Ir para conteúdo
Growroom

Recommended Posts

Boas pessoal da casinha!

Primeiramente peço licença para abrir o tópico relatando um pouco da viagem para o país vizinho que fiz com minha esposa e filha de 03 anos.

O Uruguai é uma das joias brutas da América Latina. Embora tenha sido delimitado entre os “gigantes” Brasil, ao norte, e Argentina, ao sul, a República Oriental conseguiu tecer sobre si um manto de cultura e tradições invejável. Num belo entrosamento entre o cosmopolita e o rural, possui a menor taxa de analfabetismo, com mais de 97% da população alfabetizada, e o segundo maior índice de leitura entre os países latino americanos. É possível enxergar os resultados disso nos mais diferentes aspectos, como a hospitalidade do povo, a arquitetura e urbanismo das cidades e na própria forma como os uruguaios encaram a vida.

A melhor maneira de conhecer o país turisticamente falando é de carro, há vários postos onde pode se abastecer carros movidos a álcool ou gasolina (sem misturas) porém prepare o bolso, pois por lá paga-se o absurdo de quase R$ 6,00 o litro da mesma.

Atualmente como no Brasil, o pais vem passando por momentos de turbulência na economia, e o que se vê por lá é um povo muito consciente com relação a tudo, a grande maioria ainda anda com carros antigos ou ditos populares econômicos, as casas são simples (exceto Punta del Leste e Montevidéu) e ao contrário do que eu mesmo pensava, a grande maioria da população é contra muitas ideias do governo Mujica (atualmente comandado por seu sucessor Tabaré Vázquez).

Cultivo de cannabis e growshops:

O cultivo indoor por lá ainda é bem modesto, pois as contas de luz e água são extremamente caras, então o que está ganhando cada vez mais força são os clubes canábicos, cada pequena cidade tem o seu e facilmente qualquer um tem acesso.

As growshops sobrevivem da venda de equipamentos, fertilizantes e parafernálias (assim como no Brasil). A venda de seeds por lá é legal e qualquer um consegue comprar, porém, passa longe de ser o carro chefe delas, pois lá pode-se comprar seeds pela internet e mandar entregar em sua casa sem problemas, então, basicamente as vendas se restringem aos turistas (principalmente Brasileiros).

Growshops visitados:

· Hydropoint - Maldonado (bem completa e boa variedade de seeds);

· Urugrow – Montevideo (a mais antiga do país, também com boa variedade);

· Tu Jardim Cultivos – La Paloma (não possui loja física, apenas entrega via motoboy e pouca variedade).

Strains: Boas opções dos Seedbanks Positronics, Eva Seeds, Royal Queen Seeds, Medical Seeds, Resin Seeds, Nirvana e ótimas cruzas caseiras (regalos).

Dicas importantes:

· Para cruzar a fronteira seja discreto e leve sempre o Rg com no mínimo 10 anos;

· Se for comprar seeds, evite ao máximo comprar outros itens de cultivo e tão pouco andar com grandes quantidades de fumo.

· Se for de carro tire a carta verde: http://www.cnseg.org.br/cnseg/internacional/mercoseguro/carta-verde/, isso é muito importante para uma viagem tranquila, em uma batida policial ela se faz necessária para não “acharem” algo que esteja irregular em seu carro (sim há policiais corruptos por lá também) que cobrará em Peso ou em Dólar um arrego que sairá mais caro do que tirar esta carta no Brasil, no meu caso não precisei nem apresentar minha CNH para eles em uma batida na estrada;

· Troque o Real em qualquer casa de câmbio do Uruguai, será melhor cotado que no Brasil;

· É um pais com outros costumes, então saiba chegar que será bem vindo;

· Não seja um joker smoker, leve sempre um verde para apresentar para os locais e será muito bem recompensado com os regalos;

· Conheça o Parque Nacional de Santa Tereza https://pt.wikipedia.org/wiki/Parque_Nacional_de_Santa_Teresa lugar com muita estrutura para acampar e lindas praias com altas ondas para quem surfa, ondas internacionais como La Moza, Playa de Las Achiras e Playa del Barco.

· Conheça também: Punta del Diablo, La Paloma, Punta del Leste – Maldonado e Colônia.

