Entre para seguir isso  
Bas

Evangélicos querem Secretaria de Drogas do MJ e Didática do MEC

Recommended Posts

A bancada evangélica da Câmara dos Deputados cerca o presidente Michel Temer para emplacar apadrinhados na Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, no Ministério da Justiça; e no segundo escalão do Ministério da Educação, que cuida da compra de livros didáticos, o qual praticamente direciona o teor do conteúdo a ser tratado nas escolas.

Vale lembrar que há uma briga ferrenha e antiga da frente cristã do Congresso contra o comitê do MEC, na gestão do PT desde 2003, que trabalhava para inserir no ensino básico a discussão sobre o respeito à diversidade sexual.

O chamado kit gay foi limado na gestão de Fernando Haddad, no primeiro ano do Governo Dilma, após a bancada visitá-la no gabinete no Planalto.

A Secretaria de Drogas do MJ cuida do combate em especial do alastramento do crack.

Fonte: http://colunaesplanada.blogosfera.uol.com.br/2016/05/30/evangelicos-querem-secretaria-de-drogas-do-mj-e-didatica-do-mec/

  • Like 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...
Entre para seguir isso  

  • Conteúdo Similar

    • Por hidrogrow
      Para conhecimento e debate
      Programa da TV Senado do dia 17 de novembro de 2017 sobre a legalização do plantio de maconha para uso recreativo e medicinal.
       
    • Por francisco nabuco
      Independentemente das nossas posições políticas quanto às mudança na presidência, surge uma chance muito interessante de se colocar em pauta a legalização da maconha e seus derivados para fins recreacionais e medicinais. Temer precisa de alguma medida popular entre todos os segmentos da população e com forte apelo social (o o número de prisões por porte ou tráfico é gigantesco). ele na verdade estará acompanhando a modernidade que vem se instalando em vários países, inclusive do cone sul. se isso entra na agenda dele (é fácil pois existem projetos de Lei na Câmara sobre o tema) ele terá muita mídia positiva como governo progressista (que na minha opinião ele não representa; ele é um desastre aéreo). ocorre que temos nossos objetivos e precisamos agir até porque dona Dilma e seu Lula nada fizeram a respeito. que os líderes do movimento, de maneira organizada e sem estereótipos de malandragem saibam usar bem desse momento. entendo de política. sou do ramo e portanto sei o que estou falando.   Fernando Henrique Cardoso vai adorar aparecer para o mundo como o homem que libertou o Brasil dessa tragédia que é a criminalização da erva. ISSO FUNCIONA MUITO BEM!!!!
    • Por CanhamoMAN
      / Blogs e Colunistas
       
         
      Blog
      Reinaldo Azevedo
      Análises políticas em um dos blogs mais acessados do Brasil
         
       
      09/10/2015
       às 3:17 http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/papo-de-maconheiro-o-governo-dilma-essas-coisas-nem-la-nem-ca/
      Papo de maconheiro, o governo Dilma, essas coisas nem lá nem cá…
      Eu vou ser franco. Há coisas que não entendo. Mais precisamente: há pessoas que estão aquém ou além da minha compreensão. Sou muito obtuso para entender, por exemplo, o que diz Marina Silva, presidente da Rede. Sou esforçado. Chego a submeter seus discursos a uma análise sintática. Nada! Dilma Rousseff, que foi sua antípoda no governo Lula, está na mesma categoria. Jamais aceitaria ser seu ministro. Entraria em desespero.
      Eu tenho enorme dificuldade de conviver com anacolutos, com palavras soltas, com ilogismos… Minha mulher, minhas filhas, meus parceiros de trabalho e meus amigos sabem disto: sou tolerante com todas as diferenças do mundo. Mas preciso desesperadamente que as palavras façam sentido. Ou começo a ficar desagradável.
      É por isso que nunca tive paciência com consumidores de maconha. Eles sempre acham que a gente deveria entender o que supõem ter enunciado. Meu problema com esse mato não é de natureza moral. Eu diria que é gramatical mesmo. Vamos ao ponto, que isso já está parecendo papo de maconheiro.
      Dilma reuniu ministros, alguns estavam em viagem, nesta sexta. Exigiu deles fidelidade. Eu já começo a estranhar aí, né? Cobrar um comportamento fiel de quem pode ser demitido e só foi nomeado por vontade de quem faz a cobrança foge à minha compreensão. Outra disfunção deste escrevinhador: tudo o que atenta contra a lógica atenta contra a minha paciência.
      Na primeira fala aos ministros depois da reforma ministerial e da sova que levou no TCU, Dilma fez esta declaração estupefaciente:
      “Querem pôr em andamento um golpe democrático no país”.
      Eu não sei que zorra quer dizer “golpe democrático”. Se é golpe, não é democrático; se é democrático, não é golpe. Quando alguém apela à expressão “golpe democrático” está, a meu juízo, tentando cassar prerrogativas da democracia, acusando-as, então, de golpistas, ou tentando desagravar o golpe.
      De novo: eu sou lógico. A lógica me deixa preciso. E a precisão me faz parecer um sujeito mau, o que não sou. Só uma ex-comunista e ex-terrorista como Dilma recorreria a uma expressão como “golpe democrático”, porque é próprio de alguém com esse passado não saber a diferença entre golpe e democracia. É por isso que ela nunca se arrependeu de seu passado. É por isso que ela não tem futuro no regime democrático.
      E não estou apenas sendo retórico. Ao falar em “golpe democrático”, a presidente soltou um adjunto adverbial: “à paraguaia”, sugerindo que a deposição de Fernando Lugo, no Paraguai, no dia 22 de junho de 2012, foi um golpe. É mentira! Tratou-se de uma solução constitucional. Dilma é que aproveitou para, em companhia do banditismo político de Cristina Kirchner, suspender aquele país do Mercosul e abrigar no bloco a Venezuela, então comandada pelo ditador Hugo Chávez. Desculpem a crueza: esse tipo de fala me dá nojo.
      Ah, sim: no encontro, ficou claro também que o governo espera que a base fique muito atenta ao movimento das oposições — o que me parece, como vou dizer?, prudente. Jaques Wagner, da Casa Civil, revelou que esteve com Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara, e que esse diálogo será constante. Que bom! Mais: também se assegurou que o governo não resume o PMDB a Leonardo Picciani (RJ), líder do partido na Câmara. Deus do céu! A tal reunião, afinal de contas, tratava do quê? De objetivo? O governo prometeu fazer uma cartilha para ajudar os ministros a defender as pedaladas fiscais…
      Wagner chegou a dizer que, em razão da reforma, a “fidelidade do partido ao governo será demandada”. O que quer dizer? Não há mato queimado que explique. Um ser lógico entenderia que, se o governo não for atendido, pode reagir, ora essa… Afinal, não mudou ministério por isso? 
      Ficou claro que não é assim. Se fidelidade não houver, haverá nova rodada de conversa.
      Só faltou queimar mato na reunião.
      Texto publicado originalmente às 2h18
      Por Reinaldo Azevedo
       
