Ir para conteúdo
Growroom

Recommended Posts

  • Usuário Growroom

Curso psicologia na Universidade Católica de Brasília (ucb) e estou no meu terceiro semestre. Durante uma pesquisa ,que eu estava fazendo sobre a matéria análise do comportamento, encontrei um estudo com heroína em ratos. A estudo foi feito com dois grupos de ratos, um grupo controle( que não iria receber morfina antes de se submeterem a chapa quente) e um grupo experimento( que iria receber morfina antes de se submeterem a chapas de temperatura alta). Com o início dos testes, o pesquisador foi observando que a latencia( o tempo que leva pra do estimulo até a resposta) do grupo experimento era maior do que o grupo controle, ou seja, os ratos do grupo controle , assim que submetidos a chapas quentes ( quentes a ponto de serem desconfortáveis,mas nao letal), eles começavam a lamber as patas, na tentativa de resfria-las, mais rapidamente do que o grupo experimento. Com a repetição do mesmo teste foi se observando que a latencia do grupo experimento e grupo controle focaram iguais, ou seja, os ratas de ambos os grupos começavam a lamber a pata ao mesmo tempo. O pesquisador ,entao, continuou a fazer os experimentos como descrito anteriormente, porém ele alterou o ambiente em que ele aplicava morfina nos ratos do grupo controle. Quando ele fez essa mudança, os ratos do grupo experimento voltaram a sua latência anterior, ou seja, os ratinhas do grupo experimento voltaram a demorar a lamber a pata em relaçao ao grupo controle. Essa pesquisa foi feita também com a heroína e foi utilizada para explicar que a overdose ,em viciados de heroína, não se da somente a quantidade utilizada pelo usuário mas ,também, pelo ambiente em que o usuário utiliza a droga. O usuário pode ter utilizado a mesma quantidade da vez anterior, porém em um ambiente diferente e isso pode ter causado a overdose porque neste caso o organismo dele não teve, oque chamamos de Resposta preparatória. Essa resposta preparatória, são respostas do organismos que precedem a um acontecimento, já condicionado, para prevenir o próprio organismo de danos. Ou seja, se vc está acostumado a tomar determinado tipo de droga em um mesmo ambiente, por muito tempo, que acelera a batida do coração, o seu corpo vai ter a resposta preparatória de abaixar os seus batimentos cardiacos para evitar danos.

Pude observar nessa pesquisa e , juntamente com os meus conhecimentos de psicologia, pude formular a teoria de que se o fumante de maconha está acostumado a fumar a erva sempre em um mesmo lugar, o organismo dele vai ter essas respostas preparatórias e o usuários nao ficam tão "doidões" como antes. Apenas o usuário trocar o ambiente de utlizaçao da erva que a mesma quantidade que ele estava utilizando (de maconha), que já nao deixava mais "doidão", voltava a deixar o usuário doidão.. Quando eu digo, mudança de ambiente, eu quero dizer a mudança, geral, nas características do ambiente.

Portanto, pude concluir que, não precisa passar uma semana sem fumar a erva pra ficar "doidão"( é uma alternativa, mas não é a única). Quando o usuário quiser ficar em um estado, mais que o normal, de alteração da consciência basta ele ir para um ambiente totalmente inusitado.

  • Like 15
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

a overdose ,em viciados de heroína, não se da somente a quantidade

utilizada pelo usuário mas ,também, pelo ambiente em que o usuário

utiliza a droga.

Interessante isso

Algo parecido acontece com a maconha, é vendida em lugares que vendem outras coisas...

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Muito interessante, já tinha percebido isso de o ambiente diferente influenciar na chapação, na primeira vez que notei foi numa época em que andava fumando muito sozinho em casa, e notei que quando fumava com a galera mesmo tendo fumado relativamente menos a onda batia mais forte, cheguei a pensar que fosse o fato de fumar com mais pessoas batesse mais, mas quando isso se tornou comum já não tinha o mesmo efeito, depois com o tempo fui vendo outras diferenças, como fumar sempre dentro de casa, um dia você fuma na varanda e coisas assim.

