Ir para conteúdo
Growroom

Bad Trip Em Transtornos Dissociativos (Despersonalização / Desrealização)


sobresativa

Recommended Posts

  • Usuário Growroom

Despersonalização / Desrealização

A desrealização é a alteração da sensação a respeito de si próprio, enquanto a despersonalização é a alteração da sensação de realidade do mundo exterior sendo preservada a sensação a respeito de si mesmo. Contudo ambas podem acontecer simultaneamente. A classificação norte-americana não distingue mais a desrealização da despersonalização, encarando-as como o mesmo problema.

Contrariamente ao que o nome pode sugerir, a despersonalização não trata de um distúrbio de perda da personalidade: este problema inclusive não tem nenhuma relação com qualquer aspecto da personalidade normal ou patológica.

O aspecto central da despersonalização é a sensação de estar desligado do mundo como se, na verdade, estivesse sonhando. O indivíduo que experimenta a despersonalização tem a impressão de estar num mundo fictício, irreal mas a convicção da realidade não se altera. A desrealização é uma sensação e não uma alteração do pensamento como acontece nas psicoses onde o indivíduo não diferencia realidade da "fantasia". Na despersonalização o indivíduo tem preservado o senso de realidade apesar de ter uma sensação de que o que está vendo não é real. É comum a sensação de ser o observador de si próprio e até sentir o "movimento" de saída de dentro do próprio corpo de onde se observa a si mesmo de um lugar de fora do próprio corpo.

A ocorrência eventual das sensações de despersonalização ou desrealização é comum. Algumas estatísticas falam que aproximadamente 70% da população em geral já experimentou alguma vez esses sintomas, não podendo se constituir num transtorno enquanto ocorrência esporádica. Porém se acontece continuamente ou com freqüência proporcionando significativo sofrimento, passa a ser considerado um transtorno. A severidade pode chegar a um nível de intensidade tal que o paciente deseja morrer a continuar vivendo.

O diagnóstico desse transtorno dissociativo só pode ser feito se outros transtornos foram descartados como as síndromes psicóticas, estados de depressão ou ansiedade, especialmente o pânico. Nessas situações as despersonalizações e desrealizações são comuns constituindo-se num sintoma e não num transtorno à parte.

Não há tratamento eficaz conhecido para esses sintomas isoladamente.

Olá, sou novo no fórum e resolvi contar minhas viagens. Experimentei maconha aos 15 anos, depois disso eu raramente fumava, só em festinhas ou em ocasiões diferentes mesmo. Aos 18 anos comecei a fumar com mais frequencia. Hoje, aos 22, fumo maconha quase todos os dias, mas com controle total do meu consumo, pra não entrar no exagero. No meio do ano de 2012, comecei a ter fortes ondas com a maconha, comecei a ter uma espécie de "desconhecimento do mundo", junto a uma sensação incrível de desapego material e imaterial. Até então era controlável a situação, foi aí que numa tarde de domingo eu tive minha primeira bad trip com transtorno dissociativo, me bateu um vazio tremendo e do nada parei de reconhecer todo mundo que eu conhecia. No meu transtorno mental, as pessoas estavam perdendo suas personalidades, gente que eu conhecia há muito tempo, não fazia sentido mais pra mim. Eu não reconhecia meus amigos, nem meus pais. Olhava para minha própria namorada e não conseguia me lembrar da personalidade dela. Até mesmo os lugares em que eu sempre iam foram perdendo totalmente a identidade pra mim. Tudo foi ficando muito vazio, e foi então que resolvi pensar se era eu quem estava ficando vazio.

Com muito medo, me mergulhei na psicologia e comecei a ler sobre transtornos dissociativos, inclusive bipolaridade. Talvez esse tenha sido um de meus erros, toda vez que eu fumava, a percepção do transtorno ficava ainda maior, e isso me fazia perceber ainda mais como eu estava com um sério problema. Havia pensado em procurar um psicólogo, mas resolvi esperar mais um pouco. Ficava horas pensando se a maconha havia me dado uma dádiva ou uma desgraça. Ao mesmo tempo que eu desconhecia as pessoas, eu passava a vê-las de uma forma totalmente diferente. A maconha havia me dado faculdades mentais maravilhosas, mas não era normal. Fiquei meses com essa nóia. Passei a tentar me controlar, mas era praticamente impossível controlar meus pensamentos, porque eram prazerosos. Comecei a me isolar, me afastei dos meus pais, dos meus amigos e até da minha namorada, que também fuma. No final de 2012 resolvi dar um upgrade na minha vida com a maconha. Criei horários pra fumar, também passei escolher bastante com quem e onde iria fumar, e isso me ajudou bastante. Passei a fumar em casa, e depois relaxar bastante ouvindo um pouco de Pink Floyd, que é o que eu adoro fazer. Hoje me sinto super bem, comecei a ter outras viagens com a maconha, mas ainda com vestígios do meu pequeno transtorno. Gostaria de agradecer o fórum por dar essa possibilidade de cada um contar seu problema, porque isso colabora muito com cada um. A vida é feita de experiências, e se cada um contar a sua, chegaremos a um compêndio final.

