Ir para conteúdo
Growroom

Recommended Posts

Micorrizas

Introdução

Micorriza é uma associação mutualista não patogênica entre certos fungos do solo e as raízes da planta. A planta, através da fotossíntese, fornece energia e carbono para a sobrevivência e multiplicação dos fungos, enquanto estes absorvem nutrientes minerais e água do solo, transferindo-os para as raízes da planta, estabelecendo assim a mutualista da simbiose.

O grupo que tem maior interesse agronômico dentro dos fungos micorrízicos, são os fungos micorrízicos arbusculares (FMAs). Além de ser predominantes nos ecossistemas tropicais, eles são capazes de formar micorrízas com 95% das espécies de plantas, inclusive a maioria das espécies cultivadas.

O efeito benéfico mais marcante desta associação simbiótica está no aumento do crescimento das plantas mediante o aumento da absorção de nutrientes, especialmente aqueles menos solúveis, como fósforo, zinco e cobre, resultando em plantas mais nutridas e vigorosas, com mais resistência às condições ambientais adversas. Portanto, a micorriza tem um papel importante na sobrevivência e no crescimento das plantas nos trópicos, onde predominam solos de baixa fertilidade, carente em fósforo disponível.

Embora o FMA seja de ocorrência generalizada na natureza, a sua distribuição no solo é desuniforme, além disso, o FMA existente no solo nem sempre é aquele mais eficiente em aumentar o crescimento da planta. Para poder aproveitar melhor o efeito da associação simbiótica com fungos micorrízicos em benefício da planta, é preciso selecionar as espécies mais eficientes de FMA para cada tipo de cultura, e usa-lo no procedimento de micorrização das plantas.

Na natureza, a micorrização é geralmente inibida pela elevada fertilidade, perturbação e erosão do solo, uso de fungicidas sistêmicos e desmatamento. A destruição da vegetação nativa nos trópicos causa perda permanente de algumas espécies altamente adaptadas às condições locais específicas. Isso tornou, muitas vezes, uma reintrodução dos fungos micorrízicos necessário para garantir a sustentabilidade do solo. Para as plantas perenes, a micorrização é usada na formação de mudas, visando obtenção de mudas bem nutridas, vigorosas e uniformes para um índice elevado de sobrevivência e um melhor desempenho das plantas no campo. Por motivo fitossanitário, as mudas de café e citros são formadas em substrato esterilizado. Neste caso, a micorrização é uma prática obrigatória para reposição de fungos micorrízicos ao solo e produção de mudas de qualidade. Outras fruteiras, como mamão e maracujá, a micorrização também está sendo usada para a produção de mudas para o transplantio.

Efeito de micorrizas na formação de mudas

O estudo feito com mudas de pimenteira-do-reino, provenientes de sementes, no solo fumigado, evidenciou a alta dependência desta planta com os fungos micorrízicos e as mudas não cresceram na ausência de fungos micorrízicos mesmo adubando (Fig. 1). A inoculação com FMA aumentou até 10.000% a produção de matéria seca da planta no solo com a adubação. O benefício da inoculação foi obtido também em mudas de estacas de pimenteira (Fig. 2) cultivadas em solo natural, embora o benefício seja bem menor, sendo de 59% o aumento máximo na produção de matéria seca. Nas mudas de estacas, a inoculação aumentou a absorção de nitrogênio, fósforo e cálcio, sendo a maior quantidade absorvida encontrada em mudas inoculadas com Scutellospora gilmorei, a espécie que promoveu o maior crescimento das plantas de pimenteira-do-reino (Fig. 3)

fig1micorriza.jpg

Fig. 1. Desenvolvimento de plântulas de pimenteira-do-reino, cultivar Singapura, inoculadas com espécies de FMA, em solo com incorporação de nutrientes, desinfestado com brometo de metila, aos cinco meses após a inoculação (NI = não inoculado; Glm = Glomus macrocarpum; Gm = Gigaspora margarita; Sh = Scutellospora heterogama; Ac = Acaulospora sp.). (fonte: Oliveira et al., 1984) Ordem das Plantas, da esquerda para direita: Ac, Sh, Gm, Glm, NI.

