Ir para conteúdo
Growroom

Maconha na Psicologia


H. H. Costa

Recommended Posts

  • Usuário Growroom

O livro CASO 181, narra a história de um estudante de Psicologia que fuma Maconha, 

e passa a observar os grupos "Sativos" no intuito de desenvolver um estudo sobre a 

questão social da maconha. 

No desenrolar da história, Sexo, Drogas & Rock n' Roll.

 

Livro anexo abaixo.

CASO 181 - H. H. Costa.pdf

  • Like 1
  • Thanks 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

16 minutos atrás, H. H. Costa disse:

O livro CASO 181, narra a história de um estudante de Psicologia que fuma Maconha, 

e passa a observar os grupos "Sativos" no intuito de desenvolver um estudo sobre a 

questão social da maconha. 

No desenrolar da história, Sexo, Drogas & Rock n' Roll.

 

Livro anexo abaixo.

CASO 181 - H. H. Costa.pdf

 

Você já leu o livro?

Vale a pena ou é baboseira?

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Respondendo a sua pergunta sobre o Livro Caso 181,

fica difícil de não te dar uma resposta pessoal, sendo que Eu escrevi o Livro,

mas garanto que não é baboseira,  é uma obra bem estruturada e totalmente contra cultural,

que apoia e questiona valores não só da Maconha, mas de outras drogas e outras questões ligadas ao ser humano, de forma Revolucionária.

Espero que goste da leitura!!

 

Abraço, H. H. Costa.

  • Like 3
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 4 weeks later...
  • Usuário Growroom

Que da hora, acho que maconha e psicologia juntas não foram tão exploradas como deveriam (ou foi mas eu não tive acesso antes), acho psicologia muito interessante, e sob os diversos efeitos que a ganja produz deve ser algo fascinante para se "estudar".

To lendo um livro no momento, mas assim que eu tiver lido com calma e formado uma boa opinião voltarei pra dar o feedback.   é noiz !

:roll-up:  

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 1 month later...
  • Usuário Growroom
Em 23/12/2015 at 22:06, .DON disse:

Que da hora, acho que maconha e psicologia juntas não foram tão exploradas como deveriam (ou foi mas eu não tive acesso antes), acho psicologia muito interessante, e sob os diversos efeitos que a ganja produz deve ser algo fascinante para se "estudar".

To lendo um livro no momento, mas assim que eu tiver lido com calma e formado uma boa opinião voltarei pra dar o feedback.   é noiz !

:roll-up:  

 

O Livro é uma Mensagem ContraCultural..

Pô cara, fico no aguardo do Feedback..

 

valeu!

 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
Em 15/12/2015 at 23:46, bujjhati disse:

Que legal cara, foi publicado por alguma editora?

Vou dar uma lida mais tarde quando estiver de férias.

 

 

Fiz algumas tiragens independentes. Tô levantando uma grana pra imprimir mais exemplares.

Projeto 2016!

Valeu

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 weeks later...
  • Usuário Growroom

Li alguma introdução e me interessei bastante. Certeza que outras pessoas vão se identificar com essa 'inadequação' ao 'mundo real e seus complementos'.

Mais ainda, me identifiquei com a tua escolha quanto ao curso... Desde o fundamental que meu objetivo como profissão é psiquiatria e hoje estagio num hospital psiquiátrico. Todo esse processo pelo qual se passa, desde a fixação de metas, valores e desejos até a experimentação do tal objetivo, na prática

Tem bastante coisa que é gostoso de conversar e tá no livro, dá pra escrever um post imenso.
Parabéns pela obra, cara. Vou ler o quanto antes

Cê fez uma revisão ortográfica?

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
Em 05/02/2016 at 10:35, welson disse:

Cara seu livro e uma obra de arte, apesar de ainda não ter terminado de ler, eu também sou estudante de psicologia, ainda mais que você conheceu uma galera da minha cidade, (Montes Claros).

Valeu Camarada!!

Espero que ajude a enxergar a Psicologia de uma forma mais interessante..

 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
Em 10/02/2016 at 11:00, Cumpadre disse:

Li alguma introdução e me interessei bastante. Certeza que outras pessoas vão se identificar com essa 'inadequação' ao 'mundo real e seus complementos'.

Mais ainda, me identifiquei com a tua escolha quanto ao curso... Desde o fundamental que meu objetivo como profissão é psiquiatria e hoje estagio num hospital psiquiátrico. Todo esse processo pelo qual se passa, desde a fixação de metas, valores e desejos até a experimentação do tal objetivo, na prática

Tem bastante coisa que é gostoso de conversar e tá no livro, dá pra escrever um post imenso.
Parabéns pela obra, cara. Vou ler o quanto antes

Cê fez uma revisão ortográfica?

