macerai o hemp

Cantinho macerai mais hemp ainda

Recommended Posts

Pois é, só mesmo uma idéia muito louca, digna do Capitão Nemo e seu Nautilus, me fariam abrir o Cantinho novamente... O Cantinho sempre propôs loucuras e agora está mais chapado ainda...e canábico!

Transquaponia, inventando a maconha aquática

Como plantar maconha aquática numa câmara de borbulhamento

Pegue uma rama na metade da floração, corte rente ao caule fazendo um ângulo enviesado, é só cortar rente que isto já acontece naturalmente, corte sob borrifamento de água e mergulhe em seguida na solução recomenda de biofert raiz(ou qualquer outro hormâniop enraizador, tvz até vitamina b(tiamina) 600mg por litro d’água) pelo tempo máximo recomendado pelo fabricante, normalmente alguns minutos.Coloque a rama devidamente preparada, só com os toquinhos, imersa na água aerada com borbulhas, com uma gota de biofert raiz em um litro d’água, emirja os toquinhos na água e o hormônio auxina (AIB) fará com que nasçam raízes embaixo e folhas nos toquinhos acima.Claro que normalmente a energia da planta seria consumida fazendo as raízes e as folhas caírem, e secariam pela transferência de nutris, principalmente nitrogênio, mas com a adubação hormonal e presença de microelementos que catalisarão ao máximo o aproveitamento e síntese de vitais usando os macroelementos elas devem manter-se bem até a formação das folhas submersas, que pode demorar pois não dá pra acelerar devido aos retrocessos que as auxinas podem vir a dar, por serem hormônios diferenciais, pois lidam com as diferenças de concentração entre as partes da planta.Mas com paciência, e se a teoria não estiver errada, ela deve criar folhas aquáticas, que podem até ser ligeiramente diferente das aéreas, podem até ter dificuldade pra florir e gerar hermafrodita (não tem porquê, a polinização na água é boa e o estresse não existe), pode até ter pouco teor de THC (não tem porquê a resina é a prova d’água), mas uma vez conseguida será um bom aviso sobre as condições de vida para a principal, aérea...

A parte que estiver fora d’água com as folhas ainda vivas após o crescimento das folhas e do enraizamento (não necessariamente nesta ordem), pode ser cortada se as folhas subaquáticas já estiverem bem desenvolvidas, submergir esta parte pode também ser uma opção, mas como ela está acostumada ao ar, corre-se o risco dela adoecer e passar alguma doença (somática que seja, quase psíquica até, ou seja desequilíbrio energético entre seus pontos de acupuntura), mas como tentativa é válida, mas não recomendada para a psicologia vegetal.

Ilumine com fluorescente cool white com 48W por 24 horas diretas de iluminação (24/0) contínua. Este processo pode levar mais tempo ou menos tempo que o normal, pois estará ligado a genéticas peculiares de adaptação entre as variedades e espécies.

--

gallery_2664_468_1124856666.jpg

  • Like 6

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Na Hidroponia Orgânica a Bioponia que mais me atrai é a Aquaponia, o aparente paradoxo das massas antagônicas de peixes na água e plantas na terra, pode ser resolvido com a adição de mais um aquário (mais uma teoria maceróica), neste aquário ficariam somente as plantas aquáticas tradicionais (veja a lista) que estivessem no pH desejado, segundo o Irmão 6,8 é o padrão hidropônico na aquaponia.

A melhor por ser mais delicada é a Sinemá (Synnema Triflorum), estes serão os indicadores de boas condições, plantas mais robustas tb são necessárias para manter o equilíbrio em meio às adversidades, como a Higrófila,

Sinemá 6,5-7,0 dH 5-15

Amazônica, 6,0 – 7,0; dH 5-20

Higrófila, 6,0-8,0 dH 10-20

Ludivígia, 6,5-7,5 dH 5-15

Nomáfila, 6,5-7,5 dH 10-15

Sagitária, 6,5-7,5 dH 10

Valisnéria 6,0-7,5 dH 10

Enfim existem muitas plantas possíveis (inclusive a maconha) e a venda pra aquário, mas estas quando tiverem raízes deverão ser plantadas em substrato para aquário,a própria canabis tb pode ser uma planta aquática,então tê-la submersa entre as outras (a partir do clone (muda) enraizando em água com tratamento com biofert raiz, corta-se as ramas e deixa-se só um pedacinho, aí tem tecido meristemático que uma vez posto em solução aquosa com uma gota de biofert raiz por litro e na medida que enraíza vai-se deixando só água para passar imediatamente ao aquário de plantas logo que começar o amarelamento das folhas, que deve demorar em presença das gotas de biofert raiz e deve tb ser rápido no enraizar pelas imersão na solução enraizante pelo tempo de alguns minutos previamente, Daí deve nascer raiz embaixo onde se fez o corte rente a caule da planta mãe, e folhas embaixo d’água COM BORBULHAMENTO onde se deixou só um toquinho na raminha) e esta será a maior sensitiva do biosistema. Os peixes não ficarão no aquário de plantas, no ourtro aquário, o de peixes deverá ter um filtro biológico e a água deverá ser aspirada, com um bomba, do fundo do aquário e passada para a segunda etapa que é o aquário de plantas, só aí, uma vez estabilizado o pH é que VAMOS ADICIONAR um vaso aquapônico da cannabaceae. Nos tanques de plantas haverão três saídas em níveis diferentes, o nível de baixo tem uma válvula antes do filtro, na saída acima não precisa de válvula pois já tem a saída de baixo, facilitando a troca do filtro que existirá nas duas, e mais acima uma saída de vazão maior que será a emergência pra se os dois filtros das saídas inferiores entupirem o tanque não trasborde. Assim apenas uma bomba com um filtro de carvão ativado é suficiente pra mandar água até o segundo e do segundo para o terceiro tb vai por gravidade e assim mesmo retorna ao aquário propriamente dito. Para se fechar o circuito ecológico pode-se pensar em ter peixes vegetarianos que comeriam as plantas aquáticas caso faltasse nutris para a maconha.

É claro que estando no topo da cadeia alimentar você poderia eventualmente comer os peixes tentando equilibrar a ecologia da trípice fronteira aquapônica:aquário-plantas aquáticas-planta sagrada terráquea.

Espero ter me aprofundado como um Nautilus no mundo submarino... :)

amsai!

--

gallery_2664_468_1124857507.jpg

gallery_2664_468_1124857625.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

É muito importante vermos que a direção que favoreça a sobrevivência deve ser a que a maioria da informação genética tenha tomado. Assim, por exemplo, no clone da floração se a planta tiver condições de florescer, ela tenderá a florescer, assim quando se enraíza só com água borbulhante (e enraizador aplicado antes, e bemmmm diluído depois na solução borbulhante, uma gota por litro no máximo) ela enraíza melhor pois faltam nutris, se clonada no período de floração e com nutris na solução ela tenderá a completar o ciclo de florescimento, mas a iluminação de fluorescentes e o fotoperíodo de 24/0 farão com que este processo seja invertido, assim folhas e raízes devem surgir para manter a espécie.

É O PODER DO MICRO EM ESCALA MACRO, CONSPIRANDO PELA PER PÉ TUA AÇÃO DAS ESPÉCIES (Ruderalis, Sativa e Indica).