fig2micorriza.jpg

Fig. 2. Desenvolvimento das mudas de estacas de pimenteira, cultivar Guajarina, micorrizadas (Scutellospora gilmorei) e não micorrizadas, 90 dias após a inoculação. (fonte: Chu et al., 2001)

fig3micorriza.jpg

Fig. 3. Quantidades de N, P e Ca absorvidos pela mudas de estacas de pimenteira-do-reino inoculadas com espécies de FMA, 11 meses após a inoculação (Controle = não inoculado; Sg = Scutellospora gilmorei; Sh = Scutellospora heterogama; Gsp. = Gigaspora sp.; Ac = Acaulospora sp.; Ec = Entrophospora colombiana).

Fonte: adaptada Chu et al, 2001

Efeito da inoculação no controle da fusariose

Como a micorrização pode aumentar significativamente a absorção de nutrientes do solo pela planta, resultando em plantas mais nutridas e vigorosas, é de esperar que essas plantas micorrizadas também pode resistir ou tolerar melhor o ataque de patógenos do solo. Para verificar o efeito da micorrização sobre a podridão da raiz de pimenteira, causada por Fusarium solani f. sp. piperis, foi conduzido um experimento com plântula de pimenteira-do-reino, cultivar Guajarina. A inoculação de FMA foi feita três meses antes da inoculação de Fusarium, para garantir o estabelecimento e funcionamento de micorriza dentro das raízes, antes da invasão de patógeno. A redução de 50 a 80% a incidência de fusariose foi obtido com a inoculação de FMA e a espécies que promoveu maior crescimento da planta teve também maior redução de fusariose (Figs. 4, 5 e 6). Embora os resultados sejam preliminares, mais estudos ainda precisam ser feitos, a inoculação das plantas de pimenteira com FMA não deixa de ser uma prática promissora de aumentar o crescimento da planta através do aumento da absorção de nutrientes e um melhor aproveitamento da adubação, e ao mesmo tempo aumentar a tolerância da planta à doença, reduzindo assim a perda de plantas causada por ela.

fig4micorriza.gif

Fig. 4 - Efeito da inoculação com FMA sobre a incidência da fusariose (IF) e produção de matéria seca da parte aérea (MSPA) em pimenteira-do-reino, cultivar Guajarina, quatro meses após a inoculação de Fusarium solani f. sp. piperis (controle = não inoculado; Ssp. S = Scutellospora sp.; Sh = Scutellospora heterogama; Ec = Entrophospora colombiana ; Sg = Scutellospora gilmorei).

Fonte: adaptada Chu et al., 1997

fig5micorriza.jpg

Fig. 5. Plantas de pimenteira-do-reino inoculadas com Scutellospora gilmorei, quatro meses após a inoculação de Fusarium solani

f.sp. piperis.

fig6micorriza.jpg

Fig. 6. Plantas de pimenteira-do-reino não inoculadas, quatro meses após a inoculação de Fusarium solani f. sp. piperis.

Multiplicação do inóculo de FMA e inoculação das mudas

O FMA não se multiplica no meio artificial como outros fungos do solo, portanto, até hoje não está disponível no mercado o inoculo comercial economicamente viável. A obtenção de inoculo ainda é feita, em pequena escala, na presença de plantas hospedeiras. A multiplicação da espécie de FMA selecionada para a inoculação precisa ser feita no substrato desinfectado, para garantir a pureza de inoculo, e também para ter certeza o que está inoculando. O procedimento é simples e está ilustrado na Fig. 7.

Como as plantas perenes passam por um período de formação de mudas em recipientes, A inoculação das mudas pode ser feita durante o transplantio para saco plástico preto, usando uma pequena quantidade de inoculo (Fig. 8). O efeito da inoculação pode ser observado a partir de terceiro mês após a inoculação.

fig7micorriza.gif

Fig. 7. Procedimento para multiplicação do inoculo de FMA.

