Ir para conteúdo
Growroom

“Se A Bancada Fundamentalista Aumentar, A Maconha Não Vai Ser Legalizada”, Diz Parlamentar


Recommended Posts

  • Usuário Growroom
Por Redaçãomaio 10, 2014 10:42


Para o vereador Renato Cinco (PSOL-RJ), o debate em torno da regulamentação da maconha avançou e hoje todos os setores políticos do Brasil tiveram de se posicionar sobre o tema

Por Marcelo Hailer


À Fórum, o parlamentar explicou que a cartilha visa esclarecer os direitos do usuário em casos de blitz da polícia e também traz conteúdo com foco na redução de danos. O material também trata das propostas que estão em trâmite no Congresso Nacional que visam alterar a atual legislação sobre drogas.Acontece neste sábado (10) a Marcha da Maconha do Rio de Janeiro, que inicia a sua concentração a partir das 14h, na praia de Ipanema, em frente ao Jardm de Alah. Durante a manifestação o vereador Renato Cinco (PSOL-RJ) vai lançar e distribuir a Cartilha Antiproibicionista.

O vereador ainda faz uma análise a respeito da conjuntura nacional em torno da regulamentação da maconha. Para Renato Cinco o fato de termos hoje dois projetos de lei que tratam da regulamentação da cannabis é um avanço, mas, ele faz um alerta, se a “bancada fundamentalista aumentar, a maconha não vai ser legalizada e nenhuma pauta sobre liberdades individuais vai avançar”.

Cinco diz que o atual momento pede para que os grupos libertários tenham foco na disputa por espaço no Congresso Nacional para que evitem o crescimento da bancada fundamentalista. A respeito do âmbito social, o vereador acredita que o debate está sendo feito no Brasil e que hoje todo mundo está tomando uma posição em torno da legalização da maconha.

Fórum – Gostaria que você comentasse a respeito da Cartilha Antiproibicionista que vocês vão lançar na Marcha da Maconha.

Renato Cinco – O nome é Cartilha Antiproibicionista dos Direitos do Usuário, que se trata de um documento que explica a nossa posição da legalização da maconha, o porquê da mudança da política de drogas e também apresenta e explica a legislação aos usuário quais são os procedimentos que as pessoas tem quando acontecem uma abordagem policial, também tratamos da redução de danos, que é uma questão de saúde pra que as pessoas não tenham prejuízos maiores com os já possíveis por conta do uso da droga.

Fórum – Hoje nós temos dois projetos sobre a regulamentação da maconha tramitando na Câmara dos deputados e um no senado. O senhor está otimista quanto ao debate da legalização da maconha no Congresso?

Cinco – Além disso, no Supremo Tribunal Federal (STF) tem a possibilidade da descriminalização do uso de drogas, por que chegou o recurso de um usuário que alegou a criminalização do uso ser inconstitucional e o STF decidiu que vai julgar. Tem o projeto do Eurico Junior (PV-RJ), no Congresso Nacional e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) está discutindo com a justiça junto com a família da Anny sobre a possibilidade de ser publicada uma portaria regulamentando o uso da maconha medicinal. Existe muita resistência por parte, especialmente, da bancada fundamentalista que é o principal adversário de pautas sobre as liberdades individuais.

Fórum – Você acredita que o PL do Jean Wyllys vai pra frente?

Cinco – Essa legislatura não vai aprovar a legalização da maconha e é difícil prever a próxima legislatura. A minha avaliação é que, o fator mais importante é evitar o crescimento da bancada fundamentalista. Se esta bancada crescer, são mais quatro anos sem a legalização da maconha, se diminuir pode ser que a gente consiga avançar. Mas hoje, nenhuma pauta libertária passa no Congresso Nacional, nenhuma pauta dos negros, dos LGBTs, então, eu acho que cenário político é exatamente o mesmo, ou seja, todos os atores libertários tem que se preocupar com isso agora: como é que vai ser a configuração do próximo Congresso? Pois, se a bancada fundamentalista continuar crescendo, nós vamos estar, daqui a pouco, brigando contra o retrocesso. E na verdade, pra ser sincero, isso já está acontecendo por causa do projeto do Osmar Terra (PMDB-RS/ autor do Projeto de Lei 7.663/2010 que torna a legislação sobre drogas ainda mais severa) que foi aprovado na Câmara dos Deputados e agora está no Senado. Se nós olharmos com clareza é bom que o Jean e o Eurico tenham apresentados os projetos, por que antes não tinha nenhum, hoje tem projeto pra debater no Congresso e isso é um avanço. Agora o cenário do Congresso não é nada positivo.

Fórum – Apesar do cenário conservador no Congresso Nacional, me parece que o debate a respeito da regulamentação da maconha ganhou as ruas, não?