  • Like 5
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

eu sabia disso por mim. Quando fumo em casa a onda é mais tranquila e relaxante justamente por ser um lugar tranquilo sem risco de porcos ou pessoas inconvenientes aparecerem, quando subo o morro e vou olhar a cidade lá de cima aonde o pessoal pula de asa-delta a viajem é outra, mais forte e mais longa parece. Mas quando o cara fuma na rua, na entrada do bar com os amigos, a onda é mais eufórica e é mais divertido fumar.

Como sempre me falaram, o seu humor, o ambiente a sua volta, tudo isso influencia a sua onda. É por isso que muita gente tem bad trip fumando o mesmo beck que você fumou no mesmo ambiente que você, pq a pessoa antes de fumar já estava com sensações e um estado psicológico diferente que ocasionaram a "bad trip"

  • Like 3
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Muito interessante!

Já senti isso na prática quando tive uma bad trip em um lugar bacana, porém que nunca tinha ido, e que estavam presentes parentes (tio e tia) que eu não conhecia de um amigo meu.

Senti que a bad foi completamente por causa desse fato, pois foi só eles chegarem que me deu um "baque" (não beck kkk).

A pressão abaixou, mas segurei a onda.

Quando fui relatar esse fato pra outro brother maconheiro ele disse que era a maconha que era boa demais e que isso não existe. Que o ambiente não influência.

Acho que todos os maconheiros que tiveram a sensibilidade em se autoobservar já identificaram que o ambiente determina o caminho das trips.

Algo similar ocorre quando utilizamos sálvia, argyreia ou outros enteógenos. Inclusive, o ambiente que iremos ter uma experiência com enteógenos é tão importante quanto a escolha do enteógeno, tão importante com o tempo que irá disponibilzar para tal experiência e tão importante quanto a experiência em si.

  • Like 2
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Existe outro lugar onde a gente consiga tanta informacao assim? alem do Growroom

kkkkkk.... cara que estudo cabuloso... ninguem quis guardar um pouquinho pra experimentar em casa nao... kkkkkkkk

Cara tem tanta coisa no mundo de análise do comportamento que explica como se forma o habito e porque é difícil largar, como largar o habito, a influencia de usar maconha no período de desenvolvimento maior( até a fase adulta) são várias e varias coisas interessantes que explicam várias questões aqui colocadas no GR. Posteriormente eu postarei mais estudos a cerca dessas duvidas. mas se quiser ler e conhecer mais sobre esses estudos, eu recomento fazer primeiramente uma pesquisa(no google mesmo) acerca da aplicação da análise do comportamento nesses assuntos

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

maneiro, da uma ideia de lugar inusitado ae pra fumar de boa :D

A ideia é vc mudar todas as características do ambiente. por exemplo, se vc costuma fumar sempre na escada do seu predio sozinho, como eu =/ kk, tente fumar em uma varanda ou ar livre, com presença de alguma outra pessoa etc...:)

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Muito interessante!

Já senti isso na prática quando tive uma bad trip em um lugar bacana, porém que nunca tinha ido, e que estavam presentes parentes (tio e tia) que eu não conhecia de um amigo meu.

Senti que a bad foi completamente por causa desse fato, pois foi só eles chegarem que me deu um "baque" (não beck kkk).

A pressão abaixou, mas segurei a onda.

Quando fui relatar esse fato pra outro brother maconheiro ele disse que era a maconha que era boa demais e que isso não existe. Que o ambiente não influência.

Acho que todos os maconheiros que tiveram a sensibilidade em se autoobservar já identificaram que o ambiente determina o caminho das trips.

Algo similar ocorre quando utilizamos sálvia, argyreia ou outros enteógenos. Inclusive, o ambiente que iremos ter uma experiência com enteógenos é tão importante quanto a escolha do enteógeno, tão importante com o tempo que irá disponibilzar para tal experiência e tão importante quanto a experiência em si.

