Canadense

Uso Entre Adolescentes Cai Após Legalização No Colorado

Recommended Posts

http://www.usnews.com/news/articles/2014/08/07/pot-use-among-colorado-teens-appears-to-drop-after-legalization

Pot Use Among Colorado Teens Appears to Drop After Legalization State data shows Colorado high school kids getting high at lower rate than national average in 2013.

Marijuana use among Colorado high school students appears to be declining, despite the state’s pioneering voter-approved experiment with legalization.

According to preliminary data from the state’s biennial Healthy Kids Colorado Survey, in 2013 - the first full year the drug was legal for adults 21 and older - 20 percent of high school students admitted using pot in the preceding month and 37 percent said they had at some point in their lives.

The survey’s 2011 edition found 22 percent of high school students used the drug in the past month and 39 percent had ever sampled it.

It’s unclear if the year-to-year decline represents a statistically significant change, but data from 2009 suggests a multiyear downward trend. That year 25 percent of high school kids said they used pot in the past month and 45 percent said they had ever done so.

The data released Thursday by the Colorado Department of Public Health and Environment also appears to show post-legalization pot use among Colorado teens was lower than the national average.

Results from the Centers for Disease Control and Prevention’s 2013 Youth Risk Behavior Survey show that nationwide 40.7 percent of high school students reported ever trying marijuana and 23.4 percent said they used it in the preceding month.

[FLASHBACK: Young Adults Left Behind by Legalization]

Supporters of marijuana legalization argue underage use will shrink as states impose strict age limits. Opponents of legalization, meanwhile, fear that declining perceptions of harm associated with the drug will lead to an uptick in teen use.

According to the data released Thursday, students surveyed do have a lowered perception of harm - 54 percent perceived a moderate or great risk in using the drug, down from 58 percent in 2011 - but use did not increase.

“Once again, claims that regulating marijuana would leave Colorado in ruins have proven to be unfounded,” Marijuana Policy Project Communication Director Mason Tvert said in a statement. “How many times do marijuana prohibition supporters need to be proven wrong before they stop declaring our marijuana laws are increasing teen use?”

  • Like 4

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Excelente notícia, Canada!!

  • Like 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A nobre ministra do STJ deveria ler essa materia, a mesma não disse que a maconha leva a drogas mais pesadas, mais olha o oposto acontecendo, a maconha legalizada, nem se quer faz aumentar o numero de usuario, tem efeito contrario.




Abrax

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

adolescentes querem rebelar... num lugar onde todos fumam maconha.... resta ser careta...

isso, e, agora que tiraram as drogas dos traficantes, gente responsável num vendem pra menores... msm que nos eua é 21 anos.

  • Like 10

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Isso ae, Canada! Quem quiser se revoltar que vá estudar medicina ou engenharia...

  • Like 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu gosto dessa rebeldia jovem :) Se e criminalizado intw vamos fumar huhaua

E eu também to com Sano "Quem quiser se revoltar que vá estudar medicina ou engenharia"

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Infelizmente a mentalidade no Brasil é atrasada quanto a maconha, mas estamos ervoluindo, um passo depois do outro.

Aí repito o clichê, a pergunta não é mais se vai legalizar, a pergunta é quando vai legalizar, outra pergunta é como vai legalizar, temos que ser vigilantes para não deixar o mercado da maconha cair todo nas mãos dos grandes capitalistas, precisa haver uma legalização que possibilite novos empreendedores e até indivíduos de empreenderem e fornecerem medicamentos e maconha recreacional para os usuários, medicinais ou não.

Essa notícia também é importante para criar uma nova perspectiva sobre a lei de drogas, precisamos divulgar ela, vou traduzir aqui embaixo e vocês vão publicando em redes sociais se possível ok?

Uso de maconha entre jovens do Colorado parece ter caído após legalização
Dados do estado mostram jovens colegiais utilizando menos maconha do que a média nacional dos EUA em 2013.

Uso de maconha entre estudantes colegiais do estado do Colorado parece estar diminuindo, apesar do pioneiro experimento aprovado por votos de legalização.

