Ir para conteúdo
Growroom

75% Da População É Contra A Legalização Da Maconha


Recommended Posts

  • Usuário Growroom

Algum consultor poderia sanar esta dúvida, e os apoiadores da ideia, poderiamos nos organizar fazer uns panfletos ou mini jornais com tudo que é informação sobre o tema.

Padronizando as informações acho que ficaria show.

Embarco nessa caminhada se tiver mais apoiadores que queiram realmente disseminar tais informações.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Respostas 50
  • Created
  • Última resposta

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

100% dos growers CAGAM pra essa estatistica.

A chamada da notícia poderia ser assim: "75% da população brasileira não se importa com os males causados pela proibição da maconha" "Uma pesquisa recente mostra que 75% da população brasileira

O estado democrático é para todos... Quando o estado democrático obedece apenas as vontades da maioria, temos uma ditadura da maioria. Na ditadura da maioria, a minoria vira escravo. Os gover

  • Usuário Growroom

População brasileira é contra a descriminalização, contra a legalização, mas é a favor da construção de mais presídios, a favor de uma policia violenta, a favor de execução sumária de bandidos, a favor da pena de morte, a favor do Lula e dos mensaleiros, a favor da redução da maioridade penal e todas essas merdas que só contribuem para aumentar as diferenças sociais. Povo brasileiro não está preparado culturalmente para votar nenhum tipo de referendo. Que o STF nos salve ou que a ONU derrube a convenção de drogas.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Apologia não é!

Mas tenho minhas duvidas sobre a necessidade de convencer a maioria!

Na realizade não queremos convencer a maioria, até porque quem decide a parada é o STF .

Digo informar um pouco o pessoal do que realmente é a cannabis.

Beneficios e maleficios, porque so se fala mal da cannabis nessa midia escrota.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

População brasileira é contra a descriminalização, contra a legalização, mas é a favor da construção de mais presídios, a favor de uma policia violenta, a favor de execução sumária de bandidos, a favor da pena de morte, a favor do Lula e dos mensaleiros, a favor da redução da maioridade penal e todas essas merdas que só contribuem para aumentar as diferenças sociais. Povo brasileiro não está preparado culturalmente para tomar nenhum tipo de referendo. Que o STF nos salve ou que a ONU derrube a convenção de drogas.

sem informação CORRETA, vai continuar como esta, e jogar nas mão do STF e ONU é sentar de braços cruzados e querer mudança.
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

aposto de que desses, 75% que nao quer a legalização , vários bebem conpulsivamente, ou usam mias de um tipo de droga....

alem disso daqui a uns 15 anos 75% da população brasileira, estará com doenças graves por conta dos agrotoxicos ...refrigerantes...bebidas alcoolicas...cigarro...e poluição do ar....e daqui amesmo 15 anos é quando a cannabis vai estar salvando curando esses idiotas que nao queriam a tal legalização da erva....

e desde quando o destino dessa nação estiver na mao dos empresários financiadores do "estado"(eles representam menos de 5 % da população)...a AMBEV vai lutar co todas as forças pra nao liberarem a cura das nações...

JAH está no comando! e a erva será LEGALIZADA nas lei humanas, pq na lei de JAH ela é extremamente LEGAL....e nós sabemos quanto ela é legal...

  • Like 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

sem informação CORRETA, vai continuar como esta, e jogar nas mão do STF e ONU é sentar de braços cruzados e querer mudança.

Mas eles que possuem o poder para mudar algo. Mesmo com toda essa mudança que teve com relação a Cannabis pelo mundo, o povo brasileiro continua preconceituoso, e além disso é preguiçoso, pois não se mexe para aprender algo novo. Ciência nunca foi prioridade aqui. O ativismo tem que continuar, mas se a ideia é convencer a maioria da população, não vão alcançar exito tão logo, vão ser anos e mais anos, ai quando o mundo inteiro já estiver legalizado e culturalmente aceitando a maconha, ai sim a população brasileira começa a mudar de ideia. O foco tem que ser a informação, mas também pressionar a justiça para que se cumpra nossos direitos garantidos constitucionalmente.

