sano

Los Angeles Reverte Decisão De Proibir Venda De Maconha Medicinal

Recommended Posts

Los Angeles reverte decisão de proibir venda de maconha medicinal

O Conselho Municipal da cidade americana de Los Angeles revertou a sua própria decisão tomada há pouco mais de dois meses, de proibir lojas que vendiam maconha medicinal.

Em julho, representantes do conselho aprovaram por 11 votos a 2 a decisão de proibir pontos de venda de maconha na segunda maior cidade do país.

Mas apesar de os locais que vendem a erva terem autorização para seguir funcionando pelas leis do Estado da Califórnia, eles enfrentam o risco de serem fechados por autoridades federais americanas.

O consumo de maconha, mesmo que para fins medicinais, segue sendo ilegal nos Estados Unidos.

Lojas que vendem maconha proliferaram em Los Angeles nos últimos anos. E muitos levantam dúvidas sobre a verdadeira natureza dos estabelecimento, sob o argumento de que usuários usam recursos escusos para obter receitas médicas.

BBC - http://www.bbc.co.uk/portuguese/ultimas_noticias/2012/10/121003_losangeles_maconha_bg.shtml

  • Like 8

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

L.A. repeals its ban on pot stores

The 11-2 vote to rescind the measure approved in July leaves the city with no law regulating about 1,000 medical marijuana dispensaries.

After struggling for years to regulate storefront pot shops, the Los Angeles City Council retreated Tuesday, voting to repeal the carefully crafted ban on medical marijuana dispensaries it approved a few months ago.

The move shows the political savvy of the increasingly organized and well-funded network of marijuana activists who sought to place a referendum overturning the ban on the March ballot, when the mayor and eight council seats will be up for grabs.

It also leaves Los Angeles, once again, without any law regulating an estimated 1,000 pot shops, which some describe as magnets for crime and others call a source of relief for those who are desperately ill.

The council's 11-2 vote came after an impassioned plea from Councilman Bill Rosendahl, a medical marijuana patient who is fighting a rare form of cancer. Looking gaunt and speaking in a faint voice, Rosendahl asked his colleagues how sick patients like him would be able to acquire the drug if the ban remained in place.

"Where does anybody go, even a councilman go, to get his medical marijuana?" he said.

Like other cities in California, Los Angeles has strained to find a way to balance the state law that permits medical marijuana against federal statutes that continue to make its sale and use a crime. Federal officials recently launched a crackdown on pot dispensaries in the city, leading one council member to suggest that any regulation is beyond L.A.'s control.

"That is our relief," Councilman Jose Huizar said of the federal crackdown, which included raids on several dispensaries last week in Eagle Rock, Boyle Heights and other neighborhoods. Dozens of other pot shops received letters ordering them to close within two weeks.

But council opponents of dispensaries said they would try to find other ways to shut down marijuana shops by using laws that are already on the books. Immediately after the vote, Councilman Mitchell Englander called on the city to prosecute medical marijuana businesses for violating zoning laws because they are not on the city's list of approved land uses.

In another motion Tuesday, exasperated council members called on the Legislature "to address the inadequacies of state law." Council members asked for clarity on what municipalities can do to regulate dispensaries and called for stricter regulations of physicians who provide medical marijuana recommendations. They also said patients should be required to demonstrate six months of medical history to obtain recommendations.

The city's ban was enacted in July by council members who complained that neighborhoods were being overrun by dispensaries. It called for storefront marijuana sales to be outlawed, but allowed small groups of patients to cultivate and share the drug on their own.

The ban was the last in a string of ordinances the council has adopted since 2007, when the city imposed a moratorium on dispensaries. A loophole in the first law allowed hundreds of new pot shops to proliferate.

Subsequent ordinances have generated more than 100 lawsuits from dispensary operators and others, according to the office of City Atty. Carmen Trutanich.

Many medical marijuana activists say they agree that there are too many dispensaries, and have asked for regulation. They have called on the city to enact an ordinance supported by Rosendahl and Councilman Paul Koretz that would allow pot shops that opened before the 2007 moratorium to remain.

Tuesday's repeal of the ban marked a major victory for the coalition of marijuana activists who came together to put the referendum on the ballot. The effort was led by an advocacy group called Americans for Safe Access, a group of dispensaries called the Greater Los Angeles Collective Alliance and the United Food and Commercial Workers, Local 770, which has organized workers at more than 50 dispensaries.

By collecting tens of thousands of signatures to qualify the referendum, the activists forced council members to decide whether to rescind the ordinance or put the matter on the March ballot.

