Recommended Posts

jah foi bem explanado o assunto em outro post mas nao relativo a isso, entaum to criando esse, para que algumas duvidas sejam colocadas.

ai alguns pontos que fiquei pensando aqui no trabalho:

quando o solo é pura fibra de côco:

-como é a a questão dos nutrientes, porque sendo o solo só fibra, todos os nutrientes tem que ser acrescentados?é como uma hidroponia "manual" , ou nada a ver??

-Se é isso mesmo vamos precisar de bons nutrientes, como é a medida, e quais são eles?

-outra coisa é o ph, como mante-lo estável, como é o ph só na fibra?

-vc pode germinar uma semente na fibra e faze-la crescer usando só fibra, ou só se usa colocar mudas que estejam jah em hidroponia, e enraizadas?

em fim, quem puder dar uma luz de como funciona esse meio de cultivo, quais são suas vantagens e desvantagens, seus limites e aplicações, fico muito agradecido.

valeu

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ae cabelo blz brother?

Estou usando um pó de casca de côco que vende em floriculturas e hipermercados.... Antes de usar lavei várias vezes, deixei de molho e lavei com água quente para retirar o excesso de taninos, que podem matar as plantas...

Vou tentar te ajudar com algumas pesquisas que fiz e experiências:

cabelo escreveu

como é a a questão dos nutrientes, porque sendo o solo só fibra, todos os nutrientes tem que ser acrescentados?é como uma hidroponia "manual" , ou nada a ver??

É... a fibra é inerte e precisa colocar fertilizantes regularmente... pra mim nao deixa de ser uma forma de hidroponia... Toda rega deve conter fertilizantes e deve ser feito um flush a cada 10/15 dias para retirar o excesso de sais...

cabelo escreveu

Se é isso mesmo vamos precisar de bons nutrientes, como é a medida, e quais são eles?

A quantidade vai depender de cada fert... O melho é começar devagar, com menos da metade da medida indicada pelo fabricante depois vc aumenta gradativamente... Pelo que já vi o site da Canna® tem uma linha especial pro cultivo na fibra, o foda é comprar... também pode comprar fertilizantes da Hesi, mas são caros...(olha o banner da urban corp no topo do site do growroom)... Mas aí vai de cada um e de cada bolso...

cabelo escreveu

outra coisa é o ph, como mante-lo estável, como é o ph só na fibra?

Esse foi o principal motivo de eu escolher a fibra, pois tive problemas no indoor com PH e salinização do solo :( Na fibra o PH vai ficar muito, muito próximo do PH da água usada na rega... É só controlar a água e boa...

cabelo escreveu

vc pode germinar uma semente na fibra e faze-la crescer usando só fibra, ou só se usa colocar mudas que estejam jah em hidroponia, e enraizadas?

Eu germino na fibra ou no papel toalha e depois coloco na fibra já germinada, tanto faz... elas cresceram numa boa :D

Espero ter ajudado,

Falow

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Visitante

ROOOOOTZZZ

MEU PRÓXIMO SERA SÓ NA FIBRA!!

VOU USAR PETERS ..HI NITRO...PRA VEGETAR

E BIO BLOOM PARA FLORACAO!!

DA MÓ MEDÃO .....RS ..MAS VO TENTA TBM !!!

..MAS VOU TENTAR GERMINAR DIRETO NA FIBRA , NÃO ESQUECENDO DE LAVAR ELA .......AI EU COLOCO AQUI OS RESULTADOS !!

VALEU GALERA!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Estou com uma mistura de 60% de fibra de coco e esta indo bem. Estou usando Fertilizante Plantafol R$ 12,00 1 kilo. Ele é importado da Italia e empacotado aqui no Brasil. Acrescento 0,5 g/l de sulfato de magnesio R$ 0,80 o1 kilo.

o grande X-tyle ja deu uma aula sobre isso aqui, mas ele usa nutris especificos pra pamonha

http://www.samba420.net/forum/viewtopic.php?t=19

Aqui um bom post que me encorajou a tentar.

http://www.samba420.net/forum/viewtopic.php?t=1779

Abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu uso 60% de fibra de coco, 20% de vermiculita, e 20% de terra preta.

Essa mistura é ótima também para germinação, obtive taxa de 100%.

