Ir para conteúdo
Growroom

Pesquisar na Comunidade

Showing results for tags 'Filosofia'.

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Avisos
    • Avisos
    • Bem Vindo ao Growroom
    • Blog
  • Outros temas relacionados
    • Notícias
    • Ativismo - Cannabis Livre
    • Segurança e Leis
    • Eventos e Competições
    • Cannabis e a Saúde
    • Cannabis Medicinal
    • Comportamento
    • Culinária
    • Artes, Filosofia, etc
  • Multimidia Cannabica
    • Galeria de Fotos
    • Galeria de Vídeos
  • Cultivo Medicinal
    • APEPI

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


AIM


MSN


Website URL


ICQ


Yahoo


Jabber


Skype


Location


Interests

Encontrado 2 registros

  1. Bem gente sempre temos algumas frases que inspirao a sabedoria e ate mesmo podem mudar nossas vidas, Entao deixo aqui esse topico destinados as melhores frases e os melhores pesamentos para compartilharmos; Porque muitas vezes lemos frases brilhantes no nicks dos usuarios e depois nunca mais vemos o user de novo acontece muito, entao aqui esta destinado as frases mais inspiradoras... comeco com frases de um site vegetariano. "Eu comprei 2 chimpanzés machos de uma fazenda de criação na Holanda. Eles viveram em jaulas separadas, uma perto da outra, por muitos meses, até que usei um deles como doador de coração. Quando nós o sacrificamos, em sua jaula, em preparação para a cirurgia, ele gritava e chorava incessantemente. Não achamos o fato significante, mas isso deve ter causado grande trauma no seu companheiro, pois quando removemos o corpo para a sala de operação, o outro chimpanzé chorava copiosamente e ficou inconsolável por dias. Esse incidente me tocou profundamente. Eu jurei nunca mais fazer experimentos em criaturas tão sensíveis." Dr.Christian Barnard (médico que fez o primeiro transplante de coração em humanos.) "Naquela noite, no meu saco de dormir, no chão da cabana, sonhei que un castor enorme subia na minha jaqueta-travesseiro. Isso me acordou e eu senti alguma coisa movendo no meu cabelo e depois se retirando pro chão.No feixe de luz da minha lanterna, havia uma pequena ratinha de patas brancas e em sua boca um grande chumaço do que parecia ser meu cabelo. Ela saiu correndo pra um canto onde havia um braço de cadeira quebrado. Esperei no escuro e ela subiu de novo na minha cabeça e suas pequenas mãozinha rosadas e seus dentes cortaram o comprimento necessário de cabelo para aquele ninho. Voltei a dormir pensando o quanto era bom saber que o homem, a única verdadeira praga na Natureza teve, por fim, uma utilidade para ao menos uma "pessoinha" naquele vasto deserto." --Dr. Harry Lillie, 1975. "Eu desprezo e abomino desculpas em nome da infame prática da vivissecção...Eu preferiria ser submetido à pior das mortes, aguentando dor indefinidamente, a ter um único cão ou gato torturado , sob o pretexto de me dar alguns momentos de alívio."- Robert Browning (poeta) "Olhe no fundo dos olhos de um animal e, por um momento, troque de lugar com ele. A vida dele se tornará tão preciosa quanto a sua e você se tornará tão vulnerável quanto ele. Agora sorria, se você acredita que todos os animais merecem nosso respeito e nossa proteção, pois em determinado ponto eles são nós e nós somos eles." --Philip Ochoa "A razão de eu amar tanto o meu cachorro é porque quando chego em casa ele é o único no mundo que me trata como seu fosse 'Os Beatles' ". Bill Maher (colunista, escritor e militante pelos direitos dos animais). O homem implora a misericórdia de Deus mas não tem piedade dos animais, para os quais ele é um deus. Os animais que sacrificais já vos deram o doce tributo de seu leite, a maciez de sua lã e depositaram confiança nas mãos criminosas que os degolam. Ninguém purifica seu espírito com sangue. Na inocente cabeça do animal não é possível colocar o peso de um fio de cabelo das maldades e erros pelos quais cada um terá de responder." Gautama Buda Os