 

Acho que o ponto mais forte, é que durante a leitura o próprio livro faz esse diálogo com o leitor, e abre possibilidades de novas discussões

com outras pessoas, ou consigo mesmo.

 

Eu mesmo fiz a revisão, quis usar uma linguagem menos formal, uma "Literatura Urbana".

 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 1 month later...
  • Usuário Growroom

Cara, comecei a ler seu livro, me identifiquei com varias partes já, muito bacana sua idéia, vou terminar-lo também e volto. Mas vou fazer o mesmo questionamento ou até que fique uma sugestão, você fez uma revisão com word ou lendo tudo? Tem uma palavrinha ou outra escrita de forma errada, mas nada que interfira na idéia. Parabéns pela iniciativa, tinha uma ex-namorada que fazia psicologia, e sempre conversávamos sobre algumas linhas de pensamento depois de fumar um... Me interesso muito por psicologia e esse formato de livro é interessantíssimo pra quem é "de fora". 

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
4 horas atrás, Salagreen disse:

Cara, comecei a ler seu livro, me identifiquei com varias partes já, muito bacana sua idéia, vou terminar-lo também e volto. Mas vou fazer o mesmo questionamento ou até que fique uma sugestão, você fez uma revisão com word ou lendo tudo? Tem uma palavrinha ou outra escrita de forma errada, mas nada que interfira na idéia. Parabéns pela iniciativa, tinha uma ex-namorada que fazia psicologia, e sempre conversávamos sobre algumas linhas de pensamento depois de fumar um... Me interesso muito por psicologia e esse formato de livro é interessantíssimo pra quem é "de fora". 

Cara, 

eu mesmo fiz a revisão, confesso que é bem cansativo e que alguns erros passam por causa da associação da palavra já instituída na mente. Vou fazer uma outra revisão com mais calma pra identificar estes erros, salvo aqueles na qual utilizei um vocabulário mais informal, pois quis escrever como se estivesse contando a história para o leitor, utilizando uma linguagem mais urbana, do jeito que se fala, mas valeu pela ideia! Espero que viaje na leitura..

Valeu!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...
  • Conteúdo Similar