Não sou ativista, no máximo posto coisas no meu facebook e discuto com as pessoas que tenho contato e mesmo assim enfrento uma resistência terrível, até mesmo de maconheiros desinformados, imagino o povo ativista que mete a cara na ruas e talz. Espalhar a informação e exigir nossos direitos, ao meu ver, é o caminho.

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Engraçado e que a enquete do site da STf, que deu 80% a favor não valia devido a credibilidade da amostragem, agora essa é vale sem nem falar da amostragem pesquisada e tal!

Mas acho que a proporção é essa mesma, por isso o ativismo é importante para diminuir, e acontecer que nem nos estados unidos que a dez anos era essa faixa e hoje já estamos no 50/50!

Todo mundo que vem falar sobre o assunto tento convencer do contrario e é isso que cada um de nos devemos fazer!

  • Like 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Na minha opinião, seria uma boa o pessoal procurar informar a população, já que é óbvio que a mídia não vai fazer isso por nós, pelo menos enquanto ela for patrocinada por quem quer ver a canabis ilegal, ja foi falado anteriormente no tópico sobre fazer folhetos e distribuir por aí, se fizéssemos em um tamanho reduzido o texto, procurando informar o que pode interressar a população, como tratamento ao cancer, baixa taxa de vicio, entre outros fatores pró-maconha, isso vai gerar questionamentos, e as pessoas irão comentar sobre, o folheto deve ser pequeno pra não ser uma leitura maçante, e também por economia e rendimento, se desse para botar 6 folhetes em uma folha a4 e cada impressão é R$0,10 centavos, com um real o ativista imprime 60 folhetos e vai distribuindo ou largando debaixo das portas das casas, e algo do tipo no rodapé: ''se você duvida da veracidade dessas informações, procure na internet tais documentarios, ou até um link para uma pagina que reúne informações sobre a canabis, minha idéia seria essa, já que os maconheiros que eu conheço aqui na city, não exitariam em dar um rolé depois das 18 hrs, largando folheto debaixo de porta das casas.

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Pra mim essas pesquisas e essas estatísticas simplesmente não valem de nada. A maioria da galera que fuma não admite, fuma escondidinho, e não é só porque ta sendo pesquisado que vai mandar a real. Pelo menos metade de quem eu conheço fuma ou já fumou maconha.

O dia que legalizar, e ninguém mais tiver do que ter vergonha, aí sim talvez tenham estatísticas mais próximas da realidade.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Pesquisa é piada! E a maioria não é padrão pra nada!

Quase metade dos paulistanos ‘absolve’ PM que participa de grupo de extermínio

O Globo

SÃO PAULO – Pesquisa Datafolha divulgada neste domingo mostra que 43% dos paulistanos não acham que um policial que participasse de um grupo de extermínio deva ser punido. A pesquisa retrata o estado da população da capital após a onda de violência que começou em junho e se intensificou em outubro e novembro. O levantamento, feito na última quinta-feira, ouviu 1.082 paulistanos. O percentual que defende a prisão desse policial é ligeiramente inferior em relação aos que defendem a impunidade - 40%. Para 11%, ele deveria ser expulso da polícia, mas não preso.

A pesquisa também mostra que o medo de andar à noite nas ruas de São Paulo mais do que dobrou em cerca de três meses. Na última quinta-feira, 61% diziam se sentir muito inseguros com caminhadas noturnas no bairro onde moram. Em agosto, o índice era de 26%. Em 2008, era de 20%.

Apenas 11% dos paulistanos afirmam se sentir muito seguros ao andar à noite. Em 2012 e 2008, esse índice era o dobro do atual (19% e 21%, respectivamente).

A pesquisa mostra também que notícias de toques de recolher já foram ouvidas por 44% dos paulistanos. Na Zona Norte, esse índice chega a 54%.

A fonte da onda de violência são as facções criminosas ou bandidos, segundo 34% dos paulistanos.

Para 17%, trata-se de um acerto de contas entre criminosos e polícia. Só 5% consideram que uma facção criminosa dirige os ataques.