animais que você come não são aqueles que devoram outros, você não come as bestas carnívoras, você as toma como padrão. Você só sente fome pelas criaturas doces e gentis que não ferem ninguém, que o seguem, o servem, e que são devoradas por você como recompensa de seus serviços.Jean-Jacques Rousseau em "Emile" "Esse direito - o de matar um veado ou uma vaca - nos parece natural porque nós estamos no alto da hierarquia. Mas bastaria que um terceiro entrasse no jogo, por exemplo, um visitante de outro planeta a quem Deus tivesse dito: Tu reinarás sobre as criaturas de todas as outras estrelas, para que toda a evidência do Gênese fosse posta em dúvida. O homem atrelado à carroça de um marciano - eventualmente grelhado no espeto por um visitante da Via-Láctea - talvez se lembrasse da costeleta de vitela que tinha o hábito de cortar em seu prato. Pediria (tarde demais), desculpas à vaca." - Milan Kundera "Eu temo pela minha espécie quando penso que Deus é justo." - Thomas Jefferson "A verdadeira bondade do homem só pode se manifestar com toda a pureza, com toda a liberdade, em relação àqueles que não representam nenhuma força. O verdadeiro teste moral da humanidade (o mais radical, num nível tão profundo que escapa ao nosso olhar) são as relações com aqueles que estão à nossa mercê: os animais. é aí que se produz o maior desvio do homem, derrota fundamental da qual decorrem todas as outras." - Milan Kundera "Se podemos cortar bestas simplesmente porque elas não podem nos impedir e porque estamos dando as costas ao direito à vida, então é lógico cortar imbecís, criminosos, inimigos ou capitalistas, pelas mesmas razões"- C. S. Lewis (Novelista) "Não me interessa nenhuma religião cujos princípios não melhoram nem tomam em consideração as condições dos animais." - Abraham Lincoln "Em se tratando de fidelidade, devoção, amor, muitos homens estão aquém do cão ou do cavalo. Que maravilhoso seria se pudessem ao menos antes do julgamento final, afirmar: 'Eu tenho amado tão verdadeiramente ou sido tão decente quanto o meu cão.' E ainda assim os chamam de 'apenas animais!' " - Henry Ward Beecher (Abolitionista) "O justo olha pela vida dos seus animais." - Provérbios 12:10 " Há muito de verdade no dito de que o homem se torna aquilo que come. Quanto mais grosseiro o alimento tanto mais grosseiro o corpo." Ghandi "Não sou basicamente um conservacionista. Quando a última baleia for massacrada, como certamente um dia acontecerá, o sofrimento delas vai acabar. Essa não é uma perda para a baleia, mas para a espécie humana. Não estou preocupado com com extinção de espécies - isso é loucura dos homens - Eu tenho uma única preocupação: o sofrimento que nós deliberadamente infligimos nos animais enquanto estão vivos." --Clive Hollands (1929) "No começo do Gênese está escrito que Deus criou o homem para reinar sobre os pássaros, os peixes e os animais. é claro, o Gênese foi escrito por um homem, e não por um cavalo. Nada nos garante que Deus desejasse realmente que o homem reinasse sobre as outras criaturas. é mais provável que o homem tenha inventado Deus para santificar o poder que usurpou da vaca e do cavalo." - Milan Kundera "Quem mata um boi é como o que tira a vida a um homem." - Isaías 66:3 "A compaixão para com os animais é das mais nobres virtudes da natureza humana." - Charles Darwin "Enquanto o homem continuar a ser destruidor impiedoso dos seres animados dos planos inferiores, não conhecerá a saúde nem a paz. Enquanto os homens massacrarem os animais, eles se matarão uns aos outros. Aquele que semeia a morte e o sofrimento não pode colher a alegria e o amor." - Pythagoras "Nós somos sepulturas vivas de bestas assassinadas, abatidas para satisfazer nossos apetites. Como podemos esperar neste mundo, a paz de que tanto ansiamos? "- George Bernard Shaw (Living Graves, published 1951) "Não haverá justiça enquanto o homem empunhar uma faca ou uma arma e destruir aqueles que