Ir para conteúdo
Growroom
tiozera

TEORIA DA CONSPIRAÇÃO: Prenseeds geram plantas mais resistentes!

Recommended Posts

Sim, eu sei que, é um sacrilégio, uma ofensa, um absurdo qualificar o ¨maldito¨ prensado como superior perante as ¨vossas majestades¨ Strains SUPERIORES.

É como querer comparar um dono de camelô paraguaio com um lord inglês!

Mas calma! Deixemos de lado o glamour e o gourmet, e o marketing, assim como a inegável qualidade, para atermos nas questões biológicas...evolutivas, adaptativas.

Vejo algo que posso exemplificar usando os cães.

Os cães e a cannabis possuem uma semelhança bastante didática para entender a evolução da maconha até os dias atuais.

Ambos são criações humanas no sentido de que, tanto cachorro como a cannabis foram domesticados para favorecer e contribuía às necessidades humanas. Mas principalmente porque, de um determinado exemplar, ou alguns poucos, tanto os cães como a cannabis se ramificou em centenas, talvez milhares de raças, no casa da cannabis, milhares de strains.

Assim como os cães, existe cannabis mais forte, mais selvagem, mais dócil, menor, maior e por aí vai.

Assim como os cães, algumas são mais bonitas, mais robustas, mais nobres, mais conceituadas e superiores em diversos aspectos, mas assim como os cães, determinadas strains, ainda que de extrema qualidade, podem ser mais sensíveis às mudanças ambientais.

Talvez por isso, e com razão em muitos casos, seja realmente importante não estressar as plantas, mas me parece que esse ¨cagaço¨ de não estressar as plantas, tenha extrapolado às recomendações para determinadas cepas,   fazendo com que todas as plantas, digamos, necessitassem dos mesmos cuidados.

Mas porque diabos tô misturando strain com cachorro e tudo mais?

Tudo isso pra dizer que, assim como um cão vira-lata é mais resistente, adoece menos, se recupera mais rapidamente...assim como um cão vira-lata tem mais resistência e, num mundo sem humanos, teria maior chances de sobreviver, assim também são as plantas paraguaias, do ¨maldito e mal falado¨ do ¨excomungado¨ prensado.

Como sabemos, a maconha que chega no Brasil, 90% é paraguaia, o ¨maldito¨ prensado.

Muitas pessoas confundem as bolas achando que a cannabis em si é de má qualidade, ruim, inferior.

Mas sabemos que o problema não é a planta, mas o cuidado com o plantio, colheita, cura, armazenamento etc.

A maconha prensada paraguaia pode ser de qualidade duvidosa, mas a planta, a cannabis em si, essa continua sendo a velha e milenar planta de cannabis meus caros. Ainda que ¨vira-lata¨ ainda que a mais simples, a cannabis antiga com seus 4% de THC, ainda essa tem seu valor, e fez a cabeça da humanidade durante milênios.

Também é interessante atentar para o fato de que a cannabis vem ficando mais potente com o passar dos anos. Dos 5% dos anos 70, chegamos ao ano de 20 e 20 e poucos com cannabis que proporcionam mais de 30% de THC...e isso é sensacional.

Mas a cannabis paraguaia vem evoluindo também, já não é mais aquela cannabis dos anos 70, dos 5% de THC. Pesquisas realizadas pela Polícia Federal, com maconha apreendida do Paraguai, sistematicamente, mostram que o ¨maldito¨ prensado possui entre 7 e 10% de THC...já não é mais ¨pouca merda¨ kkkk

Se apesar dos maus tratos, apesar do descaso, da violência que essas plantas passam nas mãos dos agricultores paraguaios, apesar das condições insalubres em que chegam até nós, ainda chegam com seus 7 a 10% de THC.

Isso me leva a crer que, se tivessem sido cultivadas e cuidadas de forma correta, talvez tivesses 15% de THC, ou mais. Pois obviamente se, depois de tudo, a maconha paraguaia ainda nos chega com 7% de THC, é porque devia o poderia ter mais.

10 a 15% de THC, convenhamos, é bom! Muito bom eu diria, e olha que sou cabeção.

Penso que as sementes geradas por estas plantas herdam o gene da resistência de modo a lidar melh or com condições externas.

Assim sendo, e por experiência própria, são plantas que requerem menos cuidados quanto à água, solo, mudanças abruptas de ambiente e clima, dentre outras características positivas.

Sendo assim, se uma semente de prensado gerar uma planta saudável, mais resistentes, menos suscetível a melindres, e que produza seus 12 a 15% de THC, penso ser bem vantajoso arriscar o cultivo com as ¨malditas¨ paraguaias.

No final das contas é uma grande injustiça com a cannabis.

A cannabis, por mais simples que seja, por mais suave, ainda que a genética mais standart, quando cultivada, cultivada com dignidade, sempre vai render bons frutos.

A cannabis do prensado vai tolerar melhor se caso a luz ascender no período de escuro.

A cannabis do prensado vai suportar bem a mudança de indoor para outdoor...e isso é bom, porque o sol e o ambiente externo colaboram de forma definitiva para mais resina, mais sabor, mais terpenos.

A cannabis do prensado vai suportar passar algumas noites fora do grow, no frio...e não vai se afetar de modo que no próximo clima adequado ela já retorna ao seu processo normal.

A cannabis de prensado vai suportar melhor o frio. Ainda que numa noite a temperatura beire os 0º, ela retornará triunfante com o primeiro raio de sol ou de luz do grow.

A grande diferença está, não na planta e, obviamente que sei a diferença entre 5 e 30% de THC proporcionados por diferentes genéticas, mas independente disso, uma planta bem cuidada seja da genética que for, sempre vai ter qualidade, e dignidade, como a espécie cannabis merece como um todo, independente da genética, raça e seja lá o que for.

Eu me interesso pela planta em si. Não cultivo como um consumista explorador de vegetais...huahuahuahua

Gosto de tratar as plantas com dignidade, inclusive os machos sendo que, não tenho coragem de ¨matá-los¨. Quando o faço, é com dor no peito.

Eu admiro a fibra do cânhamo, o THC, CBD, CBG...eu admiro tudo nessa espécie maravilhosa de planta.

