Ir para conteúdo
Growroom

"maio Verde" Debate A Legalização Das Drogas No Brasil


CanhamoMAN

Recommended Posts

  • Usuário Growroom
"Maio Verde" debate a legalização das drogas no Brasil
Eventos ocorrerão ao longo de todo o mês, com palestras, oficinas e sessões de cinema. A Marcha da Maconha faz parte da programação.

Marcionila Teixeira - Diário de Pernambuco

Publicação: 04/05/2015 11:04 Atualização: 04/05/2015 11:11

Orlando Zaconne é delegado da Polícia Civil. Ao contrário de grande parte dos colegas de corporação, defende a legalização das drogas. Ele integra a Law Enforcemente Against Prohibition (Leap), ou em português, Agentes da Lei contra a Proibição. Neste mês, Zaccone estará no Recife para debater a relação entre as políticas proibicionistas e o encarceramento no Brasil. Junto com ele, cada vez mais profissionais de áreas diversas, como médicos e professores pernambucanos, fortalecem o movimento favorável à legalização das drogas. Em comum, buscam a qualificação no debate.

A fala do delegado, que atua no Rio de Janeiro, está prevista no seminário promovido pelo Coletivo Antiproibicionista do estado, dentro do Maio Verde. Além das palestras de especialistas, várias atividades estão programadas no próximo mês para discutir a legalização, entre elas oficinas de confecção de cigarros artesanais e a marcha da maconha.

Zaconne deixa claro que a legalização não contempla solução para o consumo de drogas. Para reduzi-lo, são necessárias políticas públicas, a exemplo do que foi feito em relação ao tabaco, como proibição de veiculação de propagandas na TV e restrição de ambientes para fumantes. “As prisões por envolvimento com o tráfico só perdem para as prisões por roubo. Existe um inchaço no sistema prisional e o problema do tráfico não é resolvido, pois a venda de drogas continua, já que há um mercado. A criminalização não impede o crime, só torna o comércio mais violento. A violência é produto da proibição e não da droga”, defende Zaconne.

Ingrid Farias, do Coletivo Antiproibicionista e diretora da Associação Brasileira de Redução de Danos, acredita que políticas de drogas pautadas pela proibição sempre serão permeadas pela classe social e raça dos indivíduos. “A principal vítima do sistema repressor hoje é o morador da periferia, o negro e o pobre. A política de drogas precisa ser pautada pela saúde pública. A segurança é coadjuvante no processo”, analisa.

Médico residente no Hospital das Clínicas, Pedro Costa comemora a criação de associações em todo Brasil para trabalhar com a maconha de uso medicinal. “Determinadas patologias, como glaucoma, esclerose múltipla, dores neuropáticas, epilepsias de difícil controle, transtornos de ansiedade, por exemplo, têm indicação de uso. Também há estudos relacionados a pacientes com Alzheimer, Parkinson e câncer”, destaca. “Em Israel há um hospital com área específica para fumantes de cannabis”, diz o médico.

A lei 11.343, chamada lei de drogas, diz que a universidade têm direito de cultivar a maconha para estudos desde que tenha autorização do estado. “As associações querem entrar com o pedido de forma coletiva para fazer valer esse direito. Hoje não posso fazer ensaio clínico na UFPE para uso da maconha no combate à dor reumática, por exemplo, porque será reprovado no conselho de ética da universidade”, explica. O debate sobre a legalização deve seguir ainda mais aprofundado dentro dos eventos previstos no Maio Verde.

O que querem as pessoas a favor da legalização

- Regulamentação da planta maconha pautada na construção de políticas públicas de cuidado, prevenção, pesquisa, assim como liberdades individuais

- Revisão dos tratados internacionais sobre drogas e construção coletiva, entre governos e a sociedade civil, alternativa central para o fim da guerra às drogas

- Posição favorável do governo brasileiro no fórum da ONU sobre política de drogas

- O fim da criminalização e patologização de usuários/as de drogas como doentes e/ou delinquentes

- Campanhas que esclareçam de forma responsável, ética e acessível toda sociedade sobre o uso de qualquer droga, seja de forma medicinal , industrial, ambiental, científica, espiritual e recreativa

- Gerar formas de aquisição segura de maconha através do auto-cultivo, hortas comunitárias e cultura associada, clubes, dispensários

- Promover, apoiar e gerar pesquisas sobre maconha, seus derivados e os impactos de usos aos/as usuários/as

- Reconhecimento e incentivos de apoio e articulações com os conselhos estaduais, municipais e nacional, coletivos, grupos, associações e ações para os direitos dos usuários e cultivadores de maconha

