Ir para conteúdo
Growroom

Stf Deve Julgar Neste Semestre Descriminalização Do Porte De Drogas


dine

Recommended Posts

  • Usuário Growroom
7 hours ago, Pedro93 said:

Que tal propormos a presença no STF de algum responsável por legalizar a cannabis no Uruguai

Se eu não me engano acho que isso já aconteceu na Comissão do senado..  O Trevas ainda quis escracha o cara.

Legalização da maconha: após regulação, mortes por tráfico de drogas chegam a zero no Uruguai

Durante debate da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa no Senado, nesta segunda-feira (2), o Secretário Nacional de Drogas do Uruguai, Julio Heriberto Calzada afirmou que o país conseguiu reduzir a zero as mortes ligadas ao uso e ao comércio da maconha desde que adotou regras para regulamentar o cultivo e a venda da droga.

Em resposta ao senador Cristovam Buarque (PDT-DF), Calzada disse que a legalização da maconha talvez aumente o número de usuários, mas ele acredita que a combinação com outras ferramentas de política pública, em aspectos culturais e sociais, poderão modificar padrões de consumo e levar ao êxito na redução de usuários.

Conforme relatou, o país assegura o acesso legal à maconha por meio de autocultivo, com até seis pés por cada moradia; pela participação de clubes de cultivo, com 15 a 45 membros; ou pela aquisição a partir de um sistema de registro controlado pelo governo.

No debate, o secretário afirmou que respostas efetivas para a questão das drogas dependem de clareza na delimitação do problema. Ele apresentou aos senadores perguntas que devem ser respondidas: Qual é a questão central das drogas? O foco deve estar na substancia? Nas pessoas? Na cultura? Na sociedade? Na política? Na geopolítica? Nas normas? Na fiscalização do trafico ilícito?

Os países, disse o secretário, devem ter em conta que as substancias – tabaco, maconha, heroína, cocaína – não são iguais e devem ser analisadas em suas particularidades e tratadas conforme o conjunto de aspectos referentes a cada uma. Pela grande complexidade do problema das drogas, disse, o Uruguai busca embasar suas ações em evidências científicas.

Conforme avaliou, a criminalização de usuários de drogas seria ineficiente por fazer com que cidadãos passem a ser tratados como viciados ou dependentes. Uma das consequências, disse, é o sistema de saúde ficar refratário a essas pessoas. Dados citados pelo secretário dão conta de que mais de 90% dos usuários de drogas não buscam ajuda no sistema de saúde.

Calzada afirmou ainda que, como outras drogas, como álcool, por exemplo, há riscos e efeitos colaterais negativos com o consumo de maconha, o que requer regulação e controle do Estado. A audiência desta segunda-feira (2), que conta com participação popular pelos canais de interatividade do Senado, é a primeira de um ciclo de debates promovido pela CDH para ouvir autoridades, lideranças sociais e intelectuais, visando embasar o parecer da comissão sobre proposta de iniciativa popular (Sugestão 8/2014) que define regras para o uso recreativo, medicinal e industrial da maconha.

Também participam do debate a coordenadora-geral de Combate aos Ilícitos Transnacionais do Ministério das Relações Exteriores, Márcia Loureiro; o representante do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime no Brasil, Rafael Franzini Batle; o relator da Sugestão 8/2014, senador Cristovam Buarque (PDT-DF); e a presidente da CDH, senadora Ana Rita (PT-ES).

http://everaldobrizola.jusbrasil.com.br/noticias/129516211/legalizacao-da-maconha-apos-regulacao-mortes-por-trafico-de-drogas-chegam-a-zero-no-uruguai

  • Like 2
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

 ainda tem muita água pra rolar, depois desse governo tem outro, e depois outro, e depois outro, e sinceridade não vejo mudanças em nenhum deles !! como disseram há uns posts atrás, A mudança vem de baixo ! 
e com o tamanhos destas marchas que ocorreram, só vi a do DF que houve apreensões de usuários, o restante teve fumaço na cara dura !! so tenho uma coisa a dizer, que o Temer o Osmar e todos os outros, sem exceções sociais, que vão para o quinto dos infernos , sempre corri risco minha vida toda indo sustentar o tráfico na biqueira, hj me sinto quase livre com o cultivo, sem nenhum deles me ajudar, quem me ajudou foram vcs, vai casinha !! vai Growroom não podemos parar independente se é governo 1 ou 2 ou 3, como disse ainda tem muita água pra passar por de baixo da ponte, muito presidente que ainda tem por vir, e não vai ser nenhum deles que vai nos ajudar, como nunca ajudaram, a mudança somos nós 