PsyCooltura

Tudo começou com esta idéia de aquaponia, comecei plantando maconha usando a água do aquário como solução nutriente aeroaquaponica, aquele velho ciclo do nitrogênio...de amônia pra nitritos de nitritos pra nitratos de nitratos pra extratos vegê & tais, outros tratos e otras cositas+, sempre ou trás cosi taz+, se liga nos óligos elementos...bora, falar de boro?Isto aqui no rio que passa ao lado de casa não falta, tem bem mais que os 16 microelementos que o sistemão insiste em fechar a questão, vão dizer que prata, vanádio, um átomo de ouro, não fazem diferença na catálise suprema? Quer dizer que a ex-tório da areia mona zi ti ca naum afeta o sei lá canto?

Então...os peixinhos cresceram bem mais que o esperado, alguns como os cascudos atingiram 80 cm, outros como o poraquê, que era usado pra carregar as baterias do PC, atingiam mais de metro e meio. Então o pequeno aquário virou um tanque, que virou um açude e a plantação acompanhou o desenvolvimento, uma verdadeira psicooltura, mas a intervenção humana potencializando a reprodução dos que naturalmente crescem 7 cm ao dia pode causar hiperpolução (noturna, sem querer Ser Mao tu zi ano), e assim faltou alimento pros peixes, herbívoros é claro, então erva e herbívoro tem tudo a haver...passaram a comer cannabis no café da manhã, e eu acompanhava-los no início, cannabis no almoço e cannabis no jantar, a mim cansou e passei a intercalar umas porções de peixe entre as refeições, e não é que batia? Os peixes estavam dando onda, bom, onda e peixe têm tudo a ver, acho que o fato da imPregNação D MaKonia (nos peixes) aumentava meu apetite, e uma reação em cadeia (cadeia?) se amplificava e a larica fazia eu comer mais peixes e comer mais peixes dava larica...é claro que eu precisava de fibra e só tinha maconha aeroaquaponica, então eu comia a planta salgada (sagrada tb), comia mais os talos e as folhas pra ver se segurava um pouco a onda, alguns (peixes) achavam que eu estava ficando loko...em síntese, parei de fumar maconha, no máximo torro um, frito um, carbonizo um (peixe), toda hora! Aí vai uma dica pra quem quer parar de fumar maconha, mas quer manter-se criativo, faça criação, psicooltura! Valeu, Peixe?

--

gallery_2664_468_1124857083.jpg

  • Like 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

ae maceroso

vo usa seu cantinho aki pra colocar um poema de minha autoria

ele se chama Ode à Larica:

"Fumo,

Fume,

Fome,

Larica"

obrigado

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Weed Smoker escreveu

ae maceroso

vo usa seu cantinho aki pra colocar um poema de minha autoria

ele se chama Ode à Larica:

"Fumo,

Fume,

Fome,

Larica"

obrigado

Hahahahahaha esse poema é o melhor! uhahauhauhuhauhauha

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Macerai,meu irmão,parabbens pelo artigo cara!!!Que ideia,que percepção,que apresentação,que viajem!Genial,bonito...cacete,tu és um genio!!!!!

...pena que já faz tempo.Queria conhecer outras 'obras' suas!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Grande Boca Seca

Faço das suas palavras, as minhas. Macerai é pedra 90...

Vai vendo.

Abraços.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O contra ataque chinês, assim ficou conhecida a variante temporal em que não acontecem as cinco guerras mundiais do período proibicionista da humanidade, lembrando que a terceira é a Guerra Contra Os Usuários De Drogas Étnicas, a quarta dos EUA (e alguns puxa-sacos) contra os Árabes, e a quinta “A Destruidora”.

Como o Proibicionismo de Estado Multinacional começou com a guerra do ópio, nesta variante temporal a resposta da China é outra, a China contra-ataca, usa a mesma estratégia, e inunda o mercado inglês com whisky 1000 vezes mais barato, as duas populações estavam se acabando, uma pelo ópio e outra pelo álcool, duas drogas pesadas, duas armas de guerra, e de extermínio em massa, o único jeito foi negociar a paz, não sem antes a China tentar proibir o ópio e a Inglaterra (e os EUA) tentarem proibir o álcool, mas o narcotráfico intenso trazia a guerra para dentro de casa, depois de gastarem muito dinheiro, corromperem seus governos (numa época de guerra), e prenderem muita gente inocente (dos seus), desistiram e partiram para a diplomacia, e deu-se o Primeiro Encontro Para A Paz Mundial, que depois passou a ser anual, girando todo o globo, e se chamou Encontro dos Povos Para A Paz Mundial.

Muitos povos acompanharam e participaram do acordo de paz, os índios norte-americanos levaram o cachimbo da paz, e todos os dirigentes mundiais fumaram o cachimbo da paz, com uma mistura de ervas (inclusive a nossa erva da paz), num gesto de respeito e admiração pelas tradições ancestrais do patrimônio humano, fumaram o cachimbo da paz para tratar do respeito mútuo, com respeito mútuo, a arma mais eficaz contra a guerra, e pela paz mundial. Respeito!

Macerai o hemp, em respeito às vítimas do dia de hoje, 7/7/2005.

--

NT

A Destruidora:

O exercito de paz do G-10 capturou e reformatou o cérebro de várias populações, os rebeldes que ainda não haviam sido capturados contra-atacaram com vírus e bactérias... o resto vcs já sabem.

--

gallery_2664_468_1124855326.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Liberada a maconha medicinal no Brasil!

lodger4.gif

Lula se preparando para a liberação da maconha medicinal, o futum tava forte e a equipe teve que usar máscaras anti-marofa:

20050722-lula.jpg

As campanhas dúbias continuam ao mesmo tempo em que o PTT (Partido Traidor dos Trabalhadores, criado para se confundir com o PTT, Partido dos Trabalhadores Traidores)

lodger.gif

nega que desapoie a ilegalização, “somos iMensalmente a favor dos doentes e suas doenças”, quem vai distribuir o medicamento será o Sistema Único de Saúde Todo Oneroso, SUSTO, mas vai depender do CUSTO, Cambada Unilateralista Sacaneando Todos os Oprimidos; seu principal órgão excretor, a ÔNUS, já divulgou que quem fingir que está doente para usar o medicamento vai ser eletrocutado em praça pública, sob o lema da “new war drogs” (que continua a mesma coisa, pauno cudos fudi dos), “ quer queimar, queima, maconheiro!”, para ajudar na criação de Fundo Internacional de Recuperação de Viciados Drogados serão cobrados ingressos para assistir as execuções, o DPUTADO InJeton Nodos Otros dá um refresco e diz que parentes não pagam, mas a polêmica continua, paga ou não paga?

O Orkut, criado pelo famoso turco Orkut Buyukkokten Mollottov, também vai ajudar na distribuição do Madcamento®, criado para competir com o Sativex®, da Bayer (Se é Bayer é “du bom”), é mais potente e eficiente, pois contêm Cabrobrina®. A MonSanto também está de olho no mercado e pretende lançar a sua maconha transgênica, Cannadura®, resistente ao mofo, fumigações do Tio Sam Paku, mentiras da mídia e bala perdida.