- Liberdade aos/as presos/as por pequeno porte de maconha

- Fim do genocídio da juventude negra

- Desmilitarização da polícia

Fonte: Coletivo Antiproibicionista

O que querem as pessoas contra a legalização

- Os cidadãos, em especial as crianças, têm o direito de viver num ambiente seguro e livre de drogas

- A melhor forma de reduzir os danos causados pelas drogas é reduzir o consumo. Sem diminuir sua circulação nas ruas, os problemas são agravados

- O Brasil é o único país do mundo que faz fronteira com todos os produtores de coca. Temos que ser muito mais rigorosos no controle que outros países

- O uso e o tráfico devem continuar sendo considerados crimes e devem ser punidos. O primeiro com penas alternativas e o segundo com prisão prolongada

- A dependência química é uma doença crônica do cérebro, que deve ser tratada e prevenida. A Saúde Pública e a Segurança Pública estabelecem ações complementares

- Os profissionais da saúde e da educação devem estar plenamente capacitados para exercer atividades de prevenção e detecção precoce do uso

- O SUS deve financiar clínicas de desintoxicação e as Comunidades Terapêuticas.

- As famílias devem ter acesso a programas de orientação específicos, que proporcionem o conhecimento dos meios de prevenção ao uso de substâncias.

- O sistema de recuperação social precisa abranger a reabilitação profissional das pessoas em recuperação com suporte estatal e social

- A rede de pequenos e médios traficantes ampliou-se nos últimos anos. Faz-se urgente definir estratégias para desorganizá-la

Fonte: Manifesto contra a legalização das drogas no Brasil

Programação Maio Verde

07.05.2015 – THCine - 19hrs
Edf. Texas, Pátio de Santa Cruz, Boa Vista
Exibições:
19h20 – Documentário Usuários (25m)
19h40 – Além da Dependência (20m)
20hrs – Dirijo (25m)
20h50 – Cortina de Fumaça (1h)

14.05.2015 – THCine - 19hrs
Trailer Campo Grande, Novo Point de Áudio Visual Campo Grande
Exibições:
19hrs – Cracolândia e o estado higienista
20hrs – The Cultere High

17.05.2015 – Marcha da Maconha Recife 2015 - 14hrs
Praça do Derby

17.05.2015 – II Festival de Cultura Cannábica - 18hrs
Rua da Aurora – Skate Parque

21.05.2015 – THCine - 19hrs
Edifício Texas, Pátio de Santa Cruz
Exibições:
19h20 – Noticias de uma guerra particular
21hrs – Grass

27.05.2015 – THCine - 19hrs
Alto Jose do Pinho
Exibições:
19h20 – Rap do Pequeno Príncipe

29.05.2015 – II Seminário Antiproibicionista de Pernambuco - 13hrs
Unicap, Rua do Príncipe, Santo Amaro

PROGRAMAÇÃO
13hrs – Credenciamento
14hrs – Mesa abertura
15hrs – Grupos de Trabalho por Eixo
17hrs – Encerramento GTs
19hrs – Mesa de Encerramento

31.05.2015 – Feira Verde - 11hrs
Rua da Aurora
Editado por CanhamoMAN
  • Like 3
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Mermao!!! É chegada a hora parceiro!!! Olhem a página principal do Groow! O JECRIM de Ipanema não aceita mais o 28! Declarou inconstitucional!!! Minhas orações foram atendidas! A onda verda está chegando!!! Vou fantasiado de Cannabis Man pra marcha!!!!! Maconheiros uni-vos!!!

  • Like 2
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...
  • Conteúdo Similar