são mais fracos que ele." - Isaac Bashevis Singer ( Nobel - 1978 ) "Eu não tenho dúvidas que é parte do destino da raça humana, na sua evolução gradual, parar de comer animais." - Henry David Thoreau "Eu não como carne porque vi carneiros e porcos sendo mortos. Eu vi e senti a dor desses animais. Eles sentem a aproximação da morte. Eu não pude suportar a cena. Chorei como uma criança. Corri para o topo da colina e mal conseguia respirar...senti-me sufocado...senti a morte do carneiro." - Vaslav Nijinsky (Bailarino e coreógrafo) "Enquanto estivermos matando e torturando animais, vamos continuar a torturar e a matar seres humanos - vamos ter guerra. Matar precisa ser ensaiado e aprendido em pequena escala; enquanto prendermos animais em gaiolas, teremos prisões, porque prender precisa ser aprendido em pequena escala; enquanto escravizarmos os animais, teremos escravos humanos, porque escravizar precisa ser aprendido em pequena escala." - Edgar Kupfer-Koberwitz "O destino dos animais é muito mais importante para mim do que o medo de parecer ridículo." - émile Zola "Os vapores das comidas com carne obscurecem o espírito. Dificilmente pode-se ter virtude se se desfruta de comidas e festas em que haja carne. No paraíso terreno não havia vinho, nem sacrifício de animais e tampouco se comia carne." - São Basílio "Virá o dia em que a matança de um animal será considerada crime tanto quanto o assassinato de um homem."- Leonardo da Vinci "Pergunte para os vivisseccionistas por quê eles experimentam em animais e eles responderão: "Porque os animais são como nós". Pergunte aos vivissecccionistas por quê é moralmente 'OK' experimentar em animais e eles responderão: "Porque animais não são como nós". A Experimentação animal apoia-se em contradição de lógica." - Professor Charles R.Magel (1920) "Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da criação, seja animal ou vegetal, ninguém precisará ensiná-lo a amar seu semelhante." - Albert Schwweitzer ( Nobel da Paz - 1952 ) "Um homem só é nobre quando consegue sentir piedade por todas as criaturas". -Buda (563? - 483? A.C.) "Até que tenhamos coragem de reconhecer crueldade pelo que ela é - seja a vítima um animal humano ou não humano - não podemos esperar que as coisas melhorem neste mundo...não podemos ter paz vivendo entre homens cujos corações se deleitam em matar criaturas vivas. Para cada ato que glorifica o prazer de matar, estamos atrasando o progresso da humanidade". - Rachel Carson "A não- violência leva-nos aos mais altos conceitos de ética, o objetivo de toda evolução. Até pararmos de prejudicar todos os outros seres do planeta, nós continuaremos selvagens." - Thomas Edison "Crueldade é algo que está presente em famílias humanas por incontáveis eras. é quase impossível alguém que é cruel com os animais ser generoso com as crianças. Se se permite às crianças a crueldade contra seus animais de estimação ou outros que cruzem seus caminhos, elas aprenderão facilmente a ter o mesmo prazer com a miséria de seus semelhantes. Essas tendências podem facilmente levá-las ao crime" - Fred A.McGrand (1895) "A questão não é eles pensam ? ou eles falam ? A questão é eles sofrem." (Jeremy Bentham) "Nada beneficiará mais a saúde da humanidade e aumentará as chances de sobrevivência da vida na Terra quanto a dieta vegetariana." - Albert Einstein (Nobel - 1921) "Geralmente as pessoas usam como desculpa para continuar comendo carne, o fato de que humanos sempre comeram carne. De acordo com essa lógica, não deveríamos tentar previnir pessoas de assassinarem outras, já que esse comportamento também acontece desde as eras mais longínquas."-Isaac Bashevis Singer (1904- ) "A compaixão pelos animais está íntimamente ligada a bondade de carácter, e pode ser seguramente afirmado que quem é cruel com os animais não pode ser um bom homem." - Arthur Schopenhauer "Os animais existem por suas próprias razões. Eles não foram feitos para humanos, assim como negros não foram feitos para brancos ou mulheres para os homens."