Pesquisar na Comunidade

Showing results for tags 'policia federal'.



More search options

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Avisos
    • Avisos
    • Bem Vindo ao Growroom
    • Blog
  • Cultivo
    • Informações Básicas
    • Solos e Substratos
  • Outros temas relacionados
    • Notícias
    • Ativismo - Cannabis Livre
    • Segurança e Leis
    • Eventos e Competições
    • Cannabis e a Saúde
    • Cannabis Medicinal
    • Comportamento
    • Culinária
    • Artes, Filosofia, etc
  • Multimidia Cannabica
    • Galeria de Fotos
    • Galeria de Vídeos
  • Cultivo Medicinal
    • APEPI

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


AIM


MSN


Website URL


ICQ


Yahoo


Jabber


Skype


Location


Interests

Encontrado 6 registros

  1. Olá pessoal! Um amigo meu comprou uma caixa de cbd full spectrum em cápsulas gelatinosa pra mim nos EUA e enviou por correio, para o meu endereço, com o meu nome ligeiramente diferente. Ele colocou as cápsulas (parecidas com de ômega 3) dentro de um pote de suplemento de óleo de peixe e lacrou novamente o pote. Atualmente a medicação está na alfândega “aguardando pagamento”, de acordo com a mensagem do correio. Imagino que seja a taxa obrigatória de importação de 15 que todos os produtos q entram no Brasil estão sujeitos. No entanto, como o pacote não possui identificação de cpf e outros documentos do destinatário, o correio pede para efetuar o login e associar seu cpf com a mercadoria para fins de fiscalização aduaneira. Ou seja, não é possível pagar a taxa sem me associar a encomenda. E se a taxa não for paga em 30 dias a mercadoria é devolvida. Será q ela ja foi fiscalizada e só estão aguardado o pagamento? Ou será q ainda vai ser verificada? Tem muita chance de ser pego? Oq vcs acham? Muito obrigado pela ajuda e atenção!!
  2. quem é contra a regulamenteção ou cultivo é a favor do tráfico, onde envolve armas, facções e mortes! no cultivo caseiro não tem nada disso! apenas plantinhas http://g1.globo.com/goias/noticia/2017/02/pf-prende-homem-que-tentava-enviar-sementes-de-maconha-pelo-correio.html
  3. “É a primeira vez que uma instituição como o MPF defende abertamente a descriminalização para uso pessoal”, afirma advogado October 19, 2016 Harumi Visconti Em decisão histórica, o Conselho Institucional do Ministério Público decidiu que a importação de 12 sementes de maconha da Holanda não é crime. Conversamos com Alexandre Pacheco Martins, advogado que atuou no caso, que nos explicou os possíveis desdobramentos do julgamento. PBPD: Hoje, o Conselho Institucional do Ministério Público Federal (MPF) decidiu que a importação de 12 sementes de maconha não poderia ser considerada crime. Qual o impacto dessa decisão? Alexandre Pacheco Martins: É uma decisão muito importante. Ela muda o paradigma das acusações no país. É a primeira vez que uma instituição como o MPF defende abertamente a descriminalização [para uso pessoal]. Eu nunca tinha visto o Ministério Público falar isso publicamente. Um ou outro até falava nos bastidores, mas eles vão colocar a decisão no papel. Isso é impressionante, é dar autonomia para os procuradores. O órgão falou: “vocês não são mais obrigados a ficar correndo atrás de usuários”. Evidentemente, isso não significa que daqui para frente todo mundo pode entrar no site e começar a importar – mas as chances de elas serem denunciadas e o caso ser arquivado aumentaram em 200%. Se eu entrar agora no site e importar, muito provavelmente isso vai ser apreendido, vai ser encaminhado para a Polícia Federal, que poderá instaurar um inquérito policial, mas eu nem seria acusado de nada. Seria tudo provavelmente arquivado. Mas o que acontece é que a pessoa ainda não vai poder receber a semente, não vai conseguir fazer uso dela. A gente não conseguiu ainda legalizar – e não é no MP que isso seria decidido. Esse é o próximo passo: ganhar no STF e regulamentar o uso. A partir de agora, em qualquer ação semelhante o Ministério Público Federal deverá aplicar essa decisão acordada hoje? Alexandre Pacheco Martins: Não. Essa decisão não tem caráter vinculante, ou seja, ela não obriga os procuradores da República do Brasil inteiro a aplicarem a decisão. Qual é a função do Conselho Institucional do Ministério Público Federal? Alexandre Pacheco Martins: A função dele é traçar as diretrizes para o próprio Ministério Público Federal, ou seja, apesar de não ser vinculante, é esse o órgão que formula as diretrizes do MPF. A partir do momento em que o órgão entende que não é tráfico internacional de drogas nem contrabando, ele desobriga os procuradores que até não concordavam, mas acabavam denunciando pela obrigação funcional. A partir de agora só vai denunciar o procurador que concorda, mesmo, que é caso de tráfico. Enfim, as pessoas que entendem dessa maneira podem