Ir para conteúdo
Growroom
miguelmedvet

Opinião sobre essas proporções de solo orgânico

Recommended Posts

Viva o GR! Saudades daqui, estou fora  parado há 9 anos, mas felicidade estou voltando com a busca da auto suficiência!

Estou iniciando um grow em terra e vou tocar também 2 plantas na hidroponia DWC com fert GH. Tudo na HQI 250 +150  e o mesmo HPS 250+150w.

Estou muito querendo a opinião da galera da mistura de terra q estou formando. Li alguns trabalhos científicos de agronomia onde mostra q adubo de fezes de aves acima de 4% influência negativamente no desenvolvimento da planta e produtividade, então não vou ultrapassar os 4% de esterco de aves no vegetativo.

Gostaria de saber a melhor proporção de torta de mamona e de farinha de osso. Por favor amigos opinem aqui 😎

ENRAIZAMENTO
70% Carolina Soil
30% Perlita

VEGETATIVO
4% esterco de aves
5% farinha de osso
5% torta de mamona
20% húmus de minhoca
20% perlita
46% Carolina soil (terra q já é bem aerada)

FLORAÇÃO
2% esterco de aves
15% farinha de osso
2% torta de mamona
15% húmus de minhoca
20% perlita
46% Carolina soil (terra q já é bem aerada)
 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

miguelmedvet, eu não vou entrar no mérito da seleção dos materiais para a composição do substrato, pois são uma escolha pessoal de cada cultivador. Há materiais com os quais nos identificamos e outros que nós simplesmente rejeitamos por razões ora práticas, ora funcionais.

Os estercos em geral, sejam os bovinos ou de aves, possuem uma taxa de Nitrogênio mais elevada em relação as tortas e ao húmus de minhocas, portanto, no que diz respeito a mim, eu inverteria a proporção de húmus e torta em relação ao esterco. O húmus é um material coloide e adsorvente, a taxa de Nitrogênio desse material é em média entre 1-2% de Nitrogênio, a torta de mamona possui também cerca de 2% de Nitrogênio, já os estercos bovinos e de aves possuem entre 3-4% de porcentagem de Nitrogênio agregado. 

Outros dois fatores desfavoráveis em relação ao húmus de minhocas são: primeiro, é um material que, em porcentagem acima do montante adequado, irá dificultar um flush de lixiviação de nutrientes em caso de overfert, pois como foi dito anteriormente, é um coloide e adsorvente; segundo, o húmus é um compactador natural do solo, portanto, com o passar do tempo e com as regas consecutivas, a tendência é que ele transforme o substrato em um bloco duro, e por essa razão, a porcentagem desse material no substrato não deve ultrapassar 10%. A melhor forma de se aportar húmus em um substrato para suprir as necessidades de N durante a fase vegetativa da planta é via fertirrigação. Além disso, a disponibilização e absorção do Nitrogênio usando o húmus líquido será imediata.

Finalizando, a proporção ideal de torta de mamona e farinha de ossos, bem como a proporção do bokashi, em qualquer substrato orgânico no período vegetativo, deve ser de uma colher de sopa cheia para cada litro de solo. No entanto, na floração, a quantidade de farinha de ossos deve ter um pouco mais de vantagem em relação a torta de mamona.

Desse modo, a proporção de cada material na composição do meu substrato, tomando como base as proporções citadas por você, teria as seguintes proporções:

ENRAIZAMENTO
50% Carolina Soil
50% Perlita

VEGETATIVO
10% Esterco de aves
5% Farinha de ossos
5% Torta de mamona
10% Húmus de minhoca
30% Perlita
40% Carolina soil 

FLORAÇÃO
10% Esterco de aves
10% Farinha de ossos
5% Torta de mamona
5% Húmus de minhoca
30% Perlita
40% Carolina Soil 

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
13 minutos atrás, Vertabrata disse:

@Tears4Fears fala tears, e se eu quisesse adicionar calcario dolomitico e torta de neem? Quantos % vc indicaria ? :) 

Vertabrata, uma colher de sopa de calcário dolomítico e torta de neem para cada litro de solo também.

  • Thanks 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fala tears, valeu as dicas e sugestões, estamos nesse planeta para aprendermos, juntos!

