Ir para conteúdo
Growroom

Mais Um Grower Preso Em Brasília.


pastorhemp

Recommended Posts

  • Usuário Growroom

Tá foda viu! Em Brasília deu mole, o jacaré engole. Cannabis na janela é cana certa! Tenham cuidado com seus jardins. Abraço.

http://noticias.r7.com/distrito-federal/noticias/jovem-e-preso-por-cultivar-maconha-na-janela-de-apartamento-20121129.html

Jovem é preso por cultivar maconha em janela de apartamento

Ele deixava a planta exposta para quem quisesse ver e foi denunciado pelos vizinhos



Do R7, com a TV Record Brasília | 29/11/2012 às 09h40






  • bt-orkut.png

Reprodução/TV Record Brasíliamaconha.jpg

A droga ficava exposa na janela do apartamento, para quem quisesse ver

Publicidade

Um jovem de 20 anos foi preso na noite desta quarta-feira (28) acusado de cultivar maconha na janela do prédio onde mora no Guará, região administrativa do DF. O traficante foi denunciado pelos próprios vizinhos, que consideraram a atitude do traficante audaciosa, uma vez que ele deixava os vasos com a planta expostos para quem quisesse ver.

A PCDF (Polícia Civil do DF) filmou a cena minutos antes de prender Igor de Sousa Rubato em flagrante. No momento da prisão, o jovem entregou a planta e afirmou que era apenas para consumo próprio. No entanto, para o delegado responsável pelo caso, Jeferson Lisboa, a explicação não convenceu.

— Pela lei, o simples fato de plantar já configura o tráfico de drogas.

Leia mais notícias no R7DF

Polícia Militar encontra plantação de maconha em Brazlândia

Polícia prende homem que cultiava maconha em apartamento

Polícia prende homem que cultivava pés de maconha em casa

— Os vizinhos não aguentavam mais aquilo. Era muito incômodo. Crianças e jovens no prédio vendo tudo isso.

O acusado foi levado para a 4ª DP (Guará) onde a ocorrência está registrada. Ele foi autuado por tráfico de drogas e, se condenado, pode pegar até 15 anos de prisão. Igor tem passagens por porte de drogas, desacato e resistência a prisão.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

O pior de tudo é esta imprensa tratando a pessoa como um completo marginal perigoso, sem ao menos averiguar corretamente o caso.

E outra.....moradores cansados de ver UMA PLANTA!!! Vão pra PQP!!!

Tá foda.......mundo invertido este....

  • Like 2
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Pelo o que está sendo dito ai foi encontrado apenas uma planta e estão querendo condenar o sujeito por tráfico de drogas? Tem algo errado ai. Essa noticia já está extremamente tendenciosa, chamando o cara de traficante a torto e a direito. Tem algo muito errado ai, uma planta e o delegado já está querendo derrubar como traficante?

Espero que o cara saia dessa.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Pior de tudo é esses nego achando que é Jamaica o Brasil! A um mês atras rodou um igual com cannabis na janela em Brasilia, temos que aprender com o erro dos outros e não cometermos os mesmos!

O cara tinha até kief box e tal, deve ser do GR, se for pior ainda pq a um mes atras um cara rodou igual e reportagem rodou aqui no Gr.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Da vergonha desta policia brasileira e sua ignorância, um pé de cannabis e ja cai como traficante. PQP

Vizinho bom é vizinho cego, que so enxerga a alienação da midia, vao se informar cambada de ignorantes.

as crianças não sabem nada sobre a planta, não peguem as crianças como bode espiatório para a ignorância de vocês.

  • Like 5
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

"Pela lei, o simples fato de plantar já configura o tráfico de drogas."

Se você abre um dicionário e procura a palava Tráfico, eis o que temos;

tráfico

m.

Comércio; negociação.Fam.

Negócio indecoroso: o tráfico da escravatura.

Existe mesmo uma lei que fale que o ato de plantar cannabis implique diretamente em trafico de drogas?