O percentual é idêntico ao dos que dizem que os homicídios decorrem de vingança de criminosos por causa da morte de membros de facção criminosa.

Para 18%, foi o governo que motivou os ataques por desleixo ou falta de controle. Os mesmos 18% põem a culpa na falta de estrutura policial, baixos salários ou ausência de um planejamento estratégico por parte da polícia.

A corrupção policial em geral é apontada como o principal motivo dos ataques para 18% dos paulistanos.

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

eu acho isso preocupante... nao adianta falar q a maioria eh burra, q nao estao nem ai. Se esse quadro nao mudar, como agente vai conseguir a legalizacao? Xingar todo mundo de burro e virar as costas eh facil.... Eu nao entendo mto, mas no final da discucao pra legalizacao, isso nao vai a juri popular no final? Se 75% nao concorda, nos estamos FODIDOS.... eae?

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

eu acho isso preocupante... nao adianta falar q a maioria eh burra, q nao estao nem ai. Se esse quadro nao mudar, como agente vai conseguir a legalizacao? Xingar todo mundo de burro e virar as costas eh facil.... Eu nao entendo mto, mas no final da discucao pra legalizacao, isso nao vai a juri popular no final? Se 75% nao concorda, nos estamos FODIDOS.... eae?

A situação do Brasil é diferente dos Estados Unidos, lá os Estados tem autonomia garantida pela Constituição, mesmo que infrinjam lei federal.

No Brasil os Estados não tem poder para serem, de certa forma, independentes. O primeiro passo foi dado no sentido da reforma do código penal, onde o uso e pequena posse de drogas seria descriminalizado. Acredito que o projeto de lei sofra mudanças após todos esses acontecimentos mundiais e esse projeto de lei não precisa de um referendo ou aprovação popular.

Temos também a possibilidade do STF julgar inconstitucional o artigo 28 da Lei de Drogas, o que seria equivalente a descriminalizar. (É a solução mais prática, rápida e fácil de acontecer, na minha opinião)

Quando isso acontecer, haverá um vácuo jurídico, onde é permitido o consumo, mas ainda não o comércio, então terão que legisilar sobre esse tema, pois senão seria uma medida vazia que não mudaria em nada a situação visto que os produtores e vendedores continuariam sendo presos da mesma forma que são hoje.

Opinião pública não muda muita coisa não, visto a quantidade de Leis absurdas aprovadas e que contrariam a vontade da maioria.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Não precisa ir longe pra ver que essa pesquisa faz sentido sim, fora do seu círculo canábico, já tentou falar de legalização de drogas com alguém? Eu não conheci nenhuma pessoa que não possua nenhum tipo de conhecimento de causa que apoie a descriminalização e a regularização. Existe uma diferença (ou a falta de pensamento) muito grande de pensamento com as pessoas ligadas a causa e aquelas que só conhecem as drogas pela televisão.

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Não precisa ir longe pra ver que essa pesquisa faz sentido sim, fora do seu círculo canábico, já tentou falar de legalização de drogas com alguém? Eu não conheci nenhuma pessoa que não possua nenhum tipo de conhecimento de causa que apoie a descriminalização e a regularização. Existe uma diferença (ou a falta de pensamento) muito grande de pensamento com as pessoas ligadas a causa e aquelas que só conhecem as drogas pela televisão.

Cara, 75% é muita coisa camarada, é quase uma unanimidade, no futebol seria um "chocolate". Ligue seu senso crítico e olhe ao redor: tem maconheiro pra cacete no Brasil.

Vou tentar explicar rapidamente: vamos supor que uma pesquisa ouça 100 pessoas. Na localização, os realizadores da pesquisa colocam, por exemplo, São Paulo, que podemos considerar bastante "abrangente". Mas aí é que entra a malandragem. Eles podem enviar os pesquisadores para locais de São Paulo onde existe uma previsibilidade das respostas, por exemplo, na porta de templos evangélicos, onde as respostas dos fiéis sempre serão negativas a assuntos polêmicos como maconha, aborto, etc. Essa fórmula é usada em todos os tipos de pesquisa, por isso, duvide muito delas.

