Ir para conteúdo
Growroom
sobresativa

Bad Trip Em Transtornos Dissociativos (Despersonalização / Desrealização)

Recommended Posts

Despersonalização / Desrealização

A desrealização é a alteração da sensação a respeito de si próprio, enquanto a despersonalização é a alteração da sensação de realidade do mundo exterior sendo preservada a sensação a respeito de si mesmo. Contudo ambas podem acontecer simultaneamente. A classificação norte-americana não distingue mais a desrealização da despersonalização, encarando-as como o mesmo problema.

Contrariamente ao que o nome pode sugerir, a despersonalização não trata de um distúrbio de perda da personalidade: este problema inclusive não tem nenhuma relação com qualquer aspecto da personalidade normal ou patológica.

O aspecto central da despersonalização é a sensação de estar desligado do mundo como se, na verdade, estivesse sonhando. O indivíduo que experimenta a despersonalização tem a impressão de estar num mundo fictício, irreal mas a convicção da realidade não se altera. A desrealização é uma sensação e não uma alteração do pensamento como acontece nas psicoses onde o indivíduo não diferencia realidade da "fantasia". Na despersonalização o indivíduo tem preservado o senso de realidade apesar de ter uma sensação de que o que está vendo não é real. É comum a sensação de ser o observador de si próprio e até sentir o "movimento" de saída de dentro do próprio corpo de onde se observa a si mesmo de um lugar de fora do próprio corpo.

A ocorrência eventual das sensações de despersonalização ou desrealização é comum. Algumas estatísticas falam que aproximadamente 70% da população em geral já experimentou alguma vez esses sintomas, não podendo se constituir num transtorno enquanto ocorrência esporádica. Porém se acontece continuamente ou com freqüência proporcionando significativo sofrimento, passa a ser considerado um transtorno. A severidade pode chegar a um nível de intensidade tal que o paciente deseja morrer a continuar vivendo.

O diagnóstico desse transtorno dissociativo só pode ser feito se outros transtornos foram descartados como as síndromes psicóticas, estados de depressão ou ansiedade, especialmente o pânico. Nessas situações as despersonalizações e desrealizações são comuns constituindo-se num sintoma e não num transtorno à parte.

Não há tratamento eficaz conhecido para esses sintomas isoladamente.

Olá, sou novo no fórum e resolvi contar minhas viagens. Experimentei maconha aos 15 anos, depois disso eu raramente fumava, só em festinhas ou em ocasiões diferentes mesmo. Aos 18 anos comecei a fumar com mais frequencia. Hoje, aos 22, fumo maconha quase todos os dias, mas com controle total do meu consumo, pra não entrar no exagero. No meio do ano de 2012, comecei a ter fortes ondas com a maconha, comecei a ter uma espécie de "desconhecimento do mundo", junto a uma sensação incrível de desapego material e imaterial. Até então era controlável a situação, foi aí que numa tarde de domingo eu tive minha primeira bad trip com transtorno dissociativo, me bateu um vazio tremendo e do nada parei de reconhecer todo mundo que eu conhecia. No meu transtorno mental, as pessoas estavam perdendo suas personalidades, gente que eu conhecia há muito tempo, não fazia sentido mais pra mim. Eu não reconhecia meus amigos, nem meus pais. Olhava para minha própria namorada e não conseguia me lembrar da personalidade dela. Até mesmo os lugares em que eu sempre iam foram perdendo totalmente a identidade pra mim. Tudo foi ficando muito vazio, e foi então que resolvi pensar se era eu quem estava ficando vazio.