  • Like 5
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

PS: Olhem o caso do Uruguay galera cultivou la ferozmente na ilegalidade desde a contracultura, e era uma boa  parcela da população que cultivou na ilegalidade com risco de ser preso e tudo mais, mas acabou que as apreensões foram quase minimas, e tornou-se uma "ilegalidade" galera cultivava mas sem aquele medo de ser preso... Tanto é que circula uma livreto urguaio chamado "desmontando o mito tipo exportação " algo assim, vou pegar o nome com meu chegado ele ganhou de um uruguaio que disseca o Mujica e afirma que é so mais um fantoche populista que usou o discurso de algo que era feito pela população a décadas ( cultivo caseiro ) , enquanto deixou o país sangrar em outros aspectos, como no caso do rio Uruguai quem vem sendo poluindo por fabricação de adubos químicos ferozmente nos últimos anos, a população pensou que ele iria fazer algo a respeito, mas simplesmente não fez nada e ainda estatizou a produção para a monsato, bendito o dia que não vamos mais precisar  de políticos 

  • Like 4
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
24 minutes ago, Andrerznd said:

 ainda tem muita água pra rolar, depois desse governo tem outro, e depois outro, e depois outro, e sinceridade não vejo mudanças em nenhum deles !! como disseram há uns posts atrás, A mudança vem de baixo ! 
e com o tamanhos destas marchas que ocorreram, só vi a do DF que houve apreensões de usuários, o restante teve fumaço na cara dura !! so tenho uma coisa a dizer, que o Temer o Osmar e todos os outros, sem exceções sociais, que vão para o quinto dos infernos , sempre corri risco minha vida toda indo sustentar o tráfico na biqueira, hj me sinto quase livre com o cultivo, sem nenhum deles me ajudar, quem me ajudou foram vcs, vai casinha !! vai Growroom não podemos parar independente se é governo 1 ou 2 ou 3, como disse ainda tem muita água pra passar por de baixo da ponte, muito presidente que ainda tem por vir, e não vai ser nenhum deles que vai nos ajudar, como nunca ajudaram, a mudança somos nós 

Com certeza. Nossos políticos são todos clichês, governam a tempos, temos que mudar. Espero que a cabeça da população também mude

Nada de lula, aécio, marina silva, dilma, aquela do rio grande do sul que esqueci o nome. 

Eduardo Jorge neles!

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Para mim poderia até ser qualquer um contanto que fizesse um trabalho sério e honesto.  Como foi para o Uruguai a gestão do José Alberto Mujica Cordano, conhecido popularmente como Pepe Mujica.

Porque será que esse trevas queria ser ministro disso? É grana!!??? Então....

Comércio formal de maconha movimentaria R$ 5,7 bilhões no Brasil

BRASÍLIA E RIO — A legalização da maconha no Brasil movimentaria, ao ano, R$ 5,7 bilhões, com perspectiva de gerar uma arrecadação tributária de R$ 5 bilhões, segundo estudo elaborado por profissionais da Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados. Com base em experiências internacionais e dados nacionais, a pesquisa estimou um público consumidor recreativo de cannabis de 2,7 milhões de pessoas no país. A projeção de receita considerou um mercado regulado, aos moldes do que fez o Uruguai, com limite máximo de compra de 40 gramas ao mês por usuário. No cenário traçado, os impostos cobrados do setor seriam os mesmos hoje aplicados à indústria do tabaco.

Com o título “Impacto Econômico da Legalização da Cannabis no Brasil”, o estudo estimou ainda que, além da arrecadação aos cofres públicos, haveria uma redução de R$ 997,3 milhões dos gastos anuais com o sistema prisional, depois que traficantes relacionados à maconha deixassem de ser encarcerados. Na segurança pública, no sistema judiciário e na rede de saúde, os consultores não encontraram evidências de que a medida diminuiria ou aumentaria despesas. Um dos autores do estudo, o consultor Pedro Garrido da Costa explica que as projeções foram traçadas com base em informações nem sempre completas:

— Há muitas lacunas em termos de estatísticas, mas reunimos a literatura e os números disponíveis para avaliar a medida do ponto de vista econômico. O estudo serve à Casa, mas também aos formuladores de políticas públicas, estudiosos do tema, ao público em geral — afirma Garrido.