Por isso venho através dessa mistura de assuntos e com essa tese sem respaldo científico e intuitiva dizer aos senhores, que, sim...a cannabis paraguaia, as plantas nascidas de sementes do ¨maldito¨ prensado, tendem a ser mais resistentes do que as strains mais famosas e conceituadas.

Sementes encontradas em maconha prensada, quando se percebe que, apesar dos pesares, o fumo é bom, caso encontre sementes saudáveis, plante sem medo pois se tudo correr b em, nascerá uma bela, saborosa e potente planta.

E se achar sementes num prensado palha, ruim, péssimo, que não chapa?

A semente tá saudável?

Sim!

Então pode plantar com a mesma certeza de que gerará uma linda planta.

Apesar da maconha paraguaia fazer parte do tráfico e do rastro de sangue que ele deixa, apesar dos cuidados inadequados por que ela passa, apesar de tudo, ainda é cannabis e possui todas as propriedades maravilhosas que esta planta nos proporciona.

Sim, plantas de sementes de prensado podem ser tão saborosas e potentes como muitas strains, e com certeza, são mais resistentes, mais fortes e, se bem tratadas, não deixam a desejar diante de nenhuma majestade roxa Holandesa!

Assim como prefiro um cão vira-lata, também prefiro a maconha vira-lata, a maldita, a sem procedência, a marginal.

Ainnnnnnnnnnnn, mas e o tráfico?

Infelizmente por mais de 2 décadas dependi do tráfico para ter minha maconha.

Infelizmente é de maconha de tráfico que vem minhas sementes e muita da erva que consumo.

Felizmente estas sementes do tráfico, são as mesmas que podem nos libertar dele.

Viva a cannabis do Paraguai...viva o prensado!

Infelizmente, como tudo, a erva que tu fuma agrega no teu status. E apesar de entender e concordar com a resistência em participar do tráfico através da compra de maconha, é preciso entender que fumar flor de cannabis ainda é algo elitizado...é playboy, desculpem! Mas é play não pelo ato em si, mas pelo preço, pela dificuldade de encontrar e, mesmo que se resolva cultivar, ainda assim é complicado e escasso.

Então, chega de hipocrisia em condenar quem fuma prensado e é obrigado a participar do tráfico.

Chega de desqualificar a maconha que nem sempre, e pra falar a verdade, em termos de proporção, peguei muito, mas muito mais maconha paraguaia boa do que ruim.

Nos últimos tempos venho cultivando e suprindo parte de minhas necessidades, mas sem cuspir no prato que comi e que certamente ainda comerei.

A cannabis Paraguaia é boa e é mais resistente que outras genéticas. Ainda que isso dependa da própria genética, os maus tratos tendem a gerar plantas mais resistentes e com menos necessidades especiais.

Planta um prensadão e seja feliz.

Plante sementes de prensado junto com strains comerciais...assim como um tutor de um cão de raça que também cria o vira-lata.

  • Like 8
  • Thanks 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Concordo com quase todo o texto. Mas resistência e potência mediana somente não faz das paraguaias plantas excepcionais.

Quando se fala de "strains superiores" (e sou adepto das mesmas, apesar de não concordar com o termo) na verdade se fala de um conjunto de características desejáveis, além de potência e resistência, sabor e aroma (terpenos e flavonoides - um mundo à parte), resina (morfologia dos tricomas - outro mundo à parte), rendimento, facilidade de cultivo (geralmente pra indoor) tempo até a colheita, etc. Enfim, uma série de fatores melhorados fruto de cruzamento e seleção via intervenção humana. Uma planta dita "selvagem", sem intervenção humana de seleção, dificilmente carrega todas essas características desejáveis no mesmo lugar. Mesmo plantas de "pedigree" na maioria das vezes não tem todos os aspectos "positivos".

Aquela genética da moda, capa de revista americana, hype na Califórnia, nada mais é que fruto de um bom tempo de cruzamento, seleção e melhoramento de plantas selvagens, inclusive muitas parentes da paraguaia. Apesar da paraguaia nas últimas décadas passou por alguma seleção (quase acidental), mas nada comparado a um processo dedicado de melhoramento genético.

 

Fora esses pontos, considero plantas "selvagens", como as paraguaias, um arcabouço fantástico de possibilidades genéticas. Infelizmente fazer melhoramento genético nessas plantas com limitações legais, de espaço e orçamento não é lá algo trivial. Pra ter ideia conheço uma pessoa que foi pro Paraguai com a intenção de fazer uma seleção de plantas para produção de haxixe. De mais e 500 plantas abertas, saiu com 3 que considerava de qualidade regular, e no fim voltou pra casa sem nada pois não valia o esforço pela qualidade mediana dessas 3 plantas. Num mundo ideal ele abriria pelo menos 10x esse volume de plantas pra começar a fazer seleção.

Ainda, os próprios fazendeiros paraguaios de maconha já tem consciência da importância de fazer seleção e melhoramento genético. Ouço relatos de pessoas mais próximas ao agronegócio paraguaio que de fato os produtores já não estão satisfeitos com que produzem e vem melhorando os processos outrora arcaicos com o objetivo de fornecer produto de maior qualidade pro mercado. Aparentemente o prensado está com os dias contados.

Por outro lado já vi (e provei) plantas excepcionais provenientes de cultivo doméstico abertas à partir de meia dúzia de sementes. Aqui no fórum tem vários exemplos. Por sinal uma das minhas flores prediletas que já fumei na vida foi planta outdoor sem muito cuidado à partir de sementes de "manga" do polígono da maconha. Mas é uma loteria.

Achar qualidade em plantas desconhecidas é um desafio enorme. Tem pessoas viajando pelo mundo procurando as joias genéticas da cannabis na Índia, Nepal, Afeganistão, Iraque, África, América do Sul, Rússia, etc, de forma a preservar essas lendas selvagens e trazer a carga genética para o ocidente.

No fim imagino que o maior apelo das genéticas "pop" comerciais - já selecionadas e trabalhadas - contra as selvagens é o público homegrow um pouco mais exigente sem tempo ou espaço sobrando à procura um fumo de qualidade (meu caso), ou produção comercial que não pode colocar o orçamento a perder.