    • Por hit420cs
      Aí eu queria contar um relato meu que eu passei um tempo atrás, não sei se foi a maconha que causou minha psicose diretamente ou se foi conjuntos que eu estava passando por uma fase difícil e por (traumas passados, isso era o motivo da paranóia) , eu tive isso e fiquei mais ou menos 1 mês com paranóia ansiedade e Pânico, achava que alguém queria me matar e achava que sempre tinha alguém me perseguindo mas isso por conta do trauma, de fora não tinha nenhuma outra paranóia era apenas pelo trauma e eu tava tomando rispiridona, fiquei uns 3 meses tomando o remédio aí parei fiquei suave, e quando eu tava fumando eu n sentia fome, não entendi essa de falta de apetite, mas eu estava abusando, fumando pra krl, eu fiquei desnutrido eu acredito que eu tava com uma sativona ou tinha outra coisa no meu pren(outra droga) não sei se teria como eu perceber se tinha algo mas tinha gosto e cheiro de erva e eu ficava bem elétrico, fiquei sem dormir uns 2 ou 3 dias se dormi eu dormia um pouco e já acordava e ia fumar, acredito que não tinha muito cbd pq não causava relaxamento, fiquei umas 2 semanas fumando dessa erva e depois comecei a abusar aí que tive o surto, eu fumei uma vez depois disso e foi suave, uma brisa boa, fumei um pren mas não fumei muito( a erva que eu tava fumando quando eu tive o surto era diferente era uma brisa bem estimulante mas não curti, a brisa das outras erva que eu fumava sempre foi mais suave tipo eu ficava de boa batia uma larica escutava uma música, essa aí eu n conseguia parar quieto) e depois do surto fiquei um pouco depressivo não tinha ânimo pra nada aí comecei a fazer academia e fiquei 100% e tô assim até hoje e bebo uns gole nós final de semana, alguém aí tem um relato parecido? Fala pra nois aí. Se eu voltar a fumar posso surtar de novo ou isso vai depender do meu estado de mente e espírito? O que vocês acham? Fiquem na Paz ✌️
    • Por babydarling
      Eu fumava maconha desde os 16 e atualmente tenho 22, mas não era usuária, fumava de vez em quando e um pouco apenas para ficar alegre ou leve.
      Eu tinha experimentado papel uma vez, mas não me causou nada demais e tinha vontade de experimentar novamente, no começo desse ano, o momento chegou e resolvi dropar um papel, só que eu dropei uma quantidade muito grande, segundo a minha amiga. Na hora só estava eu e meu namorado no quarto e o que eu senti, nunca aconteceu antes: a famosa “bad trip”. No começo era como se tudo que eu tivesse vivido fosse uma mentira, depois eu literalmente senti que morri e tava no meu pós vida, eu não conseguia falar nada, as coisas ficavam em loop, depois em câmara lenta, teve uma hora que senti que se abrisse a porta do meu quarto seria a porta para entrar no inferno, enfim realmente eu nunca tinha sentido nada igual então me deixei levar pela bad, acho que nesse dia fui até a última camada da minha mente, foi horrível, mas por estar com meu namorado e minha amiga depois chegou para ajudar, então consegui sair da bad. Beleza, vida que segue. Falei que nunca mais iria usar papel.
      Depois de um mês, fumei um baseado, mas foi bem pouco mesmo e “pá” entrei na bad trip de novo, dessa vez foi menos intensa, apesar de eu estar em um ambiente onde eu só conhecia minha amiga, eu já tinha noção que tudo que acontecia era coisa da minha cabeça e ao invés de ficar trancada dentro da casa que me causava um pouco de pânico, a gente saia para eu espairecer o que me ajudava a ficar “sã”. Enfim, na primeira vez que aconteceu isso, eu superei, era como se nada tivesse acontecido, mas na segunda bad apesar de ter sido mais “tranquila”, eu não consigo “superar” vez ou outra fico pensando nisso, e isso foi em fevereiro, eu tento desviar meu pensamento quando acontece mas sempre vem as lembranças. Inclusive teve um dia que eu não tinha fumado, nem bebido nada, e simplesmente eu senti como se estivesse entrando na bad. Foi muito do nada, acho que durou uns 3 minutos, fiquei dizendo a mim mesma que era coisa da minha cabeça, que tava tudo normal, mas parecia muuuito um começo de bad trip. Foi muito estranho, porque realmente era um dia comum e eu não tinha usado nada, isso que vem me assustado... Talvez, por pensar demais está me causando algum tipo de transtorno/trauma...  Minha bad vem muuuito visual e sonora, então por mais que eu tente me concentrar tá tudo distorcido, voz, pessoas, olhares, etc então, por mais que eu tente manter a calma é difícil porque tudo ao meu redor tá distorcido.
      Resolvi então ler sobre os sintomas pós-bad trip, encontrei esse site e resolvi contar minha experiência para vocês. 
    • Por BrunaSella
      Olá, estou passando por uma experiência muito negativa com a maconha e preciso de ajuda
        não uso com frequência, devo ter usado umas 10 vezes no máximo
      mas essa semana eu e meu namorado resolvemos fumar, estávamos no quarto dele que é bem fechado e bolamos um beck “grande” não era um fininho.
       No começo da onda tava tudo bem, tive uma crise de riso q eu não conseguia me controlar de tanto q eu ria porém, em uns 5 minutos a crise de risada começou a virar uma dor muito forte no peito parecia q eu ia infartar e meu coração ia sair pra fora do peito, comecei a me desesperar é só piorava jurei q fosse morrer, bebi uma água tentei me acalmar mas então decidimos pedir um uber e ir pro upa (meu namorado tbm estava com mal estar porém n sentia essa dor no peito só o coração acelerado) tive uma bad trip daquelas, músculos do corpo inteiro contraindo, tremedeira, dormência q estava toda hr em um lugar, fora a tontura, fraqueza, parecia q estava tudo em câmera lenta, e tbm via tudo em quadros como se a mesma coisa estivesse acontecendo dnv e dnv, foi barra, chegando lá eu fiz um eletrocardiograma e deu tudo normal, voltei pra casa.
       Porém desde então eu venho tendo alguns sintomas estranhos já fazem 5 dias q isso aconteceu porém a dor no peito a dormência q as vezes fica nos braços ou nas pernas, me sinto fraca, meu corpo todo dói, sem falar q fico pensando demais é isso só acaba piorando, já fiz uns 3 eletros, já fiz raio x do tórax e até então tudo normal, porém não aguento mais sentir isso, fico tendo uns comportamentos repetitivos tipo ficar mexendo a perna, inquieta msm e só queria saber se é normal sentir isso por tanto tempo.
       O que mais vem me perturbando é a dor no peito q cada hr está em um lugar sinto tbm alguns tremores as vezes enfim TODA BICHADA KKK e eu ainda fico pesquisando os sintomas q eu tenho (o que não ajuda nenhum pouco) alguém q já tenha passado por isso?? Quando isso vai passar? Ou o que eu posso fazer pra acabar com isso. Sério já cheguei a chorar pq n aguento mais!!
      obs: meu namorado tbm teve a bad só q ele já está bem e eu ainda estou nessa 
×
×
  • Criar Novo...