Ir para conteúdo
Growroom

Guarda Prende Líder De Igreja Que Faz Apologia A Maconha Em Americana


GrowingDreams

Recommended Posts

  • Usuário Growroom

Guarda prende líder de igreja que faz apologia a maconha em Americana

Foram apreendidos 37 pés de maconha plantados na chácara.

Além do homem, outros três jovens foram levados para a delegacia.

sem_titulo-2maconha.jpg

Na chácara foram encontrados 37 pés de maconha

(Foto: Divulgação/ Guarda Municipal de Americana)

A Guarda Municipal prendeu nesta terça-feira (14) o responsável pela sede da "Primeira Igreja Niubingui Etíope Coptic de Sião do Brasil", no bairro Praia dos Namorados, em Americana (SP), por tráfico de drogas. O homem, de 53 anos, é ativista social, publicitário e faz apologia ao uso da maconha como ato religioso. Também foram detidos na chácara onde ele mora, dois jovens de 18 anos e um adolescente.

Os guardas localizaram 37 pés de maconha, alguns com cerca de 1,80m de altura. Os pés de maconha estavam plantados em caixas de leite e em canteiros na entrada da casa. Também foram encontrados em um quarto galhos da planta secos pendurados.

Segundo a Guarda, na entrada da propriedade tinha um aviso colado no portão informando o horário de funcionamento e o valor da entrada no local.

saiba mais

As apreensões no local são reincidentes. No ano passado, foram apreendidos 32 pés de maconha, o responsável pela empresa prestou depoimento e depois foi liberado. Em 2010, a Delegacia de Investigação sobre Entorpecentes (Dise) também apreendeu na igreja seis pés da planta.

Peritos do Instituto de Criminalística estiveram na propriedade para exame de constatação de drogas. A perícia da Polícia Civil vai investigar se as mudas encontradas possuem o princípio ativo da maconha que é responsável pelos efeitos da droga no organismo. O caso foi registrado no plantão policial da cidade.

sem_titulo-1maconha2.jpg

No local funciona a "Primeira Igreja Niubingui Etíope Coptic de Sião do Brasil" (Foto: Divulgação/ Gama

Fonte: http://g1.globo.com/...-americana.html

Ras Geraldinho infelizmente rodou mais uma vez, agora pelas mãos dos vermes desgraçados da Guarda Municipal que são frustrados por não ser PM e se sentem superautoridades. Quero ver eles subindo morro atrás de traficante armado de fuzil com esses 38zinhos e tasers desses filhosdaputa nobres senhores.

Alguém do Jurídico tem notícias?! Só que eu me lembre essa é a terceira vez que ele é detido com a planta sagrada, e assim que sai da delegacia começa novamente a semear, afinal a Cannabis é um dos sacramentos da Primeira Igreja Niubingui Etíope Copitic De Sião do Brasil. Liberdade Ras Geraldinho!

  • Like 7
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

De novo??

Será que não estão cansados de saber por tanto ter investigado, que os caras só usam maconha e não fazem mal á mais ninguém? Será que os policias não percebem que após fumarem as pessoas ficam mais felizes, conversam mais, riem mais...???

Pô investigadores (com certeza deve ter algum por aqui) pensem nisso quando estiver investigando alguém! Vocês sabem que "maconheiro" é sangue bom, não faz mal para ninguém. Por que tanta perseguição com esses caras que sempre põem a "cara a tapa", que têm endereço fixo e que não escondem nada o que fazem??? E o principal, que não fazem mal á ninguém??

SOMOS DO BEM PORRA!!!!!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Ceita vc ta esculachando prra...com esse respeito eh dificil cobrar mais respeito! rssss

eu sei dizer q no Santio Daime o ´pessoal conseguiu com MTO esforço, e se tratava d uma coisa no meio da floresta.... imagina assim como ele faz na cidade grande ehehehehe

Mas essa eh a luta dele. por isso q eu respeito ele. ele nao quer dinheiro, ele nao quer fama, ele quer FAZER A PARTE DELE.

TODO O RES´PEITO.

eu esculachei mas tentando esculhachar a igreja quadrangular do triangulo redondo do poder universal em cristo dos ultimos dias, nada com os Daimistas, ou outras religiões que não impõe dizimos...

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Salve Salve!!!

Eh triste ver mais um ir preso por apenas plantar o que consome.