Enquanto isto o EUA tenta impugnar a sua Constituição, pois foi feita em papel de maconha, para um país em que seus sete primeiros presidentes foram maconheiros não é de se estranhar que a Constituição esteja bem constituída até hoje em papel de maconha.

O ministério da saúde lançou um aviso obrigatório: “Usar maconha pode causar ereção.”

E agora, vai cantar pra subir ou vai cantar pra descer?

:<img src=:'> :P

gallery_2664_468_1124854723.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Policial disfarçado investiga sites de plantio caseiro

Traguei, mas não fumei”. O caso Darcivil

Eh, já estou a seis meses lendo estes sites de apologia a maconha, nos 10 nicks anteriores que me cadastrei enviei pedidos de compra por private para vários usuários, mas logo me caguetavam pra moderação e eu era banido, isto gerou um discursado acirrado, quase fecharam o site, e eu tive que me enquadrar pra continuar com a investigação, fiz o nick Darcyvil, lancei uma assinatura sinistra, “O sucesso do meu insucesso é o insucesso do seu segredo”, e coloquei um avatar do Bush fumando um, mas ninguém me deu confiança, aí o único jeito foi encomendar as sementes, pedi pro Marc Emery, aquele que é a maior bandeira, vêm vários documentos, jornais e panfletos sobre militância canábica junto com as sementes, e já que foram endereçadas pra o departamento, serviriam de provas futuras; como o dinheiro não era meu, pedi um growbox montado e funcional, uns 6 mil dólares (acho que superfaturaram, outra vez), pedi Skunk #1 feminilizada, fica mais fácil na investigação usar uma palavra conhecida pelo público, que já ouviu falar de “maconha modificada”, “maconha de laboratório”, as “seeds” chegaram em uma semana, li aquele monte de propaganda canábica, fazia sentido, mas eu tenho uma profissão, um dever a cumprir, quanto ao uso medicinal, não sou contra, mas associar mais uma droga lícita ao mercado pode aumentar os riscos para a saúde pública, pensava eu, logo que entrei pro site, afinal não vou conseguir colher mesmo...

Germinei em papel toalha, logo que saiu a radícula plantei de cabeça pra baixo, mas a sapeca deu a volta por cima, algo me dizia que não ia ser fácil... A growbox ficava em um apartado, um escritório pequeno, uma salinha, um ar condicionado ajudava muito, um verão intenso na floração, usei fibra de coco pura e muitos Watts, 1200W, cool tube, UVB e CO2, achando que com tamanha complexidade seria bem mais difícil o plantio da danada, e precisaria pedir muitas dicas, assim incriminando por “apologia às drogas” vários users, principalmente os moderadores e administradores, os cabeças eram os visados, aqueles que mais orientavam, mas o trunfo seria pegar um plantador prestigiado, de preferência com mais de cinco pés da disseminada, a idéia era pegarmos alguns para desestimular a proliferação assustadora que estava havendo de sites de cultivo de maconha no mundo todo, a verba vinha dos EUA, e dos contribuintes internos também.

Na fibra de coco Classe A e usando peters 30-10-10 a planta não dava problema, aí comecei a sabotar, usei doses cada vez mais concentradas, eu postava as fotos e a Power Plant estava bombando, todos elogiavam e eu sentia que ia acabar perdendo meu emprego, no início deixei faltar água, a safada melhorou, ficou maior e com as folhinhas levantadas, aí joguei muita água para dar o famoso overwater, mas a exibida só melhorava e crescia 8 cm ao dia, todos aqui no departamento riam de mim, meus tópicos não tinham ajuda nenhuma, só elogios, se alguém estava fazendo apologia era eu; zoando, os colegas de trabalho já me chamavam de “usuário do mês”, “grande grower”, mas só podia ser “sorte de principiante”, eu fazia de tudo para matar a Santinha, é que o chefe só autorizou a criação de um único pé, mas depois teria quer ser queimado, incinerado, vai vendo...

Até aranhas vermelhas eu joguei na growbox, nada acontecia, as aranhas não sobreviveram, soltei um gafanhoto na box, que morreu preso na ventoinha; amassava, torcia e até meio que quebrava os caules, em resposta a impetuosa engrossava os caules, esta foi a pior fase, eu espancava a bendita semanalmente e os users incentivavam, “é isto, torce gostoso!” “é isto aí, punk, pode castigar a macaca”, “ripa na chulipa, ela gosta e se arrebita”, “ou vai, ou racha!”, eu não entendia nada, parecia que fumavam maconha e ficavam assim, violentos, :rolleyes: incentivar a agressão vegetal, isto é crime, com certeza. Não desisti e fiz adubação foliar em plena floração, para a planta dar mofo, que nada, a insinuante cresceu além da conta; jah tinha feito uma poda bem precoce, antes do terceiro nó despontar, acho que errei e nasceram 6 ramos novos aonde podei; li que o arame pode ser prejudicial, que SCROG é problemático por causa disto, e fiz um SCROG com arame, enorme, um metro quadrado, a insolente tomou conta de tudo; enquanto eu tentava, desesperadamente, torná-la doente, a fogosa crescia, depois de um mês de floração comecei a jogar sujo, regava a marota cinco vezes ao dia, tinha que dar um overwater, mas a impetuosa só crescia, e todos elogiando o grande grower que eu era, e eu vendo meu emprego “ir por água abaixo”, no desespero total nas últimas duas semanas reduzi a fertiirrigação a zero, fiz faltar nutrientes diversos, as folhas da deslumbrante começaram a amarelar, e finalmente fiz um tópico pedindo ajuda, mas novamente só elogios, “isto mesmo, amarelando no final por falta de nutris é bom!”, “eaê, Darcivil! Parabéns, tem meu voto pra usuário do mês!”.

Finalmente acabou aquele tormento, germinação, vegetação, floração e demissão (?), e só de raiva deixei a confiada dois dias no escuro, na esperança que desse um mofinho, realmente a cavala ficou mais branquinha, mas não por fungos, não é que parece que a assanhada resinou mais ainda, nem comentei nada... A candente havia vencido.

Desespero de causa total, colhi 1750 gramas secos em um único pé, elogios e ovações, eleito usuário do ano, vários sites publicaram a saga do novo recorde, cotado para ser eleito usuário do século; eu estava arrasado e tinha que resgatar o meu emprego, desmerecer de qualquer jeito aquele feito, num último ato de desespero fiz com que a erva secasse demais, pelo menos um erro eu teria, coloquei a erva em quatro bandejas de alumínio e coloquei-as sobre uns forninhos de esquentar pizza que temos (por isto dizem que tudo acaba em pizza), ajustei o termostato e devido ser um verão cruel as deixei na sala de máquinas do ar condicionado, foi meu último erro, de verdade, o THC evaporou e sem muito cheiro entrou pelos dutos do ar condicionado central, foi distribuído por todo departamento, todos chapados em pleno expediente, uma loucura, muitos risos e situações hilárias, uns comendo que nem loucos, outros cantando, outros saudosos telefonando para a família, e uns loucos que sabiam que estavam na onda e não entendiam de onde veio o barato, mas desconfiaram, “Darcy, foi você?”, “O que você fez Darcivil?”