Esses 20% de terra, vão servir de comida p/ a planta durante os primeiros 15 dias , período em que ela ainda não recebe fertilizantes. Depois , começo com Peters Hi-Nitro 0,5g/l, em todo o rego e vou aumentando a dose gradualmente.

... e o FLUSH a cada 15 dias, é claro.

  • Thanks 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom aqui vai minha contribuição!! , copiado e colado das instruções passadas pelo amigo Tutorial_Pot , membro vitalício da ''gangue do tio camello'' rss... , e posso afirmar , o amigo camello faz exatamente o que esta descrito!

Tive olhando as plantas dele ontem , e não é brincadeira(pode parecer ''puxação de saco'' , fiquem tranquilos...não é!!) ele tem uma linda B52 c/ pouco mais de 1 mês de flor , tudo que eu tenho p/ dizer...

PARECE QUE NEVOU NAQUELE GROW , VISTO A QUANTIDADE DE RESINA , o bud vai sair ''killer'' impressionante.... , quem sabe ele nos contemple c/ fotos p/ ilustrar esse thread!!! , ai vai!!!

Eu uso côco nacional e ajudo o Brasil. Compro em qualquer EXTRA aqueles sacos de fibra de côco. Sai uns 4 reais cada saco. É muito bom e barato. Pego e coloco a fibra de côco sem nenhum tratamento no vaso, com argila expandida no fundo. Faço um pequeno buraquinho e coloco a mudinha que saiu do bubbler. Deixo o solo bem molhado para ela ir se acostumando com o novo meio. Depois de 5 dias faco a primeira rega com a solução completa de vegetativo desenvolvida pelo Centro de Pesquisas Avançadas Pot Head.

Coloco 2 partes de solução foliar Raíz (10/0/0 mais magnésio, enxofre e micro) para uma de Raíz (8/6/6). Minha medida desses nutrientes é a tampa do litro de coca . Uso 3 tampas para cada 2,5 litros de água. Ela é bem diluida, esse nutriente é vendido liquido!

Ela fica nesse esquema até eu achar melhor. No post sobre Perpetual Harvest eu falo apenas sobre o sog. Mas ultimamente tenho preparado scrog e estou aprovando. Para sog ela fica 2 semanas no vegetativo. Scrog ela fica 4/5 semanas. No post Perpetual Harvest 2 eu vou falar sobre novas técnicas de bonsaismo, amarras e scrog em um solo 100 côco.

Junto com esses nutrientes ee importante um flush semanal.

Depois disso eu levo para o grow de floração. Flush e Peters. Em média eu deixo 2 meses e uma semana para resinar bem. O flush continua semanal, mas na última semana eu rego apenas com água.

Boa sorte!!!

[]s!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Só acrescentando..... , seria importante ele dizer quais medidas usa na floração c/ Peters(p/ termos uma média , lembrando que cada espécie tem seus ''limites'' diferentes, seja no excesso ou na carência de nutris) e tbém é legal dizer que essa técnica que ele aplica é feita em clones , não em sementes.

[]s!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Estou achando caro esta fibra do Extra. Quanto vem neste pacotinho?

Eu comprei este da foto no Castorama e paguei R$ 1,50 vem com 150 grama.

Parece poco mas na hora que vai "afofando" ela rende bem.

caixafibracobertura.jpg

Alias o site do produto é interesante pelo trabalho ecolgico deles.

http://www.cocoverderj.com.br/

Abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

eu coloquei as fibras e o pó de coco sem lavar e agora minhas plantas estão com as folhas novas com 1/3 do tamanho das antigas....Será que fazer uns flushs adianta? ou preciso trocar por um novo solo?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
novato2004 escreveu

Eu germino no papel toalha e depois coloco na fibra já germinada... elas cresceram numa boa :D

Espero ter ajudado,

Falow

ajudou e muito.

diz ai, vc colocou na fibra a semente germinada né?blz.,mas ai, se a fibra é um meio inerte (sem nutrientes?),mesmo assim ela nasce legal, só na fibra e água??

depois de duas semanas blz... começa os nutrientes né... mais e até ela chegar lá.. ta numa boa só fibra com aguá mesmo???

foi muito bom ter aberto esse tread! na próxima jah vou tentar a fibra na certa.

valeu!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

.....e depois dizem que todo marofeiro é vagabundo!!!

