Ir para conteúdo
Growroom

DROGAS PSICOTRÓPICAS: EFEITOS ADVERSOS E NOVIDADES


LearnHow

Recommended Posts

  • Usuário Growroom

14. A OMS não omitiu dados favoráveis à maconha por pressões políticas. Press-release da OMS: "A OMS não se curvou a pressões políticas ao publicar um relatório sobre a maconha"

Recentemente, a revista britânica "New Scientist" publicou a denúncia de que a OMS teria suprimido informações favoráveis à maconha, na elaboração do documento "Cannabis: a health perspective and research agenda". A denúncia considera que os especialistas da OMS teriam omitido dados, em função de pressões políticas, no sentido de tentar evitar que grupos pró legalização da maconha utilizassem os dados, eventualmente, de "forma indevida".

A OMS confirma a supressão dos dados. No entanto, alega que o fato se deu em função de um julgamento científico, não tendo qualquer relação com pressões políticas.

Abaixo a tradução literal do Press- Release da OMS sobre a questão:

Ao contrário do que foi divulgado no último número da revista "New Scientist", a Organização Mundial da Saúde (OMS) não "cedeu à pressões políticas" ao excluir, de um relatório recente, uma análise indicando que a cannabis seria mais segura do que o álcool ou tabaco.

Esse documento, intitulado "Cannabis: a health perspective and research agenda", foi publicado como resultado do trabalho de um grupo de especialistas, em relação aos efeitos do uso da cannabis na saúde, que se reuniram em Genebra em maio de 1995.

A informação contida no relatório final reflete um resumo dos aspectos, de artigos originais, considerados de consistência científica.

A seção 13 refere a análise das possibilidades de comparar drogas lícitas, tais como álcool e tabaco, com cannabis. Entretanto, foi consenso que havia, por um lado, falta de confiabilidade epidemiológica dos estudos, e por outro, que as comparações eram mais especulativas do que científicas.

Dessa forma, não houve tentativa de ocultar qualquer informação e a decisão, de não incluir as comparações na relatório final, foi baseada em um julgamento científico e não teve nenhuma relação com pressões políticas.

A OMS está interessada nas conseqüências negativas de todas substâncias psicoativas, independentemente do critério legal.

É sabido que existem 1,1 bilhões de usuários de tabaco no mundo e que 3,5 milhões de pessoas morrem todos os anos pelo uso de tabaco. Também é de conhecimento que o álcool provoca, pelo menos, três quartos de um milhão de mortes todos os anos e que o total de danos causados à sociedade é imenso. No que se refere a cannabis, tal avaliação global não é possível pela falta de informações confiáveis. É óbvio, entretanto, que o consumo de cannabis provoca inúmeros problemas à saúde e que o aumento de seu uso poderia piorar a situação.

O artigo original intitulado "A comparative appraisal of the health and psychological consequences of alcohol, cannabis, nicotine and opiate use", cujas

conclusões foram excluídas do relatório, continha várias contradições e conclusões sem consistência científica. Por exemplo, ele relata: "nós não tentamos apresentar estimativas do risco da cannabis para a saúde, no caso da prevalência de seu uso se equiparar às do álcool e tabaco. O que pode ser afirmado é que se a prevalência do consumo de cannabis aumentar ao nível do uso de cigarros e do consumo de álcool, seu impacto na saúde pública aumentaria. É impossível prever o quanto com qualquer precisão".

Mesmo assim, os autores terminam o seu artigo dizendo: "existem boas razões para dizer que [a maconha] não seria páreo para o álcool e tabaco em relação aos riscos para a saúde pública mesmo se muitas pessoas passassem a usar cannabis como agora bebem álcool ou fumam tabaco".

Tanto o artigo original quanto o relatório da OMS estão disponíveis através de pedidos para a Division of Mental Health and Substance Abuse, WHO, Geneva, Tel. (4122) 791.4791.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...
  • Tópicos

  • Posts

    • Pra semente compensar ser plantada aqui no Brasil outdoor ela precisa ser sativa de verdade ou pelo menos híbridos com sativas verdadeiras. Eu diria que pelo menos umas 98% das sementes quem vendem nos seedbanks não rende nada se for plantada no out aqui no Brasil, porque não vegetam na nossa latitude, mesmo no verão aqui chega no máximo a umas 13 horas de luz por dia (que é insuficiente pra manter qualquer indica ou hibrido moderno no vegetativo) as plantas ficam minúsculas, mesmo algumas que eles dizem ser predominantemente sativa tipo AK 47.    Ace seeds nunca decepciona, tem uma coleção de sativas monstras, Golden tiger, Malawi, Golden Tiger x Panamá. Canabiogen tem a Destroyer que é maravilhosa.  Tropical seeds nunca plantei nenhuma mas vi umas coisa boa nos fóruns gringos. ano passado plantei uma indica da barneys farm porque veio de brinde a seed, rendeu umas 10 g de buds mofados.  mexican sativa da sensi seeds também ficou pequena aqui.
    • Opa meu irmão, valeu pela resposta, no seu caso, você cultivou apenas com o carolina soil e nutriu com chá e a farinha? 
    • @dronemanJá parou para pensar que o "prenseed" pode ser a mesma coisa que um bulk seed? Não sei pq esse preconceito com prenseed ... Sinceramente, só o fato de vc pagar 50 conto em uma semente que custa menos de 5 cents já deveria ser motivo pra vc não dar seu dinheiro suado pra coyote etc ... Outra coisa, quem garante que esses 200 contos que vc vai gastar, não serão prenseeds tbm? Fazer marketing no instagram é uma coisa, mas vc ou o coyote vão garantir a originalidade da semente? Um banco com mais qualidade tem maior garantia de originalidade (não estou falando de germinação ok?).  Sua nave caiu? Já tentou lugares diferentes? Eu sei que o dólar está alto, mas vc pode ir juntando uma graninho por mes enquanto leva as prenseeds, e final do ano vc pega uma promo em algum site norte americano/canadense ... E quando estiver plantando uma genética legal, vc aproveita e faz cruzas pra gerar suas sementes e não precisar passar esse sufoco de importar, bem melhor né?  Tem um rapaz no insta, canadense, que faz algumas cruzas e disponibiliza as sementes por um preço mais em conta, já conversei com ele e ele envia para o Brasil, não vou jogar o @ aqui, mas mando pra vc por PM se quiser! 👍 Além disso, vc encontra diversos vendedores no Strainly, o FPUNK já citou um monte lá no outro tópico de strains. Não fica frustrado mano, só precisa dar o tiro certo.
×
×
  • Criar Novo...