Fonte: Embrapa-CNPAF, 1994

fig8micorriza.jpg

Fig. 8. Inoculação de mudas de pimenteira-do-reino.

Fonte: Embrapa-CNPAF, 1994

A micorrização com espécie de FMA selecionada pode melhorar a absorção de nutrientes das mudas, produzindo plantas mais sadias e bem nutridas, aumentando a tolerância da planta à infecção do fitopatógeno

Fonte:http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Pimenta/PimenteiradoReino/paginas/micorrizas.htm

Leia também: http://www.cnpab.embrapa.br/publicacoes/download/doc123.pdf

http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/3807/000393341.pdf?sequence=1

http://www.iac.sp.gov.br/PosIAC/Dissertacao/Ana%20Fl%C3%A1via%20Metzner.pdf

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062006000200001

[]'s

  • Like 4

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

muito bem levantado o tema THC!

sempre pensei que fungos micorrízicos poderiam ser um ótimo canal pra Cannabis.

Mas a questão é como tornar viável isso pra nós growers. Onde arrumar inóculos, etc...

abs!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom tópico THC!

Estou usando pela primeira vez micorrizas aqui no cultivo, então depois que colher esse leva da flora vou poder relatar alguma diferença pros meus cultivos sem micorrizas. Tenho estudado bastante os fungos e demais m.o. benéficos, depois vou postar aqui uns links interessantes também sobre o tema, pra ampliar a biblioteca.

Tem também um tópico no board dos orgânicos, aberto pelo White Smoke, que a galera já discutiu coisas interessantes sobre as micorrizas, inclusive o budzaum escreveu sobre a multiplicação das micorrizas de plantas já colonizadas pra novas plantas, sem precisar ficar comprando inóculo sempre. Aqui o tópico: Nitrogênio do solo

Vovô da Lapa, você comentou sobre onde arrumar inóculos, pois bem, pra vender no Brasil, por enquanto encontrei nesses 3 lugares (eu comprei na Greenfert):

- http://www.greenfertbr.com/advanced-nutrients/protecao-e-defesa/piranha-20g.html

- http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-149737661-mycogrow-soluble-mycorrhizae-micorriza-mudas-jardim-fungos-_JM

- http://www.rigrantec.com.br/site/view/produtos.php?id=52

Dá-le fungos! :happydance:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pra variar... mais um belo topico heim thc, show!

Eu venho usando o Rhizanova a alguns meses, unica coisa que nao gostei no produto é a presença de polimeros retendores de agua.

Abs,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Guest HINDUKUSH

Já utilizei a micorriza inoculando-as as sementes de uma leguminosa que plantei consorciado a uma gramínea na formação de uma nova pastagem que eu fiz. A micorriza vive em colônias(grumos) nas raizes das leguminosas, absorvendo Nitrogênio do ar que penetra no solo e disponibolizando-a ao solo, além da economia em adubação, a leguminosa fornece um incremento de proteina na pastagem. Em fim a micorriza para cannabis na minha opinião é um tanto descabida, por não ser uma plantação perene, não dará tempo da micorriza se estabelecer no solo e desponibilizar o Nitriôgenio a cultura.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

1000% THC.

Mandou bem pra caralho de novo!

Só pra complementar com o que aprendi sobre as Mycorhizas.. e Trichodermas e os outros bacilos...

Trouxe o Myco Madness lá da argentina... uma pipetinha com conteudo bem pequeno... provavelmente fracionado desse aqui ó...

http://www.plantlightinghydroponics.com/humboldt-nutrients-myco-madness-mycorrhizal-fungi-oz-p-2638.html

Gurizada... o que o Chirriwilly me disse é que se põe muito pouco (as recomendações do fabricante é pra tu gastar de uma vez...) uma onça já é pra durar mais de ano. Os bacilos são vivos e se reproduzem extremamente rápido... o momento ideal pra usá-los é antes e depois do transplante final do inicio da flora... tambem no primeiro transplante...

Sempre agua sem cloro.