continuar aplicando isso, mas grande parte dos procuradores já entendia que não era [tráfico], mas batia na Justiça e alguns juízes falavam “Você pode até achar que não é, mas eu acho que é. Então vou mandar isso para o seu chefe”. E quando chegava no “chefe”, em última análise acabava indo para esse Conselho Institucional – que hoje tomou essa decisão. PBPD: Nesse caso específico, a chance desse réu ser absolvido na Justiça é grande. Alexandre Pacheco Martins: Na verdade, não tem como falar em absolvição porque ele não vai ser processado. Ele nem sequer vai virar réu. Ele foi mero investigado por tráfico internacional e, depois dessa decisão, ele é uma pessoa comum como qualquer outra pessoa do mundo. PBPD: O senhor acha que essa decisão de hoje pode ter impacto no julgamento do RE 635.659, que pode descriminalizar a porte de drogas para consumo pessoal? Alexandre Pacheco Martins: Acho que pode ter um belo reflexo. Ela influencia, mas não determina o resultado. Mas a decisão dá, inclusive, amparo para os ministros que estiverem inseguros: o próprio órgão acusatório oficial do Brasil entende que casos como esse não têm grande repercussão na vida prática das pessoas. PBPD: Um dos nossos seguidores comentou em nossa página que a decisão de hoje foi pautada pela inexistência de THC na semente da maconha. Como o senhor vê esse argumento? Alexandre Pacheco Martins: O julgamento foi bem mais profundo do que isso: eles definiram que não é nem tráfico nem contrabando. Não é tráfico pela inexistência do THC, de fato. Mas cada procurador foi aprofundando em um sentido. Alguns foram no sentido de não ter THC, outros falaram da interferência do Estado na vida privada. Cada um falou em um sentido, mas a decisão final foi a de que não é tráfico porque não tem THC e que, portanto, a semente de maconha não pode ser considerada a droga em si. Num segundo ponto, entendeu-se que não era contrabando também porque o que a gente chama de semente de maconha, biologicamente é um fruto. Se todas as sementes são proibidas exceto as permitidas, os frutos seguem uma lógica diferente: eles não necessariamente são proibidos de serem importados. Eu sustentei nesse sentido e uma das procuradoras até acolheu esse argumento. Mas a maioria entendeu que como a quantidade é muito pequena e o MPF entende que, num paralelo com o cigarro, pode-se importar até 153 caixas de cigarro sem configurar contrabando, não faz sentido você criminalizar todas as sementes de maconha. É muito pouco. Não tem relevância penal essa quantidade. PBPD: Era esperada essa decisão do Conselho Institucional do MPF? Alexandre Pacheco Martins: Esse julgamento começou em agosto. Quando eu fui lá para sustentar, eu estava meio sem esperança. Mas modéstia à parte, a discussão foi tão bacana, a gente trouxe pontos tão interessantes, que eu vi alguns procuradores nos questionando e depois concordando com nossos argumentos. E aí eu vi várias pessoas indo nesse sentido, foi impossível não se empolgar. http://pbpd.org.br/wordpress/?p=4110
  4. Para testes, Polícia Federal planta mais de 70 pés de maconha em estufa Experimento foi realizado durante um ano e meio nas dependências da superintendência regional do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre Por: Caetanno Freitas 19/01/2016 - 16h23min | Atualizada em 19/01/2016 - 16h23min Para testes, Polícia Federal planta mais de 70 pés de maconha em estufa O aumento no número de solicitações de perícias em sementes de cannabis sativa importadas apreendidas nos últimos anos no Brasil e a dificuldade em estimar a quantidade de maconha que pode ser produzida para consumo a partir do cultivo "indoor" da planta levaram a Polícia Federal a desenvolver uma pesquisa que a corporação definiu como inédita. Nas dependências da superintendência regional do Rio Grande do Sul, durante um ano e meio, a instituição plantou 73 pés de maconha em uma estufa improvisada no laboratório do setor técnico-científico. No nono andar do prédio da Polícia Federal, na Avenida Ipiranga, em Porto Alegre, os peritos germinaram sementes apreendidas de diferentes marcas e variedades entre o início de 2014 e setembro de 2015. As plantas foram cultivadas em uma pequena estrutura de madeira, de dois andares, com as paredes internas forradas com papel laminado, iluminação artificial e sistema de exaustão. Os peritos usaram temperatura e umidade relativa controladas e intervalos de luz e escuridão total. O ambiente tinha acesso restrito e câmeras de segurança. As plantas foram mantidas na estufa por períodos que variaram de quatro a 12 semanas. A maioria, 19 pés de maconha, foi cultivada por 4,5 semanas. Dezesseis ficaram seis semanas e somente cinco plantas completaram todo o período de cultivo. O perito criminal da Polícia Federal Rafael Ortiz, um dos autores da pesquisa, explica