Ir para conteúdo
Growroom

Compreensão Dos Efeitos De Indica Vs Sativa


Recommended Posts

  • Usuário Growroom

Salve casa, Salve Growroom.

Estava no site da High Times hoje e achei essa matéria falando dos efeitos de cannabis Indica e Sativa.

Justamente o que estava pensando ontem sobre genéticas que cresce de forma Indica mas que tem efeitos de Sativa.

 

É bom lermos isso porque até hoje o que sabiamos sobre a planta em genéticas Sativa, Indica e Hibrida é meio que confuso.

Mas em geral os terpenos são que fazem cada espécie das que existe.

Ja li aqui sobre os terpenos mas não vi matéria como éssa e resolvi postar.

Espéro ajudar..

Compreensão dos efeitos da Indica vs. Sativa

POR NICO ESCONDIDO · WED 25 DE FEVEREIRO DE 2015

Ao longo das décadas, desde proibição da cannabis começou em 1937, o seu uso por seres humanos tem sido muito mal compreendida, devido à falta de pesquisa, financiamento e legalidade.Isto deixou-nos adivinhar por que motivo certas espécies - ou, mais precisamente, diferentes cepas - da mesma planta provocar efeitos variando quando consumidos. Várias hipóteses têm sido propostas ao longo dos anos com mais de centralização em cima quer diferenças entre espécies (indica vs. sativa) ou conteúdo de canabinóides e proporções.

Com mudança de hoje cenário político e percepção pública da cannabis, estamos descobrindo - por meio de verdadeira pesquisa científica e tecnológica - que essas noções são susceptíveis incorreta.No entanto, um ponto central se mantém firme. Os efeitos variados nos sentimos de uma variedade para outra é, de fato, química. Mas esses efeitos não podem ser provenientes de compostos que se pensava inicialmente.

Canabinóides vs. Terpenoids
por este ponto, quase todo mundo que usa cannabis já ouviu falar de canabinóides. (Se você não tem, você realmente deve saber mais sobre o que você colocar em seu corpo!) Houve mais de 85 canabinóides diferentes identificadas dentro da planta cannabis. O mais famoso dos quais é o THC (tetrahidrocanabinol) e principal composto químico psicoativo 'cannabis. CBD (ou canabidiol) é o segundo canabinóide mais conhecido. CBD ganhou destaque na década passada por meio de pesquisa científica e foi encontrado para ser não-psicoativas e responsável por muitas das propriedades terapêuticas e medicinais associado à maconha medicinal.

indicasvssativas-cannabinoids.jpg

Terpenóides, ou terpenos como são muitas vezes referidos (embora um pouco diferente por natureza), são compostos químicos orgânicos produzidos por muitas plantas diferentes e geralmente carregam propriedades aromáticas ou flavonóides. Terpenes são um componente essencial de resina e são geralmente um fator importante para os óleos essenciais produzidos por uma planta. Em cannabis, são essas terpenos que são mais responsáveis pelos cheiros e sabores que a cannabis fumantes passaram a gostar de suas estirpes favoritas. A pesquisa também está nos mostrando que ele pode realmente ser estes terpenos que são responsáveis pela variação de efeitos que sentimos de uma cepa para outra - e, certamente, a partir de um indica para uma sativa.

A confusão de Taxonomia
Os termos indica e sativa são classificações taxonômicas do gênero Cannabis sativa planta L. (L. significa Linnaeus e indica a autoridade que primeiro batizou a espécie - Carolus Linnaeus).Linnaeus incorretamente pensei que o gênero a ser monotípico, ou ter apenas uma única espécie.Assim, o próprio nome do gênero é muito enganador porque usa incorretamente a palavra "sativa" na taxonomia. Esta classificação ocorreu antes que o mundo sabia das três espécies distintas que saem dentro do género cannabis.

Logo depois, a descoberta de Cannabis indica Lam. (O Lam. Stands para Jean-Baptiste Lamarck) e Cannabis ruderalis Janisch. (Descoberto pelo botânico russo DE Janichevsky) nos trouxe até onde estamos hoje com um entendimento de que Cannabis é o gênero de planta e C. sativa, C. indica e C. ruderalis são as três espécies do gênero.

Então, o que isso tudo tem a ver com os efeitos da cannabis? Bem, este exercício de taxonomia é um exemplo de que nomes ocorrer da maneira que fazem em ciência e como estas classificações não foram determinados com base nos efeitos da planta. Na verdade, eles foram determinadas em grande parte por localização geográfica (Lamarck descoberta indica na Índia) e o nome da pessoa que faz cada descoberta (daí, L., Lam., Janisch.).

É por isso que, com as palavras indica e sativa para descrever os efeitos de variação de espécies de cannabis e as tensões não é precisa e muito enganador. Esse termo só deve ser usado para ajudar a descrever a linhagem, os padrões de crescimento e desenvolvimento, e regiões geográficas e climáticas de origem. Para não mencionar, 95 por cento das cepas cannabis hoje são híbridos com apenas um punhado de linhagens da raça Landrace qualificados como sativa pura, indica ou ruderalis.

If Not Índica ou Sativa, então o que?
Infelizmente, os termos indica e sativa têm vindo a representar efeitos definitivos de cannabis dentro nomenclatura da nossa cultura. Indica veio para indicar um corpo-zumbido, sensação de sedação e relaxamento ou ser apedrejado. Por outro lado, sativa passou a significar mais de um, energético, alta uplifting cerebral. A verdade é que muitos "indicas" pode produzir este sativa alta, enquanto muitos "sativas" pode produzir um indica sentimento apedrejado. *

Na realidade, a nossa cultura precisa de começar a afastar-se descrever os efeitos de maconha como "indica" ou "sativa". Esses termos devem ser reservados apenas para os produtores, criadores e cientistas que querem articular os padrões de crescimento ou necessidades, origem espécies, épocas de floração ou linhagem genética. Quando se trata de falar sobre os efeitos das tensões, temos de avançar na discussão de terpenos.

