Ir para conteúdo
Growroom

Anvisa Libera Remédio Com Substância Da Maconha Thc Após Decisão Da Justiça


Recommended Posts

  • Usuário Growroom

Mais triste que ver essa mulher tendo esse sofrimento todo, é ver ela sendo instruída a fumar óleo ao em vez de ingerir...

Pelo menos pra mim é uma derrota pessoal, depois de tanto tempo postando sobre os benefícios de se ingerir o Hemp oil.

-_-

Thiabo, no caso do alívio da dor não é maior o benefício de se fumar? Claro que seria melhor ainda se ela fumasse e ingerisse o óleo, mas se coloque no lugar dela que sente dor a todo momento, ela deve querer uma melhora imediata da dor, e é fumando que se consegue esse alívio imediato, não ingerindo o óleo.

Num mundo perfeito ela teria óleo disponível para ingerir e fumar, ou num país digno, infelizmente estamos falando de Brasil, um país que parece ter como vocação aumentar o sofrimento de seu povo... E fui só eu que achei ela linda? Deu vontade de ir morar com ela pra cultivar umas indicas e fazer outras cositas más. :rasta::love:

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Thiabo, no caso do alívio da dor não é maior o benefício de se fumar? Claro que seria melhor ainda se ela fumasse e ingerisse o óleo, mas se coloque no lugar dela que sente dor a todo momento, ela deve querer uma melhora imediata da dor, e é fumando que se consegue esse alívio imediato, não ingerindo o óleo.

Num mundo perfeito ela teria óleo disponível para ingerir e fumar, ou num país digno, infelizmente estamos falando de Brasil, um país que parece ter como vocação aumentar o sofrimento de seu povo... E fui só eu que achei ela linda? Deu vontade de ir morar com ela pra cultivar umas indicas e fazer outras cositas más. :rasta::love:

O melhor seria fumar e ingerir, porem ingerir é sempre prioridade pq é bem mais eficiente a médio(até a ingestão do óleo bater apenas) e longo prazo que fumar, e ingerir não combate apenas os sintomas da dor, combate tb a inflamação e regenera os danos nos nervos.

As pessoas tem que entender de uma vez que quando ingere o óleo, o organismo se fortalece de forma absurda, e o poder de reparar os danos que um organismo alcança com isso é muito superior, com um tempo de ingestão é bem provável que ela nem tenha as fisgadas mais, pq a inflamação nos nervos ficará sob controle, foi assim com os bicos de papagaio que tenho na lombar...

:335968164-hippy2:

  • Like 6
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom
Estudante comemora autorização para usar remédio à base de maconha Pela 1ª vez Anvisa, vai liberar importação de remédio com 45% de THC.
Uso é para única paciente que sofre dores crônicas e já tentou até morfina.

Flávia Cristini Do G1 MG

3594767.jpg

“Já faço uso de maconha há muito tempo e acho que salvou minha vida. Recebo com muita alegria esta decisão, porque sei que isso vai abrir porta para muita gente”, comemora a estudante Juliana de Paolinelli, de 35 anos, que obteve da Justiça a primeira autorização para importar um remédio com maior concentração de tetraidrocanabinol, o THC, de uso e comercialização proibidos no país. A substância, que gera os efeitos cognitivos e psicológicos conhecidos como “barato” da planta, é usada para fins terapêuticos no exterior.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) foi notificada da decisão na tarde de quarta-feira (27) e tem cinco dias corridos para providenciar a permissão. Embora caiba recurso, o órgão informou que vai cumprir e, com isso, liberar pela primeira vez a entrada deste medicamento no Brasil. Um outro pedido para o mesmo remédio foi recebido em julho deste ano diretamente pela Anvisa, sem demanda judicial, mas o paciente não apresentou os documentos necessários.

savitex_bayer_346.jpgO remédio que Juliana poderá usar é um spray
bucal com 45% de THC (Foto: Divulgação/Bayer)

“Não posso perder tempo. É um remédio, a gente quer simplesmente viver um pouco melhor”, disse Juliana sobre a decisão de procurar a Justiça. Moradora de Belo Horizonte, ela tem duas filhas e tenta levar uma vida normal, apesar das dores intensas decorrentes de um problema de coluna. Para se locomover, faz uso de bengala, coletes ortopédidos, em algumas ocasiões, e de uma cadeira de rodas.