Ele planta pra nao financiar o trafico e se fode, mas se tivesse comprado de um traficante qualquer iria so assinar termo circuntancial na delegacia.

Eh revoltante !!!

E como fazer pra ter o apoio da Consultoria Juridica do GR em casos como esse???

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

porra véi ! denovo ?

ja nao é a terceira ou quarta vez que eles vao la depredar a plantação pra fins religiosos do Ras Geraldinho ?

fala sério, eles ja nao se cansaram de levar um NAO do delegado toda vez que eles chegam la dizendo que ele é traficante ?

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Isso é revoltante, toda vez que vejo uma dessas tremo na base, é foda, mas ainda nao é legal!! Quando é que a sociedade vai abrir os olhos? Nunca né, pimenta no olho do outro é refresco! Pena que alguns nao conseguem entender que esse "outro" também é um "irmão" ou "próximo", como pregam as igrejas, e que ele é tão merecedor da tal "justiça divina" quanto eles mesmos! Ao contrário, pensam "era maconha? tem mais é que se fuder" depois fica lá com aquela cara de idiota gritando coisas e dando ouvidos a falácias de pastores e padres que enchem a cara depois do culto ou da missa...

Maconha é PECADO e é por isso que muitos de nós tem que se fuder!

Sociedade BURRA!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Só pra quem não conhece o Ras se situar, e saber um pouco mais sobre esse guerreiro leia o depoimento prestado por ele a DIse em 2010 quando sua igreja foi invadida e encontraram pés de maconha:

"Meu nome é Geraldo Antonio Baptista, de direito casado, de fato separado, sou pai de dois homens 24 e 22 anos sendo ambos cidadãos norte americanos e residentes nos Estados Unidos da América, sou nascido nesta cidade, Americana SP, no dia 30 de Setembro de 1959 na Rua Tamoio Bairro Conserva. Aos dois anos de idade minha família se mudou para a Rua Quintino Bocaiúva, nos fundos da fabrica de velas do tio Tota Camargo, no centro, onde residi até 1970. No dia 23 de dezembro de 1970 nos mudamos para a Rua Açucenas 1161 Cidade Jardim (à época o Bairro era conhecido como “Larga”), onde sou domiciliado até o dia de hoje. De 1979 a 1991 sai da cidade para trabalhar na Rede Globo de Televisão, onde trabalhei em São Paulo, Bauru, Rio de Janeiro e os últimos seis anos nos Estados Unidos da America, mais precisamente em Nova Iorque e Washington DC. Neste período fui agraciado duas vezes com o Prêmio Wladimir Herzog de Jornalismo. De 1991 até 2006 montei e fui sócio proprietário (Diretor Presidente) da Vídeo Geral Produções Artísticas Ltda., empresa de produção de vídeo profissional e programas de televisão, neste período realizei inúmeros trabalhos beneficentes, para prefeituras, clubes de serviço, inclusive trabalho secreto para o serviço reservado da respeitada Polícia Militar do Estado de São Paulo. Fui membro fundador do Lions Clube Americana Ação, assim como da OSCIP Barco Escola da Natureza e Agenda 21 de Americana. Sou Diretor de Projetos do “GRUDE – Grupo de Defesa Ecológica da Bacia do Rio Piracicaba” e Primeiro Secretário do COMDEMA – Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente. Fui gerente executivo da TV Comunitária de Piracicaba por 4 anos e sou Presidente da TV Comunitária de Americana. Hoje meu trabalho principal é de Marketing Político, onde faço trabalho de Coordenador e Diretor de Campanha. Sou o ambientalista mais ativo de nossa cidade sendo denunciante de vários crimes ambientais que geraram processos e estão em andamento dentro da Polícia Civil do Estado de São Paulo. Sou Voluntário da Polícia Militar Ambiental do Estado de São Paulo. Em 1992, adquiri o imóvel (chácara) sito à Rua Ramiro Neves 86, na Praia dos Namorados (Parque das Mangueiras) onde a 5 anos esta instalada a sede da “Primeira Igreja Niubingui Etíope Coptic de Sião do Brasil”, a qual sou “Elder” (ancião). Sou Delegado da “Primeira Conferência Nacional de Saúde Ambiental” dos Ministérios da Saúde/Meio Ambiente/das Cidades, onde apresentei moção aprovada por unanimidade dos delegados da Conferência em nome de minha Igreja para a realização de estudos para o uso medicinal e industrial da Cannabis (Maconha), pelo qual hoje faz parte das políticas públicas do Governo Federal.

