Ir para conteúdo
Growroom

Efeito De Diferentes Materiais No Ph Do Solo


Recommended Posts

  • Usuário Growroom

RESUMO

A grande maioria dos solos agrícolas brasileiros apresenta alta acidez (pH H2O < 5,5) sendo um dos principais responsáveis pela baixa produtividade das culturas. Estes solos exigem a aplicação de corretivos para elevar o seu pH, neutralizar os efeitos dos elementos tóxicos, fornecer Ca e Mg como nutrientes e aumentar a produtividade das culturas. Com o objetivo de verificar o efeito de diferentes materiais (calcário calcinado e dolomítico, escória e gesso) no pH do solo, em função da dose aplicada (2, 4 e 6 t/ha) e do tempo de incubação (25, 50 e 75 dias), foi conduzido trabalho em condições de laboratório.

Descritores: calcário calcinado, dolomítico, escória, gesso, pH.

____________________________________________________________

INTRODUÇÃO

A acidez do solo refere-se a sua capacidade de liberar prótons, passando de um determinado estado a outro em relação a um de referência (JACKSON, 1963). Os estados podem ser especificados em termos de pH ou outro índice.

Várias são as causas da acidez do solo. Segundo MALAVOLTA (1985) a água lava as bases do complexo de troca deixando íons H+ em seu lugar; com o abaixamento do pH+ a valores muito baixos pode ocorrer a decomposição de minerais de argila e ocasionar o aparecimento de Al trocável; a oxidação microbiana do N amoniacal conduz à liberação de íons H+; a raiz "troca" H+ por cátions que a planta absorve mantendo o equilíbrio eletrostático; também a matéria orgânica libera íons H+ no meio, através da dissociação dos seus grupos carboxilícos e fenólicos.

Os solos agrícolas brasileiros, na maioria, apresentam média a alta acidez (pH H2O <5,5), o que traz como conseqüência, a baixa produtividade das culturas. Os solos ácidos geralmente apresentam alumínio e manganês em nível tóxicos, além de deficiências de cálcio, magnésio e fósforo.

O cultivo agrícola dos solos ácidos exige a aplicação de corretivos, os quais ao elevarem seu pH, neutralizam o efeito dos elementos tóxicos e fornecem cálcio e magnésio como nutrientes. Em se tratando de calcário dolomítico é predominantemente cálcio se o calcário for calcítico. Segundo ALCARDE (1983; 1985) os materiais que podem ser usados na correção da acidez dos solos são aqueles que comtém como "constituintes neutralizantes" ou "principios ativos", óxidos, hidróxidos, carbonatos e silicatos de cálcio e ou de magnésio, tais como; calcário dolomítico, calcário calcinado, óxido de cálcio ou de magnésio, hidróxido de cálcio, hidróxido de magnésio e escórias.

O calcário dolomítico é o mais utilizado devido a sua relativa freqüência e abundância e por constituir fonte de Ca e Mg. O calcário calcinado também pode ser usado como corretivo. Esse é obtido pela calcinação parcial do calcário, onde nem todos são decompostos, apresentando óxidos e carbonatos de Ca e Mg em sua constituição. Produtos de características e propriedades intermediárias entre o calcário e a cal (ALCARDE, 1983; 1985), como possíveis substitutos do calcário, são diversos subprodutos de indústrias. Dentre esses, as escórias, subprodutos das indústrias do ferro e do aço, cujos componentes neutralizantes são os silicatos de cálcio e magnésio, comportam-se semelhantemente aos calcários (WUTKE & GARGANTINI, 1962); CAMARGO, (1972) e apresenta escórias com teores relativamente elevados de micronutrientes, podendo, em alguns casos, justificar seu uso como corretivo e fertilizante. O gesso agrícola (CaSO4.2H20) é um subproduto da obtenção do ácido fosfórico, utilizado na fabricação de superfosfato triplo e fosfatos de amônio (MAP e DAP). O gesso não corrige a acidez, isto é, não aumenta o pH do solo. Assim sendo, não substitui o calcário, mas completa o seu efeito, reduzindo a fitotoxicidade do alumínio em profundidade. O gesso aumenta a quantidade de cálcio nas camadas superficiais (PAOLINELLI et alii, s/d; PAVAN & BINGHAM, 1982; VITTI & MALAVOLTA, 1985) quando adequadamente aplicado (ALCARDE, 1988), isto é, o gesso é um fertilizante que leva cálcio e enxofre ao solo.