Pedidos de importação de medicamentos à base de canabidiol, o CBD, outro componente da maconha, já vêm sendo autorizados no Brasil. De acordo com a Anvisa, até o momento, já foram autorizados 50 dos 72 pedidos para remédios com até 1% de THC e maior concentração de CBD. No caso de Juliana, a medicação solicitada tem em torno de 45% de THC, conforme a Anvisa. Os componentes teriam aplicações em tipos distintos de tratamento.

juliana1.jpgJuliana de Paolinelli conseguiu na Justiça o direito
de importar o remédio Sativex, à base de THC
(Foto: Humberto Trajano / G1)

Em abril deste ano, o juiz Bruno César Bandeira Apolinário, da 3ª Vara Federal de Brasília, liberou que os pais da menina Anny, de 5 anos, importem o medicamento canabidiol (CBD), que tem substâncias derivadas da maconha e é proibido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no Brasil. A decisão judicial impede a agência de barrar a importação do produto, que é legalizado nos Estados Unidos. A reportagem foi exibida no Fantástico.

Além de forte medicação, inclusive o uso prolongado de morfina, Juliana fez duas cirurgias e, depois da segunda, surgiram os espasmos generalizados e nos membros inferiores.

Diariamente, são ao menos seis crises por dia. Eram espasmos fortíssimos, de o meu joelho bater na boca"
estudante Juliana de Paolinelli

“Diariamente, são ao menos seis crises. Eram espasmos fortíssimos, de o meu joelho bater na boca. Eu precisava ser levada para o hospital amarrada", conta. Segundo a paciente, a doença foi descoberta no último grau, em 1997, e não tem uma explicação clara para as causas. Ela afirma que, com o uso dos componentes da maconha, é possível ter o controle da dor causada pela compressão e esmagamento na coluna. Num vídeo publicado na internet, ela mostra um pouco de sua rotina.

De acordo com a estudante, o uso da planta ainda gera muito preconceito e a sensação de ilegalidade, por isso a importância da liberação do remédio. A partir da decisão, faz cotações para dar início ao processo de importação e teme o custo alto.

A importação do medicamento é pelo período inicial de 12 meses e especificamente para o caso de Juliana. O relatório médico considerado pelo juiz Valmir Nunes Conrado, da 13ª Vara Federal de Belo Horizonte, afirma que foram tentadas todas as medicações pertinentes disponíveis no país e que nenhuma teria sido capaz de controlar o quadro clínico da paciente.

(...) Era a única alternativa terapêutica para permitir uma qualidade de vida melhor"
juiz Valmir Nunes Conrado, com base em laudo médico

“Foi considerado basicamente o laudo médico, que retratava um caso de patologias graves, como problemas sérios na coluna e uma síndrome que causa dores e espasmos em razão da compressão da coluna. Este dava conta que era a única alternativa terapêutica para permitir uma qualidade de vida melhor. A morfina, por exemplo, já estava causando dependência química”, afirmou o juiz.

Segundo o magistrado, o cumprimento deve ser imediato, ainda que a Anvisa decida questionar a decisão. O caso ainda será julgado no tribunal, em segunda instância, mas não há prazo. Enquanto isso, o tratamento já pode ser iniciado.

O médico Leandro Ramires, que tem um filho em tratamento com óleo à base de canabidiol, explica a diferença do uso das substâncias CBD e THC, os componentes mais conhecidos da maconha.

“O CBD é excelente para quem tem convulsões cerebrais, pois estabiliza o sistema nervoso e impede que descargas de nervos transmissores aconteçam. Já o THC bloqueia o impulso nervoso responsável pela dor, por isso diminui as contraturas como as da Juliana, que tem compressão da medula nervosa. O tetraidrocanabinol também potencializa o efeito de analgésicos comuns”, disse. Segundo o médico, a morfina, por exemplo, causa mais dependência química e psíquica que o THC.

Pedido excepcional de importação
A Anvisa informou que criou mecanismos para que as pessoas possam importar medicamentos sem registro no Brasil, evitando a necessidade de demandas judiciais. O procedimento pode ser feito por meio de um "pedido excepcional de importação" para uso pessoal.