Agradeço a atenção, um bom começo de ano pra galera do growroom, e prometo participar mais do fórum porque estou adorando.

Há braços! :*
  • Like 7
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

As tradições tibetanas, hindus e afins falam disso com a prática da yoga, mais especificamente a raja yoga, ou a yoga meditativa. O desprendimento da realidade pessoal instituída é o desprendimento do ego, ou a libertação das amarras do tempo, da escravização, e é uma consecução importante nessas disciplinas meditativas. É sabido que determinadas substâncias favorecem essa ocorrência. É sabido também a que canabis é uma planta muito poderosa para esse tipo de prática, e se sua energia for bem direcionada pode dar resultados admiráveis, uma verdadeira libertação. Por conta desse poder pode sim ocorrer casos esporádicos e involuntários de desprendimento da realidade. Deve-se dizer que na yoga esse desprendimento ocorre com um alicerce consciente, onde adquirimos uma super-consciência e passamos a nos utilizar dela no lugar de nossa antiga consciência "mundana", por assim dizer, e assim realizamos a aniquilação das "velhas roupas" do ego e personalidade.

Essa experiência que você passou pode ter sido um sinal daquela experiência maior, mas faltosa em relação à não ter sua consciência preparada para lidar com isso. É sinal que você tem sensibilidade para tal, mas ainda não tem o devido preparo.

Afirmo isso com alguma categoria, pois pratico yoga a algum tempo e já tive leves princípios dessa experiência, tanto com yoga quanto com canabis. A diferença é que das primeiras vezes com a canabis eu fiquei meio perdido como você. Posteriormente com a yoga tive sinais dessa experiência mas já estava mais consciente e seguro, talvez por conta da yoga dar um preparo anterior, gradativo.

  • Like 3
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

se vc for ler um livro sobre bipolaridade vc vai perceber alguns comportamentos parecidos, mas isso não quer dizer que vc seja bipolar..

Sim, eu entendo. Coloquei "inclusive bipolaridade" porque na época me interessei no assunto interligado à maconha.

As tradições tibetanas, hindus e afins falam disso com a prática da yoga, mais especificamente a raja yoga, ou a yoga meditativa. O desprendimento da realidade pessoal instituída é o desprendimento do ego, ou a libertação das amarras do tempo, da escravização, e é uma consecução importante nessas disciplinas meditativas. É sabido que determinadas substâncias favorecem essa ocorrência. É sabido também a que canabis é uma planta muito poderosa para esse tipo de prática, e se sua energia for bem direcionada pode dar resultados admiráveis, uma verdadeira libertação. Por conta desse poder pode sim ocorrer casos esporádicos e involuntários de desprendimento da realidade. Deve-se dizer que na yoga esse desprendimento ocorre com um alicerce consciente, onde adquirimos uma super-consciência e passamos a nos utilizar dela no lugar de nossa antiga consciência "mundana", por assim dizer, e assim realizamos a aniquilação das "velhas roupas" do ego e personalidade.

Essa experiência que você passou pode ter sido um sinal daquela experiência maior, mas faltosa em relação à não ter sua consciência preparada para lidar com isso. É sinal que você tem sensibilidade para tal, mas ainda não tem o devido preparo.

Afirmo isso com alguma categoria, pois pratico yoga a algum tempo e já tive leves princípios dessa experiência, tanto com yoga quanto com canabis. A diferença é que das primeiras vezes com a canabis eu fiquei meio perdido como você. Posteriormente com a yoga tive sinais dessa experiência mas já estava mais consciente e seguro, talvez por conta da yoga dar um preparo anterior, gradativo.

Olá, mettalph.

