Ir para conteúdo
Growroom

Pesquisar na Comunidade

Showing results for tags 'personalidade'.

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Avisos
    • Avisos
    • Bem Vindo ao Growroom
    • Blog
  • Outros temas relacionados
    • Notícias
    • Ativismo - Cannabis Livre
    • Segurança e Leis
    • Eventos e Competições
    • Cannabis e a Saúde
    • Cannabis Medicinal
    • Comportamento
    • Culinária
    • Artes, Filosofia, etc
  • Multimidia Cannabica
    • Galeria de Fotos
    • Galeria de Vídeos
  • Cultivo Medicinal
    • APEPI

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


AIM


MSN


Website URL


ICQ


Yahoo


Jabber


Skype


Location


Interests

Encontrado 1 registro

  1. Olá, sou novo no fórum e resolvi contar minhas viagens. Experimentei maconha aos 15 anos, depois disso eu raramente fumava, só em festinhas ou em ocasiões diferentes mesmo. Aos 18 anos comecei a fumar com mais frequencia. Hoje, aos 22, fumo maconha quase todos os dias, mas com controle total do meu consumo, pra não entrar no exagero. No meio do ano de 2012, comecei a ter fortes ondas com a maconha, comecei a ter uma espécie de "desconhecimento do mundo", junto a uma sensação incrível de desapego material e imaterial. Até então era controlável a situação, foi aí que numa tarde de domingo eu tive minha primeira bad trip com transtorno dissociativo, me bateu um vazio tremendo e do nada parei de reconhecer todo mundo que eu conhecia. No meu transtorno mental, as pessoas estavam perdendo suas personalidades, gente que eu conhecia há muito tempo, não fazia sentido mais pra mim. Eu não reconhecia meus amigos, nem meus pais. Olhava para minha própria namorada e não conseguia me lembrar da personalidade dela. Até mesmo os lugares em que eu sempre iam foram perdendo totalmente a identidade pra mim. Tudo foi ficando muito vazio, e foi então que resolvi pensar se era eu quem estava ficando vazio. Com muito medo, me mergulhei na psicologia e comecei a ler sobre transtornos dissociativos, inclusive bipolaridade. Talvez esse tenha sido um de meus erros, toda vez que eu fumava, a percepção do transtorno ficava ainda maior, e isso me fazia perceber ainda mais como eu estava com um sério problema. Havia pensado em procurar um psicólogo, mas resolvi esperar mais um pouco. Ficava horas pensando se a maconha havia me dado uma dádiva ou uma desgraça. Ao mesmo tempo que eu desconhecia as pessoas, eu passava a vê-las de uma forma totalmente diferente. A maconha havia me dado faculdades mentais maravilhosas, mas não era normal. Fiquei meses com essa nóia. Passei a tentar me controlar, mas era praticamente impossível controlar meus pensamentos, porque eram prazerosos. Comecei a me isolar, me afastei dos meus pais, dos meus amigos e até da minha namorada, que também fuma. No final de 2012 resolvi dar um upgrade na minha vida com a maconha. Criei horários pra fumar, também passei escolher bastante com quem e onde iria fumar, e isso me ajudou bastante. Passei a fumar em casa, e depois relaxar bastante ouvindo um pouco de Pink Floyd, que é o que eu adoro fazer. Hoje me sinto super bem, comecei a ter outras viagens com a maconha, mas ainda com vestígios do meu pequeno transtorno. Gostaria de agradecer o fórum por dar essa possibilidade de cada um contar seu problema, porque isso colabora muito com cada um. A vida é feita de experiências, e se cada um contar a sua, chegaremos a um compêndio final. Agradeço a atenção, um bom começo de ano pra galera do growroom, e prometo participar mais do fórum porque estou adorando. Há braços! :*
×
×
  • Criar Novo...