• ×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

      Only 75 emoji are allowed.

    ×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

    ×   Your previous content has been restored.   Clear editor

    ×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por rauzito léo
      Bom dia! Estou queimando neurônios com isso... Rs
      Estive pensando em reunir uns amigos, e bater um documento onde me alto declaro simpatizante e consumidor . Onde os amigos assinem e testemunhem registrado  cartório e se possível lançar um edital no jornal da cidade avisando no cantinho. Tudo isso para que se vier a rodar, tenha em mãos documentos que comprovem que cultivo como usuário. É receba pena branda. Evitando possível confusão em me tratarem como traficante. Oque acham? Deve funcionar?
       
    • Por MeLasquei
      Policia prendeu casal com 50 pés de maconha em casa, em Colatina -ES.
      Por ordem da justiça o casal vai responder por uso e não tráfico.
      Minha leitura pra essa situação é que imediatamente o cara acionou um Advogado que deve ter ido até o juiz de plantão na cidade já articulando pra nem dar tempo do delegado fichar eles por tráfico.
      Acho importante quando se planta deixar um Advogado já pre avisado da situação.
      Agora 50 pes de maconha, cidade de interior e não ficarem preso já acho um bom sinal.
      Veja link: http://www.gazetaonline.com.br/_conteudo/2016/05/noticias/cidades/3945693-medico-e-dentista-sao-detidos-com-plantacao-de-maconha-em-apartamento-em-colatina.html
    • Por diegogskt
      A pedido do delegado chefe da 17ª SDP de Apucarana, José Aparecido Jacovós, o juiz da 2ª vara criminal de Apucarana, Dr. Jose Roberto Silvério decretou a prisão preventiva do empresário Ivo Grossi Maia, 31 anos.
       
      Segundo informações obtidas junto a  Polícia Civil, Ivo seria um dos donos da sofisticada plantação e cultivo de maconha em um apartamento no centro de Apucarana.
      Na noite da quarta-feira (6), uma equipe do serviço reservado da Polícia Militar (P2), após receber denúncia localizou estrutura sofisticada de cultivo de maconha em um apartamento na Rua Tamandaré na área central de Apucarana. Após a polícia ficar próxima ao local por cinco horas, não foi possível localizar o dono da plantação.
      Na residência os policiais encontraram estruturas de cultivo de alto custo, 59 vasos com mudas da planta,  além de parte da droga sendo desidratada em caixas, 180 sementes importadas da Holanda, outras 214 sementes, além de 126,82 gramas de sementes em processo de secagem e três porções de maconha (33) gramas já prontas para a venda. Havia ainda insumos e fertilizantes para cultivo do vegetal.
      O que chamou a atenção pelos policiais foi à sofisticação nos equipamentos com tubos de ar e luzes de led para controlar a temperatura, umidade e iluminação das plantas, embalagens, a droga já saia pronta para consumo.
      Esse cultivo, considerado mais nobre, sementes vindas da Holanda, com o que deve possibilitar um produto de melhor qualidade, que faz com que o valor da droga seja mais cara.
      Informações dão conta que filhos e parentes de grandes “figurões” (advogado, médico, empresário, etc.) também estejam envolvidos na associação para o tráfico. A Polícia Civil está investigando para chegar aos demais envolvidos. Ivo Grossi Maia é considerado foragido da justiça e está sendo procurado pela Polícia.
      Link da notícia e fotos: rtvcanal38
      Vídeo: youtube
    • Por Bas
      Trinta e seis pés da droga estavam sendo cultivados na favela Cerro-Corá. Material foi apreendido e homem que estava no local foi preso em flagrante.
      Fonte: Do G1  
      Assista ao vídeo aqui
      Rio Cães farejadores do Batalhão de Ações com Cães (BAC) da Polícia Militar ajudaram a polícia a encontrar uma estufa profissional pra cultivo de maconha na favela do Cerro-Cora, no Cosme Velho, Zona Sul do Rio. O caso foi mostrado no Bom Dia Rio nesta segunda-feira (25). Durante o patrulhamento, os cães levaram os PMs até uma casa na ladeira dos Guararapes. No local eles encontraram uma estufa com luzes especiais, controladores de temperatura e exaustores, onde estavam sendo cultivados 36 pés da droga. Todo o material foi levado para a delegacia de Copacabana. Flávio da Silva Coelho, de 34 anos, estava na casa e foi preso em flagrante por tráfico de drogas.
    • Por CanhamoMAN
      MPF pede prisão do ministro da Saúde por canabidiol
      10/04/2016 | 09h09min
       
      http://www.paraiba.com.br/2016/04/10/24401-mpf-pede-prisao-do-ministro-da-saude-por-canabidiol
         
       
       
       
       
       
      O Ministério Público Federal (MPF) em Marília, no interior de São Paulo, pediu a prisão do ministro da Saúde, Marcelo Castro, e do secretário estadual de Saúde, David Uip, por descumprimento de decisão judicial que determinou o fornecimento do medicamento Hemp Oil – Cannabidiol a crianças e adolescentes portadores de encefalopatia epiléptica e síndrome de lennox-gastaut.
       
      Segundo o MPF, a liminar que determina o fornecimento do medicamento está sendo desrespeitada desde janeiro. O Ministério Público destacou que há famílias sem recursos financeiros para arcar com os custos da importação do cannabidiol, e que, por conta da interrupção do tratamento, alguns pacientes voltaram a apresentar crises de convulsão.
       
      “Eles precisam do remédio, extraído da maconha, para controlar os graves ataques convulsivos, já que são resistentes à terapia padronizada pelo SUS. Relatórios médicos indicam que, sem o medicamento, a qualidade de vida dos pacientes é altamente prejudicada e o risco de a situação de alguns deles evoluir para estado de mal epiléptico e morte é alto”, informou nota divulgada pela assessoria de imprensa do MPF.
       
      Segundo o procurador da República Jefferson Aparecido Dias, autor das ações, o não cumprimento da decisão liminar representa ato de extrema gravidade em prejuízo da saúde das crianças e adolescentes.
       
      “Tendo em vista a insistência daqueles que respondem pela União e pelo estado de São Paulo, que até o presente momento continuam agindo de forma atentatória à jurisdição, cabível a prisão como meio coercitivo para o cumprimento do provimento jurisdicional, qual seja a entrega do fármaco cannabidiol aos tutelados nas ações civis públicas”, afirmou o procurador, de acordo com a nota do MPF
       
      O Ministério da Saúde e a Secretaria de Saúde de São Paulo foram procurados, mas não se manifestaram sobre o caso até a publicação da matéria.