De começo perdoe minha ignorância no assunto;

Essa sensação que eu tive, que pra mim foi estranha na época, nunca chegou a ser algo ruim, que me prejudicasse. Eu a classifiquei como transtorno porque eu realmente não tinha outra definição para o que estava acontecendo comigo. Eu cheguei a ter uma época em que eu fumava só pra sentir essa percepção diferente das coisas. Eu me sentia tão em conjunto com o planeta, que minha ignorância não me deixava dar uma explicação para o que eu estava sentindo. O mais difícil é que ninguém havia passado pelas mesmas sensações, todos os meus amigos tinham ondas normais, morriam de rir, viajavam legal, etc. Eu tentava conversar com as pessoas sobre o que eu estava sentindo, mas no geral só falavam que eu estava "viajando". Eu gostaria de saber por onde (livro, doc, forum) eu deveria começar para me aprofundar mais nesse assunto?

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Olá, mettalph.

De começo perdoe minha ignorância no assunto;

Essa sensação que eu tive, que pra mim foi estranha na época, nunca chegou a ser algo ruim, que me prejudicasse. Eu a classifiquei como transtorno porque eu realmente não tinha outra definição para o que estava acontecendo comigo. Eu cheguei a ter uma época em que eu fumava só pra sentir essa percepção diferente das coisas. Eu me sentia tão em conjunto com o planeta, que minha ignorância não me deixava dar uma explicação para o que eu estava sentindo. O mais difícil é que ninguém havia passado pelas mesmas sensações, todos os meus amigos tinham ondas normais, morriam de rir, viajavam legal, etc. Eu tentava conversar com as pessoas sobre o que eu estava sentindo, mas no geral só falavam que eu estava "viajando". Eu gostaria de saber por onde (livro, doc, forum) eu deveria começar para me aprofundar mais nesse assunto?

Quando falei em "ficar perdido" queria dizer que não se tinha a consciência adequada do que estava acontecendo, e só ficava curtindo a vibe, que por sinal é muito bacana. Quando se alcança de fato essa experiência com sucesso, obtém-se uma mudança radical de paradigma. Sua percepção do universo ao redor muda pra sempre. É algo digno das grandes experiências espirituais do santos, ou as experiências metafísicas dos sábios, etc.

Se quiser saber mais, pelo mesmo meio que aprendi, recomendo pesquisar sobre raja yoga e conteúdo relacionado. A yoga é dividida em várias vertentes, a raja yoga é a vertente meditativa, voltado ao espírito. Não conheço nenhum material que resuma e explique isso de forma rápida. Mas o conteúdo disponível sobre o assunto não é nada complexo também. É só pesquisar.

Se precisar discutir mais, manda uma MP que eu te ajudo.

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Se quiser saber mais, pelo mesmo meio que aprendi, recomendo pesquisar sobre raja yoga e conteúdo relacionado. A yoga é dividida em várias vertentes, a raja yoga é a vertente meditativa, voltado ao espírito. Não conheço nenhum material que resuma e explique isso de forma rápida. Mas o conteúdo disponível sobre o assunto não é nada complexo também. É só pesquisar.

Obrigado, cara. Vou pesquisar sobre o assunto e te mandar uma MP.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

As tradições tibetanas, hindus e afins falam disso com a prática da yoga, mais especificamente a raja yoga, ou a yoga meditativa. O desprendimento da realidade pessoal instituída é o desprendimento do ego, ou a libertação das amarras do tempo, da escravização, e é uma consecução importante nessas disciplinas meditativas. É sabido que determinadas substâncias favorecem essa ocorrência. É sabido também a que canabis é uma planta muito poderosa para esse tipo de prática, e se sua energia for bem direcionada pode dar resultados admiráveis, uma verdadeira libertação. Por conta desse poder pode sim ocorrer casos esporádicos e involuntários de desprendimento da realidade. Deve-se dizer que na yoga esse desprendimento ocorre com um alicerce consciente, onde adquirimos uma super-consciência e passamos a nos utilizar dela no lugar de nossa antiga consciência "mundana", por assim dizer, e assim realizamos a aniquilação das "velhas roupas" do ego e personalidade.

Essa experiência que você passou pode ter sido um sinal daquela experiência maior, mas faltosa em relação à não ter sua consciência preparada para lidar com isso. É sinal que você tem sensibilidade para tal, mas ainda não tem o devido preparo.

Afirmo isso com alguma categoria, pois pratico yoga a algum tempo e já tive leves princípios dessa experiência, tanto com yoga quanto com canabis. A diferença é que das primeiras vezes com a canabis eu fiquei meio perdido como você. Posteriormente com a yoga tive sinais dessa experiência mas já estava mais consciente e seguro, talvez por conta da yoga dar um preparo anterior, gradativo.