Depois da audiência, sem provas e sem ninguém pra acusar, a não ser eventualmente eu, é claro; mas em frente ao Juiz, que forneceu a autorização judicial para o plantio da erva canábica, ele me perguntou, desconfiado: “Já tragou maconha?” ‘Sim, Ilustríssimo Meritíssimo, traguei, mas não fumei, estava na atmosfera...”. O Juiz, descrente do meu relato:

“Tragou, mas não fumou, essa é boa, quanta coisa que eu tenho que escutar...”.

Foram cinco meses terríveis, três de plantio e um em “audiências”, outro de férias “forçadas”, bom, pelo menos não perdi o meu emprego, tive mais uma chance, mas agora vou pedir seeds de lowryder, li no Overgrow vários temas falando bem mal do strain, desta vez vou conseguir...

Mas, sabe que estou gostando do pessoal daqui, são metidos a heróis, como eu era quando entrei na Força, é uma pena que desta vez terei sucesso no insucesso...

Macerai o hemp poeta viagem - 2005-julho-26

Pelo fim das perseguições aos usuários e pela liberdade de expressão

gallery_2664_468_1124854986.jpg

  • Like 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Um caso de saúde, público, qual será o veredicto do caso “Nicolau Weizer Souza e Silva”?

Nicolau, um senhor de setenta anos, fotógrafo, aposentado, fumou maconha por 50 anos, sempre plantou, logo bem no início com lâmpadas fotoflood, aquelas incandescentes de 3200ºK :<img src=:'> e maior fluxo luminoso em detrimento de menor vida útil, logo depois passou para as fluorescentes, e finalmente as HIDs :!: ; fumava de um a cinco ao dia, e nunca faltou, mesmo assim sempre guardava as pontas; os negativos e diapositivos eram guardados em recipientes lacrados com sílica indicadora, e estava sempre azulzinha, havia mesmo um cofre para os negativos mais preciosos, de tribos indígenas extintas, animais e vegetais extintos, closes e macros de tricomas âmbares, microfotografia de tecido epitelial da cannabaceae preferida... \l/ E as gimbas, as pontas, as baganas, tinham o mesmo tratamento, em sua casa havia vários potes com pontinhas, vai vendo...

B)

Depois de uma vida saudável, um belo dia a faxineira, uma senhora que trabalha para sua família há mais de trinta anos, chega a sua casa e vê Nicolau caído de lado, desmaiado na poltrona, em desespero, telefona para o hospital em que trabalha um médico conhecido, que é o marido de sua filha. A ambulância chega rápido, eles procuram os documentos de Nick e a faxineira diz que ele guarda num cofre, no quarto escuro (não era realmente um quarto escuro, era um quarto 12 horas escuro e doze horas claro, bem claro), “coisa de fotógrafo, ele não gosta que entrem lá...”, mas como precisavam dos documentos testaram a porta, que estava destrancada, o quarto estava escuro, ligaram a lâmpada e uma luz de emergência âmbar iluminou fracamente o recinto, a carteira estava em cima da mesa, e havia uma planta grande, que exalava um cheiro característico, ao fixar o olhar na planta a enfermeira foi surpreendida por uma luz ofuscante que de repente iluminou o “dark room” totalmente, plenamente, 600W HPS Agro, iluminando a Erva de Santa Maria. Em uma estante ao lado havia um estranho mosaico, 50000 baganas distribuídas em 50 potes, do tipo usado em acondicionamento de azeitonas ou maionese, potes de vidro, no início pensavam que fossem insetos, mas quando no hospital disseram que ele estava morrendo intoxicado por maconha e que tinha um pé na casa dele, a polícia foi averiguar e descobriram o “cemitério” de Nicolau, que futum quando abriam os vidros! Façamos as contas, cada bagana com 0,3 gramas, 1000 baganas por pote, 300 gramas por pote, 50 potes são no total uns 15 quilos, só de bagana, :rolleyes: é muita maconha, somadas com a planta no meio da floração, é o suficiente para enquadrar Nicolau por tráfico de drogas, crime inafiançável, hediondo, aos olhos da lei muito pior do que assaltar ônibus ou ser político corrupto roubando milhões... :rolleyes::rolleyes::rolleyes:

No hospital Nicolau voltou a si e conversou com o médico, amigo da família, por extensão, e disse que nunca gostou de comprar maconha, “incentiva o tráfico e queima a garganta”, disse sem muitos rodeios: “Eu planto, mas pra nunca faltar guardo o que sobra no cemitério, coisa de gente velha ficar guardando tralhas, saudosismo, estou ficando velho mesmo, desta vez atrasou a colheita e fumei um feito de baganas das antigas, baganas do Da Lata, 1981, baganas que ainda tinham o baton da minha amada, que Deus a tenha, talvez isto tenha sido muito pra cabeça, mas acho o THC que degradou muito, foi o meu primeiro teto preto na vida, ficou tudo escuro e desmaiei...”. Ficou ali, só repousando, horas depois, durante a alta, o médico teve que informar a Nicolau que a polícia havia se dirigido a casa dele, o telefone tocou, o médico disse que era o delegado, falaram com Nicolau, dois policiais já estavam à porta da enfermaria, aí que Nicolau infirmaria, teve o seu primeiro infarto, sorte que já estava no hospital, mas seu caso está na Justiça Cível (perecível), qual será o futuro da saúde de Nicolau?

macerai o hemp 27july2005

Pela libertação imediata dos prisioneiros canábicos!

--

gallery_2664_468_1124855589.jpg

  • Like 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Apressando a floração (e ajudando a camada de ozônio, é esta mesmo!)

Técnicas Avassalas

Um ensaio quase surreal

Conjecturas, subestruturas, salve a criatura!

“Todos sabemos que o que mais do mais além do mais é mais, tudo pelo máximo!”

Macerayorrendo XXII

Floração de quatrilhos

Todos sabemos que para apressar a floração reduz-se as horas de luz, de 12 para 11 ou 10 horas, reduzindo em até 50% do THC, e uns poucos loucos, coelhos da Alice, de tão apressados, travam até 8 horas de trevas, mas neste caso com perdas em demasia, e abaixo disto com risco de vida para a planta, planticídio doloso, e culposo: “o réu está condenado a fumar paia de vaca por três meses”.. Mesmo assim o doce sonho resinado em pouco tempo não se esvai, e a natureza também tem suas formas de alterar ou induzir a floração, uma das maneiras é florir quando ELE chegar (Evento que Leva à Extinção, ELE), um estresse terrível, um risco de vida, uns dos mais corriqueiros é a quebra do caule, um meteoro enorme de gelo vem e quebra os caules das plantas, inclusive muitos botânicos imitam a natureza e quando querem verificar qual espécie é aquela no meio do mato, quebram um galhão e deixam-no pendurado (não quebra de todo o pau, meia-bomba), uma ou duas semanas depois já sabem que planta é esta, a flor não mente jamais; imaginem na Austrália encontrando algo mais exótico do que a Dizzy, Dízzymo/nster/stein, seria uma alternativa, além do que isto independe da planta ser de dias longos, curtos, por invernação, por seca, por alagamento, por incêndio, por tempo de vida, por muito tempo em frente da TV, ou por outra arte&manhã que a natureza tenha nos aprontado... Isto não quer dizer que vamos sair por aí quebrando galhos de alhos e bugalhos... D+ A+ as flores tenderão a serem machos (machas?), pois a natureza prefere os machos para dá-los à morte (ái, esta chegou a doer na flor estaminada esquerda, entre as pernas e penas).