Isso eu já havia desconfiando de que o ambiente influenciava na onda também, mas so fui ter certeza disso depois que realizei esses estudos.

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Eu sempre fico mais chapado quando fumo com os camaradas. às vezes eu fumava um sozinho nos bancos da facu e ia embora pra casa. Muitas vezes eu não sentia nada até eu chegar no portão, porque depois eu encontrava alguém, trocava meia dúzia de ideia e a chapadeira vinha. Tinha as ocasiões que eu fumava um andando na rua mesmo (pala geral) e a chapadeira era cabulosa. Mas esse lance de mudar o local afeta bastante sim e endosso essa pesquisa.

  • Like 3
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Legal isso...

Eu qnd vou a shows, por exemplo, custumo fumar MT mais do que fumo em casa, por exemplo. E (sem a certeza se foi pela quantidade ou pela "vibe") fico sempre chapado. Mas nd fora do normal.

No entanto, graças a Jah, acho que a ultima vez que passei mal (suando frio e cabeça girando) foi quando inventei de fumar haxixe + cigarro. N fumo cigarro, apesar de ja ter fumado algumas vezes com fumo indstrializado. Mas ja vi tb amigos, fumando na propria casa deles, que apagaram mesmo.

Ja vi cada fita q eh mnelhor nem lembrar...

Sem duvida, acho que o sentimento da pessoa na hroa que esta fumando, e principalmente o psicologico sao pontos a serem destacados.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Muito interessante.
Apenas retificando, suspeito que aqui tenha um erro de digitação:

"(...)O pesquisador ,entao, continuou a fazer os experimentos como descrito anteriormente, porém ele alterou o ambiente em que ele aplicava morfina nos ratos do grupo controle.(...)"

Uma vez que o grupo de controle não recebe morfina. (acho que você queria digitar grupo experimento !)

Se tu escrever algo sobre hábito, como se livrar de hábito estarei la lendo e acredito que muitos daqui também !
Sucesso e saúde irmão.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Sempre pensei nisso também e achava que era coisa da minha cabeça.

Por exemplo, fumo um em casa e fico curtindo a onda. Depois quando parece que você já tá no fim da onda, eu tinha que sair e mudava o ambiente, parecia que a onda mudava.

Incrível.

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Sempre pensei nisso também e achava que era coisa da minha cabeça.

Por exemplo, fumo um em casa e fico curtindo a onda. Depois quando parece que você já tá no fim da onda, eu tinha que sair e mudava o ambiente, parecia que a onda mudava.

Incrível.

Free trips: Quando a onda estiver passando, troca de ambiente e ela volta. lol

Parabéns pela pesquisa. Muito interessante. Bróder candango mandando bem aqui no GR.

Já fumei muito na UCB, alí atrás do CECB. Bons tempos. =)

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Pavlov até hoje? quanta barbaridade... agora faltou seu professor explicar o estimulo positivo e o negativo: cão vê comida = salivação (estimulo positivo); ou cão vê cocaina = pressão sanguinea reduz, batimento cardiaco reduz, todas reações do snc são reduzidas contrariando a regra do estimulo positivo, virando um estimulo negativo (o oposto se a droga for heroina e derivados), o organismo tem esse mecanismo de defesa justamente para evitar a overdose (( Isso APENAS observado com exposição de cocaina ou heroina)) Então, acho que alguém andou misturando alhos com bugalhos porai. em relação ao 'crivo' tenho meu exemplo (caixa de pavlov de mim mesmo): quando tenho 'crivo' fico relax, vejo meu 'verdinho' fico calmo porque sei que tenho basê para muito tempo. Definitivamente cannabis nao cabe nessa lógica do pavlov pois geraria um estimulo positivo e nao um negativo, o sistema nervoso central nao tem que se preparar antes do consumo da cannabis pois a mesma nao gera overdose. Essa regra so seria valida caso existisse overconha, caro aspirante. Mas paremos de bobagens, devaneios tolos, e paremos também de sacanear esses ratos. Se quer estudar Pavlov basta ler algum livro desse insano! Não há nenhuma necessidade sadico-cientista para usar desse lixo de teoria velha (considerada velha até mesmo pelos behavioristas).... Sem sentido essa pesquisa...capaz de alguem do grupo de pesquisa tá afim de virar um Dr. House da vida, desviando alguns vicodins dos ratos na brasa.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Muito interessante.