Com muito medo, me mergulhei na psicologia e comecei a ler sobre transtornos dissociativos, inclusive bipolaridade. Talvez esse tenha sido um de meus erros, toda vez que eu fumava, a percepção do transtorno ficava ainda maior, e isso me fazia perceber ainda mais como eu estava com um sério problema. Havia pensado em procurar um psicólogo, mas resolvi esperar mais um pouco. Ficava horas pensando se a maconha havia me dado uma dádiva ou uma desgraça. Ao mesmo tempo que eu desconhecia as pessoas, eu passava a vê-las de uma forma totalmente diferente. A maconha havia me dado faculdades mentais maravilhosas, mas não era normal. Fiquei meses com essa nóia. Passei a tentar me controlar, mas era praticamente impossível controlar meus pensamentos, porque eram prazerosos. Comecei a me isolar, me afastei dos meus pais, dos meus amigos e até da minha namorada, que também fuma. No final de 2012 resolvi dar um upgrade na minha vida com a maconha. Criei horários pra fumar, também passei escolher bastante com quem e onde iria fumar, e isso me ajudou bastante. Passei a fumar em casa, e depois relaxar bastante ouvindo um pouco de Pink Floyd, que é o que eu adoro fazer. Hoje me sinto super bem, comecei a ter outras viagens com a maconha, mas ainda com vestígios do meu pequeno transtorno. Gostaria de agradecer o fórum por dar essa possibilidade de cada um contar seu problema, porque isso colabora muito com cada um. A vida é feita de experiências, e se cada um contar a sua, chegaremos a um compêndio final.

Agradeço a atenção, um bom começo de ano pra galera do growroom, e prometo participar mais do fórum porque estou adorando.

Há braços! :*
  • Like 7

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

As tradições tibetanas, hindus e afins falam disso com a prática da yoga, mais especificamente a raja yoga, ou a yoga meditativa. O desprendimento da realidade pessoal instituída é o desprendimento do ego, ou a libertação das amarras do tempo, da escravização, e é uma consecução importante nessas disciplinas meditativas. É sabido que determinadas substâncias favorecem essa ocorrência. É sabido também a que canabis é uma planta muito poderosa para esse tipo de prática, e se sua energia for bem direcionada pode dar resultados admiráveis, uma verdadeira libertação. Por conta desse poder pode sim ocorrer casos esporádicos e involuntários de desprendimento da realidade. Deve-se dizer que na yoga esse desprendimento ocorre com um alicerce consciente, onde adquirimos uma super-consciência e passamos a nos utilizar dela no lugar de nossa antiga consciência "mundana", por assim dizer, e assim realizamos a aniquilação das "velhas roupas" do ego e personalidade.

Essa experiência que você passou pode ter sido um sinal daquela experiência maior, mas faltosa em relação à não ter sua consciência preparada para lidar com isso. É sinal que você tem sensibilidade para tal, mas ainda não tem o devido preparo.

Afirmo isso com alguma categoria, pois pratico yoga a algum tempo e já tive leves princípios dessa experiência, tanto com yoga quanto com canabis. A diferença é que das primeiras vezes com a canabis eu fiquei meio perdido como você. Posteriormente com a yoga tive sinais dessa experiência mas já estava mais consciente e seguro, talvez por conta da yoga dar um preparo anterior, gradativo.

  • Like 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

se vc for ler um livro sobre bipolaridade vc vai perceber alguns comportamentos parecidos, mas isso não quer dizer que vc seja bipolar..

Sim, eu entendo. Coloquei "inclusive bipolaridade" porque na época me interessei no assunto interligado à maconha.

As tradições tibetanas, hindus e afins falam disso com a prática da yoga, mais especificamente a raja yoga, ou a yoga meditativa. O desprendimento da realidade pessoal instituída é o desprendimento do ego, ou a libertação das amarras do tempo, da escravização, e é uma consecução importante nessas disciplinas meditativas. É sabido que determinadas substâncias favorecem essa ocorrência. É sabido também a que canabis é uma planta muito poderosa para esse tipo de prática, e se sua energia for bem direcionada pode dar resultados admiráveis, uma verdadeira libertação. Por conta desse poder pode sim ocorrer casos esporádicos e involuntários de desprendimento da realidade. Deve-se dizer que na yoga esse desprendimento ocorre com um alicerce consciente, onde adquirimos uma super-consciência e passamos a nos utilizar dela no lugar de nossa antiga consciência "mundana", por assim dizer, e assim realizamos a aniquilação das "velhas roupas" do ego e personalidade.

Essa experiência que você passou pode ter sido um sinal daquela experiência maior, mas faltosa em relação à não ter sua consciência preparada para lidar com isso. É sinal que você tem sensibilidade para tal, mas ainda não tem o devido preparo.