Meu primeiro contato com álcool foi aos 8 anos de idade, quando ao me deparar um copo cheio de caipirinha na borda de uma mesa, acabei ingerindo todo o conteúdo do mesmo. Nunca fumei cigarro em toda minha vida, mesmo tendo pai (in memória) e irmã altamente viciados no produto. Como a maioria dos adolescentes, tive minha primeira experiência com Maconha aos 16 anos e não me interessei muito pela planta, pois eu a associava ao cigarro, além de ser de difícil acesso e pela proibição. Mas como relatado anteriormente, minha droga cotidiana de preferência era o álcool. Quando comecei a trabalhar em São Paulo, no mundo da televisão, conheci uma infinidade de drogas, das mais variadas. Algumas eu experimentei, outras não, mas a cocaina, por ser parceira ideal do álcool e socialmente muito aceita, foi a minha escolhida. Fui consumidor contumaz da cocaína até 1986, em Bogotá (Colômbia) por ocasião da visita do Papa João Paulo II, quando passei por uma overdose. Desde então nunca mais fiz uso do derivado da planta “Coca”. Faz dez anos que abandonei o vício do álcool e da carne de mamíferos. Tenho certeza que devo estas três vitórias à compreensão espiritual que minha religião me trouxe e pelo uso cotidiano da planta sagrada (Maconha).

Em toda a minha vida nunca fiz uso indevido da planta (Maconha que a Babilônia (sociedade imperialista) embargou em nome da indústria petroquímica. Nunca em toda minha vida estive envolvido com o narcotráfico. Não tenho e nem nunca tive um problema com a Justiça. Sempre cooperei com esta respeitável instituição. Sempre que precisei (denuncias ambientais) procurei ajuda e orientação na Justiça.

Com base no relatado até este momento posso afirmar que não tenho motivo para jogar a história da minha vida no lixo aos 51 anos de idade. Tenho uma enorme lista de pessoas idôneas que podem atestar estas afirmações, se e quando solicitado pelas autoridades judiciais, fornecerei a mesma. Nunca fui atraído pelo descaminho, bandidagem ou corrupção. Tenho certeza que este infeliz episódio teve origem em contenda política que relatarei mais abaixo.

Neste momento gostaria de deixar claro que o local onde os policiais da DISE entraram, sem apresentarem mandato Judicial, é uma Entidade Religiosa de direito e fato, como atestado pela certidão de funcionamento nº 453-2010 alvará da Prefeitura Municipal de Americana, com cópia do documento anexo.

Reconheço a pequena quantidade (6 exemplares) de plantas de Canabbis (Maconha) como pertencente à nossa Igreja, sendo que o uso desta “Planta Sagrada” é estritamente devido e em meu caso de cunho religioso.

O fundamento de nossa seita Rastafari é a reconhecida religião Cópita (Coptic da Etiópia), cultura ancestral que segue o Velho Testamento das Sagradas Escrituras e faz uso ritual da Canabis (Maconha). Isso está atestado em depoimento dado pela Dra. Melanie Creagan Dreher a Suprema Corte Americana. A Dra. Dreher é PhD, RN, FAAN, Diretora e Professora da Faculdade de Enfermagem na Universidade de Iowa, tem o titulo de magna da Universidade de Long Island e é doutorada em antropologia pela Faculdade de Professores da Universidade de Columbia onde completou sua dissertação com distinção. Além de seu papel como Diretora, ela tem carreira de pesquisa reconhecida como principal investigadora de vários estudos baseados em comunidades, examinando a saúde e desenvolvimento de mulheres e crianças na Jamaica. Seu testemunho judicial pode ser lido no sítio eletrônico:

http://antropologianuibingui.blogspot.com/, assim como na cópia anexa. Especificamente sobre a “Primeira Igreja Niubingui Etíope Coptic de Sião do Brasil temos os dados no sítio eletrônico: http://niubingui.blogspot.com/ sob o título: PRIMEIRA NIUBINGUI ETÍOPE COPTIC DE SIÃO DO BRASIL- A IGREJA DA GANJA “IMPORTANTE: Os textos desta pagina são os capítulos da obra, por tanto, para se obter uma compreensão global de nossa fé, é imperioso que se faça a leitura dos mesmos na seqüência original”. Pode-se conhecer mais de nossa congregação no sítio eletrônico:

Para nós Rastafaris o uso devido da planta faz parte do “Universalismo Unitário”, onde nós vemos a Canabis/ Maconha/ Cânhamo como tendo a capacidade de permitir o usuário a penetrar na “real verdade” de como as coisas são, com absoluta clareza. Por este motivo é que o Rastafari se reuni em ritual para fumar Canabis/ Maconha/Cânhamo e discutir a verdade, uns com os outros, racionalizando tudo nos mínimos detalhes que duram inúmeras seções. Desta maneira o Rastafari acredita que a Canabis/ Maconha/ Cânhamo traz seu usuário próximo a Jah (Jeová – Velho Testamento). Em nossa cultura o uso ritualístico da Canabis é Sagrado e por tanto não podendo ser vinculado a valores, isso quer dizer que em hipótese alguma é cobrado qualquer quantia para se participar do cotidiano de nossa congregação. A “Primeira Igreja Niubingui Etíope Coptic de Sião do Brasil nunca recebeu e nós nunca receberemos qualquer quantia de dinheiro para que uma pessoa participe das experiências holísticas de nossa comunidade Rastafari. A Maconha que eu uso é de minha posse e preferencialmente de pequeno plantio próprio, como pode ser comprovado pelos senhores investigadores da Polícia Civil do Estado de São Paulo, quando encontraram apenas seis pés da Planta dentro dos muros de nossa Igreja. Os Irmãos membros, freqüentadores e visitantes que participam das atividades do Tabernáculo em questão, normalmente trazem o que lhes é de direito. Prova de que não recebemos pecúlio está no fato de estarmos com o serviço de água cortado, pois estou sem condição de efetuar pagamento. Para garantir a integridade de minha instituição e minha dignidade, me vejo obrigado a dar detalhes minha vida privada que me deixa moral e espiritualmente abalado, como por exemplo o fato de eu estar perdendo parte de minha dentição por falta de dinheiro. Além do fato me envergonhar, esta vexaminosa declaração é prova de que não sou traficante como a criminosa denúncia contra minha pessoa induziu esta respeitosa delegacia e seus oficiais a fazerem juízo.

Faço uso devido da planta há mais de 34 anos, as pessoas que freqüentam nosso espaço também o fazem, mas não existe a mínima relação com o perfil de algo ligado a associação para praticas ilícitas ou criminosas. Muito pelo contrário, as pessoas que participam de nossa comunidade buscam a elevação espiritual e a integração dos povos. Aqui nós cultuamos a iluminação, o conhecimento (joão 8:32), a justiça.

Nossa congregação acredita no direito individual de escolha e não induzimos ninguém a fazer uso, mesmo que devido, pois tal como a norma legal, nós da “Primeira Igreja Niubingui Etíope Coptic de Sião do Brasil” abominamos e trabalhamos contra o uso indevido de drogas, tanto que um dos trabalhos de nossa Igreja é na área de redução de danos, uma das prerrogativas do Ministério da Saúde. Tanto não induzimos ninguém, que muitos dos frequentadores de nossa comunidade Rastafari não são usuários da Planta. Além do nosso projeto espiritual, nossa Igreja desenvolve outros projetos comunitários, tais como proteção dos animais, pois cuidamos de cães abandonados na região da Praia dos Namorados. Estamos participando junto com a Secretaria do Meio Ambiente e entidades protetoras da realização de um canil que abrigue decentemente os cães abandonados de Americana. Cuidamos de aves ameaçadas, fazendo trabalho de berçário-creche e tratamento ambulatorial. Trabalhamos na defesa do Meio Ambiente, atualmente estamos lutando contra a invasão de APP – Área de Preservação Permanente pelo Poder Público, caso que esta sendo tratado dentro do COMDEMA, estamos trabalhando na realização de um complexo Turístico na Represa do Salto Grande em parceria com a Secretaria do Meio Ambiente de Americana, para citar alguns.

Estamos, como entidade constituída e reconhecida, à disposição da justiça, para qualquer esclarecimento que se faça necessário.