Huizar said he believes medical marijuana proponents would have put up a lot of money to fund the referendum to "protect their profits."

"They have attorneys, they have lobbyists, they have unions," he said.

Huizar accused opponents of the ban of using patients "as a pretense," and said most people who obtain medical marijuana from stores are recreational users.

The council heard from several people during Tuesday's meeting who insisted that medical marijuana had been invaluable in helping them cope with their medical problems. None was more effective than Rosendahl.

The 67-year-old councilman began taking medical marijuana a decade ago to manage neuropathy, a stinging pain in his feet. He told council members that he used the drug "occasionally at night" until he was diagnosed with ureteral cancer three months ago. The drug has helped him during chemotherapy, he said.

He criticized President Obama's handling of the medical marijuana issue and spoke against some of the recent federal raids of dispensaries. "If I can't get marijuana, and it's medically prescribed, what do I do?" he said.

Because the vote was not unanimous, the repeal will come back for a second vote next week.

LA Times - http://www.latimes.com/news/local/la-me-marijuana-ban-20121003,0,5172705.story

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

esse lance de vai volta, entra e sai, me parece com "uma outra coisa" que há muito tempo estão fazendo com os maconheiros

lógico que se tratando de USA o dinheiro / economia ta envolvida nisso;;; opa

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Chega pra lá com esse pessimismo LostSkuiX, é por pressão de países da América Latrina que a ONU está disposta a iniciar o debate no âmbito internacional, o Uruguay está prestes a lançar-se como o primeiro país a regulamentar completamente o ciclo de produção, distribuição e consumo de cannabis, outros países da América do Sul já se posicionaram através de suas Supremas Cortes sobre a criminalização do consumo de drogas, nós estamos prestes a fazer o mesmo.

Positividade é o canal, essa sua postura aí em nada nos ajuda, só serve para fomentar o conformismo, e de conformismo o inferno está cheio.

  • Like 10

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bem, ninguem mais quer a legalização do que nós, os grower. Mas sejamos realistas, as coisas por aqui tendem a demorar muito!

Mesmo que esse novo código não demore para sair, ele será muito restrito com relação a posse, e ainda mais restritivo quanto ao numero de plantas cultivadas.

Até lá só nos resta fazer nossa parte: trazer mais informações para o maior numero de pessoas possíveis, e ajudar os movimentos de descriminalização da canabis de maneira ativa!

E até que o grande dia chegue, o da descriminalização, temos que esperar o mais discretamente possível!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Depois que o Uruguai firmar, os outros países latinos vão seguir atras, nao pela causa, mas pelo retorno financeiro. Vide a Californua.

  • Like 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Brasil, o último país a libertar os escravos.

Brasil o primeiro país a criminalizar a maconha.

Quando eu saio do meu mundo fechadinho...e começo a conversar por aí, fico apavorado com as idéias das pessoas em relação a maconha.

Os EUA estão anos luz a nossa frente em relação a isso. Eu posso tranquilamente fumar maconha por toda a califórnia se eu quiser, plantar pequena quantidade então, liberadíssimo (imagine se preocupar apenas com a PF, sem medo da PM). SE fosse assim no Brasil, exportaríamos Maconha para toda América latina por que não teria como segurar...

E aqui no Brasil? KKKK

Nossa sociedade precisa amadurecer muito, para depois votar em políticos maduros (que são apenas o reflexo de nossa sociedade), para depois, por influencia de nossos colonizadores, regulamentarmos a erva.

Sobre positivismo ou pessimismo...isso é jogo de palavras...A realidade não se importa com essas coisas...

É muito fácil jogar para a torcida e escrever tudo que os outros gostariam, mas meu compromisso é com a verdade.

Gostaria muito de estar errado.

  • Like 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito bom!!!!

E que o nosso irmão Uruguai siga em frente abrindo o caminho!!!!

Cultivo caseiro da cannabis medicinal é a solução!!!

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Esse é o caminho.

Pessimismos à parte, é importante ficarmos ligados em todas as frentes sendo trabalhadas que mudarão drasticamente a visão sobre a cannabis no Brasil.