  • Like 12

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Você parece ser um cara legal e bem intencionado, mas não. No máximo são bem ambientadas a nosso fotoperíodo, e só. Sativinha sem vergonha com flora longa e tendencia de hermar.

A grande maioria começa nelas, mas eu digo que se tiver oportunidade de começar com sementes boas comece, uma strain bem estabilizada é anos luz melhor que prenseed. 

Se semente de prensado é o que você tem acesso, vai fundo, eu nunca, de verdade, vi ninguém desmerecer ninguém aqui por conta de prenseed. Acredito que buscar sementes de qualidade é uma evolução natural da experiência do cultivador, o que eu acho danoso é achar que um produto de tráfico é uma espécie de orgulho nacional. Prensado é uma vergonha, as sementes são uma segunda chance de Deus pra você mesmo fazer o negócio direito.

 

 

A terra é plana, o mundo roda e eu nunca 'tô liso

Porque eu trabalho muito, muito, playboy é meu filho

  • Like 4
  • Thanks 4

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

¨No fim imagino que o maior apelo das genéticas "pop" comerciais - já selecionadas e trabalhadas - contra as selvagens é o público homegrow um pouco mais exigente sem tempo ou espaço sobrando à procura um fumo de qualidade (meu caso), ou produção comercial que não pode colocar o orçamento a perder.¨

Perfeita essa sacada.

Na real meio que reclamei de várias paradas, tipo rebelde sem causa.Juntei minhas boas experiências com sementes de prensado a um certo enjoo desse descaso com o prensado...huauauahua
putaquepariu tô defendendo o prensado!!!!
Mas é que realmente me parece que a grande maioria da cannabis paraguaia atual não é ruim não, pelo contrário.

Basta plantar e ver os resultados. Considerando as variações, no geral, as plantas que forem relativamente bem cuidadas, darão flores excelentes...e potentes. Eu considero de 12 a 15...17%, níveis de THC bem bons, e tô achando que as diferentes sementes de prensado que plantei, seja de fumo bom  ou ruim, sempre deram erva nesses níveis. 

Eu realmente diria que, independente da genética, uma planta fêmea bem cuidada, vai ficar linda e saborosa e chapante.

E sobre a resistência, óbviamente que, não extrapolando, me parece exagerado esse medo de não estressar as plantas. Sei que em certos casos é necessário mais cuidado, mas o prensadão é mais tosco, mais robusto, menos sensível às mudanças ambientais assim como nutritivas. 

Particularmente mesmo na floração, ainda que mais moderado, continuo com podas, crops, mudanças do grow para  sol e as plantas não sentem isso de forma negativa. Pelo que vejo ela se revigora, mesmo na flora.

E por isso falei da resistência, e por isso que comparei aos cães. Raças de cães com características selecionadas e que os deixam especiais, geralmente causam ¨efeitos colaterias¨digamos assim, que os deixa mais propenso a certas doenças e problemas. Cães especiais, e com genéticas bastante modificadas, tendem a enfraquecer, tendem a necessitar de condições ideais, necessitam mais atenção, assim como certas strains que da mesma forma são especiais, e eu adoro elas, huahuahuahua.

Mas o prensado paraguaio me parece o vira-lata que não é tão bonito, não tem procedência, não tem características exuberantes nem uma força extrema, mas basta dar uma chance ao vira-lata pra ver que ele é tão canino quanto o cão de raça.

E é mais resistente por quê? Penso que, certamente, num caso de condições extremas, assim como o cão vira-lata teoricamente teria mais condições de dar continuidade à espécie, assim também é a cannabis ¨normalzona¨ tipo Paraguaia, essa menos potente, e ainda assim satisfatória, é essa que continuará.

Então, caso houver um apocalípse ,ou outra situação extrema, entre as sementes de prensado e a semente do pacotinho da gringa, leve as do prensado. Ao invés de levar um vidro de flor, leva uma lasca de prensado com sementes..o ruinzão aquele que tava de canto.

E outra coisa que ocasionou o texto é que andei vendo muito vídeo de youtuber cannábico. A galera faz bullying com o prensado, e indiretamente com os que fumam prensado. Como se fumar flor fosse algo acessível e popular...por isso fica elitizado.

 Então tem nego que nem tem paladar pra sacar o terpeno de uma strain e fica chineliando o prensado. Se der 2 baseados fechados um com flor e outro prensado o cara nem sabe distinguir. kkkkkkkkkkkkkkkk

Mas tuas colocações foram cirúrgicas. Eu que tô vendo a coisa de uma forma mais...romantizada...hauhuauahua
É nóia de maconheiro esquerdista...sempre querendo defender os menosprezados..e o prensadão tá menosprezado.

 

  • Like 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
12 minutos atrás, Critical Lemon disse:

Você parece ser um cara legal e bem intencionado, mas não. No máximo são bem ambientadas a nosso fotoperíodo, e só. Sativinha sem vergonha com flora longa e tendencia de hermar.

A grande maioria começa nelas, mas eu digo que se tiver oportunidade de começar com sementes boas comece, uma strain bem estabilizada é anos luz melhor que prenseed. 

Se semente de prensado é o que você tem acesso, vai fundo, eu nunca, de verdade, vi ninguém desmerecer ninguém aqui por conta de prenseed. Acredito que buscar sementes de qualidade é uma evolução natural da experiência do cultivador, o que eu acho danoso é achar que um produto de tráfico é uma espécie de orgulho nacional. Prensado é uma vergonha, as sementes são uma segunda chance de Deus pra você mesmo fazer o negócio direito.

 

 

A terra é plana, o mundo roda e eu nunca 'tô liso

Porque eu trabalho muito, muito, playboy é meu filho

as sementes são uma segunda chance de Deus pra você mesmo fazer o negócio direito.

hauhuahuahuahuahuahua
Claro, as sementes de prensado são a grande chance.

Eu tô ligado...to exagerando
Não tem nada de técnico nisso que falei.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
2 horas atrás, Critical Lemon disse:

Você parece ser um cara legal e bem intencionado, mas não. No máximo são bem ambientadas a nosso fotoperíodo, e só. Sativinha sem vergonha com flora longa e tendencia de hermar.

