Ir para conteúdo
Growroom

O mal bioquímico da maconha


Recommended Posts

  • Usuário Growroom
Tive uma experiencia com acidos (LSD), há cerca de 3 anos e essa experiência mudou minha vida ou pelo menos eu acho que mudou, pra pior, tive um grande ataque de psicose o meu coraçao batia super depressa nao consiguia estar bem com as pessoas a minha volta achava que todo o mundo com quem eu estava, meus amigos, estavam a achar alguma coisa relacionada comigo, agora sei que era preocupação por me verem no estado em que eu estava com o coraçao a bater a mil e sem conseguir diser uma palavra muito apatico e cheio de medo. Tive bastante mal durante 1 ano cheguei ate a afastar me desses amigos porque nao me sentia nada bem ao pe deles. Nao procurei ajuda por medo/vergonha, e sempre fumei maconha mesmo depois dessa experiencia, tinha de ves em quando uns ataques de panico e ansiedade mas conseguia controla.los, de ves em quando achava tambem que as pessoas tinham um certo tipo de repulsa de mim, e que algumas pessoas me julgavam com o olhar ficava muito assustado até evitava olhar as pessoas nos olhos, andava deprimido e sem ambiçao pro futuro evitava qualquer sitio com muita gente. Fui ao medico de familia que me receitou paroxetina, e ai é que a minha vida ia acabando, fiquei bastante maluco com vontade de bater nas pessoas que falam mal pra mim, mesmo uma pequena brincadeira eu levava a mal e queria partir logo pra agressao sentia me muito enervado, e pensei varias veses em acabar com a minha vida cheguei ate a tar em cima de uma ponte pra me mandar, mas nao o fis porque pensei na dor que a minha familia iria sentir e fui a correr ter com a minha mae, anda muito desequilibrado, ora muito bem ora muito mal. fomos ao hospital onde me receitaram olansapina e Diplexil R eu sentia me bem com essa medicaçao mas como engordava com a olansapina decidi parar, e senti que os sintomas voltaram um pouco nao aqueles agressivos mas sim os de ficar meio aluado, com um bocado de desconfiança das pessoas e nao me conseguisse focar a 100% em mim, controlo total dos pensamentos movimentos, etc, embora nao fosse nada como era antes e eu ia sempre tentado contrariar esses pensamentos pondo uma musica nos ouvidos ler um livro etc. Agora tomo Diplexil R, Lyrica, e a olansapina voltei a tomar agora outra ves porque a medica psiquiatrica disse que era importante, no entanto nunca deixei de fumar polen, derivado da maconha, e sinto que quando estou ao pe das pessoas nao me consigo ainda focar 100% apetece me olhar pra elas de ves em quando so numa de verificar pra onde estao a olhar se me estao a observar mas nada que me eloqueça apenas me chateia um bocado. me sinto comprometido com algo mas que nao sei explicar bem o porque será que isso pode ser efeito da maconha e acha que posso futuramente voltar a ter as capacidades que tinha antigamente?
Já parei de fumar maconha á 2 dias e por mais forte que seja a vontade irei faser o maximo para nao fumar, pois pode ser ela a causadora dos efeitos que estou a sentir certo? nao é sempre que me sinto mal quando fumo mas as veses acontece, mas somente quando estou com amigos sosinho é sempre numa boa.
Eu gostava de saber uma opiniao exterior, porque toda a ajuda é bem vinda e ouvir profissionais deixa me sempre tranquilo e menos ansioso, adoro saber mais sobre aquilo que sinto pois acredito que percebendo aquilo que se passa comigo é meio caminho para conseguir solucionar meus problemas.`
Agradeço imenso a ajuda
Aguardo resposta
Cumprimentos
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 1 year later...
  • Respostas 242
  • Created
  • Última resposta

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

O que o THC destrói ??? Neurônios ??? Nao exatamente... O neurônio tem uma parte alongada, que parece um "rabo", chamada axônio. O axônio é constituído por um feixe interno revestido de um tipo de

Olá a Todos, Sim... o tempo passa... e de forma inexorável... ainda bem! Pois apenas por isso situações como esta podem se realizar... fazem 14 anos que este tópico foi iniciado, e, de alguma for