Cito: quininas.

Hormônios é tipicamente o pensamento mais supermoderno e antigo, mas a via sintética (pior do que a Via Ápia) é cheia de revertérios e impropérios, vejamos os nenês bombados de danininho e maquedanos que viram geléias quando caem de seus berços; não dá pra ficar injetando bomba e esperar colher alguma coisa boa quando entrar setembro... (?666 – GWb? – não criem monstros, parem de dar hormônios para seus presidentes, imediatamente!). Está bem, então podemos colocar um pouco, um pouco, de giberelinas para apressar a germinação, um pouco² de AIA e transformar as monóicas em fêmeas, imitando alguns que querem mudar o sexo dos travecas, incluindo as próprias travecas, depois e conjuntamente (eis o mistério da fé) a aplicação de umas citocininas, no final teremos um clone do bebe jonson, ou seria my cool jackson? Uma linha mais natureba prefere fazer tudo isto pela via natural (é boa, mas o cheio também é ao natural), encher de frutas o growbox para aumentar a taxa de etileno, regar com água de coco, suco de tiririca da serra, até urina e mel são utilizados, todos têm suas desculpas para não usar desodorante nem raspar embaixo das auxinas... Depois continuamos como o Frankstein.

Quem tem medo do lobo mal, no escuro? Sustagem

Alguns coelhitos colocamLogo no início suas plantas 36 horas na escuridão total por exatamente 36 horas (opâ!) e outros por dois dias, mas deixando apenas 36 horas (opà!), isto faz com que os Pré-Camarões nenês apareçam logo, é a Técnica Do Pânico, é a mesma coisa que todo dia você saia com um bebê para tomar sol, aí um belo dia (belo?) você pega o nanonenê e põe ele dois dias no escuro, PÂNICO! Isto mesmo, a criança começa a Monstrar pré-flores, na próxima mamadeira você vai sentir que a vitamina de abacate amanheceu tomate, e a noite será mamão. Nesta mesma trilha, que nos leva ao chá da Alice com a ceifadora para comemorar seu desaniversário, mais duas vezes veremos a nenê no quarto escuro (pois a humanidade é DeusuMAMA), uma vez, a segunda, entre três ou duas semanas antes do fim da flora ação, é a técnica de inchar a paciência cannabaceae, e depois, a terceira vez, uns outros tantos que nem contam, colocam mais dois dias no darkroom quando a planta acha que por estarem ficando âmbar além da conta seus tricomas (Tricomam-me ou Tribebam-me, Tribetham-me) o cabeçudo (é assim que a cannabis chama o Homem, já ouviu? “Cabeçudo, perta otro!”) passaria a faca, numa versão psicotrópica de “Jack o desfibrador”, mas o sadogrower dá mais um sustinho, 24 horas na escuridão antes que a guilhotina desatina.

“Se nos passa dêsapercebido é porque está na cara”

Mr. Magôo (apercebendo-se ao deparar-se com os seus óculos, finalmente!).

Mas a técnica infalível para colher antes é milenar, a mais difundida e com mais alto grau de satisfação... A técnica que se mostrou mais eficaz, sem efeitos nem defeitos colaterais, sem aumento nos custos e sem aumento na trabalheira doca sete que é tratar da manhoca (manhosa vem de maconha, mais um anagrama, aliás, anagrama é um anagrama de anagrama), enfim, a técnica perfeita pra colher antes, a única imbatível, é plantar antes!

É esta mesmo!

:<img src=:'>

Abraços!

macerai o hemp poeta Via Gen

-

gallery_2664_468_1124856445.jpg

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Conta a história do povo Sativo que um dia um arqueiro, após comer muita flor de cannabis, chorou ao abater a presa, uma fêmea grávida, sua seta não foi muito certeira e feriu a ex-futura mãe na barriga, mirou no pescoço, mas as ordens eram pra mirar na barriga... “Homem não chora”, e como a fibra já estava incorporada na tribo, proibiu-se comer flor de maconha, não era bom para a pontaria e ninguém queria ouvir choros de caçadores, a proibição era apenas para os guerreiros, as mulheres, principalmente as mães, ou as irritadiças, ou as com cólicas podiam comer a Erva Mãe; aos machos somente as sementes eram toleradas, até porque em certas épocas de seca e frio só sobravam as sementes da erva para comer, a caça era escassa nas planícies, os Sativos estavam dependentes da economia canábica, da ajuda da cannabis, mas foram os primeiros a proibir o uso da Erva Mãe, usavam-na para construir suas cabanas, suas lanças, suas flechas e seus arcos, suas roupas; para desincentivar o uso psicotrópico as plantas fêmeas mais cheirosas e resinadas começaram a serem arrancadas, mas este inverno parecia que não ia passar, e qualquer planta tão resistente seria de extrema valia, um grupo de jovens dissidentes começou a plantar as resinosas e cheirosas em outros lugares, escondidas. Plantavam longe quando saiam em caçadas, voltavam na época da florada, lavavam a erva mãe dentro de suas roupas de Kan’apa (“apa” vem de levantar, “o poder da erva que levanta”), o que sobrava era um bolo de tricomas, levavam este material, o Hush, consigo e o usavam por longos períodos, compunham e tocavam músicas, com instrumentos feitos de Kan. Após usarem o Hush energético tinham mais disposição para irem mais longe, como o grupo de adolescentes era de batedores avançados, isto era incentivado, os jovens sempre iam mais longe e voltavam com informações sobre as possibilidades de novas terras e oportunidades de colheitas, e memorizavam onde estavam todas as árvores frutíferas da extensa região, e sabiam a época de sua frutificação.

Alguns destes subiram a montanha e encontraram os Índikush.

Os Índikush viviam na montanha, Kush, (indikush = indivíduos que moram no Kush) tomavam conta de rebanhos nas alturas, viviam em cavernas, o pasto era de Kan’bis, o leite tinha o espírito canábico, a fogueira que se acendia toda noite tinha Kan’bis, Kan significa o espírito da erva, o poder da erva mãe; e bis é porque tem dois sexos, rotineiramente, Kanabis, ou só Kan. Também Kan estava no emplasto que passavam na pele para protegerem-se do frio e dos raios ultravioletas, sempre presentes em grandes altitudes; tinha Kan na sua filosofia de vida, de comungar os bons momentos, assistir à fogueira dos sonhos juntos, terem paciência e calma, valorizar a afetividade e a criatividade, a espiritualidade. Os “Índicos”, como ficaram conhecidos pelo povo da planície, por usa vez passaram a chamar de “Shantivos” ao povo da planície, Shanti significa Paz, “Shantivos = o povo da paz”, com a chegada da juventude canábica sativa, com seus instrumentos musicais e novas tecnologias, víamos o arco e flecha encontrando-se com a zarabatana, os peçonhentos que habitavam as cavernas eram suas fontes de veneno para as setas das zarabatanas, a lança era usada pelos dois grupos, mas a lança dos Índikush era mais grossa, curta e pesada, quase um cajado, seria a melhor descrição, mas pontudo.