Comecei a usar agora, na leva que eu passei pra flora dia 04/08 - 2 Mazar de 60 dias e 1 Afghani de 70 dias... ó vou dizer pra vocês... tá tomando forma... ainda mais que estou passando pro modo orgânico... Onde a gente nutre o solo e não a planta.

Já utilizei a micorriza inoculando-as as sementes de uma leguminosa que plantei consorciado a uma gramínea na formação de uma nova pastagem que eu fiz. A micorriza vive em colônias(grumos) nas raizes das leguminosas, absorvendo Nitrogênio do ar que penetra no solo e disponibolizando-a ao solo, além da economia em adubação, a leguminosa fornece um incremento de proteina na pastagem. Em fim a micorriza para cannabis na minha opinião é um tanto descabida, por não ser uma plantação perene, não dará tempo da micorriza se estabelecer no solo e desponibilizar o Nitriôgenio a cultura.

É man, mas como a vida delas é exaustiva sexual e vivem nas raizes... Vai bem com a cannabis.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

eu nao usei num ultimo cultivo, pq o meu tinha acabado e ficou 1 tempo retido na receita, levei a flora inteira sem usar.

senti uma coloração tipica de carencia de Fe nas folhas, coisa q usando as enzimas ainda n tinha reparado. costumo usar o Hygrozyme 1/1 +o- uma vez por semana.

abs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

bom se ligar na validade tbm...ja detonei um cultivo faltando algumas semanas pro final, provavelmente por usar o Enzymes na epoca, fora da validade

abs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sei lá, mas parece que a galera tá confundindo tudo. Aqui nesse tópico sobre micorrizas, que são fungos, a galera já falou em uso de bacilos, que são bactérias, e de enzimas, que não são nem fungos nem bactérias... E pelo que sei, cada coisa tem uma função bem diferente. Mas enfim....

:pass:

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Verdade cardjurah, ta havendo confusão. São muitos nomes, muitos produtos, muito marketing, é difícil de se situar.

Quanto as micorrizas , o Homem Planta diz que precisa alimentar os fungos com Carboload. Será que regar com melado é suficiente?

No rótulo do Voodoo Juice diz que é pra aplicar nas 2 primeiras semanas de flora, rega com ele todo dia durante 2 semanas? Adicionando o melado?

Maneiro é que a galera ta descobrindo várias paradas novas, só temos que aprender a usar pra não cair no marketing dos fertilizantes. Queria ter dinheiro, espaço e tempo pra testar a porra toda, tarantula, scorpion, snake, piranha, voodoo e os escambau. :rasta:

:offtopic: Fui ver no site da greenfert do que se tratava o tal piranha e olha que interessante:

Quando agricultores de sucesso se juntao para falar sobre o que funciona melhor em seus cultivos, eles sempre mecionam Piranha da Advanced Nutrients. Isso porque é uma das fórmulas mais respeitadas e é parte essencial do kit de ferramentas de todo jardineiro de sucesso. Eles adoram o que o Piranha faz por seus jardins. É hora de você ter a mesma sensação de certeza e tranquilidade que growers de sucess tem porque eles usam Piranha.

O piranha é o piranha!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Cadjurah,

Olha só, man

Quando eu falei em bacilos outra hora... era pra ser esporos...

Saca só, eu uso o MYCO MADNESS da Humboldt... que Possui 8 tipos de Mycorhizas, 4 tipos de Trichodermas além de 12 tipos de BACILOS... Todos eles xuntos e reunidos para invadir as raizes e tomar conta do campinho lá...