Sai daqui mano.. o pau ta quebrando ai.. nóis de espectadores querendo saber qualé do bagulho.... e vc vem manda esse papo de maconheeeiro poha! oh os cara falando do macarrone ai em cimmaaa irma

  • Usuário Growroom

Olá a Todos,

Sim... o tempo passa... e de forma inexorável... ainda bem! Pois apenas por isso situações como esta podem se realizar... fazem 14 anos que este tópico foi iniciado, e, de alguma forma, a vida me trouxe de volta pra ele... ou trouxe ele de volta pra mim... mas mais do que isso, trouxe o entendimento de que, mesmo na internet, o que a gente aqui faz, aqui fica...

Quando este tópico foi iniciado a 14 anos, se me dissessem que em 15 anos metade dos estados dos EUA teriam leis flexíveis quanto a cannabis, eu daria risada... e assim, o tempo, inexorável como só ele, provou ser erroneo o meu suposto riso... se, em 2002, me dissessem que este tópico ainda estaria aqui quase 15 anos depois, eu, tembém erroneamente, teria rido... pois bem, cá estamos!

Agradeço a todos pelos comentários através dos anos... sejam eles de suporte ou desafio às minhas palavras. Foram estes comentários que fomentaram a vida deste tópico por todos estes anos, então, muito obrigado!!!

Gostaria ainda de dizer que muitas pessoas questionaram a falta de fonte das minhas colocações... novamente, digo que isto ocorreu (e ocorreu sim!) por falta de tempo em anotar e citar fontes... infelizmente não fui tão diligente ao ponto de citar a fonte de cada informação, mas não me arrependo disto, pois tive assim a liberdade de inflexão. Espero que todos entendam, de forma final, que em momento algum minha intenção foi de inventar fatos com o intuíto de "aparecer", mas sim reproduzir o meu entendimento sobre esta questão, entendimento este que veio das mais diversas fontes, nem todas cabendo uma citação.

Clarifico que, mesmo 14 anos depois, as principais referencias neste assunto ainda são:

  • The Science of Marijuana.
  • Marijuana Botany.
  • Papers na Bibliografia destes dois livros.

Com isso, gostaria de lembrar a todos que durante os 14 anos de "vida" deste tópico, muito mudou... e muito foi descoberto! Tenho certeza porém, que as descobertas adicionaram ao que foi exposto neste tópico, e não as contradizeram. Há muito tempo eu disse que "não tem quase pesquisa alguma sobre os efeitos do uso recreacional da cannabis" e, na verdade, continuo dizendo isso... mesmo com todo o investimento em ciencia de base sobre os efeitos psicotrópicos da cannabis, o conhecimento ainda é incipiente... ainda não estão claras coisas como:

  • Quais são os efeitos de longo-prazo (+20 anos) da cannabis?
  • Qual é a relação farmacocinética e farmacodinâmica entre os differentes canabinóides?
  • Elucidação do caminho metabólico dos endocanabinóides.
  • Qual é o efeito do uso de canabis sobre a memória?
  • O que causa a larica?

Ou seja, muito foi descoberto, sim, mas ainda não temos um conhecimento global estabelecido para os componentes da canabis. Por isso, jovens biologos e farmaceuticos, por favor continuem a descobrir o que é atual e a rechear este tópico de novas informações. Sejam elas compatíveis com o que já foi dito, ou não!

Quanto a uma generalidade... por enquanto estou contando 20 anos exatos de relação com MJ, e não vejo eu parando... a vida continua, acredito que sem problemas causados pelo uso... continuo estudando, ensinando, trabalhando, e fazendo progresso nestas frentes... ou seja, a MJ ainda não destruiu minha vida...   lol...

Agradeço novamente pela insistência neste tópico... e prometo voltar a olhar ele antes de outros quase 15 anos!

