Pesquisar na Comunidade

Showing results for tags 'efeitos'.



More search options

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Avisos
    • Avisos
    • Bem Vindo ao Growroom
    • Blog
  • Cultivo
    • Informações Básicas
    • Solos e Substratos
  • Outros temas relacionados
    • Notícias
    • Ativismo - Cannabis Livre
    • Segurança e Leis
    • Eventos e Competições
    • Cannabis e a Saúde
    • Cannabis Medicinal
    • Comportamento
    • Culinária
    • Artes, Filosofia, etc
  • Multimidia Cannabica
    • Galeria de Fotos
    • Galeria de Vídeos
  • Cultivo Medicinal
    • APEPI

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


AIM


MSN


Website URL


ICQ


Yahoo


Jabber


Skype


Location


Interests

Encontrado 6 registros

  1. Salve rapaziada Eu tenho essa dúvida a tempos e nunca parei pra pesquisar sobre, mas gostaria de saber a opinião dos maconheiros. Eu não sei com vocês, mas comigo sim, pq a gente fuma com algumas pessoas e ficamos normais, E outras parece que 3 tragos são 3 puxadas num bong do snoop dog? Fumo com algumas pessoas e praticamente.nem me sinto chapado, apesar de gostar mais de fumar sozinho, tem pessoas que fumo pouco até e já fico doidão, risonho, tipo pira do primeiro beck. Pq isso acontece?
  2. Recentemente, vi no fórum um tópico sobre fumar no trabalho. Achei as respostas muito interessantes. Eu comecei a fumar meio tarde na vida. Aos 42 anos tenho comprado maconha para fumar em casa. E confesso que ela me ajuda muito, principalmente, deixando meu astral lá em cima, o que me faz desconfiar que eu sofria de algum tipo de depressão, pois do tempo que comecei a fumar (praticamente, todos os dias) notei uma expressiva mudança no meu humor. Sou músico, compositor e gravo muita coisa em casa mesmo, e confesso que a maconha é uma chave que me abre portas fantásticas na criação e isso é muito recente pois no começo da minha carreira como músico fazia um tipo de música altamente apreciada por canabistas (reggae e ska, na maioria) sem a menor influência da maconha e isso hoje me soa muito irônico. No início do ano, eu comecei a trabalhar como um pequeno empreendedor, e até então a maconha não me atrapalhava. Às vezes, fumo antes de sair de casa para atender meus clientes e é bom. Fora minha paranoia, ninguém nunca me notou alterado ou estranho. Acontece que eu consumo aleatoriamente prensados e não sei que tipo de maconha estou consumindo. Na última que comprei notei algo que eu queria compartilhar aqui. Sei que há vários tipos de maconha e seus efeitos variam. A erva que estou consumindo atualmente tá tendo um efeito forte no sentido de me deixar parado. Eu fumo e fico em casa, travado, sem iniciativa, com preguiça e, invariavelmente, me causa um sono muito forte, de dia ou de noite. Isso me preocupa um pouco porque chego a pensar que daqui pra frente esse vai ser o principal efeito da maconha em mim. Mas por outro lado já consumi outros prensados que não tinham essa propriedade. Eles até me davam um up. Isso é normal? Esse prensado tá bom? Vou ter que aguentar essas variações na maconha que eu compro? Vocês já tiveram isso também? Isso tudo novo pra mim e, às vezes, me sinto constrangido de ficar perguntando aos meus amigos canabistas para não soar repetitivo e deslumbrado. Obrigado e abraço a todos.
  3. Do álbum Diário - Meu Primeiro Grow