A pesquisa considerou o preço de US$ 1,20 por grama de maconha, com base nos dados do Uruguai. Dessa forma, cada usuário frequente poderia gastar, segundo a cotação do dólar à época do estudo, de cerca de R$ 3,60, o total de R$ 2.073,60 por ano. Daí vem a receita movimentada apenas com a venda do produto e a estimativa de arrecadação da ordem de R$ 5 bilhões.

Num segundo cenário traçado pela pesquisa, com base no que ocorreu no Colorado (EUA), haveria um incremento de consumidores pós-liberação, que chegariam a 3,2 milhões de pessoas, responsáveis por gerar uma receita ao Estado estimada em R$ 5,9 bilhões. Para calcular a arrecadação, foram considerados cinco tributos federais e um estadual, cuja alíquota usada no levantamento foi a de São Paulo.

maconha-curvas-desk.png

As conclusões do estudo dividiram a opinião dos parlamentares. Para o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), os dados de arrecadação trazidos pela pesquisa não devem justificar uma legalização da maconha. Ele considerou “equivocada” a afirmativa de que a liberação não trará impactos na área da saúde e apontou como indiscutíveis os danos causados pela maconha no cérebro:

— Não temos essa conta porque os danos são invisíveis e nem sempre tratados. O que precisamos é intensificar as campanhas de conscientização. Não adianta aumentar arrecadação às custas da saúde das pessoas.

Já o deputado Paulo Texeira (PT-SP) acredita que a legalização da maconha dentro de um mercado regulado, como no Uruguai, é uma boa saída para diminuição da violência associada à clandestinidade da venda de maconha.

— Esse estudo demonstra que temos que regular e usar o dinheiro para a segurança pública e sistema prisional.

Para especialistas da área, como Maria Lucia Karam, membro da Leap (aplicação da lei contra a proibição, na sigla em inglês), organização que defende o fim da guerra às drogas, o dinheiro arrecadado poderia ser utilizado, por exemplo, para investir em educação. Maria Lucia defende também que todas as drogas sejam legalizadas e não só a maconha.

— O impacto positivo não é apenas com a legalização da maconha, mas de todas as drogas. Primeiro, geraria impostos para o estado e depois economizaria nos enormes gastos que são feitos hoje nessa guerra às drogas. No Brasil, 28% estão presos por tráfico de drogas, quase um terço. São despesas enormes no sistema carcerário — argumenta Maria Lucia. — Há estados americanos que utilizam grande parte da renda gerada com a maconha legal para investir na educação e na saúde. Seria fundamental estabelecer que esses impostos de produção e venda de drogas legalizadas fossem investidos nesses campos.

Ela destaca que essa legalização, no entanto, deve seguir os moldes das demais drogas permitidas no país:

— Só para adultos, da mesma forma que as drogas já lícitas são reguladas. Assim como é com o álcool e o cigarro.

Para o presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria, Antônio Geraldo da Silva, os ganhos obtidos a partir de impostos sobre a maconha não justificam a legalização da droga:

— Trata-se do mesmo marketing aplicado com o cigarro, e hoje está provado que o gasto com o tratamento de doenças ligadas ao tabaco é de três a cinco vezes maior do que o arrecadado pelo Estado com a venda deste produto — destaca. — Não podemos levar em conta apenas o ganho direto e ignorar os danos à saúde. A maconha provoca enfermidades psiquiátricas irreversíveis, além de ser uma porta de entrada para outras drogas, como o crack.

http://oglobo.globo.com/sociedade/comercio-formal-de-maconha-movimentaria-57-bilhoes-no-brasil-19468621?utm_source=Facebook&utm_medium=Social&utm_campaign=O Globo

  • Like 4
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Como um amigo postou ai a maior doação pra campanha do Osmar foi de uma Farmacêutica, não sejamos bobo nenhum politico no Brasil se importa com a população é td um jogo de interesses e se tem alguma coisa que as Farmacêuticas são contra é a Legalização da maconha, pisam e esfregam na nossa cara msm! 