Apenas retificando, suspeito que aqui tenha um erro de digitação:

"(...)O pesquisador ,entao, continuou a fazer os experimentos como descrito anteriormente, porém ele alterou o ambiente em que ele aplicava morfina nos ratos do grupo controle.(...)"

Uma vez que o grupo de controle não recebe morfina. (acho que você queria digitar grupo experimento !)

Se tu escrever algo sobre hábito, como se livrar de hábito estarei la lendo e acredito que muitos daqui também !

Sucesso e saúde irmão.

Estou trabalhando no texto sobre o hábito agora mesmo.... obrigado por ter me avisado sobre meu erro acima, não tinha notado .

vlw irmão, saúde e muita paz.pra vc também

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Free trips: Quando a onda estiver passando, troca de ambiente e ela volta. lol

Parabéns pela pesquisa. Muito interessante. Bróder candango mandando bem aqui no GR.

Já fumei muito na UCB, alí atrás do CECB. Bons tempos. =)

kkkkkk rapaz, agora quem foma lá sou eu kkk =)

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...
  • Conteúdo Similar

    • Por Vnshuet
      Incrível como antes eu tinha uma certeza absoluta de que eu não pararia de fumar maconha de forma alguma pq ela sempre me ajudava de alguma forma, fosse na vida pessoal e/ou profissional. Quando me perguntavam pq eu nao dava um tempo ou ate mesmo pq eu nao parava de fumar, a resposta era rapida: pra quê? a maconha nao me atrapalha, ao contrario, ela me ajuda. Talvez nao parar, mas reduzir o consumo antes, tivesse me ajudado. 
      é aquilo que todo mundo fala, no inicio era so onda boa, risada, tranquilidade e etc... eu fumava quando estava ansiosa/preocupada e tudo parecia ficar claro na minha mente, parecia que eu tinha controle da situação. Tudo em demasia faz mal ne? eu comecei a fumar de manha, antes de ir pro trabalho, quando chegava no trabalho e quando saía, e sempre que eu fumava no trabalho (no início) meu rendimento melhorava, meu desempenho, e sem contar que eu tinha mais paciência com meus clientes, e dificilmente me irritava (um sonho ne?)... pois bem, o sonho virou pesadelo. Em um certo tempo eu fumava e começava a ficar paranóica, na minha cabeça as pessoas estavam me vigiando, falando de mim, comecei a ter distorção de audição, taquicardia terrivel que parecia que meu coração ia sair pela boca, ficava suando frio e meu corpo LITERALMENTE tremia de dentro pra fora, espasmos musculares violentos (fortíssimos e mt perceptíveis), me dava crise de pânico, enfim... nao parecia mais a minha boa e velha ervinha da felicidade. Demorei muito pra aceitar que uma das únicas coisas que me deixava extremamente bem agr estava me deixando mal. Mas enfim aceitei. Talvez eu tenha associado meu medo/paranoia ao uso da maconha (como disse um amigo meu), ou talvez eu so tenha abusado demais na utilização. 😪