Afirmo isso com alguma categoria, pois pratico yoga a algum tempo e já tive leves princípios dessa experiência, tanto com yoga quanto com canabis. A diferença é que das primeiras vezes com a canabis eu fiquei meio perdido como você. Posteriormente com a yoga tive sinais dessa experiência mas já estava mais consciente e seguro, talvez por conta da yoga dar um preparo anterior, gradativo.

Olá, mettalph.

De começo perdoe minha ignorância no assunto;

Essa sensação que eu tive, que pra mim foi estranha na época, nunca chegou a ser algo ruim, que me prejudicasse. Eu a classifiquei como transtorno porque eu realmente não tinha outra definição para o que estava acontecendo comigo. Eu cheguei a ter uma época em que eu fumava só pra sentir essa percepção diferente das coisas. Eu me sentia tão em conjunto com o planeta, que minha ignorância não me deixava dar uma explicação para o que eu estava sentindo. O mais difícil é que ninguém havia passado pelas mesmas sensações, todos os meus amigos tinham ondas normais, morriam de rir, viajavam legal, etc. Eu tentava conversar com as pessoas sobre o que eu estava sentindo, mas no geral só falavam que eu estava "viajando". Eu gostaria de saber por onde (livro, doc, forum) eu deveria começar para me aprofundar mais nesse assunto?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Algumas pessoas são extremamente mal educadas e desprovidas de compaixão pelo semelhante!

Ou colabora de alguma forma ou retenham-se a ler!

Para quem a carapuça caiba!

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá, mettalph.

De começo perdoe minha ignorância no assunto;

Essa sensação que eu tive, que pra mim foi estranha na época, nunca chegou a ser algo ruim, que me prejudicasse. Eu a classifiquei como transtorno porque eu realmente não tinha outra definição para o que estava acontecendo comigo. Eu cheguei a ter uma época em que eu fumava só pra sentir essa percepção diferente das coisas. Eu me sentia tão em conjunto com o planeta, que minha ignorância não me deixava dar uma explicação para o que eu estava sentindo. O mais difícil é que ninguém havia passado pelas mesmas sensações, todos os meus amigos tinham ondas normais, morriam de rir, viajavam legal, etc. Eu tentava conversar com as pessoas sobre o que eu estava sentindo, mas no geral só falavam que eu estava "viajando". Eu gostaria de saber por onde (livro, doc, forum) eu deveria começar para me aprofundar mais nesse assunto?

Quando falei em "ficar perdido" queria dizer que não se tinha a consciência adequada do que estava acontecendo, e só ficava curtindo a vibe, que por sinal é muito bacana. Quando se alcança de fato essa experiência com sucesso, obtém-se uma mudança radical de paradigma. Sua percepção do universo ao redor muda pra sempre. É algo digno das grandes experiências espirituais do santos, ou as experiências metafísicas dos sábios, etc.

Se quiser saber mais, pelo mesmo meio que aprendi, recomendo pesquisar sobre raja yoga e conteúdo relacionado. A yoga é dividida em várias vertentes, a raja yoga é a vertente meditativa, voltado ao espírito. Não conheço nenhum material que resuma e explique isso de forma rápida. Mas o conteúdo disponível sobre o assunto não é nada complexo também. É só pesquisar.

Se precisar discutir mais, manda uma MP que eu te ajudo.

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Se quiser saber mais, pelo mesmo meio que aprendi, recomendo pesquisar sobre raja yoga e conteúdo relacionado. A yoga é dividida em várias vertentes, a raja yoga é a vertente meditativa, voltado ao espírito. Não conheço nenhum material que resuma e explique isso de forma rápida. Mas o conteúdo disponível sobre o assunto não é nada complexo também. É só pesquisar.

Obrigado, cara. Vou pesquisar sobre o assunto e te mandar uma MP.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

As tradições tibetanas, hindus e afins falam disso com a prática da yoga, mais especificamente a raja yoga, ou a yoga meditativa. O desprendimento da realidade pessoal instituída é o desprendimento do ego, ou a libertação das amarras do tempo, da escravização, e é uma consecução importante nessas disciplinas meditativas. É sabido que determinadas substâncias favorecem essa ocorrência. É sabido também a que canabis é uma planta muito poderosa para esse tipo de prática, e se sua energia for bem direcionada pode dar resultados admiráveis, uma verdadeira libertação. Por conta desse poder pode sim ocorrer casos esporádicos e involuntários de desprendimento da realidade. Deve-se dizer que na yoga esse desprendimento ocorre com um alicerce consciente, onde adquirimos uma super-consciência e passamos a nos utilizar dela no lugar de nossa antiga consciência "mundana", por assim dizer, e assim realizamos a aniquilação das "velhas roupas" do ego e personalidade.