De acordo com dados preliminares da pesquisa de saúde do Colorado (Healthy Kids Colorado Survey), em 2013 - o primeiro ano completo a droga era legal para adultos de 21 anos ou mais - 20 por cento dos alunos do ensino médio admitiu ter usado maconha no mês anterior e 37 por cento disseram que tinham usado em algum momento de suas vidas.

A edição de pesquisa de 2011 descobriu que 22 por cento dos estudantes do ensino médio consumiram a droga no último mês, e 39 por cento tinha experimentado.
Não está claro se o declínio ano após ano representa uma mudança significativa, mas os dados a partir de 2009 sugerem uma tendência de queda. Naquele ano, 25 por cento das crianças do ensino médio disseram ter usado maconha no mês passado e 45 por cento disseram que nunca o tinham feito.
Os dados divulgados quinta-feira pelo Departamento de Saúde Pública e Meio Ambiente do Colorado também parece mostrar pós-legalização do consumo de maconha entre os adolescentes do Colorado foi menor do que a média nacional.
Os resultados dos Centros de Controle de Doenças e 2013 Youth Risk Behavior Survey Prevention (Colorado Department of Public Health and Environment) mostram que em todo o país 40,7 por cento dos estudantes do ensino médio relatou nunca ter usado maconha e 23,4 por cento afirmaram terem a utilizado no mês anterior.
Os defensores da legalização da maconha argumentam que o uso por menores de idade vai encolher quando estados imporem restritos limites de idade. Os opositores da legalização, por sua vez, temem que o declínio das percepções de danos associados com a droga vai levar a um aumento no uso entre adolescentes.
De acordo com os dados divulgados quinta-feira, estudantes pesquisados ​​têm uma percepção reduzida do dano - 54 por cento percebido um risco moderado ou grande em usar a droga, abaixo dos 58 por cento em 2011 - mas o uso não aumentou.
"Mais uma vez alegações que a regulamentação da maconha deixaria o Colorado em ruínas provaram ser infundados," disse o Diretor de Comunicação da Marijuana Policy Project Mason Tvert em um comunicado. "Quantas vezes os proibicionistas terão de ser provados errados até que eles parem de afirmar que a legalização aumenta o uso entre adolescentes?"

E não esqueçam de ao publicar essa notícia, colocar a fonte dela em inglês embaixo pois isso ajuda na credibilidade.

  • Like 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Porra que merda. E agora? Essa notícia é péssima! Como vou fazer pra "provar" que maconha é o maior perigo da humanidade? Desse jeito não dá! Essas notícias vivem, desmentindo minhas falácias.

Isso ae, Canada! Quem quiser se revoltar que vá estudar medicina ou engenharia...

Só estudar, por si só, já é um ato de rebeldia sano!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Porra que merda. E agora? Essa notícia é péssima! Como vou fazer pra "provar" que maconha é o maior perigo da humanidade? Desse jeito não dá! Essas notícias vivem, desmentindo minhas falácias.

Só estudar, por si só, já é um ato de rebeldia sano!

Sim, também acho, estudo todo dia pela independência intelectual! Mas por conta da proibição, os jovens estão achando que rebeldia é usar um vegetal medicinal.

  • Like 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

pode crer Hst, mas vai ser inevitável cair nas mãos dos grandes capitalistas.

Imagino que num futuro muito distante será como a cerveja, terão as basiconas feita em larga escala e as artesanais, de pequenos produtores e mais caprichadas. E assim como a cerveja, o adolescente terá muito mais dificuldade para adquirir num mercado regulamentado. Nunca mais vi molecada fazendo fila em loja de goró, supermercado, pra comprar bebida alcoólica como uns 15-20 atrás, qnd a coisa ficou mais séria no Brasil em relação a isso.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

pode crer Hst, mas vai ser inevitável cair nas mãos dos grandes capitalistas.

Imagino que num futuro muito distante será como a cerveja, terão as basiconas feita em larga escala e as artesanais, de pequenos produtores e mais caprichadas. E assim como a cerveja, o adolescente terá muito mais dificuldade para adquirir num mercado regulamentado. Nunca mais vi molecada fazendo fila em loja de goró, supermercado, pra comprar bebida alcoólica como uns 15-20 atrás, qnd a coisa ficou mais séria no Brasil em relação a isso.

