dine

Stf Deve Julgar Neste Semestre Descriminalização Do Porte De Drogas

Recommended Posts

Em 17/02/2017 at 09:49, Tok disse:

Estão arrumando terreno pra privatizar os presídios! 

A maconha é um dos ovos que eles vão quebrar pra esse omelete.

almoco grátis só com os cachorros

Cara, não leva a mal, mas não entendi sua metáfora. Na minha cabeça, lembrando que empresas privadas visam lucro por número de detentos (mais detentos=maiores lucros), privatização de presídios deveria levar a um aumento do encarceramento via maior marginalização da sociedade. Até aí, ok, tudo faz sentido nesse país corruto... Mas me questiono: descriminalizar a maconha não vai na contramão desta ideia?

Me dá uma luz aí...

  • Like 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 17/02/2017 at 12:26, Venom420 disse:

05onfire1_xp-master768-v2.jpg

Se descriminalizar o autocultivo terapêutico eu ficarei assim. Mesmo com o Brasil em crise (pela milhonézima vez em 30 anos)

 

De boa, o Brasil sempre foi complicado e sempre está às vésperas de quebrar, de uma crise, de recessão, etc. O ser humano adora se sentir perto da catástrofe. Ontem mesmo era pro mundo ter acabado, de novo.

Sempre foi assim. Nasci em 83, já vi 12 zeros cortados na moeda, vi mudar de moeda umas 4-5 vezes, vi inflação de 80% ao mês, vi a Ditadura cair e a Constituição nascer (já é a 4ª ou 5ª na nossa história :rolleyes:), vi Sarney presidente, vi o povo elegendo o Collor na primeira eleição direta hahaha, o impitchimá dele, vi o real, vi a crise dos tigres asiáticos, vi o 11 de setembro, vi o Lula se elegendo prometendo mudar tudo e tudo continuar quase igual, etc.

Quando foi melhor? Onde foi melhor? E para quem era melhor? Melhor perguntar essas coisas do que ficar num romantismo de que as coisas eram boas e estão piorando sem parar. 

A vida continua no meio disso. No fim o que importa são as coisas mais próximas á nós... se se apegar ao contexto geral e esperar boas notícias ou se estabilizar pras coisas acontecerem, nunca vai acontecer nada. 

É mano !

Nós geração anos 80 / 90 não é VENDADO quem nem esses mano ai que desde 2011 tá esperando dos políticos a salvação .

Nóis já viu o que tinha que ver e viu que não mudou e não vai mudar porque a maioria que está lá dentro é oposição ao nosso direito por conservadorismo .

Andorinha sozinha não faz verão . E o que temos lá dentro no meio dos milhares de engravatados do poder são andorinhas solitárias hiper-inteligentes que não podem e nem conseguem fazer nada porque não conseguem deter a grande maioria de ANTAS que está impedindo o caminho da legalização e da paz de ser trilhado . Para o poder, prisão e preso é produto para lavagem de dinheiro e abertura de empresas de segurança em nome de amigos e laranjas que nunca são pegos pela RECEITA FEDERAL . Enquanto preso for um produto lucrativo (que move pelo menos 60%$ de todo $$$ recolhido do nosso imposto (direta e indiretamente) ), eles vão investir em cadeias e IGNORAR a saúde pública (que morram "quem" os "elegeu"), IGNORAR a FALTA de VAGAS nas faculdades públicas, IGNORAR o SUOR do trabalhador que vai pagar 49 anos de aposentadoria para dar entrada com 65 e receber com 70, prestes a morrer e sem condições alguma de viver decentemente com uma aposentadoria defasada de onde se tira CONVÊNIO MÉDICO R$600,00 e o resto os velhinhos compram de remédio e moram de favor na casa dos filhos . Tudo isso porque a FORMA que o governo encontra de consegui COLOCAR o DINHEIRO do POVO no bolso deles é INVESTINDO NAQUILO que dá pra lavar dinheiro (presídios) . Hospital que salva gente é PREJUÍZO ! ESCOLHAS que acolhem ALUNOS é prejuízo ! E o BURRO ELEITOR BRASILEIRO ainda tá nessas de ir votar em branco ou nulo, assistindo todo dia a novela no CANAL Justiça (TV Senado) com esperanças de que o POLÍTICO de terno e gravata vai ouvir o nosso zumbido de querer a legalização total e completa da maconha, assim como a regulamentação . Então nós da geração anos 80 e 90 não caímos mais nessa ! Só essa mulecada do INDOOR ai que vive em prédio e sala de aula de faculdade (diz que se mata pra viver pra ter isso, né ?) é que tá nessas ai (desde 2011) botando FÉ no HOMEM . (maldito o homem que confia e espera d'outro homem) . #Bíblico . Neguim fala que cre na bíblia e acredita em Deus, mas ama pastor e político corrupto ! (espera deles a salvação) .