:emoticon-0102-bigsmile:

que absurdo! que burrice! que primitivo!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Pior de tudo é esses nego achando que é Jamaica o Brasil! A um mês atras rodou um igual com cannabis na janela em Brasilia, temos que aprender com o erro dos outros e não cometermos os mesmos!

O cara tinha até kief box e tal, deve ser do GR, se for pior ainda pq a um mes atras um cara rodou igual e reportagem rodou aqui no Gr.

O kief box é justamente do caso do outro cultivador que caiu, o arquiteto. E não vejo muitas diferenças entre a Jamaica e o Brasil. Ambos países pobres, com enormes diferenças sociais, e com uma grande parcela da população que ama a ganja. Explanou? Talvez, mas não justifica um delegado ignorar a previsão da letra da lei, a do parágrafo 1º do artigo 28 da lei 11.343, que expressamente prevê que quem cultiva para uso próprio está sujeito às mesmas penas de quem porta para o mesmo fiml

  • Like 17
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Concordo e numero genero e grau! Quis dizer que aqui não é Jamaica no intuito de deixar claro que aqui no Br, juizes e delegados estão loucos pra botar grower na cadeia e que aqui não é tão bem compreendido como na Jamaica a questão da cannabis!

A justiça vem ignorando a lei e colocando nos growers atras das grades, então temos que nos proteger e fazer as coisas com descrição e cuidado!

então a reportagem é a mesma? Achei que fosse outro!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Não Gk, você não prestou atenção à reportagem. O cara que caiu com esse pé é um, e na reportagem sobre a prisão dele, fazem menção à diversos casos que aconteceram recentemente em brasília e arredores (DF e Goiás), um dos casos que eles recordam, é justamente o caso do cultivador que é expoente da arquitetura e que possuía a kiefbox. Acho que você chapou demais aí e sequelou na hora de ver a matéria. Presta atenção que você vai desconfundir os noronho!

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

O kief box é justamente do caso do outro cultivador que caiu, o arquiteto. E não vejo muitas diferenças entre a Jamaica e o Brasil. Ambos países pobres, com enormes diferenças sociais, e com uma grande parcela da população que ama a ganja. Explanou? Talvez, mas não justifica um delegado ignorar a previsão da letra da lei, a do parágrafo 1º do artigo 28 da lei 11.343, que expressamente prevê que quem cultiva para uso próprio está sujeito às mesmas penas de quem porta para o mesmo fiml

excelente post!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Não Gk, você não prestou atenção à reportagem. O cara que caiu com esse pé é um, e na reportagem sobre a prisão dele, fazem menção à diversos casos que aconteceram recentemente em brasília e arredores (DF e Goiás), um dos casos que eles recordam, é justamente o caso do cultivador que é expoente da arquitetura e que possuía a kiefbox. Acho que você chapou demais aí e sequelou na hora de ver a matéria. Presta atenção que você vai desconfundir os noronho!

Vou te falar a verdade vi o post sem som! uahuahuahuahuahuahauhauhuhauah!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

delegado filho duma puta!!! revolta isso... mas um dia ele vai pagar... a filha vai casar e ter uma ninhada com um maconheiro e todos netos serão maconheiro tb

a respeito da Jamaica pelos videos q vi lá não é assim tão tranquilo não... principalmente se tu não for bem preto, sabe como é né discriminação é foda... no meio de brancos mulato é preto e entre os pretos mulato é branco kkk qualquer um mais branco se tiver com fumo e os homi de lá pegar ta fudido!!! mas nunca fui então pode ser exagero do que vi...

  • Like 3
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Pior é ler isto:

— Os vizinhos não aguentavam mais aquilo. Era muito incômodo. Crianças e jovens no prédio vendo tudo isso.

Ver o verde, a vida crescendo é incomodo para as pessoas, o lance é ver o cinza da poluição, o concreto subindo. Incomodo é saber que o próximo está mais a tentar controlar sua vida e não pensar no seu bem.