Para isso, é necessário que o paciente envie uma solicitação, contendo prescrição médica detalhada com assinatura e carimbo do médico, laudo médico descrevendo o caso e justificando a utilização do medicamento não registrado no Brasil e termo de responsabilidade assinado pelo médico e paciente ou responsável legal. De acordo com a assessoria da Anvisa, os pedidos levam em média uma semana para apreciação e autorização.

juliana3.jpgJuliana de Paolinelli, hoje, usa um vaporizador (à esquerda) abastecido com maconha em forma líquida; antes, ela chegou a usar uma bomba de morfina (à direita) dentro do corpo (Foto: Humberto Trajano / G1)
  • Like 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

É isso ai acho que aos poucos os fatos estão mostrando que a medicina da cannabis está na sua essência e não nesse ou naquele composto. A planta é bem mais que a soma dos compostos que nela conhecemos.

Fora que o dito "uso recreativo" é uma medicina saudável de socialização, também de autoconhecimento e inúmeras outras formas saudáveis para muitos que usam a erva verde.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Parabéns pela vitoria!

Importantíssima, na atual discussão de separar o medicinal do recreativo. THC também é medicinal!

Seria interessante que as pessoas que estão entrando com pedido na Anvisa, fizessem um pedido para cultivar alguns pés em casa, de forma a produzir o extrato caseiro. Evitando assim o alto preço dos extratos importados.

"De acordo com a estudante, o uso da planta ainda gera muito preconceito e a sensação de ilegalidade, por isso a importância da liberação do remédio. A partir da decisão, faz cotações para dar início ao processo de importação e teme o custo alto."

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Gostaria de uma retratação do Sr. estudioso e conhecedor de tudo Ronaldo Laranjeiras que abocanhou uma boa grana com seu discurso proibicionista e seus fiéis seguidores que são somente ovelhas.

E aí Laranjeiras? Nao tem valor medicinal? Vai me dizer que agora que surgiram as pesquisas?

Bota a cara agora!! Pra defender as baboseiras que dizia ou no minimo pra se retratar. Tenho certeza que seu discurso influenciou bastante ignorante por aih.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Será q o próximo passo não é um paciente tentar autorização pra plantar em casa? Já que existe essa possibilidade na lei, seria um importante passo se alguém conseguisse isso né

  • Like 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Será q o próximo passo não é um paciente tentar autorização pra plantar em casa? Já que existe essa possibilidade na lei, seria um importante passo se alguém conseguisse isso né

Sim, essa será a próxima empreitada jurídica! Cultivar a própria medicina é um direito ancestral do Homem. Uma tecnologia arcaica que deve ser novamente utilizada! Temos um amigo com prognóstico muito ruim dos médicos, e que faremos de tudo para ele entrar para os livros de medicina como um caso inovador com uso da cannabis medicinal.

  • Like 5
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Um grande avanço... Agora, pra legalizarem o autocultivo, eu coloco mais uns 5-10 anos pela frente depois que começaram a vender "remedio" de cannabis nas farmacias.

E do jeito que as eleiçoes tao rumando, se por milagre o projeto do senador cristovao passar na camara e senado, a Marina Silva veta na certa!

Brasil, rumo ao império evangélico!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Mais triste que ver essa mulher tendo esse sofrimento todo, é ver ela sendo instruída a fumar óleo ao em vez de ingerir...

Pelo menos pra mim é uma derrota pessoal, depois de tanto tempo postando sobre os benefícios de se ingerir o Hemp oil.

-_-

Não fique triste parceiro...

Conhecemos o caso. Ela tentou fazer por via oral, mas apresentou vários efeitos colaterais gastrointestinais.

No vape ela consegue um razoável alívio e ainda consome muito menos produto.

Não existe apenas um caminho. O negócio é cada um encontrar o seu Strain certo, a dose certa, e a via de administração correta.

VqV

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Não fique triste parceiro...

Conhecemos o caso. Ela tentou fazer por via oral, mas apresentou vários efeitos colaterais gastrointestinais.

No vape ela consegue um razoável alívio e ainda consome muito menos produto.

Não existe apenas um caminho. O negócio é cada um encontrar o seu Strain certo, a dose certa, e a via de administração correta.

VqV

Mude o solvente, não pode ser por conta dos cannabinóides esses problemas gastrointestinais.

Po alívio razoável é o máximo que se consegue com vape/fumar, sei disso pq eu fumava 10 banza por dia na época que sofria de enxaqueca crônica, e era isso msm, só um alívio básico...

E exatamente por isso que geral desacredita que a ingestão seja tão mais eficiente, só que é... e MUITO,

po é foda ficar aqui fazendo papel de chato como venho fazendo, inclusive já arrumei uns desafetos por isso,

mais eu senti na pele a diferença que faz passar um tempo ingerindo óleo continuamente e é surreal msm, a explicação pra isso é que ingerindo os cannabinóides são 100% absorvidos no intestino e armazenados no fígado pra ir distribuindo pro corpo, é outra conversa....