Essa experiência que você passou pode ter sido um sinal daquela experiência maior, mas faltosa em relação à não ter sua consciência preparada para lidar com isso. É sinal que você tem sensibilidade para tal, mas ainda não tem o devido preparo.

Afirmo isso com alguma categoria, pois pratico yoga a algum tempo e já tive leves princípios dessa experiência, tanto com yoga quanto com canabis. A diferença é que das primeiras vezes com a canabis eu fiquei meio perdido como você. Posteriormente com a yoga tive sinais dessa experiência mas já estava mais consciente e seguro, talvez por conta da yoga dar um preparo anterior, gradativo.

Muito bem dito...

-------------------------------------------

sobresativa você disse ter pesquisado livros de psicologia e tudo mais, acredito que agora você deveria estudar um lado mais espiritual. Se posso sugerir um bom, leia "A erva do diabo" esse livro realmente abre a cabeça para uma existencia alem

PAZ

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito bem dito...

-------------------------------------------

sobresativa você disse ter pesquisado livros de psicologia e tudo mais, acredito que agora você deveria estudar um lado mais espiritual. Se posso sugerir um bom, leia "A erva do diabo" esse livro realmente abre a cabeça para uma existencia alem

PAZ

Olá, PauloNeto. Muito obrigado pela dica, cara. Vou começar a leitura hoje ainda, um amigo meu me disse a mesma coisa. Estou precisando de algo do tipo mesmo. Abraço.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Lendo este topico fiquei de cara com as respostas, tem gente que comenta coisas totalmente off topic e outros ate zoam o cara.

Meu conselho: procure um psiquiatra e pare de fumar ate que tudo normalize. Livros ajudam, mas no seu caso e psicologo e psiquiatra, tenho experiencia com amigos e parentes com transtornos vai por mim.

Um moderador deveria ler esse topico e banir eternamente quem zuou o cara.

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

manin o lance é esse dar-se regra a tudo na vida se nao vira uma so coisa tudo ao mesmo tempo .....

qndo comecei a fumar tb tive algo parecido : fumava sozinho, do nada, toda hora e nao reconhecia as pessoas por elas terem mudado ou eu ?? as vontades de fazer algo antes tambem foram embora, mas gracas a vc mesmo, vc conceguiu sair do bad total mas o caminho e esse mesmo regrasse tudo na nossa vida loka !!! tudo mesmo , namorada, cachorro, amigos, estudos, fumaça diversão esqueci algum ???

muita fe e qndo for fumar tente relax na onda ok !! nao na NOIA!!!

jah bless :335968164-hippy2:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

sobresativa você disse ter pesquisado livros de psicologia e tudo mais, acredito que agora você deveria estudar um lado mais espiritual. Se posso sugerir um bom, leia "A erva do diabo" esse livro realmente abre a cabeça para uma existencia alem

PAZ

Ah sim. É uma ótima recomendação também, muito pertinente ao caso. Na verdade é uma leitura muito recomendada a todos nesse fórum, que relata as experiências da nossa digníssima planta e seu poder de mudança, independente de dogmas e religião. É praticamente um relato científico.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

falando em floyd, olha o cara do pinkfloyd aí, não? Do lado do Paul? Legal a foto!

É o David Gilmour, mão de cola. Huehehue. Cortada alí na esquerda tá a Linda McCartney e no meio o Paul McCartney. Os três curtindo uma vibe bacana. Dizem que era um show do Led Zeppelin, ou do Stones. Mas é difícil provar. De qualquer forma é uma puta foto com eles juntos.