    • Por SanfeliceVini
      Eai gurizada, tranquilo? Sou novo no fórum e estou aprendendo sobre o cultivo doméstico da maconha. Eu sou estudante de jornalismo e resolvi fazer uma reportagem sobre o uso da maconha na pandemia, para isso vou conversar com especialistas na área, mas também quero conversar com quem utiliza ela frequentemente e principalmente como a maconha pode ajudar ou não durante o período de isolamento social. Acredito que a matéria tem o objetivo importante de desmistificar e aprofundar o assunto do uso da planta. Então gostaria de saber se alguém pode me ajudar no assunto, nem que seja para trocar uma ideia rápida sobre o dia a dia na pandemia e sua relação com a maconha. Valeu!!!
    • Por Maconheira000
      Olá maconheiros(a),tenho 17 anos,daqui uns dias faço 18 anos, comecei a fumar com 14 anos e rodei em fevereiro desse ano,minha vó deu maior sermão,choro e ainda fico falando q ia me internar na clínica,e ficava me chamando de drogada todo o dia,e ainda ela tranca a porta do quarto,pq ela acha q vou roubar o dinheiro dela.
      E para ainda mais,meus pais são autoridades e minha família é tudo crente (crente bem fanáticos),não tenho como morar com os meus pais,por questões pessoais não daria nem um pouco certo.
      Tô planejando a me mudar para capital faz tempo,moro no interior,e pior q minha família tb não aceita eu ir morar na capital falam q é perigoso e tudo mais,já até falaram q se eu for eles vai tentar me impedir.
      Aceito conselhos,e tenho uma pergunta,podem me internar na clínica mesmo eu sendo de maior?ainda mais q meus pais tem essa autoridade.
    • Por YellowGandalf
      O Senado adiou a votação da Legalização da Cannabis Medicinal para próxima semana.
      O tópico que deve ser votado na semana que vem é de grande urgencia, estamos torcendo que essas familias consiga fazer esses remédios sem precisar pagar toneladas de dinheiro para empresas farmaceuticas gringas que importam remedios da mesma planta para o Brasil, confira o video e deixe sua opinião tbm
      21/11/2018
    • Por xBarbieMaconheira
      A cannabis é mto influente no México (tanto q o termo marijuana vem de lá). Soube q legalizaram a erva lá, mas n sei pq não vi tanto alarde nem algo que comprove como ocorreu lá. 
      https://www.upi.com/Mexicos-Supreme-Court-legalizes-cannabis-for-recreational-use/9621541024238/
      https://veja.abril.com.br/mundo/suprema-corte-do-mexico-libera-uso-recreativo-da-maconha/
      A página da Wikipédia sobre maconha no México atualizou e falou que legalizaram... Mas n vi nhm maconheiro comemorando e nem a BBC publicando matéria sobre. E aí?
    • Por GrowerUcho
      Boa tarde gurizada!
      Gostaria de compartilhar com vocês uma matéria de 2002 da revista Super Interessante.
      Encontrei essa revista na parada de ônibus, tem um espaço para pegar e deixar livros e revistas, a ideia é compartilhar. Antes de devolver ela pra parada, para que mais pessoas possam ter acesso as informações nela contidas, eu fotografei a matéria sobre a Maconha.
      Tem bastante informações úteis, sobre quais motivos levaram a planta a ser criminalizada. Quanto a isso, brilhou uma luz na minha cabeça sobre a descriminalização aqui no Brasil, quando vocês lerem a matéria, verão que a criminalização foi influenciada pelo Tio Sam, sim o mesmo país que hoje está legalizando geral, inclusive na Califórnia tá 100% liberado, há anos atrás havia imposto a criminalização da planta por vários motivos imorais, tais como o controle das minorias mexicanas presentes naquele país, a substituição do Cânhamo por uma outra indústria rival... Enfim, leiam a matéria! Sobre a luz que me brilhou, se o mesmo país que influenciou a criminalização e que ainda conta com um poder de influência muito grande em vários países (inclusive o Brasil), creio que em não muito tempo sejamos influenciados a descriminalizar a planta. Inclusive podemos vir a ser um futuro mercado para a indústria canábica de lá...
       
      Se quiserem baixar o PDF com a matéria completa, segue o link
       
  • Tópicos

  • Posts

    • Gente, não adianta procurar seed por aí em qq seed bank que envia para o Brasil O Seed bank tem que entender a fiscalização que acontece aqui e ter algo muito bom. Não adianta enviar semente dentro de capa de CD. Não vai receber...
    • Falou tudo irmão! Informação vale ouro! E aquela velha história né, o que ninguém sabe, ninguém estraga... eu entrei numa leve noia e até apaguei o post que mandei de SB... Além de ter muita informação boa e dicas de SB que sempre passaram de boas, galera tem que começar meter a cara e ir atrás do que tá querendo... Escolhe a strain, descobre quem é o breeder, vai no site e vê quem são os revendedores... senão tiver site, vai no IG e troca uma ideia com os caras, pergunta quais SB vendem os feijões deles e aí vai atrás... Eu to parando aqui de enviar link de SB no fórum... Qualquer coisa chamem no DM que eu passo os poucos que conheço Tmj
    • Eu já busquei comprar semente diretamente do breeders. No caso, como estava buscando Amnesia Haze, fui atras do "Soma Seeds". Fui no site, peguei o tel dele, entrei em contato pelo Whats.  Em menos de 5 minutos ele me respondeu que enviaria p/ o Brasil E me perguntou qtas sementes. Falei 10 sementes e ele nunca mais me respondeu. Várias mensagens e fui totalmente ignorado depois disso.  Acho que breeder não se interessa muito em vender p cliente final. Com isso, ano passado, comprei a AMN Haze (Soma Seeds) através do Attitude. Chegou tudo certo.
×
×
  • Criar Novo...