Mais é isso ai, desejo o melhor pra essa mulher, sei que se ela ingerir por um tempo continuo, vai ter um retorno que irá surpreender.

Existem vários caminhos pra se ingerir, óleo, kief, juice... mais o caminho é ingestão.

Saúde e paz pra todos.

:335968164-hippy2:

  • Like 3
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

ThiaBo dá pra fazer óleo com maconha de baixa qualidade? Pois ela não tem acesso à flores então até onde eu sei fica difícil produzir bons óleos...

Primeiro temos que lutar pelo direito de termos acesso fácil à maconha de qualidade, legal, autocultivo, aliás, já temos o direito, falta permissão legal, garantia de direitos básicos.

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Mude o solvente, não pode ser por conta dos cannabinóides esses problemas gastrointestinais.

Po alívio razoável é o máximo que se consegue com vape/fumar, sei disso pq eu fumava 10 banza por dia na época que sofria de enxaqueca crônica, e era isso msm, só um alívio básico...

E exatamente por isso que geral desacredita que a ingestão seja tão mais eficiente, só que é... e MUITO,

po é foda ficar aqui fazendo papel de chato como venho fazendo, inclusive já arrumei uns desafetos por isso,

mais eu senti na pele a diferença que faz passar um tempo ingerindo óleo continuamente e é surreal msm, a explicação pra isso é que ingerindo os cannabinóides são 100% absorvidos no intestino e armazenados no fígado pra ir distribuindo pro corpo, é outra conversa....

Mais é isso ai, desejo o melhor pra essa mulher, sei que se ela ingerir por um tempo continuo, vai ter um retorno que irá surpreender.

Existem vários caminhos pra se ingerir, óleo, kief, juice... mais o caminho é ingestão.

Saúde e paz pra todos.

:335968164-hippy2:

Realmente so usando o oleo via alimentar pra acreditar e sentir o tamanho do PODER para varias doenças...

Se começar a usar no começo da maioria das infecções e estados gripais com 24 horas ja regride e com 48 a no maximo 62 horas o organismo esta zerado, imagina fazer um uso prolongado... ia falir o sistema medico!

Incrivel que é bom pra quase todas as doenças conhecidas... Nao é de se admirar a forte pressão das farmaceuticas em manter tudo em segrego!

Sabias palavras amigo... o que importa é ingerir, nem que seja mastigando, ou usando alguma das centenas de metodos possiveis para extrair a resina mais preciosa e medicinal conhecida e escondida a 7 chaves pelo homem ganancioso!

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

ThiaBo dá pra fazer óleo com maconha de baixa qualidade? Pois ela não tem acesso à flores então até onde eu sei fica difícil produzir bons óleos...

Primeiro temos que lutar pelo direito de maconha de qualidade, legal, autocultivo, aliás, já temos o direito, falta permissão legal, garantia de direitos básicos.

Me prontifiquei a mandar óleo pra ela ingerir e mix com copaiba pra ela passar na lombar, se me dessem o contato(pois quero acompanhar pra ter certeza que ela vai ingerir) e nem resposta tive... :blink:

Msm se ela ingerir óleo de prensado, terá mais benefícios que vaporizando o melhor green, na minha opinião.

Mais continuo a disposição pra ajudar ela.

:335968164-hippy2:

  • Like 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Me prontifiquei a mandar óleo pra ela ingerir e mix com copaiba pra ela passar na lombar, se me dessem o contato(pois quero acompanhar pra ter certeza que ela vai ingerir) e nem resposta tive... :blink:

Msm se ela ingerir óleo de prensado, terá mais benefícios que vaporizando o melhor green, na minha opinião.

Mais continuo a disposição pra ajudar ela.

:335968164-hippy2:

o Thiabo, tb sofro muito com lombalgia...Alem de stress e depressão pre-colheita, (que consiste em ficar fumando pren podre olhando pros buds ainda com 40-50 dias de flora pela frente... isso da uma ansiedade monstra.

Se vc mandar esse oleo pra mim, te garanto que vou ingerir todinho todinho! O maximo que posso fazer é desviar um pouquin dele para melar algumas sedas... :animbong::icon_spin:

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...
×
×
  • Criar Novo...