Ir para conteúdo
Growroom

Extrato de cannabis em cigarro eletrônico é melhor para saúde que maconha


Recommended Posts

  • Usuário Growroom

Extrato de cannabis em cigarro eletrônico é melhor para saúde que maconha

http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2016/05/26/cannabis-no-cigarro-eletronico-e-mais-eficaz-para-uso-medicinal.htm

Paula Moura
Colaboração para o UOL

26/05/201610h00
  • folha-de-maconha-1447174166926_615x300.j

Um estudo avaliou a eficácia de uso de maconha em cigarros eletrônicos e descobriu que é uma alternativa mais segura aos cigarros comuns para tratamento terapêutico. A pesquisa publicada na Scientific Reports, do grupo da revista Nature, nesta quinta-feira (26), enfatizou a utilização de óleo de haxixe extraído com butano em vez da planta in natura. Segundo os autores do Centro Universitário de Medicina Legal de Lausanne, na Suíça, é uma nova forma de administrar os canabinoides.

A vaporização como forma de usar os componentes medicinais da planta cannabis é estudada na medicina há cerca de dez anos, mas não havia sido testada cientificamente nos chamados e-cigarettes. "A grande novidade é o estudo do uso do óleo no formato de e-cigarette em vez da planta in natura", diz Renato Filev, pesquisador da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

Os vaporizadores são mais seguros porque quando a maconha é fumada em cigarro comum pode produzir fumaça prejudicial à saúde. Os canabinoides, como THC e BHO, para fazer o extrato usado no cigarro eletrônico foram extraídos com gás butano para produzir o óleo de haxixe concentrado. Amostras dos vapores gerados por três e-cigarettes foram coletadas e analisadas, apresentando muito menos substâncias tóxicas.

 

Getty Images
adolescente-fumando-adolescente-fumando-

 

Os dispositivos usados para a vaporização são filamentos que esquentam para que as substâncias virem vapor sem que haja queima, explica Filev.

"Qualquer matéria orgânica ao ser levada à combustão pode produzir substâncias tóxicas: hidrocarbonetos, que danificam os tecidos, alcatrão e monóxido de carbono (que prejudica troca gasosa no sangue)." Fumar o cigarro comum também pode causar desconforto pulmonar, como aperto no peito, chiado, entre outros sintomas.

Apesar de ser menos tóxico, o óleo pode arrastar outros tipos de produtos como agrotóxicos, traços do solvente ou mesmo fungos e bactérias, aponta o brasileiro. Ele explica que geralmente se usa a flor da planta, que concentra a maior quantidade de resina. Essa resina contém THC (tetrahidrocanabidiol) - substância psicoativa, que provoca euforia-- e CBD ou canabidiol, ambos com efeito medicinal e atuantes contra convulsões.

Vincent Varlet e seus colegas da Suíça avaliam que a vaporização também foi mais eficaz do que remédios com o concentrado de canabidiol ingeridos oralmente.

Além da redução de substâncias tóxicas, os autores da pesquisa acreditam que o uso do extrato e da vaporização representa um risco baixo de serem usados por consumidores de maconha para uso recreativo. Isso porque a solvência do óleo de haxixe de butano em refis comerciais líquidos dificultam a fabricação de refis com concentrações altas de óleo, que são preferidas por esses usuários.

Eles ressaltam que, como apenas um tipo de e-cigarette foi analisado no estudo, outros dispositivos de outras marcas e de extratos podem produzir canabidinoides diferentes e outros níveis de compostos voláteis.

Uma limitação do estudo é que não se comparou o vapor de óleo de haxixe versus a planta in natura também vaporizada, apenas queimada."

Renato Filev, da Unifesp

Brasil proíbe venda de cigarros eletrônicos

No Brasil, há apenas vaporizadores importados e geralmente são mais usados para uso recreativo do que medicinal. Esses dispositivos não geram fumaça nem cheiro forte. "Pessoas usam em locais públicos e passam despercebidos", diz Filev.

Os cigarros eletrônicos são proibidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Segundo a agência reguladora, "a medida levou em consideração a falta de comprovação científica sobre a eficácia e a segurança do produto".

A assessoria de imprensa da Anvisa disse que a proibição foi decidida após consulta pública com a participação de órgãos de defesa do consumidor e que os produtos foram desaconselhados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no final de 2008.

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...
  • Conteúdo Similar

    • Por Tchumin
      Salve, galera do bem!
            Inicio este tópico para tratarmos sobre a utilização da Cannabis na Medicina Veterinária. Como vcs bem sabem, a utilização da maconha medicinal vem crescendo de forma significante no mundo, mas na medicina veterinária é pouco falado (pelo menos pelo que pesquisei). Não encontrei nenhuma rede de vet's que prescrevem, nem mesmo sei como é a posição do CFMV em relação a isso.
      Então a idéia é criar um espaço onde possamos fazer relatos de uso e troca de informações da utilização da cannabis na medicina veterinária.
      Esta idéia surgiu, pois meu cãopanheiro tá doente. Retirou um tumor enorme e está na quimio. Estou na correria para tentar encontrar uma forma legal de tentar amenizar os desconfortos que virão. Logo explico melhor a situação dele.
      Valeu!
       
    • Por Cbdfspanaceia
      Olá pessoal!
      Um amigo meu comprou uma caixa de cbd full spectrum em cápsulas gelatinosa pra mim nos EUA e enviou por correio, para o meu endereço, com o meu nome ligeiramente diferente.
       
      Ele colocou as cápsulas (parecidas com de ômega 3) dentro de um pote de suplemento de óleo de peixe e lacrou novamente o pote. 
       
      Atualmente a medicação está na alfândega “aguardando pagamento”, de acordo com a mensagem do correio. 
       
      Imagino que seja a taxa obrigatória de importação de 15 que todos os produtos q entram no Brasil estão sujeitos. No entanto, como o pacote não possui identificação de cpf e outros documentos do destinatário, o correio pede para efetuar o login e associar seu cpf com a mercadoria para fins de fiscalização aduaneira. 
       
      Ou seja, não é possível pagar a taxa sem me associar a encomenda. E se a taxa não for paga em 30 dias a mercadoria é devolvida.
       
      Será q ela ja foi fiscalizada e só estão aguardado o pagamento? Ou será q ainda vai ser verificada? Tem muita chance de ser pego?
       
      Oq vcs acham?
      Muito obrigado pela ajuda e atenção!!

    • Por ben1O
      Bom dia rapaziada!
      Vim discutir sobre quão prejudicial pode ser usar cigarros como filtro do baseado, sei que em alguns lugares falam "Cigarronha" e por aqui no Rj geralmente se fala "Balão".
      Não gosto muito de fumar o tal balão, mas as vezes acabo fumando porque sinto a onda mais suave. Será que isso faz mal ou não? Para os que não sabem é um baseado que tem como "piteira" um cigarro, não fumamos o cigarro, só a maconha.
×
×
  • Criar Novo...