As músicas que se encontraram nas alturas também diferiam muito, entre as Canções Sativas predominavam os instrumentos de percussão e cordas, na Música Índica predominavam os instrumentos de sopro, espalhavam os instrumentos pela montanha e apreciavam acompanhar o canto do vento ao soprar nas flautas expostas e espalhadas, serviam de referência ao rebanho, e tornavam a Música dos Índicos mais mântrica, experimental, etérea e espiritual, ao passo que a Música Sativa era de dançar em volta da fogueira, tocando tambores e berimbaus, exibindo suas habilidades numa dança que era um luta, as pernas eram mais exploradas com uma ginga constante, as pernadas saíam por todos os lados; mas nos rituais de iniciação das meninas, quando uma menina torna-se mulher perante a tribo, durante este inicial espalhafato masculino era servida a Kanjah, a bebida canábica, e logo que o efeito começava e as meninas entravam em fila e rodando, na “roda de luta das pernas”, a dança modificava e os homens passavam a dar umbigadas uns nos outros, as meninas, rindo, passavam a escolher em quem queriam dar umbigadas noite adentro... Casamento Shantivo, Casamento da Paz, diziam os Índicos, pois não tinha disputa entre os machos; no Casamento Índico, nem sempre era sem disputa; viver nas cavernas desenvolveu um outro estilo de luta, lutavam se agarrando, produzindo torções e imobilizações, tanto homens quanto mulheres eram treinados; na cerimônia de iniciação adolescente, e casamento em massa, depois de queimar muito mais Kan para aquecer mais a caverna e elevar a todos os espíritos, era passado de mão em mão um cachimbo em forma de pênis e com um furo, esculpido na pedra, simbolizava a fertilidade, pois tinha os dois elementos, o falo e a porta-mãe, o côncavo e o convexo, o Yin e o Yang. Depois disto as canções ficavam mais melosas e a menina escolhia o homem com quem queria duelar, mas o homem deveria subjugar a mulher, vencê-la, e assim ficavam “imobilizados” a noite toda; mas sabemos que muitas vezes ela permitia ser vencida, mas depois, durante o casamento veríamos quem mandava em quem... Às vezes a menina escolhia dois homens, então antes teriam que lutar entre si, quem imobilizasse ao outro ganhava o direito de duelar com a fêmea indecisa, vez ou outra esta fêmea ganhava, era uma questão de técnica, não só de força, neste caso a indecisa poderia escolher os dois ou com qual dos dois ficaria, ao seu bel prazer.

As duas plantas diferiam-se fundamentalmente pela altura, as da planície eram mais altas e de folhas mais finas, enquanto as da montanha eram bem mais baixas e de folhas bem largas, as duas culturas também diferiam, os da planície eram nômades, caçadores-coletores; e o povo da montanha era sedentário, agricultores, “Gorilas-Growers” como foram chamados, pois se vestiam de peles de animais e viviam em cavernas.

Shiva, um jovem atraente e inteligente, tocava um tamborete de duas cavidades, a tabla; e Indira, a moça mais espevitada entre os Índicos, tocava uma flauta curta e animada, contrastando com o minimalismo típico dos Sons Índicos, chapantes, esta energia incendiava o coração dos dois, amantes telepáticos, tocavam juntos a noite inteira em torno da fogueira, queimando Kan’apa.

Na primeira vez em que fizeram amor Shiva tinha acabado e colocar na boca o Hush, uma mistura de tricomas canábicos aglutinados, extraídos no rio, com mel e cera de abelha, usavam como mantimento nas longas caminhadas, e o cheiro adocicado atraiu os lábios carnudos de Indira, colaram-se os lábios e trocaram entre si o doce Hash, longamente, foi maravilhoso, junto com eles a humanidade descobrira o beijo na boca, a moda pegou...

Indira escolheu Shiva desde a primeira vez em que o viu, e ela a ela, mas a lei dizia que para uma menina da tribo casar com um homem, de outra tribo, o conselho de anciões tinha que escolher o melhor lutador da tribo para duelar com o visitante. Brahma era realmente bruto, com seu jeitão parado ele parecia o próprio Kush, impávido colosso, este era o adversário que Shiva enfrentaria, dentro da caverna sem poder arremessar suas pernadas, e se sentindo muito constrangido em bater pra machucar em um membro honorável da tribo acolhedora, ensaiou uma meia lua rasteira, mas o brutamontes pulou sobre ele, agarrando-o e facilmente imobilizando-o; agora pela lei Brahma poderia desposar Indira, se quisesse, é claro que ele queria, era apaixonado a muito tempo pela menina que viu crescer e que sempre sabia onde tinha uma árvore florindo, ou uma trufa enterrada, ou um veio de água, sua voz era doce e suave, em seu Kan’to inventava músicas e soprava divinamente a menor flauta que viu, quando passa óleo de Kanabis sobre sua pele seu cheiro se mistura com a Erva Mãe, e ele percebia na penumbra da caverna, sob o “fogo de Kan” seus olhos fitando o macho admirável em exposição permanente, é claro que ele queria se casar com ela, mas também queria se casar com todas, mas em especial Indira. Diz a lei que quando dois homens lutam por uma mulher é dado o direito à mulher de desafiar o vencedor, Indira desafiou Brahma, muito mais rápida do que ele imobilizou-o pela torção no dedo mindinho, enlaçando aquelas pernas deliciosas por detrás de seu torso, a mão que se elevou para pegá-la foi a mesma usada para imobilizá-lo, é claro que em um luta de vida ou morte ele deixaria seu dedinho ser quebrado e trucidaria o adversário jogando todo peso de seu corpo sobre o adversário, com um giro no ar e uma quebra desastrosa, mas não poderia fazer isto com Indira, ela venceu, agora poderia escolher aos dois ou a quem bem entendesse, ao seu bel prazer...

image002.jpg

macerai o hemp poeta viagem ao passado - 2005-08-17 / 20000AC

Pelo reconhecimento imediato e mundial de nosso direito ancestral para plantar a erva de Jah

--

gallery_2664_468_1124855929.jpg

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Problemas cascudos

Querido macera, fiz parceria com um camarada que disse que só as fêmeas são importantes, isto eu já sabia, aí logo que umas plantas puseram umas bolinhas pra fora, ele disse que eram sementes, e estas eram as fêmeas, e levou as outras plantas, umas tinham uns pelinhos grandes, o que confirmou serem machos, segundo ele, na natureza, os machos é que são peludos, isto eu já sabia, “não dá pra contrariar a natureza”, isto eu já sabia e é o que ele dizia, mas sumiu com os machos, tomara que não tenha dançado... Estou preocupado, as sementes começaram a abrir e soltar um pó amarelo, parece fungo atacando as sementes, enterrei algumas assim mesmo, será que tem jeito? Estou regando todos os dias, mas até agora não nasceu nada... Isto é sério?

R: Seriíssimo...

