Ir para conteúdo
Growroom

Drogas: Tema Inescapável


Hector Berlioz

Recommended Posts

  • Usuário Growroom

Saiu uma coluna hoje na Folha. Apesar do cara não ser legalize e terminar em cima do muro, pelo menos chama a atenção e defende a discussão, o que ajuda a quebrar um pouco o tabu que criaram em cima do tema...

CLÓVIS ROSSI

Drogas, tema inescapável

As Américas abrigam as 32 cidades mais violentas do mundo; narcotráfico é o eixo e tem de ser debatido

Os países que participam, no fim de semana, de uma nova Cúpula das Américas abrigam as 32 cidades mais violentas do mundo.

Esse dado terrível já seria suficiente para que o consumo e o tráfico de drogas estivessem no centro dos debates, uma vez que violência e narcotráfico são irmãos siameses.

Mas a questão das drogas só entrará nos salões da cúpula pela porta lateral. Otto Pérez Molina, presidente da Guatemala, um dos países que estão se transformando em Estados falidos em consequência do narcotráfico, já anunciou que quer discutir o assunto a partir de um argumento irrebatível: a política atual, puramente repressiva, fracassou.

Reforçam os ex-presidentes Ernesto Zedillo (México), César Gaviria (Colômbia) e Fernando Henrique Cardoso (Brasil), em artigo para o jornal colombiano "El Tiempo":

"Os fatos são obstinados e falam por si. A erradicação da produção, a interdição do tráfico e a criminalização do consumo -pedras angulares da estratégia de guerra contra as drogas, liderada pelos Estados Unidos- não funcionam e têm um custo altíssimo em vidas humanas".

Os três ex-presidentes são membros de uma comissão que, tempos atrás, apresentou sugestões que parecem as mais consistentes até agora jogadas à mesa nesse delicado território. São dois pontos centrais. Um já é adotado aqui e ali, com maior ou menor êxito: não tratar o consumidor como delinquente.

A segunda recomendação, "mais complexa", é discutir os diferentes modelos de regulação de drogas como a maconha de maneira similar ao que se faz com o tabaco e o álcool. Os três dizem que "estudos médicos da mais alta seriedade definem a maconha como substância menos nociva que o tabaco".

Regulamentar não é legalizar, antecipam-se os ex-presidentes, cientes de como o tema é polêmico. "Regular é criar as condições para a imposição de todo tipo de restrições à comercialização, publicidade e consumo do produto".

Já fui favorável à legalização das drogas, mas li e ouvi tantos argumentos contrários que subi no muro e prefiro continuar estudando antes de ter uma posição definitiva, até onde posições sobre temas voláteis possam ser definitivas.

De todo modo, debater a questão -e fazê-lo no mais alto nível nas Américas- é um primeiro passo essencial.

Há pelo menos dois dados adicionais a pressionar para que esse debate se dê -e de forma urgente:

1 - Michael Shifter, presidente do Diálogo Interamericano, centro de estudos de Washington, aponta o risco de que "a violência transnacional crescentemente sofisticada" ponha em risco "as frágeis democracias centro-americanas".

2 - Stephen Johnson, diretor do Programa Américas do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais de Washington, calcula que o tráfico de drogas movimenta por ano cerca de US$ 400 bilhões (R$ 733 bilhões), um poder econômico difícil de ser enfrentado até pelos países mais ricos da América Latina, quanto mais pelos pequenos Estados centro-americanos e andinos.

Para comparação: toda a economia guatemalteca equivale a somente um décimo do valor do narconegócio.

crossi@uol.com.br

fonte: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/36579-drogas-tema-inescapavel.shtml

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu peguei a lista aqui, nada menos que 44 das 50 cidades mais violentas ficam na AL, guerra às drogas já matou milhões, está transformando nosso país num lugar péssimo de se viver, o que falta para mudarem essa abordagem falha e ignorante?! A lei seca nos EUA durou 13 anos, eles viram que havia algo errado e mudaram as leis de proibição, nós já vivemos 50 anos de perseguição do usuário e do comerciante varejista, de ataque à nossa democracia e nossos direitos mais básicos como humanos, e não se vê fim no horizonte:

Position City Country Homicide People Rate

1 San Pedro Sula Honduras 1.143 719.447 158.87

2 Juarez Mexico 1.974 1,335,890 147.77

3 Maceió Brazil 1.564 1,156,278 135.26

4 Acapulco Mexico 1.029 804.412 127.92

5 Central District Honduras 1.123 1,126,534 99.69

6 Caracas Venezuela 3.164 3,205,463 98.71

7 Torreón (metropolitan) Mexico 990 1,128,152 87.75

8 Chihuahua Mexico 690 831.693 82.96

9 Durango Mexico 474 593.389 79.88

10 Belém Brazil 1.639 2,100,319 78.04

11 Cali Colombia 1.720 2,207,994 77.90

12 Guatemala Guatemala 2.248 3,014,060 74.58

13 Culiacan Mexico 649 871.620 74.46

14 Medellin Colombia 1.624 2,309,446 70.32

15 Mazatlan Mexico 307 445.343 68.94

16 Tepic (metropolitan area) Mexico 299 439.362 68.05

17 Vitoria Brazil 1.143 1,685,384 67.82

18 Veracruz Mexico 418 697.414 59.94

19 Ciudad Guayana Venezuela 554 940.477 58.91

20 San Salvador El Salvador 1.343 2,290,790 58.63

21 New Orleans United States 199 343.829 57.88

22 Salvador (and RMS) Brazil 2.037 3,574,804 56.98

23 Cucuta Colombia 335 597.385 56.08

24 Barquisimeto Venezuela 621 1,120,718 55.41

25 San Juan Puerto Rico 225 427.789 52.60

26 Manaus Brazil 1.079 2,106,866 51.21

27 São Luís Brazil 516 1,014,837 50.85

28 Nuevo Laredo Mexico 191 389.674 49.02

29 João Pessoa Brazil 583 1,198,675 48.64

30 Detroit United States 346 713.777 48.47

31 Cuiabá Brazil 403 834.060 48.32

32 Recife Brazil 1.793 3,717,640 48.23

33 Kingston (metropolitan) Jamaica 550 1,169,808 47.02

34 Cape Town South Africa 1.614 3,497,097 46.15

35 Pereira Colombia 177 383.623 46.14

36 Macapá Brazil 225 499.116 45.08

37 Fortress Brazil 1.514 3,529,138 42.90

38 Monterrey (metropolitan area) Mexico 1.680 4,160,339 40.38

39 Curitiba Brazil 720 1,890,272 38.09

40 Goiânia Brazil 484 1,302,001 37.17

41 Nelson Mandela Bay Metropolitan Municipality (Port Elizabeth) South Africa 381 1,050,930 36.25

42 Barranquilla Colombia 424 1,182,493 35.86

43 ST. Louis United States 113 319.294 35.39

44 Mosul Iraq 636 1,800,000 35.33

45 Belo Horizonte Brazil 1.680 4,883,721 34.40

46 Panama Panama 543 1,713,070 31.70

47 Cuernavaca (metropolitan area) Mexico 198 630.174 31.42

48 Baltimore United States 195 620.961 31.40

49 Durban South Africa 1.059 3,468,087 30.54

50 City of Johannesburg South Africa 1.186 3,888,180 30.50

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

ola Hector,

muito boa a reportagem, o Clóvis fica "encima do muro" , mas qualquer discussão séria como esta sempre levanta a pergunta:

"o como a cannabis e proibida se outras drogas muito piores se pode comprar em qualquer esquina (alcool e cigarro)"

Acho isso muito valido..

valew!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

com todo respeito!

O som do meu batuque tem o toque, tem o som do três oitão!!!

Facada, espingarda, R15 e bazuca e canhão!!!

Fui num bailão, lá no Boqueirão, quando eu voltei não encontrei o meu fuscão. Esse é o boquera que eu amo e adimiro de paixão!!!(meu boqueirão)

Meu boqueirão é vermelho(pá,pá,pá), de vermelho vive o boqueirão, EO EO

Facada, mulherada, suicídio, arrasta pé.

Facada, mulherada, suicídio, arrasta pé.

Estruipo, estruipo!!!

Sequestro, sequestro, sequestroooooooo!!!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...
×
×
  • Criar Novo...