 

 

  • Like 4
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
2 hours ago, Juniaum said:

As conclusões do estudo dividiram a opinião dos parlamentares. Para o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), os dados de arrecadação trazidos pela pesquisa não devem justificar uma legalização da maconha. Ele considerou “equivocada” a afirmativa de que a liberação não trará impactos na área da saúde e apontou como indiscutíveis os danos causados pela maconha no cérebro:

— Não temos essa conta porque os danos são invisíveis e nem sempre tratados. O que precisamos é intensificar as campanhas de conscientização. Não adianta aumentar arrecadação às custas da saúde das pessoas.

Os danos causados são indiscutíveis? No entanto não podem ser detectados? Alguém chame o Padre Quevedo, estamos lidando com bruxaria aqui!

É cansativo ver essas opiniões contrárias sempre usando argumentos que já foram derrubados a décadas. Danos neurológicos, porta de entrada, gastos altíssimos com a saúde... Estudo após estudo mostra que essas idéias estão erradas, mas eles simplesmente ignoram toda a informação disponível por causa de ideologias e interesses.

E o último argumento a cair foi a velha história de que "não temos dados suficientes, precisamos de mais estudos". Já existem estudos mais do que suficientes, já existem vários casos de países descriminalizando/legalizando e nenhuma das previsões catastróficas dos proibicionistas se concretizou.

  • Like 2
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Eu quero ver um dia na TV globo a discussão de 2 caras proibicionistas com essas idéias alucinadas e 2 caras pró liberação. Quero ver eles falarem as asneiras deles e serem derrubados pelos liberais.

Raiva desses caras :raiva::raiva::raiva::raiva:

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

O interessante é que estou vendo isso aí como um último suspiro dessa galara, são sempre os mesmos: Osmar Terra, Magno Malta, Marisa Lobo, Laranjada e a galera da bancada BBB (bala, boi e biblia). Sempre repetindo a mesma merda, e são só mentiras que qualquer um que tenha internet ou conheça um maconheiro sabe que são absolutamente absurdas. Olhem esse site aqui, alguém já teve o desprazer de ler?

 

Pra falar que a maconha é perigosa disseram que pode ter crack nela, por isso não se deve ser legalizada. Puta que pariu!!!

 

http://br.drugfreeworld.org/drugfacts/marijuana.html

 

Mas ninguém ta aguentando engolir mentiras tão grosseiras

 

http://www.timetobreak.com/4321211/32-celebrities-who-are-mega-trump-supporters/?utm_source=revcontent&utm_medium=referral&utm_campaign=TTBTrump&utm_content_id=578268&utm_boost_id=70146&utm_targeting=ibtimes.com

http://citylimits.org/2014/06/25/questionable-claims-by-anti-drug-program/

  • Like 2
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

A qualidade da maconha comercializada ninguém pode assegurar. Já a cannabis cultivada derivada das cups são laboratorialmente certificadas, tanto qualidade, como efeitos e afim. O cultivo é uma verdadeira terapia. E a descriminalização do cultivo beneficia também o ramo farmacêutico.

:)

Tudo que podemos produzir (diy) retorna o verdadeiro valor do bem. Assim como a coleta e o reuso da água destina o valor do recurso a nós; a economia, por exemplo. Idem a energia solar, ao lixo reciclado e o orgânico também. E todos esses bens (incluindo o ben10) ainda são pouco incentivados pelos governos, mediante os impostos. E isso é consequência mundial, não apenas da capacidade de Vana ou Temer agirem. Sejamos inteiros e não partidos.

E um brinde ao Growroom! Que 2016 sirva de solo para o desenrrolar dessa questão na suprema corte nacional.

Dilma, beijo e me liga.

 

  • Like 6
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

"Um estudo elaborado pela Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados – e obtido por O Globo – mostra que a legalização da maconha movimentaria em torno de R$ 5,7 bilhões em comércio.Segundo a reportagem, além disso, a arrecadação tributária poderia ficar em R$ 5 bilhões. Os cálculos consideram os termos usados na regularização do uso feita no Uruguai.E, por fim, como mais um argumento lógico para a legalização, o estudo aponta que R$ 997,3 milhões seriam economizados no sistema prisional."

 

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

"A maconha provoca enfermidades psiquiátricas irreversíveis, além de ser a porta de entrada para outras drogas, como o crack" (Antonio Geraldo da Silva, Presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria).