O comportamento e a eficiência desses materiais no solo dependem de suas características, como a natureza química dos neutralizantes, o poder de neutralização, a solubilidade, a granulometria, etc.

O objetivo do presente trabalho foi avaliar, em condições de laboratório, o efeito do calcário dolomítico, calcário calcinado, escória e gesso, sobre o pH do solo, em função do período de incubação e das doses aplicadas.

MATERIAL E MÉTODOS

O ensaio foi conduzido no laboratório do Departamento de Química da ESALQ, no período de 06 de setembro a 20 de novembro de 1990, empregando-se o método de incubação em vasos durante 75 dias.

Para avaliar o comportamento de diferentes materiais sobre o pH do solo, foi utilizado um solo ácido cujas características químicas se encontram na Tabela 1.

15t1.gif

Testou-se os seguintes materiais: calcário dolomítico (CD), calcário calcinado (CC), gesso (GE) e escória (ES), em três doses (2, 4, 6 t/ha) com quatro repetições, além de uma testemunha sem adicionar o material. Perfazendo um total de 52 vasos. As características químicas dos materiais utilizados no ensaio encontram-se na Tabela 2.

15t2.gif

Após misturar uniformemente o material nas doses correspondentes com 500g de solo, colocou-se a mistura em vasos plásticos abertos, adicionando-se 150 ml de água destilada em cada vaso, correspondendo à 70% da capacidade de campo do solo. Durante o período de incubação a umidade do solo foi mantida, irrigando-se os vasos duas vezes por semana.

Aos 25, 50 e 75 dias após o início da incubação, foram retiradas amostras de solo de cada vaso para determinação do pH em água, mantendo o solo sempre com, aproximadamente, 30% de umidade.

O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente causualizado com 4 repetições, num arranjo fatorial (3 x 4 x 3), sendo os fatores:

1) três períodos de incubação (25, 50 e 75 dias)

2) materiais (calcário calcinado, calcário dolomítico, escória e gesso)

3) doses (2, 4 e 6 t/ha), o que correspondeu a 500,1000 e 1500 mg/vasos. Foi incluído um tratamento extra (testemunha) sem aplicação de nenhum material.

Inicialmente foi feita uma análise de variância geral, incluindo o tratamento extra. Em seguida foi efetuada uma análise considerando os fatores em todos os seus níveis. Realizou-se análise de regressão polinomial para os fatores período de incubação e doses, sendo que as médias foram comparadas através do teste de Tukey, ao nível de 1% de probabilidade.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Os dados considerados para as análises estatísticas estão contidos na Tabela 3. A análise estatística geral, levando-se em conta o tratamento extra (testemunha) indicou haver efeito altamente significativo para os tratamentos, o que permitiu a realização de análises de regressão polinimial para estudar os efeitos dos fatores e suas interações.

15t3.gif

Observa-se pela Tabela 3 que, aos 25 dias houve elevação do pH em todos os tratamentos, e que aos 50 e 75 dias, esses valores apresentaram uma pequena redução.

A elevação do pH aos 25 dias no tratamento testemunha pode ser resultado da liberação de amônia durante a fase inicial de mineralização da matéria orgânica, enquanto sua redução aos 50 dias provavelmente se deva à nitrificação dessa amônia liberada. Para os demais tratamentos, o fato do pH ter diminuído com o período de incubação, pode ser conseqüência do aumento da concentração de sais no solo, uma vez que este aumento reduz o pH, o que se deve em parte à ação da dupla camada elétrica, fazendo com que o gradiente de concentração do íon hidrogênio elétrica se reduza e o pH diminua (RAIJ, 1986). A equação de regressão obtida para períodos de incubação foi y = 7,29 - 0,71x + 0,10 x2, mostrando um efeito quadrático em conseqüência do decréscimo de pH após os 25 dias, em decorrência do provável efeito da concentração salina.

Os resultados da análise da variância para os dados de pH em relação aos fatores, períodos de incubação, produtos, doses e suas interações, mostraram que todos os fatores apresentaram influência sobre os valores de pH do solo, com exceção da interação tripla.