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Meu conselho: procure um psiquiatra e pare de fumar ate que tudo normalize. Livros ajudam, mas no seu caso e psicologo e psiquiatra, tenho experiencia com amigos e parentes com transtornos vai por mim.

olá, cara. você acha que meu caso seria esse? pensei em procurar um psicólogo, pra ver se ele tinha alguma explicação plausível, mas a questão é que essa sensação se tornou tão prazerosa que os aspectos ruins ficaram pequenos perto do que eu sinto às vezes.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

oi!

relaxa..

você encontrou CBD e CBN onde procurava THC, e sua brisa foi assim..

você quase virou SADU,

sadu%20vintage.jpg

é natural virar sadu assim,
aliás, na India é tanto maconheiro largado
fumando na extrema que os sadus viraram uma casta da sociedade!

um conselho,

se você não se sentir confortável se transformando num Sadu:

fuma menos
fuma coisa boa, não as porcarias de sempre
trabalha mais
estuda mais
viva mais, essa de ficar de cabeça gorda dia e noite só te leva pra Sadulãndia!

eu nem encanaria e tiraria onda ainda!

boa sorte!

ps: só não fica brincando com a cuca..

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...

  • Conteúdo Similar

    • Por trevorpeacelove
      Eai pessoal, gostaria da opinião de vocês sobre o acontecido, preciso contextualizar antes.

      Estava a exatos 3 meses sem fumar, hoje tenho 24 e desde os 18 sou usuário, de fumar quase todo dia, minhas bad ate então era ficar "cabreiro", do restante sempre foi boas reflexões filosóficas, risadas, euforia, morga, etc.
      Estou a conhecer uma mina que vem ganhando meu coração, ela sabe que sou maconheiro e que estava sem fumar por 3 meses, ela começou a fumar pouco mais de 6 meses, ela tem 18 anos.
      Eu acabei cedendo a minha proposta de 6 meses e aceitei um convite pra fumarmos junto. TOP tava animadaço, coração a mil, 1- porque já sou meio ansioso, 2-to gostando dela, 3- macooonhaaa.
      Antes desse rolê, estávamos indo bem, química batendo, reciprocidade, conexão se encaixando e só oque me atrapalhava era minha ansiedade em fazer dar certo e preocupado com a aprovação dela em minha ações e falas. Pois bem, então em nosso 4º encontro e por enquanto ultimo foi o seguinte:
      Chegamos no local planejado, era bem calmo, 1 carro passando a cada 1h só.
      Coloquei um lofi, pq ambos curtem.
      demos alguns abraços e beijos antes
      ela me deu a honra de acender, um baseado bem considerável pra duas pessoas
      apos terminar o baseado, trocamos um papo normal e quis analisar o quanto eu estava chapado
      eu de numa escala de 0 a 10 fiquei 8.5 ela disse que 6.5, pois bem
      percebi que não estávamos num time certo, eu muito eufórico e ela bem menos, ate pra beijar e abraçar eu estava muito acelerado, [percebivel
      OFF pra um contexto- Eu na maioria fumava com meus amigos, e lá temos uma cultura de alem dos papos cabeças sermos idiotas e piadistas, creio que isso é normal.
      A PARADA FOI ESSA, eu comecei a ser piadista, mas do bem claro, nada ofensivo, tipo o idiotão da classe, no começo tava massa, tirei varias risadas dela, dela rir pra porra, e nesse caminho entrei num vicio horrível em falar que ta brincando, exemplo, falava uma piada e no final da frase "kkkk brincadeira" mandava mais uma fala zuera "kk to brincando". Ai as vezes era sobre uma coisa sobre ela e falava "kkk to brincando" eu REALMENTE FIQUEI VICIADO EM FALAR ISSO, isso levou 1h30 +-, de tão modo que ela se irritou com razão, ela falo "que porra é essa mano, se é sempre assim?" eu falei que "não! de ficar falando que "to brincando", não! 
      E isso a incomodou a respeito de que nada que eu dizia era concreto e verdadeiro, e eu mesmo fiquei assustado com a situação mas tava chapado, ai ia tentar falar algo falava piada e continuava com o vicio véi.
      Eu ficava em silencio por alguns minutos, conseguia "VOLTAR" mas ai passava um pouco e repetia.. e assim era.
      Foi muito desconfortável pra ela, ela achou que tudo era uma piada ate o fato de eu estar ali e pensou que eu era um Joker do caralho mano, e isso foi triste pra mim.
      Alguns minutos em silencio apos ter "VOLTADO " eu disse pra ela que não sabia oque tava acontecendo e que minhas intenções era só dar amor, carinho e ser engraçado, pra que ela não defina quem sou por isso que estou fazendo, porque isso claramente pra mim estava sendo euforia até o talo, ansiedade, e tanto medo da aprovação sua que tudo que eu falo, estou usando esse gatilho "to brincando" pra sempre ficar em cima do muro sobre oque disse, eu analisando depois, pra mim foi isso, eu disse, inclusive ainda chapado.. e que estou errado sim pois preciso ser mais seguro e confiante. "
      Ela disse que entende e continuamos o role
      o melhores momentos foi no inicio do role, antes de começar meu vicio,
      depois tbm tivemos momentos agradáveis mas ainda com aquilo na cabeça. aquilo que eu digo e que senti é que ela ficou com medo de quem eu sou, ela me acha meio louco, me acha com transtorno de personalidade coisa do tipo, mas eu acho que não tenho isso não mano, nunca me aconteceu e acho que sou normal sim.
      Agora ela ta sem falar comigo  e eu to planejando em pedir pra nos vermos pessoalmente e eu disser oque penso mas eu perdi credibilidade nas minhas falas, eu sei que vou parecer autentico e real a falar sobre isso mas quem tem que avaliar é ela né, e isso ta me matando. Vontade de pedir pra td mundo que já fumei gravar um vídeo falando que não sou assim kkk.

