• ×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

      Only 75 emoji are allowed.

    ×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

    ×   Your previous content has been restored.   Clear editor

    ×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por trevorpeacelove
      Eai pessoal, gostaria da opinião de vocês sobre o acontecido, preciso contextualizar antes.

      Estava a exatos 3 meses sem fumar, hoje tenho 24 e desde os 18 sou usuário, de fumar quase todo dia, minhas bad ate então era ficar "cabreiro", do restante sempre foi boas reflexões filosóficas, risadas, euforia, morga, etc.
      Estou a conhecer uma mina que vem ganhando meu coração, ela sabe que sou maconheiro e que estava sem fumar por 3 meses, ela começou a fumar pouco mais de 6 meses, ela tem 18 anos.
      Eu acabei cedendo a minha proposta de 6 meses e aceitei um convite pra fumarmos junto. TOP tava animadaço, coração a mil, 1- porque já sou meio ansioso, 2-to gostando dela, 3- macooonhaaa.
      Antes desse rolê, estávamos indo bem, química batendo, reciprocidade, conexão se encaixando e só oque me atrapalhava era minha ansiedade em fazer dar certo e preocupado com a aprovação dela em minha ações e falas. Pois bem, então em nosso 4º encontro e por enquanto ultimo foi o seguinte:
      Chegamos no local planejado, era bem calmo, 1 carro passando a cada 1h só.
      Coloquei um lofi, pq ambos curtem.
      demos alguns abraços e beijos antes
      ela me deu a honra de acender, um baseado bem considerável pra duas pessoas
      apos terminar o baseado, trocamos um papo normal e quis analisar o quanto eu estava chapado
      eu de numa escala de 0 a 10 fiquei 8.5 ela disse que 6.5, pois bem
      percebi que não estávamos num time certo, eu muito eufórico e ela bem menos, ate pra beijar e abraçar eu estava muito acelerado, [percebivel
      OFF pra um contexto- Eu na maioria fumava com meus amigos, e lá temos uma cultura de alem dos papos cabeças sermos idiotas e piadistas, creio que isso é normal.
      A PARADA FOI ESSA, eu comecei a ser piadista, mas do bem claro, nada ofensivo, tipo o idiotão da classe, no começo tava massa, tirei varias risadas dela, dela rir pra porra, e nesse caminho entrei num vicio horrível em falar que ta brincando, exemplo, falava uma piada e no final da frase "kkkk brincadeira" mandava mais uma fala zuera "kk to brincando". Ai as vezes era sobre uma coisa sobre ela e falava "kkk to brincando" eu REALMENTE FIQUEI VICIADO EM FALAR ISSO, isso levou 1h30 +-, de tão modo que ela se irritou com razão, ela falo "que porra é essa mano, se é sempre assim?" eu falei que "não! de ficar falando que "to brincando", não! 
      E isso a incomodou a respeito de que nada que eu dizia era concreto e verdadeiro, e eu mesmo fiquei assustado com a situação mas tava chapado, ai ia tentar falar algo falava piada e continuava com o vicio véi.
      Eu ficava em silencio por alguns minutos, conseguia "VOLTAR" mas ai passava um pouco e repetia.. e assim era.
      Foi muito desconfortável pra ela, ela achou que tudo era uma piada ate o fato de eu estar ali e pensou que eu era um Joker do caralho mano, e isso foi triste pra mim.