#FiquemAiEsperandoFiões

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Com o careca no lugar do Teori esse processo só anda quando ele sair.

Ele já disse que é contra, se for mesmo esse processo não anda.

Mas ele também pode estar jogando com a torcida e vai votar não só pra dizer que é contra e o barco segue.

É muito interesse envolvido.

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Nesse "Encontro com Fatima Bernardes" com o D2, no final os caras dão a letra.
Os grandes investidores do mundo vão colocar o $$ na cannabis em 2017.

O Brasil é o pais perfeito para esse negocio. E tenho certeza que algumas industrias ja estao plantando em larga escala para se preparar para a legalização.

Afinal de contas, quem esta investindo nessa propaganda pró cannabis que aparece na GLOBO?
uma propaganda de 30 seg do fantastico custa 1 milhao de reais.
Ja foram 2 ou 3 reportagens,
agora essas do encontro com fatima bernardes.

tem alguem investindo pesado no lob da legalização.
Eles ainda nao estao preocupados com o aspecto legal, pq o lobby ainda é pelas mentes. Querem que a população brasileira aprove o uso de cannabis, antes de legalizar.

Fica mais facil de vender os produtos.

  • Like 4

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Adaptar e sobreviver gurizada, brasil sendo brasil, quem se desespera ou acha que tem como resolver tudo de uma vez acaba pirando... Na conjuntura atual temos que agradecer cada dia que não rola um grande retrocesso, corrupção eh um problema? Sem dúvida, mas o foco não eh soh nos políticos, quem elege essa patotinha ou apoia quando eles pisam na democracia eh o próprio povo, o problema do Brasil eh o desdenho pela cultura e pela informação, dentre os maconheiros mesmo existe ignorância e preconceito com diferentes formas de administrar maconha, dae eu pergunto, como se resolve a ignorância num país? Tendo em vista que nas escolas a grande maioria dos estudantes não quer saber de porra nenhuma e estão lah pq os pais obrigam... Como motivar as pessoas a buscarem informação e nunca ficarem satisfeitas com uma versão só?... Complicado, o negócio é "contar as bênçãos"...

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
2 horas atrás, fangorn disse:

Nesse "Encontro com Fatima Bernardes" com o D2, no final os caras dão a letra.
Os grandes investidores do mundo vão colocar o $$ na cannabis em 2017.

O Brasil é o pais perfeito para esse negocio. E tenho certeza que algumas industrias ja estao plantando em larga escala para se preparar para a legalização.

Afinal de contas, quem esta investindo nessa propaganda pró cannabis que aparece na GLOBO?
uma propaganda de 30 seg do fantastico custa 1 milhao de reais.
Ja foram 2 ou 3 reportagens,
agora essas do encontro com fatima bernardes.

tem alguem investindo pesado no lob da legalização.
Eles ainda nao estao preocupados com o aspecto legal, pq o lobby ainda é pelas mentes. Querem que a população brasileira aprove o uso de cannabis, antes de legalizar.

Fica mais facil de vender os produtos.

O Luciano Huck que bancou o documentário "Quebrando o Tabu" que o irmão dele, Fernando Groinstein, dirigiu. Pra mim ele deve ser um dos caras que está de olho nisso aí, fazendo lobby na Globo, pra deixar de ser milhonário e passar a ser bilhonário. Foda né?

Não é só a emissora Globo, mas o jornal O Globo que faz matérias periódicas defendendo a legalização. Não acredito no bom senso dessa galera da mídia não, cada segundo que eles colocam na programação, e cada palavra que colocam nos impressos, é com algum interesse próprio. 