-Alice Walker "De que serve a mim a multidão de vossos sacrifícios? diz o Senhor. Estou farto dos holocaustos de carneiros, e da gordura de animais cevados; e não me agrado do sangue de novilhos, nem de cordeiros, nem de bodes, quando vindes para comparecerdes perante mim. Quem requereu de vós isto? Que viésseis pisar os meus átrios? Não continueis a trazer ofertas vãs." - Isaías 1:11-13 "Nossa tarefa deveria ser nos libertarmos ... aumentando o nosso círculo de compaixão para envolver todas as criaturas viventes, toda a natureza e sua beleza." - Albert Einstein (fisico, Nobel 1921) "Não comer carne significa muito mais para mim que uma simples defesa do meu organismo; é um gesto simbólico da minha vontade de viver em harmonia com a natureza. O homem precisa de um novo tipo de relação com a natureza, uma relação que seja de integração em vez de domínio, uma relação de ser dentro dela e vez de possuí-la. Não comer carne simboliza respeito à vida universal." Pierre Weil Deveríamos ser capazes de recusar-nos a viver se o preço da vida é a tortura de seres sensíveis. (Mahatma Gandhi) Sinto que o progresso espiritual requer, em uma determinada etapa, que paremos de matar nossos companheiros, os animais, para a satisfação de nossos desejos corpóreos. (Mahatma Gandhi) Que horror é meter entranhas em entranhas, engordar um corpo com outro corpo, viver da morte de seres vivos. (Pythagoras) Quanto mais o homem simplifica a sua alimentação e se afasta do regime carnívoro, mais sábia é a sua mente. (George Bernard Shaw) O comer carne é a sobrevivência da maior brutalidade; a mudança para o vegetarianismo é a primeira conseqüência natural da iluminação. (Leon Tolstoy) Não haverá justiça enquanto o homem empunhar uma faca ou uma arma e destruir aqueles que são mais fracos que ele. (Isaac Bashevis Singer) O que não concebo é degolar um cabrito, asfixiar uma pomba, cortar a nuca de uma galinha ou dar punhaladas em um porco para que eu coma seus restos. Não é por uma questão de química biológica o motivo de eu me ter passado para as fileiras do ovo-lacto-vegetarianismo, mas pelo imperativo moral de que minha vida não seja mantida às custas da vida de outros seres. (Dr. Eduardo Alfonso, médico naturista espanhol)
  2. Mais perigosa que a vida A relação dos artistas com as drogas, mais especifica- mente dos escritores, reescreve o dilema moral que cerca o assunto fora do âmbito da arte. De um lado há a afirma- ção da possibilidades de expansão de estados de consciên- cia, gerando uma representação artística única e seminal; de outro os limites dramáticos da expressão desta mesma consciência, retalhada em doenças, crimes, violência, mar- ginalidade e esterilidade criativa. O que, então, estes artis- tas têm a ensinar, tanto pelo seu exemplo de sucesso co- mo nas derrotas mais decorrentes? Talvez a mais direta li- ção esteja na busca incessante. Levar a vida e a procura de prazeres ao limite não é um mérito de artistas, mas uma consagração da humanidade. O que diferencia um e outro é a narrativa correspondente. Para uns a vida é a própria história, para os demais a vida só existe para ser história. A mais recente e instigante reflexão sobre as drogas, “O Prazer e o Mal: Uma filosofia da droga”, da italiana Giulia Sissa, recoloca a questão, sem qualquer viés moralista ou celebratório, da relação entre o prazer e a droga. Recor- rendo a exemplos de autores como Baudelaire e Thomas De Quincey, a fenomenologia da experiência dos drogados se dá em torno da busca do prazer. Mais tecnicamente, a autora encerra o debate a partir da noção psicanalítica de desejo. E o desejo não tem fim. Literalmente. A insaciabilidade Se existisse do prazer, que se manifesta na vida eró- uma droga tica, acaba servindo de modelo para que não uma busca tóxica da realização. Saco causasse sem fundo desejante, o drogado