Bas

Profissão Reporter - Cultivo de Cannabis

Recommended Posts

O uso da maconha e a polêmica sobre a legalização da droga são os assuntos do Profissão Repórter nessa quarta-feira (5). A maconha é a droga mais consumida no Brasil.

O repórter Guilherme Belarmino conheceu os integrantes da LEAP, Agentes da Lei Contra a Proibição. São delegados, policias, juízes e carcereiros que defendem “a eliminação da política de proibição das drogas e a introdução de uma política alternativa de controle e regulação das drogas”. Segundo a juíza aposentada Maria Lúcia Karam, integrante da LEAP, as drogas podem ser profundamente destrutivas na vida de uma pessoa, mas a guerra às drogas é muito pior.

Em um fim de semana em Fortaleza, 14 pessoas foram assassinadas por arma de fogo na capital. Nas cenas dos crimes, moradores dizem que o tráfico de drogas é quase sempre a causa da violência. “Não é porque está se perdendo a guerra (contra a drogas) que você tem que se render ao inimigo”, diz André Santos Costa, secretário de Segurança Pública do Ceará.

Na Paraíba, o repórter Estevan Muniz conheceu o primeiro cultivo de maconha com aprovação da Justiça. A planta é cultivada para fins medicinais. Além do preparo do óleo à base de canabidiol, usado para controlar convulsões, a Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança (ABRACE), está fazendo testes com o THC, a substância da maconha que tem efeito psicotrópico. Pessoas com mal de Parkinson têm procurado a ABRACE para tomar o extrato de THC.

Também na Paraíba, o Profissão Repórter conheceu um grupo de amigos que alugou uma casa só para cultivar a maconha para o uso recreativo. “É para o nosso consumo. Não vendemos porque seríamos um braço do tráfico”, disse um deles.

No Uruguai, a maconha foi liberada esta semana para a venda nas farmácias. O cultivo em casa para uso próprio foi permitido. Foram quatro anos de implantação dos processos de cultivo e distribuição desde a aprovação da lei que permitiu o uso recreativo da droga. O repórter Estevan Muniz esteve em Montevidéu e mostra que a etapa de venda encontra resistência dos donos de farmácia e de parte da população.

Fonte: G1

Mais sobre o tema:

 

LINK DO VIDEO:

https://globoplay.globo.com/v/5988013/programa/

 
  • Like 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

to no pause pro cha dentro do quarto akki não tem tv:(so na sala  uma de 42:) o beck ta gostoso kkkk vo perde as info

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

po, mt massa.. bastante flores

 

só a  parte do secretário de segurança pública de bh q foi bizarra.. acho q ele ficou até com uma imagem ruim.. o cara há décadas na polícia civil, acreditando seriamente na guerra as drogas, chegou a falar que sem a guerra as drogas o trabalho dele n faria sentido.. kkkk sinto muito p ele e vários outros policiais, acho que em breve o "trabalho" deles n vai mais fazer sentido

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
7 minutos atrás, X.Louco disse:

So no inicio que veio aquele zé mane falando merda !!  Mas ate que foi boa a parada ! 

Isso já fez meus pais ficarem com 1 pé atrás sobre o assunto

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Achei bastante imparcial, eles nem ajudaram-nos nem nos atrapalharam, somente falaram sobre o tema, poderia ser algo mais informativo, poderia falar de growers que são presos como traficantes.
Mas a reportagem foi de acordo com o tema, pensando um pouco, até que nos ajudou quando falou sobre maconha medicinal, no caso do senhor que tinha parckson(acho que se escreve assim) que ele tomou o oleo a base da maconha e as tremedeiras deram uma amenizada bastante, e tambem no caso do pedrinho, onde a babá dele falou que ele ja teve 43 convulsoes em um dia e desde que começou a tomar o oleo passou 3 dias sem ter

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

gostei da matéria, vc percebe a diferença na argumentação e até na expressão corporal dos proibicionistas um velho discurso para um grande problema que com a regulamentação, já esta mais que provado, ameniza e muito. Como que uma autoridade tem coragem de falar que se vc esta perdendo a guerra vc tem que ficar e insistir até o fim, sem buscar alternativas, para ele é fácil  ele está atrás de uma mesa.

Agora vc ver as pessoas mostrando a cara, tendo autorização, sinceramente nao imaginei que estavamos já nesse patamar, afinal estou sendo acionado judicialmente por ter comprado 8 sementes de canabis, é uma grande discrepancia. Mas essa é a luta, a 20 anos atras eu nem imagina a possibilidade de plantar, hoje só fumo do que eu mesmo cultivo mesmo correndo um grande risco de ser preso como um bandido.