Mas concordo com vc, existe ainda muita ignorância sobre o assunto. Acho que, neste momento, cabe a nós difundirmos a verdade.

  • Like 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Não precisa ir longe pra ver que essa pesquisa faz sentido sim, fora do seu círculo canábico, já tentou falar de legalização de drogas com alguém? Eu não conheci nenhuma pessoa que não possua nenhum tipo de conhecimento de causa que apoie a descriminalização e a regularização. Existe uma diferença (ou a falta de pensamento) muito grande de pensamento com as pessoas ligadas a causa e aquelas que só conhecem as drogas pela televisão.

Bem assim mesmo.

As vezes estou lendo no fórum as notícias, as ideias da galera e tal... Daí quando volto para o 'mundo real' e vou falar com alguém que não tem conhecimento da causa e só sabe o que a mídia mostra, fico extremamente desapontado.

Outro dia tive de ouvir que se liberaram a marcha da maconha podia fazer então a marcha do homicídio. Veja se tem cabimento esse tipo de comparação...

Mas é isso que a mídia vende, é isso que o povo engole e é isso que atrasa a legalização, por que ninguém vai querer que o filho "comece a usar maconha e vai parar numa cadeia por roubar pra manter o vício no crack", como a mídia diz...

Até entre maconheiros há MUITA desinformação ainda, quem dirá entre caretas.

É triste, mas é a verdade. O negócio e disseminar a informação por onde a gente passa.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Moçada,

75% dos entrevistados não apoiam... não quer dizer que 75% da população não apoie. O estudo aponta o uso de pouco mais de 4600 questionários. Dá pra correlacionar 190.000.000 de pessoas em 4.600? Eu acho BEM difícil (acho, não procurei nada sobre validade de amostras populacionais porém com certeza há consenso sobre isso). Pesquisador da UNIFESP foi no coração de Heliópolis pra preencher questionário? Duvido. Então não basta ver a quantidade, tem que ver a estratificação social COMPLETA, quebrada em faixas etárias, etnias, classes profissionais... cara, é tanta característica pra poder traçar um paralelo à população brasileira que somente a dispersão geográfica e as quantidades não dizem muita coisa.

Engana o povo, iletrado, que segue pra onde a Globo aponta e acredita em tudo que é escrito/publicado.

Duvido de qualquer estudo da UNIFESP (toda generalização é erro, mas tá foda)! Minha irmã é Terapeuta Ocupacional e faz uma pós na UNIFESP sobre saúde mental e nós tivemos uma conversa depois de umas aulas dela sobre drogas e saúde mental. Ela não conhecia, por exemplo, o sistema endocanabinóide e reforçou que nosso cérebro só possuía neuro-receptores para opiáceos. Dá pra acreditar? Posso até estar equivocado sobre os receptores, mas desconhecer anandamida e companhia, pera lá! Cadê a credibilidade?

Resumindo: estatística e citações a estudos devem, sempre, vir seguidas de fontes e devemos analisá-la com critério antes de assumir como verdade. Tiremos nossas próprias conclusões... pesquisa tendenciosa, pra cima de mim, não!

Abraz

  • Like 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Concordo Gabe, principalmente vindo da banda do Laranjeira, mas falo pelos exemplos que acontecem comigo, até mesmo algumas pessoas (várias) que fumam maconha são contra a legalização, sempre usando o velho argumento que vai virar zona e blá blá blá.

Pode não ser que chegue a 75% da população, mas ainda sim os caretas são maioria.

Vi um texto bem interessante no Facebook esses dias, pena que não estou localizando agora, mas falava sobre o preconceito de que usuário de droga ilícita é automaticamente visto como um marginal dependente, que não faz porra nenhuma de útil da vida e que não tem direito a opinião por não saber o que está fazendo ou falando, ou seja, maconheiro não tem direito a opinião, se você é a favor da descriminalização e regularização, automaticamente você se torna uma pessoa sem direitos.

Triste realidade, sorte que hoje temos a internet pra disseminar a informação de uma forma mais rápida, prática e abrangente.

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...

×
×
  • Criar Novo...