Ir para conteúdo
Growroom

O mal bioquímico da maconha


Recommended Posts

  • Usuário Growroom

Aí Kju, valeu pela info. Amanha procuo esta referência.

Para mais informações sobre anandamida e outros visite a página da CalBiotech, uma empresa que fabrica todos os tipos de ligantes.

www.calbiotech.com

Lá existe informação de todo o tipo, incluindo referências, sobre os compostos.

Peace

Chu

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Respostas 242
  • Created
  • Última resposta

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

O que o THC destrói ??? Neurônios ??? Nao exatamente... O neurônio tem uma parte alongada, que parece um "rabo", chamada axônio. O axônio é constituído por um feixe interno revestido de um tipo de

Olá a Todos, Sim... o tempo passa... e de forma inexorável... ainda bem! Pois apenas por isso situações como esta podem se realizar... fazem 14 anos que este tópico foi iniciado, e, de alguma for

Sai daqui mano.. o pau ta quebrando ai.. nóis de espectadores querendo saber qualé do bagulho.... e vc vem manda esse papo de maconheeeiro poha! oh os cara falando do macarrone ai em cimmaaa irma

  • 2 weeks later...
  • Usuário Growroom

No final dos anos 90 que eu ouvi algo relacionado à matéria do chu.

Lembro que foi um lance assim, que o THC corrói as sinápses. As sinápses ligam os neurônios (seriam essas bainhas?), mas elas se regeneram mais fortes que antes, lógico que se regeneram apenas se o usuário parar de usar cannabis por um tempo.

A banda inglesa "Bush" tem uma música chamada "Synapse"

está no álbum "Razorblade Suitcase"

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 1 month later...
  • 1 month later...
  • Usuário Growroom

oi pessaol parabens ao chu pelo post apesar de achar demasiado tecnico para a maoiria, apesar das explicações em termos tecnicos tem que haver a estudos cientificos para comprovar essas teses e mais importante que seja de fontes independentes

Existem 63 canabinóides divididos em 11 classes... O THC é o mais psicoativo sim, porém seus efeitos sao potencializados, diminuídos e distorçidos, ou seja, modificados na presença de outros canabinóides... Por isso um cara que toma o Marinol (THC sintético) nao fica locão que nem um cara que fuma um beck.. O efeito dos canabinóides nao é individual na maconha, mas sim o resultado de uma interaçao.

so um reparo

ok o thc e mais psicoactivo , agora o seus efeitos não são diminuidos ou distorcidos , resultado de uma interação ja estamos mais de acordo mas o termo correcto e sinergia entre os principios activos que se encontram em equlibrio em qualquer planta.mas não explicaste o mais importante que que o nosso corpo não assimila moleculas sinteticas mas sim moleculas como se encontram na natureza funcionado em sinergia umas com as outras, por isso e que muitos medicamentos tem efeitos secundarios eles querem isolar so um principio activo para poder criar uma patente $$$$::: mas esquecem os principios basicos da natureza.ja agora tomam QUIMICOS?

boi

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 3 weeks later...
  • Usuário Growroom

DRAUZIO VARELLA

Novos neurônios

Neurônios são células especiais; sem eles, nossos cérebros não passariam de uma gelatina amorfa e inútil. Na segunda metade do século 20, os neurologistas nos fizeram acreditar em duas idéias que se transformaram em dogmas centrais da neurociência:

1) A partir dos primeiros anos de vida, perdemos milhares de neurônios, cada dia que passa.

2) No cérebro adulto, não há nascimento de novos neurônios.

A aceitação desses dogmas tem implicações graves: se a perda é inevitável e não somos capazes de repor neurônios perdidos, ao envelhecer estaremos fadados à deterioração intelectual e às dificuldades motoras. Isso talvez justifique as deficiências cognitivas e motoras que se instalam progressivamente nos portadores da doença de Alzheimer e de outras demências características dos mais velhos, mas não explica o caso dos idosos lúcidos e criativos.

A idéia de que os neurônios morrem coletivamente todos os dias, caiu por terra nos anos 1990. A revisão criteriosa dos trabalhos que serviram de suporte a ela deixou claro que os métodos utilizados para contar neurônios no tecido cerebral naquele tempo eram antiquados e considerados inaceitáveis pela neurociência atual. Na verdade, esse primeiro dogma havia sido enunciado a partir de evidências empíricas surpreendentemente frágeis, que nunca foram comprovadas com o emprego de metodologias mais precisas.