Bleza de trampo Tutorial_Pot e careca e os demais envolvidos!!!

SHOW DE BOLA!!!

Abraço e saudades dos amigos!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Grande moderador. Em breve temos que testar o Hesi para publicarmos um estudo sobre esse produto. Em breve o CPA-PH vai publicar um tutorial sobre madres minúsculas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

mt legal veinho, mas e quanto agerminação, alguém sabe dizer algo???rs

tipo sera que dá pra germinar na terra, e transplantar pra fibra pura?

no caso de se grminar a semente e criar a mudinha em hidroponia, é facil de transplantar a muda p/ fibra sem danificar as raizes???

ou se da mesmo pra ela crescer só na fibra...

OTRA COISA:tutorial ,irada essa parada que se passou, mas esses nutrintes nessa medida são dados com que frequencia para a planta?

tipo se toda a rega tem que ter nutrientes ou se é 1 vez por semana....?

valeu comunidade.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Cabelo,

Eu transplanto plantas vindas do bubbler. É o meio de clonagem mais fácil e barato que eu arrumei. Além de as raízes ficarem limpas.

Mas não tem problema de germinar na terra e depois largar só para o côco. Vc pode colocar um pouco de terra no centro do vaso. O equivalente a um copo de plástico médio deve ser suficiente. Conforme a planta evoluir, suas raízes chegarão no côco. Com o tempo essa terra será limpa naturalmente pelos flush.

Regue normalmente. Em toda rega usar a água com nutrientes. Apenas na última semana regue só com água.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Show!! , o CPA-PH ainda vai dar o que falar aqui no site....

Amigo In! , como te disse.....só gerencio! , méritos p/ o Tutorial_pot e sua turma!(da turma eu faço parte!)

[]s!

E a dedicação??? , reparem nos detalhes do lay-out!! , muito bom!!

Obs:Ótimo o logo!!!! , :):):)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Testei duas fibras de coco nacional e não gostei muito... uma da ArtCoco e outra que vendo no Pào de Açucar ( acho q é da westgarden).

Elas falam q vem pre-lavada.... mas mesmo assim elas vem com condutividade muito alta!!!

Peguei um pouco dessa fibra e deixei de molho num recipiente com agua desmineralizada ( EC = 0 mS), ficou de molho menos de 1 dia... ai fui medir de novo a condutividade dessa agua... EC = 4 mS (mili-siemens)

EC de 4 mS é nutriente pra kcete!! que na fibra de coco provavelmente são Sódio e Tanino, os dois não podem estar em alta concentração pra cultivo!

A solução é deixar de molho por 7 ou mais dais como esses fabricantes de fibra de coco recomendam... e eu acho isso muuuito trabalhoso, bem q eles podiam vender um produto mais finalizado né! Dúvido que o CocoCoir da GeneralHydroponics ou de outro fabricante internacional venha assim. :(

Agora eu queria testar esse ai fabricado no Rio e um outro ai da marca Sócôco... provavelmente vão precisar de uma lavagem inicial, mas pelo menos vai da pra escolhe o menos tosco.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Essa é a fibra vendida no extra e a que eu uso>

Coco Fibras

http://www.cietec.org.br/pages.php?pagina=...e=4&empresa=149

Como falei em outro post, acredito que não tenho problemas com ela por fazer flush semanais. Pelo que tem sido comentado aqui no grow, talvez uma boa lavada seja importante.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Mais informações sobre Fibra de coco:

Só pra ajudar na decisão e pesquisa da galera!