Renovação para mim não são pessoas mais jovens atuando nas decisões dos casos, mas sim idéias novas e funcionais para a sociedade como um todo. Acho que esses delegados estão precisando renovar as idéias urgentemente.

  • Like 3
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

"Os vizinhos não aguentavam mais aquilo. Era muito incômodo. Crianças e jovens no prédio vendo tudo isso."

Nossa! Mas que petulância desse cara! Expondo uma planta assim para crianças e jovens. Mas que perigo!

Na moral, seria cômico se não fosse trágico. E essa matéria ai... puta merda! Desclassificando pro 28 o cultivador tem que meter um processo por danos morais nas costas de quem publicou isso!

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

delegado filho duma puta!!! revolta isso... mas um dia ele vai pagar... a filha vai casar e ter uma ninhada com um maconheiro e todos netos serão maconheiro tb

a respeito da Jamaica pelos videos q vi lá não é assim tão tranquilo não... principalmente se tu não for bem preto, sabe como é né discriminação é foda... no meio de brancos mulato é preto e entre os pretos mulato é branco kkk qualquer um mais branco se tiver com fumo e os homi de lá pegar ta fudido!!! mas nunca fui então pode ser exagero do que vi...

Azar do Jamaicano mais célebre do universo, filho de uma negra com um oficial branco. Preciso dizer quem é?

  • Like 2
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Só Jah no meu coração pra não sentir raiva de uma situação dessas.

Mas é o que se espera da população de um pais que é o penúltimo no mundo em educação!

O que podemos fazer?

Não da mas pra aguentar!!

Acho que nossa unica opção aqui no Brasil é reivindicar a tolerância no uso RELIGIOSO pq legalização real vamos levar

um seculo, literalmente, pra alcançar.

Temos que focar esforços nisso!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

O kief box é justamente do caso do outro cultivador que caiu, o arquiteto. E não vejo muitas diferenças entre a Jamaica e o Brasil. Ambos países pobres, com enormes diferenças sociais, e com uma grande parcela da população que ama a ganja. Explanou? Talvez, mas não justifica um delegado ignorar a previsão da letra da lei, a do parágrafo 1º do artigo 28 da lei 11.343, que expressamente prevê que quem cultiva para uso próprio está sujeito às mesmas penas de quem porta para o mesmo fiml

Não sei se eles fazem isso por ignorância ou são mau intencionados...Prefiro achar que é o segundo caso.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Da vergonha desta policia brasileira e sua ignorância, um pé de cannabis e ja cai como traficante. PQP

Vizinho bom é vizinho cego, que so enxerga a alienação da midia, vao se informar cambada de ignorantes.

as crianças não sabem nada sobre a planta, não peguem as crianças como bode espiatório para a ignorância de vocês.

Este tipo de argumentação: "As nossas crianças..." é apelo ao emocional...Uma grande arma retórica. Eles usam por que sabem que funciona.

Temos de usar do lado de cá também estas malandragens...

  • Like 3
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...
  • Conteúdo Similar

    • Por BenderPenguino
      O Senador Cristovam Buarque foi designado pela Comissão de Direitos Humanos (CDH) para atender a sugestão numero 8 / 2014 que consiste na regulamentação da Cannabis.

      Serão realizadas 8 audiências publicas para escutar a população e debater sobre o tema com convidados.
      Video
      A primeira foi 2 de junho e passou batida, muito mais gente falando contra do que a favor. Link para Ata
      A segunda 11 Agosto. botar link notas taqui aqui
      A terceira do dia 25 de Agosto foi uma vitoria. botar link notas taqui aqui
      8 setembro ocorreu a quarta
      22 setembro - quinta

      13 Outubro - 6ª Audiencia Publica



      porque as mais importantes? Basicamente o senado vai decidir o assunto baseado na opinião do Cristovam (relator) e o Cristovam provavelmente vai presidir a mesa da comissão nas 7 audiências restantes, teremos sete e apenas sete oportunidades de comparecer em peso ao vivo e virtualmente (portal e-cidadania).