Cinco – Sim, o debate está acontecendo no Brasil e no mundo. Hoje o debate faz parte da agenda, todo mundo está se posicionando, as correntes ideológicas estão rachadas em relação a esse debate, a não ser a extrema direita que é toda contra o que na minha visão é algo positivo… Mas se você olhar, os liberais, os democratas, comunistas, anarquistas, todos estes grupos têm posições divergentes, uns são contra, outros a favor e isso é um avanço muito grande. A Marcha da Maconha chegou em 2002, esse ano é o décimo terceiro e de lá pra cá o balanço é bastante positivo. Esse negócio do bloco na rua é muito rua, você acaba sofrendo tentativas de repressão, o Supremo discutir esse assunto, naquele dia na votação da Marcha da Maconha (o STF decidiu que a Marcha não fazia apologia ao uso de drogas e a liberou no Brasil inteiro), aquele julgamento foi impressionante, a maior corte do país falar da Marcha da Maconha durante horas e foi unânime em sua decisão.

http://www.revistaforum.com.br/blog/2014/05/se-bancada-fundamentalista-aumentar-maconha-nao-vai-ser-legalizada-diz-parlamentar/

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 weeks later...
  • Usuário Growroom

Outubro 2014: pago R$ 3,50 pra não perder meu tempo e interromper meu dia, to fora.

Não votar deveria ser um direito.

Somos dois.

E infelizmente a tendencia da bancada teocrática é aumentar...

Link para o post
Compartilhar em outros sites

A decisão mais acertada na minha opinião é não votar em ninguém pagando a multa por se ausentar da eleição, pois temas como: liberdade individual e econômica, politicas de minimo estado e redução dos impostos passam longe das propostas de todos os partidos.

O que os políticos querem mesmo é aumentar os impostos e o controle sobre a vida da população.

Eu só estou preocupado, pois de todos os partidos na minha opinião o PT é o pior e quer "cubanizar" o Brasil a qualquer custo.

Vamo que vamo tupiniquim !

Ninguem precisa de um mestre.

1662071_662393873801627_392070610_n.jpg
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Eu vou votar na Dilma, já falei aqui, Aécio sempre me cheirou muito mal, ainda mais com o que ele fez na mídia mineira. Se é entre o ruim e o pior voto no ruim só pro pior não vir atrás de mim usando o aparelho do Estado como cavalaria, pensem bem... A Dilma tem se mostrado bem mais democrática do que um provável Aécio se mostrou, uma como presidente da República, o outro controlando Minas e com apoio de ninguém menos que a toda-poderosa Globo.

Outra, ele já declarou abertamente que é contra legalização, a Dilma não disse nada de concreto, provavelmente vai tirar o corpo da questão o quanto possível, me preocupa é a aliança entre o governo e as "comunidades terapêuticas", verdadeiros símbolos do poder das igrejas no país, em outras palavras, da teocracia: instituições sem fundamentação científica muito menos provas de que são eficientes, baseadas completamente em doutrina religiosa funcionando financiadas pelo poder público, isso é a prova de que nosso país não é sério.

Aí já entra essa questão da bancada fundamentalista, não vamos nos enganar pessoal, o PSDB é muito mais ligado com esses teocratas do que o PT, a gente sabe de onde o PT veio, e o que é o PSDB. Votar num bom candidato é importantíssimo, essa apatia que foi mostrada acima é um dos motivos pelos quais estamos criminalizados, sequer votamos num candidato que vai nos ajudar a não sermos presos! Só no Rio de Janeiro tem um milhão de usuários de maconha, se eles votassem em bloco não teriam conseguido eleger o Cinco e o Freixo pra Câmara? Duvido que não...é hora de mudar o pensamento ou não vamos mudar nosso país nunca. E a mudança começa tentando diminuir a influência da direita religiosa que sempre vai ser em sua maioria proibicionista, chega de rifar votos, precisamos de mais anti-proibicionistas na Câmara!

  • Like 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Será que escrevo recolocando esse tópico lá em cima? Enfim... o pt taí, há mais de dez anos e, tudo que vimos foi um potencial "exílio" no Uruguay.

A Dilma pra variar nem comentou. Trouxe foi mais médicos pro país, enquanto o P___ ultrapassava o recorde na produção de Coca entre os países do sul.

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sou obrigado a concordar com o HST, é mais fácil legalizar com o PT no próximo mandato do que com o PSDB. O discurso do PSDB no que se refere a politica sobre o controle das drogas é um fiasco e o discurso do PT no que se refere a economia também é outro fiasco.

Uma coisa é certa, com qualquer um estaremos em maus lençóis .

Se o PT ganhar as próximas eleições e não legalizar nos próximos 5 anos pode esquecer, mas acho que esse ano não legaliza devido as eleições.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Fica difícil até de pensar em debater com um cara se auto-intitula ''Anarco-Capitalista''.
A contradição está mesmo no nome. Talvez não entenda muito bem o que é anarquismo.

Quiça também não entende o que é, propriamente, o capitalismo. rs

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Um anarquismo apoiado em partidos não poderia exercer a profissão ou o mérito da comunhão em Jah. Para tanto o capitalismo poderia ser entendido como uma constante variàvel rsrs da .... continuidade. Porém, o assunto do tópico parece estar apresentando a oportunidade de um debate sobre a descriminalizaçào da cannabis, não necessariamente o combate ao capital e ou ao estado. Apesar de que a polícia precisa aprender muito a tratar gente boa como gente. Talvez a cartilha incentive todos a ler, seguir a cartilha, e a política... a pensar, se organizar para agir!