O segundo dogma foi contestado pela primeira vez em 1965, quando pesquisadores do MIT trataram ratos com uma substância que deixa coloridas as células que se encontram em divisão e detectaram a presença delas no cérebro. Infelizmente, com as técnicas então disponíveis, os autores não puderam distinguir se essas células eram realmente neurônios ou outras células do sistema nervoso.

Vinte anos mais tarde, pesquisadores da Universidade Rockfeller encontraram evidências do aparecimento de novos neurônios (neurogênese) num centro cerebral de canários fundamental para o canto e também no hipocampo, área importante para a memória.

Pesquisas posteriores demonstraram que novos neurônios são formados continuamente nesse centro vocal, mas surgem em maior número nas temporadas de acasalamento, quando os canários costumam acrescentar novas melodias ao canto. Fora dessa época, quando cantam menos e as canções se tornam mais monótonas, as dimensões da região ocupada pelo centro vocal diminuem de tamanho, para aumentar outra vez, quando os machos voltarem a se empenhar na conquista das fêmeas.

Em seguida, cientistas do Instituto Salk, na Califórnia, verificaram a ocorrência de neurogênese no hipocampo de ratos adultos e provaram que os novos neurônios eram formados a partir de células-tronco (células toti-potentes capazes de se diferenciar em qualquer outra) existentes no tecido nervoso.

Em estudos subseqüentes, os mesmos cientistas demonstraram que ratos colocados em ambientes com mais estímulos visuais, olfativos e sonoros duplicam o tempo de sobrevivência desses novos neurônios no hipocampo. Nos animais mais velhos, esse efeito é ainda mais evidente: a longevidade dos neurônios chega a triplicar.

Então, em 1992, pesquisadores canadenses encontraram sinais claros do nascimento de novos neurônios numa região cerebral do camundongo conhecida como bulbo olfatório, área essencial para integração dos estímulos que conduzem ao reconhecimento dos diferentes tipos de odor. A existência de neurogênese constante nessa região talvez explique a enorme capacidade de discriminação olfativa dos ratos --muito superior à dos cachorros.

Como essa capacidade discriminatória é essencial não só para a localização e a escolha de alimentos, mas também para o reconhecimento e a nutrição dos filhotes --uma vez que lesões no bulbo olfatório da mãe provocam abandono dos recém-nascidos à própria sorte--, o grupo canadense resolveu estudar se a gravidez induz a formação de novos neurônios nessa área cerebral dos ratos.

Acompanhando as fêmeas durante os 21 dias de duração média da gestação, foi possível verificar já no sétimo dia um aumento de 65% no número de neurônios presentes no bulbo olfatório. Os autores também detectaram aumento da neurogênese logo após o parto e mesmo depois de relações sexuais das fêmeas com machos estéreis.

O grupo identificou a prolactina, hormônio produzido em quantidades maiores durante a gravidez e imediatamente após a atividade sexual, como o fator capaz de disparar a formação desses neurônios recém-formados.

Esses achados, combinados com a descoberta publicada no ano passado de que medicamentos antidepressivos provocam nascimento de novos neurônios no hipocampo de mulheres e homens, não apenas derrubaram mais um dogma da neurologia; também tornaram o campo da neurogênese uma das áreas mais férteis da neurociência.

Neurônios podem nascer ou morrer de acordo com os estímulos a que são submetidos. Condições como estresse, depressão e viver num ambiente pobre em estímulos provocam morte de neurônios e atrofia de áreas cerebrais como o hipocampo, essencial para memória e aprendizado. Ao contrário, gravidez, medicação antidepressiva, prática de exercícios físicos, esforçar-se para desenvolver atividade intelectual desafiadora num ambiente pleno de estímulos e ser capaz de manter vida sexual ativa podem criar novos neurônios.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 1 month later...
  • Usuário Growroom

Olá para todos...