 

2 horas atrás, Rasthael disse:

Adaptar e sobreviver gurizada, brasil sendo brasil, quem se desespera ou acha que tem como resolver tudo de uma vez acaba pirando... Na conjuntura atual temos que agradecer cada dia que não rola um grande retrocesso, corrupção eh um problema? Sem dúvida, mas o foco não eh soh nos políticos, quem elege essa patotinha ou apoia quando eles pisam na democracia eh o próprio povo, o problema do Brasil eh o desdenho pela cultura e pela informação, dentre os maconheiros mesmo existe ignorância e preconceito com diferentes formas de administrar maconha, dae eu pergunto, como se resolve a ignorância num país? Tendo em vista que nas escolas a grande maioria dos estudantes não quer saber de porra nenhuma e estão lah pq os pais obrigam... Como motivar as pessoas a buscarem informação e nunca ficarem satisfeitas com uma versão só?... Complicado, o negócio é "contar as bênçãos"...

 

Disse tudo. O Brasil é um colosso gigante e desajeitado que dá um passo pra frente, 2 pros lados e 3 pra trás. 

Tento olhar pelo lado positivo ainda. Imagine se estivessemos nas Philipinas, com aquele presidente psicopata? Foda imaginar que ainda existem lugares piores que aqui em muitos sentidos.

  • Like 4

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O que está faltando para essa RE andar logo de uma vez por todas!!!!

Fiocruz vai desenvolver medicamento à base de maconha para o SUS

por Débora Melo  publicado 20/02/2017 09h24, última modificação 20/02/2017 17h20
Rico em canabidiol, remédio será destinado a portadores de doenças que causam epilepsia severa e atingem principalmente crianças

59da5720-0cbe-4c1d-ab5b-eb1ed09860a6.jpe

Fitomedicamento à base de cannabis será produzido pela Farmanguinhos, laboratório da Fiocruz

Em um prazo de cinco a dez anos, pacientes que sofrem com a chamada epilepsia refratária (resistente a tratamentos tradicionais) poderão ter acesso a um fitomedicamento à base de maconha por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Essa é a previsão do Instituto de Tecnologia em Fármacos da Fiocruz (Farmanguinhos), laboratório farmacêutico vinculado ao Ministério da Saúde, para o desenvolvimento e registro de um remédio brasileiro com alta concentração de canabidiol (CBD), uma das substâncias presentes na cannabis.

Aprovado em 2016 pela Fiocruz, o projeto surgiu de uma demanda da Associação de Apoio à Pesquisa e Pacientes de Cannabis Medicinal (Apepi) e da Associação Brasileira para a Cannabis (Abracannabis). As entidades apontaram que a importação do extrato de CBD, autorizada desde 2015 pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), não garante o acesso ao tratamento. Além da burocracia envolvida no processo, a importação tem um custo proibitivo, que varia de 1 mil reais a 8 mil reais por mês, em média.

“O que nos motivou foi exatamente o caso de mães e pais que estão observando uma melhora no quadro clínico das crianças a partir de medicamentos importados ou extratos artesanais”, diz o diretor-executivo do Farmanguinhos, Hayne Felipe da Silva, à frente do projeto.

De acordo com relatos das famílias, o número de crises e convulsões foi reduzido drasticamente após o tratamento com CBD. “Hoje existe base científica suficiente no mundo demonstrando os efeitos terapêuticos do extrato de cannabis sativa”, continua o pesquisador.

O projeto está ainda em fase de elaboração, na qual é preciso definir, por exemplo, de onde virá a matéria-prima. “Não está nos nossos planos fazer cultivo. Uma alternativa é importar as flores e desenvolver o extrato ou importar o extrato pronto. Estamos estudando. Queremos trabalhar na mesma lógica que trabalhamos com os produtos de base sintética: alguém nos fornece o insumo farmacêutico ativo e nós o transformamos em comprimidos, cápsulas, xaropes, pomadas”, explica Silva.

Concluída essa primeira etapa, o estudo terá de passar pelos testes pré-clínico e clínico (fases 1, 2 e 3), de segurança e eficácia, exigidos para o registro de qualquer medicamento. “Também precisamos buscar financiamento. A princípio, buscaremos junto ao Ministério da Saúde e a fontes de fomento governamentais", afirma Silva. "Como instituição pública autárquica, cabe a nós fazer esse caminho”, diz.

Com o projeto em gestação, diz o pesquisador, ainda não é possível fazer uma estimativa de orçamento. A previsão é que o registro do fitomedicamento junto à Anvisa e a sua consequente distribuição no SUS ocorra em um prazo de cinco a dez anos.