indicavssativa-terpenes_0.jpg

No ano passado, Dr. Jeffery Hergenrather, presidente da Sociedade Médica da Cannabis, abordou a questão das relações de canabinóides contra terpenos em MedicalJane.com dizendo: "Enquanto os rácios de canabinóides na maioria cannabis pode estar prestes a mesma, é o conteúdo terpeno que tipicamente cria as diferentes qualidades que temos analisados como a diferença entre indicas e sativa durante algum tempo. É altamente provável que os terpenos podem muito bem alterar as propriedades dos canabinóides. Testes padronizados é essencial para o avanço da nossa compreensão desta questão. "

Durante anos, a cannabis pacientes, cultivadores, médicos e usuários recreativos atribuídos os efeitos da cannabis, em diferentes proporções de canabinóides, mas agora sabemos que terpenos também desempenham um papel central na determinação desses efeitos. A teoria conhecida como "efeito entourage", foi publicado há alguns anos atrás em O'Shaughnessy do que lançar luz sobre como terpenos e canabinóides se combinam para produzir efeitos em cascata dentro do usuário.Em cima disso, há pesquisas que sugerem que esses efeitos também podem variar de usuário para usuário, pois cada ser humano tem sua própria chemotype que combina com estes compostos químicos.

indicavssativa-cannabinoidsterpenes.jpg

O que sabemos
Todos os itens acima é relativamente nova ciência. E a verdadeira pesquisa está apenas começando agora em andamento nos estados onde a maconha é legal, como Colorado, Washington e Oregon. As universidades, como a Universidade do Colorado, Boulder, estão começando a permitir que os programas de investigação completos a surgir fora da jurisdição do governo e sem a intervenção de indústrias que têm um interesse nos resultados. Isso permitirá que os cientistas, médicos e criadores de maconha para saber mais sobre as interações entre canabinóides, terpenóides e os seres humanos.

Ainda assim, como estamos agora, nós sabemos algumas coisas sobre como o terpenos e canabinóides trabalho para produzir os efeitos que elas provocam. Por exemplo, sabemos que a própria THC é naturalmente energético. Se estivéssemos a ingerir apenas THC sozinho, teríamos um enérgico, atrevido alta muito parecido com o que a maioria de nós sabe que é um "sativa" alta.No entanto, também sabemos que alguns indicas têm níveis de THC mais elevados do que muitos sativas, mas estes "indicas" estão produzindo o efeito contrário - um locked-sofá, sentimento mais chapado. Assim, a antiga teoria de que sativas são mais elevados em THC e por isso produzem um alto diferente não é realmente preciso.

Na verdade, após um estudo mais minucioso, descobrimos que muitas das cepas que produzem uma "indica" efeito apedrejado têm altas concentrações de terpeno chamado mirceno. Mirceno também está presente no sector do lúpulo e tem sido muitas vezes creditado com a produção que, sentimento sedativo quente que temos quando beber cerveja realmente hoppy como IPAs. E, assim como mirceno, existem outros terpenos, como cariofileno, terpinoleno, pineno e limoneno. Alguns destes contribuir sabor ou aroma, enquanto outros podem contribuir variados efeitos físicos ou mentais. Todos eles provavelmente fazer coisas diferentes quando presentes em diferentes níveis e quando misturados em diferentes rações com THC, CBD, THC-V, CBG e assim por diante.

Então, qual é a verdade sobre indicas, sativas, canabinóides e terpenóides? Qual é a verdade por trás de como nos sentimos quando fumam OG Kush versus como nos sentimos quando fumam Haze? A verdade é que estamos em nossa infância de compreender a cannabis que ingerimos. A verdade é que esta é apenas a ponta do iceberg. Uma vez cheio com aproximando regularização de cannabis, este não é o fim da estrada, mas sim apenas o início de um novo.

Obrigado por ler todos e lembre-se: crescer ... e ajudar o mundo a crescer, também!

* Este autor coberto esta questão na recente janeiro 2015 questão da High Times (The Truth About Indica vs. Sativa, a compreensão de todas as diferenças entre as espécies no Cannabis Genus, P. 73). Para esse artigo, ele falou com o Rev. Dr. Kymron DECESARE, Chief Research Officer da Steep Hill-Halent Laboratory na Califórnia, que declarou: "Os termos sativa e indica só são realmente válidas para descrever as características físicas da canábis em um determinado meio ambiente e não são tão confiáveis como os termos para fazer suposições sobre a energia [a alta] vs. sofá bloqueio [a pedra]. "

Dúvidas? Enviar 'em cima de Nico no [email protected] e não se esqueça de colocar "Nuggets de Nico" na linha de assunto!

 

No mais é isso só mais uma contrubuição para a casa.

Que tanto aprendi hehe

Noisqueplanta

Bons cultivos a todos

PAZ

Saiba mais sobre a diferença entre indica e sativa no nosso portal

  • Like 14
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Muito interessante! Isso prova que a criminalização só deixa a sociedade mais ignorante sobre o assunto, que faz com que não exista pesquisas sobre a cannabis, e agora com a legalização em diversos lugares, mais pesquisas sejam feitas

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Salve galéra verde

É isso Kenny a proibição da planta apenas gerou anos de atraso para o nosso desenvolvimento e milhões de mortes por trafico e tudo o que o trafico gera.

Sim irmão Namaste terpenos existe não somente na cannabis.

E néla são eles que fazem o contorno do THC e do CBD surgindo assim cada genética com sua potencia, sabor, aroma e cor.

Eu ja tinha estudado isso aqui na casa e materias como éssas costumo guardar no pc para sempre estar consultando.

Vou postar aqui sobre os terpenos e voce vai entender melhor sobre a planta, sobre o nosso fumo.