    (Dia 79.) Tirei as folhas resinadas de um dos buds para experimentar. Senti fortes efeitos 'sativos' por umas duas horas. Foi ótimo.
  4. 04 de setembro de 2014 • 16h11 • atualizado às 18h08 Maconha ajuda a combater efeitos do estresse pós-traumático A administração de cannabis após um evento traumático pode inibir a síndrome de estresse e lembranças angustiantes http://saude.terra.com.br/doencas-e-tratamentos/maconha-ajuda-a-combater-efeitos-do-estresse-pos-traumatico,abaa75fea0248410VgnCLD200000b1bf46d0RCRD.html Foto: Getty Images A cannabis pode ajudar a combater os efeitos negativos no comportamento e os de caráter psicológico que acarreta a síndrome de estresse pós-traumático, segundo os resultados de uma pesquisa realizada pela Universidade de Haifa. "A administração de maconha sintética (canabinóides) pouco após um evento traumático pode previnir sintomas típicos da síndrome de estresse pós-traumático em ratos, tanto aqueles causados pelo trauma como por lembranças angustiantes recorrentes", diz um comunicado da universidade. Segundo o estudo, cujas conclusões foram reveladas hoje, esses efeitos foram freados depois que a droga neutralizou a transmissão química entre os receptores emocionais do cérebro. O estudo foi realizado pelos pesquisadores Najshon Korem e Irit Akirav, do Departamento de Psicologia. "A importância do estudo está no fato de que contribui para a compreensão da reação cerebral que produz o efeito positivo da cannabis sobre essa síndrome, o que apoia a necessidade de realizar testes clínicos com humanos para examinar seu potencial", alegam os pesquisadores. Um fenômeno comum entre estes grupos é a exposição quase contínua a eventos que os lembram do trauma inicial, agravando suas condições de vida ao longo de anos.De acordo com a Associação Médica de Israel, cerca de 9% da população israelense sofre com o transtorno por estresse pós-traumático, uma porcentagem que cresce vertiginosamente entre soldados, prisioneiros de guerra, vítimas de ataques e civis que vivem em zonas fronteiriças frequentemente afetadas pela guerra. Akirav, que já realizou vários estudos neste campo, assegura que o uso da cannabis dentro de uma "janela de tempo" apropriada após um evento traumático reduz os sintomas de estresse pós-traumático, segundo demonstraram os testes com ratos. Em sua última pesquisa, o especialista se centrou nas consequências dos eventos repetidores que lembram o trauma inicial, para saber se a cannabis tem o mesmo efeito positivo. Para isso foi administrada a droga a um grupo de ratos que tinham recebido descargas elétricas, e um composto antidepressivo de sertralina a um segundo grupo. A pesquisa demonstrou que o primeiro grupo não mostrou depois, perante lembranças angustiantes recorrentes, os sintomas típicos do transtorno. O estudo também abordou a base neurobiológica do efeito que teve a droga no cérebro. Segundo o comunicado, os ratos expostos a traumas "mostraram um aumento nas expressões de dois dos receptores associados com o processamento da emoções cerebrais: o CB1 e o gr", um reflexo que ficou mitigado naqueles que tinham recebido a dose de cannabis. "Os resultados de nosso estudo sugerem que a conectividade no circuito do medo do cérebro muda por causa de um trauma, e que a administração de canabinóides impede que esta mudança ocorra", concluíram os cientistas.
  5. Olá a todos. Sou novo no fórum e tenho uma questão que me parece interessante, que li num livro que tinha o depoimento de um junkie que é bem erudito e teve vida longa. O cara entende o que fazia, de verdade. O fato é que ele apenas cita que para retardar ou evitar os danos na memória e danos cognitivos, é só fazer a manutenção da vitamina B1. Eu queria que alguém que soubesse falasse algo para mim. Desde já, valeu!
  6. ganja.gab

    Dúvida: Sativa X Indica

    Galera, to com uma dúvida. A Cannabis Sativa te deixa mais agitado e panz... A Cannabis Indica é aquela que te "prende no sofá" certo ? Diversas vezes vi a galera aqui indicando pra pessoas que tem bad trip tipo com umas paranóias e panico a fumar indica. Mas... Se ela ficar hiper chapada com uma Indica presa no sofá... Ela não teria uma bad trip maior por ela ficar bem mais devagar ? Se eu estiver errado me corrijam por favor. Jah Bless