--

Querido macerai, plantei em uma caixa com fluorescentes, papel laminado, e umas seeds importadas, de um camarada, 120W em três meses, mas um mês de cura, 35 gramas secos, mas meus pais descobriram o e fumaram tudo antes de acabar a cura completa, e eu aqui no quarto fumando prensado fedido com incenso aceso só pra não macular a erva querida, a pergunta é de Técnicas Avançadas, tem como extrair o THC dos meus pais?

R: Pra fazer uma gemada temos que quebrar os ovos...

--

Porra macerai, fiz aquela experiência com a placa metálica no telhado levando só energia pro quarto escuro, 20 sementes de destroyer, sacanagem, MORREU TUDO! Sementes feminilizadas, gastei uns 160 euros, mais uns 800 reais de placas metálicas, não me leve a mal, mas tem como você me ressarcir esta grana?

Sinceramente, NÃO, e este tema nem é meu, Eletrocultura é do Striped Skunk, espero que ele também não leve a mal.

--

Grande Macerai, seguinte, com um mês de floração a minha sogra cismou e tacou água sanitária nas plantinhas, agora estão esbranquiçadas, caídas, murchas, será que um flush resolve?

R: Flush semianal na velhinha...

--

Teórico macerai o hemp, também sou plantador teórico, mas resolvi arriscar uma prática, mesmo que virtual, instalei o High Grow, depois de matar várias plantas testando novas teorias canábicas, consegui finalmente criar uma Skunk #1 até o final da floração, as outras duas morreram. Mas aí eu sonhei que estava fumando aquela Skunk, fiquei chapado no sonho, quando acordei compreendi o que é o plantio teórico, é um sonho lindo, de acordo?

R: Acorda...

--

Irmão teórico, também sou inventor canábico, estou aqui apenas para comunicar-lhe que sou o inventor do plantio aéreo em balões atmosféricos, se pensarmos bem no céu tem tudo, água, vento, Sol, só adiciono os fertilizantes químicos, o resto é tudo automatizado, quando acaba a floração o balão desce e um sinalizador GPS indica onde está, tudo muito simples e garantido, se quiser o esquema, private-me!

R: Bom saber que tem mais gente nas nuvens... Não vou pegar este esquema agora, pois estou trabalhando em um plantio na ionosfera, pra não ser detectado pelos satélites, depois a gente se fala, cuidado com o Tio Sam Guinário...

--

:<img src=:'>

gallery_2664_468_1124856040.jpg

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

brazil.gif

Liberada a maconha industrial no Brasil

O avião presidencial alçando vôos mais altos...

boeing.jpg

Jah era esperado que depois da liberação da maconha medicinal no Brasil, na seqüência, fosse liberada a maconha industrial, que dá muito mais dinheiro para o país, O Brasil atuando em frentes distintas, a medicinal e a industrial, inaugura uma nova fase da promissora economia cannábica, as sementes de cânhamo foram doadas pelo Frank, a melhor “palha” do mercado, mas a campanha é patrocinada por vários seeds banks, o fenômeno é interessante, uma vez que os growers começaram a produzir sementes e linhagens mais poderosas do que os seedsbanks canábicos, lembram da “Doble G” do Lukinho? Emfim sobrava o mercado medicinal, mas não poderiam competir com o Sativex da Bayer ou o Maconhax da Merck, então passaram a produzir as sementes de plantas sem THC, o mercado é ávido pelo cânhamo, o óleo industrial canábico mostrou-se superior ao da mamona, a fibra canábica mostrou-se superior a microfibra, superior ao cimento, superior na alimentação, as sementes mais nutritivas e deliciosas, quem já provou o bolo “Grapetti DkD” da Donkeys sabe do que estou falando, e o refrigerante é esplêndido, o sabor canábico também se provou elevado, e aéreo, o perfume de cannabis é uma sensação, cada variedade agora está disponível em essências aromáticas, no Início o No Mercy se especializou nas essências aromáticas, mas agora todos produzem suas próprias essências, sabores, texturas e resistência, e isto tudo sem THC, é claro.

Com a descriminalização dos usuários, que nunca foram criminosos, afinal vários presidentes disseram que fumaram e não foram presos, se dissessem que haviam estuprado uma criança, por exemplo, um crime de verdade, hediondo de fato, estariam presos e inelegíveis(?), mas como a lei é pra prender pobres, assim como aquela da “vadiagem”, lembram, no país dos desempregados era crime ser desempregado, o proibicionismo é uma tragi-comédia, realmente o desemprego é um crime, a fome é um crime contra a Saúde Pública, a tão proclamada Saúde Pública, o bem tutelado pela Legislação que criminaliza o usuário da erva canábica por temer uma epidemia (que nunca aconteceu no mundo em milhares de anos de uso por centenas de civilizações), assim como a fome é uma epidemia, então é um Crime Hediondo o país da pior distribuição de rendas do mundo matar de fome seus habitantes. Mas este cenário está mudando, com as frentes canábicas avançando e levando sementes e conhecimento para as populações, e a economia canábica mudando o terceiro mundo banhado de Sol, com mais combustíveis e mais comida, e menos crime organizado, pois o narcotráfico está em baixa, a maconha pode ser plantada por qualquer usuário, os growers trocam sementes pelo mundo afora, sua sementes estão melhores do que qualquer uma já vista na longa história de legalização canábica. Apenas nos países superbélicos o proibicionismo continua, nos EUA estão prendendo 2 milhões de maconheiros ao ano, contra 800 mil em 2005, Coréia segue sua política, mesmo parecendo que a qualquer momento vão entrar em guerra um contra o outro, coisas de armamentistas... Enquanto nós, continuamos na Paz, e na Erva da Paz, Saúde!

macerai o hemp poeta viagem - 2005-08-22

Pela Paz Mundial e em homenagem a Copa Vieira da Maconha

TROFEO%202VIEIRA2.jpg

Pela libertação imediata do DonkeyDick!

Este conto como não poderia deixar de ser é também uma homenagem ao Frank da AB-Seeds, que apoia os brasileiros na luta pela legalização, e que está fazendo sucesso neste exato momento com o plantio da “Suíte Presidencial”, a PC, filha do homembomba, grande abraço, companheiros!

gallery_2664_468_1124835175.jpg

gallery_2664_468_1124835496.jpg

gallery_2664_468_1124835682.jpg

gallery_2664_468_1124835861.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

hihihihihi.. eu medivirto! coitado do Frank! ahahaha, coitado cara...ele é esculhambado em dezenas de site cannabicos por toda a internet!!! por isso ele anda sumido uns tempos...quem se lembra daquelas sementes que rolava tb que era baratinho...nem o nome do negócio eu num lembro....lence de 10 dolares algo assim... enfim.

vamos ascender?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vou colocar mais um conto, mas antes aproveito para mandar um Abração! a todos os que incentivam esta maceração, a todos os que me mandam abraços, não só aqui, é claro, mas pela comunidade afora; este é um conto antigo, mais um conto em homenagem aos divulgadores, focadamente no movimento Johnny Reefer Seeds, que visa espalhar a semente canábica por todo o planeta, a preço de custo, mas existem outras associações assim, e por extensão é uma homenagem a todos que se propõem a espalhar a semente da paz, expandindo as fronteiras...