Falando agora como Pessoa Física, gostaria de informar que talvez por vontade divina, eu dedique minha vida, fazem treze anos, ao estudo da Planta Sagrada “Canabis”. Sem sombra de dúvidas eu sou uma das pessoas que conhece a problemática da Maconha e as ramificações do embargo internacional da Planta Sagrada. Estudando sobre todos os aspectos: histórico, legal, medicinal, nutricional,comercial, ambiental, industrial, agrícola, entre muitos. Quando comecei a estudar o lado Religioso, à mais ou menos sete anos (mais que qualquer faculdade) eu era um árido descrente apaixonado por conhecimento, pois o que a “Babilônia” sempre me ofereceu, nunca me convenceu. Foi conhecendo a Cultura Religiosa Etíope Coptic que eu consegui vislumbrar e conhecer o verdadeiro caminho da fé e iluminação. Através do conhecimento que os africanos da Etiópia tinham sobre o Velho Testamento e que se disseminou pelas Antilhas, (assim como a Umbanda e o Candomblé no Brasil), foi que eu encontrei a explicação que precisava para verdade superior que só o Nosso Senhor Jeová, (JAH), pode nos dar. Posso afirmar que o meu relacionamento com a “Erva Sagrada”, milenarmente conhecida como “Canabis” e pejorativamente aqui chamada de “Maconha” é religioso, garantia que trago da Constituição Brasileira que garante o livre exercício religioso, sem interferência externa da sociedade. O mesmo direito que o “Santo Daime” tem de usar plantas que nos canalizam com a força do Senhor Jah, do meu Jah, Eu e Eu, como dizemos nós, os Rastafari. Minha aparência tem o Meu caráter religioso. Não corto cabelo e barba por devoção religiosa. Antecipadamente, com base na Constituição e na carta dos Direitos Humanos, venho solicitar que meus direitos sejam preservados.

Confio na Justiça e na Polícia Civil do Estado de São Paulo, este triste episódio foi fruto de armação política da mais baixa qualidade. Para afetar a minha honra, um dos departamentos mais especializado do aparato policial do nosso estado foi usado irresponsavelmente. Quando me deparei com o numero enorme de oficiais envolvidos na busca de meia dúzia de pés de Maconha na Igreja, eu imaginei: - Quanto esta operação vai custar para o cofre público? Quanto tempo estes investigadores irão perder por conta de trabalho que poderia ter sido feito pela GAMA, com todo o respeito àquela corporação? Quanto isso vai aumentar de trabalho para o nosso Judiciário abarrotado? Quanto isso vai custar para minha moral? Quantos anos responderei por uma armadilha vil?

Se a Justiça divergir dos meus entendimento, nada poderei fazer a não ser acatar. A minha responsabilidade foi lançada. Agora, eu peço aos senhores que são defensores da justiça que descubram quem são os infiltradores deste vexame para todos nós. De antemão eu posso afirmar que sei quem foi o malfeitor.

O relacionamento do homem com a Maconha remonta há mais de dez mil anos; foi a primeira cultura que o homem produziu. Dá-nos comida, abrigo, combustível e mais vinte e cinco mil produtos diferentes. Eu conheço esta história do princípio ao fim. Sou um estudioso, um religioso, não sou bandido.

Agradeço a atenção e me coloco a disposição da Justiça."

  • Like 3
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Ceita vc ta esculachando prra...com esse respeito eh dificil cobrar mais respeito! rssss

TODO O RES´PEITO.

num se esqueça que ceita vem do latim sectus que significa divisão

Rastafari é uma ceita cristã assim como os cara la do vaticano... é tudo ceita...

Saber é foder!

e eu sou foderoso!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Isso aí é perseguição religiosa né, outra liberdade que só existe pra parcelas grandes da população como os evangélicos e católicos, minorias vão sempre se foder pois está escrito no manual de cada uma dessas seitas que elas devem perseguir e destruir as seitas menores. Essa é a história da religião, o peixe grande come o pequeno.

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

se os policias fossem sujeitos homens poderia ir só um lá e falar com o seu Geraldino e conversar numa boa de homem pra homem que ele iria lá na delegacia responder por seus atos, mas não, fazem uma "investigação", montam um efetivo inteiro de policiais com grana que podia salvar vidas em fim, e ainda divulgam na imprensa, medrosos e vagabundos, bah o cabelo disse tudo, melhor pedir esmola do que ser pm, muito mais digno

infelizmente o uso religioso é foda de se levar em consideração numa delegacia, se eu fosse fazer a defesa do seu Geraldino iria apelar pela ausência de ato ilícito que é o tráfico, esses policiais entraram num mato sem cachorro, literalmente, na real, até agora não entendi o que esses pm queriam, já que n tem tráfico, não tem bandidagem, não tem apologia, não tem uso ostensivo...