Estou terminando esse ciclo tive alguns problemas muitos machos, algumas travadas em algumas plantas e agora estou terminando esse em terra já vegetando em coco madres e clones com GH estão maravilhosamente bem lembram da época q tive meu DWC hidropônico não, crescem tão rápido mas deixam a terra para trás, qualquer problema flush e nova solução, respondem muuuuuito rápido, e não sofrem tanto com o calor do verão como na hidroponia.

Li um trabalho comparando o uso de esterco de aves de 1 a 6% de esterco, e mostrou que acima de 4% a produtividade era menor, talvez devido a acidificação do solo. Vou ver se acho o trabalho científico publicado em revista

 

Não teve problemas com 10% de esterco de aves?

Não seria interessante mais de uma fonte diferente de nitrogênio para oferecer gradativamente em variados componentes nitrogenados?

Talvez plantar leguminosas fixadores de nitrogênio podem ter grande efeito

TMJ

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

miguelmedvet, eu sou da turma de cultivadores orgânicos e do solo vivo, gosto de cultivar na terra e trabalhar em equipe com fungos e bactérias benéficas, como as micorrizas, os EM's e os actinomicetos (fixadores de nitrogênio). Em todos os meus cultivos eu uso o bokashi e faço os meus próprios chás de fermentação. Acredito no poder e na eficiência dos microorganismos. 

Não tenho problemas com overferts e deficiências nos meus cultivos porque adquiri um feeling de observação e interpretação das necessidades das plantas. É como um motorista que adquire golpe de vista praticando baliza e sabe só de olhar em qual vaga o carro tem espaço pra entrar. Mais do que o treinamento, a projeção também é importante. Antes de criar você projeta, isso significa que sua mente se lança em uma direção e retorna e então você tem uma noção virtual da dimensão total. Se você entra em um cômodo vazio e tem noção de dimensões, sabe dizer com grande confiança quantos metros quadrados aproximadamente existe ali dentro, mesmo não tendo uma trena em mãos para medição. São vários os exemplos...

Naturalmente até um veterano erra a mão, mas não são erros grotescos ao ponto de por em risco a vida do vegetal. Para compreender uma planta você tem que se tornar a própria planta, isso é literalmente colocar-se no lugar dela. Um conceito complexo para a mente lógica ocidental, mas na mente oriental, sobretudo na tradição do Zen, tudo é parte de um Todo maior, ou seja, tudo tem a natureza de Buda. Nada existe em separação. É a mente que cria dualidades. Se você puder colocar a sua mente de lado e olhar diretamente para a planta, você enxergará o que ela precisa. O problema das receitas padrões de solo é o desprezo pela individualidade de cada vegetal. Eu interpreto as proporções apenas como um referencial, elas são úteis, mas na prática eu componho os meus substratos pensando no equilíbrio dos materiais.

Eu uso esterco de aves e de búfalo na composição dos meus substratos, eles são maravilhosos, mas nunca ultrapasso o limiar do ideal, pois o segredo para ter um solo eficiente é encontrar o equilíbrio de forças. Um solo entulhado de nutrientes não ajuda, em vez disso, ele se torna tóxico e sufocante e toda a absorção fica mais difícil para as raízes. Procuro diversificar as fontes de nitrogênio e de outros macro e microelementos para a planta, tanto mineral como orgânico.

Se você tiver o link desse estudo, por favor, poste aqui no tópico para que eu possa ler e estudar.

  • Like 1
  • Thanks 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Tears4Fears

Dahora suas explicacoes irmao! Me permita discutir com voce sobre o humus. Eu concordo com quase tudo que voce falou, e provavelmente vc tem mais conhecimento tecnico que eu no assunto, mas quero dar meu parecer sobre isso. 

Ha growers que nem sequer utilizam mais aeracao no solo. E um dos fatores que voce apontou como negativo do humus é a compactacao. Eu cultivo em NoTill a um tempinho ja, no inicio fui do basico que sempre funcionou pra mim, 1/3 humus, 1/3 turfa e 1/3 perlita de solo base, nao vou nem entrar no merito dos ingredientes que usei junto pq nao vem ao caso. Hoje em dia, com o "envelhecimento" do solo e adicoes de materias organicas como cobertura, com certeza a proporcao de "humus" no meu vaso aumentou muito. E compactacao nunca fui um problema. 

Eu credito isso pela adiçao de minhocas e covercrop no vaso. Obviamente, as minhocas criam caminhos no solo que adicionam capacidade de "armazenar" oxigenio ao meio, e as raizes do cover crop vao descompactando esse solo que enrigesse com o tempo. Alem das raizes das plantas que eu colho e ainda ficam la, proporcionando um caminho mais facil paras as plantas que virão a seguir.