      Marquem nos seus calendários! deixem no minimo uma frase na audiência interativa, se 1% dos inscritos no site mandarem ao menos uma frase de apoio superaremos muito em numero do pessoal que quer manter a guerra. que infelizmente estavam em maior numero e marcaram mais presença na primeira audiência. Temos sete pra recuperar!

      Quem apoia?

      Vamos fazer um display de contagem regressiva na pagina principal pras audiências virtuais?

      fica a ideia e o apelo a deixar ao menos um registro nas audiências virtuais, que apesar de virtuais, não aceitam mensagens a qualquer data e horários, apenas durante a ocorrência da audiência presencial no senado, ou seja apenas nos dias e hora corretos pode-se enviar comentários online.
    • Por growroom
      Congresso Internacional sobre Drogas: Lei, Saúde e Sociedade

      3 a 5 de maio de 2013

      Brasília






      O Congresso Internacional sobre Drogas: Lei, Saúde e Sociedade vai acontecer de 3 a 5 de maio de 2013, no Museu Nacional da República, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF).

      
O evento vai fomentar o intercâmbio entre a sociedade e reconhecidos representantes do Brasil e do mundo nas diversas áreas do conhecimento relacionadas ao tema. Especialistas do Brasil, América Latina, Europa e Estados
      Unidos vão discutir, com representantes da sociedade civil, sobre segurança pública, política, educação, cultura, medicina e saúde pública.

      
O congresso visa também a contribuir para o aperfeiçoamento de profissionais graduados de diversas áreas do conhecimento e para a formação de estudantes, educadores e futuros profissionais dessas áreas. Mais especificamente, temos como objetivo geral consolidar, documentar e fornecer ao governo, aos profissionais, aos estudantes e à sociedade, subsídios técnico-científicos capazes de alicerçar o debate e indicar caminhos concretos e alternativas que minimizem as consequências negativas da atual política de guerra às drogas e criminalização de usuários.

      O congresso será composto por conferências científicas e mesas redondas temáticas interdisciplinares. Estas atividades não deverão ser simultâneas, para possibilitar o intercâmbio entre os participantes das diversas áreas e sua exposição aos mais diferentes pontos de vista sobre questões que envolvem o uso de drogas psicoativas. O congresso também contará com exposição de arte e shows musicais.

      
Para potencializar a visibilidade do evento, o congresso será transmitido ao vivo pela internet e poderá ter a participação, pela web, de pessoas de todo o mundo. Além disso, haverá projeção na área externa do Museu para que mais pessoas possam acompanhar os debates.

      
Como resultado, será gerado um documento formal de referência, contendo a síntese do evento, com recomendações para uma nova política de drogas no Brasil. O documento vai ser disponibilizado ao Governo Federal com o objetivo de subsidiar a discussão da atual legislação nos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

      
O encontro é uma iniciativa conjunta da Universidade de Brasília (UnB), Conselho Federal de Psicologia (CFP), Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM), Núcleo de Estudos Interdisciplinares de Psicoativos (NEIP) e da
      Associação Brasileira de Estudos Sociais do Uso de Psicoativos (ABESUP). É financiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do Ministério da Educação (CAPES) e conta com o apoio institucional da Coordenação Nacional de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas (Ministério da Saúde), da Sociedade Brasileira de Neurociência e Comportamento (SBNEC), do Programa de Atendimento e Orientação a Dependentes (PROAD-Unifesp), do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (CEBRID-Unifesp), da Associação Brasileira de Ensino em Psicologia (ABEP), da Comissão Brasileira Sobre Drogas e Democracia (CBDB), do International Centre for Science in Drug Policy (ICSDP), do Centro de Investigación y Docencia Económicas del México (CIDE), da Rede Pense Livre e do Movimento Viva Rio.