acaba mal, mesmo por perfazer o cruel caminho qualitati- assim ela vo que retira do prazer da droga todo seria dado positivo de satisfação para gerar um mal ? a completude pelo avesso: droga-se para evitar a evidenciação do vazio. Os sinais se alteram. O prazer é apenas o adiamento do desprazer. A pensadora italiana vai a raiz filosófica platônica para entender e confi- gurar esta operação. O desejo é o pai de todos os des- caminhos e a outra face do castigo da impossibilidade de supri-lo. Uma “ álgebra da necessidade ”, nas palavras lú- cidas do junky Willian Burroughs. Mas ficam perguntas difíceis de responder. Se existisse uma droga que não causasse mal, físico ou psicológio, que garan- tisse a ampliação do prazer e da consciência, mesmo assim ela seria um mal ? Quem se eximiria da experiência de alterar seu estado de consciência, com direito a visões e outra perspectiva intelectual e sensorial se não houvesse risco ou proibição? O prazer artificial ( e os paraísos arti- ficiais ) são em si um mal? São questões desta ordem que impulsionaram muitos escritores a buscar nas drogas por- tas para novas percepções. Para alguns deles, o resultado foi surpreendente positivo e praticamente inofensivo. Foi o caso de Quin- cey (1785-1859) que viu no láudano ( uma espécie de vinho de ópio) a panacéia para todos os problemas da humani- dade, a felicidade ao custo de uma moeda. Suas “memó- rias de um comedor de ópio” trazem um relato de uma experiência vivida em todos os níveis, inclusive inconscien- tes, representados posteriormente em outras obras literárias do autor. De Quincey se torna viciado por um acaso, não por projeto ( chega a classificar de “ farmacêutico sublunar ” o colega que o aconselha o láudano para dirimir uma nevral- gia facial ). Por isso, sem qualquer tom proselitista, fala de uma igreja da qual é o fundador o único membro. Alfa e ômega da religião do ópio, que professou por quase 50 anos. William Burroughs foi outro drogado escritor que não se gabou de ser junky( nome de seu primeiro romance que popularizou a expressão no mundo inteiro). “ Alguém se torna drogado por não ter fortes motivações em qualquer outra direção” , escreveu. Ou seja, as drogas não valiam em si para Burrroughs, mas pela opçõa existêncial que aponta- vam, no caso, a ausência de opção ou assentimento à cul- tura norte-americana dos anos 40 em diante. Burroughs é um escritor poderoso. Seus dois livros mais conhecidos, “Junky ” e “Almoço Nu”, são siderados pela droga em todos os aspectos. No primeiro com uma naturalidade quase científica e neutra, narra o desenvolvimento de sua teoria da droga, sua matemática da necessidade pura. Em “Al- moço Nu” a linearidade se esfacela em um painel multifor- me de cenas grotescas, violentas, conduzidas por uma ló- gica inconsciente. Burroughs ficou associado historicamente aos beats, geração que vem depois da dele ( mas que ele ultrapas- sou cronologicamente, não se sabe como, afogado em química em todas as suas células sedentas), formada por Jack Kerouac, Allen Ginsberg, Neal Cassady e Lawrence Ferlinghetti, entre outros, também viveu e escreveu sob o impacto da inspiração das drogas. Quanto à inspiração, é preciso que se diga que ela se alimentou sempre re- troativamente das experiências alucinógenas. Escrever bêbado ou drogado gera um texto a ser destruido de- pois. Os autores beats sabiam disso. Mesmo as mais ou- sadas tentativas de escrita automática eram feitas de ca- ra limpa. Mas foram muitos trechos de romances, poe- mas e manifestos escritos com o intuito político de defen- der a droga. Estes autores acabaram marcando a prosa e a poesia contemporânea pela absoluta sinceridade de seus relatos. Entre suas contribuições estão a capacidade de criação de alternativa intelectual, mesmo que destrutiva ou nii- lista; e de uma realização artística inovadora. A narratriva realista nunca mais seria a mesma nos Estados Unidos. Segundo a