Peace

Chu

 

  • Like 11
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

O problema do seu tópico é que o seu entendimento é baseado em uma interpretação errada da questão. Revisando as fontes citadas por você não encontrei nenhuma menção de myelin no Marijuana Botany, provavelmente porque é um livro que trata especificamente das técnicas de propagação da Cannabis, e muito pouco sobre o conhecimento científico. Já o The Science of Marijuana diz literalmente o oposto do que o que é alegado no seu tópico. Segue a transcrição da única menção do livro:

"In an animal model of MS in mice (allergic encephalomyelitis), the animal's immune system is sensitized to a component of its own myelin and there is progressive nervous system damage accompanied by muscle tremor. This and other symptoms in this animal model can be suppressed by treatment with THC (Baker et al., 2001; Arevola-Martin et al., 2003). In this model repeated treatment with THC also has the effect of slowing down the development of the syndrome —suggesting that cannabinoids might even be able to alter the course of an autoimmune disease, perhaps because of their ability to dampen immune system activity."

E enquanto é verdade que muito foi descoberto nesses 14 anos, literalmente todas as informações existentes, posteriores e anteriores à criação do tópico, contradizem o que é afirmado, e agora reafirmado por você quando diz "Tenho certeza porém, que as descobertas adicionaram ao que foi exposto neste tópico, e não as contradizeram". Já mesmo em 2002, no mesmo dia que o tópico foi criado, o usuário BladoR apontou o erro da sua interpretação "científica". E muitos outros assim o fizeram desde então. É engraçado que todos que tentaram te corrigir no tópico foram desprezados ao ponto de você chegar a afirmar coisas como "algumas coisas muito estúpidas foram ditas ultimamente neste thread" e "Agora pensa comigo (até um macaco conseguiria)", como se você fosse uma autoridade no assunto quando, na realidade, praticamente todas as suas afirmações, passadas e presentes, são, na melhor das hipóteses, fantasiosas. 

Dizer mais de 14 anos depois que a falta de fontes das suas afirmações se deram por "por falta de tempo em anotar e citar fontes" é subestimar a inteligência até mesmo do usuário mais simplório. Primeiro porque simplesmente não existem fontes para as suas afirmações, e segundo porque você mesmo define você como sendo essa fonte, como podemos ler em afirmações como: "Puts cara, eu aprendi isto de várias formas: falando com professores,alunos, aulas, textos, pesquisas, discussoes, etc... nao tem como fazer uma bibliografia do seu conhecimento!!!", "É fácil buscar informações mastigadas na internet... Agora sou eu quem te desafia: PROCURA NA INTERNET ALGO FALANDO SOBRE O QUE EU FALEI AQUI NESTE THREAD. Voce nao vai achar... sabe por que??? porque nao é informaçao mastigada, mas sim informaçao que veio ao custo de muitos trabalhos e contatos únicos... que nao estão numa biblioteca ou na net, mas sim na experiência de alguns. Nao adianta só ler sobre, precisa pensar sobre...", e "repito que grande parte do meu conhecimento aqui exposto provém de anos e anos de trabalho, estudo e convívio com pessoas da mais alta respeitabilidade nas áreas de Biofísica, Neurofisiologia e toxicologia. É obviamente impossível que resuma este contato à apenas algumas publicações esparças. Se para vc o importante são referências bibliográficas, então eu sinceramente não sei o que vc querendo neste thread, uma vez que tudo que vc quer está aí, em algum lugar da net. Eu, por outro lado, estou aqui apenas tentando passar adiante conhecimentos que nem eu, nem vc, nem ninguém vai achar prontos em nome de um autor... Acredite no que quiser... Abraço Prof. Dr. Chu, Ph.D (Vc acha que eu ia dizer meu nome...)"

Pessoalmente eu duvido que você trabalhe/trabalhou com Ciencias Biológicas, tenha estudado eh Harvard, e possua PhD, como afirmado ao longo desse tópico. E se o tópico está fixado na área de saúde, não é pelo mérito do seu conteúdo, mas pela falta de organização e orientação de qualidade por parte da administação. 

Sempre que leio que existem poucos estudos em torno da Cannabis eu dou risada. Uma pesquisa com os termos Cannabinoid, Marijuana, Marihuana, Hashish, Cannabis, e Endocannabinoid no PubMed retorna, atualmente, 39.868 estudos, incluindo 1.572 ensaios clínicos. O que falta na literatura científica é consenso, até porque a maioria dos estudos existentes falham até mesmo em preencher critérios metodológicos adequados. É mais uma questão de falta de estudos de qualidade, especialmente ensaios clínicos de grande escala. Mas pessoalmente eu sinto que eu tenho um entendimento satisfatório de todas as questões que você diz ainda não estarem claras do ponto de vista científico. Talvez se você tivesse se dado ao trabalho de estudar a ciência em torno da Cannabis nesses 14 anos, você teria não só respostas para as suas perguntas mas também entenderia porque as suas afirmações nesse tópico são absurdas e beiram o ridículo. Errar é normal, mas insistir no erro é irresponsável e leviano.