A grande maioria começa nelas, mas eu digo que se tiver oportunidade de começar com sementes boas comece, uma strain bem estabilizada é anos luz melhor que prenseed. 

Se semente de prensado é o que você tem acesso, vai fundo, eu nunca, de verdade, vi ninguém desmerecer ninguém aqui por conta de prenseed. Acredito que buscar sementes de qualidade é uma evolução natural da experiência do cultivador, o que eu acho danoso é achar que um produto de tráfico é uma espécie de orgulho nacional. Prensado é uma vergonha, as sementes são uma segunda chance de Deus pra você mesmo fazer o negócio direito.

 

 

A terra é plana, o mundo roda e eu nunca 'tô liso

Porque eu trabalho muito, muito, playboy é meu filho

Blz @Critical Lemon Tu falou com grande propriedade > Adaptadas ao nosso fotoperiodo  ( Pedro Ruan Londrina Campinas e Copacabana tudo 23º Sul ) até achava maneiro >>> Fiz cruza de prenseed com Kush chamei de Kushayo ... não fixa as caracteristicas ... flora longa nem me incomoda ... agora Herma 1 pesão de metro na 4ª semana ... Ou pior tu fazer tudo certinho não ver NENHUMA flor macho e colher CONSEMILLA ...  O bagulho é louco man ... Pensa em ciclos e reciclos ... Já me gabei de nunca ter comprado seed ... + não tem jeito ...  Meu próximo ciclo vai ser de Clone estabilizado (Tangie ou 24k)  ou umas BRFs fem da esquina ...

+ tua letra foi MUITO TOP >>> até o Oil  se pronunciou >>>  

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Cara os prensados não são tão selvagens quanto cachorros vira-latas. Como os traficantes misturam tudo junto, a seleção natural das plantas ruins também entra no meio das boas, gerando plantas medianas. Se fosse uma cannabis 100% selvagem seria outra historia. A seleção natural daria conta e produziria apenas plantas que nascem em terra ruim e asfalto (Não garantido mais THC nem mais qualidade de bud, apenas resistência ao ambiente).  Mas não é o caso. 

 

O segredo é pegar as plantas de prensado que derem bons resultas e cruzar com machos bons de prensado. Com o tempo você vai criar uma planta tão boa ou melhor que varias strains por ai.

E ai tu sela a vácuo na geladeira as melhores sementes que a seleção sintentica pode oferecer. Vai ter maconha boa pro resto da vida e ainda vai poder por um nome nessa nova strain que você criar. 

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Essa comparação com cachorros me trouxe uma historia na mente:

Eu fui em alguns canis procurar um Fila Brasileiro, no oitavo canil os animais estavam tão maiores, mais resistentes, mais territorialistas, hiperdisciplinados e tambem foi o unico onde as criaturas não apresentavam o problema de palpebra caída.

 Resumindo o criador cheio de orgulho me disse que o maior fator é a Estabilização Genetica ou seja seleção de individuos com caracteristicas desejaveis. Como nosso amigo comentou acima.

 

Os vira-latas que sobrevivem e se perpetuam são apenas os mais fortes, nesse caso a seleção natural atua de forma impecavel onde os fracos e com tendencia a doenças morrem rapidamente, antes mesmo de procriar. 

A propria natureza se encarrega da seleção de plantas fracas nos cultivos paraguaios, porém plantas que hermam, pegam pragas, demoram mais para atingir a maturação e que mofam são todas colhidas e prensadas junto às suas sementes e comercializadas, então existe muita negligencia nessa seleção paraguaia, se eles fizessem corretamente com certeza as prenseeds seriam tão boas quanto as gringas com caracteristicas distintas tal qual um bom e forte vira-lata.

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Creio que a analogia com cães foi feliz, ainda que estranha para alguns. Sem os devidos cuidados com ambiente, alimentação e combate a doenças, uma strain top perderá e muito em qualidade, aparência e potência. Bem como um shi-tzu nas mesmas condições, aos nossos olhos não seria igual àqueles de madame. Gostaria só de reiterar ao amigo @tiozera que o lema: "NÃO COMPRE, PLANTE!", é o objetivo e se for atingi-lo com prenseeds ou strains de renome, a Causa agradece!!! A seguir um link de um artigo muito bom.

https://apublica.org/2017/08/destrinchando-a-maconha-paraguaia/

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@tiozera, muito interessante sua colocação e essas ideias já haviam passado pela cabeça. Gostaria de acrescentar algumas informações...

- O fumo paraguaio vem de plantas que produziram sementes. Se você pegar uma planta dessa, que não produziu semente, vai ter um fumo de ótima qualidade. Efeito muito mais potente, ou seja, mais THC.

- O fumo paraguaio tem a guerrilha marcado na sua genética. Por isso, para manter a perpetuação da espécie, tem ALTA tendência a hermar. E essa não é uma característica boa para o nosso caso. 

- O fumo paraguaio, de dominância Sativa, demora 4 meses para florir. Cresce MUITO. São 2 características que, para quem planta, não são boas.

 

Eu me disponho a gastar um $$ com sementes selecionadas por esses motivos acima. Planta sem tendência a hermar, obtenho um efeito de planta sativa sem o inconveniente de ter uma planta com 2 a 3 metros e sem ter que esperar 4 meses para colher. E acabo pagando um pouco mais para ter algumas características relacionadas ao cheiro e sabor.

 

E para finalizar, digo que não acho que as plantas dessas genéticas selecionadas sejam fracas. Até porque, selecionaram as mais resistentes.

  • Like 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pode crê, pessoal.  Vocês tem razão...não dá pra generalizar. 
Eu compliquei também.

A resistência que comentei é pela fato das plantas paraguaias serem cultivadas ¨a moda bixo¨ sem amor pelas plantas...por condições de cultivo inadequadas que exigem que as plantas se esforcem para vingar. Esse tipo de situação tende a fazer com que as sementes e, consequentemente, as plantas filhas dessas mães que floresceram  à duras penas, herdem esses genes de resistência.
Não sei se isso ocorre de uma geração para a outra, ou precisa que mais gerações dessa planta passem por isso.