Não dá pra dissociar uma coisa da outra... alem das Algas Kelp que é mais um adicional...

e Viva a vida micro e mycobiana!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

É isso aí Chuck,

era só pra esclarecer mais a parada, por que a gente começou a falar de coisas diferentes meio que sem distinção. Alguns desses produtos, como o que você está usando, vem com fungos E bactérias benéficas; já outros, vem só com fungos, como é o caso do Piranha (da Advanced Nutrients) que eu uso, composto por endo/ectomicorrizas e trichodermas - eles colocaram as bactérias no Tarântula (pra nego ter que comprar duas coisas em vez de uma). Quis comentar isso por que o papel dos fungos benéficos é um, e o das bactérias, outro, e tava parecendo que não tinha distinção, que servia tudo pra mesma coisa. Claro, todos esses produtos são pra injetar m.o. no solo, mas podemos expandir a discussão pro papel de cada tipo de m.o., pra alimentação diferente que cada tipo requer, e pra métodos de inoculação de cada um deles, como esses produtos e os chás orgânicos, que são riquíssimos em bactérias, mas é mais difícil conter fungos (embora tenham métodos pra inocular fungos com o chá, mas não trichodermas nem micorrizas). E a galera falou aqui também de enzimas, que é ainda outra coisa. Enfim, não quis ser implicante, de forma alguma, só quis chamar a atenção pra uma discussão que acho muito bacana, dos diferentes m.o. benéficos que podemos utilizar no cultivo.

Abraço, e "Viva a vida micro e mycobiana!" (x2)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Já utilizei a micorriza inoculando-as as sementes de uma leguminosa que plantei consorciado a uma gramínea na formação de uma nova pastagem que eu fiz. A micorriza vive em colônias(grumos) nas raizes das leguminosas, absorvendo Nitrogênio do ar que penetra no solo e disponibolizando-a ao solo, além da economia em adubação, a leguminosa fornece um incremento de proteina na pastagem. Em fim a micorriza para cannabis na minha opinião é um tanto descabida, por não ser uma plantação perene, não dará tempo da micorriza se estabelecer no solo e desponibilizar o Nitriôgenio a cultura.

Mas nesse caso, se eu inocular os m.o. no substrato e deixar guardado pra um próximo cultivo será ideal, é isso?

Quanto tempo seria ideal pra deixar essa terra inoculada, e quais as condições ideais em relação à umidade, temperatura, aeração, luz, etc, pra um melhor resultado???

Obrigado amigos, muito interessante o topic.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

eu colhi micorriza na mata com o esquema do bambu com arroz... utilizei em um cultivo de organico, mas esqueci de deixar uma planta sem ela para poder comparar.... ainda não tenho opinião formada sobre o fungo... uma coisa é certo , mal num fez...

bom micorriza é um fungo... acho q fica um tempão no solo la li relatos de fungos agrecivos q tinha esporos viaveis nas tumbas de tutamcamom.. acho q deve durar... to chutando mas .. são gorganismos bem simples de vida;;/// deve sobreviver um tempão no solo desde q tenha um pouco de umidade acho q quenta um tempão..

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Guest trash025

outra solução:

Manda vir Piranha e Tarantula da advanced nutrients.

Sem arrependimentos e nunca mais olhar pra tras :-)

em pó dura milenios a ainda rola fazer uma cultura dessa simbiose em balde com pedra de aquario e bomba de ar com agua e "Açucares" pra alimentar a proliferação das bacterias e fungos. acaba q vc nem usa o resto do pó q tem nos potes pq eles se reproduzem adoidado, afinal eh uma relação simbiotica onde eles se amam e os açucares alimentam esse cafofo todo ai problema eh bomba de ar queima tem q trocar rapido ou fazer outro balde do zero, o q nao eh um grande problema e ja eh a hora de limpar tudo e fazer manutenção.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Guest trash025

ao invés de usar os da advanced eu aconselharia utilizar o great white...

faz o papel dos dois e + um pouquinho.

este nao conhecia :-)

rola fazer cultura deles em agua aerada com carboload de alimento?

vou dar uma pesquisada nele

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

ao invés de usar os da advanced eu aconselharia utilizar o great white...

faz o papel dos dois e + um pouquinho.

O Great White me parece ser bom mas... o Voodoo Juice + Piranha da Advanced são indiscutivelmente superiores, tanto em termos de eficiência e rendimento do produto, basta olhar a concentração e variedade de fungos e bactérias na composição.

