Ir para conteúdo
Growroom

Minc Vai À Marcha Da Maconha: Política Antidroga É "Desastre"


Não Compre Plante

Recommended Posts

  • Usuário Growroom

http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI4410114-EI8139,00-Minc+vai+a+Marcha+da+Maconha+politica+antidroga+e+desastre.html

Minc vai à Marcha da Maconha: política antidroga é "desastre"

Guilherme Mergen

Ao encerrar sua participação na 6ª edição da Marcha da Maconha no Rio de Janeiro, na tarde deste sábado, o ex-ministro do Meio Ambiente Carlos Minc classificou a atual política de combate às drogas como "um desastre". Ele acompanhou a mobilização de mais de 300 pessoas por duas horas na zona sul da capital fluminense.

Para o ministro, apesar das alterações na legislação nos últimos 4 anos - uma das mudanças impede a prisão do usuário de maconha -, o País ainda precisa avançar no assunto. "A verdade é que o tema é tratado com uma hipocrisia generalizada. A lei que impede a prisão do usuário tem muitas brechas, o que causa a detenção de milhares de pessoas. A política de guerra adotada contra as drogas é um desastre. A própria ONU admitiu isso", disse ao Terra.

Mesmo fora da pasta do Meio Ambiente, Minc acredita que será novamente criticado por sua participação na passeata. No ano passado, a Comissão de Segurança da Câmara dos Deputados o convocou para se explicar sobre sua presença na mobilização. "Eu fui massacrado por cinco horas naquela reunião. Foi uma hipocrisia o que fizeram comigo. No entanto, é minha liberdade de expressão. Quem vai à marcha é o Minc, não o deputado, o ex-secretário ou o ex-ministro", afirmou.

Assim como em 2009, Minc foi o único político - atualmente, ele é deputado estadual no Rio de Janeiro - a participar da marcha neste ano. Para ele, há uma visão equivocada do protesto. "Grande parte das pessoas, inclusive políticos, acha que o movimento faz apologia ao consumo. No entanto, o grupo quer discutir o assunto, mostrar o quanto temos de evoluir para a descriminalização do consumo. Não é liberar geral", disse.

Marcha

Liberada pela Justiça carioca na sexta-feira desde que não houvesse consumo de maconha, a marcha começou por volta das 15h, no bairro de Ipanema, na zona sul da capital fluminense. Os participantes seguiram até a praia do Leblon.

A expectativa dos organizadores da passeata, comanda pelo o sociólogo Renato Cinco, era de reunir cerca de 4 mil pessoas. A polêmica marcha acontece desde 2002. No ano passado, 2,5 mil manifestantes participaram do protesto.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...
×
×
  • Criar Novo...