Os resultados da comparação das médias pelo teste de Tukey, ao nível de 1 % de significância no final do experimento, mostraram que os valores mais altos de pH (7,4) foram obtidos com a aplicação de calcário calcinado, vindo a seguir os valores obtidos com o calcário dolomítico com pH (6,6) (Tabela 4). Esses resultados estão de acordo com os valores do poder de neutralização (PN) dos respectivos materiais estudados, visto que o calcário calcinado foi o que apresentou o maior PN, além conter uma base forte, seguido do calcário dolomítico e a escória, os quais contém bases fracas.

15t4.gif

A comparação das médias dos valores de pH em relação à interação produtos versus período de incubação, através do teste de Tukey, ao nível de 1% de probabilidade, encontram-se na Tabela 5. Observa-se que após 25 dias de incubação do solo, o calcário calcinado foi o que apresentou maior efeito corretivo proporcionando um pH de 7,7, vindo a seguir o calcário dolomítico com pH de 6,9 e a escória com 6,7.

15t5.gif

Esse valor de pH mais elevado no calcário calcinado, se deve ao seu maior poder de neutralização (Tabela 2). Além disso, o calcário calcinado é constituido de óxidos (base forte) e carbonatos (base fraca). A base forte dissocia-se completamente liberando rapidamente o radical OH. O gesso não teve efeito sobre o pH do solo, como era esperado, uma vez que esse produto não é corretivo da acidez do solo (ALCARDE, 1988).

O resultados da comparação das médias de pH em relação à interação doses versus produtos, pelo teste de Tukey ao nível de 1% de significância, encontram-se na Tabela 6. Observa-se que o mais alto valor de pH foi de 8.1, obtido com a aplicação de 6 t/ha de calcário calcinado. Os mais altos valores de pH obtidos com calcário dolomítico e escória, foram também alcançados com 6 t/ha, sendo 7,1 e 6,8, respectivamente. As doses de gesso não apresentaram nenhum efeito sobre o pH do solo. A equação de regressão obtida para doses (y = 5,17 + 0,40x -0,02x2), mostrou um efeito quadrático significativo.

15t6.gif

Com relação à interação doses versus período de incubação constatou-se que o tratamento 6, 25 dias após a incubação, propiciou maior aumento do valor de pH do solo, tendo sido possível alcançar a neutralidade com os materiais calcários. (Tabela 7). Aos 50 e 75 dias após a incubação, os valores mais altos de pH foram também obtidos com 6 t/ha, sendo de 6,7 e 6,6,

15t7.gif

_________________________________________________

CONCLUSÕES

1. Todos os materiais, com exceção do gesso, apresentam efeito corretivo de acidez do solo.

2. O efeito corretivo do material é função da natureza do teor dos "constituintes neutralizantes", óxidos, hidróxidos, carbonatos e silicatos de cálcio ou de magnésio, avaliado pelo Poder de Neutralização (PN). Quanto maior o PN do material, maior sua eficiência em corrigir a acidez do solo, em todas as doses.

3. Dentre os materiais estudados, o calcário calcinado foi o que provocou o maior aumento de pH, seguido de calcário dolomítico e da escória, nas mesmas condições de tempo de incubação.

4. Quanto maior a dose aplicada do corretivo maior foi a elevação do pH do solo.

_____________________________________________________________________

pra quem quiser guardar em casa, aqui vai o pdf smile.gif

Efeito_de_diferentes_materiais_no_pH_do_solo.pdf

abraço a todos! :rolleyes:

  • Like 14
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Respostas 114
  • Created
  • Última resposta

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

RESUMO A grande maioria dos solos agrícolas brasileiros apresenta alta acidez (pH H2O < 5,5) sendo um dos principais responsáveis pela baixa produtividade das culturas. Estes solos exigem a ap

amigo, vc esta disseminando a desinformacao, se vc n tem certeza d algo, eh melhor vc ficar quieto, o runoff, serve tanto pra cultivos com solo organico e inerte, a funcao dele eh justamente vc ter um

Até porque é possível fazer runoff do solo no campo... é só levantar e recolher a agua... Não, opa, peraí...

Posted Images

  • Usuário Growroom

tava dando uma olhada no google....