Meu destino de viagem era outro porém o Uruguai é o pais mais próximo ao Brasil onde pode-se comprar sementes sem maiores inconvenientes, corri o risco uma vez em pedir seeds pela internet e sabia que o risco de cair a casa seria grande e os gastos com advogado poderia passar dos 5 mil reais, então pensando nisto, juntei essa mesma grana e investi nesta trip, que para minha felicidade saiu tudo como planejado e consegui voltar com um número considerável de exemplares, que manterá meu auto sustento canábico por pelo menos uns 05 anos de cultivo.

Abro este espaço para que a galera opine e deixe seu comentário relatando também sua experiência no país vizinho.

Obrigado mais uma vez Growroom! Bons Húmos!

  • Like 59
  • Thanks 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Excelente relato ! Estou pensando em ir conhecer de perto após o carnaval, e quanto ao consumo como que está ? Apesar de poder fumar aonde se fuma cigarros não há estigma/taboo ? Abs

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Excelente relato ! Estou pensando em ir conhecer de perto após o carnaval, e quanto ao consumo como que está ? Apesar de poder fumar aonde se fuma cigarros não há estigma/taboo ? Abs

Blz Sonofthebong!

Por lá é tranquilo, normal ver pessoas nos parques ou nas praças apertando seu baseado sem problemas, seguindo a mesma regra do tabaco (não fumar em locais fechados).

Pode ir sem medo que o país é lindo, e tem uma excelente comida!

Abraço parceiro.

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Relato inspirador,vontade de ir para especificamente trazer seeds não faltam,vou juntar uma grana para tal. Diz ae South o que mais chamou a atenção nas ricas cartelas de seeds que avistou? Genéticas impares ou strains em sua maioria comerciais? Rare dankness,Dutch passion,Soma estão em alguma preteleira por lá? Quais foram as suas escolhas? Abraço e grato por relatar a experiência.

  • Like 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Relato inspirador,vontade de ir para especificamente trazer seeds não faltam,vou juntar uma grana para tal. Diz ae South o que mais chamou a atenção nas ricas cartelas de seeds que avistou? Genéticas impares ou strains em sua maioria comerciais? Rare dankness,Dutch passion,Soma estão em alguma preteleira por lá? Quais foram as suas escolhas? Abraço e grato por relatar a experiência.

Blz Coruja Verde.

Acredito que pela baixa procura por seeds nas growshops eles não possuem tantas opções para escolha à pronta entrega.

Trabalham na grande maioria com as strains "comerciais", porem é possível efetuar encomenda de qualquer seed do catálogo existente na loja (requer um pouco mais de tempo no local) e efetuar a retirada posteriormente.

Minha opção de compra foi basicamente automáticas devido ao pouco espaço para cultivo que tenho, porém trouxe alguma coisa também de feminilizada para um futuro próximo.

Segue algumas das minhas escolhas (disponíveis no dia a pronta entrega):

Royal Queen Seeds (PAC. com 05 seeds)

* Royal Kush Auto

* Royal Haze Automatic

* Amnesia Haze Auto

* Blue Cheese Auto

Positronics (PAC. com 05 seeds)

* Northern Haze Express

* Super Cheese express

* May Day express

* Jack Diesel express

* Afghan express

* Critical Express

Nirvana (PAC. Com 05 seeds)

* Blue Mystic

*Short Rider

*Jack Horror

Eva Seeds (Pac com 03 seeds)

* Pink Plant - Fem

* Jamaican Dream - Fem

Resin Seeds (pac com 03 seeds)

* Hammer Shark

E varias cruzas caseiras que ganhei de presente!!!

Valew,

  • Like 18

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Coisa linda,esse da positronics está interessante a variação

Destaque tbm para a Jock horror com skunk e hazes no sangue e o blended jamaicano Jamaican dream da Eva.

Vlw South,vamos ver crescer essas pérolas ...Abraço e paz

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito massa seu relato! clap

Tô doido pra ir no Uruguai dar uma sacada como tá a cena por lá...

Chile, agora Uruguai... Tá ficando mais fácil de conseguir sementes aqui pelo Mercosul mesmo. É uma ótima opção, ao invés de correr o risco de pedir pelo correio.

  • Like 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Coisa linda,esse da positronics está interessante a variação

Destaque tbm para a Jock horror com skunk e hazes no sangue e o blended jamaicano Jamaican dream da Eva.

Vlw South,vamos ver crescer essas pérolas ...Abraço e paz

Vamos sim parceiro!

obrigado,

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

South, a questão dos camarões pra turistas, como que é essa cena lá? É hard achar por lá?

Blz Survive.

Na verdade nem pensei nesta função pois "levei o bolo de casa para festa", mais pelo que vi encontra fácil...

