Ir para conteúdo
Growroom

Liberação De Plantio De Maconha No Litoral é Discutida Em Conferência


dickloco

Recommended Posts

  • Usuário Growroom

Proposta de cultivo apresentada por representantes de Antonina é um dos assuntos da 3.ª Conferência Estadual do Meio Ambiente

Um evento promovido pelo governo do estado – a 3.ª Conferência Estadual do Meio Ambiente – incluiu na pauta a discussão sobre a possibilidade de autorizar a plantação de maconha no litoral do Paraná, para uso da planta com fins medicinais. O cultivo de maconha, proposta apresentada por representantes de Antonina na conferência, seria uma forma de “promover a sustentabilidade entre comunidades alternativas, liberando o cultivo de ervas medicinais, incluindo a Canabis sativa (nome científico da maconha)”. A conferência foi aberta na quinta-feira (27), na Associação Banestado de Pontal do Paraná, litoral do estado, e termina no domingo.

O secretário estadual do Meio Ambiente, Rasca Rodrigues, confirmou que a polêmica proposta será discutida na conferência. “Há possibilidade dessa proposta vir a ser aprovada?”, questionou Rasca Rodrigues. Ele mesmo respondeu: “Vai depender da plenária”. Cerca de 750 delegados – representando organizações não-governamentais (ONGs), entidades empresariais e o governo – devem debater propostas do Paraná para diminuir as mudanças climáticas. A plantação de maconha é uma das propostas.

Na plenária, 50% dos delegados são de ONGs, 30% do setor empresarial e 20% de membros do governo. “Como se vê, o governo não é maioria e não tem poder de veto (sobre a proposta de plantar maconha)”, disse o secretário. Para Rasca, a proposta de liberar o cultivo de maconha no litoral do Paraná pode, de fato, ser aprovada. “Faz parte da democracia.”

As propostas aprovadas na Conferência Estadual serão levadas para a discussão na Conferência Nacional do Meio Ambiente, que deve ser realizada ainda neste ano, em Brasília. Se for aprovada, a plantação de maconha vira uma diretriz para políticas públicas de meio ambiente.

Outros temas

Além da polêmica proposta sobre o uso da maconha, a Conferência Estadual do Meio Ambiente vai discutir temas como destinação do ICMS Ecológico para projetos ambientais, o controle do corte em reservas florestais, a proibição da queima de cana, entre outras idéias para conter o aquecimento global. O evento conta ainda com a presença de representantes do governo federal, entre eles Marcos Sorrentino, diretor do Departamento de Educação Ambiental do Ministério do Meio Ambiente; e Helio Sydol, superintendente do Ibama no Paraná.

COLUNA

Lei permite o uso medicinal

A Lei Federal 11.343/2006, conhecida como a Lei das Drogas, autoriza o plantio de maconha no Brasil para fins medicinais. Mas há muitas restrições. “Tem de haver autorização governamental e a plantação deve se destinar exclusivamente à pesquisa”, explica Carlos Roberto Bacila, professor de Direito Penal na UFPR e na Facinter.

Bacila diz, porém, que o uso da maconha para fins medicinais vem sendo colocado em xeque. “Há quem recomende a maconha, terapeuticamente, para diminuir o tamanho do globo ocular em casos de glaucoma. Mas o paciente teria de fumar um cigarro de maconha a cada duas horas. Então, o tratamento vem sendo abandonado”, explica. Bacila, co-autor do livro Comentários Penais e Processuais Penais à Lei de Drogas, salienta ainda que a Ciência prova que as drogas proibidas, inclusive quando usadas com a finalidade medicinal, provocam mais malefícios do que benefícios.

Já o delegado do Núcleo de Repressão ao Tráfico de Drogas em Curitiba, Gil Rocha Tesserolli, diz que não tem notícia de liberação do cultivo no Brasil. “Nunca vi nenhum caso concreto disso. Imagino que, se isso vier a ser autorizado, deverá haver controle absoluto.” De acordo com Tesserolli, um eventual plantio de maconha, uma vez autorizado por lei, deverá ser extremamente monitorado para garantir que a erva seja de fato usada só na medicina. (MRS)

Fonte: Jornal Gazeta do Povo (Paraná)

online: http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/para...-em-conferencia