Extrato artesanal

Mesmo com iniciativas de laboratórios farmacêuticos em curso, famílias e pacientes lutam para garantir o direito ao cultivo de cannabis e à produção caseira do extrato, por enquanto permitidos apenas com autorização judicial.

d0a12102-baca-4f40-83ec-9210ce482d28.jpe

A fim de trazer mais segurança ao tratamento, a professora Virgínia Carvalho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), lançou o projeto de extensão FarmaCanabis, que vai analisar a concentração dos canabinóides como CBD e THC (sigla para tetrahidrocanabinol, que possui efeitos psicoativos) presentes no extrato de maconha artesanais e importados.

Os extratos fabricados nos Estados Unidos, por exemplo, são registrados como suplemento alimentar pelo governo americano e não tiveram que passar pelo rigoroso controle de qualidade aplicado aos medicamentos.

A partir dessa análise, que será oferecida gratuitamente, as famílias poderão desenvolver um tratamento seguro e eficaz junto a médicos e cientistas. Os resultados também serão usados no projeto da Fiocruz, que firmou uma parceria com a UFRJ.

Diante da restrição de verbas da universidade, a Apepi lançou uma campanha de financiamento coletivo por meio do site Catarse. A iniciativa busca arrecadar 60 mil reais para equipar o laboratório, e as doações podem ser feitas até as 23h59 desta segunda-feira 20.

Tanto os pacientes que sofrem com epilepsia quanto aqueles que fazem uso terapêutico da maconha para tratar sintomas de doenças como câncer e esclerose múltipla poderão ter seus extratos analisados pelo FarmaCanabis.

fonte: http://www.cartacapital.com.br/sociedade/fiocruz-vai-desenvolver-medicamento-a-base-de-maconha-para-o-sus

  • Like 13

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
12 horas atrás, Juniaum disse:

O que está faltando para essa RE andar logo de uma vez por todas!!!!

Fiocruz vai desenvolver medicamento à base de maconha para o SUS

por Débora Melo  publicado 20/02/2017 09h24, última modificação 20/02/2017 17h20
Rico em canabidiol, remédio será destinado a portadores de doenças que causam epilepsia severa e atingem principalmente crianças

59da5720-0cbe-4c1d-ab5b-eb1ed09860a6.jpe

Fitomedicamento à base de cannabis será produzido pela Farmanguinhos, laboratório da Fiocruz

Em um prazo de cinco a dez anos, pacientes que sofrem com a chamada epilepsia refratária (resistente a tratamentos tradicionais) poderão ter acesso a um fitomedicamento à base de maconha por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Essa é a previsão do Instituto de Tecnologia em Fármacos da Fiocruz (Farmanguinhos), laboratório farmacêutico vinculado ao Ministério da Saúde, para o desenvolvimento e registro de um remédio brasileiro com alta concentração de canabidiol (CBD), uma das substâncias presentes na cannabis.

Aprovado em 2016 pela Fiocruz, o projeto surgiu de uma demanda da Associação de Apoio à Pesquisa e Pacientes de Cannabis Medicinal (Apepi) e da Associação Brasileira para a Cannabis (Abracannabis). As entidades apontaram que a importação do extrato de CBD, autorizada desde 2015 pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), não garante o acesso ao tratamento. Além da burocracia envolvida no processo, a importação tem um custo proibitivo, que varia de 1 mil reais a 8 mil reais por mês, em média.

“O que nos motivou foi exatamente o caso de mães e pais que estão observando uma melhora no quadro clínico das crianças a partir de medicamentos importados ou extratos artesanais”, diz o diretor-executivo do Farmanguinhos, Hayne Felipe da Silva, à frente do projeto.

De acordo com relatos das famílias, o número de crises e convulsões foi reduzido drasticamente após o tratamento com CBD. “Hoje existe base científica suficiente no mundo demonstrando os efeitos terapêuticos do extrato de cannabis sativa”, continua o pesquisador.

O projeto está ainda em fase de elaboração, na qual é preciso definir, por exemplo, de onde virá a matéria-prima. “Não está nos nossos planos fazer cultivo. Uma alternativa é importar as flores e desenvolver o extrato ou importar o extrato pronto. Estamos estudando. Queremos trabalhar na mesma lógica que trabalhamos com os produtos de base sintética: alguém nos fornece o insumo farmacêutico ativo e nós o transformamos em comprimidos, cápsulas, xaropes, pomadas”, explica Silva.