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Porra é foda.A mesma perseguição de merda,sinceramente nós tamos fudidos na mão desses cara.

Puliça de merda,porcos hipócritas.

Até quando vamos ser vítimas da ignorância e da desinformação.

Chega,eu já to de saco cheio.

Fodam-se os proibicionistas :Pothead:

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...
  • Conteúdo Similar

    • Por fakeok
      Fala adeptos da planta! 
      Hoje eu estou fazendo meu primeiro post no growroom, conheço o site a alguns anos e o fórum a alguns meses. Eu quero compartilhar uma história recente na minha vida e pedir algumas dicas de vocês que já passaram por situações similares. 
      Eu consumo cannabis a mais ou menos uns 3 anos, nunca contei para os meus pais, pois assim como muitos brasileiros existe uma crença destorcida sobre a Cannabis por parte deles. 
      Há 2 semanas eu estava fumando um com mais duas amigas a 5 quadras da escola em que estudo, o coordenador da escola passou exatamente na rua em que estávamos e resumindo meus pais foram chamados e pra eles foi um choque, meu pai faz quimioterapia e é pastor de igreja, sempre procurei ocultar isso deles porque eu sabia que iria ser um choque grande, infelizmente ou felizmente, não sei dizer ainda, eles foram comunicados pelo coordenador, após o ocorrido o clima aqui em casa ficou meio melancólico, com muito julgamento, principalmente por parte da minha mãe, e ideias destorcidas sobre minhas atitudes, meu pai é uma pessoa mais instruída que minha mãe e manifestou-se de formas diferentes, mesmo que exista um julgamento aparente por parte dele, a preocupação dele dista das preocupações da minha mãe, os medos do meu pai em relação a minha escolha estão mais associados a partes jurídicas, como ser preso, etc, minha mãe sempre se preocupou muito comigo e essa notícia pra ela foi a pior notícia, ela é bem conservadora e complicada.
      Eu sempre fui um aluno com notas excepcionais e elogiado por todos os professores e mesmo assim, pra ela não é argumento, nos surtos da minha mãe eu sou um viciado não funcional. Eu nunca procurei esconder pras outras pessoas que eu fumava maconha, até porque sou um grande defensor da causa, tenho que dar minha cara nos debates, porém todo esse choque prejudicou de maneira geral minha relação com minha família, com a escola, a família dos meus amigos, a sociedade em torno da minha pessoa, as relações que me rodeiam foram prejudicadas e eu sei que muito de vocês já passaram por situações similares, eu gostaria de saber o que vocês fizeram pra melhorar a situação, se tem como melhorar, como faço pra reverter esse preconceito que existe no meu meio familiar, me ajudem por favor, isso é horroroso, não desejo pra ninguém.  
    • Por Le0z1n
      Olá amigos, fui detido junto com um amigo fumando maconha em 2014, nós fomos detidos e passamos o dia na delegacia.
      Por final das contas eu tive que assistir umas palestras sobre drogas e etc. 
      Hoje eu precisava pegar a minha ficha criminal e vi que nela nada consta.
      A minha dúvida é que neste ano de 2017 eu já fui abordado pela policia e eles conseguiram ver que eu tenho passagem por porte de "droga", mas na minha ficha criminal nada consta.
      Alguém sabe me informar se eu tenho ou não tenho a ficha limpa? Estou realmente nesta duvida se alguém tiver passado por algo do tipo e ou manjar disso responde ai por favor. Obrigado 
    • Por cannabis_man
      -A A A+
      O músico Andre Da Cruz Teixeira Leite, conhecido como Cert, da banda ConeCrew, foi preso neste domingo, em Miguel Pereira, no Centro Sul Fluminense, por plantar maconha em casa. A informação foi confirmada pela 96ª DP.

      Cert, de 28 anos, é um dos fundadores da banda de rap, formada em 2006. De acordo com leitores, que mandaram as informações pelo WhatsApp do EXTRA, a polícia chegou ao local após denúncia da própria sogra de Cert.

      http://m.extra.globo.com/casos-de-policia/musico-da-banda-conecrew-diretoria-preso-por-plantar-maconha-em-casa-15406697.html

      Parabéns à policia do estado do rio de janeiro.

×
×
  • Criar Novo...