Entre elas:

- Votação em Novembro para a legalização da Cannabis para uso recreativo nos estados americanos: Oregon, Colorado e Washington

- Pressão dos países Latino Americanos sobre a ONU pelo novo enfoque da política de drogas

- Campanha Nacional "É preciso mudar" pela nova lei de drogas

- Novo código penal prevendo a descriminalização

- Recurso Extraordinário a ser votado no STF que analisará se a lei de entorpecentes pode criminalizar o usuário (inconstitucionalidade de lei)

- Adesão de cidades e pessoas nas Marchas da Maconha em todo o país, cada vez maior

- Expansão de empresas e veículos explorando o mercado canábico, levando informação e cultura para a população: Pot In Rio, SemSemente, etc ...

O caminho está traçado. A velocidade de caminhar depende de cada um.

  • Like 5

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Visitante

Brasil, o último país a libertar os escravos.

Brasil o primeiro país a criminalizar a maconha.

Quando eu saio do meu mundo fechadinho...e começo a conversar por aí, fico apavorado com as idéias das pessoas em relação a maconha.

Os EUA estão anos luz a nossa frente em relação a isso. Eu posso tranquilamente fumar maconha por toda a califórnia se eu quiser, plantar pequena quantidade então, liberadíssimo (imagine se preocupar apenas com a PF, sem medo da PM). SE fosse assim no Brasil, exportaríamos Maconha para toda América latina por que não teria como segurar...

E aqui no Brasil? KKKK

Nossa sociedade precisa amadurecer muito, para depois votar em políticos maduros (que são apenas o reflexo de nossa sociedade), para depois, por influencia de nossos colonizadores, regulamentarmos a erva.

Sobre positivismo ou pessimismo...isso é jogo de palavras...A realidade não se importa com essas coisas...

É muito fácil jogar para a torcida e escrever tudo que os outros gostariam, mas meu compromisso é com a verdade.

Gostaria muito de estar errado.

Essa é uma realidade geral para o nosso país! Concordo com muita coisa que você disse, mas, uma eu discordo veemente, quando você diz que pensar positivo ou negativo é jogo de palavra, energia positiva move o mundo, mas depende da capacidade de atrair aquilo que pensamos, você é o que você pensa.

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Essa é uma realidade geral para o nosso país! Concordo com muita coisa que você disse, mas, uma eu discordo veemente, quando você diz que pensar positivo ou negativo é jogo de palavra, energia positiva move o mundo, mas depende da capacidade de atrair aquilo que pensamos, você é o que você pensa.

Pergunte a um físico se é a energia positiva, negativa ou neutra que move o mundo...Se o somatório das energias não for igual a 0. O universo todo se desmonta.

Imagine que para você criar um morrinho de terra de 1 metro de altura...Fará um buraco de 1 metro de profundidade ao lado.

Essa coisa de pensamento positivo soa lindo ...todo mundo gosta e vende milhões de livros por que parece romântico e nobre...

Acredito que temos de fazer marcha da maconha todo o mês...Fazer acampamento na frente do congresso....Fazer força o dia todo, todos os dias...Quer saber se eu faço força? Já não posso mais frequentar a casa de meus parentes em funçaõ da minha luta. Até mesmo a casa da minha mãe não posso ir.

Se eu colocar 1.000.000 de pessoas ao lado de um tijolo fazendo pensamento positivo ele se move?

E se eu colocar 1 pessoa a move-lo? Ele se move?

Muitas vezes pensei em criar uma grande carga probatória a meu favor e me auto denunciar...Apenas para poder defender publicamente a minha posição já que sou professor universitário e provavelmente não seria visto por todos com maus olhos...Confesso que tenho medo, mas pareço já estar fazendo isso já que todo mundo sabe que planto maconha em casa..."O segredo do sucesso é o segredo", não me serve. Talvez logo pague caro por minha conduta, e com certeza pagarei sozinho.

  • Like 6

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Depois que o Uruguai firmar, os outros países latinos vão seguir atras, nao pela causa, mas pelo retorno financeiro. Vide a Californua.

Tomara eim amigo, tomara.

Pq se tem alguma coisa que realmente faz as coisas andarem é dinheiro, sempre dinheiro.....

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Brasil, o último país a libertar os escravos.

Brasil o primeiro país a criminalizar a maconha.

Quando eu saio do meu mundo fechadinho...e começo a conversar por aí, fico apavorado com as idéias das pessoas em relação a maconha.

Os EUA estão anos luz a nossa frente em relação a isso. Eu posso tranquilamente fumar maconha por toda a califórnia se eu quiser, plantar pequena quantidade então, liberadíssimo (imagine se preocupar apenas com a PF, sem medo da PM). SE fosse assim no Brasil, exportaríamos Maconha para toda América latina por que não teria como segurar...