Vou falar heim... O SR. MUJICA É O CARA, de qualquer maneira eu estou juntando minha grana, minha aposentadoria, que quando eu aposentar, se aqui ainda estiver na mesma lenga lenga, vou embora para o Uruguai.

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Hoje em dia o argumento pro liberação já ganhou. Difícil ver algo na mídia igual era há um tempo, hoje em dia todas, principalmente a Globo, tem uma posição pro legalização.

O programa da Fátima sempre tem algo sobre esse assunto, Fantástico também, o jornal impresso O Globo é o jornal que mais defende a legalização. 

Pelo menos isso né... a mudança está chegando.

  • Like 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
3 horas atrás, Venom420 disse:

Hoje em dia o argumento pro liberação já ganhou. Difícil ver algo na mídia igual era há um tempo, hoje em dia todas, principalmente a Globo, tem uma posição pro legalização.

O programa da Fátima sempre tem algo sobre esse assunto, Fantástico também, o jornal impresso O Globo é o jornal que mais defende a legalização. 

Pelo menos isso né... a mudança está chegando.

a mudança vem de granero?    :lol::lol::lol::lol::lol::lol::lol::lol::lol::lol::lol::lol::lol::lol::lol::lol::lol::lol::lol:

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Também pensava como vc, venom, até ver uma pesquisa na semana passada dizendo que 15% dos brasileiros são pró legalizacao das drogas. Talvez os números fossem melhores se tivessem medido o apoio apenas a legalização da maconha. Mas ainda assim é muito baixo, nós daqui do Gr como pessoas bem informadas que somos, sabemos que legalizar apenas uma droga é querer manter o status quo de uma política falida e discriminatória.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu não vejo o pq de se confundir uma primeira luta de legalização da cannabis(uma mera planta que não precisa de passar por processos químicos, relaxante), que é terapeutica e religiosa, usada como remédio, de uso milenar, "droga" mais leve de todos, sendo a droga mais consumida no Brasil, que não há registros maiores de complicações na saúde de ngm, nao mata ngm etc com uma droga pesada, como cocaína e crack.

Isso a primeiro momento, veja todos países que legalizaram alguma droga , fizeram da cannabis e não cocaína e crack, se muitos não aprovam nem isso, querem que aprovem essas drogas?

 

Aí seria caso para descriminalização  delas a um primeiro momento, mas tornaria a luta mto mais árdua do que já é.

 

O próprio forum, com todo respeito trata do tema Cannabis e não crack e cocaína, embora existam drogas tb terapeuticas por aí, não é o caso do forum, ha outros que lutam em torno disso.


Agora achar que vai legalizar cocaína e crack, pois se fala de legalização da cannabis, justamente por ser mais leve que as drogas legais como álcool e tabaco, aí já n faz sentido e é um terreno q quase nhm país entrou direito na questão, veja não estou falando em redução de danos e  descriminalização  aqui e sim legalização.

 

Para mim não faz sentido, ou vc pensa em sair em uma marcha, marcha pelo crack? não, nhm país legalizou esse tipo de drogas, mas usou das políticas ditas acima(o que é bem diferente), aí sim, tudo bem, mas legalizar, é a cannabis, o fórum remete a isso e na minha opinião é bem mais sensato ficar nesse escopo por enquanto, a não ser que não queira ver nunca isso acontecer mesmo.

 

E algumas dessas outras drogas terapeuticas, ja existem no escopo legal, inclusive reduzindo o dano de drogas pesadas como o crack, como a ibogaína, a ayahuasca que são LEGAIS já e duvido muito que os que defendem tai plantas terapeuticas queiram que se misture com drogas como o crack e cocaína no Brasil(sorte n haver heroína por aqui), a propria Cannabis pode e é usada em vários lugares como política de redução de danos de drogas mais pesadas.

 

http://www.politize.com.br/proibicao-descriminalizacao-e-legalizacao-qual-a-diferenca/

Paz a todos!

 

 

EDIT POS POST: só fiz esse pois, pois o amigo acima falou em legalizar todas as drogas, a droga ilegal mais consumida no Brasil é a cannabis, logo abaixo delas, vem a cocaína e crack(por isso as citei), e legais são o alcool e tabaco, que inclusive eu já sou contra a maneira que é tratada, n digo proibir, mas certamente uma melhor política com elas, e são drogas pesadas(álcool e tabaco), já como disse o amigo no post depois do meu, uma coisa é medicinal, outra é um veneno basicamante, n há duvidas, mas alguns tem essa visão de legalizar todas as drogas, nenhum país do mundo fez isso, o Brasil que sequer legalizou a cannabis(droga leve, de maior uso que as ilícitas faladas) e acham q podem legalizar isso? não dá e pq? o que eu conordo sim é com uma política de REDUÇÃO de danos delas, inclusive citei que a propria Cannabis é usada em certos locais para isso(contra drogas pesadas).