Concluída essa primeira etapa, o estudo terá de passar pelos testes pré-clínico e clínico (fases 1, 2 e 3), de segurança e eficácia, exigidos para o registro de qualquer medicamento. “Também precisamos buscar financiamento. A princípio, buscaremos junto ao Ministério da Saúde e a fontes de fomento governamentais", afirma Silva. "Como instituição pública autárquica, cabe a nós fazer esse caminho”, diz.

Com o projeto em gestação, diz o pesquisador, ainda não é possível fazer uma estimativa de orçamento. A previsão é que o registro do fitomedicamento junto à Anvisa e a sua consequente distribuição no SUS ocorra em um prazo de cinco a dez anos.

Extrato artesanal

Mesmo com iniciativas de laboratórios farmacêuticos em curso, famílias e pacientes lutam para garantir o direito ao cultivo de cannabis e à produção caseira do extrato, por enquanto permitidos apenas com autorização judicial.

d0a12102-baca-4f40-83ec-9210ce482d28.jpe

A fim de trazer mais segurança ao tratamento, a professora Virgínia Carvalho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), lançou o projeto de extensão FarmaCanabis, que vai analisar a concentração dos canabinóides como CBD e THC (sigla para tetrahidrocanabinol, que possui efeitos psicoativos) presentes no extrato de maconha artesanais e importados.

Os extratos fabricados nos Estados Unidos, por exemplo, são registrados como suplemento alimentar pelo governo americano e não tiveram que passar pelo rigoroso controle de qualidade aplicado aos medicamentos.

A partir dessa análise, que será oferecida gratuitamente, as famílias poderão desenvolver um tratamento seguro e eficaz junto a médicos e cientistas. Os resultados também serão usados no projeto da Fiocruz, que firmou uma parceria com a UFRJ.

Diante da restrição de verbas da universidade, a Apepi lançou uma campanha de financiamento coletivo por meio do site Catarse. A iniciativa busca arrecadar 60 mil reais para equipar o laboratório, e as doações podem ser feitas até as 23h59 desta segunda-feira 20.

Tanto os pacientes que sofrem com epilepsia quanto aqueles que fazem uso terapêutico da maconha para tratar sintomas de doenças como câncer e esclerose múltipla poderão ter seus extratos analisados pelo FarmaCanabis.

fonte: http://www.cartacapital.com.br/sociedade/fiocruz-vai-desenvolver-medicamento-a-base-de-maconha-para-o-sus

131% da meta atingida! Acredito que eses R$ 79.502 vão ser muito bem usados pelo projeto e vão ajudar muito a nossa causa. Andamos a passos de tartaruga, mas cada dia é um avanço sem volta.

Vai abrir a porteira e a boiada vai passar sim. Não tem mais volta!

 

  • Like 4

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Moraes disse na sabatina que não iria se posicionar sobre a descriminalização, disse ainda que a descriminalização não iria acabar com o crime organizado, que em vez do crime organizado do tráfico seria crime organizado do contrabando, citando como exemplo contrabandistas que exportaram cigarros para Europa da África que exterminaram traficantes de maconha porque era mais lucrativo (?). Porém disse que é a favor da distinção clara entre traficantes e usuários e que não é a favor de pena de privação de liberdade para usuários. Acho que podemos considerar isso uma notícia mais ou menos, pelo menos não é ruim. O mais importante é que ele devolva o processo o mais rápido quanto antes. Isso nos deixa mais tranquilo pelo menos?

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
3 minutos atrás, John Grower disse:

Moraes disse na sabatina que não iria se posicionar sobre a descriminalização, disse ainda que a descriminalização não iria acabar com o crime organizado, que em vez do crime organizado do tráfico seria crime organizado do contrabando, citando como exemplo contrabandistas que exportaram cigarros para Europa da África que exterminaram traficantes de maconha porque era mais lucrativo (?). Porém disse que é a favor da distinção clara entre traficantes e usuários. Não sei se isso é uma notícia boa ou ruim.

Vindo dele, essa notícia é boa sim. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

http://g1.globo.com/politica/noticia/moraes-diz-que-nao-falara-sobre-descriminalizar-maconha-em-sabatina.ghtml

 

Eu acho que o Moraes vai é segurar essa bucha com ele até que não seja mais possível, ou alguém de maior escalão "mande" ele soltar.... hoje mais do que nunca a maconha está na mídia.... continuemos pregando a paz, o ativismo e aguardemos...