      Alguns minutos em silencio apos ter "VOLTADO " eu disse pra ela que não sabia oque tava acontecendo e que minhas intenções era só dar amor, carinho e ser engraçado, pra que ela não defina quem sou por isso que estou fazendo, porque isso claramente pra mim estava sendo euforia até o talo, ansiedade, e tanto medo da aprovação sua que tudo que eu falo, estou usando esse gatilho "to brincando" pra sempre ficar em cima do muro sobre oque disse, eu analisando depois, pra mim foi isso, eu disse, inclusive ainda chapado.. e que estou errado sim pois preciso ser mais seguro e confiante. "
      Ela disse que entende e continuamos o role
      o melhores momentos foi no inicio do role, antes de começar meu vicio,
      depois tbm tivemos momentos agradáveis mas ainda com aquilo na cabeça. aquilo que eu digo e que senti é que ela ficou com medo de quem eu sou, ela me acha meio louco, me acha com transtorno de personalidade coisa do tipo, mas eu acho que não tenho isso não mano, nunca me aconteceu e acho que sou normal sim.
      Agora ela ta sem falar comigo  e eu to planejando em pedir pra nos vermos pessoalmente e eu disser oque penso mas eu perdi credibilidade nas minhas falas, eu sei que vou parecer autentico e real a falar sobre isso mas quem tem que avaliar é ela né, e isso ta me matando. Vontade de pedir pra td mundo que já fumei gravar um vídeo falando que não sou assim kkk.

      Como sair dessa com a mina é difícil vocês me ajudarem mas aceito qualquer sugestão e opinião, mas e a opinião sobre esse meu vicio, é preocupante ou bah nem é ? 
      Grato pela atenção pessoal ✌️
    • Por rdguima
      fala galera, entao, eu comecei a fumar logo apos meus 15 anos e parei um pouco antes dos meus 17, eu parei porque eu tive algumas bad trips, algumas vezes,umas 5, e depois em um dia normal na escola eu tive uma crise de panico, ansiedade, depois disso so fumei uma vez e parei mas continuei no mesmo ambiente, sentindo o cheiro, e fiquei com despersonalizaçao, panico, ansiedade,essas coisas,nada diagnosticado ainda, eu fumava menos de um por dia, antes de dormir, e tipo um baseado fino para duas pessoas (eu e meu pai) durava 3,4 dias as vezes passava uma semana sem fumar. Mas logo apos essa crise de panico eu fui ler coisas na internet, e acho que isso piorou kkkkk é isso galera acho que ta meio confuso mas da pra entender 
    • Por lucascbueno
      Eai galera, beleza? Sou novo aqui no fórum (como cadastrado) e venho pedir humildemente a opinião de vocês sobre o que estou passando atualmente.
      Comecei a fumar no final de 2017, depois de me formar no ensino médio e passar no vestibular (tinha 16 anos) no começo eu não conseguia ver a ganja tomando conta da minha rotina, fumava nos finais de semana, nas festas, carnaval, geralmente era uma vez por semana, em 2018 fui morar em outra cidade longe da família em função da faculdade e consequentemente tinha mais "liberdade" para fumar, mas mantinha as responsabilidades, só fumava depois que chegava da facul a noite e tudo tava certo, até que chegou num ponto que comecei a fumar antes da faculdade, depois da academia, ao acordar.. e por aí vai.
      Atualmente to naquela fase que acho que todo adolescente passa, completar 18 anos, ir atrás de carteira de motorista, começar a trampar e por aí vai 
      Há cerca de 3 meses terminei o meu primeiro relacionamento e aos poucos meu uso foi ficando mais e mais frequente, fumando em média 3-5 baseados de 0,5g, minha rotina mudou completamente, parece que o meu corpo não tem disposição nenhuma, deixei meu negócio (tabacaria) ficar totalmente desorganizado, mesmo tendo aumentado o faturamento em geral, e me sinto mal por isso (aliado a questão do término, que depois dele uns amigos que eu via todo dia acabaram tomando seus rumos e fiquei "sozinho", aí comecei a ver as coisas que eu não aproveitava no relacionamento e vem aquela bad vibe) se eu não fumo fico muito mais produtivo, mas quando não fumo não consigo comer quase nada, não consigo dormir, fico pensando na ex, parece que a minha vida mesmo progredindo (financeiramente), tudo piorou.