Entendendo As Genéticas Por Detrás Das Nomenclaturas
1. EXEMPLOS DE NOMENCLATURA
C. sativa ssp. indica - Subespécie
C. sativa var. kafiristanica - Variedade
C. sativa f. Acapulco Gold - Landrace
C. sativa "Skunk #1" - Cultivada
2. ESPÉCIES
Sativa
Plantas altas, com formato de árvore de natal ou bambu, não muito ramificadas, de crescimento desengonçado e folhas longas e finas. Seu maior tempo de maturação se deve a uma menor quantidade de clorofila na planta, que por sua vez está diretamente ligada a uma maior quantidade de pigmentos acessoriais que protegem a planta de luz solar excessiva. Sendo então, mais adequadas a climas tropicais. Seu efeito tende a ser mais cerebral, energizante, agindo basicamente como um potenciador de humores.
Indica
Plantas de altura média, formato cônico, densamente ramificadas com folhas curtas e largas. São adequadas ao cultivo em climas temperados, atingem a maturidade em menos tempo e tem um rendimento maior que as Sativas. Devido ao seu maior conteúdo de CBD tendem a ter um efeito mais corporal, de relaxamento.
Ruderalis
São plantas baixas, não muito ramificadas, de rápido amadurecimento e vida curta. A principal característica da Cannabis Ruderalis é sua indiferença a mudanças no seu fotoperíodo, já que sua floração se da em resposta exlusivamente à sua idade. Sua floração se da tão cedo ela atinja 5 a 7 pares de folhas. Contém quantidades insignificantes de THC.
3. SATIVA X INDICA X RUDERALIS
Híbridos
São cruzamento de duas plantas sem parentesco direto. Essa plantas recém criadas são chamadas de F1. Se essa F1 é retrocruzada com a mãe, então sua prole será F2. F2 pode ser também o cruzamento entre irmãos e irmãs F1, e até mesmo cruzamento de F1 de diferentes plantas. Mais normalmente quando se fala em F6, significa que essa planta foi retrocruzada por 6 gerações afim de reforçar as propriedades e características da planta mãe. Mais apesar de serem considerados estáveis, nem mesmo uma F20 é de fato estável, essas variações se devem aos fenótipos da planta mãe.
Genótipo - É o que está nos genes. Traços recessivos podem esconder-se por trás de traços dominantes e aparecer em gerações futuras.
Fenótipo - Genótipo + Ambiente = Fenótipo
Vigor Híbrido
Quando um híbrido é visto como superior aos seus pais, ele é chamado de Vigor Híbrido. Contudo, isso só acontece com o cruzamento de duas diferentes plantas estáveis (Homozigotos) e só aplica-se para a primeira geração de sementes (F1).
Autoflowering (Auto-Floração)
Variedades de Auto-Floração são híbridos de Cannabis Ruderalis e Cannabis Sativa/Indica. A percentagem de Ruderalis nas variedades é pequena, normalmente 5%-10%, já que a única característica que se busca da espécie é a auto-floração.
4. THC X CBD X CBN
Tetrahydrocannabinol
Mais conhecido como THC, é o composto primário responsável pelos efeitos psicoativos da Cannabis. Possui propriedades analgésicas, ansiolíticas, anti-inflamatórias, antieméticas, antioxidantes, antiespasmódicas, anticâncer antiproliferativa, euforizantes, neurogénese e neuroprotetoras. O THC interfere com partes do cérebro controladas pelo neurotransmissor endógeno anandamida, que atua em áreas como a memória, fome, sono e sensação de dor.
Cannabidiol
Mais conhecido como CBD, é o composto principal da cannabis medicinal. Possui propriedades analgésicas, ansiolíticas, anti-inflamatórias, anti-isquêmicas, antibacterianas, anticâncer antiproliferativa, antidiabéticas, antieméticas, antiepilépticas, antiespasmódicas, antiprocinéticas intestinais, antipsicóticas, antipsoriáticas, imunossupressoras, neuroprotetoras e vasorelaxante.
Cannabinol
Mais conhecido como CBN, é o produto da degradação do THC. Possui propriedades analgésicas, anti-inflamatórias, antiespasmódicas e antioxidantes. Em grandes quantidades, pode realçar efeitos de desorientação, confusão mental e rápida euforia, seguido de cansaço e sonolência. Está associado a uma erva de má qualidade devido a um processo incorreto de secagem, cura e armazenamento. Esses prensados que infelizmente ainda rodam o Brasil nada mais são que cerca de 90% CBN (em relação ao THC inicial).
Relaçao THC x CBD
Quanto mais equilibrada a relação THC:CBD, mais o CBD anula os efeitos psicoativos do THC, e realça os outros.
5. TERPENOS X FLAVONOIDES
Terpenos
Terpenos são uma grande e diversificada classe de compostos orgânicos de origem vegetal, e são essenciais na formação dos sabores e aromas da cannabis assim como seus diferentes efeitos. Existem mais de 120 diferentes terpenos na cannabis, alguns em menor, outros em maior quantidade. Terpenos desempenham um papel fundamental no reino vegetal, em aspectos como proteção contra insetos e estresses ambientais, assim como matéria-prima química de moléculas mais complexas, como canabinoides. Muitos terpenos vegetais agem sinergicamente com outros terpenos e alguns servem tanto para catalisar quanto para inibir a formação de outros compostos. Terpenos pode mitigar a perda de memória, o THC provoca déficits colinérgicos no hipocampo, que pode ser revertido pela inibição da enzima acetilcolinesterase. Essa inibição é fornecida por terpenos como limoneno, óxido de limoneno, a-terpineno, terpineno-g, terpinen-4-ol, carvacrol, l e d-carvona, p-cimeno, fenchone, mentol, e 1,8-cineol. A seguir temos uma descrição de alguns dos terpenos encontrados mais frequementemente na cannabis.
Mirceno - É o terpeno mais prevalente na maioria das variedades de cannabis. Seu odor é terroso, cítrico, frutado, com nuances de manga tropicais e menta. É um potente analgésico, anti-inflamatório e antibiótico. Bloqueia a ação do citocromo B aflatoxina e outros pró-mutagênicos que estão implicados no processo de carcinogênese. Esta associada a efeitos antidepressivos e comportamento edificante. É provavelmente uma sinérgico do THC: uma combinação das duas moléculas cria uma experiência mais forte do que o THC sozinho. Mirceno provavelmente afeta a permeabilidade das membranas celulares, permitindo a uma maior quantidade de THC alcançar as células do cérebro.