  • Like 2
  • Thanks 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Prezado N-Araq.... agradeço as suas colocações. Obrigado. Infelizmente, não acompanhei as pesquisas sobre MJ nos ultimos 10 anos ao menos, então, novamente, não posso falar dos avanços em bioquímica e bio mol dos canabinoides, porem, ainda assim, insisto em dizer que dos quase 40 mil estudos publicados no PubMed de acordo com o colocado acima, poucos são sobre usuários saudáveis... a maioria foca em molecular ou segurança/eficacia frente a uma indicação. Insisto em dizer que ainda não tem muito investimento em efeitos de longo prazo.

Eu não ia ressaltar o fato de que voce criou um usuário novo apenas para responder esta pergunta, ao inves de usar seu usuário que vc provavelmente já tem... por que isso? Bom, eu digo que 15 anos depois ainda uso o mesmo usuário, mesmo que para discutir algo controverso, pois eu mantenho que eu disse, seja aceito ou controverso. Infelizmente, não posso identificar onde trabalho ou qual é minha formação exata, pois não tem muitos profissionais no mercado com o conjunto de formações que tenho, ou seja, ficaria até que facil descobrir quem eu sou. E por mais que minha intenção não seja medir curriculo, acredite, nunca parei de estudar, e 15 anos depois do início deste post, tenho ainda mais relação com ciencias biológicas e pesquisa clinica, vou anualmente a Harvard para dar uma optativa e adquiri um pos-doc e livre docencia... não tenho porque mentir, mesmo até porque algumas pessoas desta comunidade, a muitos anos atras, me conheceram pessoalmente.

Quanto à citação do Science of MJ acima, não entendo aonde ela vai de encontro com o que eu falei antes... até porque este livro e sua bibliografia foram uma importante fonte para mim.

Não sou arrogante ao ponto de achar que só eu sei as coisas... não. Pelo contrário: sempre fui aberto a novas informações e correções. Porém, infelizmente não sou muito simpático com posts que claramente vem de informação lida em um local na internet... acredito que o conhecimento se constroi de experiencias. Enquanto não houver um livro como "Fundamentals of Cannabis", o conhecimento não vai estar consolidado. A Cannabis vive, ainda nos dias de hoje, sem um paradigma para seguir... cabe a nós estabelecer uma diretiva baseada em informações avilsas até que o paradigma esteja disponivel. E o que vi neste thread foi muita gente se atendo a uma parte da informação como se fosse o todo.

Finalmente, o post está aí... quem quiser "acreditar", acredite... quem achar que sabe ou quer acreditar em outra coisa, muito bem, o faça! E compartilhe! Esta é a beleza da internet... tem de tudo, fica a critério de cada um dar credibilidade ou não. Eu ainda insisto que o que coloquei no meu primeiro post neste tópico, é verdadeiro e ainda válido.

Peace

Chu

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom
19 horas atrás, Chu disse:

Eu não ia ressaltar o fato de que voce criou um usuário novo apenas para responder esta pergunta, ao inves de usar seu usuário que vc provavelmente já tem... por que isso?

Se você colocar o mouse sobre o meu nickname verá que essa conta foi criada em 2014.

19 horas atrás, Chu disse:

Infelizmente, não posso identificar onde trabalho ou qual é minha formação exata, pois não tem muitos profissionais no mercado com o conjunto de formações que tenho, ou seja, ficaria até que facil descobrir quem eu sou. E por mais que minha intenção não seja medir curriculo, acredite, nunca parei de estudar, e 15 anos depois do início deste post, tenho ainda mais relação com ciencias biológicas e pesquisa clinica, vou anualmente a Harvard para dar uma optativa e adquiri um pos-doc e livre docencia... não tenho porque mentir, mesmo até porque algumas pessoas desta comunidade, a muitos anos atras, me conheceram pessoalmente.