Resumo

A produção comercial de mudas e o cultivo sem solo de hortaliças estão se tornando práticas comuns entre os olericultores. Vários materiais orgânicos como as turfas, resíduos de madeira, casca de pinus e de arroz parcialmente carbonizada ou não, ou materiais inorgânicos como areia, rochas vulcânicas, perlita, lã de rocha e a espuma fenólica já são utilizados como substratos, isoladamente ou em composição. A casca de coco verde que em muitas regiões causa transtorno ao serviço de limpeza pública pelo volume e pela dificuldade de decomposição produz uma fibra que pode ser utilizada como substrato. Para a produção da fibra, a casca de coco verde é picada, desfibrada, triturada, lavada e secada. Para o uso como substrato na produção de mudas, a fibra deve passar por um processo de compostagem. Este processo não é necessário para o uso como substrato em cultivo sem solo, mas no entanto, o substrato necessitará ser enriquecido com nutrientes em pré-plantio ou em fertirrigação. O uso do substrato da fibra de coco verde na produção de tomate em casa de vegetação, alcançou, em termos absolutos, 13,2 kg m-2 de frutos comerciais (média de 3 anos) cerca de 7,3% mais que o segundo melhor substrato, o pó de serra com 12,3 kg m-2.

Palavras-chave: cultivo sem solo, fertirrigação

Introdução

O consumo da água de coco verde no Brasil é crescente e significativo. A grande demanda é suprida, principalmente, pela extração da água do fruto in natura. No ano de 2000 já havia no país cerca de 80 indústrias de pequeno e três de grande porte, envasando a água de coco que concorre diretamente com o mercado de refrigerantes. Segundo a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (ABIA) são consumidos no país 10 bilhões de litros/ano de refrigerantes. O consumo de água de coco representa 1,4% deste mercado ou seja 140 milhões de litros. Este volume é considerado ainda muito pequeno pela Associação Brasileira dos Produtores de Coco (ASBRACOCO) que pretende atingir 5% deste mercado ou seja, 500 milhões de litros/ano (Brasil, 1998). A casca de coco verde , subproduto do uso e da industrialização da água de coco, é depositada em lixões e às margens de estradas. É um material de difícil decomposição levando mais de 8 anos para se decompor. Portanto, a utilização da casca do coco verde processada, além da importância econômica e social, é também importante do ponto de vista ambiental. Segundo Rosa et al. (2001) 80% a 85% do peso bruto do coco verde é considerado lixo.

A fibra do coco maduro já vem sendo utilizada na agricultura e na indústria. Por sua vez, a fibra da casca do coco verde, que ainda não vem sendo amplamente utilizada, poderá se tornar matéria prima importante na produção de substratos de boa qualidade para a produção de mudas ou em cultivos sem o uso do solo. Neste caso, o aproveitamento da casca de coco verde é viável por serem suas fibras quase inertes e terem alta porosidade. A facilidade de produção, baixo custo e alta disponibilidade são outras vantagens adicionais apresentadas por este tipo de substrato. Para a obtenção da fibra e seu uso como substrato, a casca de coco passa por diversas operações como: corte, desfibramento, secagem, trituração, lavagem e, quando necessário, compostagem.

A matéria prima

A casca do coco verde, matéria prima para a obtenção da fibra é na realidade, o fruto verde sem a água. A produção de coco, somente no interior de São Paulo, cresceu 68% em relação ao ano de 1999, tendo sido colhidas 8,1 bilhões de unidades (Ripardo, 2000). Segundo folheto do Projeto Coco Verde (www.projetococoverde.com.br) haverá um acréscimo de 400% na produção de coco no Brasil nos próximos 3 anos. A área de produção, somente do coqueiro do tipo anão, dobrou no Brasil nos últimos cinco anos, passando de 25 mil ha para 50 mil ha. A grande expansão da produção de coco é a garantia da disponibilidade de matéria prima para a produção do substrato.

A coleta da casca é feita nos próprios locais de venda de água de coco, descartando-se aquelas de coloração marrom, porque apresentam maior dificuldade para serem processadas. O armazenamento da casca deve ser feito, preferencialmente, em local arejado, coberto e revestido de cimento.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Preparo da fibra.

Para o preparo da fibra pode ser utilizada a máquina desintegradora/trituradora de forragem, equipamento disponível na maioria das propriedades e de fácil aquisição. A casca deve ser cortada em pedaços para diminuir o embuchamento do sistema de alimentação da trituradora. Após o desfibramento, as fibras longas devem passar pela secagem ao sol por cerca de 4 dias ou até atingirem 15-20% de umidade. O teor de umidade da fibra influencia no desempenho da máquina e no tamanho das partículas finais (Rosa et al., 2001). A trituração causa grande formação de poeira, portanto é recomendável que o operador use equipamento de proteção individual como máscaras, óculos e luvas. Para aumentar a capacidade de retenção de umidade e nutrientes deve-se diminuir o tamanho das fibras. Entretanto, quanto menor o tamanho da fibra mais difícil e demorado se torna o processo de trituração. A Embrapa Hortaliças tem usado, na trituradora , peneiras com furos de 3mm ou 4mm de diâmetro, com bons resultados para o cultivo sem solo, mas para a produção de mudas é recomendável substratos com granulometria ainda menor.