E aqui no Brasil? KKKK

Nossa sociedade precisa amadurecer muito, para depois votar em políticos maduros (que são apenas o reflexo de nossa sociedade), para depois, por influencia de nossos colonizadores, regulamentarmos a erva.

Sobre positivismo ou pessimismo...isso é jogo de palavras...A realidade não se importa com essas coisas...

É muito fácil jogar para a torcida e escrever tudo que os outros gostariam, mas meu compromisso é com a verdade.

Gostaria muito de estar errado.

Pra mim você está errado. Acho que justamente o pessoal que foi jogado na ignorância é o pessoal que nasceu de 1950 pra cá +-....

Antes de ser proíbido era comum o pessoal que tinha mais contato com a terra plantar cannabis para males diversos ou apenas para recreação mesmo. Se você conversar com um povo velhaco que não seja carola, vai ver q não acham um bixo de 7 cabeças e podem apoiar a causa, some a isso os avanços medicinais e uma fonte de combustível renovável que na natureza se reproduz que nem praga, uso têxtil...

A regulamentação da maconha em âmbito internacional ficou estacionada por vários anos e tem dado indícios de querer avançar a bons passos, inclusive com a ajuda do nosso vizinho! Não penso que o Brasil irá legalizar assim que o Uruguai legalizar, mas com ctz após constatarem que o modelo adotado funciona e ainda projeta o país economicamente com ctz o projeto sofrerá uma séria reavaliação, ainda mais com a pressão popular que aumenta a cada ano.

Uma hr eles não vão ter o que fazer parceiro! A casa vai cair e pode ter certeza que vai ser tudo nosso! Chutando muito alto 10 anos. Se demorar menos, ótimo, mas que vai chegar em breve vai! Não querendo apelas ao idealismo, mas sem palavras melhores para o momento....precisamos derrubar o preconceito para que as pessoas se sintam livres para mostrar a cara e apoiar a causa sem sofrer retaliação em seus empregos e sua vida pessoal e quando isso acontecer e a real noção de quantos maconheiros tem nesse brasilzão vai ser só começar a semear a dona maria!!!

Na humilde, só minha opinião!

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pra mim você está errado. Acho que justamente o pessoal que foi jogado na ignorância é o pessoal que nasceu de 1950 pra cá +-....

Antes de ser proíbido era comum o pessoal que tinha mais contato com a terra plantar cannabis para males diversos ou apenas para recreação mesmo. Se você conversar com um povo velhaco que não seja carola, vai ver q não acham um bixo de 7 cabeças e podem apoiar a causa, some a isso os avanços medicinais e uma fonte de combustível renovável que na natureza se reproduz que nem praga, uso têxtil...

A regulamentação da maconha em âmbito internacional ficou estacionada por vários anos e tem dado indícios de querer avançar a bons passos, inclusive com a ajuda do nosso vizinho! Não penso que o Brasil irá legalizar assim que o Uruguai legalizar, mas com ctz após constatarem que o modelo adotado funciona e ainda projeta o país economicamente com ctz o projeto sofrerá uma séria reavaliação, ainda mais com a pressão popular que aumenta a cada ano.

Uma hr eles não vão ter o que fazer parceiro! A casa vai cair e pode ter certeza que vai ser tudo nosso! Chutando muito alto 10 anos. Se demorar menos, ótimo, mas que vai chegar em breve vai! Não querendo apelas ao idealismo, mas sem palavras melhores para o momento....precisamos derrubar o preconceito para que as pessoas se sintam livres para mostrar a cara e apoiar a causa sem sofrer retaliação em seus empregos e sua vida pessoal e quando isso acontecer e a real noção de quantos maconheiros tem nesse brasilzão vai ser só começar a semear a dona maria!!!

Na humilde, só minha opinião!

Sem problemas, discordarmos é que nos faz crescer...Mas sobre tua primeira escrita de eu estar errado..."Jamais tive a intenção de estar certo, não acredito que exista certo ou errado. Só acredito em decisões, ações e consequencias."

Eu não vejo nenhuma movimentação no Uruguai e o proprio Mujica já deu a entender que vai voltar atras...O povinho fez "Mimimi" e ele recuou. O projeto previa o começo do cultivo para Setembro/2012...Cade???

Agora se forem começar a cultivar...só em setembro do ano que vem...Ou seja....Vai se arrastando como sempre.