Se você tem porque mentir ou não eu não sei, e nem me interessa. E tenho zero interesse em descobrir quem você é. Mas se eu fosse chutar eu diria Ronaldo Laranjeiras. O que eu não entendo é por que insistir que você está correto quando pelo menos uma dúzia de pessoas já demonstraram que você está falando baboseira, e que o seu entendimento do assunto é falho?

19 horas atrás, Chu disse:

Quanto à citação do Science of MJ acima, não entendo aonde ela vai de encontro com o que eu falei antes... até porque este livro e sua bibliografia foram uma importante fonte para mim.

Ela diz o contrário do que você afirma. Enquanto você afirma que "O problema é que o THC se acumula e começa a degradar a bainha de mielina, que com o tempo diminui", a citação diz que o THC possui um efeito protetor sobre a integridade da bainha de mielina. E essa citação é da bibliografia providenciada por você mesmo. 

19 horas atrás, Chu disse:

Não sou arrogante ao ponto de achar que só eu sei as coisas... não. Pelo contrário: sempre fui aberto a novas informações e correções. Porém, infelizmente não sou muito simpático com posts que claramente vem de informação lida em um local na internet... acredito que o conhecimento se constroi de experiencias. Enquanto não houver um livro como "Fundamentals of Cannabis", o conhecimento não vai estar consolidado.

Se você não é arrogante e prepotente, por que ainda não reconhece o erro de 14 anos atrás? Sim, minhas informações foram lidas da internet. E posso não ter um diploma em Ciências Biológicas, muito menos um PhD, e ter estudado em uma universidade chinfrim, mas eu sei que durante os últimos 10 anos eu li milhares de artigos científicos de ciências biológicas, inclusive dos maiores experts no sistema endocanabinoide, como Raphael Mechoulam, Allyn C. Howlett, Vincenzo Di Marzo, e Mauro Maccarrone, e sei também que o conhecimento que eu adquiri é suficiente para debater até mesmo com o profissional mais bem informado. Então se você tiver UMA ÚNICA fonte sequer que suporte as suas afirmações, eu retiro tudo o que eu disse e ainda peço desculpas.

19 horas atrás, Chu disse:

Eu ainda insisto que o que coloquei no meu primeiro post neste tópico, é verdadeiro e ainda válido.

Você pode insistir o quanto você quiser, mas suas informações continuam sendo unicamente fantasias de um indivíduo delirante. Enquanto isso, qualquer usuário pode utilizar uma simples busca no google para contestar as suas afirmações.

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

"Ashtari and others in 2009 discovered that the developing brains of teens may be disrupted by heavy marijuana use. They used DTI (Diffusion Tensor Imaging) in 14 heavy smokers (Averaging nearly 6 joints/day in the final year of their smoking (they had smoked from 13 to 18/19 years of age). Abnormalities were seen in areas connecting memory, decision-making, attention, language and executive functioning skills – exactly the critical areas which develop in late adolescence. The images suggested damage or an arrest in development of the myelin sheath (insulation) that surrounds brain fibres. This abnormal white matter development could slow down information transfer and affect cognitive functioning. Five of the subjects also had a history of alcohol abuse. "

@Nerv 

O que esse estudo do Ashtari, e muitos outros artigos sobre Cannabis e desenvolvimento do cérebro sugerem é que, a perturbação de eventos de maturação dentro do sistema endocanabinoide durante a adolescência, como as desencadeadas por uma exposição pesada ao THC, impactam o refinamento neuronal peculiar correto do cérebro adolescente, levando assim a funcionalidade e comportamento do cérebro adulto alterados. Eu acredito que a maioria dos usuários é ciente de que o uso precoce pode ser prejudicial. Já o que o usuário Chu afirma nesse tópico é "que o THC se acumula e começa a degradar a bainha de mielina, que com o tempo diminui.". São afirmações completamente diferentes.

  • Like 3
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Usuário Growroom

Você pode acreditar em um anônimo "PhD de Harvard e autoridade em Ciências Biológicas" que aparenta não possuir nem ao menos um entendimento básico de bioquímica,  e que não apresenta nenhuma fonte para suportar as suas afirmações simplesmente porque tais fontes não existem, ou você pode acreditar na ciência.