Boi agro,

"mas não explicaste o mais importante que que o nosso corpo não assimila moleculas sinteticas mas sim moleculas como se encontram na natureza funcionado em sinergia umas com as outras"

-----> Bom, discordo completamente desta sua afirmação. Cada fármaco tem uma ação específica e isolar compostos de uma mistura ou extrato é a grande fonte de medicamentos da humanidade. Na verdade a maioria das "moleculas como se encontram na natureza" estabelecem entre si uma relação sinergística que acaba por ter um efeito tóxico ou, ao menos, indesejado em humanos (mamíferos em geral...). A chave é justamente extrair todas as entidades químicas em um extrato bruto e aí trabalhar no sentido de isolá-las e caracterizá-las individualmente até que o princípio ativo em si seja encontrado. Muitas vezes são feitas modificações estruturais nestas moléculas naturais para que seu efeito seja modulado, o que as tornam moléculas sintéticas. E assim são justamente as moléculas sintéticas que são utilizadas controladamente.

"por isso e que muitos medicamentos tem efeitos secundarios eles querem isolar so um principio activo para poder criar uma patente $$$$::: mas esquecem os principios basicos da natureza"

--------> Na verdade efeitos secundários (ou colaterais) ocorrem em sua maioria devido a nossa ignorância quanto à totalidade do funcionamento das drogas que julgamos úteis terapeuticamente. Por exemplo: conhecemos um remédio X que abaixa a pressão por inibir a enzima A. De repente, anos e anos depois do início das vendas do remédio X é descoberto que ele também age inibindo a enzima B causando um efeito secundário. Apesar de não conhecermos completamente o mecanismo de ação de remédio X, ele ainda assim, no fim das contas, serve para abaixar a pressão. Logo a patente envolvida com este remédio, apesar de sofrer modificações, continua válida. E nenhum "principio basico da natureza" foi esquecido.

Bom, ao se fazer um extrato de maconha e depois fracionar este extrato acaba-se com uma infinidade de substâncias. Algumas delas são canabinóides e alguns poucos destes canabinóides têm efeito psicotrópico. Entendendo a ação de cada um deles é possível que se mostrem poderosos agentes terapeuticos em diferentes composições e concentrações para diferentes enfermidades. Só o tempo dirá...

Peace

Chu

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 weeks later...
  • Usuário Growroom

AI,galera falei com minha professora de neuroanatomia,ela é doutorada,me falou que a bainha de mielina não se regenera,o que acontece quendo perdemos ela o impulso tenta pegar carona com o neuronio visinho,e assim retardando sua velocidade,ja a memoria é mais complicado,vamos resumir,se voce aprendeu uma coisa hoje voce construiu uma via nervosa nova,fumou muito e esqueceu no dia seguinte,voce comeu a bainha,agora se voce aprender de varias maneiras,voce pode apagar uma via e ter a outra p/lembrar;Maconha nao deixa ninguem burro,apenas nao aprendemos de varias maneiras.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 5 weeks later...
  • Usuário Growroom

a maconha é uma planta............ e não importa o quanto temtam me convencer do contrario foi DEUS quem a criou e escreveu na bíblia q a gente podia usar e DEUS só quer o nosso bem, portanto tudo q ele cria é bom.......... é quem nunca curou uma gripe ou uma gastrite fumando um???

FUI.........

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 3 weeks later...
  • Usuário Growroom

Parabéns aí, galera, pela construção dessa boa discussão! É discutindo que a gente chega a um lugar melhor! Eu nem vou entrar nessa discussão pq tenho parcos conhecimentos nessa área, mas tô gostando à beça!

Só um comentário: brunoganjaman, se a gente pensar assim, nessa tautologia (é pq é), nunca vamos conseguir convencer ninguém de que a maconha é preoibida por puro moralismo e interesses políticos. Tem é que se discutir, mesmo. Usar e abusar de tudo o que a ciência e seus vários ramos dispõem pra podermos um dia fumar maconha e não nos sentir pressionados socialmente como criminosos...

Abraços!

natural

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 4 months later...
  • Usuário Growroom

Dae galera blz?!

meu primeiro post aqui no fórum...curti muito o lugar, sem preconceito e mentes bem abertas...

Agora quanto o mal da maconha...SE ela soh danificar a bainha de mielina entaum nao ha problema algum pq a bainha de mielina é ALTAMENTE regeneravel, tanto é que a uma célula especializada em regenere-la chamada celula de schwann.