      
Congresso Nacional Sobre Drogas. Uma oportunidade inédita para se redefinir os rumos da política sobre drogas no Brasil.


      Palestrante e Debatedores:

      Alejandro Madrazo Lajous - Convite aceito
      Center for Economic Research and Educationof México (CIDE).

      Alessandra Oberling - Convite aceito
      Coordenadora de projetos do Instituto Igarapé.

      André Barros – Convite aceito
      advogado da Marcha da Maconha do Rio de Janeiro.

      Beatriz Labate - Convite aceito
      Center for Economic Research and Education of México -CIDE.

      Bruno Ramos - Convite aceito
      Representante dos coletivos É de Lei e Respire Redução de Danos.

      Cristiano Maronna - Convite aceito
      Instituto Brasileiro de Ciências Criminais.

      César Gaviria - Convite aceito
      Ex-presidente da Colômbia.

      Dartiu Xavier da Silveira Filho - Convite aceito
      Professor da Universidade Federal de São Paulo, PROAD.

      Denis Russo - Convite aceito
      Jornalista e Escritor – Editor Chefe da revista Super Interessante.

      Edward MacRae - Convite aceito
      Professor da Universidade Federal da Bahia.

      Elisaldo Carlini - Convite aceito
      Professor da Universidade Federal de São Paulo, CEBRID.

      Emílio Figueiredo - Convite aceito
      Consultor Jurídico do Growroom.

      Ethan Nadelmann - Convite aceito
      Drug Policy Alliance - EUA.

      Gabor Maté – Convite aceito
      Médico e escritor, Vancouver, Canadá.

      Henrique Carneiro - Convite aceito
      Professor da USP.

      Humberto Verona - Convite aceito
      Presidente do Conselho Federal de Psicologia.

      Ilona Szabo - Convite aceito
      Rede Pense Livre, Fundação Igarapé, Global Commission onDrugPolicy.

      João Menezes - Convite aceito
      Professor da UFRJ.


      Jorge da Silva - Convite aceito
      Coronel reformado da Policial Militar do Estado do Rio de Janeiro.

      Luciana Boiteux - Convite aceito
      Professora da UFRJ.

      Luis Eduardo Soares - Convite aceito
      Professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

      Luis Fernando Tófoli - Convite aceito
      Universidade Federal do Ceará.

      Maria Lúcia Karam - Convite aceito
      Presidente da Law Enforcement Against Prohibition Brazil.

      Maurício Fiore - Convite aceito
      Centro Brasileiro de Análise e Planejamento, NEIP (Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre Psicoativos).

      Maurides Ribeiro - Convite aceito
      ICBCRIM.

      Paulo Teixeira - Convite aceito
      Deputado Federal.

      Pedro Abramovay - Convite aceito
      Ex-secretário nacional de justiça.

      Rebeca Lerer - Convite aceito
      Coordenadora de Comunicação da Global Commissionon Drug Policy, Rede Pense Livre.

      Renato Cinco - Convite aceito
      Vereador eleito pelo PSOL do Rio de Janeiro.

      Renato Malcher - Convite aceito
      Professor da Universidade de Brasília.

      Renato Filev – Convite aceito
      Coletivos Desentorpecendo a Razão e Respire Redução de Danos.

      Rodrigo Mac Niven - Convite aceito
      Cineasta, Coletivo Projects.

      Roberto Tykanori - Convite aceito
      Coordenador Nacional de Saúde Mental.

      Rubem Cesar - Convite aceito
      Diretor executivo do movimento Viva Rio.

      Sérgio Vidal - Convite aceito
      Antropólogo e escritor.

      Sidarta Ribeiro - Convite aceito
      Professor da UFRN, Diretor do Instituto do Cérebro.

      Tarso Araújo - Convite aceito
      Jornalista e escritor – Revista Galileu

      Walter Maierovitch - Convite aceito
      Ex-secretário Nacional Anti-drogas.