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

hahueuhhuhuehue

pow

eu tinha postado isso tbm

hahahaha

acho q vc postou antes dick aheuhae

killa demaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaais

eh noix em caiobá plantando vários qndo voltar pro braza heueauhehueheuaueaehaehahue

q beleza

e assim estão sendo dados os primeiros passos \o/

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
Bacila diz, porém, que o uso da maconha para fins medicinais vem sendo colocado em xeque. “Há quem recomende a maconha, terapeuticamente, para diminuir o tamanho do globo ocular em casos de glaucoma. Mas o paciente teria de fumar um cigarro de maconha a cada duas horas. Então, o tratamento vem sendo abandonado”, explica. Bacila, co-autor do livro Comentários Penais e Processuais Penais à Lei de Drogas, salienta ainda que a Ciência prova que as drogas proibidas, inclusive quando usadas com a finalidade medicinal, provocam mais malefícios do que benefícios.

O paciente teria que tomar uma outra dose a cada duas horas, não necessariamente um baseado inteiro. Isso é pura especulação de gente que não entende do assunto. Se for usado uma variedade mais potente algumas tragadas bastam para promover o efeito desejado, é só ler em fóruns de discussão sobre o uso medicinal de países onde o uso da cannabis pra este fim é mais difundido. O baseado tem a vantagem que ele não continua queimando até o final se você para de fumar como o cigarro. Você pode enrolar um, dar umas tragadas e deixar de lado no cinzeiro que ele apaga, quando o efeito estiver passando é só dar mais umas tragadas.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Finalmente uma boa noticia.

Aqui no Brasil o SUL sempre saí na frente, daqui a pouco se espalha pro Brasil todo !!

TOMARÁ !!! hehehheheh

Eu acho que deveriam pensar em legalizar o plantio no sertão isso sim,

uma área imensa e com um potencial temendo para a maconha, já pensou produto de exportação ia salvar os sertanejos.

ia injetar capital no país, fora as industrias de beneficiamento que ia rolar nas capitais,industria têxtil,combustivel, e cosmetico

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Salve Na Bruxa ...

Faço tua as minhas palavras !!!!

Varios desempregos no sertão pq justamente o calor é muito e fika dificil plantar varias especies !!!

Ja a cannabis pede por esse sol abundante ... da um jeito na irrigação com os lençois d'agua !!!!

É seria uma grande causa, vamos ver se dessa vez o Brasil evolui nesse aspecto !

Paz

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Proposta recebe emenda e está descartado plantio de maconha no litoral

30/03/2008 | 19:41 | Carlos Ohara

A proposta que incluía o plantio de ervas medicinais – com citação nominal da Cannabis Sativa, nome científico da maconha - como uma das opções de sustentabilidade de comunidades alternativas no litoral paranaense, sofreu emenda em seu texto final, com a retirada do destaque para o nome da planta herbácea, e foi aprovada na III Conferência Estadual do Meio Ambiente encerrada neste domingo em Pontal do Paraná. A alteração no texto, no entanto, eliminou a possibilidade de plantio da maconha no litoral do estado.

A proposta, inserida na pauta do evento oficial, foi assinada por uma pessoa identificada como Agnaldo Barbosa e apresentada para a discussão por representantes da conferência regional do litoral que ocorreu em outubro, em Antonina. No entanto, até o final da conferência, nenhum participante sabia identificar o autor da proposta mais polêmica do encontro.

Na tarde de sábado, os participantes da reunião disseram que a divulgação da proposta causou hostilidade por parte de moradores do litoral em relação aos participantes da conferência. “Na praia, algumas pessoas nos chamaram de vagabundos. Eles acharam que estávamos aqui para aprovar o plantio de maconha na região”, relatou o vice-prefeito de Abatiá, José Alves de Brito Filho. O pré-candidato e ex-prefeito de Jardim Alegre, Abdo Mohamad Addi, estava preocupado com a possibilidade de seus adversários políticos distorcerem o fato para denegri-lo na próxima campanha eleitoral. “Podem inventar que eu queria liberar a maconha aqui”, disse. Outro ambientalista, que não quis ser identificado, disse que foi obrigado a deixar o hotel onde estava hospedado. Inconformado com a repercussão do caso, o representante de uma ONG de Antonina, Osmar Spada, propôs a realização de um abaixo-assinado “repúdio à liberdade de imprensa”. A proposta foi aprovada pela plenária.