Muito bem dito...

-------------------------------------------

sobresativa você disse ter pesquisado livros de psicologia e tudo mais, acredito que agora você deveria estudar um lado mais espiritual. Se posso sugerir um bom, leia "A erva do diabo" esse livro realmente abre a cabeça para uma existencia alem

PAZ

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Muito bem dito...

-------------------------------------------

sobresativa você disse ter pesquisado livros de psicologia e tudo mais, acredito que agora você deveria estudar um lado mais espiritual. Se posso sugerir um bom, leia "A erva do diabo" esse livro realmente abre a cabeça para uma existencia alem

PAZ

Olá, PauloNeto. Muito obrigado pela dica, cara. Vou começar a leitura hoje ainda, um amigo meu me disse a mesma coisa. Estou precisando de algo do tipo mesmo. Abraço.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Lendo este topico fiquei de cara com as respostas, tem gente que comenta coisas totalmente off topic e outros ate zoam o cara.

Meu conselho: procure um psiquiatra e pare de fumar ate que tudo normalize. Livros ajudam, mas no seu caso e psicologo e psiquiatra, tenho experiencia com amigos e parentes com transtornos vai por mim.

Um moderador deveria ler esse topico e banir eternamente quem zuou o cara.

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

manin o lance é esse dar-se regra a tudo na vida se nao vira uma so coisa tudo ao mesmo tempo .....

qndo comecei a fumar tb tive algo parecido : fumava sozinho, do nada, toda hora e nao reconhecia as pessoas por elas terem mudado ou eu ?? as vontades de fazer algo antes tambem foram embora, mas gracas a vc mesmo, vc conceguiu sair do bad total mas o caminho e esse mesmo regrasse tudo na nossa vida loka !!! tudo mesmo , namorada, cachorro, amigos, estudos, fumaça diversão esqueci algum ???

muita fe e qndo for fumar tente relax na onda ok !! nao na NOIA!!!

jah bless :335968164-hippy2:

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

sobresativa você disse ter pesquisado livros de psicologia e tudo mais, acredito que agora você deveria estudar um lado mais espiritual. Se posso sugerir um bom, leia "A erva do diabo" esse livro realmente abre a cabeça para uma existencia alem

PAZ

Ah sim. É uma ótima recomendação também, muito pertinente ao caso. Na verdade é uma leitura muito recomendada a todos nesse fórum, que relata as experiências da nossa digníssima planta e seu poder de mudança, independente de dogmas e religião. É praticamente um relato científico.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

falando em floyd, olha o cara do pinkfloyd aí, não? Do lado do Paul? Legal a foto!

É o David Gilmour, mão de cola. Huehehue. Cortada alí na esquerda tá a Linda McCartney e no meio o Paul McCartney. Os três curtindo uma vibe bacana. Dizem que era um show do Led Zeppelin, ou do Stones. Mas é difícil provar. De qualquer forma é uma puta foto com eles juntos.

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Meu conselho: procure um psiquiatra e pare de fumar ate que tudo normalize. Livros ajudam, mas no seu caso e psicologo e psiquiatra, tenho experiencia com amigos e parentes com transtornos vai por mim.

olá, cara. você acha que meu caso seria esse? pensei em procurar um psicólogo, pra ver se ele tinha alguma explicação plausível, mas a questão é que essa sensação se tornou tão prazerosa que os aspectos ruins ficaram pequenos perto do que eu sinto às vezes.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

oi!

relaxa..

você encontrou CBD e CBN onde procurava THC, e sua brisa foi assim..

você quase virou SADU,

sadu%20vintage.jpg

é natural virar sadu assim,
aliás, na India é tanto maconheiro largado
fumando na extrema que os sadus viraram uma casta da sociedade!

um conselho,

se você não se sentir confortável se transformando num Sadu:

fuma menos
fuma coisa boa, não as porcarias de sempre
trabalha mais
estuda mais
viva mais, essa de ficar de cabeça gorda dia e noite só te leva pra Sadulãndia!

eu nem encanaria e tiraria onda ainda!

boa sorte!

ps: só não fica brincando com a cuca..

