híbrido – É um indivíduo produzido a partir da cruza de dois pais de diferentes genótipos. Para o biólogo que é citado no texto, um híbrido é um indivíduo heterozigoto que é resultado de do cruzamento de duas sementes diferentes.

.Para os seedbanks, um híbrido é o cruzamento entre sementes de duas linhas não correlacionadas.

F1 – é a primeira geração da cruza entre duas sementes de linhas não correlacionadas. Podem ser uniformes ou variáveis, dependendo pai (P1) utilizado.

F2 – é o cruzamento entre duas plantas F1. O que Clark (biólogo citado no texto) não deixa claro, é que se as duas F1’s tem que ser dos mesmos pais. Por convenção não. Neste sentido, alguns geneticistas alemães descrevem a cruza de um F1 com seu pai (P1), como F2.

Agora o exemplo:

Pega uma blueberry e cruza com romulan (esse é no me da maconha que o cara citou, nunca ouvi falar..mas vá lá)

Bem, com essa cruza rola uma F1 romberry . Agora cruza essa F1 romberry com uma F1 NL/Haze (que tb é um híbrido).

Alguns vão dizer que essa cruza é uma F1. Outros podem dizer que é uma F2, já que é o cruzamento entre duas plantas F1....

Agora vamos cruzar a Romberry/NL/Haze (RNH - que foi o resultado aí de cima), com o Híbrido F1 Skunk #1/NL #5 para criar a RNHSN. Da mesma forma, alguns podem dizer que é um F1, um híbrido entre RNH com SK/NL, e outros podem dizer que é um F2.

Watts (outro biólogo aí), definiu o F1 como um heterozigoto obtido da cruza de dois homozigotos, mesmo que de linhas de sementes não correlacionadas. Isso faz sentido e provê à geração F1 uma combinação única, isto é, um fenótipo uniforme, mesmo sem ser uma verdadeira criação, e significa dizer, também, que o consumidor quando compra um F1 deve esperar resultados uniformes.

F2, é cruza de duas híbridas F1, significando dizer que as plantas não serão uniformes. Do mesmo modo, F3, F4, F5 etc, também vão trazer consigo as características lá de trás, e portanto, também não serão uniformes.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

PS do V.Eddie.: Pelo que eu entendo, quando ele diz uniforme, é que as sementes vindas em um mesmo saquinho, quando F2, F3 e tal, podem gerar plantas diferentes entre si, isto é, mais altas, mais baixas, que produzem mais, menos, aturam mais o calor ou não e tal.....quando vc compra uma F1, aí elas serão uniformes, do tipo, serão plantas +- da mesma altura, com a mesma produção e tal.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Portanto, de acordo com o exemplo lá de cima, Blueberry, romulan, Skunk #1, NL#5, and Haze são todas pais P1...vindas, cada qual, de sua linha genética.

Já a Romberry, NL/Haze e a Skunk/NL são todos híbridos F1......Já Romberry/ML/Haze e a RNHSN podem ser F2.......Com essa especificação, o consumidor pode saber o que esperar pelo preço que está pagando.

Somente alguns seedbanks (se há algum) estão seguindo estas definições e, conseqüentemente criando confusão na comunidade canabinística

REFERENCES:

Clarke RC. 1981. Marijuana Botony Ronin Publishing, California

Colangeli AM. 1989. Advanced Biology notes. University of Victoria, BC

Futuyma DJ. 1986. Evolutionary Biology Sinauer Associates, Inc. Massachusetts

Klug & Cummings. 1986. Concepts of Genetics 2nd ed. Scott, Foresman, & comp. Illinois

Grossnickle & Russell. 1989. Stock quality improvement of yellow-cedar. Canada-BC Forest Resources Developement Agreement (F.R.D.A.) Project 2.40

Watts. 1980. Flower & Vegetable Plant Breeding Grower Books, London

Wright JW Introduction to Forest Genetics Academic Press, San Francisco

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom
VelhoEddie escreveu

PS do V.Eddie.: Pelo que eu entendo, quando ele diz uniforme, é que as sementes vindas em um mesmo saquinho, quando F2, F3 e tal, podem gerar plantas diferentes entre si, isto é, mais altas, mais baixas, que produzem mais, menos, aturam mais o calor ou não e tal.....quando vc compra uma F1, aí elas serão uniformes, do tipo, serão plantas +- da mesma altura, com a mesma produção e tal.