      William Lantelm Filho - Convite aceito
      Growroom e Revista semSemente.


      Organização:
      Comissão Científica

      Beatriz Labate
      Center for Economic Research and Education of México (CIDE)

      Cristiano Maronna
      Instituto Brasileiro de Ciências Criminais.

      Dartiu Xavier da Silveira Filho
      Universidade Federal de São Paulo.

      Eduardo Schenberg
      Universidade Federal de São Paulo.

      Edward MacRae
      Universidade Federal da Bahia.

      Henrique Carneiro
      Universidade de São Paulo.

      João Menezes
      Universidade Federal do Rio de Janeiro.

      Luciana Boiteux
      Universidade Federal do Rio de Janeiro.

      Maurício Fiore
      Instituto Brasileiro de Ciências Criminais.

      Renato Malcher
      Universidade de Brasília e International Centre for Science in Drug Policy (ICSDP).

      Sidarta Ribeiro
      Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

      Humberto Verona
      Presidente do Conselho Federal de Psicologia.


      Comissão Organizadora
      Renato Malcher (Presidente)
      Universidade de Brasília e International Centre for Science in Drug Policy (ICSDP).

      Henrique Carneiro (Vice-Presidente)
      Departamento de História - Universidade de São Paulo.

      Cristiano Maronna (Conselheiro)
      Instituto Brasileiro de Ciências Criminais.

      Isabela Oliveira (Conselheira)
      Faculdade de Comunicação da UnB.

      Sidarta Ribeiro (Conselheiro)
      Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

      Humberto Verona (Conselheiro)
      Presidente do Conselho Federal de Psicologia.


      Inscrições:
      As inscrições do Congresso Internacional sobre Drogas estão abertas. As vagas são limitadas. Garanta já a sua!

      Inscrições no Congresso
      Alunos de graduação – R$100,00
      Alunos de pós-graduação - R$150,00
      Professores/pesquisadores/outros profissionais – R$250,00

      Inscrições de trabalhos
      Se você tem um trabalho relacionado ao tema e quer apresentá-lo no Congresso, inscreva-se aqui.
      Normas para submissão de Pôster (Painel)

      Descrição: O objetivo desta atividade é o de apresentar relatos de pesquisas ou ações/intervenções em uma dessas grandes áreas: Direito, Ciências Sociais, História, Ciências Biomédicas. O pôster deverá contemplar uma síntese da pesquisa ou da intervenção. Os trabalhos no formato de pôsteres ficarão expostos em locais e horários previamente divulgados na Programação.

      Requisitos: o proponente deve estar previamente inscrito no congresso, com o pagamento confirmado. Cada proponente pode inscrever no máximo 1 (um) pôster, mas pode configurar como coautor em outros trabalhos.

      Proponente: graduandos, doutorandos, mestrandos, doutores, mestres e profissionais graduados. O proponente corresponde ao primeiro autor do trabalho, sendo a pessoa que irá apresenta-lo.

      Co-autores: professores orientadores, mestres, doutores, mestrandos, doutorandos e profissionais graduandos.

      Normas para submissão de RESUMOS DE PÔSTER

      A proposta para atividade PÔSTER deverá ser apresentada em fonte Times New Roman tamanho 12, espaçamento simples, contendo:

      1ª. Linha: Título centralizado em maiúsculas.
      2ª. Linha: em parágrafo justificado: nome(s) e filiação institucional do(s) proponente(s).
      3. Resumo entre 200 a 250 palavras, num único parágrafo, contendo: introdução, objetivos, método, resultados, discussão e conclusão.
      4. O pôster aprovado deverá ser confeccionado no formato padrão 120 cm x 90 cm.


      Mais informações em http://cid2013.com.br
    • Por mettalph
      Mais um caso de abuso! Dois jovens com 4 plantas (pra lá de feias) foram presos hoje, na Asa Norte. A polícia já acusou de tráfico nacional e internacional de maconha, a mídia falou de supermaconha, produção de skunk em laboratório etc.