Uma ótima opção nacional para micorrizas é o Rhizanova da Rigran, já mencionado aqui no tópico, custa aprox. 130 reais o Kg. Já o Vigaroot da mesma marca (aparentemente) contém bactérias fixadoras de nitrogênio e solubilizadoras de fósforo, além de outros ingredientes benéficos para as raízes, como ácido fúlvico, extrato de yucca e alguns micronutrientes quelatados. Se não me engano esse custa uns 70 reais o pote de 500g :rasta2bigsmoke0gf:

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

este nao conhecia :-)

rola fazer cultura deles em agua aerada com carboload de alimento?

vou dar uma pesquisada nele

Rola sim, muita gente faz isso para economizar (fazer render) esses produtos.

Aí vc usa um pouco desse chá de fungos e/ou bactérias no seu reservatório de nutrientes, e repõe a água que retirou, acrescentando um pouco de carboload (ou melado ou até açúcar mesmo) para alimentar os fungos e/ou bactérias.

Uma idéia seria utilizar a dose que vc iria usar nas suas plantas mas preparar esse balde aerado uns 2 dias antes e duluir isso em 4-5 ou até mais doses.

Dependendo das condições, pode haver contaminação. Como nunca testei fazer isso, só estou repassando o que tenho lido por aí nos últimos anos.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

coe BC. resume ai pra mim se for possivel.

qual é a boa, o Vigaroot + o rhiza nova???

po o piranha nao usei mas o voodoo juice e fantastico. será q esse nacional faz um bom trabalho tb nesse sentido?!

ja tava pensando em comprar piranha, mas com esses comentarios quem sabe, nao rola economizar e conseguir um bom simiklar ne.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

eu consegui o rhizanova a 80 conto, só que é mt pra mim tendo em vista que é 1 kg e acho que a validade não deve ser boa se fosse fracionado eu não pensava 2 x, de repente mes q vem se folgar eu até compro, vou descobrir certo a validade deles

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...

  • Tópicos

  • Posts

    • Salve brother, Acompanha a coloração dos pistilos ou usa uma lupa de joalheiro/microscópio para ver os tricomas. Tem gente que acompanha pelos pistilos e tem gente que acompanha pelos tricomas, o importante é a coloração ambar. Quando mais da metade ficar ambar é um bom momento para colheita de modo geral. Dá uma garimpada ai no forum que com ctz tem um tópico pra isso.   Abraço e boa sorte!   Obs.: linda flor
    • Tenho uma planta com 3 semanas de vida que depois da primeira semana amarelou a ponta das 2 primeiras folhas verdadeira e simplesmente travo crescimento, transplantei pra uma terra mais aerada e a unica mudança foi queimar as 2 primeiras folha redonda além das pontas da já mencionada, a folha tem 3cm sendo 5mm queimado; além das 2 de cima com 1cm, ta verde e viva porém travada no mesmo tamanho a 2 semanas quase. 2 caso: 2 semanas de vida, tão desenvolvida quanto o 1 caso porém metade do tamanho tanto em  AxLxP, está queimado as pontinha do par de cima, diferente da outra; esta está murcha com as folha de baixo já pegando no solo, está travada tbm, ambas com 4 folhas e 4 minúsculas. Substrato: 50%vermiculita, 20% erva mate seca,  20%húmus, 10%casca de ovo triturado.  Rega: cada 2,3 dias, água filtrada em excesso pois pensei ser nutriente demasia por não estar curtido/descansado o solo, me parece um pouco compacto devido ao pó da erva, mas creio q não; colocar um pouco de terra de horta ajuda ação dos microrganismos? Sol: das 10:30 as 18:00 Obrigado desde JaH
    • Olá amigos, primeira planta. Dúvida similar ao do colega logo acima. Estou com 1 mês de flora, porém hoje vi que já começaram a ficar marrom (ambar) alguns pistilos. Por que isso? Pelo que vejo as flores estão viradas em pistilos, mas ainda muito fininhas, quase inexistentes. É assim mesmo? Será que já estão ficando maduras antes do tempo? Obrigado por qqr informação!
×
×
  • Criar Novo...