Dessa forma, o ciclo de vida fica muito mais dinamico e a retenção de agua fica muito mais eficiente. Claro, cada ambiente é um, no meu pelo menos vem funcionado extremamente bem, cada vez melhor por sinal, mesmo aumentando a proporcao de humus com o tempo. Eventualmente, o vaso vai virar quase humus por completo, mas se o equilibrio da microbiologia for manejado de forma correta, respeitando os principios basicos da agricultura natural, acredito que aeracao nem é tao necessaria quanto imaginamos. 

 

  • Like 2
  • Thanks 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 08/12/2018 at 20:00, miguelmedvet disse:

Entendo amigo, mas 1/3 de perlita é o que garante a aeração não sua mistura não acha?

No inicio, sim, mas como disse, continuo adicionando materia organica no solo com o decorrer dos ciclos e essa proporcao de perlita fica muito menor. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Que pena ter visto tarde essa discussão ótima! O incrível é que eu concordo com todas as informações dispostas. Acredito eu que quando o solo é novo e não está maturado aplico os conhecimentos do fears quanto a composição que o solo precisa ter. Logo quando vamos montar precisamos iniciar num ponto perfeito onde o solo terá vida e será receptivo a ela. No entanto nas minhas madres eu aplico o conhecimento do joq porque o solo é vivo e ele terá condições de se adaptar e resolver condições impostas a ele. Para mantê-lo vivo criamos um mini exemplo do chão da floresta onde estamos constantemente adicionado material e o solo trata de integrar a adição ao resto dos componentes e voltar ao equilíbrio. Obrigado pela partilha de informações dos dois. Sinto que todos estamos caminhando para entender cada dia mais e melhor como a natureza funciona a nossa volta e aplicando as nossas meninas 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 01/12/2018 at 18:50, Tears4Fears disse:

miguelmedvet, eu não vou entrar no mérito da seleção dos materiais para a composição do substrato, pois são uma escolha pessoal de cada cultivador. Há materiais com os quais nos identificamos e outros que nós simplesmente rejeitamos por razões ora práticas, ora funcionais.

Os estercos em geral, sejam os bovinos ou de aves, possuem uma taxa de Nitrogênio mais elevada em relação as tortas e ao húmus de minhocas, portanto, no que diz respeito a mim, eu inverteria a proporção de húmus e torta em relação ao esterco. O húmus é um material coloide e adsorvente, a taxa de Nitrogênio desse material é em média entre 1-2% de Nitrogênio, a torta de mamona possui também cerca de 2% de Nitrogênio, já os estercos bovinos e de aves possuem entre 3-4% de porcentagem de Nitrogênio agregado. 

Outros dois fatores desfavoráveis em relação ao húmus de minhocas são: primeiro, é um material que, em porcentagem acima do montante adequado, irá dificultar um flush de lixiviação de nutrientes em caso de overfert, pois como foi dito anteriormente, é um coloide e adsorvente; segundo, o húmus é um compactador natural do solo, portanto, com o passar do tempo e com as regas consecutivas, a tendência é que ele transforme o substrato em um bloco duro, e por essa razão, a porcentagem desse material no substrato não deve ultrapassar 10%. A melhor forma de se aportar húmus em um substrato para suprir as necessidades de N durante a fase vegetativa da planta é via fertirrigação. Além disso, a disponibilização e absorção do Nitrogênio usando o húmus líquido será imediata.

Finalizando, a proporção ideal de torta de mamona e farinha de ossos, bem como a proporção do bokashi, em qualquer substrato orgânico no período vegetativo, deve ser de uma colher de sopa cheia para cada litro de solo. No entanto, na floração, a quantidade de farinha de ossos deve ter um pouco mais de vantagem em relação a torta de mamona.