Limoneno - Tem ação antibacteriana, antifúngica e anticancerígena, inibindo a cascata de genes ras, que promovem o crescimento do tumor. É utilizado para promover sinergicamente a absorção de outros terpenos, penetrando as membranas celulares, e responsável por fazer o efeito da cannabis bater mais forte logo de ínicio. As plantas utilizam o limoneno para repelir predadores. Em humanos, o limoneno facilita uma resposta direta, permeando rapidamente a barreira sangue-cérebro, o resultado é o aumento da pressão arterial sistólica. Esta associada a efeitos antidepressivos, e comportamento alerta, inquieto. Limonenos análogos podem sinalizar ao cérebro efeitos de flutuabilidade, sexualidade, ou atenção centrada. Seu odor é cítrico, com nuances de alecrim, zimbro e/ou menta, e sua brisa psicodélica, cerebral, pra cima, clara, com picos de euforia.
Pineno - Tem ação antibiótica, antineoplásica, antiséptica, anti-inflamatória, estimulante e expectorante. Atravessa facilmente a barreira sangue-cérebro, onde age como um inibidor da acetilcolinesterase, ou seja, inibe a atividade de uma substância química que destrói uma molécula de transferência de informação, resultando em uma melhor memória. É também um broncodilatador, a fumaça parece expandir-se em seus pulmões e a brisa vem muito rapidamente uma vez que uma percentagem elevada da substância passa para a corrente sanguínea e ao cérebro. Esta associada a efeitos de satisfação pessoal, aumento de foco, relaxamento e energização. Seu odor remete a pinheiros, sendo um dos prováveis responsáveis pelo odor pungente das variedades Skunk.
Terpineol - Tem ação antibiótica, antimalárial, antioxidante, inibidora da acetilcolinesterase e sedativa. Seu efeito esta asssociado a famosa sensação de derretimento no sofá. Seu odor é cítrico com nuances de flor de maçã, tília e/ou lilás, e apesar do seu odor não estar associado a efeitos corporais, é normalmente encontrado em variedades de cannabis com grandes níveis de pineno, responsável por mascarar os odores do terpineol.
1,8-Cineol - Tem ação antibiótica, antinociceptiva, antiviral, anti-inflamatória, estimulante e inibidora da acetilcolinesterase. É usado para aumentar a circulação, alívio da dor e outras aplicações tópicas. Cineol atravessa facilmente a barreira sangue-cérebro e provoca uma reação rápida e olfativa. É um dos provável responsável pelos efeitos estimulantes e instigantes da brisa.
Borneol - É considerado um sedativo calmante na medicina chinesa. É direcionado a fadiga, recuperação de doenças e estresse. Sua brisa tem um efeito calmante e aspectos psicodélicos. Seu odor remente ao aroma mentolado da cânfora.
Linalol - Tem ação ansiolítica, antidepressiva, imunopotenciadora e sedativa. Está sendo testado no tratamento de diversos tipos de câncer. Tem aroma floral reminiscente das flores da primavera, com toques picantes.
Pulegona - É um inibidor da acetilcolinesterase, ou seja, interrompe a ação de uma proteína que destrói a acetilcolina, que é usada pelo cérebro para armazenar memórias. Pulegona pode neutralizar a atividade do THC, que leva a baixos níveis de acetilcolina, ou seja quanto maior o nível de pulegona, menor a perda de memória. Tem também ação antipirética e sedativa. Seu cheiro remete ao odor mentolado da cânfora, e seu sabor é usado na indústria de doces.
Cariofileno - Tem ação analgésica, antimalarial, anti-inflamatória e citoprotetora. Em doses elevadas, é um bloqueador dos canais de íons de cálcio e potássio, dificultando a pressão exercida pelos músculos do coração. Não esta envolvido em mudanças de humor. Tem um odor doce, amadeirado, que remete a cravo seco, e gosto picante da pimenta com nuances de cânfora e adstringente cítrico.
Delta-3-Careno - É utilizado para secar o excesso de fluidos, lágrimas, nariz escorrendo, fluxo menstrual em excesso e transpiração, sendo o provável responsável pelos efeitos de boca e olhos secos, experienciados por alguns usuários de cannabis. Tem um odor doce picante.
THC puro é sem graça, unidimensional, e tem pouca individualidade, mas em conjunto com pequenas quantidade de terpenos cada variedade ganha sua propria personalidade, uma vez que os terpenos modulam os efeitos psicoativos e fisiológicos da cannabis, afetando o humor, sensibilidade e percepção dos sentidos, assim como percepções corporais, tais como equilíbrio e dor. Cerca de 10-29% de resina da cannabis é composta de terpenos, e suas proporções e quantidades presentes é afetada de acordo com o tempo de maturação, idade e horário da colheita da planta. O clima e o tempo também podem afetar a produção de terpenos. É dae que vem a ideia de que a melhor hora para colher é de manhã cedo, já que as plantas possuem uma maior quantidade de terpenos após um período de escuridão, uma vez que a luz e o aumento das temperaturas contribuem para a evaporação dos terpenos que estão constantemente sendo produzidos pelas plantas.
Ed Rosenthal sugere que consumindo-se alimentos com terpenos em comum com a variedade em antecedência a inalação da cannabis é possivel realçar os efeitos da combinação desse terpeno com o THC. Por exemplo mirceno é um terpeno importante na qualidade de certas variedades de cannabis, particularmente as Sativas, de regiões tropicais. Se uma manga for consumida 1 hora antes da inalação do fumo, a adição de mirceno no corpo proporcionada pela manga terá supostamente um impacto profundo na qualidade da brisa.
Flavonoides
Os flavonoides são fenóis policíclicos aromáticos encontrados em diversas espécies vegetais. Cerca de 20 flavonoides são encontrados na cannabis, sendo alguns exlusivos da espécie. Flavonoides, assim como os terpenos, exercem uma ampla gama de efeitos biológicos. Protegem as plantas dos raios ultravioletas, sendo os responsáveis pelas diferentes cores encontradas nas variedades de cannabis. Tem propriedades antialérgica, anticancerígena, antioxidante, antiviral, anti-inflamatória. Estudos epidemiológicos indicam também que doenças cardíacas são inversamente relacionada à ingestão de flavonoides, uma vez que esses impedem a oxidação da lipoproteína de baixa densidade, reduzindo assim o risco para o desenvolvimento da aterosclerose. Os flavonoides podem ter um papel na prevenção e/ou tratamento de condições de saúde como: alergia, asma, catarata, degeneração macular, dermatite atópica, diabetes, doença periodontal, enxaqueca, gota, hemorroida, úlcera de estômago e varizes.
PAZ
  • Like 5
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Corrigindo o post. A maioria dos terpenos encontrados não são hidrosoluveis. Podendo ser realizada uma extração do oleo da casca do limao por exemplo voltado a ingestão. Ou o consumo da manga. Antecedendo o consumo da erva.