      Será que houve mesmo o tráfico relatado na notícia jornalística? As fotos e circunstâncias parecem muito mais com uso do que com tráfico. Eram dois estudantes universitários, mas pela foto não iriam colher grande coisa com estas plantas.

      E aí, você vai ficar parado? Vamos reagir, chega de prisões! Cultivador para consumo próprio não é traficante!

      Confira a reportagem de hoje do Correio Braziliense.

      Polícia encontra estufa de supermaconha e detém estudantes na 710 Norte

      Uma estufa era usada para manter a “horta” dentro do apartamento
      A Polícia Civil encontrou uma estufa de maconha e Skunk, um tipo de “supermaconha”, em um apartamento na Quadra 710 Norte nesta segunda-feira (7/1). Dois estudantes universitários foram presos em flagrante por tráfico nacional e internacional de drogas: Felipe Gabriel Vieira Frete, 18 anos, e Igor José Bento Barbosa, 22. Na manhã desta terça-feira (8/1), a polícia divulgou as imagens da apreensão.
      Uma equipe da polícia recebeu denúncia anônima de vizinhos do apartamento que servia de estufa. Os moradores se queixavam cheiro de maconha no local. Eles também informaram que conseguiam ver as plantações pela fresta da porta. Policias fizeram campana e constataram a existência da estufa.


      Segundo o delegado da 2ª Delegacia de Polícia (DP), Rodrigo Pires, no apartamento foram encontrados quatro vasos de maconha, uma planta de maconha já seca (pronta para o consumo), um vaso com uma planta grande de Skunk (aproximadamente 1m de altura), fertilizantes e um sistema de iluminação e ventilação artificial.
      A dupla importava sementes de Skunk da Holanda. O fato foi comprovado quando policiais encontraram um envelope com o nome de Igor como destinatário, com selos da Holanda, no interior do apartamento. No envelope estavam dois tubos com sementes variadas de Skunk, um tubo da espécie Big Bang, e outro de Jack Herer.
      Quando a polícia chegou ao apartamento, não encontrou Felipe e Igor no local, apenas um homem que limpava a estufa. Este homem levou a polícia aos traficantes. Felipe foi preso ainda na Quadra 710 Norte, já Igor na QE 15 do Guará II.
      A polícia ainda levou à delegacia Rodolfo Romano Alves, 21 anos, que estava com Igor no Guará. Ele confirmou para o delegado que havia comprado uma porção de maconha com Igor.
      O Skunk, droga apreendida pela polícia durante a operação, que pode ser produzido em laboratório, é considerado um entorpecente sofisticado. Segundo o delegado, um quilo da droga custa R$ 20 mil.
      Felipe e Igor estão presos na 2ª DP (Asa Norte) e aguardam a remoção. Eles podem pegar pena de cinco a 15 anos de reclusão.

      Fonte: http://www.cannacerrado.org/2013/01/policia-encontra-estufa-de-supermaconha-e-detem-estudantes-na-710-norte/

      http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2013/01/08/interna_cidadesdf,342960/policia-encontra-estufa-de-supermaconha-e-detem-estudantes-na-710-norte.shtml




      Putamerda, denovo não!
    • Por mettalph
      Daqui a algumas horas, será realizado debate na Biblioteca Nacional de Brasília. O debate abordará políticas sobre drogas. Confira!

      Ex-integrantes de quatro facções do narcotráfico do Rio de Janeiro (Comando Vermelho, Terceiro Comando, ADA e milícias), hoje atuantes em projetos sociais, e representantes da Polícia se reúnem no próximo dia 12 de dezembro, às 17h, no auditório da Biblioteca Nacional, em Brasília, para um debate inédito na capital. O projeto COMANDOS pretende promover um diálogo franco sobre o tráfico e as possibilidades de superação, envolvendo jovens e estudantes.