que entre os objetivos do estudo estava a busca de apoio científico para rastrear a origem de futuras apreensões no país. Maconha: é hora de legalizar? — O tráfico de sementes de maconha é um crime relativamente novo no Brasil. A partir de 2010, houve uma explosão de importação irregular, de contrabando. Então, começamos a pensar em como ter alguma ferramenta para saber a origem dessa maconha — diz o perito. O que saber para se posicionar sobre a legalização da maconha O número de laudos produzidos pela Polícia Federal teve um salto significativo: passou de 34 laudos, em 2010, para 2.192, em 2014, o que corresponde a 6.347% de aumento. Conforme Ortiz, a alta é um reflexo de uma cultura que vem ganhando força no país. Usuários compram sementes pela internet e plantam em casa para ter um "produto melhor", sem "financiar o tráfico". — No momento em que você compra uma planta proscrita, está agindo como criminoso. Essa ideia de que não está financiando o tráfico comprando sementes é errada. Você está agindo como um criminoso. Está alimentando essa cadeia — opina Ortiz.
  5. Alguém que seja do ES já teve seeds apreendidas e foi intimado pela PF? Se sim, como é o procedimento dos caras? Obrigado, e perdão, procurei na busca mas não encontrei nada relacionado a essa situação específica.
  6. Olá Growers, Sou novo aqui, nunca cultivei e e morro de vontade de cultivar e experimentar a White Widow e ouyras gringas. Cansei de prensado e incrivel não consigo achar uma semente -.-. Quando eu acho, ela quebra. po =/ Gostaria muito experimentar a essencia natural. Mas eu tenho muito medo de ser pego pela autoridades, ser preso, ser intimado. De uma sementinha pode mudar a sua vida do céu ao inferno por causa dessas leis injustas. Li o caso do Greencerrado, Lowrider e realmente vi um amigo nosso, ter que vender a casa, separar da esposa porque foi preso e o advogado custava 40mil. Claro, depois de 1 mês no xalindró, o pessoal se mobilizou para libertar o cara. Loucura... Bom, criei esse tópico para dar algumas dicas para quem ta comprando semente ou cultivando. Estou baseando essas dicas, conforme fui lendo os relatos aqui no forum. Vamos ajudar o proximo. Quando for comprar alguma semente, tenha em mente que você está correndo o risco de ser enquadrado por trafico internacional de drogas ou Artigo 33. Se você está disposto arriscar, mantenha seu anonimato mais que possivel. Ao comprar semente, veja essas 10 dicas, que poderao ajudar no seu sucesso. 1 - Pesquise aqui no forum seedsbank de sucesso (aqueles que receberam a semente com sucesso) 2 - Jamais use seu nome, use um nome Falso (Ex. Bob Oneil... de preferencia nomes gringos) 3 - Peça encomenda não registrada. Pois registrada a chance de ser Intimado é maior. 4 - Não coloque o endereço de cultivo, coloque endereço de uma casa vazia, ou apartamento do seu amigo que não tem porteiro. 5 - Compre poucas sementes, no max 5. 6 - Para sua segurança, compre sementes com camiseta, case de iphone, cofrinho algo discreto. 7 - Evite falar para amigos, parentes, familiares sobre a seu grow. (já vi um caso que o proprio cunhado denunciou) 8 - Não publique fotos do seu Grow no facebook nem whatssap. 9 - Enquanto estiver cultivando, não fume em casa. Seja discreto. Zé povinho virou uma arma . 10 - Caso seja intimado, não desespere. Procure um advogado e disperse tudo que você tem na sua casa. Obs: Se você pedir registrada, a seeds irão passar pelos correios, vai ser verificado, passado pela alfandega e caso conste as sementes. A policia Federal poderá "armar" para você. Aconteçe muito, no caso de rgistrada, você recebe, o carteiro te entrega e a PF só esperando você receber. Pegou envolope, pronto, assinou ...fudeu. Vi outro caso, que os canas foram junto com o carteiro no prédio. E os canas pediram para o porteiro ligar e esperar o grower descer. Eles estavam disfraçados e sentados, quando ele deçeu, assinou, os canas levantaram e chamaram duas testemunhas e fizeram o grower abrir a cartinha. E flagra...fudeu Então galera a Dica é... Compre pouca semente, converse com alguem do seedbank peça uma embalagem discreta, coloque um nome gringo e peça carta Não Registrada! Coloque endereço em uma casa vazia ou prédio que não tenha porteiro. Pois o carteiro só vai chegar e entregar na caixa. E é só você ir lá da uma olhadinha, chegou, aliviou, cultivou, emocionou e fumou. Caso peça registrada, você tem que assinar pra receber. Agr, só me resta a legalização, gostaria muito de pegar uma semente gringa, uma "Auto" (sonho em cultivar) mas meu medo é a intimação. Não quero nunca sonhar, com essa carta na minha casa. Já rodei, já apanhei, já fui humilhado... então esse trauma ficou na mha cabeça. Quem é das antiga, sabe como maconheiro sofria muito no passado. Só me resta é prevenir. Fiquem na Paz! Um abraço a todos.