E BASEADO nisso, junto com minha experiência de cultivador, amador, mas cuidadoso  e atento , huahuahuahua
pensei nessa possibilidade..
Mas concordo com o que vocês colocaram, muito bem por sinal.

Queria aproveitar e, vejam a ironia...
Estou com uma planta de prensado, uma paraguaia nata, forte e resistente...o super  prensado que falei que não dá treta...kkkk
Pois estou percebendo algo estranho aqui e talvez alguém possa auxiliar. Embora eu considere normal as folhas FAN se deteriorarem durante a flora, já que a planta foca na flor, geralmente percebia isso mais no final da floração.

Essa planta está na 3ª semana de floração e tá amarelando bastante as folhas inferiores...com o detalhe que, se arranco essas, as próximas acima parecem começar nesse processo de amarelamento.

Mas creio que chego no final sem problemas, mas incomoda, preocupa...quero ver ela 100% huahuahuahuahu, vocês sabem como é.
Se alguém puder dar um toque, ainda que não sirva pra agora, pode ajudar nos próximos.

abraçççççç

 

IMG_20200923_092031.jpg

IMG_20200923_092045.jpg

IMG_20200923_092101.jpg

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
2 minutos atrás, tiozera disse:

Essa planta poderia estar com o dobro do tamanho, mais até...mas meu grow é pequeno, principalmente na altura, por isso que tiver que conter  pra carayyyyy  o crescimento dela. Mas na horizontal ela tem uns 70 cm, 80. Mas percebi que ela poderia estar esplendorosa e polpuda, mais arregada...
mas nas condições que tenho é o que dá. 

 

IMG_20200923_092031.jpg

IMG_20200923_092045.jpg

IMG_20200923_092101.jpg

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

to lon

Em 21/09/2020 at 18:19, tiozera disse:

Sim, eu sei que, é um sacrilégio, uma ofensa, um absurdo qualificar o ¨maldito¨ prensado como superior perante as ¨vossas majestades¨ Strains SUPERIORES.

É como querer comparar um dono de camelô paraguaio com um lord inglês!

Mas calma! Deixemos de lado o glamour e o gourmet, e o marketing, assim como a inegável qualidade, para atermos nas questões biológicas...evolutivas, adaptativas.

Vejo algo que posso exemplificar usando os cães.

Os cães e a cannabis possuem uma semelhança bastante didática para entender a evolução da maconha até os dias atuais.

Ambos são criações humanas no sentido de que, tanto cachorro como a cannabis foram domesticados para favorecer e contribuía às necessidades humanas. Mas principalmente porque, de um determinado exemplar, ou alguns poucos, tanto os cães como a cannabis se ramificou em centenas, talvez milhares de raças, no casa da cannabis, milhares de strains.

Assim como os cães, existe cannabis mais forte, mais selvagem, mais dócil, menor, maior e por aí vai.

Assim como os cães, algumas são mais bonitas, mais robustas, mais nobres, mais conceituadas e superiores em diversos aspectos, mas assim como os cães, determinadas strains, ainda que de extrema qualidade, podem ser mais sensíveis às mudanças ambientais.

Talvez por isso, e com razão em muitos casos, seja realmente importante não estressar as plantas, mas me parece que esse ¨cagaço¨ de não estressar as plantas, tenha extrapolado às recomendações para determinadas cepas,   fazendo com que todas as plantas, digamos, necessitassem dos mesmos cuidados.

Mas porque diabos tô misturando strain com cachorro e tudo mais?

Tudo isso pra dizer que, assim como um cão vira-lata é mais resistente, adoece menos, se recupera mais rapidamente...assim como um cão vira-lata tem mais resistência e, num mundo sem humanos, teria maior chances de sobreviver, assim também são as plantas paraguaias, do ¨maldito e mal falado¨ do ¨excomungado¨ prensado.

Como sabemos, a maconha que chega no Brasil, 90% é paraguaia, o ¨maldito¨ prensado.

Muitas pessoas confundem as bolas achando que a cannabis em si é de má qualidade, ruim, inferior.

Mas sabemos que o problema não é a planta, mas o cuidado com o plantio, colheita, cura, armazenamento etc.

A maconha prensada paraguaia pode ser de qualidade duvidosa, mas a planta, a cannabis em si, essa continua sendo a velha e milenar planta de cannabis meus caros. Ainda que ¨vira-lata¨ ainda que a mais simples, a cannabis antiga com seus 4% de THC, ainda essa tem seu valor, e fez a cabeça da humanidade durante milênios.

Também é interessante atentar para o fato de que a cannabis vem ficando mais potente com o passar dos anos. Dos 5% dos anos 70, chegamos ao ano de 20 e 20 e poucos com cannabis que proporcionam mais de 30% de THC...e isso é sensacional.

Mas a cannabis paraguaia vem evoluindo também, já não é mais aquela cannabis dos anos 70, dos 5% de THC. Pesquisas realizadas pela Polícia Federal, com maconha apreendida do Paraguai, sistematicamente, mostram que o ¨maldito¨ prensado possui entre 7 e 10% de THC...já não é mais ¨pouca merda¨ kkkk

Se apesar dos maus tratos, apesar do descaso, da violência que essas plantas passam nas mãos dos agricultores paraguaios, apesar das condições insalubres em que chegam até nós, ainda chegam com seus 7 a 10% de THC.

Isso me leva a crer que, se tivessem sido cultivadas e cuidadas de forma correta, talvez tivesses 15% de THC, ou mais. Pois obviamente se, depois de tudo, a maconha paraguaia ainda nos chega com 7% de THC, é porque devia o poderia ter mais.

10 a 15% de THC, convenhamos, é bom! Muito bom eu diria, e olha que sou cabeção.

Penso que as sementes geradas por estas plantas herdam o gene da resistência de modo a lidar melh or com condições externas.

Assim sendo, e por experiência própria, são plantas que requerem menos cuidados quanto à água, solo, mudanças abruptas de ambiente e clima, dentre outras características positivas.