      Como sair dessa com a mina é difícil vocês me ajudarem mas aceito qualquer sugestão e opinião, mas e a opinião sobre esse meu vicio, é preocupante ou bah nem é ? 
      Grato pela atenção pessoal ✌️
    • Por Ganzapt
      Eu fumo ganza( e o que se chama em Portugal) ja faz 1 ano e utilizo diariamente e tenho andado a notar que o meu corpo nao consegue ter a tolerancia a droga que ja devia ter , fico sempre com os olhos vermelhos,  fumo 1 ja fico uma brisa gigante e agora nem tenho andado a gostar da brisa pois fico sempre nos meus pensamentos e ainda penso mais do que o normal e penso sempre que as pessoas estao me olhando , resumindo ainda nao consegui controlar a minha mente nem o meu corpo ao "esconder" a brisa das outras pessoas , gostava que me ajudassem treinar a minha mente a aproveitar a brisa e nao mostrar para as outras pessoas que estou com a brisa
       
    • Por Edu.jpg420
      Salve rapaziada  
      Então, eu tenho 21 anos, fumo a uns 2 anos entre idas e voltas, tive uma fase dominante que não conseguia pensar em mais nada além de maconha, fumava pra tudo, provavelmente vocês devem entender. Hoje em dia fumo em torno de 3 baseados por dia, e aos finais de semana as vezes fumo maior quantidade, até ai ok. Eu sempre fui muito de boa pra fumar tanto quando estou feliz ou triste sem entrar em bad e tal, mas atualmente estou tendo umas piras estranhas. Tipo, parece que vejo muito meus defeitos e vejo, não digo que "defeitos" nas outras pessoas mas acabo vendo muitas atitudes que me irritam facilmente, mas eu seguro a onda e fico na minha. Mas não é algo que consigo controlar, eu observo e é inevitável, minha namorada por exemplo, as vezes fumo com ela e começo a pensar muito sobre nosso futuro, sobre se realmente vamos dar certo apesar de estarmos a muitos anos juntos, começo a ficar confuso sobre minha vida, sei que sou novo e tenho muito pela frente, tomo remédios pra ansiedade e uso a erva pra melhorar também, mas antes não tinha essas piras, queria saber o que vocês fazem pra não entrar em piras desse tipo, coisas que de pânico. Me sinto meio inútil e vazio as vezes, pensando que estou muito sem foco, quero conseguir me controlar e valorizar as pessoas mas não quero deixar de fumar meu baseado, acho que quando fumo vejo mais a realidade, mas sei que não posso viver pensando assim pq ngm é perfeito, enfim não sei se ficou muito confuso esse texto, estou muito doidao agora kkkkkkkkkkkk
    • Por bianca lopes monteiro
      entao pessoal desculpe pelo texto que vou fazer agr mas eu preciso muito de ajuda, nao aguento mais viver assim, nem as coisas do dia a dia consigo fazer mas enfim
      eu um fds fui em uma rave, sempre usei doce, bala, md lanca enfim, nunca tinha ficado desse jeito, a 1 mes e meio, aconteceu essa rave, um dia antes eu fui pra uma tabacaria bebi e acordei de ressaca pra ir pra rave, nao conseguia comer por conta da ressaca, (sei que foi errado, deveria ter comido, mas blz) ate entao, fui, cheguei la, na madruga tomei um quarto do doce, tupa, foi uma brisa maravilhosa, ri dms, a madrugada toda, enfim foi dhr, dormi e acordei de manha p aproveita