Até onde sei a nomenclatura F1, F2, F3, etc são usadas pelo breeder para identificar a qual geração de isolamento genético aquela planta pertence.

O trabalho dele é misturar genótipos, ou seja, ele observa as características de determinada planta e isolam as que lhes interessa. Dessa forma um breeder observa que uma Manga Rosa produz uma resina mais adocicada, e dentre as 50 ou 100 plantas de Manga Rosa ele provo-as e separou cuidadosamente e meticulosamente anotadas as plantas mais adocidadas, classificando suas sementes como F1.

Plantada, tais plantas crescerão com uma carga genética mais favorável a produzir berlotas mais adocicadas que suas antigas mães, contúdo um bom breeder separa entre todas as sementes que plantou, aquelas cujas plantas mães ele provou as mais adocicadas e classifica-as como F2.

Assim ele procede até estabilizar as características que deseja isolar e potencializar. Um breeder pode selecionar uma inúmera quantidade de características tentando intensifica-las a cada geração. Características físicas como altura, fenótipo das folhas, flores, caule, efeitos da resina psicoativa e sabores das flores.

Mas é importante lembrar que uma planta estabilizada não significa que suas caraterísticas estejam congeladas. Dentro de individuos da mesma especíe, como é o caso de todas as variedades da cannabis, a variabilidade genética, mesmo dentro de genótipos estabilizados, é uma constante favorável à sobreviência de todas as especíes.

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom
Alma_Rastafari escreveu

Até onde sei a nomenclatura F1, F2, F3, etc são usadas pelo breeder para identificar a qual geração de isolamento genético aquela planta pertence.

Então....acho que vc tem razão nisso

Mas talvez esse isolamento genético, de híbridos, com híbridos e com mais híbridos e tal, como a gente vê por aí, o isolamento genético talvez não esteja 100% estabilizado (se é que algum dia realmente fica 100%).

Acho que por isso, que o cara fala que o consumidor, nestes casos não vai ter 100% de certeza do que vai sair daquela semente.

Talvez a pressa dos breeders em colocar no mercado uma nova strain (se é que eles tem pressa), também contribua com isso, isto é, uma não boa estabização, pelo menos no começo

mas aí já e outro papo....e

sei lá, entende ?

Alma_Rastafari escreveu

Mas é importante lembrar que uma planta estabilizada não significa que suas caraterísticas estejam congeladas. Dentro de individuos da mesma especíe, como é o caso de todas as variedades da cannabis, a variabilidade genética, mesmo dentro de genótipos estabilizados, é uma constante favorável à sobreviência de todas as especíes.

É verdade...me lembro agora, não sei se o exemplo é feliz, ou a analogia é adequada.......é o caso de populações indígenas que se reduzem por diversos motivos....então, se reproduzindo apenas entre pouco números de membros, vão ficando cada vez mais fracos e tal....como se a genética fosse enfraquecendo.

Valeu

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom
VelhoEddie escreveu

Então....acho que vc tem razão nisso

Mas talvez esse isolamento genético, de híbridos, com híbridos e com mais híbridos e tal, como a gente vê por aí, o isolamento genético talvez não esteja 100% estabilizado (se é que algum dia realmente fica 100%).

Acho que por isso, que o cara fala que o consumidor, nestes casos não vai ter 100% de certeza do que vai sair daquela semente.

Talvez a pressa dos breeders em colocar no mercado uma nova strain (se é que eles tem pressa), também contribua com isso, isto é, uma não boa estabização, pelo menos no começo

mas aí já e outro papo....e

sei lá, entende ?

Entendo sim. A questão da estabilização se refere à quantidade de características isoladas que se manifestam mais homogeneamente, ou seja, quando o breeder seleciona as características que deseja e as isola cada vez mais a cada geração, ele faz com que essas características passem a ser dominantes nos especímes selecionados. Quanto mais ele isola essas características, mas as novas gerações se parecerão por terem essas características mais afloradas.

A estabilização é quando essas características já são fortes o suficiente para se caracterizar uma strain diferente, única.

VelhoEddie escreveu

É verdade...me lembro agora, não sei se o exemplo é feliz, ou a analogia é adequada.......é o caso de populações indígenas que se reduzem por diversos motivos....então, se reproduzindo apenas entre pouco números de membros, vão ficando cada vez mais fracos e tal....como se a genética fosse enfraquecendo.