Abraço

  • Like 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Blz Coruja Verde.

Acredito que pela baixa procura por seeds nas growshops eles não possuem tantas opções para escolha à pronta entrega.

Trabalham na grande maioria com as strains "comerciais", porem é possível efetuar encomenda de qualquer seed do catálogo existente na loja (requer um pouco mais de tempo no local) e efetuar a retirada posteriormente.

Minha opção de compra foi basicamente automáticas devido ao pouco espaço para cultivo que tenho, porém trouxe alguma coisa também de feminilizada para um futuro próximo.

Segue algumas das minhas escolhas (disponíveis no dia a pronta entrega):

Royal Queen Seeds (PAC. com 05 seeds)

* Royal Kush Auto

* Royal Haze Automatic

* Amnesia Haze Auto

* Blue Cheese Auto

Positronics (PAC. com 05 seeds)

* Northern Haze Express

* Super Cheese express

* May Day express

* Jack Diesel express

* Afghan express

* Critical Express

Nirvana (PAC. Com 05 seeds)

* Blue Mystic

*Short Rider

*Jack Horror

Eva Seeds (Pac com 03 seeds)

* Pink Plant - Fem

* Jamaican Dream - Fem

Resin Seeds (pac com 03 seeds)

* Hammer Shark

E varias cruzas caseiras que ganhei de presente!!!

Valew,

e ai brow e o preço das seeds e normal aos dos growshops europeus ne

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

e ai brow e o preço das seeds e normal aos dos growshops europeus ne

Beleza Embargos Infrigentes

Sim, pac. com 05 seeds a partir de 800 Pesos a 1.100,00 ( aprox. R$ 98,00 a R$ 140,00).

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito bom mesmo o relato!!

Só uma coisa que não entendi. Você disse que com a quantidade de seeds que você comprou, dará para uns 5 anos de plantio.

Você não tira clones? Com os clones você pode ter erva pra sempre, e 100 de fêmeas...

Abs

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito bom mesmo o relato!!

Só uma coisa que não entendi. Você disse que com a quantidade de seeds que você comprou, dará para uns 5 anos de plantio.

Você não tira clones? Com os clones você pode ter erva pra sempre, e 100 de fêmeas...

Abs

Boas Walter W.W.

Essa foi apenas uma conta por sima que fiz levando em consideração meu espaço (04 plantas) e 04 ciclos no ano (plantas automáticas).

As feminilizadas vou guardar para um futuro próximo e com certeza perpetuá-las quando tiver mais espaço para o cultivo.

Abraço parceiro.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

SERA QUE DA PARA PEDIR PARA ENTREGAREM? VIA AEREO?

Boa Sebrae12

Eles fazem entregas apenas em território nacional (legalmente falando).

Existem seedbanks do Chile que sei que enviam para toda América do Sul.

Valeu.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pô irmao muito bom o relato tô começando a juntar uma grana pq para 2016 minha esposa já programou uma viagem mas 2017 já avisei é Uruguai!!!!!

Blz Aromabus

Se taca que é uma boa trip para levar a patroa e o melhor de tudo é que nem precisa juntar tanto dinheiro assim.

Valeu parceiro!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...