Se alguém com esse título fala uma asneira dessa, o que falta mais então?!

  • Like 2
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Em termos sociais podemos dizer que traz mais poder as familias uma vez que a legalização passa informar e a envolver mais a família com o indivíduo (usuário) e não mais entre o elo individuo família e traficante. Melhoria da fiscalização, pois se um indivíduo menor compra maconha por exemplo de uma farmácia podem prestar denúncia contra a farmácia e controlar o jovem.  Isso porque a farmácia é um ambiente socializado, monitorado,  permite que seja feita uma fiscalização. Se algum maior compra para um menor, uma rigorosa punição evitaria que isso acontecesse e por estar incluso na sociedade a identificação seria mais rapida senão imediata. Socialização quando o indivíduo compra de fontes legítimas se socializa com pessoas legítimas, desde o farmacêutico a outros usuários que se importam com crescimento na vida e poderão influenciar positivamente esse usuário. Não fica mais preso em um circulo muitas vezes depreciativo de amizade só pra ter acesso a droga. Pois afinal respeitamos a todos mas nem todas as amizades nos convém e sem ter um lugar ou uma quantidade fixa para fumar ou plantar, podemos fumar e plantar qualquer lugar desde que escondemos muito bem.

Esses proibicionistas nao estao se importanto porque o boom do cultivo ainda nao acontecendo mas deixa quando esses putos interesseiros que querem se beneficiar com trafico sentirem no bolso o prejuizo da proibição. logo logo vao querer legalizar pra cobrar dos usuarios e cultivadores. Bando de palhaços rsrsrs, #espalhaocultivo

  • Like 3
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
2 hours ago, Juniaum said:

"A maconha provoca enfermidades psiquiátricas irreversíveis, além de ser a porta de entrada para outras drogas, como o crack" (Antonio Geraldo da Silva, Presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria).

Se alguém com esse título fala uma asneira dessa, o que falta mais então?!

E meu caro e é com estes fundamentos equivocados e equivocados que eles se baseiam para fazer tratamentos com fármacos em seus pacientes .

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Atualmente, nesta crise o dinheiro vai falar mais alto.

Se o faturamento anual do governo com a liberação ultrapassar o ganho que se tem com os laboratórios, que são em termos financeiros, os vilões da liberação, o governo libera, pois o caixa está vazio e notícias de faturamento bilionário com a comercialização da cannabis vai com certeza incentivar o governo.

Liberar desta maneira irá causar um impacto no sustento de muitos brasileiros, pois como todos sabemos, o pessoal que vende cannabis normalmente são pais de família, mães, jovens incentivados pelo dinheiro...   Então no fim das contas, é tudo girando em torno do dinheiro.

As pessoas podem dizer o que quiserem mas o caixa fala mais alto. Certo?

  • Like 3
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
12 minutes ago, plantu said:

Atualmente, nesta crise o dinheiro vai falar mais alto.

Se o faturamento anual do governo com a liberação ultrapassar o ganho que se tem com os laboratórios, que são em termos financeiros, os vilões da liberação, o governo libera, pois o caixa está vazio e notícias de faturamento bilionário com a comercialização da cannabis vai com certeza incentivar o governo.

Liberar desta maneira irá causar um impacto no sustento de muitos brasileiros, pois como todos sabemos, o pessoal que vende cannabis normalmente são pais de família, mães, jovens incentivados pelo dinheiro...   Então no fim das contas, é tudo girando em torno do dinheiro.

As pessoas podem dizer o que quiserem mas o caixa fala mais alto. Certo?

Com certeza. O negócio é chegar um bonde la com os papéis e gráficos na mão, sentar com corruptos, ops, quero dizer políticos, e mostrar os dados. Tem que ser cara que entende, de preferência uns que entendem de maconha e uns de economia.

Ai se isso descriminalizar/legalizar, vai ter nego fazendo protesto contra a liberação quer apostar?

Nosso país é uma merda eu ja desisti disso. Tenho vontade de ter mais um filho mas não tenho coragem de colocar mais uma criança nesse país não. Não se pode ir na esquina você não sabe se será assaltado, se vai vir um bebado e te atropelar. Não pode ter arma mas todo mundo tem. Não pode beber e dirigir mas todo mundo faz. Agora fumar maconha q não causa mal algum a ninguém, ai nao pode. EIIITAAAA PAÍS DE MERDA!!!!