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...
  • Conteúdo Similar

    • Por GanjerMan421
      Olá galera do Growroom, venho até aqui pedir ajuda pois estou passando por um momento depressivo causado pelo uso da verdinha.
      Eu fui usuário cronico da verdinha por mais ou menos 4 anos, fumo desde os 15 e dos 18 até os 22 eu legalizei tudo por aqui...
      Nos últimos 2 meses eu parei de fumar e tive uma melhora significativa na minha qualidade de vida. Eu voltei a sonhar! Para quem não sabe, fumar muito da verdinha tira o quinto estágio do sono que é o momento em que sonhamos 😕 Mas quando paramos de fumar sonhamos tudo de uma vez em um período de 1 a 2 meses, o que é bem legal pois o sonhos ficam super reais  Sorte que não tenho pesadelos o.o hehe
      Bom agora vou direto ao assunto. Nesse final de semana eu fui dormir na casa do meu primo que fuma muito ainda hoje em dia. Durante o banho de manhã antes de ir embora me deparei com o enorme estoque da verdinha dele no armário, acabei pegando um beck de la pra levar e matar a saudade de fumar um em casa, até ai tudo bem.
      Quando cheguei em casa esperei dar um horário que não haveria ninguém acordado e bolei um baseado gordo, tinha 1,5g mais ou menos ali eu acho. Era tudo que eu tinha pego na casa do meu primo. Fumei mais ou menos metade do beck.
      Agora começa a badtrip. Comecei a sentir paranoia, taquicardia, sede e todos os sentimentos ruins que um corpo desacostumado com a verdinha pode sentir ao usar uma boa quantidade de ganja, mas tudo bem, pois sou macaco velho na parada e sei lidar com esses sentimentos negativos do organismo. hahahahah Até parece, foi logo em seguida que veio a maior bad trip de todos os tempo que eu já senti na minha vida. Eu fui até o netflix assistir algo e me descontrair quando me deparo com o titulo do seriado que eu estava assitindo: Life is to short.
      BUUUM, tive na hora uma epifania de pensamentos, minha taquicardia e minha sede triplicaram na mesma hora e aquilo não saia mais da minha cabeça, tudo a partir era uma paranoia enorme em cima daquele pensamento. 
      Bom a partir daqui é só um relato das brisas bads que eu tive que provavelmente não fazem nenhum sentido e vou deixar em negrito pois talvez não seja necessário a leitura desse monte de doideira para que eu tenha alguma ajuda.
      Já fiz teste de QI em um médico psiquiatra respeitável de verdade e tenho uma pontuação elevada de 131 pontos, imagine tudo que eu fui capaz de raciocinar naquele momento de crise de Pânico.
      Bom eu comecei a imaginar que eu sou uma maquina que processa informações naturais e que isso que me dava a sensação de estar vivo, entrei em um conflito interno sobre teísmo e ateísmo. Comecei a me sentir responsável pela continuação da minha vida. Isso me deixou uma ferida onde tudo que eu pensava a partir dali vinha esse sentimento na minha mente. O engraçado é que eu sei que nada é capaz de sobreviver para sempre, no final você acaba voltando para o o todo e se tornando parde dele seguindo o ciclo da vida.
      Tentar fugir disso seria uma teoria luciferiana onde algo foge da naturalidade e tenta se tornar o próprio Deus, portador da própria luz... Mas querendo ou não isso nunca seria possível para sempre. Isso seria impossível mesmo que através de transcendência da mente, seria uma luta constante de porém finita contra a naturalidade. 
      O barulho da chuva parecia ser o cosmos me pressionando e me aniquilando aos poucos o.o
      Logo em seguida lembrei que não é preciso criador para a existência da complexidade.
      " Sem Deus, o universo não é explicável satisfatoriamente. " -Albert Einstein
      Todos esses pensamentos me deixaram uma enorme ferida e eu tive muita dificuldade para dormir, até que finalmente após ler tudo que eu pude de textos aleatórios na internet eu acabei caindo no sono.
      Hoje já é o terceiro dia desde então e eu continuo sentindo um pouco da dor daquela ferida causada.
      Alguém já passou por algo parecido? Como eu posso lidar com essa angustia causada por quela brisa? Vai cicatrizar essa ferida? o.o
       .
    • Por Vnshuet
      Incrível como antes eu tinha uma certeza absoluta de que eu não pararia de fumar maconha de forma alguma pq ela sempre me ajudava de alguma forma, fosse na vida pessoal e/ou profissional. Quando me perguntavam pq eu nao dava um tempo ou ate mesmo pq eu nao parava de fumar, a resposta era rapida: pra quê? a maconha nao me atrapalha, ao contrario, ela me ajuda. Talvez nao parar, mas reduzir o consumo antes, tivesse me ajudado. 
      é aquilo que todo mundo fala, no inicio era so onda boa, risada, tranquilidade e etc... eu fumava quando estava ansiosa/preocupada e tudo parecia ficar claro na minha mente, parecia que eu tinha controle da situação. Tudo em demasia faz mal ne? eu comecei a fumar de manha, antes de ir pro trabalho, quando chegava no trabalho e quando saía, e sempre que eu fumava no trabalho (no início) meu rendimento melhorava, meu desempenho, e sem contar que eu tinha mais paciência com meus clientes, e dificilmente me irritava (um sonho ne?)... pois bem, o sonho virou pesadelo. Em um certo tempo eu fumava e começava a ficar paranóica, na minha cabeça as pessoas estavam me vigiando, falando de mim, comecei a ter distorção de audição, taquicardia terrivel que parecia que meu coração ia sair pela boca, ficava suando frio e meu corpo LITERALMENTE tremia de dentro pra fora, espasmos musculares violentos (fortíssimos e mt perceptíveis), me dava crise de pânico, enfim... nao parecia mais a minha boa e velha ervinha da felicidade. Demorei muito pra aceitar que uma das únicas coisas que me deixava extremamente bem agr estava me deixando mal. Mas enfim aceitei. Talvez eu tenha associado meu medo/paranoia ao uso da maconha (como disse um amigo meu), ou talvez eu so tenha abusado demais na utilização. 😪
      De qualquer forma, espero tanto poder voltar a fumar novamente algum dia e me sentir tao bem quanto me sentia no início, mas por enquanto me escolho acima da verdinha. 
      Me sinto mt bem deixando esse relato aqui pq dps de ler varios outros, eu me senti mais tranquila por nao estar “louca”. Espero que seja uma fase e que eu consiga passa-la. 
      Se tu leu ate aqui, obrigada ❤️
    • Por Azul_Piscina
      Oi galera então, eu fumei tipo 4 vezes na vida, experimentei no final do ano passado e até que não tenho bad quando tô chapada, mas quando vai passando o efeito eu fico muito triste e com umas paranóias e também não consigo me conectar com as outras pessoas nem nada que a galera fala de viajar em uma conversa, fico extremamente sensível, tipo coisas que eu não ligaria me deixaram triste, alguém aí já sentiu isso? 
      valeu gntt
       