Fala maskara e demais irmãos. O fato de incerir ingredientes como o alho, oleo de eucalipto, casca de manga, maçã (fontes orgânicas dos terpenos) na alimentação das plantas (chá orgânico) estimulará a produção de tais terpenos na colheita?

Abraço!

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Fala maskara e demais irmãos. O fato de incerir ingredientes como o alho, oleo de eucalipto na alimentação das plantas (chá orgânico) estimulará a produção de tais terpernos na colheita?

Abraços!

Salve brother

mano é a primeira vez que ouço falar de alho e óleo de eucalipto na alimentação das plantas .

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fala maskara e demais irmãos. O fato de incerir ingredientes como o alho, oleo de eucalipto, casca de manga, maçã (fontes orgânicas dos terpenos) na alimentação das plantas (chá orgânico) estimulará a produção de tais terpenos na colheita?

Abraço!

creio que não...

o fenômeno que leva a uma planta como a canabis ou uma uva de vinícola a produzir terpenos que imitam o sabor de canela, frutas vermelhas ou limão por exemplo é que ela está geneticamente programada a produzir os mesmos terpenos dessas outras plantas. uma coincidência.

claro que se vc regar a planta com algo muito aromático ela vai reproduzir esse aroma e sabor, mas não necessariamente que ela vai produzir os terpenos. IMO.

vale uma pesquisa mais profunda.

se não for repetido que acho que não é, excelente post.

  • Like 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Massa o texto mano, todo maconheiro deveria ler isso e se possivel explanar...mas geral so ker saber de usar...uma pena...

Por outro lado, sativa passou a significar mais de um, energético, alta uplifting cerebral. A verdade é que muitos "indicas" pode produzir este sativa alta, enquanto muitos "sativas" pode produzir um indica sentimento apedrejado. *

Na realidade, a nossa cultura precisa de começar a afastar-se descrever os efeitos de maconha como "indica" ou "sativa". Esses termos devem ser reservados apenas para os produtores, criadores e cientistas que querem articular os padrões de crescimento ou necessidades, origem espécies, épocas de floração ou linhagem genética. Quando se trata de falar sobre os efeitos das tensões, temos de avançar na discussão de terpenos.

Mano, legal essa citação...pq fui pra Amsterdam, e nos 3, 4 primeiros dias chegava pros caras dos coffee e dizia, para alguns mais saudosistas, "era do Brasil...e 90% das maconha que fumo la he sativa, sendo assim quero o oposto a isso, ou seja, Indicas".

E cara, vou te falar, fumei bem uns 15 tipos de maconha diferentes la, haxixe, wax, etc e praticamente repeti o msm coffee shop umas 2x no maximo (msm assim com strain diferente) e entre as mais indicas e mais sativas, nao notei DIFERENÇA NENHUMA. kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Fumei Blueberry q me deixou estigado, e fumei Haze que me deixou com sono...e uma das que fikei mais doidao foram as Amnesia HAze, Pineapple Haze e Lemon. Acredito que isso depende mais do dia e de como a pessoa está na hora (de repente vc fumar uma pura sativa no final de um dia de trabalho pesado, o corpo tende a relaxar de todo jeito...).

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Maneira Nebreiro a explanação. Havia feito essa pergunta para o loucaço, e para o Merca (que citou os terpenos como linha para a pesquisa) sobre as indicas e sativas. Por exemplo a ogkush e hawaian snow tem niveis de thc e cbd muito similares.

tem uma matéria muito boa tb, na carta capital, sobre a combinação de outros alimentos associados a ingestão das diferentes strains e alguns toques e receita de gente especializada. A mina mudou para o Colorado para estudar isso! Vale apena conferir.

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

fonte do OP: http://www.hightimes.com/read/understanding-effects-indica-vs-sativa

__

Entrevista com Rob Clarke em 2005:

Você já fez um pouco de pesquisa sobre as origens da cannabis. A diferença entre indica e sativa pode ser explicada como uma simples diferença entre folhas finas e largas ?
Há um novo trabalho sobre genética realizado por Karl Hillig na Universidade de Indiana, tentando descobrir a real taxonomia por tras da Cannabis. A principal hipotese é que Cannabis Sativa realmente só deve representar as variedades de canhamo de folha estreitas encontradas na Europa Ocidental e que se espalhou para alguns outros lugares como Chile e, possivelmente, no Novo México. Todo o restante deve ser classificado como Cannabis Indica. Agora estou usando este novo sistema - até que algum taxonomista o mude novamente!
O que mudou no sistema?
Agora olhamos diretamente para o genoma da cannabis. Agora temos esta tecnologia genética, assim como a possibilidade de olhar para os dados de canabinóides e terpenos.
Então, alguem esta fumando Sativa nos dias de hoje?
Na verdade, nós não fumamos Sativas, é tudo Indica. Todas as variedades usadas na cultura canabica hoje em dia deve ser classificadas dentro da variedade indica. Há quatro subgrupos diferentes de indica que são agora reconhecidas. Cannabis Indica biótipo afgânica é a que as pessoas normalmente chamam de Indica agora. Cannabis Indica biótipo Chinensis é da China, Japão e Coréia. Cannabis Indica Spontania é do norte da Índia, Nepal, Birmânia. Estes eram chamadas de sativas , mas agora estão sendo classificadas como Cannabis Indica Indica. Já a Cannabis Indica Caferus Anacus podem representar os tipos selvagens, no qual os outros subgrupos domesticados vieram.
Para simplificar devemos olhar novamente para o fenotipo. Vamos esquecer de onde elas vêm. Devemos chamar de Sativa o que nós pensamos como o cânhamo da Europa, como o cânhamo de folhas estreitas. O outro cânhamo é chinês, coreano, japonês e vietnãmita. Trata-se de cânhamo de folhas largas, apesar deles não serem tão baixos em THC ou tão elevado em CBD (canabidiol) como os europeus. E então você tem os dois conjuntos de genes de maconha com alto principio ativo, com folhas estreitas e alto THC - indianas, Nepali, tailandês, indonésio. E as variedades com folha largas africanas, mexicanas e colombianas. Variedades afegãos que agora são chamados Indica, erroneamente, deveria ser chamado de variedades de folha larga. Agora é claro que temos híbridos entre folhas largas e estreitas, mas não há híbridos de Sativa, o cânhamo folheado estreita. Então, na verdade, os únicos verdadeiros híbridos indica-sativa são cânhamo, eo que as pessoas fumam são todos Indicas.
Então, quais são as possibilidades de mistura de variedades de cânhamo antigos e variedades com alto principio ativo?
Mistura entre essas variedades até agora tem sido um desastre! Foi o que aconteceu acidentalmente na Suíça, onde as pessoas acabaram com cânhamo com nivel de THC muito alto para ser cânhamo legalizado, mas muito baixo para o uso recreacional / medicinal.
As pessoas no passado fizeram híbridos entre sativa Europeia variedades de cânhamo com folhas estreita, variedades chinesas de cânhamo com folhas largas e de genéticas indicas. Algumas das melhores culturas de cânhamo tem sido alcançadas com este vigor híbrido, como a americana em Kentucky no início do século 20.
* entrevista é meio confusa, mas parece que ele explica melhor no novo livro dele de 2013. : http://www.amazon.com/Cannabis-Evolution-Ethnobotany-Robert-Clarke/dp/0520270487
Ainda preciso compreender melhor essa nova hipotese de taxonomia do cara, diferença entre hemp [as verdadeiras sativas] e as indicas - NLD [ narrow leaf drug cultivars] e BLD [ broad leaf drug cultivars].
Então só fumamos Indicas [ folhas largas ou estreitas] com perfil de canabinoides+terpenos variados? E sativa só o canhamo com baixo principio ativo?
:127472813-scratchhead4wijz2:
segue imagem para ilustrar melhor:
gallery_40579_7507_76977.png
  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

A pesquisa foi realizada com quais espécies?

Porque..

Foi tudo misturado, "Sativa", "Indica" "Ruderalis" se isso realmente são definições?

Porém tem princípios ativos diferentes, dependendo da região e espécies que é cultivada.

A grande maioria hoje são híbridas, Landraces ou raças puras "Sativas" ou "Indicas" são extremamente raras e só são encontra em alguns locais onde o povo nativo preserva até os dias de hoje, pequenos agricultores familiares isso praticamente no mundo inteiro.

No nordeste do nosso pais acho eu que ainda se encontra espécies puras pois se "você" olhar uma plantação grande verá q os fenótipos são muito parecidos, se não idênticos, não é a toa que vieram aqui buscar as sativeras pra fazer os hibridos WW, Black Widow e vários e vários outros pq lá fora ( Europa, Usa.. etc..) já tinham fodido toda a genética cultivada por milênios, misturando os efeitos e até acabado com alguns.

Não sei até onde da para se levar em consideração essa pesquisa. Alguém ai já fumou a erva do nordeste e ficou com sono?

Dizem que a cannabis que tem no Brasil foi trazida da África mas quem tem certeza? e os índios? tinham contato com a cannabis antes dos europeus chegarem aqui e falarem q "descobriram" o Brasil?

Existem genéticas aqui que me fazem pensar nisso pois depois de muito pesquisar e continuo o fazendo não encontrei variedades africanas que se pareçam com algumas que encontramos aqui. E se não são da África de onde são? pesquisem para ver que interessante as espécies do nordeste e compare com as da África.

Outro tema interessante é sobre a cannabis no mundo espiritual, qual a diferença entre a Sativa e a Indica nesse tema?

Dentre todas as qualidades da erva, para mim essa é a maior, servir de ferramenta para nos mostrar a realidade de, quem somos, de onde viemos, para onde vamos..

Me desculpem se deturpei o tópico, mas as questões são muitas e as pesquisas muito superficiais.

Grande abraço a todos os irmão.

Jah Bless

  • Like 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Obrigado por postar a notícia.

Gosto muito quando paradigmas são quebrados.

Alguém já ficou louco de Noz moscada?

Tomei algumas vezes quando não tinha maconha.

Esse post explicou muito bem a sensação de "apedrejado" que se sente por umas 50 horas quando se toma noz moscada. É explicado pelo tal do mirceno!

Próxima vez que for fumar minha "sativa" vou tomar umas noz moscadas antes hahahaha

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Boa galera! Informações importantes circulando ae

Mas teve um trecho que não entendi bem:

"Linnaeus incorretamente pensei que o gênero a ser monotípico, ou ter apenas uma única espécie.Assim, o próprio nome do gênero é muito enganador porque usa incorretamente a palavra "sativa" na taxonomia. Esta classificação ocorreu antes que o mundo sabia das três espécies distintas que saem dentro do género cannabis."

Espécie é um grupo de indivíduos com capacidade de gerar descendentes férteis e com igual cariotipo, ou seja, mesmo número e características dos cromossomos.

As sativa e as indica cruza q eh uma beleza! E da semente que cresce e cruza de novo com qualquer uma e da mais semente e assim vai embora... Sativa, indica e ruderalis seriam, então, subespécies, ou raça, e não espécies como cita no texto?

Ajuda ae negada!!

Paz

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Salve casa

Muito bom ver que estamos trocando idéia na boa e ao mesmo tempo aprendendo muito com essas matérias que os mano colocaram ai para irmos montando esse quebra cabeça.