-

Expandindo as Fronteiras do Cultivo de Marijuanna

Spread the Seeds - Johnny Reefer II

Sempre fiquei pensando neste lixo espacial a minha volta, dava pra fazer um growsky com tanta célula solar dando sopa por aí. Faz uma semana e meia (tempo terrestre) que passou por aqui uma lata velha, daquelas antigas, uma relíquia bem conservada, as células fotoconversoras de semicondutores dopados (há quanto tempo não escuto este nome, “semicondutores”, é claro...) estavam intactas, foi irresistível transformá-la num hempinbox colonizador, depois de pronto com seus sensores e conversores, ponho ele pra andar por aí até achar um planeta bom pra espalhar suas sementes, em homenagem a Johnny ReeferSEED (Johnny do CannaDá), um personagem histórico na luta pela legalização, que viveu no início do século XXI e que distribuía suas sementes pelo mundo, tinha como lema “Espalhe as sementes!”, este hempinbox foi batizado de Johnny II (o primeiro, agora, vocês já sabem quem foi), sua missão era produzir sementes durante sua jornada de busca pelo Jardim do Éden entre os corpos celestes e plantá-las até que florestas canábicas fossem geradas no novo mundo. A cultura micropônica alimentada por duas minúsculas lâmpadas programadas de enxofre-berílio (bombardeados com ondas T) fornecia toda a energia luminosa com o espectro ajustável necessário para propagar quilos e quilos de esplantes. Um farol seria acionado e me avisaria de seu paradeiro tão logo ele achasse este novo habitat, e se calaria para sempre depois.

É claro que ele não poderia ficar emitindo sempre a sua posição no espaço, poderia ser captado e dar algum rolo, pra não dizer cadeia, xilindró, daquele tipo em que te põem em suspensão da consciência e depois quando você volta já está mais velhinho...Afinal plantar maconha indiscriminadamente era proibido, pois como era a planta mais resistente da galáxia, vários ativistas eco-radicais faziam growskys para disseminar florestas rapidamente em áreas ainda não exploradas, impossibilitando assim a exploração pelos mineradores e conseqüente aniquilamento do planeta e seu possível futuro biológico. Nem precisa dizer que me apaixonei pela causa... Este foi o primeiro, ficou bonzinho...mas preparem-se pois vou fazer mais alguns, também aqui nesta estação espacial em torno de Ganimedes não há muito mesmo o que se fazer...acho melhor eu fumar outro pra me inspirar pro próximo Johnny III, enquanto isso,vejam a imagem que esta semana vai fazer sucesso na holoinfo galáctica. Sympatico, eihn?

gallery_2664_468_1124840190.jpg

Macerai Lokomoon II

--

gallery_2664_468_1124856806.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Liberada a maconha recreacional no Brasil

Inevitável, depois da liberação do uso medicinal, porque existem remédios corriqueiros muito mais nocivos nas farmácias; do uso industrial, porque o terceiro mundo precisava reagir e a ecologia agradece, as matas são poupadas, a poluição do ar é diminuída, os preços caem, os salários sobem e a saúde aumenta com a semente mais nutritiva e produtiva do mundo, a moradia passa a ser “bacanna”, mais resistente, sem poluição ambiental e acessível a toda população; os sabores de cannabis são incrementados a cada dia, mas a preferência nacional continua sendo a “Grapetti”, graças ao DkD.

gallery_2664_468_1125447378.jpggallery_2664_468_1125447489.jpg

O mundo está polarizado, para variar, os EUA com sua política unilateralista e racista (maconha é coisa para negros e mexicanos, árabes, pobres, e somente estes, serem presos por posse de pequenas quantidades) encontra-se coligado com os armamentistas de sempre, e vêem com maus olhos os que agora são chamados de narco-países; e com este audacioso passo, no avanço da saúde pública, o Brasil vai constar como o primeiro da lista; o narcotráfico enfraqueceu com o cultivo caseiro, até cinco pés em estufa translúcida (não pode exibir as plantinhas) nos jardins são tolerados, e agora que as tabacarias estão autorizadas a vender cigarros de canábis, a meta é confrontar os bares alcoólicos e conscientizar a população que nossos antigos hábitos impostos pelo Capital Ganancioso, aquele que lucra com a doença, estão errados; a troca do suco ou leite pelo “refrigerante” é uma indicação clara de que os maus hábitos estão mudando; a troca do cigarro de tabaco e do álcool pela cannabis é uma meta dos redutores de danos, milhões de vidas serão salvas, 200 mil mortes por ano pelo tabaco e muito mais pelo álcool. A idéia é não vender álcool nas maconharias, o cigarro de tabaco poderá ser vendido, mas não pode ser fumado lá dentro. O que vemos inicialmente é a tendência à formação de multi-hemp, casas que vendem sementes, insumos canábicos, cigarros canábicos, moda e utilitários, e até mesmo casas de cânhamo pré-fabricadas; mas a área para fumantes é exterior, no estilo tropical, com sucos e “laricagens” para acompanhar, e mesas fartamente ventiladas para tornar o consumo individual. Não é permitido o uso público em recintos fechados, ou aglomerados, tanto à maconha como ao tabaco, o infrator estará sujeito a multas variáveis, quanto mais abastado, maior é a multa, começando em um salário mínimo e indo até 100 salários mínimos, refletindo a desigualdade social no país do carnaval; os ricos não arriscaram-se em fumar em público, fumar maconha em recintos fechados acarretará na quebra de sigilo bancário, para levantar a renda sobre a qual será aplicada a multa. Somente os parlamentares, depois de tantos escândalos, e renúncia do FMI em emprestar dinheiro ao país, é que não têm a regalia do sigilo bancário, o mesmo é válido para qualquer cargo político público.

O mais interessante do uso recreacional é a recreação :) , o carnaval expressa isto muito bem, o “beque” está na avenida, as fantasias podem ser bem audaciosas e criativas:

gallery_2664_468_1125448032.jpggallery_2664_468_1125447798.jpg

Um fato curioso é que algumas maconharias, que vendem somente maconha, “pubs”, bares canábicos, recintos fechados, terão autorização para permitir o consumo de cigarros canábicos em seu interior, com avisos na entrada e com a seguinte mensagem:

“Se você sentir-se incomodado com a fumaça reclame ao gerente, e todos estarão obrigados, sob pena de multa, a apagarem seus cigarros.”

Um gaiato entra e diz que está “incomodado”, imediatamente todos apagam, e ele diz que é somente uma brincadeira...

− É brincadeira?!

gallery_2664_468_1125447572.jpg

Está embaraçado? Não foi por falta de aviso do ministério da saúde:

“Maconha pode causar ereção, sob efeito, evite transportes coletivos superlotados”.

Vou de táxi, você sabe... :<img src=:'>

gallery_2664_468_1125447709.jpg

macerai o hemp poeta viagem 30 agosto 2005

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

MACERAI ... MEU IRMÃOZINHO .... QUÊ QUE É ISSO !!!!!!! TU MANDA MUITO ... MALUKO .... TO DE CARA ..... !!!!!! VIAGEM E MAIS VIAGEM ... QUE PARECE QUE ACONTECE AKI DO LADO DE FORA DE CASA !!!!! ......

ARRUMOU MAIS UM FÃ !!! HEHEHE !!

ABRAÇO CUMPADI !!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...