Sendo assim, se uma semente de prensado gerar uma planta saudável, mais resistentes, menos suscetível a melindres, e que produza seus 12 a 15% de THC, penso ser bem vantajoso arriscar o cultivo com as ¨malditas¨ paraguaias.

No final das contas é uma grande injustiça com a cannabis.

A cannabis, por mais simples que seja, por mais suave, ainda que a genética mais standart, quando cultivada, cultivada com dignidade, sempre vai render bons frutos.

A cannabis do prensado vai tolerar melhor se caso a luz ascender no período de escuro.

A cannabis do prensado vai suportar bem a mudança de indoor para outdoor...e isso é bom, porque o sol e o ambiente externo colaboram de forma definitiva para mais resina, mais sabor, mais terpenos.

A cannabis do prensado vai suportar passar algumas noites fora do grow, no frio...e não vai se afetar de modo que no próximo clima adequado ela já retorna ao seu processo normal.

A cannabis de prensado vai suportar melhor o frio. Ainda que numa noite a temperatura beire os 0º, ela retornará triunfante com o primeiro raio de sol ou de luz do grow.

A grande diferença está, não na planta e, obviamente que sei a diferença entre 5 e 30% de THC proporcionados por diferentes genéticas, mas independente disso, uma planta bem cuidada seja da genética que for, sempre vai ter qualidade, e dignidade, como a espécie cannabis merece como um todo, independente da genética, raça e seja lá o que for.

Eu me interesso pela planta em si. Não cultivo como um consumista explorador de vegetais...huahuahuahua

Gosto de tratar as plantas com dignidade, inclusive os machos sendo que, não tenho coragem de ¨matá-los¨. Quando o faço, é com dor no peito.

Eu admiro a fibra do cânhamo, o THC, CBD, CBG...eu admiro tudo nessa espécie maravilhosa de planta.

Por isso venho através dessa mistura de assuntos e com essa tese sem respaldo científico e intuitiva dizer aos senhores, que, sim...a cannabis paraguaia, as plantas nascidas de sementes do ¨maldito¨ prensado, tendem a ser mais resistentes do que as strains mais famosas e conceituadas.

Sementes encontradas em maconha prensada, quando se percebe que, apesar dos pesares, o fumo é bom, caso encontre sementes saudáveis, plante sem medo pois se tudo correr b em, nascerá uma bela, saborosa e potente planta.

E se achar sementes num prensado palha, ruim, péssimo, que não chapa?

A semente tá saudável?

Sim!

Então pode plantar com a mesma certeza de que gerará uma linda planta.

Apesar da maconha paraguaia fazer parte do tráfico e do rastro de sangue que ele deixa, apesar dos cuidados inadequados por que ela passa, apesar de tudo, ainda é cannabis e possui todas as propriedades maravilhosas que esta planta nos proporciona.

Sim, plantas de sementes de prensado podem ser tão saborosas e potentes como muitas strains, e com certeza, são mais resistentes, mais fortes e, se bem tratadas, não deixam a desejar diante de nenhuma majestade roxa Holandesa!

Assim como prefiro um cão vira-lata, também prefiro a maconha vira-lata, a maldita, a sem procedência, a marginal.

Ainnnnnnnnnnnn, mas e o tráfico?

Infelizmente por mais de 2 décadas dependi do tráfico para ter minha maconha.

Infelizmente é de maconha de tráfico que vem minhas sementes e muita da erva que consumo.

Felizmente estas sementes do tráfico, são as mesmas que podem nos libertar dele.

Viva a cannabis do Paraguai...viva o prensado!

Infelizmente, como tudo, a erva que tu fuma agrega no teu status. E apesar de entender e concordar com a resistência em participar do tráfico através da compra de maconha, é preciso entender que fumar flor de cannabis ainda é algo elitizado...é playboy, desculpem! Mas é play não pelo ato em si, mas pelo preço, pela dificuldade de encontrar e, mesmo que se resolva cultivar, ainda assim é complicado e escasso.

Então, chega de hipocrisia em condenar quem fuma prensado e é obrigado a participar do tráfico.

Chega de desqualificar a maconha que nem sempre, e pra falar a verdade, em termos de proporção, peguei muito, mas muito mais maconha paraguaia boa do que ruim.

Nos últimos tempos venho cultivando e suprindo parte de minhas necessidades, mas sem cuspir no prato que comi e que certamente ainda comerei.

A cannabis Paraguaia é boa e é mais resistente que outras genéticas. Ainda que isso dependa da própria genética, os maus tratos tendem a gerar plantas mais resistentes e com menos necessidades especiais.

Planta um prensadão e seja feliz.

Plante sementes de prensado junto com strains comerciais...assim como um tutor de um cão de raça que também cria o vira-lata.

ótimo tópico!

vou falar da minha pequena experiência e que vejo com pessoas próximas...na nossa região temos acesso fácil a camarões, a famosa natural. Normalmente gostinho bom, mas fraquinha...nunca se sabe ate q ponto é a genética ou a forma de secar/curar etc. Mas vira e mexe acha uma q da vontade de guardar as seeds. Como já foi dito, é possivel se obter plantas mt boas, como varios breeders fazem o trampo de preservação genética (recomendo ver The Real Seed Co.). Mas isso exige tempo/grana/espaço. Plantar varias, escolher as melhores e preservar.

Diante da imensidão das plantações q imagino e pela ilegalidade, meio q inviabiliza esse cuidado maior. Tanto que varioas flores que chegam a gente, nitidamente hermaram. Te digo, acho que em 10 anos de maconheiragem, nunca peguei uma sensimilla. O que me leva a crer q não conseguem ter um cuidado de separar machos etc.

Na prática, tive plantas vigorosas vinda dessas seeeds, mas quase todas hermaram...vi uma tendencia forte a hermar, foi o q me desencorajou tbm a ficar plantando várias.

Hoje, sempre rola uns "skunks" variados na cidade, plantas diferntes, nem todas potentes mas sempre infinitamente melhors do que as naturais. Peguei uma suposta bubblegum, ja vieram algumas seeds. Eu ja acho melhor apostar nelas, pq certamente veio de alguem que comprou por uma genética. Nao sabemos a cruza, mas em algum momento é uma planta mais estável do q as sativas do polígono. Mas, pretendo levar em todo ciclo ao menos uma sativona dessa, rs

Quem puder da essa moral lá no diário! tenho afegãs, super lemon (todas achadas de fumo), tem Chronic, tem automática e tem sativona nordestina kkkkk tmj

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@tiozera Vou lhe deixar um cadim de minha experiência com prenseeds.