LOCALIZAÇÃO DO CALCÁRIO

O fator mais importante, que determina a eficiência do calcário, é a sua localização. É essencial que a incorporação seja feita de modo a permitir o máximo contato com o solo da camada arável. Os materiais calcários mais comuns são apenas ligeiramente solúveis em água, assim sendo, é absolutamente necessária a incorporação para que ocorra a reação do calcário. Mesmo quando adequadamente misturado ao solo, o calcário terá pouco efeito sobre o pH, se o solo estiver seco. A umidade é essencial para que o calcário reaja no solo. Quando grandes quantidades de calcário são aplicadas em solos argilosos, a mistura fica mais bem feita aplicando-se uma parte antes da aração, e outra, depois desta operação. Em solos arenosos, que podem ser preparados à profundidade de 10-15cm, uma aplicação apenas, antes ou depois da gradagem, é suficiente. Em alguns sistemas de cultivo, como as culturas perenes e as pastagens, a mistura somente pode ser feita antes da semeadura. Uma vez estabelecida a cultura, o calcário só poderá ser aplicado a lanço, em cobertura. O calcário aplicado à superfície reage lentamente e não tão completamente quanto o calcário misturado com o solo.

MATERIAIS CALCÁRIOS

Óxido de cálcio (CaO) - Também conhecido como cal viva, cal virgem ou calcário rápido, o CaO é um pó branco, muito desagradável na mão. É fabricado pela queima de calcário em fornos e sua pureza depende da matéria prima. Quando adicionado ao solo, ele reage quase imediatamente, de modo que, quando se desejam resultados rápidos, o CaO ou o hidróxido de cálcio são ideais. Deve ser completamente misturado ao solo, pois empedra rapidamente e pode tornar-se ineficiente.

Hidróxido de cálcio [Ca(OH)2] - Frequentemente chamado de cal apagada, cal hidratada

ou cal de construção, o Ca(OH)2 é uma substância branca, pulverulenta, difícil e não agradável de manusear. A neutralização ocorre rapidamente quando é adicionado ao solo. É preparado através da hidratação do CaO.

Calcário Calcítico (CaCO3), Magnesiano e Dolomítico [CaMg(CO3)2] - Eles são mais

comumente explorados em mineração a céu aberto. Sua qualidade depende das impurezas - tais como argila - que eles contêm. Seu poder de neutralização (equivalente em CaCO3) usualmente varia de 65 a 70% a pouco mais de 100%.

Calcário calcinado - Os calcários calcinados, que tanto podem ser calcíticos,

magnesianos ou dolomíticos, são produtos muito comercializados em algumas regiões do

Brasil. São fabricados pela calcinação das rochas em fornos e posterior moagem. O grau de

calcinação pode ser total ou parcial, o que dá ao produto final diferentes graus de poder relativo

de neutralização total.

Escórias - Vários tipos de materiais são classificados como escórias. A escória de

siderurgia é um sub-produto da fabricação do aço a partir do ferro gusa. As escórias básicas

são geralmente aplicadas pelo seu teor de fósforo, ao invés do seu valor como material

corretivo. As escórias de forno elétrico resultam da redução, em forno elétrico, do fosfato de

rocha na preparação do fósforo elementar. É um resíduo, geralmente comercializado a baixo

preço dentro de um raio limitado em torno do local de produção

aos amantes de pdf :P é so save a copy, no canto esquerdo superior, pra guardar o arquivo pra si...

fonte: http://www.dpv24.iciag.ufu.br/new/dpv24/Ap...LCARIO%2002.pdf

  • Like 3
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 8 months later...
  • Usuário Growroom

up

edit: agora sim, no local certo!

legal dos dados, q da pra constar o limite do efeito do calcario q é de +- 1 mês

a partir de 25 dias, o pH começa a cair de novo, hora de nova aplicaçao

  • Like 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 1 month later...
  • 1 month later...
  • 3 months later...
  • Usuário Growroom

MUITO BOM o post.... to vendo que todos aki jogam sério e naum brincam em serviço... muito bom galera.. é isso aí..

Planto já faz um tempo e obtive melhores resultados com a calcário dolomilítico.. comparando-o com o calcítico.. pois o calcário dolomilítico possui Mg em sua composição, lhe insentando do risco de queimar sua planta com um overfert de sal amargo...

valew..