Mas o que acho é que sim, os terpenos com certeza são os que fazem cada genética!

Venho lendo sobre os terpenos a algum tempo e ligando uma coisa na outra

Sempre de olho nos terpenos que tambem não seriam grande coisa sem o THC/CBD.

Acredito que com a evolução da legalização e podendo estudar mais sobre a planta surgirá uma lista de descobertas sobre novos remédios que poderão curar mais tipos de doenças do que o CBD/THC ja fazem.

Quando descobrirem a melhor forma de usar os terpenos junto com o THC e CBD isso sera uma explosão de descobertas, pq existe terpenos variados e não só na planta cannabis mas tbm em outras plantas medicinais que tem os terpenos. E ai que vão pensar no que fazer e entender que cannabis é NATUREZA!

Junta uma com a outra que sai a cura da nação, da corrupção, das injustiças! kkk, rimou

Veja bem..

Existe claro o THC, CBD, THCA e todos os outros cannabinoides.

Mas ok. Vamos deixar élas aqui e fala sobre os terpenos.

Agóra vendo com outros ólhos e esquecendo a imagem de que planta com folha larga é Indica e planta com folha fina é sativa como sabemos até aqui e como ja vem em nossa lembrança a folha de cada uma delas. :love-weed:

O que entendi disso tudo é que isso é natureza!

E a natureza tem que trabalhar num perfeito equilibrio para tudo sair bem.

Assim como nos nossos cultivos a gente tenta sempre manter o equilibrio ao maximo.

Mantendo uma luz boa que de conta de iluminar bem as plantas, alimentando com nutrientes certos PH e EC certo, fazendo técnicas nas hóras certas, dando um ar de qualidade para elas, mantendo a temperatura e umidade no melhor possivel..

enfim..

Sempre procurando manter o equilibrio de tudo tanto no outdoor como indoor.

Assim é o THC por exemplo, ele tem seus efeitos psicodélicos e medicinais mas se não fosse os terpenos, todas as plantas teria os mesmos efeitos não teria!?

Mesmo que seja ums mais fórtes e outros mais fracos seriam sempre o mesmo tipo de efeito.

Então o que vemos é que o THC/CBD não andam sózinho, para cada planta ter a diferença uma da outra o que muda são os terpernos que cada uma delas carrega.

Eu mesmo procuro entender assim.

O THC tem sim seus efeitos mas tambem sua potencia que quando se junta com algum terpeno póde mudar todo o conhecimento que temos sobre ele de que deixa alérto e deixa eufórico e ergético.

Por exemplo e apenas exemplo. Se a planta é uma ''SATIVA'' e tem uma pequenas quantidade de THC e nada de CBD. Éla mesmo assim tera que mostrar efeitos de uma sativa, porque é sativa e não tem nada de CBD..

Mas ai é que esta.. O THC não anda sózinho.. a planta é uma sativa mas esta carregada de terpineol ou seja terpineol junto com THC deixa os efeitos do THC mais fortes e ao mesmo tempo o Terpineol passa seu efeito que é calmante daqueles que te deixa no sofa como diz o estudo.

E ai, cade a sativa agóra? Se a planta cresceu como sativa e teve folhas finas. rsrs

Entendeu? Por isso a fórma de falarmos esteve errada por muito tempo, pq o que achavamos desde sempre é que o THC éra para sativa e CBD para Indica.

Mas não é bem assim, existe os terpenos que em equilibrio com o THC e CBD produzem seus próprios efeitos saindo assim cada genética com seus aromas e potencia.

Estou cultivando a Sour Diesel, éla é sativa e cresce como sativa, mas tem as folhas largas como indica, ai eu ficava pensando nisso.

Se é sativa pq então fohas grossas assim :603145906-fumar.:

E o nome Sativa/Indica ficara para indentificar apenas o tipo de crescimento da planta, semanas de floração e tals..mas não os efeitos!