a festa, eu comi umas bolacha pela manha, mas nada que sustente, enfim tomei 1;4 dodoce o melancia, blz, umas 40 minutos dps um amigo meu me deu mais uma metade, e eu tomei um relinho de uma bala, iphone x, (gente sei que foi errado que exagerei)mas blz, ate entao de boa, tudo comeco quando eu baforei, depois de uns 15 minutos que eu ja tinha parado de baforar, eu comecei a ver a boca das pessoas verde, de todo mundo, ate entao p min era brisa, so que as coisas comeco a ficar feia dms, tava td mundo derretendo e ao mesmo tempo parecia que na minha visao a velocidade tinha triplicado demais,tava tuddo muito rapido, eu comecei a ficar mole, e desmaiando, meu amigo me levou pro ambulatorio, estava com a pressao 9,6, diz o pessoal que foi por conta da desidratacao, q eu n tinha comida,blz, vim p casa, me recuperei da loucura, suave, so qe ja se passaram 1 mes e meio e eu nao consigo viver em paz, eu tento focar e outras coisa pq meus amigos dizem que isso e psicologico do trauma que eu tive mas nao da, nao posso ir pra nenhum lugar que nao seja minha casa, ou ate mesmo tormar uma cerveja com colegas que tudo volta, meu coracao acelera, as coisas em velocidade rapida volta, minha visao n ta norma, parece que estou tendo visual, e isso me deixa e panico, ai eu me desespero e parece que vou morrer de enfarto, desmaiar, e comeco a entra em panico, vou passar no psicologo daqui dois dias, mas queria saber se ja aconteceu isso com alguem, se isso passa, pq eu nao aguento mais isso, quero ter minha vida de volta ao normal, ja fiz ate promessa pra deus que nunca mais vou usar droga, pq isso e horrive, vc ter uma brisa que voce nao esta buscando e parece que eu vou viver isso pra sempre
    • Por Vrmnd
      Oi gente
      Bem eu vou explicar o que aconteceu / está a acontecer comigo
      Já fumei erva há uns tempos e tive uma reação parecida, mas que durou apenas 3 dias no máximo. Fiquei um pouco lesada mas depois passou.
      O problema é o que aconteceu comigo desta vez.
      Fumei maconha, pouca até, e aconteceu isto:
      Comecei a sentir que estava a ver tudo “por fotos”, os meus olhos não acompanhavam o que estava a acontecer e parecia tudo em um sonho. O meu corpo ficou dormente e com formigueiro, como se estivesse anestesiada. Não sentia bem os movimentos. Coisas pequenas não as sinto, nem tenho bem noção da realidade. Por exemplo, não pressinto quando alguém se está a aproximar ou assim. Mas por outro lado sinto muito o toque, quando me encosto a alguma coisa ou assim. Não tenho os olhos vermelhos.
      Quando estou em ambientes de muito calor e apertados, tudo piora. Parece que estou a ter uma crise de pânico. 
      Isto assim durou uns 4/5 dias. Estou muito assustada.
      Hoje, é sábado. Amanhã faz uma semana que fumei. Se tiver de dizer, estou 20% lesada ainda. Bem melhor, mas confusa. A minha mente pensa em coisas estranhas, tal como se tudo isto fosse um sonho ainda. Ainda tenho o corpo com sensações que não consigo compreender, e tenho muitas dores de cabeça.
      O que será que aconteceu comigo? Como posso ficar bem de vez?
      Obrigada gente..
×
×
  • Criar Novo...