A casca de coco verde pode apresentar níveis tóxicos de tanino, de cloreto de potássio e de sódio, cujos teores podem ser reduzidos com lavagem em água corrente de boa qualidade, livre de substâncias químicas e patógenos. Para diminuir a perda de fibras de granulometria pequena, realizar a lavagem das fibras longas, antes da trituração.

Um processo de compostagem do substrato da fibra de coco por cerca de 90 dias é necessário quando o objetivo é a produção de mudas. O substrato feito a partir das fibras de coco não possuem os nutrientes essenciais para as plantas, portanto é preciso fornecê-los de acordo com as necessidades da espécie a ser cultivada adicionando-se adubos em pré-plantio ou, principalmente, em fertirrigação. As principais operações para a preparação de substrato a partir da casca de coco verde estão sintetizadas em um fluxograma apresentado na Figura 1.

As propriedades físico-químicas da fibra de coco variam bastante em função da fonte de matéria prima e do seu processamento. Sanches (1999) apresenta resultados de vários autores onde pode ser visualizada essa grande variabilidade. As propriedades físico-químicas da fibra apresentam os seguintes valores médios: pH = 5,4; condutividade elétrica (CE) =1,8 dS/m; capacidade de troca catiônica (CTC) = 92; relação C/N=132; d =70 g/L; porosidade total = 95,6%; retenção de água=538 ml/L; capacidade de aeração = 45,5% e água facilmente assimilável = 19,8%. Um substrato ideal deve possuir, entre outras características, uma porosidade acima de 85%, uma capacidade de aeração entre 10 a 30% e água facilmente assimilável de 20 a 30%. Portanto, as propriedades da fibra de coco conferem ao seu substrato características de boa qualidade. A grande percentagem de lignina (35-45%) e de celulose (23-43%) e a pequena quantidade de hemicelulose (3-12%), que é a fração prontamente atacada por microorganismos, conferem ao substrato de fibra de coco uma grande durabilidade (Noguera et al., 1998), sendo desta maneira, recomendável para cultivos de ciclo longo como as ornamentais. É também ideal para o cultivo de hortaliças sem o uso do solo, pois não sofre o processo de degradação acelerado causado pelo intensa aplicação de água e fertilizantes.

A comparação da fibra de coco com outros sete tipos de substratos mostrou uma leve superioridade da fibra de coco em termos absolutos na produção comercial de tomate, produzindo cerca de 1 tonelada a mais de frutos comerciais que o pó de serra ou serragem no três anos de avaliação (Tabela 1).

As boas propriedades físicas da fibra de coco, a sua não reação com os nutrientes da adubação, sua longa durabilidade sem alteração de suas características físicas, a possibilidade de esterilização, a abundância da matéria prima que é renovável e o baixo custo para o produtor faz da fibra de coco verde um substrato dificilmente superável por outro tipo de substrato, mineral ou orgânico no cultivo sem solo de hortaliças e flores.

Para o preparo de substrato com a fibra de coco, tanto para a produção de mudas ou no cultivo sem solo é importante que o agricultor conheça as recomendações técnicas do processo ou receba assistência técnica

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Tabela 1. Produção comercial do tomateiro cultivado em oito tipos de substratos. Brasília, Embrapa Hortaliças, 2002.

Tabela.jpg

* Números nas colunas seguidos da mesma letra não diferem entre si pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade.

** Ano de 2000, adaptado de Carrijo et al. (2001).

*** Para o preparo do substrato do CNPH, mistura-se 3 carrinhos de terra de subsolo ou barranco, com 1 carrinho de casca de arroz parcialmente carbonizada e 1/3 carrinho de esterco de galinha. Para cada carrinho da mistura adicionar: 100g de 4–30–16, com 100g de calcário e 40g de termofosfato com boro e zinco.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos e da Amazônia Legal. Coco Verde. Disponível em: <http://www.integracao.gov.br/pdf/frutiseries/ frutiseries_sp_03.pdf>. Acesso em: 13 mar. 2002.