descupe se escrevi alguma bobeira.. to lokão e vou dormir agóra! 05:21

Abraço

PAZ pra todos

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom
O estudo citado pelo Clark na entrevista (Hillig, 2004) analisou 7 biótipos:
c. indica hemp biótipo a = landrace de cânhamo do sul e leste da Ásia
c. indica feral biótipo b = populações selvagens da Índia e do Nepal
c. indica DFF biótipo c = strain de drogas de folha finas (DFF) do subcontinente Indiano
c. indica DFL biótipo d = strain de drogas de folhas largas (DFL) do Afeganistão e Paquistão
c. sativa hemp biótipo e = landrace de cânhamo da Europa, Ásia central e menor
c. sativa feral biótipo f = populações selvagens do leste europeu
c. ruderalis = populações ruderalis da Ásia central
O que foi concluído é que a atribuição de "Sativa" e "Indica" baseada nas origens geográficas é consistente com a frequência do alelo das aloenzimas que catalisam a conversão de canabigerol em THC e CBD (BT e BD). E que analisando por esses aspectos a existência da espécie c. ruderalis não pode ser suportada. Sendo assim, quimiotipos THC dominante (BT BT; "indicas de folhas finas") são predominantes em países localizados entre os trópicos e a linha do equador, enquanto quimiotipos THC/CBD misto (BT BD; "indicas de folhas largas") e CBD dominante (BD BD; "sativas") são predominantes em países localizados entre os trópicos e os círculos polares.
gallery_27183_5283_127610.jpg
Agora, embora o estudo do Hillig suporte a existência de um conceito com duas espécies, oficialmente a Cannabis continua sendo considerada monotípica sim. Então Linnaeus não estava errado quando, em 1753, classificou todas as plantas do gênero Cannabis como variedades de uma mesma espécie. Porém em 1785 outro biólogo eminente, Lamarck analisou espécimes coletados na Índia, e com base nas várias características diferentes encontradas (caules firmes, casca fina, e folhas e flores com formas diferentes) concluiu que esses espécimes deveriam ser distinguidos da espécie c. sativa como uma nova espécie; c. indica. E desde então existe esse debate sobre a correta classificação da Cannabis.
Em defesa ao Nico Escondido que escreveu o artigo da High Times, a taxonomia da Cannabis é confusa mesmo. No meu texto original, que teve um trecho postado pelo user (Maskara) Verde, eu classifiquei a Cannabis como 3 espécies distintas e provavelmente ajudei involuntariamente a propagar o mito sativa-indica. E embora eu tenha posteriormente atualizado as informações do meu texto, o original com esse erro continua aparecendo aqui e ali para me assombrar.
Mas independente da classificação taxonômica, o que provoca a confusão pública é a classificação de "Sativa" e "Indica" pelos breeder/seedbanks, geralmente com base nas características morfológicas do híbrido. Coincidentemente certas variedades com características morfológicas "indicas" (relativamente baixas, densamente ramificadas, folhas largas e buds densos), oriundas da Asia Central (Afeganistão, Paquistão, e Turcomenistão) possuem um perfil terpenóico rico no monoterpeno ß-Mirceno, que quando em quantidades elevadas produz efeitos sedativos. E, como as variedades da Ásia Central sempre foram bastante utilizadas na criação de novos híbridos, acabou que uma coisa levou a outra e hoje "Indica" é sinônimo de sedação e "Sativa" é sinônimo de estimulação, embora ambas pertençam à mesma subespécie (c. sativa ssp. indica).
É interessante mencionar que quimiotipos CBD dominantes (BD BD; "sativas") e THC/CBD misto (BT BD; "indicas de folhas largas") geralmente possuem níveis elevados do monoterpeno ß-Mirceno, o qual geralmente é praticamente ausente em quimiotipos THC dominantes (BT BT; "indicas de folhas finas"). Então tecnicamente "sativas" e "indicas de folhas largas" tendem a provocar efeitos sedativos, enquanto "indicas de folhas finas" tendem a provocar efeitos estimulantes. Vale ressaltar também que todos os fitocanabinoides da Cannabis são terpenos, mas nem todos terpenos são fitocanabinoides.
Mas apesar do quimiotipo estar associado principalmente a origem geográfica, isso não limita a presença de diferentes quimiotipos em uma determinada população uma vez que o perfil fitocanabinoide e o perfil terpenóico estão protegidos pelo controle genético. Plantas pertencentes à mesma população muitas vezes mostram perfis bioquímicos distintos. Então é como já mencionaram, sempre há exceções. Você pode acabar com uma "indica de folhas finas" com ß-Mirceno elevado e consequentemente efeitos sedativos, assim como pode acabar como uma "indica de folhas largas" com níveis irrisórios de ß-Mirceno e consequentemente efeitos estimulantes. Diversidade é a apólice de seguro da natureza uma vez que homogeneidade resulta em uma maior vulnerabilidade à doenças, alterações climáticas, e outras ameaças.
  • Like 9
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

[...]

Não sei até onde da para se levar em consideração essa pesquisa. Alguém ai já fumou a erva do nordeste e ficou com sono?

sou do nordeste e todo fumo (o tal fumo solto, tipico da regiao) he de sativa predominantes. as seeds, uma vez germinadas e adultas se mostrarão,

pelo menos do que vi ate hoje, sativas. se dá sono? no geral eu nao sinto isso, realmente a lombra he outra, mas a depender do fumo

pode vir a lhe deixar tao louco que vc fica travado, tipo um locked, como os gringos dizem. Nao é a toa a fama da tal Manga Rosa...que segundo dizem, foi usada TAMBEM para a criação da famosa White Widow.

Dizem que a cannabis que tem no Brasil foi trazida da África mas quem tem certeza? e os índios? tinham contato com a cannabis antes dos europeus chegarem aqui e falarem q "descobriram" o Brasil?

Jah Bless

"uma coincidência"? Não. Nada é por acaso. Existe um outro texto mais apropriado a questão das subespécies, que trata o tema das índicas trazidas para a américa e a adaptação dessas. O que gerou as plantas monsters, grandes, as tais sativas. Mas o que esse trecho citado acima traz é que anteriormente toda cannabis era conhecida como "cannabis sativa", posteriormente verificaram que não, sim existem as "subespécies", se é que podemos dizer assim. O que talvez possa ser interpretado como as variações da raça humana: caucasiano, amarelo, afro-descendente... porém o tópico esta sugerindo o foco na diversidade e a produção dos terpenos para a compreensão e o estudo dos efeitos e não específicamente na questão das "subespécies" e as características genéticas que diferenciam sativas e índicas. O que faz do tópico um convite para a evolução do tema "terpenos" entre os irmãos e os demais interessados pela descriminalização da cannabis e os seus benefícios.

Realmente essas paradas me deixaram confuso. Pq antes de ler isso aki, a coisa pra mim era a seguinte: INDICAS (folhas largas): oriundas do oriente medio [afeganistao, marrocos, india]. SATIVAS (folhas finas): America Central, continente Africano. E outra, pra mim, CANHAMO he akela (sub)especie que nao produz flores, sendo basicamente cultivada para obtenção da sua fibra (desculpe se falei besteira aki).

Sou da regiao nordeste, e fumo ha uns 20 anos. Nunca, nesses anos todos joguei uma semente de fumo solto para ver uma planta com características hibrida/indica. Sempre sao plantas de folhas longas e finas. E isso ja é assim há decadas, pois tenho um familiar com quase 50 anos, que fuma desde os 17 e diz que o fumo sempre foi desse jeito. Basta ver as apreensões que sao feitas pela PF na regiao.

Edit: So pra ilustrar. As plantas abaixo sao de semente do fumo solto do NE. As fotos sao do nobre usuario NaoPossoDizer, que posteriormente teve que encerrar o cultivo das mesmas por motivos de força maior.

gallery_60513_8436_1858746.jpg

Reparem na planta no canto extremo esquerdo. Pra mim akilo seria uma "sativa pura" enquanto a do seu (na direita) tambem seria, levando em consideraçao o que os seedbank falam e no meu "achismo cannabico" uma hibrida de predominancia Sativa. :127472813-scratchhead4wijz2:

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...
×
×
  • Criar Novo...