Cultivo pra mim sempre foi em guerrilha, desde que me lembro por inventar de plantar algo. E, lá se foi mais de uma década de brincadeiras entre idas e vindas. Eu, nunca havia comprado seeds até há alguns meses, quando presenteei uma pessoa que desejava iniciar o cultivo. De qualquer forma, vamos lá.

O início foi de preenseeds e os resultados foram satisfatórios, fora pelo drama das seeds que apareceram nos buds. Pelo menos haviam seeds para a próxima safra. No segundo ano teve um parceiro como novidade, o qual continua até hoje na brincadeira, ele definiu que as plantas hermas deveriam ser cortadas sem dó e os machos selecionados, porém, a cruza deveria ser ao natural. As plantas eram espalhadas por um vale em grupos de 3. E lá se foram alguns anos nessa brincadeira. Nunca, digo novamente, NUNCA surgiu uma planta com mais de duas características marcantes, e elas eram raras, pois a maioria apresentava às vezes odor marcante, outras vezes sabor. Isso quando não passavam de plantas apenas fumáveis, sem qualquer graça (Assim como a maioria das sementes de seedbank, não é!?). Em si eram plantas medianas. Certa vez surgiu uma planta fedorenta, horrível, que o odor me fazia enjoar, porém a onda era maneira, entretanto aquele cheiro..

Em um determinado momento precisei me afastar por 2 ciclos da brincadeira e quando retornei o sistema havia sido aprimorado. Dois outros parceiros haviam integrado a equipe, um responsável por ajudar na guerrilha e outro por buscar bons machos(características marcantes). Esses machos deveriam vir de sementes de boas mães de indoor, eram clonados e seguiam o mesmo sistema, eram colocados aleatoriamente junto a outras mudas (porém as fêmeas que nasciam das sementes provenientes do indoor eram cortadas). Lá pelo oitavo ciclo os resultados começaram a aparecer. E assim a brincadeira segue... 

O que mudou nos último ciclos foi a seleção das fêmeas, as quais são clonadas na própria guerrilha e esses clones preservados até a colheita. Contudo, tais clones quando aprovados não retornam para a natureza, seguem para o indoor dos parceiros (caso as fêmeas venham a ser polinizadas, as sementes retornam para a terra). Na última safra, quando juntamos os potheads na degustação cega, selecionadas pelo pessoal dentre a safra, uma cepa foi unânime no destaque e faltou clone. Deu até briga kkkkkk Por incrível que pareça ela apresentou os resultados de um macho adicionado duas safras antes ao sistema. Todavia, em muitos anos, foi a primeira cepa aprovada. Particularmente, hoje, acredito que deveria ter preservado a fedorenta.

É igual cruzar peixe Guppy, sem adicionar algo que preste, raramente sairá um campeão dos peixes de 1 real.

  • Like 4

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Desde os primeiros contatos com ela, uma paixão arrebatadora no coração dos visionarios, artistas e biologos ocorre de maneira quase instantanea.

Portais interiores do auto conhecimento,convite ao vislumbre explicito da natureza das coisas...paginas na internet remetem as dificuldades, desencorajam a comprar sementes importadas e o que temos a mão pra tentarmos a independência! Preeens

Mas nada cobrem os retornos desejados em cultivos indoor, mediante a tamanho esforços financeiros quanto uma genética de gênero estabilizada.

Planejamento incluindo mais de 1 ano estudando fisiologias no Reino vegetal,115 dd de manutenções,4 dígitos atingidos facilmente entre alimentação\solo\estrutura. 

Prenseed é o fruto da nossa triste realidade, distorcida,coagida,reprimida mas deve ser respeitada pela resistência por trás das mais de 5 decadas em que foi lançada ao Lodaçal de desinformações e interesses paralelos.

Provamos seus encantos pelas mãos do famigerado "Trafico" mas a real é:

Prenseed só em Outdoor com margem de tempo sem ponteiros,voltada a instrumento de aprendizado,dito isso,o tempo de se organizar,comprar,montar o indoor adequado é o tempo em que, de maneira simultânea, se joga a prenseed no solo,estuda,faz a seleção de fenótipos ..enfim o laboratório de manejo pra encarar um cultivo de sucesso. 

Independente da vontade,não tem outra;foi de indoor invista em sementes de qualidade,cultivo custa caro pra chuchu e ninguem tem dinheiro pra jogar fora.

 

 

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pessoal cuidado pra não confundir as coisas...na seleção natural os individuos não vão se adaptando e passando informação genetica pra seus descentes...."simplesmente" os individuos com a carga genetica mais favorável são os que vão resistir à seleção e aí sim serão capazes de passar suas informações genicas adiante.

Não acontece de uma cepa ser exposta à condições ambientais e essa cepa "inteligentemente" passa a se adaptar aquilo. É de forma aleatória que mutações acontecerão e PODE SER que essas mutações configurem características vantajosas frente às condições e aí sejam passadas adiante pois esses indivíduos sobrevivem mais.

No caso: pelo fato das grandes roças clandestinas não aplicarem os cuidados adequeados e ideais, naturalmente apenas as plantas com geneticas mais resistentes vão pra frente. Não é pq elas são expostas às condições que elas vão se modificando e tornando-se resistentes.

 

 

Sobre prenseeds específicamente: Na minha breve experiencia (2 ciclos com prenseeds), é notável a resistencia dessas plantas à condições adversas. A minha latitudade aqui é absolutamente desfavorável, e consegui colher 2 prenseeds no outdoor de inverno, sem estufa, média de 14ºC, maximas de 18º-19º e mínimas de 2º-3º durante o dia.