Durante a conferência foram aprovadas 70% de 1,3 mil propostas feitas em encontros regionais em todo o estado. O material proposto será agora levado à discussão na conferência nacional do meio ambiente que será realizada em Brasília, no mês de maio. Entre as propostas paranaenses que foram encaminhadas para o encontro nacional, está a idéia de obrigar as empresas que atuam no transporte de passageiros a plantar cinco mudas de árvores por veículo da frota, como compensação pela emissão de materiais poluentes na atmosfera.

portal.rpc.com.br/gazetadopovo/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=751960

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

“Na praia, algumas pessoas nos chamaram de vagabundos.'

Pq q vcs acham q o brasil n evolui,vai continua sempre sendo esse paisinho d 5 categoria miseravel...

PQ O POVO EH IGNORANTE!........IGNORANTE,BURRO,SO VAI PRA FRENTE QDO TROPEÇA....ENQTO O POVO BRSILEIRO CONTINUAR COM ESSA IGNORANCIA, O BRASIL VAI CONTINUA SENDO UMA M E R D A

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

O fato de ter sido colocada na pauta da conferência já dá ânimo para quem quer defender a causa. Quem sabe alguem mais preparado pra discutir o assunto apareça para defender sua idéia até o final! Sim, nosso país vive em ignorancia e hipocrisia, mas se uma pessoa segura começa a esplanar suas idéias de forma clara e confirmada com referênicas de pesquisas, exemplos de casos, muitas outras pessoas podem no mínimo vir a refletir. Nunca desistamos, nunca deixemos de acreditar.....

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

oq mata são os filhos da puta q escutam a palavra "maconha" e fecham a guarda geral, não querem nem ouvir a proposta de legalizar, os motivos, os benefícios... são pessoas burras msm, acreditam na palavra do estado acima de tudo, confiam na polícia, são a favor da pena de morte, acham q o mundo esta uma maravilha, que esta tudo certo e não se tocam q oq acontece é justamente o oposto do que o estado promete, segurança, saúde, educação...

eu ouvi uma história de que o FHC ia legalizar mas só não fez por causa da parcela conservadora q elegia ele, iriam ficar chocados, ainda mais com os concorrentes botando pilha no assunto, ecomo sugeriu esse Abdo Mohamad Addi:

" estava preocupado com a possibilidade de seus adversários políticos distorcerem o fato para denegri-lo na próxima campanha eleitoral. “Podem inventar que eu queria liberar a maconha aqui. "

sera q o cara não poderia assim como perder, arrebatar outros milhares de eleitores onde ele é candidato ??

acho q oq aconteceu foi muito válido apesar da não aprovação, mas isso é normal, oq devemos fazer é não desistir, eu particularmente não achava o movimento prócannabis no brasil assim tão forte e unido, mas to me surpreendendo, ta dando os primeiros fassos firmes, vamos ver essa tal marcha como vai sair

gostei da matéria acima de tudo por saber q a costa do paraná é assim tão "visionária" com suas comunidades alternativas e nem sabia q havia tantas... ja decidi onde vo passar uns dias no próximo verão hehehe

LEGALIZE NOW!!!!!!!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

A proposta tem que mostrar a maconha industrial, que não dá brisa mesmo em grandes quantidades...(como a mandioca que existe a venenosa, a salvia tempero etc...)

QUE É A PLANTA QUE MELHOR CONVERTE CO2 CONHECIDA PELO HOMEM E DE FACIL EMPREGO... galera descula ai o o capslock

e ainda de quebra produz 600% mais fibra que o algodão...

TEMOS QUE PEGAR NO PÉ DA SOCIEDADE, pois se ficar do jeito que está as geleras vão embora... acho que ninguem tomou consiencia que as condicoes climaticas mudaram muito nestes 18 anos...

Produz 2 vezes mais celulose na metada do tempo que eucalipto.

ESSA PLANTA É UM VERDADEIRO CELULA TROCO NUM ALVELO PULMONAR falando na conversão de CO2

QUERO VER MUITAS FAIXAS PASSANDO A IDEIA DISSO... na marcha...

Desculpe moderadores pelos caps, mas fico indignado... gostaria de fazer mais que uma simples faixa... temos que convencer a todos que ela é benefica na converção de CO2, RENDE MUITO MAIS que eucaliptos e algodão entre outras coisas e não precisa liberar a tachada "DROGA"(vamos falar do alcool.) pois existem especies que nao faz droga. e da RENDA E TRABALHO PARA COMUNIDADES. DIFERENTE DO BOLSA FAMILIA!!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...
×
×
  • Criar Novo...