Desse modo, a proporção de cada material na composição do meu substrato, tomando como base as proporções citadas por você, teria as seguintes proporções:

ENRAIZAMENTO
50% Carolina Soil
50% Perlita

VEGETATIVO
10% Esterco de aves
5% Farinha de ossos
5% Torta de mamona
10% Húmus de minhoca
30% Perlita
40% Carolina soil 

FLORAÇÃO
10% Esterco de aves
10% Farinha de ossos
5% Torta de mamona
5% Húmus de minhoca
30% Perlita
40% Carolina Soil 

Salve meu parça✌️

To preparando um substrato e estou mexendo com farinha de ossos e torta de mamona pela primeira vez. Você fala que deve ser colocado uma colher para cada litro de solo, mas seria uma colher de cada um dos adubos ou uma colher de uma mistura dos dois. Fiquei com medo de botar uma colher de cada e dar overfert.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 01/12/2018 at 18:50, Tears4Fears disse:

salve tears! tambem estou na busca de um bom solo organico, voce acha que posso trocar a perlita por fibra de coco?, pois nao consigo encontrar por onde eu moro. e poderia trocar o esterco de aves por de bovinos??

 

 

miguelmedvet, eu não vou entrar no mérito da seleção dos materiais para a composição do substrato, pois são uma escolha pessoal de cada cultivador. Há materiais com os quais nos identificamos e outros que nós simplesmente rejeitamos por razões ora práticas, ora funcionais.

Os estercos em geral, sejam os bovinos ou de aves, possuem uma taxa de Nitrogênio mais elevada em relação as tortas e ao húmus de minhocas, portanto, no que diz respeito a mim, eu inverteria a proporção de húmus e torta em relação ao esterco. O húmus é um material coloide e adsorvente, a taxa de Nitrogênio desse material é em média entre 1-2% de Nitrogênio, a torta de mamona possui também cerca de 2% de Nitrogênio, já os estercos bovinos e de aves possuem entre 3-4% de porcentagem de Nitrogênio agregado. 

Outros dois fatores desfavoráveis em relação ao húmus de minhocas são: primeiro, é um material que, em porcentagem acima do montante adequado, irá dificultar um flush de lixiviação de nutrientes em caso de overfert, pois como foi dito anteriormente, é um coloide e adsorvente; segundo, o húmus é um compactador natural do solo, portanto, com o passar do tempo e com as regas consecutivas, a tendência é que ele transforme o substrato em um bloco duro, e por essa razão, a porcentagem desse material no substrato não deve ultrapassar 10%. A melhor forma de se aportar húmus em um substrato para suprir as necessidades de N durante a fase vegetativa da planta é via fertirrigação. Além disso, a disponibilização e absorção do Nitrogênio usando o húmus líquido será imediata.

Finalizando, a proporção ideal de torta de mamona e farinha de ossos, bem como a proporção do bokashi, em qualquer substrato orgânico no período vegetativo, deve ser de uma colher de sopa cheia para cada litro de solo. No entanto, na floração, a quantidade de farinha de ossos deve ter um pouco mais de vantagem em relação a torta de mamona.

Desse modo, a proporção de cada material na composição do meu substrato, tomando como base as proporções citadas por você, teria as seguintes proporções:

ENRAIZAMENTO
50% Carolina Soil
50% Perlita

VEGETATIVO
10% Esterco de aves
5% Farinha de ossos
5% Torta de mamona
10% Húmus de minhoca
30% Perlita
40% Carolina soil 

FLORAÇÃO
10% Esterco de aves
10% Farinha de ossos
5% Torta de mamona
5% Húmus de minhoca
30% Perlita
40% Carolina Soil 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 01/12/2018 at 18:50, Tears4Fears disse:

miguelmedvet, eu não vou entrar no mérito da seleção dos materiais para a composição do substrato, pois são uma escolha pessoal de cada cultivador. Há materiais com os quais nos identificamos e outros que nós simplesmente rejeitamos por razões ora práticas, ora funcionais.

Os estercos em geral, sejam os bovinos ou de aves, possuem uma taxa de Nitrogênio mais elevada em relação as tortas e ao húmus de minhocas, portanto, no que diz respeito a mim, eu inverteria a proporção de húmus e torta em relação ao esterco. O húmus é um material coloide e adsorvente, a taxa de Nitrogênio desse material é em média entre 1-2% de Nitrogênio, a torta de mamona possui também cerca de 2% de Nitrogênio, já os estercos bovinos e de aves possuem entre 3-4% de porcentagem de Nitrogênio agregado. 