De 15-20 sementes que botei pra germinar até hoje, 4 levei até a floração. Todas elas, sem exceção, passaram em algum momento por excesso de calor, excesso de rega, rootbound, overfert, fome, excesso de umidade(bota excesso nisso), frio, fotoperíodo ABSOLUTAMENTE IRREGULAR durante vega e flora(completementava com LEDs mas seguido esquecia de acender ou apagar a lampada no tempo certo, as vezes não escutava o despertador e botava as plantas no sol com 1h, 2h de atraso..) e NADA disso hermou minhas plantas. Todas floriram por longas 10-12 semanas sem produzir uma misera semente.

Então não sei se sou sortudo ou o que, mas minha experiencia com prenseed me deixa com muita pulga atrás da orelha nessa conceito de "stress = hermafroditismo".

  • Like 1
  • Thanks 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Debate muito bom !

E falando nisso, passo a relatar minha experiência com pren seeds.

Já colhi de pren seeds e não tem nem como comparar com o prensadão que rola nas bicas. É até difícil de acreditar que aquela flor linda vira aquele bloco de sei lá o quê !
Sinceramente, depois de pesquisar bastante há uns anos atrás resolvi das asas a curiosidade e peguei as sementes que fui guardando e lancei na terra. Posso dizer que rolou sim comigo muitas vezes sinsemilla e que o fumo foi de extrema qualidade. Não sei se é pelo método "indígena" que utilizo ou se pela utilização de uma nutrição toda natural mas colho uns buds pequenos e poderosos de chapar sem piedade.

O que tenho observado é que o ambiente é fator determinante para o sexo, raramente tive machos. Pelo que lembro tive apenas um na ultima colheita e sem notícias de outros. Tem até um tread que aborda esse tema com base nos relatos de um dos maiores especialistas no assunto, não lembro o nome agora. Ele mesmo diz que o ambiente é fator determinante e pode sim favorecer a crescimento de fêmeas e isso tenho aplicado ao que venho colhendo com grande sucesso.
Pode até ser que essas sementes (prensado) não tenham genética determinada, e afinal, já vi por aqui estudos que dizem ser muito difícil, por exemplo, uma WW que se vende em sb's manter fidelidade a sua matriz devido a ser uma cepa um tanto antiga. Então, me parece que a ganja é uma planta inteligente e "amorfa" e mesmo sementes sem "pedigree" se adequam às condições que o ambiente provém e isso se manifesta seja nas características, no efeito, no sabor e etc. Sendo assim vc pode pegar sementes não estabilizadas e criar uma variedade através de cruzas que daqui a uns ciclos quando forem plantadas, dependendo do ambiente, podem apresentar características diversas de sua matriz. Quiçá esteja aí oculto um dos motivos de se ter grow, pois o ambiente lá pode ser controlado dando condições idênticas que fazem a manifestação dessas sementes automáticas serem as mesmas ou mais parecidas com as da matriz.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Nahya

Com certeza, as condições adequadas faz toda a diferença.

"RH alto de 50% é ideal e temperaturas mais baixa de 20-24°C pode promover mais fêmeas se estiver crescendo sementes regulares." 

link: https://www.royalqueenseeds.pt/content/143-o-cronograma-de-cultivo-da-cannabis

 

Aproveitando o gancho do hermafroditismo, para mim, há diferença de plantas que hermam logo no começo quando flipa para o 12/12  e as que herma depois de semanas de flora... nos casos de hermas logo quando flipa, creio que já estava na "genética" e , nos casos que herma depois, foi por algum stress..

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Antes de mais nada, QUE TOPICO  SHOW!!!! E um pensamento que tenho sobre nós brasileiro é que, quando legalizarem o cultivo, fabricaremos as melhores seeds do mundo.  Não tenho o minimo de duvida disso.

3 horas atrás, carluxo420 disse:

Sobre prenseeds específicamente: Na minha breve experiencia (2 ciclos com prenseeds), é notável a resistencia dessas plantas à condições adversas. A minha latitudade aqui é absolutamente desfavorável, e consegui colher 2 prenseeds no outdoor de inverno, sem estufa, média de 14ºC, maximas de 18º-19º e mínimas de 2º-3º durante o dia.

De 15-20 sementes que botei pra germinar até hoje, 4 levei até a floração. Todas elas, sem exceção, passaram em algum momento por excesso de calor, excesso de rega, rootbound, overfert, fome, excesso de umidade(bota excesso nisso), frio, fotoperíodo ABSOLUTAMENTE IRREGULAR durante vega e flora(completementava com LEDs mas seguido esquecia de acender ou apagar a lampada no tempo certo, as vezes não escutava o despertador e botava as plantas no sol com 1h, 2h de atraso..) e NADA disso hermou minhas plantas. Todas floriram por longas 10-12 semanas sem produzir uma misera semente.

Então não sei se sou sortudo ou o que, mas minha experiencia com prenseed me deixa com muita pulga atrás da orelha nessa conceito de "stress = hermafroditismo".

então, parceiro! a mesma coisa comigo. minhas seeds de natural daqui da regiao nunca hermaram. Quando eu n fazia clone das seeds "raceadas" eu completava o grow com as seeds viralata, colhi mais de 15 jah. E olhe q sempre ficavam no "pior" lugar do grow e em vasos bem menores que as outras hehehehe Unico estresse q rolava na epoca era o calor pq eu n tinha arcondicionado e a temperatura ficava na casa dos 30 - 32. Tb não vou dizer q tinham A potencia, mas batia a onda legal. Hoje to com 6 seeds vira-lata comecando a floração, só espero q eu n tenha zicado meu cultivo falando isso hehehehehe

Por incrivel  q  pareca tive esse tipo de problema com todas as 5 seeds mobydick da dinafem q eu tinha comprado pelo seedsman. Acho q isso foi lá em 2014-2015. Mas tb soh elas q me deram esse preju. Sinceramente até hj tenho na cabeça que mandaram sementes de herma. 😒

👊

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Saudações ! As discussões aqui são de nível elevado. Essa principalmente é das Boas.

É, pode até ser que algumas sementes venham com essa carga herma mas, como hermafrodita são os dois sexos em um, os fatores de ambiente, em termos gerais, podem definir pra onde pende essa carga.

O que pensam ?



Jah Bless. :pimp:

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...

×
×
  • Criar Novo...