Quando o pessoal começa a dizer que está proximo eu lembro deste vídeo e das inumeras capas de revista que o Renato colocou estes dias no FBook. Todas as revistas datam de décadas e todas diziam que a legalização esta proxima. Muitos de voces aqui sequer eram vivos...Mas o pensamento positivo não parece estar funcionando estas décadas todas...

Mas concordo se disserem que cada dia que passa, fica mais proxima a regulamentação. Pois como diz o Velhote, não da pra sustentar uma mentira como esta para sempre.

Lembro do Carl Sagan que sou grande fã... não viveu para ver a regulamentação da maconha. Eu com 37 anos temo que o mesmo aconteça comigo.

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sem problemas, discordarmos é que nos faz crescer...Mas sobre tua primeira escrita de eu estar errado..."Jamais tive a intenção de estar certo, não acredito que exista certo ou errado. Só acredito em decisões, ações e consequencias."

Eu não vejo nenhuma movimentação no Uruguai e o proprio Mujica já deu a entender que vai voltar atras...O povinho fez "Mimimi" e ele recuou. O projeto previa o começo do cultivo para Setembro/2012...Cade???

Agora se forem começar a cultivar...só em setembro do ano que vem...Ou seja....Vai se arrastando como sempre.

Quando o pessoal começa a dizer que está proximo eu lembro deste vídeo e das inumeras capas de revista que o Renato colocou estes dias no FBook. Todas as revistas datam de décadas e todas diziam que a legalização esta proxima. Muitos de voces aqui sequer eram vivos...Mas o pensamento positivo não parece estar funcionando estas décadas todas...

Mas concordo se disserem que cada dia que passa, fica mais proxima a regulamentação. Pois como diz o Velhote, não da pra sustentar uma mentira como esta para sempre.

Lembro do Carl Sagan que sou grande fã... não viveu para ver a regulamentação da maconha. Eu com 37 anos temo que o mesmo aconteça comigo.

amigo acho que voce nao acompanhou as noticias, o cultivo no Uruguai ja começou

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

amigo acho que voce nao acompanhou as noticias, o cultivo no Uruguai ja começou

Ótimo, então estamos avançando. E talvez estejamos mais próximos que eu imaginava.

Manda a fonte da noticia aí para informar a galera...Abraços.

  • Like 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...

  • Conteúdo Similar

    • Por Eusoueu
      A legalização do uso recreativo da maconha no Estado americano de Washington (noroeste do país) está gerando a expectativa de oportunidades e lucro para muitos americanos atingidos pela crise econômica, que agora pensam em abrir lojas para vender a droga.
      Em referendos realizados em novembro passado, tanto Washington quanto o Estado do Colorado (centro-oeste do país) se tornaram os primeiros nos EUA a aprovar esse uso para a maconha. Nos dois Estados, onde o consumo medicinal já era permitido, pessoas com mais de 21 anos passaram a ter direito à posse de 28 gramas.

      Autoridades estaduais ainda não sabem a receita que será gerada pela maconha, pois o mercado nunca foi regulamentado. Mas analistas afirmam que o novo setor deve gerar até US$ 2 bilhões durante um período de cinco anos.
      E esta perspectiva não inclui mercados secundários que a maconha legalizada poderá estimular como o de turismo, agricultura e indústria alimentícia.

      Expectativa Entre os moradores de Washington que pretendem lucrar com a legalização estão Kimberly Bliss e sua parceira, Kim Ridgway.
      As duas mulheres perderam o emprego na capital de Washington, Olympia, quando o local onde trabalhavam, uma loja de venda de carne no atacado, foi vendido durante a recessão. Dois anos e meio depois, Ridgway ainda não encontrou um emprego fixo e Bliss conseguiu apenas um trabalho em meio período.
      Polícia e comunidade de Seattle têm sido tolerantes com uso médico de maconha
      Mas, com a legalização da maconha, Bliss e Ridgway agora fazem planos para abrir uma loja pitoresca no centro da cidade usando suas economias de cerca de US$ 20 mil.
      "Vou trabalhar pelo meu sonho americano que é abrir uma loja de venda de maconha", disse Ridgway. "Será um grande alívio financeiro. E temos amigos que estão com dificuldades, então isto também vai colocá-los para trabalhar."
      Entre as pessoas interessadas no novo mercado estão desde novatas como Bliss e Ridgway até os vendedores mais experientes que agora poderão sair da ilegalidade.
      Muitos negócios deste ramo já estão legalizados em Washington, sendo os mais visíveis os que vendem maconha há anos para uso médico.
      "Parte da razão para a legalização ter sido aprovada é que isto ocorre há algum tempo", afirmou o porta-voz da Diretoria de Controle de Bebidas Alcoólicas do Estado, Brian Smith.
      "Já está na hora de regular esta coisa e conseguir os lucros deste produto para o Estado."