Outros dois fatores desfavoráveis em relação ao húmus de minhocas são: primeiro, é um material que, em porcentagem acima do montante adequado, irá dificultar um flush de lixiviação de nutrientes em caso de overfert, pois como foi dito anteriormente, é um coloide e adsorvente; segundo, o húmus é um compactador natural do solo, portanto, com o passar do tempo e com as regas consecutivas, a tendência é que ele transforme o substrato em um bloco duro, e por essa razão, a porcentagem desse material no substrato não deve ultrapassar 10%. A melhor forma de se aportar húmus em um substrato para suprir as necessidades de N durante a fase vegetativa da planta é via fertirrigação. Além disso, a disponibilização e absorção do Nitrogênio usando o húmus líquido será imediata.

Finalizando, a proporção ideal de torta de mamona e farinha de ossos, bem como a proporção do bokashi, em qualquer substrato orgânico no período vegetativo, deve ser de uma colher de sopa cheia para cada litro de solo. No entanto, na floração, a quantidade de farinha de ossos deve ter um pouco mais de vantagem em relação a torta de mamona.

Desse modo, a proporção de cada material na composição do meu substrato, tomando como base as proporções citadas por você, teria as seguintes proporções:

ENRAIZAMENTO
50% Carolina Soil
50% Perlita

VEGETATIVO
10% Esterco de aves
5% Farinha de ossos
5% Torta de mamona
10% Húmus de minhoca
30% Perlita
40% Carolina soil 

FLORAÇÃO
10% Esterco de aves
10% Farinha de ossos
5% Torta de mamona
5% Húmus de minhoca
30% Perlita
40% Carolina Soil 

Seguindo nessa ideia, mais ou menos. To preparando o solo pro meu 1% cultivo. Estou com algumas enraizadas de pren, mas não acredito que vão vingar.. Estou montando a estufa e preparando algumas novas seeds na germinação. 

Queria a opinião de vocês para o solo abaixo. Manterei tudo orgânico (melhor pra plantinha, pro meio ambiente e pro meu bolso).

 

Substrato Germinação (1L) Vegetativo `+6L
33/33/33 Perlita-Sparg-Coco 100% 70% 4.2
Humus   10% 0.6
Esterco de Aves   10% 0.6
Torta de Mamona   5% 0.3
Farinha de ossos   5% 0.3

 

Levarei no vaso de 8L, então adicionaria 6L no transplante e depois administrar em 3 partes +1L pra flora, que penso compor com 50% de farinha de ossos, 30% de torta de mamona e 20% de humus.

O humus é uma mistura de humus orgânico com de minhocas e humus compostado.

 

Desde já agradeço pela atenção.

 

fyaah

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 15/04/2020 at 15:59, carnabinoide disse:

Seguindo nessa ideia, mais ou menos. To preparando o solo pro meu 1% cultivo. Estou com algumas enraizadas de pren, mas não acredito que vão vingar.. Estou montando a estufa e preparando algumas novas seeds na germinação. 

Queria a opinião de vocês para o solo abaixo. Manterei tudo orgânico (melhor pra plantinha, pro meio ambiente e pro meu bolso).

 

 

Substrato Germinação (1L) Vegetativo `+6L
33/33/33 Perlita-Sparg-Coco 100% 70% 4.2
Humus   10% 0.6
Esterco de Aves   10% 0.6
Torta de Mamona   5% 0.3
Farinha de ossos   5% 0.3

 

Levarei no vaso de 8L, então adicionaria 6L no transplante e depois administrar em 3 partes +1L pra flora, que penso compor com 50% de farinha de ossos, 30% de torta de mamona e 20% de humus.

O humus é uma mistura de humus orgânico com de minhocas e humus compostado.

 

Desde já agradeço pela atenção.

 

fyaah

Fala pessoal!

Parceiro, quais foram os resultados deste teu solo? Estou pensando em montar um bem parecido!

Abs,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
6 horas atrás, Ptc4h20 disse:

Fala pessoal!

Parceiro, quais foram os resultados deste teu solo? Estou pensando em montar um bem parecido!

Abs,

E ai mano, blz ?

 

Então, meu solo foi o q ta aqui embaixo agr. Antes do transplante pra flora, adicionei humus e coco (tava meio compacto).

Screenshot_20200711-212137_Telegram.thumb.jpg.a7ba34af77a36cc604da1f33ee935b68.jpg

 

Quanto a dar certo, vai do q vc acha q é dar certo. Dá uma olhada no meu diário, as plantas estão assim hj

 

Screenshot_20200711-142617_WhatsApp.thumb.jpg.711c37caf6b2adfc17f69d59e6d74264.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...

×
×
  • Criar Novo...