      Se puderem me ajudar, ou se alguém já passou por uma situação parecida, vocês acham que essa "bad" é pelo excesso de cannabis, pela questão das mudanças entrando na vida de verdade, pelo término, os amigos, ou uma junção de tudo isso?
      Peço desculpas se falei algo desnecessário ou que não cabe falar aqui no fórum, ainda estou aprendendo aqui
    • Por andreziinn
      então fazem 3 meses que estou nesse estado!
      tudo começou com a primeira vez que meu deu uma vibe ruim, misturei alcool e maconha tive a melhor brisa da minha vida até que senteu com meu amigo e ele me falou "cuidado pra não ter alucinação" pronto na hora eu comecei a querer a voltar ao normal uma crise que eu não faço ideia do que foi, não conseguia deitar no colchão totalmente acelerado e com muito medo, dormi e no outro dia ja estava melhor embora durante a semana eu estava mais medroso que o normal mas isso logo passou e minha vida voltou ao normal, duas semanas depois falei quer saber vou fumar de novo, fumei ta curtindo a onda até que senti uma pressão muito forte na cabeça e fui beber agua, voltei sem medo nem nada ai derepente me lembrei que meu amigo tinha falado pra eu tomar cuidado que o "preto veio" baixava em quem fumava canoeiro, pronto começou outra "crise" mas essa foi diferente eu estava meio que lucido "dei só um pega" me afastei deles e fui pro quarto assisti algumas coisa pra assistir e peguei no sono no dia seguinde ja acordei com uma confusão mental/pensamentos acelerados muito forte eu tava muito puto pq ja nas primeiras horas do meu dia meu cachorro quebrou meu carregador ai dps fui pesquisar achei muita coisa, vi sobre despersonalização, pronto entrei em uma noia de ficar querendo voltar pra mim, toda hora eu repetia pra mim mesmo "calma você ta aqui" ai fui pesquisar de novo achei a esquizofrenia, foi ai onde tudo começou, todo barulho que eu escutava achava que era coisa da minha cabeça, cheguei ao ponto de perguntar pra minha mãe se ela estava vendo o gato (o gato estava ali) ela falou claro, pq não estaria. tudo eu achava que estava ficando louco, só sabia chorar e ficar pesquisando coisa na internet, o medo tomou conta de mim não conseguia se quer assistir uma missa, falei com o amigo que estava na primeira crise, ele me levou pra casa deles no goias pra me destrair um pouco, melhorei bastante cheguei a ficar 90% ainda lembrava da situção e com uns pensamentos repetitivoz até que ele e a mina dele foram pra sp dnv e eu fiquei la sozinho com o irmão dele, ou seja tive outra recaida começei a pesquisar dnv começei a ficar mal, achei que estava com toc, tag, psicose, esquizofrenia, voltei pra sp ao chegar aqui tive outras crises tipo tava assistindo de volta pro futuro e no final do filme eu pensei "e se fosse eu nesse filme, com o psicologico fudido" pronto falta de ar, medo desespero ao ponto de chamar minha mãe, ai tb tive umas noia de reparar nas piscadas respirações, ponta do nariz, e do nada vem uma sensação de que nada é real (oque me da mais medo). esses dias tava em call com uma mina que eu gosto, ai ela foi dormir ai do nada eu pensei e se ela não existe e isso foi uma coisa da minha cabeça (eu estava lucido eu sabia que ela estava ali) pronto aquelas mesmas sensações de desespero, até agora estou assim, não consigo parar de pensar nisso por nada, só fico pesquisando e uma sensação que estou louco pois ontem fui denovo pesquisar sobre esquizofrenia, psicose, não suporto mais isso ja fui atrás de psicologo e nada, estou desesperado
      não consigo ajuda, não conheço ninguem que ja passou por isso, queria ajuda, se alguem ja passou por isso responde ai ou me add no face 
      andré luiz sou de barretos a capa do meu face é uma ft preta 
      ou me chama no whats 
    • Por nedelpablo
      Boa noite queridos companheiros. 