CARRIJO, O.A.; REIS, N.V.B.; MAKISHIMA, N.; MOITA, A.W. Avaliação de substratos e de casa de vegetação para o cultivo de tomateiro na região de Brasília. Horticultura Brasileira, Brasília, v.19, suplemento CD-ROM, 2001. Trabalho apresentado no 41º Congresso Brasileiro de Olericultura, 2001, Brasília, DF.

NOGUERA, P; ABAD, M; NOGUERA, V; PURCHADES, R; MAQUIERA, A. Coconut coir waste, a new and viable ecologically-friendly peat substitute. Acta Horticulturae, 517 p.279-286. 2000.

RIPARDO, S. Coco muda a paisagem do interior. Folha de São Paulo, São Paulo, 18 Jan. 2000. Agrofolha. Disponível em: < http://www.uol.com.br/fsp/agrofolha.htm>. Acesso em: 13 mar. 2002.

ROSA, M.F; SANTOS, F.J.S.; MONTENEGRO, A.A.T.; ABREU,F.A.P.; CORREIA, D; ARAUJO, F.B.S.; NORÔES, E.R.V. Caracterização do pó da casca de coco verde usado como substrato agrícola. Fortaleza: Embrapa Agroindústria Tropical, 2001. 6p. (Comunicado Técnico, 54).

SÁNCHES, F.P. Propriedades y características de los substratos. Turba y fibra de coco. In: FERNÁNDEZ, M.F. & GÓMEZ, I.M.C. (ed). Cultivo sem suelo II. Curso superior de especializacón. pp 65-92. Almería, Espanha: Dirección Gen. de Investigación y Formación Agraria de la Junta de Andalucía/FIAPA/Caja Rural de Almería. 1999. 590 p.

fig_texto9.jpg

Fonte: EMBRAPA

Horticultura Brasileira, Brasília, v.20, n.4, p.533-540, dez.2002.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Opa !!!

Massa galera !

Se existisse este post antes eu não teria perdido um mês de vegetativo!! Mas simbora que graças a ele outros não cometeram o mesmo erro!!!

O growroom ta cada dia melhor!!!

Parabens galera pelo trampo profi que ta rolando, ...

Grande abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

jah que está se falndo de fibra de côco, solo, nutrientes... vo aproveitar ai pra uma duvida de fertilização....

tipo que fui viajando nisso de fibra e tal...

--minha mistura de terra tem 50% de fibra e pouca terra + torta de mamona, humus, calcário dolomitico um pouco, vermiculita... e um pouquinho de sal amargo... será que eu usei muita fibra pra essa quantidade de adubo organico?

-eu to usando 10-10-10... será que nao preciso de um fertilizante mais especifico ou o 10-10-10 ta bom pra complementar essa mistura ai??

-tipo que esses nutrientes que foram faladas pra fibra podem ser usadas pra terra? nesse caso muda a quantidade?...

-----------enfim, como é a relação entre a composição do solo e a escolha pelos nutrientes usados para o mesmo?

tipo se usa só fibra de côco...um meio sem nutrientes.. ou se vc usa terra, e os nutri pra completar etc...muda o solo, mudam os nutrientes...

caso me indiquem algum nutriente importado...(e vcs devem fazer isso) se puderem colocar o site onde posso achar jah é...

e quanto aos nacionais.. se houverem alguns bons...jah é tb.

foi mal o bombardeio.. se alguem se dispor a responder...

valeu. paz comunidade.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fale aê galera!!!

Pô leva a mal não.... mas a gente fica até um pouco besta de participar de uma comunidade que evolui na velocida em que está evoluindo o Growroom...

A qualidade das informações tá aumentando exponencialmente... é isso aê galera... todo mundo correndo junto pra não ficar ninguém pra trás... e sempre sem perder a humildade de um aprendiz é claro!!!

Galera tava lendo o shard e só fiquei na dúvida em relação ao quanto prensado devo deixar a fibra de coco nos vasos... dá pra alguem me iluminar aê????

paz.....

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Processando...