       
       
       
    • Por lrs1327
      Galera, vou tentar ser rápida, ontem eu fumei um beck e depois de uns 10 min comecei a ter umas brisa estranha, eu ficava meio lenta por uns 3 segundos, depois voltava ao normal e ia acontecendo isso em loop, eu tentava voltar ao normal, tipo encostando nas coisas pra ver se estava tudo bem, mas meu corpo não me obedecia direito, minha boca ficava dormente, não conseguia sentir as batidas do meu coração, mesmo sabendo que estavam muito rápidas. Fiquei desesperada, pensei que ia morrer, tentei ficar calma, mas eu só queria que aquilo parasse e que eu voltasse ao normal, pesquisei várias coisas na internet pra saber se eu ia ficar com isso pra sempre, vi várias pessoas falando sobre bad trip, então presumi que seria isso, bebi bastante água, deitei e tentei dormir pra ver se hoje isso passava, demorei um pouco pra dormir, mas consegui. Hoje eu acordei um pouco melhor, mas ainda sinto minha boca dormente, meu coração um pouco acelerado e minhas mãos tremendo um pouco, mas nada pior do que ontem, estou querendo avisar minha mãe pra ela me levar no hospital e la talvez eles saberem o que fazer, mas antes quero saber de alguém se isso vai passar e se é normal ficar assim por 12h ou mais, por favor me ajudem, estou com medo de desenvolver esquizofrenia pelo o que eu vi as pessoas falando.
    • Por fielpcp
      Boa tarde galera, fumo há 8 anos e nesses ultimos anos quase sempre que fumo um tenho uma leve crise de panico e paranoia, mas o que corta esses sintomas é quando eu faço sexo ou quando me masturbo. Queria saber se alguem tem esse tipo de comportamento?
      E para quem tem sintomas de ansiedade ,crise de panico apos fumar um e nao quiser ficar na bad trip, tentem fazer isso ver se resolve porque pra mim isso é uma das melhores sensações quando ta na trip, esse combo thc e sexo <3.
×
×
  • Criar Novo...