      Li diversos típicos sobre o uso da maconha em relação a ansiedade, casos que ajudaram depressão, que "afloraram" pensamentos e tudo mais, muitos deles.
      Abro este tópico para explicar a minha situação e talvez "achar" uma resposta e trocar conhecimentos e informações. 
      A cerca de 5, 6 anos fumei a marvada pela primeira vez, era jovem, adolescente e imaturo. Meu pai consumia na época e consome até hoje. Um dia ele foi trabalhar e eu resolvi dar uns pegas, pra sentir qual era a brisa, coisa de guri novo.
      Com certeza naquela época foi a pior sensação da minha vida, não sei explicar, mas parecia que meu corpo simplesmente não estava preparado para aquilo, fiquei paranoico, agitado, com frio e medo. Botei na minha cabeça que nunca mais iria fumar, passei a adolescência inteira sem por um baseado na boca e sempre tive amigos usuários. Isso é apenas um detalhe da minha trajetória com a nossa querida amiga verde.
      Aos 18 anos, resolvi experimentar novamente, sentia que a minha vida precisava de algo inovador, que tudo aquilo que senti quando mais jovem, já tinha se disseminado em minha mente e tinha total controle sobre meus pensamentos, e meus amigos, quando eu fumei, aquilo realmente foi uma das melhores sensações da minha vida, não existem palavras que se encaixem no prazer que senti, mas isso é apenas detalhes do meu relato.
      Logo após o meu "primeiro" consumo, comecei a fumar regularmente, uma vez por semana, duas e assim foi aumentando. 
      Já no meu segundo ano de consumo, estava exagerando, mesmo, fumando 3, 4 baseados ao dia. O meu consumo sempre foi prensado, infelizmente. Nas últimas semanas de consumo fumei 25g em menos de duas semanas, isso é um número alto de consumo diário, apenas pra mim e mais ninguém, tudo isso eu tenho noção de que foi um reflexo da minha vida e dos meus hábitos e pensamentos, eu usei nesse volume pq achei uma "saida" dos meus problemas na querida. Tenho total noção disso. 
      Depois de tanta trova irei explicar o meu problema.
      Na minha última semana usando a erva, como de rotina estava no meio de uma madrugada, mais uma daquelas em que eu fumava vários baseados, estava eu, fumando antes de dormir, e comecei a me sentir diferente, meu coração começou a acelerar, mãos começaram a suar e pensamentos de morte ou doenças dominaram a minha mente, tudo isso de uma forma poderosa, de que algo errado estava acontecendo comigo, logo após os meus batimentos acalmarem, eu sentia um frio intenso, um cansaço enorme. Logo pensei que fosse problemas de saúde, procurei um médico, fiz exames cardiológicos e nada, tudo perfeitamente normal.
      Depois deste dia em que "passei mal" meu consumo nunca mais foi o mesmo, sentia a mesma sensação, coração simplesmente acelerava MUITO, e só passava após o efeito deixar meu organismo, as vezes no outro dia. 
      Estou a mais de um mês sem usar, sem fumar, confesso que não sinto saudades, mudei muitos hábitos da minha vida desde então, sentia que precisava de uma repaginada e que de certa forma o que me aconteceu estava relacionado aos meus hábitos e minha vida pessoal. 
      Mas a grande dúvida que tenho até hoje é
      Sera que um dia irei conseguir voltar a fumar como antes, sentirei prazer novamente no meu organismo/mente? Isso me faz pensar bastante, se o meu organismo simplesmente se esgotou do efeito. Não sinto vontade de fumar nem me "bato" se tem alguém fumando ao meu redor, mas gostaria realmente de saber se um dia irei voltar a ter aquela brisa maravilhosa de antes, sem alterar nada no meu organismo.
      Peço desculpas pelo tópico enorme e um pouco enrolado, se alguém achar meio confuso estou aberto a esclarecer mais alguns detalhes.
      Obrigado família.