      Mediado pelo coordenador executivo do AfroReggae, José Junior, o debate reunirá o Coronel Robson (Chefe do Estado Maior Geral da Polícia Militar); José Magalhães (Inspetor da Polícia Civil); Sargento Dantas (BOPE); Francisco Testas/Tuchinha e Roseli Costa (ex-Comando Vermelho); Washington Rimas/”Feijão” (ex-Terceiro Comando); João Paulo (ex-ADA) e Robson Holmes (ex-milícia)

      A proposta do evento itinerante, já realizado no Rio de Janeiro, em São Paulo, Niterói e São Gonçalo (RJ), é colocar frente a frente personagens que protagonizaram embates do tráfico para relatarem suas experiências pessoais de superação, as histórias de criação dessas facções, a dinâmica adotada pelos grupos e as principais diferenças entre eles.

      No COMANDOS, visões de mundos opostos se unem pela crença na educação e na transformação social, a partir de histórias de vida que contribuem para a formação de uma consciência crítica. Os debates também auxiliam em decisões responsáveis, criando possibilidades de discernimento e melhor perspectiva de futuro. Para a UNESCO, uma das organizadoras do evento, é muito importante mostrar que é possível “aprender ao longo da vida”, contando historias de superação e de construção de novos caminhos.

      Os ex-integrantes das facções, que estarão no debate, participam de projetos sociais do AfroReggae e vêm estabelecendo um diálogo, que somente se tornou possível com um trabalho social sólido e o desejo de transformação. Essas experiências mostram que a crença na transformação social e a oferta de alternativas de futuro, distintas da realidade do crime e da violência, são componentes essenciais para a mudança de histórias de vida em lugares marcados pela exclusão.

      O evento está sendo organizado em parceria pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), o programa Jovem de Expressão/Caixa Seguros e o Grupo Cultural AfroReggae com o apoio do Ministério da Justiça e da Secretaria de Cultura do Distrito Federal/Biblioteca Nacional.

      Em 2013, o Comandos será realizado no Rio Grande do Sul em parceria com a Secretaria Estadual de Segurança e o banco Santander.

      Texto: Isabel de Paula e Ana Lúcia Guimarães/Unesco Brasil



      Fonte: http://www.cannacerr...oteca-nacional/
    • Por Ratoconha
      Policiais Militares avistaram plantas penduradas próximas a janela.
      Morador disse ser estudante da UnB e afirmou ser usuário da droga


      Um homem de 33 anos foi preso em flagrante na noite desta quinta-feira (18) por cultivar sete plantas de maconha em um apartamento na quadra 412 Sul, em Brasília. Ele disse ser estudante de pedagogia na Universidade de Brasília (UnB) e afirmou que o produto era para consumo próprio.
      A prisão foi feita por policiais militares que procuravam um traficante que teria vendido maconha para jovens abordados na noite desta quarta (17) enquanto consumiam a droga na 309 Norte. De acordo com o soldado Alexander Bernau, do 3º Batalhão da Polícia Militar, as plantas podiam ser avistadas debaixo do prédio onde o suspeito morava.
      “Enquanto procurávamos o traficante, conseguimos ver os sete vasos de maconha no terceiro andar de um prédio, pendurados perto da janela de um apartamento”, disse Bernau. Segundo ele, os policiais encontraram a portaria do edifício aberta e entraram no apartamento com autorização do morador, após tocarem a campainha.
      “Ele abriu a porta e sentimos o cheiro da fumaça de maconha. Dissemos que vimos uma planta que parecia ser da droga e ele confirmou, dizendo que é usuário. Havia inclusive um cigarro de maconha aceso perto do computador. Ele estava tranquilão”, declarou.
      Às 20h45, o caso estava sendo registrado na 1ª Delegacia de Polícia. O homem não tem passagem pela polícia. Além das plantas, a polícia encontrou material fertilizante no apartamento. Não foi encontrada balança de precisão no local.
      fonte G1 DF link http://glo.bo/Tzv6YM






×
×
  • Criar Novo...