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 1 month later...
  • Usuário Growroom

Ele regula o pH normalmente; A diferença dele para o dolomítico é a concentração de Mg.

A reação ocorre da seguinte maneira: Solo-H + CaCO3 ? Solo-Ca + H 2O + CO2 ou seja, O calcário reduz a acidez do solo (eleva o pH) pela conversão de íons H+ em água.

0 - 5% Mg = Calcítico

5 - 12% Mg = Magnesiano

>12% Mg = Dolomítico

[]'s

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 3 weeks later...
  • Usuário Growroom

Esse é um tópico esclarecedor!

Agente estuda, estuda, e sempre tem mais o que ler e aprender!

Valeu Steam, grande ajuda!

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 3 weeks later...
  • Usuário Growroom

deixa eu fazer um levantamente aqui....

COMO VOCES APLICAM O CALCARIO (e qual solo usado e frequencia de aplicação) ???

. misturam no solo antes do plantio

. polvilham por cima da terra e regar

. diluem na agua (lembrando q ele nao dilui mt bem na agua)

to fazendo essa pergunta, pois ainda nao arrumei uma maneira 100% eficiente de aplicaçao de calcario, no meu caso, eu polvilho por cima da terra qd acho necessario, alem de ter um pouco no mix antes do plantio, mas sempre q precisei de verdade corrigir o pH, nao obtive resultados 100% eficientes

vamos trocar experiencias de como aplicar o calcario aqui tb, ate pra mim, e pra galera nova aperfeiçoar a aplicação!

os experts podiam vir dar um help aqui ein

abss

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Galera e o seguinte, Aproveitando o tópico de correção de ph de solo !

Aqui na minha City o pH e muito alto, sai da torneira entre 7.5 e 8.00, aqui e uma região polo de fabricas de cimento e Cal

ou seja a região e bem calcaria (a agua tem até gosto, so tomo agua mineral ), no meu sistema hidro com coco+vermiculita

estou regulando o o Ph todo dia a noite , antes de ajustar fica em torno de 7.0 a 7.2 com ferts da GH, aplico um quantidade de REdutor de PH

(EArt-juice) até chegar em 5.6 a 5.8 ai quando volto a medir 24 horas depois ja subiu denovo para 7.00 a 7.2 ! isto ja está acontecendo a 6 dias seguidos !

O topico aqui fala mais de correção do PH para cima (subir), Alguém teria um help de como posso corrigir/estabilizar meu PH?

O será que por ja ser muito calcaria minha agura eu deixo com o ph na faixa de 7.0 mesmo ?

Plz da um help ai alguém intendido , ja tentei procurar minha solução em varios topicos , mas até agora nada comclusivo !

Vlw

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Galera e o seguinte, Aproveitando o tópico de correção de ph de solo !

Aqui na minha City o pH e muito alto, sai da torneira entre 7.5 e 8.00, aqui e uma região polo de fabricas de cimento e Cal

ou seja a região e bem calcaria (a agua tem até gosto, so tomo agua mineral ), no meu sistema hidro com coco+vermiculita

estou regulando o o Ph todo dia a noite , antes de ajustar fica em torno de 7.0 a 7.2 com ferts da GH, aplico um quantidade de REdutor de PH

(EArt-juice) até chegar em 5.6 a 5.8 ai quando volto a medir 24 horas depois ja subiu denovo para 7.00 a 7.2 ! isto ja está acontecendo a 6 dias seguidos !

O topico aqui fala mais de correção do PH para cima (subir), Alguém teria um help de como posso corrigir/estabilizar meu PH?

O será que por ja ser muito calcaria minha agura eu deixo com o ph na faixa de 7.0 mesmo ?

Plz da um help ai alguém intendido , ja tentei procurar minha solução em varios topicos , mas até agora nada comclusivo !

Vlw

Eae parceiro blz??

Bom cara não sou nenhum especialista mas leio bastante o GR aqui e acho que pra esse seu côco e vermiculita o pH deve ser bem mais baixo do que 7 talvez um 6.2 ou até 6 mesmo (se estiver errado alguem corrige por favor).