  • Conteúdo Similar

    • Por jAH kNOW
      O parágrafo único, do artigo 1º da Lei 11.343/2006 prevê que "consideram-se como drogas as substâncias ou os produtos capazes de causar dependência, assim especificados em lei ou relacionados em listas atualizadas periodicamente pelo Poder Executivo da União". Para os crimes previstos na Lei de Drogas, portanto, é necessário complemento normativo revelador do que venha a ser caracterizado como droga. Tem-se hipótese de norma penal em branco heterogênea, porquanto o conteúdo da norma é complementado por fonte diversa daquela que a editou, no caso, uma autarquia — Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) —, vinculada ao Ministério da Saúde.
      No caso, a norma complementadora é a Portaria SVS/MS nº 344/1998, editada pela Anvisa. Apenas serão consideradas drogas, para os fins previstos na Lei nº 11.343/2006, aquelas substâncias presentes na norma complementadora. Ainda que determinada substância cause dependência física ou psíquica, sua não inserção no rol de substâncias proibidas, nos termos da Lei de Regência, implica na impossibilidade de que quaisquer condutas relacionadas a tais produtos sejam objeto de incidência das disposições incriminadoras da Lei de Drogas, apesar de poderem caracterizar outras condutas típicas, como, por exemplo, o contrabando.
      No tocante especialmente à maconha, veja-se que a Portaria SVS/MS nº 344/1998, da Anvisa, prevê expressamente a substância Tetrahydrocanabinol (THC), presente na planta Canabis Sativa, como droga. Ocorre que a semente da planta não possui em sua composição o THC, gerando inúmeras discussões a respeito da tipicidade de condutas relacionadas à tal grão, porquanto, destinado à produção da planta, e esta sim, à substância entorpecente em si. Seriam, ou não, as sementes consideradas matéria-prima para a produção de droga [1]?
      Nessa perspectiva, o Superior Tribunal de Justiça firmou entendimento de que a importação clandestina de sementes de Cannabis Sativa configura o tipo penal descrito no artigo 33, §1º, I (matéria-prima, insumo ou produto químico destinado à preparação de drogas), da Lei nº 11.343/2006 [2], não sendo cabível a aplicação do princípio da insignificância na hipótese de importação clandestina de produtos lesivos à saúde pública, em especial a semente de maconha. O quadro implicou a formalização de impetrações perante o Supremo, basicamente, sob o fundamento de que as sementes não podem ser consideradas matéria-prima ou insumo destinado à preparação da droga, vez que delas não se extrai substância com efeitos entorpecentes, sendo as condutas a elas relacionadas insuscetíveis, portanto, de caracterizar delito previsto na Lei de Drogas. Alega-se ainda a viabilidade de aplicação do princípio da insignificância, pela ofensividade mínima da conduta e ausência completa de periculosidade social do agente.
      Nesse ponto, é relevante destacar decisões que externam posição de avanço quanto ao tema das drogas. Os fundamentos lançados nas impetrações perante o Supremo dizem respeito à pequena quantidade de sementes e à pendência da análise, pelo tribunal, da constitucionalidade do crime de porte de drogas para consumo próprio, não havendo, em algumas delas, contudo, alusão à presença ou não do THC nas sementes.
      No Habeas Corpus nº 143.798/SP, o ministro Luis Roberto Barroso deferiu a ordem, em 19 de dezembro de 2019, para trancar ação penal na origem, considerado o delito de porte de droga para uso próprio, ante a reduzida quantidade de substâncias apreendidas. O caso concreto é consubstanciado na importação, pelo paciente, através da internet, de 14 sementes de maconha [3]. O relator considerou plausível a alegação de que a conduta praticada pelo paciente se amolda, em tese, ao artigo 28 da Lei de Drogas, referindo à discussão, pendente de julgamento final, a respeito da constitucionalidade do dispositivo pelo Plenário do Supremo Tribunal Federal [4]. Na decisão, o ministro aludiu ao próprio voto proferido no âmbito do Recurso Extraordinário nº 635.659, no qual propôs a afirmação, em repercussão geral, da seguinte tese: "É inconstitucional a tipificação das condutas previstas no artigo 28 da Lei no 11.343/2006, que criminalizam o porte de drogas para consumo pessoal. Para os fins da Lei nº 11.343/2006, será presumido usuário o indivíduo que estiver em posse de até 25 gramas de maconha ou de seis plantas fêmeas. O juiz poderá considerar, à luz do caso concreto, (i) a atipicidade de condutas que envolvam quantidades mais elevadas, pela destinação a uso próprio, e (ii) a caracterização das condutas previstas no artigo 33 (tráfico) da mesma Lei mesmo na posse de quantidades menores de 25 gramas, estabelecendo-se nesta hipótese um ônus argumentativo mais pesado para a acusação e órgãos julgadores".