Não quero censurar ngm, nem sou a favor disso, nem posso inclusive, mas acho que está mais que claro que nesse ambiente o tema é cannabis e quando se fala de legalização se fala dela!

Desculpe se trouxe algum incômodo, n era ou é esse o intuito do meu post, pois sou a favor da Cannabis e sou contra drogas pesadas, outra coisa q penso, os usuários de cannabis n podem responder por qm use crack ou qlqer outra droga, sabemos que é um estado agoniante de vício, mas ao proclarmarmos a Cannabis, ainda por ter propriedade medicinais nela, eu sei que não se ira resolver o problema do mundo com ela, e nem tb arrumar a vida de todos, isso cabe a cada um, mas o que se demanda é o direito de poder usar algo desvinculado do tráfico e com boa qualidade para ingestão da saúde dos q ue precisam e optam por isso, muitos tem uma visão distorcidada de que o mundo irá se arrumar pela legalização da cannabis, ajudará claro, mas n é só isso, educação e cultura de um povo tb estão sob isso, desigualdade social e assim adiante.Claro que sempre devemos presar pela qualidade de todos, mas isso é mto complexo para ser colocado num texto, acho que agora me clarifiquei um pouco mais, é isso, desculpem qlqr coisa e mta paz!!

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...

  • Conteúdo Similar

    • Por hidrogrow
      Para conhecimento e debate
      Programa da TV Senado do dia 17 de novembro de 2017 sobre a legalização do plantio de maconha para uso recreativo e medicinal.
       
    • Por Smoke Cannabis
      Novas séries apostam em maconha, liga de super-heróis e horror policial
       