      Sem impostos Os locais que distribuem maconha para fins medicinais surgiram e progrediram no oeste do Estado há anos, apesar de as autoridades não saberem qual a receita gerada pois, até dezembro, o uso da maconha era ilegal no Estado e permanece ilegal à luz das leis federais. Portanto, estes locais não podem ter uma conta bancária.
      Apesar disto, pelo menos 60 destas lojas que vendem maconha para fins medicinais abriram apenas na cidade de Seattle, a maior cidade de Washington.
      Shy Sadis arruma as variedades de maconha no balcão do The Joint
      Em um deste locais, conhecido como The Joint, o ambiente é mais parecido com o de um dentista de cidade pequena e não com um covil de traficantes de drogas.
      "Neste momento, patrocinamos um pequeno campeonado de futebol. Contribuímos com o Departamento de Polícia de Seattle, com (o time de beisebol) dos Fuzileiros Navais, com os Bombeiros de Seattle. Fazemos até uma arrecadação de brinquedos (para doação) todo ano", afirma Shy Sadis, gerente do The Joint.
      O local tem uma sala de espera limpa, e o comportamento dos funcionários é profissional. Mas agora a companhia quer expandir suas vendas para o terreno recreativo.
      "Seattle será uma Meca para a maconha e me orgulho de ser parte disto. Queremos pagar nossos impostos", disse Sadis.
      Muitos que já estão no mercado temem que, com a legalização, as grandes empresas tomem o mercado das pequenas iniciativas antes mesmo que elas tenham tempo de se desenvolver.
      No entanto, nenhuma grande corporação investiu diretamente neste mercado e não há previsão disso. Não antes que o governo federal decida se vai ou não tomar medidas contra o Estado de Washington por desobedecer leis federais.
      Apesar de o referendo ter aprovado o uso recreativo de maconha em novembro, em março o secretário de Justiça dos Estados Unidos, Eric Holder, disse que o governo ainda está analisando a resposta às novas leis para maconha no Estado de Washington.

      Fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/05/130508_maconha_eua_legalizacao_fn.shtml
  • Tópicos

  • Posts

    • Sei lá mano, não parece turfa pura manja ? Simplesmente não curti pra usar no 50/50, eu acabei usando o resto que eu tinha pra produzir um solo orgânico aqui e agora já ta misturada com mais mil coisas na fase de descanso.  Acho que se for usar 50/50 turfa, perlita e adubação química como os ferts mais comuns da Gh tipo linha maxi, floranova ou 3 partes, esses ferts clássicos de garrafinha vale a pena partir pra 100% coco e esquecer a turfa, talvez seja mais jogo por conta da adubação.  Agora se for usar adubação orgânica é interessante estudar e montar um solo orgânico ai o 50/50 já era pq vai entrar muito mais coisa nesse solo e não necessariamente precisa ter turfa na composição, mas se tiver não acho interessante usar a lupa como base pra cannabis       
    • Katsu ta oferecendo as seguintes geneticas, segue texto que recebi no e-mail     Here's what's available (VERY limited supply) Katsu Pupil (Katsu Bubba Kush x Star Pupil) 7 feminized seeds Bubba Pupil (Pre-98 Bubba Kush x Star Pupil) 7 feminized seeds These seeds will RETAIL for $125 EACH, but you guys can get BOTH packs (Katsu Pupil and Bubba Pupil) for $125 (+$8 priority, $133 total). If you're in Canada I can only send to you via regular mail - please allow a couple of weeks for delivery. If you want to grab the Katsu/MMS collab packs please email me at [email protected] for payment instructions - please make sure I receive the payments in 30 days. These will start shipping by Thanksgiving. Make sure you include your shipping info Stay Green Peace, KB   Go To Site
    • Vendo isso brother, você tem toda a razão.  Faz um ano e meio que estou cultivando com este substrato e tenho me perguntado porque o caule e as plantas ficaram mais magras...   por que isso?   Turfa de má qualidade...  Às vezes, como mudamos algumas coisas como local, água, fertilizante a culpa cai nestes itens...  nunca me veio na mente que poderia ser o substrato.  Pensei que era um substrato confiável.  Já comprei o Jiffy, que já usei no passado mas achei caro. Tem que gastar um pouco mais para ter melhores colheitas, certo?