      Também no Habeas Corpus nº 131.310/SE, o impetrante articulou com a ínfima quantidade de droga adquirida para consumo pessoal, dizendo-a incapaz de afetar ou comprometer a livre volição do paciente ou a saúde pública, o que afasta qualquer possibilidade de lesão ou mesmo de ameaça de lesão à saúde pública. Adotando idêntica interpretação àquela lançada ao caso mencionado, o relator, ministro Luis Roberto Barroso, destacando sobretudo a reduzida quantidade de substância entorpecente para uso próprio, concedeu a ordem, trancando a ação penal na origem. O caso é alusivo à importação, da Holanda e pela internet, de cinco sementes de maconha e 0,52 grama de substância psicotrópica, de uso proscrito no Brasil, denominada "Sálvia 'X' — Salvironina 'A'".
      Diversos outros casos, submetidos à apreciação do Supremo Tribunal Federal, tiveram ordens concedidas em Habeas Corpus para absolver o paciente ou trancar processo crime relacionado especificamente à importação de sementes de maconha, considerada a atipicidade conduta pela ausência da substância THC nos grãos.
      No âmbito da 2ª Turma, verificou-se a concessão da ordem nos Habeas Corpus nº 142.987/SP [5], alusivo a 15 sementes de Cannabis Sativa; nº 143.557/SP [6], referente a dez sementes de maconha; nº 144.161/SP [7], no qual o caso concreto diz respeito à importação de 26 sementes de maconha; e nº 144.762/SP [8], alusivo à importação de 18 sementes de maconha. As decisões, em geral, adotaram como premissa dois fundamentos: o primeiro é o de que as sementes não podem ser consideradas matérias-primas, tendo em vista que delas não se pode extrair o produto vedado pela norma (THC), mas, sim, da planta geminada da semente. O segundo, é de que o fruto do plantio seria para uso próprio, de forma que há real plausibilidade na alegação de que a conduta praticada pelo paciente se amoldaria, em tese, ao artigo 28 da Lei de Drogas, dispositivo cuja constitucionalidade, como já consignado, está sendo discutida pelo Supremo Tribunal Federal.
      Também mediante atuação individual, observam-se decisões da ministra Carmem Lúcia — Habeas Corpus nº 163.730/SP [9] —, do ministro Edson Fachin — Habeas Corpus nº 149.575/SP [10], no qual acionou o artigo 192 do Regimento Interno do STF [11], assentando encontrar-se a matéria consolidada na jurisprudência do tribunal —, do ministro Ricardo Lewandowski – Habeas Corpus nº 149.199/SP [12], referente a importação de 37 sementes de maconha provenientes da Holanda, e nº 153.568/SP [13], caso em que o paciente foi denunciado por tráfico de drogas por ter importado 15 sementes de Cannabis Sativa —, e do ministro Celso de Mello, no Habeas nº 143.890/SP.
      A análise das recentes decisões do STF revelam que a ausência da substância THC nas sementes implica na atipicidade da conduta, porque não há dúvida de que a semente em si não é droga, não podendo ser considerada, portanto, matéria-prima ou insumo ou produto químico destinado à preparação de droga ilícita.
      A discussão sobre o porte de drogas para consumo se projeta, também, sobre o tema da inconstitucionalidade da proibição da conduta, sob o enfoque da violação à intimidade e à vida privada, valores constitucionalmente protegidos e que instrumentalizam o postulado da secularização, garantindo radical separação entre o direito e a moral. Apesar de certa irreversibilidade do processo de incorporação, pelas legislações contemporâneas, de bens jurídicos que declaram proteção de interesses abstratos sob o rótulo de interesse públicos, em fenômeno chamado neoespiritualização do bem jurídico, não se pode deixar em segundo plano e ao esquecimento o sujeito concreto envolvido na situação-problema [14]. A análise do tema, sob a sistemática da repercussão geral, encontra-se em curso no âmbito do já mencionado Recurso Extraordinário nº 635.659.
       