      De qualquer forma, espero tanto poder voltar a fumar novamente algum dia e me sentir tao bem quanto me sentia no início, mas por enquanto me escolho acima da verdinha. 
      Me sinto mt bem deixando esse relato aqui pq dps de ler varios outros, eu me senti mais tranquila por nao estar “louca”. Espero que seja uma fase e que eu consiga passa-la. 
      Se tu leu ate aqui, obrigada ❤️
    • Por fielpcp
      Boa tarde galera, fumo há 8 anos e nesses ultimos anos quase sempre que fumo um tenho uma leve crise de panico e paranoia, mas o que corta esses sintomas é quando eu faço sexo ou quando me masturbo. Queria saber se alguem tem esse tipo de comportamento?
      E para quem tem sintomas de ansiedade ,crise de panico apos fumar um e nao quiser ficar na bad trip, tentem fazer isso ver se resolve porque pra mim isso é uma das melhores sensações quando ta na trip, esse combo thc e sexo <3.
    • Por savages
      Bom gente vou adiantando que eu sou nova nao sei utilizar muito bem o fórum, entao me desculpem qualquer coisa, não sei quem vai ler isso mas pf me deem um help!
      Sou usuaria a 2 anos, quando conheci a erva sofria de depressão cronica e tomava muitos remedios para a depre e ansiedade, comecei usando uma vez por mes, depois toda a semana, e quando minha familia legalizou em casa comecei a fumar todos os dias, sempre no prensado, agora ja faz 6 meses que eu só fumo flor (comprada com um contatinho), e assim... sempre fumo a noite, um fino todos os dias, finais de semana uns 2. O problema é que meu namorado acredita muito que eu estou viciada (ele fuma tambem mas uma vez ou outra no mes), ou usando a maconha como apoio, ou um suporte... gente me ajudem, eu amo a erva comecei meu Grow esse mes, as meninas estao lindas e nenens... e agora me vejo perdida nesses pensamentos de achar que real eu estou viciada. Quando acaba ou chega perto de acabar eu ja quero correr pra comprar mais, ficar sem erva chega a doer no pensamento, mas quem determina o que é certo ou errado, vicio ou não, nunca tive problemas financeiros por causa disso, nem nunca fumei pra fazer nada que nao fosse relaxar e meditar, (evito fazer qualquer coisa chapada pra nao sentir a necessidade de fumar antes de fazer tal coisa sempre)... 
      Não quero parar, e dar um tempo sempre é doloroso, hoje posso dizer que o vicio psicologico me assusta muito... gostaria de uma opniao de vocês sobre o meu caso...
    • Por trevorpeacelove
      Eai pessoal, gostaria da opinião de vocês sobre o acontecido, preciso contextualizar antes.