(2013) Strategies for Protecting Oligodendrocytes and Enhancing Remyelination in Multiple Sclerosis

"In EAE, CB1 activation in neurons and CB2 activation in CD4+ T cells have both been shown to ameliorate disease (Croxford and Miller, 2004; Croxford et al., 2008; Maresz et al., 2007). Cannabinoids may also induce neuroprotective effects in oligodendrocytes and oligodendrocyte progenitor cells (OPCs) which both express CB2 (Molina-Holgado et al., 2002). Cannabidiol was shown to protect OPCs from cytokine-mediated apoptosis by attenuating ER stress (Mecha et al., 2012). Additionally WIN55,212-2, a synthetic cannabinoid, stimulated OPC proliferation as well as survival in vivo (Solbrig et al., 2010), and there is evidence that cannabinoids can enhance remyelination by promoting oligodendrocyte maturation (Gomez et al., 2010; 2011). Thus cannabinoids may be a unique means to stimulate neuroprotection as well as regeneration. Several clinical trials of MS patients treated with cannabinoids found significant decreases in neurological symptoms and pain (Zajicek and Apostu, 2011)."

(2012) Early Endogenous Activation of CB1 and CB2 Receptors after Spinal Cord Injury Is a Protective Response Involved in Spontaneous Recovery

"We have previously shown that the endocannabinoid 2-AG administered 30 minutes after SCI reduces myelin loss [12]. In agreement with this, here we observe that the opposite treatment (CB1 and CB2 receptors antagonism by co-administering AM281 and AM630) increases myelin damage as measured by a decrease in MBP immunostaining in the epicentre at 90 days after lesion (Figure 6). Administration of only AM281 or AM630 did not affect MBP immunorreactivity."

(2012) A CB1/CB2 receptor agonist, WIN 55,212-2, exerts its therapeutic effect in a viral autoimmune model of multiple sclerosis by restoring self-tolerance to myelin

"The present study demonstrates for the first time that the therapeutic effects of cannabinoids in autoimmune models of MS are dependent upon the restoration of self-tolerance to myelin antigens. Accordingly, repressing cannabinoid-induced tolerance resulted inthe re-emergence of the pathology and a loss of neurological function."

(2010) The endocannabinoid system as a target for the treatment of neurodegenerative disease

"In addition to potentially preventing inflammatory and excitotoxic damage in MS, cannabinoids may also have a role in promoting repair of the axonal myelin sheath. Several studies have indicated that cannabinoids, via CB1 or CB2 (or both), may regulate myelination in the developing brain (Arevalo-Martin et al., 2007), the normal adult brain (Kittler et al., 2000) and the inflamed brain in the TMEV model of MS (Arevalo-Martin et al., 2003). The increased remyelination seen in the TMEV model may reflect the ability of cannabinoids to reduce inflammatory mediators which retard remyelination processes. Alternatively, the cannabinoids may have a bona fide stimulatory effect upon myelination, by enhancing the survival (Molina-Holgado et al., 2002), migration and differentiation towards an oligodendrocyte fate (Arevalo-Martin et al., 2007) of oligodendrocyte progenitor cells in the inflamed brain. If these exciting findings of cannabinoid-mediated attenuation of inflammation, stimulation of remyelination, and behavioural and symptomatic recovery translate from model systems to humans, cannabinoids may be promising therapeutics in MS."

(2010) The endocannabinoid 2-arachidonoylglycerol reduces lesion expansion and white matter damage after spinal cord injury

"Treatment with 2-AG also preserves the white matter around the epicenter of the injury. Moreover, in the preserved white matter, 2-AG protects myelin from damage and reduces oligodendrocyte loss. In addition to these protective actions at the epicenter region, 2-AG also inhibits the myelin damage and delayed oligodendrocyte loss induced at 10 mm from the epicenter. Interestingly, the early protective action of 2-AG is maintained 28 days after injury, when the lesion size is still smaller and the preservation of white matter is better in 2-AG-treated animals. Therefore, our results show that 2-AG protects from the expansion of the lesion and white matter damage, which suggest that this endogenous cannabinoid may be useful as a protective treatment for acute SCI."