      [1] Conforme Vicente Greco Filho e João Daniel Rassi, matéria-prima é a substância de que podem ser extraídos ou produzidos os entorpecentes que causem dependência física ou psíquica (GRECO FILHO, Vicente; RASSI, João Daniel. Lei de drogas anotada. 3ª ed. São Paulo: Saraiva, 2009. p. 99).
      [2] STJ, EDcl no AgRg no REsp 1.442.224/SP, Rel. Ministro Sebastião Reis Júnior, Sexta Turma, j. 13/09/2016.
      [3] No caso, o juízo de origem desclassificou a imputação do crime de tráfico de drogas para o de contrabando e aplicou o princípio da insignificância com fundamento na pequena quantidade da substância apreendida. Nesse contexto, o magistrado rejeitou a denúncia. No Superior Tribunal de Justiça, o relator deu provimento ao recurso especial formalizado pelo Ministério Público, para receber a denúncia, considerada a imputação do artigo 33, § 1º, da Lei de Drogas, e determinar o prosseguimento do processo-crime.  
      [4] STF, Recurso Extraordinário nº 635.659/SP, relator ministro Gilmar Mendes, com repercussão geral reconhecida.
      [5] STF, HC 142.987/SP, Rel. Min. Gilmar Mendes, Segunda Turma, j. 11/9/2018. Habeas Corpus. 2. Importação de sementes de maconha. 3. Sementes não possuem a substância psicoativa (THC). 4. 15 (quinze) sementes: reduzida quantidade de substâncias apreendidas. 5. Ausência de justa causa para autorizar a persecução penal. 6. Denúncia rejeitada. 7. Ordem concedida para determinar a manutenção da sentença e do acórdão do Tribunal Regional Federal da 3º Região.
      [6] STF, HC 143.557/SP, Rel. Min. Dias Toffoli, Segunda Turma, j. 11.9.2018. Habeas corpus. 2. Importação de sementes de maconha. 3. Sementes não possuem a substância psicoativa (THC). 4. Reduzida quantidade de substâncias apreendidas. 5. Ausência de justa causa para autorizar a persecução penal. 6. Ordem concedida.
      [7] STF, HC 144.161/SP, Rel. Min. Gilmar Mendes, Segunda Turma, j. 11/9/2018. Habeas corpus. 2. Importação de sementes de maconha. 3. Sementes não possuem a substância psicoativa (THC). 4. 26 (vinte e seis) sementes: reduzida quantidade de substâncias apreendidas. 5. Ausência de justa causa para autorizar a persecução penal. 6. Denúncia rejeitada. 7. Ordem concedida para determinar a manutenção da decisão do Juízo de primeiro grau.
      [8] STF, HC 144.762/SP, Rel. Min. Dias Toffoli, Segunda Turma, j. 11/9/2018. Habeas corpus. 2. Importação de sementes de maconha. 3. Sementes não possuem a substância psicoativa (THC). 4. Reduzida quantidade de substâncias apreendidas. 5. Ausência de justa causa para autorizar a persecução penal. 6. Ordem concedida.
      [9] STF, HC 163.730/SP, Rel. Min. Carmen Lúcia. j. 23/10/2018.
      [10] STF, HC 149.575/SP, Rel. Min. Edson Fachin. j. 13/12/2018.
      [11] Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal. "Artigo 192 - Quando a matéria for objeto de jurisprudência consolidada do Tribunal, o Relator poderá desde logo denegar ou conceder a ordem, ainda que de ofício, à vista da documentação da petição inicial ou do teor das informações".
      [12] STF, HC 149.199/SP, Rel. Min. Ricardo Lewandowski. j. 18/9/2018.
      [13] STF, HC 153.568/SP, Rel. Min. Ricardo Lewandowski. j. 11/10/2018.
      [14] CARVALHO, Salo de. A Política Criminal de Drogas no Brasil: estudo criminológico e dogmático da Lei 11.343/2006. 6ª ed. São Paulo: Saraiva, 2013, pp. 418-419.
      Fonte: Revista ConJur 
      Por: Rafael Ferreira de Souza
      Assessor de ministro do Supremo Tribunal Federal, delegado de Polícia da Polícia Civil do Distrito Federal, pós-graduado pela Fundação Escola do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios.
    • Por Doobie97
      Salve growers, boa noite!
      To com quase tudo certo pra começar meu grow, e gostaria de comprar umas seeds da fastbuds pelo seedsman.         Li recentemente que a maioria de pedidos de sementes vindo de fora estavam sendo retidos pela PF, incluindo vários do seedsman. Gostaria de saber se ainda está rolando muito dessa?
      Além disso, alguém que comprou pelo seedsman recentemente teve sucesso, e se sim, qual a média de tempo para chegar?
      Valeu galera, e bom grow pra todos!
    • Por QueFitaHeim?
      ALGUÉM COMPROU NO CANNABIORGANIC.COM NOS ÚLTIMOS DIAS ?
      To achando que ta rolando um golpe sério lá, eu sei que o .br é falso mesmo, mas muita gente ta dizendo que é furada comprar mesmo no site .com 
      Fiz compra de 3 sementes lá, e ninguém me responde 
    • Por dnbs
      Expocannabis Uruguay

      Encuentro internacional de cannabis y cáñamo. Shows, stands & conferencias
      📅 6, 7 y 8 de diciembre 2019
      🚩 Montevideo, Uruguay
      👉 Entradas Ticketuno.com www.expocannabis.uy
      ➡️ GUIA URUGUAI PARA MACONHEIROS - Download Grátis http://bit.ly/2LLxHU5
       
      Criei o tópico para o povo que esta afim de ir esse ano de 2019 ja ir se organizando e se algum veterano quiser ajudar é uma boa.
      Dúvidas frequentes:
      - Evento/Ingressos
      - Dicas de hospedagem
      - Programas de Passagens
      - Roteiro
      - Roteiro intercalando estados

×
×
  • Criar Novo...