       
    • Por CanhamoMAN
      Blitz de trânsito no Brasil vai passar a ter teste de uso de drogas em 2016
      http://br.sputniknews.com/brasil/20150826/1966229.html
      26.08.2015

      A partir do ano que vem, o Brasil vai contar com testes de uso de drogas durante as fiscalizações de trânsito, assim como já acontece na verificação de consumo de álcool, através dos bafômetros.

      Durante audiência pública na Comissão de Viação de Transportes, da Câmara dos Deputados, em Brasília, o assessor do Denatran Departamento Nacional de Trânsito, Daniel Cândido, explicou que os agentes já foram apresentados ao novo kit de detecção de drogas e alguns são capazes de registrar dezenas de drogas através da saliva.

      "Olha, deu entrada, na verdade, pra gente avaliar, um equipamento, um produto que mede, na verdade, a questão de substâncias psicoativas. A relação delas é enorme, de 30 a 40, que é feito pelo exame de saliva". Pelo teste será possível verificar drogas como maconha, cocaína e opiáceos, que são obtidos pelo uso de ópio.

      Dados do Ministério Público, coletados a partir de boletins de ocorrências policiais, laudos de perícia e exames de corpo de delito, revelam que 12% das vítimas fatais de acidentes de trânsito tinham consumido drogas ilícitas.

      Deste total, 71% usaram cocaína ou crack. O chefe da divisão de Planejamento Operacional da Polícia Rodoviária Federal, Edson Nunes de Souza, explica que a falta de kits para detectar o uso de drogas faz com que os policiais usem a intuição na hora da fiscalização no trânsito, pois os bafômetros não são capazes de detectar o entorpecente.

      "Se ele apresenta algum comportamento que dá indícios de ter consumido algum tipo de substância e deu negativo no teste de etilômetro, a gente acredita que ele pode estar sob uso de alguma substância ativa.

      A gente pode encaminhá-lo à polícia judiciária para que esta faça os procedimentos e testes para analisar se realmente ele está sob efeito de alguma droga".

      A audiência na Câmara foi sugerida pelo deputado Hugo Leal, do Pros do Rio de Janeiro, pois o assunto é tema de debate hoje em todo o mundo. Atualmente, o Brasil conta com a lei 13.103/15, que estabelece a realização de exame para analisar o consumo de drogas em motoristas que tirem ou renovem carteiras de habilitação para caminhão, ônibus e veículos com dois reboques.

      Leia mais: http://br.sputniknews.com/brasil/20150826/1966229.html#ixzz3k6ZKW4KA
    • Por JaumRoots
      O desenho de algumas folhas me chamou atenção no meio daquele lixo comum de dia de eleição.
      Indignado com o que li. Conforme prometido segue abaixo, foi mal a demora.