história ( boa demais para ser verdade e não um relato de Burroughs), o poeta Ginsberg insistiu para Bur- roughs escrever uma história comercial, que lhe garantis- se algum dinheiro. O criador de “Junky” aceita o desafio e começa um romance em que um ventríloquo ensina seu ânus a falar. E ele acaba falando com tanta independência que abandona seu proprietário e fala por conta própria. Depois da recusa desta história, Burroughs veio para a sel- va amazônica a procura do yage, do qual esperava a ilu- minação definitiva. Thimoty Leary foi um Sócrates do século XX, pelo me- nos na sua missão de corromper a juventude. O que era acusação na Grécia foi um projeto caro ao papa da contra- cultura. Leary foi o mais fiel e capacitado defensor do uso do LSD e das drogas psicodélicas. Jogou seu prestígio acadêmico nesta defesa e perdeu. Foi expulso de Har- vard, preso várias vezes e não mudou de idéia. Realizou estudos, fundou comunidades, fez política a vida toda. Até na morte – de câncer – não cessou de provocar, auto- rizando que fossem filmados seus últimos momentos. Sua cabeça foi cerrada em frente a milhões de pessoas e conge- lada para possível uso no futuro. Leary marca uma mudança no padrão dos beats, com quem conviveu. Di- ferente deles, que faziam da experiência individual a rea- lização máxima, ele quis democratizar o barato. Sua perspectiva era salvacionista, escatológica, generosa. Suas memórias “ Flashbacks – Surfando no Caos” Termi- nam com uma postulação ultraliberal em relação ao uso de substâncias psicoativas ( que ele considerava um ali- mento para o cérebro, assim como a água ou a comida), dizendo que era uma necessidade patriótica combater as visões policial, médica e ideológica dos que queriam im- pedir os adultos de colocar para dentro de seus corpos o que achavam conveniente. No Brasil, foi Paulo Mendes Campos quem melhor des- creveu o efeito de drogas alucinógenas na percepção indi- vidual. Influênciado por Adouls Huxley, que havia publica- do o célebre “As Portas da Percepção”, o poeta mineiro to- mou ácido licérgico sob supervisão médica de um amigo e escreveu um límpido relato sobre o evento, descrevendo suas alterações de tempo, sua capacidade de observar co- res e a tonalidade das vozes das pessoas. “Experiências com LSD” , de 1962, foi republicado em vários livros do au- tor e tem algumas conclusões psicológicas que são poesia pura. Por exemplo: “Não existem ruídos lancinantes. Nós é que somos lancinantes”. Não há conclusão possível sobre o assunto. Além disso, É possível examiná-lo distante do contexto no qual a cri- minalidade se acerca da droga e a torna violenta, indepen- dente de sua ação. Há , além disso, a destruição de vidas pelas mais diferentes drogas, que nem sempre se dão ao consumidor de forma amena e criativa ( neste sentido, o re- lato dos escritores pode ser considerado uma perigosa ex- ceção). A busca de experiências psicodélicas gera, no en- tanto, algumas poucas conclusões provisórias: a insaciabi- lidade do desejo não torna o desejo equivocado; as repre- sentações estéticas e intelectuais do uso e sentido das dro- gas ajudam a compreender o fenômeno mais que as pos- turas ideológicas a priori ( que medicalizam e policializam o problema, gerando soluções tão equivocadas do ponto de vista epidemiológico como repressivo); viver é muito peri- goso. E, em meio a tanto barato, talvez o título de um livro do terapeuta francês Claude Olivenstein seja a melhor sín- tese: “Os drogados não são felizes”. Embora o próprio Oli- venstein afirmasse que não se enfrenta o vício sem a pres- suposição de que as pessoas buscam com a droga e, algu- mas vezes ( muito poucas) conseguem, prazer. Como Ca- mus disse de Sísifo, é preciso imaginar o drogado feliz. Só assim se compreende o desejo, seus triunfos e seus fracassos. * João Paulo é jornalista do jornal Estado de Minas, onde este artigo foi originalmente publicado.
×
×
  • Criar Novo...