      Estava a exatos 3 meses sem fumar, hoje tenho 24 e desde os 18 sou usuário, de fumar quase todo dia, minhas bad ate então era ficar "cabreiro", do restante sempre foi boas reflexões filosóficas, risadas, euforia, morga, etc.
      Estou a conhecer uma mina que vem ganhando meu coração, ela sabe que sou maconheiro e que estava sem fumar por 3 meses, ela começou a fumar pouco mais de 6 meses, ela tem 18 anos.
      Eu acabei cedendo a minha proposta de 6 meses e aceitei um convite pra fumarmos junto. TOP tava animadaço, coração a mil, 1- porque já sou meio ansioso, 2-to gostando dela, 3- macooonhaaa.
      Antes desse rolê, estávamos indo bem, química batendo, reciprocidade, conexão se encaixando e só oque me atrapalhava era minha ansiedade em fazer dar certo e preocupado com a aprovação dela em minha ações e falas. Pois bem, então em nosso 4º encontro e por enquanto ultimo foi o seguinte:
      Chegamos no local planejado, era bem calmo, 1 carro passando a cada 1h só.
      Coloquei um lofi, pq ambos curtem.
      demos alguns abraços e beijos antes
      ela me deu a honra de acender, um baseado bem considerável pra duas pessoas
      apos terminar o baseado, trocamos um papo normal e quis analisar o quanto eu estava chapado
      eu de numa escala de 0 a 10 fiquei 8.5 ela disse que 6.5, pois bem
      percebi que não estávamos num time certo, eu muito eufórico e ela bem menos, ate pra beijar e abraçar eu estava muito acelerado, [percebivel
      OFF pra um contexto- Eu na maioria fumava com meus amigos, e lá temos uma cultura de alem dos papos cabeças sermos idiotas e piadistas, creio que isso é normal.
      A PARADA FOI ESSA, eu comecei a ser piadista, mas do bem claro, nada ofensivo, tipo o idiotão da classe, no começo tava massa, tirei varias risadas dela, dela rir pra porra, e nesse caminho entrei num vicio horrível em falar que ta brincando, exemplo, falava uma piada e no final da frase "kkkk brincadeira" mandava mais uma fala zuera "kk to brincando". Ai as vezes era sobre uma coisa sobre ela e falava "kkk to brincando" eu REALMENTE FIQUEI VICIADO EM FALAR ISSO, isso levou 1h30 +-, de tão modo que ela se irritou com razão, ela falo "que porra é essa mano, se é sempre assim?" eu falei que "não! de ficar falando que "to brincando", não! 
      E isso a incomodou a respeito de que nada que eu dizia era concreto e verdadeiro, e eu mesmo fiquei assustado com a situação mas tava chapado, ai ia tentar falar algo falava piada e continuava com o vicio véi.
      Eu ficava em silencio por alguns minutos, conseguia "VOLTAR" mas ai passava um pouco e repetia.. e assim era.
      Foi muito desconfortável pra ela, ela achou que tudo era uma piada ate o fato de eu estar ali e pensou que eu era um Joker do caralho mano, e isso foi triste pra mim.
      Alguns minutos em silencio apos ter "VOLTADO " eu disse pra ela que não sabia oque tava acontecendo e que minhas intenções era só dar amor, carinho e ser engraçado, pra que ela não defina quem sou por isso que estou fazendo, porque isso claramente pra mim estava sendo euforia até o talo, ansiedade, e tanto medo da aprovação sua que tudo que eu falo, estou usando esse gatilho "to brincando" pra sempre ficar em cima do muro sobre oque disse, eu analisando depois, pra mim foi isso, eu disse, inclusive ainda chapado.. e que estou errado sim pois preciso ser mais seguro e confiante. "
      Ela disse que entende e continuamos o role
      o melhores momentos foi no inicio do role, antes de começar meu vicio,
      depois tbm tivemos momentos agradáveis mas ainda com aquilo na cabeça. aquilo que eu digo e que senti é que ela ficou com medo de quem eu sou, ela me acha meio louco, me acha com transtorno de personalidade coisa do tipo, mas eu acho que não tenho isso não mano, nunca me aconteceu e acho que sou normal sim.
      Agora ela ta sem falar comigo  e eu to planejando em pedir pra nos vermos pessoalmente e eu disser oque penso mas eu perdi credibilidade nas minhas falas, eu sei que vou parecer autentico e real a falar sobre isso mas quem tem que avaliar é ela né, e isso ta me matando. Vontade de pedir pra td mundo que já fumei gravar um vídeo falando que não sou assim kkk.

      Como sair dessa com a mina é difícil vocês me ajudarem mas aceito qualquer sugestão e opinião, mas e a opinião sobre esse meu vicio, é preocupante ou bah nem é ? 
      Grato pela atenção pessoal ✌️
    • Por Ganzapt
      Eu fumo ganza( e o que se chama em Portugal) ja faz 1 ano e utilizo diariamente e tenho andado a notar que o meu corpo nao consegue ter a tolerancia a droga que ja devia ter , fico sempre com os olhos vermelhos,  fumo 1 ja fico uma brisa gigante e agora nem tenho andado a gostar da brisa pois fico sempre nos meus pensamentos e ainda penso mais do que o normal e penso sempre que as pessoas estao me olhando , resumindo ainda nao consegui controlar a minha mente nem o meu corpo ao "esconder" a brisa das outras pessoas , gostava que me ajudassem treinar a minha mente a aproveitar a brisa e nao mostrar para as outras pessoas que estou com a brisa
       
×
×
  • Criar Novo...