Aproveitando a bola levantada, catnip..

O Brasil tem que ficar esperto para não repetir os erros da regulamentação do Álcool e do Tabaco. O domínio desses mercados por grandes corporações que visam somente o lucro faz com que o incentivo ao consumo seja exacerbado. As grandes marcas, a produção em larga escala, o consumo estimulado podem trazer sérios problemas a relação da humanidade com a planta. Problemas bem menores aos que vivemos hoje com a proibição, mas novos problemas que podemos evitar se a regulamentação for feita visando o bem comum, e não o ganho por poucos.

Acredito que pode ser evitado sim que caia na predominância da lógica capitalista. E para isso acredito na força dos growers, do cultivo doméstico, do cultivo associativo, da agricultura familiar, das feiras de trocas de sementes e estacas, e dos ciclos locais de produção, distribuição e fornecimento. Que na questão de divisão de lucro, assim como a legislação estadual de Washington, uma empresa apenas possa participar de uma etapa da cadeia, evitando grandes corporações e conglomerados.

Se a regulamentação da maconha irá inaugurar um novo ciclo considerando sua complexidade, então que sejam evitado os erros cometidos, mas olhando pra frente, mirando em novos paradigmas sociais e econômicos.

Outro dia ouvindo uma palestra do Dr. João Menezes ele fez uma pergunta a plateia: "A política de drogas proibicionista é baseada no amor?". Todos sabemos que não, é baseada primeiro no medo e segundo na opressão. Então qualquer regulação que não seja baseada no amor, tem que ser evitada, mesmo que seja aquela baseada no amor de alguns pelo dinheiro. Se a política acertar, estou certo que essa planta pode ajudar a fazer do mundo um lugar melhor.

  • Like 4

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Aproveitando a bola levantada, catnip..

O Brasil tem que ficar esperto para não repetir os erros da regulamentação do Álcool e do Tabaco. O domínio desses mercados por grandes corporações que visam somente o lucro faz com que o incentivo ao consumo seja exacerbado. As grandes marcas, a produção em larga escala, o consumo estimulado podem trazer sérios problemas a relação da humanidade com a planta. Problemas bem menores aos que vivemos hoje com a proibição, mas novos problemas que podemos evitar se a regulamentação for feita visando o bem comum, e não o ganho por poucos.

Acredito que pode ser evitado sim que caia na predominância da lógica capitalista. E para isso acredito na força dos growers, do cultivo doméstico, do cultivo associativo, da agricultura familiar, das feiras de trocas de sementes e estacas, e dos ciclos locais de produção, distribuição e fornecimento. Que na questão de divisão de lucro, assim como a legislação estadual de Washington, uma empresa apenas possa participar de uma etapa da cadeia, evitando grandes corporações e conglomerados.

Se a regulamentação da maconha irá inaugurar um novo ciclo considerando sua complexidade, então que sejam evitado os erros cometidos, mas olhando pra frente, mirando em novos paradigmas sociais e econômicos.

Outro dia ouvindo uma palestra do Dr. João Menezes ele fez uma pergunta a plateia: "A política de drogas proibicionista é baseada no amor?". Todos sabemos que não, é baseada primeiro no medo e segundo na opressão. Então qualquer regulação que não seja baseada no amor, tem que ser evitada, mesmo que seja aquela baseada no amor de alguns pelo dinheiro. Se a política acertar, estou certo que essa planta pode ajudar a fazer do mundo um lugar melhor.

2 x :thumb:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Mas quanto à isso, meus nobres amigos amantes da erva,

por isso e mais um pouco que nos foge, ela vem com selo de garantia mato brabo desde a origem hehehehe

Vamo que vamo!

Paz

  • Like 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...

  • Conteúdo Similar

    • Por RubyRuderalis
      Pessoal na hora de fazer a mente, o que é mito e oque não é?

      Beck de ponta da mais onda? Leite corta onda? Segurar a fumaça deixamais loco? Fumar no balde derruba? Bong é mais instenso?


      Oque mais é mito e o que parece mais não é?