      Considerada um tapa-buraco no passado, a summer season, temporada de lançamento de séries entre junho e agosto, ganha relevância a cada ano que passa. Em 2017, a Netflix sai na frente com duas grandes produções, uma que reunirá quatro super-heróis da Marvel (Os Defensores) e outra sobre a legalização da maconha (Disjointed), de Chuck Lorre.
      Droga também é tema de Snowfall (FX), desenvolvida pelo renomado cineasta John Singleton, diretor do filme Os Donos da Rua (1991). A atriz Jessica Biel, famosa pela série Sétimo Céu (1996-2007), faz a protagonista da impactante The Sinner, do USA Network (o mesmo de Mr. Robot). E os fãs de Stephen King, decepcionados com a adaptação cinematográfica do livro O Nevoeiro (2007), têm a chance de serem recompensados com a série homônima do canal Spike.
      Saiba mais sobre as principais apostas da summer season norte-americana de 2017:
      DIVULGAÇÃO/SPIKE
      O ator Morgan Spector em The Mist; série é inspirada no livro O Nevoeiro, de Stephen King
      The Mist, estreia em 22 de junho
      Após Under the Dome (2013-2015) e 11/22/63, mais um livro de Stephen King ganha vida na TV. O Nevoeiro está sendo adaptado pelo canal Spike, do grupo Viacom (MTV, Nickelodeon), e mostra a transformação de uma pequena cidade após uma misteriosa névoa muito densa tomar conta da paisagem. O caos é instaurado, as regras da sociedade se perdem e uma família tem de lidar com um crime brutal. A história de horror é protagonizada por Alyssa Sutherland (Vikings), Morgan Spector (Boardwalk Empire) e Isiah Whitlock Jr. (The Wire).
      DIVULGAÇÃO/FX
      Damson Idris (à esq.) Amin Joseph em Snowfall; série é assinada pelo diretor de Donos da Rua
      Snowfall, estreia em 5 de julho
      Produzida pelo renomado cineasta John Singleton, indicado ao Oscar por Os Donos da Rua (1991), a série nem estreou e já tem US$ 8,8 milhões (R$ 28 milhões) de crédito fiscal garantido para filmar sua segunda temporada na Califórnia. Com muitos atores estreantes, Snowfall é a aposta do canal FX para o trimestre. A trama mostra a epidemia do crack na Los Angeles dos anos 1980. A atração terá tanto o ponto de vista dos traficantes quanto o da polícia e chega ao ar três anos depois de ser rejeitada pelo canal Showtime (de Ray Donovan e do revival de Twin Peaks).
      DIVULGAÇÃO/AMAZON
      The Last Tycoon, estrelada por Matt Bomer, retratará a indústria hollywoodiana dos anos 1930
      The Last Tycoon, estreia em 28 de julho
      Outra série rejeitada pela HBO estreia na Amazon (seguindo os passos de American Gods). Inspirada na obra de F. Scott Fitzgerald, que rendeu o filme O Último Magnata (1976), The Last Tycoon mostra a relação explosiva entre o produtor hollywoodiano Monroe Starh (Matt Bomer, de White Collar) com um poderoso dono de um estúdio cinematográfico, Pat Brady (Kelsey Grammer, de Frasier), nos anos 1930. A história da série é levemente baseada na vida do magnata Irving Thalberg, um dos criadores da MGM.
      DIVULGAÇÃO/USA NETWORK
      Em The Sinner, Jessica Biel interpreta uma mulher que surta e mata um estranho na praia
      The Sinner, estreia em 2 de agosto
      A atriz Jessica Biel, conhecida pelo seu papel na série Sétimo Céu (1996-2007), retorna à TV como protagonista em The Sinner, baseada no livro homônimo de 2008. Ela vive uma mulher doce que surta durante um passeio familiar em uma praia e mata um homem com várias facadas no pescoço, aparentemente sem qualquer motivo. A trama acompanha detetives com a missão de tentar desvendar o porquê do ataque. O ator Bill Pullman (Independence Day) contracena com Jessica.
      REPRODUÇÃO/NBC
      O ator Marlon Wayans na comédia Marlon; você já viu ele em algum filme ou série por aí...
      Marlon, estreia em 16 de agosto
      Nome conhecido dos fãs de comédia, seja no cinema ou na televisão, o ator Marlon Wayans vem com uma atração tipicamente familiar. Ele vive um alter ego, chamado Marlon Wayne, que acaba de se separar da mulher e passa sufoco na nova vida de divorciado, sem deixar de lado a responsabilidade de criar dois filhos adolescentes. O grande público conhece Wayans da série Dupla do Barulho (1995-1999) e do filme As Branquelas (2004); em ambas as produções, ele atuou ao lado do irmão Shawn.
      DIVULGAÇÃO/NETFLIX
      Defensores promete apresentar a mais nova vilã sedutora da TV, vivida por Sigourney Weaver
      Os Defensores, estreia em 18 de agosto
      Para a Netflix, a minissérie Os Defensores é a aposta para superar as apagadas Luke Cage e Punho de Ferro e repetir o sucesso das antecessoras Demolidor e Jessica Jones. Os heróis dessas quatro séries unem forças para combater uma organização criminosa comandada por uma vilã que cairá nas graças do público. Alexandra, interpretada por Sigourney Weaver (de Alien e Avatar) é "poderosa em Nova York, tudo o que Sigourney é: sofisticada, inteligente e perigosa", palavras ditas por Marco Ramirez, o showrunner da atração que terá oito episódios.
      REPRODUÇÃO/NETFLIX
      Legalização da maconha é tema de Disjointed, série da Netflix protagonizada por Kathy Bates
      Disjointed, estreia em 25 de agosto
      Rei da comédia na TV norte-americana, Chuck Lorre aterrissa na Netflix. O criador de Two and a Half Men (2003-2015) e The Big Bang Theory chega ao mercado de streaming com Disjointed, série sobre a legalização da maconha. A atriz Kathy Bates, vencedora do Emmy por American Horror Story, será a protagonista. Ela interpreta uma advogada que lutou a vida inteira contra a proibição da venda de maconha e finalmente vive o sonho de ser dona de um dispensário que comercializa produtos derivados da erva em Los Angeles.
       
      Fonte: http://noticiasdatv.uol.com.br/noticia/series/novas-series-apostam-em-maconha-liga-de-herois-e-horror-policial--15350
    • Por Bas
      Quem assistiu!?

      Quem curtiu!?

      Deixem suas opiniões

      Quem tiver o link, posta aí!


    • Por albrechtt
      Apresento a todos os usuário do grupo growroon, o novo programa canabico que está rolando no youtube.
      Conto com vocês pra que possamos crescer cada vez mais e que a cada dia, nossa luta pela legalização seja mais fácil. Espero que gostem. ^^

      Vejam os videos abaixo:


      As Primeiras Ondas Canábicas
      http://youtu.be/rm5GPszw2nw

      Ondas Canábicas
      http://youtu.be/6TfMzF-IVhc

      E Se A Maconha Fosse Legalizada
      http://youtu.be/4hH9ECefYO0

      E Se A Maconha Fosse Legalizada (Making off)
      http://youtu.be/FBnLtpriMAU