Foi mal, fico bolado com assuntos políticos hehehehe.

  • Like 4
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
32 minutes ago, Nil Jardineiro said:

Não pode ter arma mas todo mundo tem. Não pode beber e dirigir mas todo mundo faz.

Hehehe, também não pode fumar e a gente fuma mesmo assim. Diferença é que no nosso caso, o "prejuízo" é nosso e somente nosso.

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
1 minute ago, Nil Jardineiro said:

opa, nesse sentido mesmo que eu quis dizer, nos pesos dessas coisas.

Triste mesmo é pensar que eles sabem disso. Porque se informam, tem acessos à notícias e estudos assim como nós. Não é mais como muito tempo atrás, que a coisa saia num blog escondido no cafundó da internet ou um site que também publica notícias de abduções. Agora não. Agora sai na CNN com frequência. Agora tem legislações em outros lugares que abraçaram a regulamentação, diferente da vista grossa da Holanda ou de Portugal. 

Então agora é só proteção de situação mesmo. Porque mudar lei dá trabalho. Isso se embrenha nos meandros de administração pública, e você não simplesmente destitui uma máquina pública. Mesmo que ela faça mais mal do que o que ela quer combater. 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
7 minutes ago, Goda said:

Triste mesmo é pensar que eles sabem disso. Porque se informam, tem acessos à notícias e estudos assim como nós. Não é mais como muito tempo atrás, que a coisa saia num blog escondido no cafundó da internet ou um site que também publica notícias de abduções. Agora não. Agora sai na CNN com frequência. Agora tem legislações em outros lugares que abraçaram a regulamentação, diferente da vista grossa da Holanda ou de Portugal. 

Então agora é só proteção de situação mesmo. Porque mudar lei dá trabalho. Isso se embrenha nos meandros de administração pública, e você não simplesmente destitui uma máquina pública. Mesmo que ela faça mais mal do que o que ela quer combater. 

Aí eu tenho minhas dúvidas. Concordo que temos informação, mas tem muita gente que não se preocupa e consequentemente não se interessa no assunto, logo não sabe desses números e acredita no que os outros falam.

Vou te falar um parceiro meu vai se candidatar a vereador esse ano, troquei ideia com ele sobre esse assunto, falei dos benefícios juntamente com os 'malefícios' da maconha, questões sociais, e ele não sabia que tinha beneficios acredita? Ele achava que essa de maconha medicinal era só papo de chapado e que o cara que fuma é doidão. 

Ps: o bixo é doidão, de torcida organizada e os caralho, mas tem acesso a tudo assim como nós.

Abraços irmão. Sempre bom trocar idéia.

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Visitante
Este tópico está impedido de receber novos posts.

  • Tópicos

  • Posts

    • O cara querendo pagar sujesta , passar liçao de moral. Kkkkkkkkk Bicuda na sua cara @Negobong
    • Kkkkkkk Só fala merda. Tu é uma fraude. Desconfio q vc seja um banido do passado voltando a casa. Sem mais palavras. Cade suas plantas? Se enfia no seu suvaco e tenta andar mano. Tu não vai me deixar puto não usando essas palavras de baixo calão , ta achando q tu é quem é mocozão? Mandando eu ir fazer carinho na minha mina.... Ta loco? A parada é tu largar essa marra ai de bandidinho da zona oeste e largar a mão de ser otário , parar de se meter na vida dos outros , parar de querer aparecer e falar de outros assuntos sem ser maconha , pq nisso tu é uma fraude. Nunca mostrou uma planta.... Ta aqui so pra ficar tirando essa onda de recalcado de armário ai. Ve se cresce filhão. Só falo de maconha no growroom , tem nem como atravessar as idéias , ao contrario de vc. Que quer da palpite na vida dos outros. Tu tem mais é q parar de fumar maconha. Não ta te fazendo bem não , seu verme.
    • Eae LaBrenfa, blz? Tá bom demais. Tem um aroma meio cítrico, 3, 4 tragadas já é suficiente. Ficou bem forte e com muito sabor.  Tá com 45 dias de cura, fazendo a cabeça do  Vovô. Guardei a trima e juntei com umas pipoquinhas pra fazer mais uma manteiga. Duvida cruel: Não sei se fumo tudo ou se como!!! hahahahahahaha  bão demais!!!
×
×
  • Criar Novo...