Jah bless!

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...
  • Conteúdo Similar

    • Por babydarling
      Eu fumava maconha desde os 16 e atualmente tenho 22, mas não era usuária, fumava de vez em quando e um pouco apenas para ficar alegre ou leve.
      Eu tinha experimentado papel uma vez, mas não me causou nada demais e tinha vontade de experimentar novamente, no começo desse ano, o momento chegou e resolvi dropar um papel, só que eu dropei uma quantidade muito grande, segundo a minha amiga. Na hora só estava eu e meu namorado no quarto e o que eu senti, nunca aconteceu antes: a famosa “bad trip”. No começo era como se tudo que eu tivesse vivido fosse uma mentira, depois eu literalmente senti que morri e tava no meu pós vida, eu não conseguia falar nada, as coisas ficavam em loop, depois em câmara lenta, teve uma hora que senti que se abrisse a porta do meu quarto seria a porta para entrar no inferno, enfim realmente eu nunca tinha sentido nada igual então me deixei levar pela bad, acho que nesse dia fui até a última camada da minha mente, foi horrível, mas por estar com meu namorado e minha amiga depois chegou para ajudar, então consegui sair da bad. Beleza, vida que segue. Falei que nunca mais iria usar papel.
      Depois de um mês, fumei um baseado, mas foi bem pouco mesmo e “pá” entrei na bad trip de novo, dessa vez foi menos intensa, apesar de eu estar em um ambiente onde eu só conhecia minha amiga, eu já tinha noção que tudo que acontecia era coisa da minha cabeça e ao invés de ficar trancada dentro da casa que me causava um pouco de pânico, a gente saia para eu espairecer o que me ajudava a ficar “sã”. Enfim, na primeira vez que aconteceu isso, eu superei, era como se nada tivesse acontecido, mas na segunda bad apesar de ter sido mais “tranquila”, eu não consigo “superar” vez ou outra fico pensando nisso, e isso foi em fevereiro, eu tento desviar meu pensamento quando acontece mas sempre vem as lembranças. Inclusive teve um dia que eu não tinha fumado, nem bebido nada, e simplesmente eu senti como se estivesse entrando na bad. Foi muito do nada, acho que durou uns 3 minutos, fiquei dizendo a mim mesma que era coisa da minha cabeça, que tava tudo normal, mas parecia muuuito um começo de bad trip. Foi muito estranho, porque realmente era um dia comum e eu não tinha usado nada, isso que vem me assustado... Talvez, por pensar demais está me causando algum tipo de transtorno/trauma...  Minha bad vem muuuito visual e sonora, então por mais que eu tente me concentrar tá tudo distorcido, voz, pessoas, olhares, etc então, por mais que eu tente manter a calma é difícil porque tudo ao meu redor tá distorcido.
      Resolvi então ler sobre os sintomas pós-bad trip, encontrei esse site e resolvi contar minha experiência para vocês. 
    • Por gio_ganja
      Fala galera! há um tempo eu comecei a tomar café de manhã p me sentir mais concentrada pros estudos, e sempre fiz o uso da maconha no final do dia. Mas as vezes acaba de eu misturar os dois, curto a brisa que dá e tal..  O que acontece é que as vezes eu sinto vontade de fazer algum exercício por causa da energia que o café dá, e uma vez eu fumei e fui correr ouvindo um som e curti a onda então fico pensando em ir dar uma corrida ou fazer qualquer exercício quando eu misturo os dois, só que bate um medo de ter um ataque cardíaco ou sei lá! Alguém aí já teve essa experiência ou sabe se pode dar ruim? 
      😘😘😘
    • Por felipkkkjk
      Eu sempre fumei maconha, mas a minha namorada nunca tinha fumado antes, conversamos sobre isso e ela decidiu experimentar, tudo lindo perfeito, a primeira vez foi na praia, só eu e ela, mas não aconteceu absolutamente nada, nenhum efeito corporal ou mental, absolutamente nada. Justamente por eu ter passado por isso na primeira vez que eu fumei, eu não estranhei nem nada, só expliquei que é perfeitamente normal e que talvez nas próximas vezes bate normal, mas ela já tentou cerca de cinco ou seis vezes e nunca aconteceu nem um traço de "tô ficando meio chapada". A gente já tentou com flor e prensado e não teve efeito nenhum, normalmente a gente fuma um cigarro inteiro, as vezes dois, mas nunca resulta em nada, e isso é extremamente decepcionante pra ela, porque ela sempre associou o efeito com uma coisa incrível.

      Alguém tem ideia do que fazer pra dar certo? A gente tava pensando em fazer um brisadeiro ou tentar de novo com uma planta melhor.
      OBS: Ela tá tragando certo.
    • Por nicolas.png
      Olá, no fim do ano vou viajar com um grupo de amigos para um cruzeiro nacional pela MSC e queria mt levar minha ganja (não muita, seria pra uma semana só), eu não iria fumar, só vaporizar, queria saber quais são os riscos, até pq tenho 17 ainda e n seria bom ser pego nessa situação, 
×
×
  • Criar Novo...