(2008) CB2 cannabinoid receptors as an emerging target for demyelinating diseases: from neuroimmune interactions to cell replacement strategies

"Resident immune and CNS cells express functional CB2 receptors. The activation of CB2 receptors results in the modulation of the inflammatory response, restraining one of the agents responsible for the progress of demyelination and neuronal death, the ultimate causes of the symptoms in pathologies such as MS and EAE. The modulation of inflammatory molecules through CB2 receptors could also enhance remyelination, stimulating the survival of oligodendrocyte precursors and neural stem/precursor cells, and their development into mature oligodendrocytes.

However, the role of CB2 in controlling demyelination and enhancing remyelination is not limited to autoimmune diseases and it is not restricted to the control of the immune system (Figure 2). Both in MS, EAE and other non-immune-mediated demyelinating diseases, the protective effect of CB2 agonists on neural cells is a remarkable advantage."

  • Like 3
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 4 months later...
  • Usuário Growroom

Dae rapaziada do growroom, fumando um aqui de boas eu fiquei me perguntando,

manos, o que é essa parada que sai na ponta? esse melzinho, essa calda, esse melado que fica na seda? É toxicina? THC? pq eu passo essa parada no beck que nem goma pra ver se da onda mas não faz diferença, alguém ai manja das paradas? valeus abraços e nois

  • Confused 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 3 weeks later...
  • Usuário Growroom

Sai daqui mano.. o pau ta quebrando ai.. nóis de espectadores querendo saber qualé do bagulho.... e vc vem manda esse papo de maconheeeiro poha!

oh os cara falando do macarrone ai em cimmaaa irmao! howlett os carai!

 

 

Falando serio, e ai? 15 anos e o tópico n tem desfecho?!

  • Like 1
  • Haha 4
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 3 weeks later...
  • Usuário Growroom

Valeu mesmo mano!

De hoje em diante, quando eu fumar e ficar doidão, vou me imaginar azul, naquele oceano imenso, nadando bem devagar pra preservar as benditas "bainhas" longas como uma lula gigante...

Consegui mais um conhecimento sobre as baleias azúis e sobre as suas bainhas de mielina, mas ainda não consegui entender é o por quê do thc/cdb serem empregados como medicina para várias doenças qua acometem o cérebro.

Essa, nem tua baleia azul com mielinas gigantes pode explicar.

Eu tenho uma teoria: da mesma forma que tua baleia cresce até se tornar uma gigante, nossas mielinas também.

Vou seguir o conceito da baleia gigante com becks, também, gigantes.

Afinal, adoro minhas mielinas!

Enviado de meu LG-E410f usando Tapatalk

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 1 year later...
  • 3 weeks later...
  • 6 months later...
  • Usuário Growroom

Simples, usuarios de maconha ficam lentos pq estao sempre no efeito da droga,nenhum usuario fica mais de 24 sem consumir sendo que o corpo nessecita de 36 horas para tirar 100% de thc do sangue....

 

vcs ficam lentos pq estao sempre chapados e isso eh normal quando se esta chapado!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 6 months later...
  • Usuário Growroom
Em 06/09/2018 at 13:20, propeople disse:

Simples, usuarios de maconha ficam lentos pq estao sempre no efeito da droga,nenhum usuario fica mais de 24 sem consumir sendo que o corpo nessecita de 36 horas para tirar 100% de thc do sangue....

 

vcs ficam lentos pq estao sempre chapados e isso eh normal quando se esta chapado!

Quanta bobagem, maninho. 😣

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 3 months later...
  • Usuário Growroom
Em 30/09/2002 at 04:13, Mr.M disse:

Bom meu coroa teve no final de sua vida o mal de Alzemayer, que ja é um problema de comunicação entre as celulas cerebrais(disse certo?), agora ,

eu fumando a 32 anos........cumé que fica?

acho que nem tenho que esquentar, pq nao existe cura mesmo,e tb nem sei se carrego comigo esse gem......mas que esqueço pra caralho, esqueço!

tem tb aquela de memoria de curto prazo?(é assim que diz?)poderia ser só isso?.....estava lendo que a cannabis esta sendo usada em pacientes com essa sindrome.Em que ela poderia ajudar?...........???????????????????????

E aí Bro como tá. 17 anos dps?

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...

×
×
  • Criar Novo...