Eu to no meu primeiro cultivo no 100% côco e tb to usando GH, e vou te falar que nunca vi plantas tão lindas e desenvolvendo muito rápido, agora ainda mais pois lancei um condutivimetro

Aqui a água do filtro sai 7.0 eu coloco duas gotas de vinagre para 3 litros dágua e o ph cai absurdamente tipo pa 5.9 a 6.1 6.2

Espero ter ajudado, pelo menos comigo aqui vai indo que é uma blz.

:Maria: Não Compre Plante :Maria:

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

deixa eu fazer um levantamente aqui....

COMO VOCES APLICAM O CALCARIO (e qual solo usado e frequencia de aplicação) ???

. misturam no solo antes do plantio

. polvilham por cima da terra e regar

. diluem na agua (lembrando q ele nao dilui mt bem na agua)

to fazendo essa pergunta, pois ainda nao arrumei uma maneira 100% eficiente de aplicaçao de calcario, no meu caso, eu polvilho por cima da terra qd acho necessario, alem de ter um pouco no mix antes do plantio, mas sempre q precisei de verdade corrigir o pH, nao obtive resultados 100% eficientes

vamos trocar experiencias de como aplicar o calcario aqui tb, ate pra mim, e pra galera nova aperfeiçoar a aplicação!

os experts podiam vir dar um help aqui ein

abss

Eae steampipe blz mano?

Então eu tb polvilho em cima do solo porém as vezes ele fica empedrado (mais quando utilizo solo e menos no 100%côco)e mesmo após varias regas a parada persistiu, e dessa forma certeza o pH não foi ajustado.

Talvez se tivesse uma receita de bolo pra incorporar ele no premix axo que seria o ideal mas mesmo assim com o passar das regas não sei se seria necessário novas adiçoes de calcareo

:Maria: Não Compre Plante :Maria:

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...

  • Tópicos

  • Posts

    • Bom dia pessoal, eu tinha uma planta florindo 2 sememas no 12/12 que estava com praga, fiz uma desfoliação e coloquei no 18/6  isso pode gerar algum problema? notei que os brotos travaram mas continuam resinando e elas estão ramificando mais..
    • é vou ver o que sai das coisa que ganhei aqui parece muito bom..ja ta lá mano éra os 60 reais que tinha que sobro do ano passado daquele rolo dos dois pedidos perdidos do hiper,,,salvei só o brinde, e depois de 3 4 meses o baguio salto pra 240 real fica oscilando é mó doidera oto dia tava 300,mais porra na precisão que eu estou vou acabar tirando pra conserta o pc e compra uns insumos que falto aqui ,preciso de calcio,vo acaba tirando de la memo é fóda,,,mais ta ligado né eu conheço o senhor nene pow ó mano é zica kkkkkkk ,a informação se prega na minha mente,to sempre triligado nas cousa,a sei la vo ver o que faço ,sei como é o ouro ta nas regulares os piruzinho não entendem kkkkk graças ao pai divino e eterno eu to nessa meta abrir f2 e sai fazendo surubão kkkkkkkkkk vou jogar as gringa po ar e vou atrás de algumas africanas,to precisando dessa onda sativa pa ve se da 1 up , eu ja tava meio mucho,casinha escureceu com bang do wilson e do afegão,deu gelada no movimento,pota mano o memo lançe que aconteceu com stuart,que apago o topico de leds e deixou todo mundo no escuro kkk,ai nois ve umas fita dessa,perdemos um membro muito importante,fora o topico monstro do noo-tiil,eu estudei vi umas partes mas com o tempo eu esqueçi kkk,agora to ali com um monte de cano que arrumei na recicragem e vo tem que ve como que vo monta uma mini cabana no outdor,é cano grande e bom mano,achei na rua coletando>>>>>> meu mano @bud,fez a coleta do projeto vo ve com ele>>>>>>>>>>>>a casinha esta perdendo a essência.eu reluto e luto por que ela num é feita por um mais por geral é coletivo. é embaçado ó,eu estou estupefato. o melhor que tinha que fazer era ignorar,sabe tipo o cara do caixa eletrônico kkkkkkkkk ri muito KKKKKK>>>esquerda ou direita quem perde é o povo.,,num esperava isso ..logo dele. seguimos lutando é a resistência. é nóis que pranta............  
×
×
  • Criar Novo...