  • Like 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 minuto atrás, Conde RaH disse:

Ele não se posicionou sobre o processo em andamento. Só disse ser a favor da distinção entre traficante e usuário, independente se é descriminalizado ou não.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Uma vez assisti uma entrevista do Moraes, quando ele ainda era secretário de segurança do Alckmin, onde ele dizia ser contra o encarceramento em massa e tinha algumas propostas para melhorar esse problema. Por exemplo, não prender pessoas que cometeram crimes sem violência, etc. Enfim, não acho que ele seja tão radical assim.

 

Vou até assistir essa entrevista de novo para ver o que ele fala sobre as drogas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

não dou um centavo furado por esse mané.

é um fantoche político.

ele que prove o contrário, dando o voto no julgamento e passando a bola. fdp.

  • Like 7

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, Lugas-GrowerMan disse:

não dou um centavo furado por esse mané.

é um fantoche político.

ele que prove o contrário, dando o voto no julgamento e passando a bola. fdp.

Com certeza a ordem já foi dada. Ele votará ainda esse ano e vai votar pelo não, obviamente por questões de imagem. Mas já mandaram ele votar, ah se mandaram...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
3 minutos atrás, Coyotebc disse:

Com certeza a ordem já foi dada. Ele votará ainda esse ano e vai votar pelo não, obviamente por questões de imagem. Mas já mandaram ele votar, ah se mandaram...

Votando sim ou não o importante é ele devolver o processo, provavelmente o sim será maioria.

  • Like 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
4 horas atrás, John Grower disse:

Votando sim ou não o importante é ele devolver o processo, provavelmente o sim será maioria.

O sim já ganhou, o que nos fode a vida é esse lenga lenga da justiça. Mas faz parte do jogo, imagina quanta mão ainda precisa ser molhada antes disso estar de fato decidido? A indústria do segmento é bilionária, as farmacêuticas devem estar dando pulinhos de alegria a cada reportagem patrocinada em horário nobre. O lobby está aí batendo na nossa cara, não enxerga quem não quer.

  • Like 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
32 minutos atrás, Venom420 disse:

Só quero que essa porra volta ao julgamento. 

Quando a gente menos esperar o careca vai por em pauta.

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
11 horas atrás, John Grower disse:

Moraes disse na sabatina que não iria se posicionar sobre a descriminalização, disse ainda que a descriminalização não iria acabar com o crime organizado, que em vez do crime organizado do tráfico seria crime organizado do contrabando, citando como exemplo contrabandistas que exportaram cigarros para Europa da África que exterminaram traficantes de maconha porque era mais lucrativo (?). Porém disse que é a favor da distinção clara entre traficantes e usuários e que não é a favor de pena de privação de liberdade para usuários. Acho que podemos considerar isso uma notícia mais ou menos, pelo menos não é ruim. O mais importante é que ele devolva o processo o mais rápido quanto antes. Isso nos deixa mais tranquilo pelo menos?

eu não acredito em mau caráter, ainda mais qnd o puto é um escalado para espalhar decisões favoráveis àqueles que estão com a corda no pescoço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

“Não vou me posicionar, porque, se aprovado for, isso [a descriminalização da maconha] está em discussão no STF. E mais, isso está com um pedido de vista, no gabinete do saudoso ministro Teori. E, se aprovado for, herdarei inclusive o pedido de vista”, explicou Moraes.

http://g1.globo.com/politica/noticia/moraes-diz-que-nao-falara-sobre-descriminalizar-maconha-em-sabatina.ghtml

 

Se ele tirar o pedido de vista vai ser numa hora que o governo vai tar tão fudido que vão precisar tirar a atenção pra outro assunto.

  • Like 5

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
4 horas atrás, bobmarijuana disse:

“Não vou me posicionar, porque, se aprovado for, isso [a descriminalização da maconha] está em discussão no STF. E mais, isso está com um pedido de vista, no gabinete do saudoso ministro Teori. E, se aprovado for, herdarei inclusive o pedido de vista”, explicou Moraes.

http://g1.globo.com/politica/noticia/moraes-diz-que-nao-falara-sobre-descriminalizar-maconha-em-sabatina.ghtml

 

Se ele tirar o pedido de vista vai ser numa hora que o governo vai tar tão fudido que vão precisar tirar a atenção pra outro assunto.

Se for por isso, ele já vai votar daqui 1 semana ahahhaha

  • Like 4

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Visitante
Este tópico está impedido de receber novos posts.