Eu to tendo essa materia agora na aula..eu estudo no positivo, tirei esses dados da minha apostila e das aulas do meu professor...ahh e ta ai um link de uma figura do neuronio e axonio , da uma olhada na bainha de mielina pra vc ve a celula de schwann

neuronio.jpg

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Bom também não entrar nesta discussão porque sei muito pouco sobre isto mas to adorando esta discussão pois to prestando vestibular para biologia e também adoro quimica, muito boa esta discussão é disso que precisamos INFORMAÇÃO, pois sem ela se forma os mitos que em sua maioria são prejudiciais não só neste assunto. Muito obrigado Chu por sua imensão contribuição neste tópico e muito obrigado a todos os outros que contribuiram e estão contribuindo para o bom andamento não só deste post mas de toda a comunidade grow, pois só a informação e F2 salva. Hehehe

"Cristianismo: Mais seguro do que uma lobotomia, mas tão efetivo quanto uma"

"A religião é a maior arma na guerra contra a realidade."

É Preciso tornar-se superior à humanidade em poder, em grandeza de alma - em desprezo...NIETZSCHE

A rudeza não é meramente um desprezo: é uma forma de auto-preservação.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

fala chu bão? só pra tirar uma duvida...vc disse que estrógeno, progesterona, etc...os Esteróides são provenientes de vias metabólicas do ac araquidonico... ? mas eles não são provenientes do colesterol? mais precisamente não são fabricados no córtex da adrenal?

ae hardrocker...eu não sei, aliás ninguém sabe tudo...mas dizer que a bainha de mielina é ALTAMENTE regenerável perae...acho que essa informação está meio estranha...

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

dae sapo_joe, essas informaçoes eu tirei da minha apostila e do meu prof, e eu acho q eles naum iam ensina algo errado pro vestibular ainda mais o Positivo. e outra a bainha eh soh uma capa de gordura q serve como isolante elétrico, acho q naum deve ser taum dificil produzir isso.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

ae brother..num é por nada não...mas vc tirou essa informação de uma apostila de 1 cursinho pré-vestibular???

hauauhauhauhauh me desculpe...mas qdo vc entrar na faculdade vc vai ver tantas coisas que vc aprendeu errado!!! principalmente na área médica...

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

depois de ler tudo algumas conclusões e perguntas.

1 - pelo que vi, o certo seria fumar num pong ou num pipe, por causa do alcatrão, to vendo que é bim dar uma maneirada e não virar uma maria fumaça.

2 - Existem muito tipos de plantas diferentes e de fumo também, os traficantes que vendem a maconha também podem colocar substancias quimicas na droga, para render mais, isso também pode fazer mais mal.quer dizer vamos plantar mesmo.

3- qual será o tipo de fumo que faz menos mal?

4 - A maconha não é muito recomendada para um fisiculturista por exemplo?

5 - Na minha opinião a maconha usada moderadamente faz menos mal que o alcool.

6 - Não acho que a maconha seja, um remédio milagroso, acho que as vezes, umas pessoas acreditam nisso para justificar que fumam, mas também acho que pode fazer um pouco bem (será que acho isso porque fumo?, bincadeira)

7 - Se a maconha fosse legalizada, gandes empresas e institutos poderiam trabalha bem melhor sua genetica e potencializar as coisas boas e diminuir as ruins

8 - Acho que alem da falta de pesquisa sobre a maconha, também falta pesquisa sobre plantas que nem sabemos que existe na amazonia inteira, que poderiam acabar com tudo quanto é doença que existe hoje, deveria ser feita uma faculdade federal e um instituto de pesquisa brasileiro no coração da amazonia, para pesquisarmos a fauna e a flora, descobrimos propriedades sobre plantas inclusive a maconha.

9 - Com esse poluição, mundo agitado, radiação de celular, alimentação industrializada e outros que temos em sampa fica dificil saber a causa de doenças de uma pessoa.

10 - Você fuma Chu??

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 weeks later...
  • Usuário Growroom

chu cumpadi! sou novo no pedaço! sou usuário de cannabis sativa a dez anos ou seja ja fazem +ou- uns cinco anos que fumo todos os dias (três vezes por dia). o que você falou faz um pouquinho de sentido. Não existe nenhuma teoria que comprove tal Hipótese. existe a regeneração da bainha, não se esqueça disso. logo logo vou de mandar relatos de experiências realizadas com cannabis que explicam este caso.

maconha é saúde, lembre-se disso!

Sds.

sobrown

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...

×
×
  • Criar Novo...