Sim, o exemplo é bastante válido. No caso das populações que são isoladas, o que ocorre é um isolamente de características por escassez de mistura de genéticas. Ou seja, se uma quantidade x de indivíduos dessa população tiverem genes do albinismo, e muitos indivíduos que tiverem esses genes se cruzarem por muitas gerações, a quantidade de descendentes com uma carga dominante de genes albinos será forte o suficiente para que a amostra de albinos dessa população cresça a cada geração, "estabilizando" uma variedade de características, no caso, uma característica de pele.
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Fala Alma "The Breeder" Rastafari....hehehehe

Será, então, que eu posso chegar a algumas conclusões ?

Bem, partindo do prinípio que o Skunk #1, é uma linha pura..naquele estilo P1, portanto, estabilizada e homozigoto, em uma visão geral, como o cara do texto.

Desta planta, resolvemos criar um híbrido, com uma NL, fazendo um Skunk/NL.que seria um F1...estabilizando, teremos um isolamento genético.

Desta SK/NL....vamos fazer um outro híbrido: "misturamos" esta SK/NL (F1), com um....supondo...White Widow/Haze....que, tb supondo, seria outro F1. Teríamos, então uma SK/NL/WW/Haze, que seria, a princípio, um F2.

Estabilizamos e isolamos esse F2.

Assim, pode ser correto dizer que não importa qual "geração" seja, pois sendo P1, F1, F2 etc...bem ou mal..estaríamos comprando uma semente de qualidade, "uniforme e estável" nas características objeto da "hibridização".

Ainda, dependendo do isolamento e da establização, uma F4 pode vir até ser mais "estável e uniforme" entre elas, do que uma F2 de geração anterior, que não teve um tratamento de isolamento genético, digamos, mais severo.

É por aí ?

Ainda: na hora de uma compra, então é melhor, a princípio, optar por strains há mais tempo no mercado, deixando os lançamentos pra mais tarde, uma vez que vejo relatos de pessoas que compraram genéticas novas e vêem plantas completamente diversas umas das outras (mesmo nas características selecionadas).

De qq forma, então, a genética acaba sendo sempre um pouco de loteria, haja vista a inerente variabilidade genética, pois certeza, certeza, somente manipulando os genes, como se anda fazendo por aí, e espero que não chegue à cannabis

Valeu Alma

PS.: Vai estudando aí, pois, um dia, quem sabe, rola um Alma Seeds pra galera....trabalha numa parada maneira, faz um troco, e ainda faz a cabeça da rapaziada....heheh...Valeu Véio.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom
VelhoEddie escreveu

Assim, pode ser correto dizer que não importa qual "geração" seja, pois sendo P1, F1, F2 etc...bem ou mal..estaríamos comprando uma semente de qualidade, "uniforme e estável" nas características objeto da "hibridização".

Na verdade não. Quando se fala em estabilização de uma strain está se falando da estabilização de uma determinada quantidade de características (buds vermelhos, doces, gordos, etc) Se você tem uma geração não estabilizada ainda ela pode ter uma genética excelente (grande produção, grande potencia de THC, etc) mas os espécimes variarão muito em suas características.

VelhoEddie escreveu

Ainda: na hora de uma compra, então é melhor, a princípio, optar por strains há mais tempo no mercado, deixando os lançamentos pra mais tarde, uma vez que vejo relatos de pessoas que compraram genéticas novas e vêem plantas completamente diversas umas das outras (mesmo nas características selecionadas).

Pensando dessa forma, acho que sim. Por que quanto mais avançada a geração da strain, mais estabilizada ela será.
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom
Alma_Rastafari escreveu

Na verdade não. Quando se fala em estabilização de uma strain está se falando da estabilização de uma determinada quantidade de características (buds vermelhos, doces, gordos, etc) Se você tem uma geração não estabilizada ainda ela pode ter uma genética excelente (grande produção, grande potencia de THC, etc) mas os espécimes variarão muito em suas características.

Não..sem dúvida..foi por isso que disse: "uniforme e estável" nas características objeto da "hibridização" - sempre que estas características já estiverem estabilizadas, é claro.

Valeu Doctor Alma....!!!!

A princípio, outro grande mistsério desvendado..hehehe

Abração e valeu a força...!!!

PS.: Se tiver algo a acrescentar, por favor, não se acanhe.

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...
×
×
  • Criar Novo...